Você está na página 1de 9

12/08/2016

12/08/2016 Decretonº8616 PresidênciadaRepública CasaCivil SubchefiaparaAssuntosJurídicos

Decretonº8616

PresidênciadaRepública

CasaCivil

SubchefiaparaAssuntosJurídicos

RegulamentaodispostonaLeiComplementarnº 148, de 25denovembrode2014,enoart.2ºdaLeinº9.496, de

11desetembrode1997,edáoutrasprovidências.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, inciso IV, da

Constituição,etendoemvistaodispostonaLeiComplementarnº148,de25denovembrode2014,enoart.2ºdaLei

nº9.496,de11desetembrode1997,

DECRETA:

I­critériosdeindexaçãodoscontratosdefinanciamentoederefinanciamentodedívidascelebradosentreaUnião

eosEstados,oDistritoFederalouosMunicípios;

II­procedimentosparaaformalizaçãodostermosaditivosaqueserefereaLeiComplementarnº148,de2014;

III­ProgramasdeAcompanhamentoFiscalcelebradosentreaUniãoeosMunicípiosdascapitaisouosEstados;

e

IV­ProgramasdeReestruturaçãoedeAjusteFiscalcelebradosentreaUniãoeosEstadosouoDistritoFederal.

CAPÍTULOI

DOSTERMOSADITIVOSAOSCONTRATOSDEFINANCIAMENTOEDEREFINANCIAMENTODEDÍVIDAS

Art.2º Aadoçãodas condiçõesprevistasnoart.2ºdaLeiComplementarnº 148, de2014, eaconcessãodo

descontodequetrataoart.3ºdareferidaLeiserãoefetivadaspelaUniãomedianteacelebraçãodetermosaditivosaos

contratosfirmadosentreaUniãoeosEstados,oDistritoFederalouosMunicípios.

§1º Acelebraçãodostermosaditivosdequetrataocaputdeveráobservarpreviamenteasseguintescondições,

alémdeoutrasprevistasemlei:

I­autorizaçãolegislativa;

II­desistênciaexpressaeirrevogáveldeaçãojudicialquetenhaporobjetoadívidaouocontratocomaUnião

sobreoqual incidam as condições previstas nos arts. 2º a 4º da Lei Complementar nº 148, de 2014, e renúncia a

III ­celebração, com oagentefinanceirodaUnião responsável pelos contratos de que trata este Capítulo, de

TermodeConvalidaçãodeValores,pormeiodoqualdeverãoserdeclaradosacerteza,aliquidezeomontantedosaldo

devedorremanescentedocontratoaseraditado;e

SenadoFederal,de21dedezembrode2001.

§2º AobservânciadacondiçãoprevistanoincisoIVdo§1ºserádispensadanoscasosemqueseverificar,por

ocasiãodaassinaturadoTermodeConvalidaçãodeValores,ainexistênciadesaldodevedor,resultantedaaplicaçãodo

§4º Ostermosaditivosdequetrataoart.4ºdaLeiComplementarnº148,de2014,produzirãoefeitos:

I­apartirde1ºdejaneirode2016,quandocelebradosaté31dedezembrode2015,inclusive;ou

12/08/2016

Decretonº8616

II­noprimeirodiadomêssubsequenteaodesuacelebração,quandocelebradosapós31dedezembrode2015.

Art.3º Parafinsdaaplicaçãodascondiçõesprevistasnoart.2ºdaLeiComplementarnº148,de2014,apartirde

1ºdejaneirode2013,deverãoserobservadososseguintesparâmetros:

I ­ o desconto de que trata o art. 3º da Lei Complementar nº 148, de 2014, quando aplicável, será apurado conformeametodologiadescritanoAnexoIaesteDecreto;

II­osaldodevedorem1ºdejaneirode2013seráabatidododescontoapuradonostermosdoincisoI,quando

aplicável;

III­ataxareferencialdoSistemaEspecialdeLiquidaçãoedeCustódia­Selicefetivamensalparatítulospúblicos

federaisseráadivulgadapeloBancoCentraldoBrasil;

IV­oÍndiceNacionaldePreçosaoConsumidorAmplo­IPCAdoInstitutoBrasileirodeGeografiaeEstatística­

IBGEeataxaSelicestarãoreferenciadosaosegundomêsanterioraodesuaaplicação;

V­adata­baseseránodiaprimeirodecadamês,eserãomantidosossistemasdeamortizaçãoedecálculodas prestações, seja a Tabela Price ou o Sistema de Amortização Constante ­ SAC, vigentes nos contratos a serem aditados,consideradososprazosremanescentesdecadaoperação,conformemetodologiadescritanoAnexoIIaeste Decreto;e

VI­parafinsdalimitaçãodequetratao§1ºdoart.2ºdaLeiComplementarnº148,de2014, serácomparada mensalmenteavariaçãoacumuladadoIPCA, acrescidadejuros nominais de4% (quatroporcento)aoano, com a variaçãoacumuladadataxaSelic,conformemetodologiadescritanoAnexoIIIaesteDecreto.

§ 1º Para fins da aplicação das condições a que se refere o caput, quando se tratar de contratos de

refinanciamento amparados pela Lei nº 9.496, de 1997, serão consolidadas as obrigações relacionadas a seguir, conformeocaso:

I­financiamentosourefinanciamentosdequetrataaMedidaProvisórianº2.192­70, de24deagostode2001,

quandohouverprevisãocontratualdeintegraçãodesaldosdevedores,naformado§1ºdoart.5ºdareferidaMedida

Provisória;

II ­amortizações extraordinárias dequetratamos arts.7º­Ae7º­B daLeinº 9.496, de1997, denominadas de “ContaGráfica”;e

III­refinanciamentosdadívidapúblicamobiliáriaemitidaparapagamentodeprecatóriosjudiciais,nostermosdo

§2º Paraefeitodeacompanhamento,controleecobrançaposterioresàcelebraçãodostermosaditivosaquese refere o caput do art. 2º, excluem­se da consolidação prevista no § 1º os financiamentos ou refinanciamentos

§3º Osefeitosfinanceirosdecorrentesdodispostonosarts.2ºe3ºdaLeiComplementarnº148,de2014,serão

aplicadosconformeprevistonocaputdoart.4ºdareferidaLei,deacordocomametodologiadescritanoAnexoIVa

esteDecreto,obedecidaaseguinteordemdepreferência:

I­montantereferenteapendênciafinanceira,acasoexistente,acumuladaemdecorrênciadedecisãojudicialcom

impactosobreocontratoaseraditado;

II­resíduoacumulado,quandohouver,emdecorrênciadolimitereferidonoart.5ºdaLeinº9.496,de1997,no

IV­saldodevedorvincendoremanescente.

§ 4º A apuração do saldo devedor resultante da aplicação do disposto neste artigo integrará o Termo de

ConvalidaçãodeValoresprevistonoart.2º.

§5º Paraefeitodeapuraçãodosaldodevedornadatadoiníciodaproduçãodeefeitos dotermoaditivo,será

aplicadoodispostonosarts.2ºa4ºdaLeiComplementarnº148,de2014,segundoametodologiadecálculoprevista

nesteDecreto,sobre:

I­osaldodevedorconstantedoTermodeConvalidaçãodeValores;e

II­cadaumdosvaloresrelativosaeventosocorridosentreadatadecelebraçãodoTermodeConvalidaçãode

Valoreseadatadoiníciodaproduçãodeefeitosdotermoaditivoqueimpactaramosaldodevedorvigentenoreferido

período.

12/08/2016

Decretonº8616

Art. 4º Quando se verificar, na data de celebração do Termo de Convalidação de Valores, que os efeitos

financeirosdecorrentesdaaplicaçãododispostonosarts.2ºa4ºdaLeiComplementarnº148,de2014,sãosuperiores

ao somatório dos saldos devedores previstos nos incisos I a IV do § 3º do art. 3º deste Decreto, os pagamentos

§1º Noscasosemquenãoseaplicaroart.6ºdaLeinº9.711,de1998,ouemque,apóssuaaplicação,ainda remanescersaldofavorávelaoentedevedor,adevoluçãodosrecursosenvolvidosocorrerácomrecursosdoorçamento

daUniãoparaoexercíciode2016.

§2º A critériodoMinistériodaFazenda, adevoluçãoreferidano§1º poderáocorrermedianteaemissãode títulos da dívida pública mobiliária federal, cujas características serão definidas em ato do Ministro de Estado da Fazenda,sobaformadecolocaçãodireta,observadoovaloreconômicodoscréditoseadevidaautorizaçãolegal.

§3º AaplicaçãododispostonesteartigoestácondicionadaàcelebraçãodoTermodeConvalidaçãodeValores

previstonoart.2º.

Art.5º Apartirde1ºdefevereirode2016,nassituaçõesemquenãotenhasidocelebradootermoaditivoaque

serefereoart.4ºdaLeiComplementarnº148,de2014,poratrasoimputávelexclusivamenteàUnião,ficaráoEstado,

o Distrito Federal ou o Município contratante, desde que tenha cumprido todos os requisitos para o aditamento,

§1º Eventuais diferenças, amaiorouamenor, entreos valores das parcelas pagas em conformidadecom o

dispostonocaputpeloEstado,DistritoFederalouMunicípiocontratanteapartirde1ºdefevereirode2016eosvalores

dasparcelasefetivamenteapuradasdeacordocomoTermodeConvalidaçãodeValoresserãoressarcidas:

I­pelaUniãoaoentecontratante,naformaprevistanoart.4º;ou

II­peloentecontratanteàUnião,juntamentecomaprestaçãodomêssubsequenteaodacelebraçãodotermo

aditivo.

§2º Sobreas diferenças aserem ressarcidas naformado§1º incidirãoos acréscimos correspondentes aos

encargoscontratuaisestabelecidospelaLeiComplementarnº148,de2014.

contratuaisvigentesnadatadepublicaçãodesteDecreto,ressalvadoodispostonoart.5º.

Art.7º CompeteàSecretariadoTesouroNacionaldoMinistériodaFazenda,apartirdadatadepublicaçãodeste Decreto, divulgar mensalmente o valor do coeficiente de atualização monetária apurado em conformidade com a metodologiadescritanoAnexoIII.

Parágrafoúnico. Adivulgaçãomensaldequetrataocaput:

I­contemplaráarelaçãodosvaloresdocoeficientedeatualizaçãomonetáriaadotadosapartirde1ºdejaneirode

2013;e

II­ocorreráatéoúltimodiaútildomêsanterioraodecobrançadasprestaçõesdoscontratosaditados.

CAPÍTULOII

DOPROGRAMADEACOMPANHAMENTOFISCAL

Art.9º Os Municípios das capitais quetiverem contratovigentederefinanciamentodedívidas firmadocom a

UniãoaoamparodaMedidaProvisórianº2.185­35,de2001,equedesejaremfirmaroProgramadeAcompanhamento

§1º OtermoaditivoconteráasregraseosprocedimentosdoProgramadeAcompanhamentoFiscal,quepassará aserparteintegrantedocontrato.

§2º OProgramadeAcompanhamentoFiscaldeverásermantidoenquantohouverobrigaçãofinanceiradecorrente docontrato.

§3º OMunicípiodeveráobterautorizaçãolegislativaespecíficaparaacelebraçãodotermoaditivo.

Art.10. OsMunicípiosdascapitaisquenãotenhamcontratovigentederefinanciamentodedívidasfirmadocom a União ao amparo da Medida Provisória nº 2.185­35, de 2001, e os Estados que não estejam obrigados a manter

12/08/2016

Decretonº8616

ProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscal,nostermosdo§3ºdoart.1ºdaLeinº9.496,de1997,poderãoaderir

aoProgramadeAcompanhamentoFiscal,nostermosdoart.5ºdaLeiComplementarnº148,de2014.

§1º O Programa de Acompanhamento Fiscal deverá, nos casos previstos no caput, ser mantido por, pelo menos,cincoexercíciosfinanceirosapartirdaqueleemquehouvercontrataçãodeoperaçãodecréditoaoseuamparo.

§ 2º O Município ou o Estado deverá obter autorização legislativa específica para aderir ao Programa de AcompanhamentoFiscal.

Art.11. OsEstadoseosMunicípiosdascapitaisquefirmaremProgramadeAcompanhamentoFiscalnostermos doart. 5º daLei Complementarnº 148, de2014, estabelecerãometas oucompromissos anuais paratrês exercícios financeiros:odereferênciaeosdoissubsequentes.

§1º O Programa de Acompanhamento Fiscal poderá ser revisto no segundo exercício e deverá ser revisto, obrigatoriamente,noterceiroexercíciodevigênciadasmetasoucompromissos.

§2º AnãorevisãodoProgramadeAcompanhamentoFiscalnofinaldoterceiroexercíciodevigênciadasmetas

Art. 12. A Secretaria do Tesouro Nacional avaliará anualmente as metas ou compromissos firmados pelos EstadosepelosMunicípiosdascapitaisnoâmbitodoProgramadeAcompanhamentoFiscal.

§1º OsEstadoseosMunicípiosdascapitaisdeverãoencaminharàSecretariadoTesouroNacional,atéodia31 demaiodecadaano,relatóriosobreaexecuçãodoProgramadeAcompanhamentoFiscalrelativoaoexercícioanterior esobreasperspectivasparaotriênioseguinte.

§2º Orelatóriodequetratao§1ºdeveráconteranálisedetalhadadocumprimentooudescumprimentodecada metaoucompromissoeadescriçãodasaçõesexecutadaspeloEstadoouMunicípio.

§3º OsEstadoseosMunicípiosdascapitaisdeverãoencaminhardocumentaçãocomplementarnecessáriapara avaliaçãoda execução do Programa de Acompanhamento Fiscal, nos termos e prazos definidos pela Secretaria do TesouroNacional.

§4º Aadimplênciaemrelaçãoàs metas oucompromissos seráatestadapelaSecretariadoTesouroNacional apósaavaliaçãopreliminaroudefinitivaconcluirpelocumprimentodasmetasoucompromissos,combasenoconjunto deinformaçõesencaminhadaspeloEstadoouMunicípio.

§5º A SecretariadoTesouroNacionalavaliarápreliminarmente, até30dejunhodoexercíciosubsequenteao exercícioavaliado,seestãosendocumpridasasmetasoucompromissosnoâmbitodoProgramadeAcompanhamento Fiscal.

§6º Na hipótese de a avaliação preliminar indicar que houve descumprimento das metas mencionadas nos

incisosIeIIdo§1ºdoart.5ºdaLeiComplementarnº148,de2014,oEstadoouMunicípionãoteráaadimplênciaem

relaçãoàsmetasoucompromissosatestadapelaSecretariadoTesouroNacionalenquantopersistiremosefeitosdessa

avaliação.

§7º Aavaliaçãopreliminarqueconcluapelodescumprimentodasmetasecompromissos,nostermosdo§6º, poderá ser revista pelo Ministro de Estado da Fazenda, para todos os efeitos, após apresentação de justificativa fundamentadapeloEstadoouMunicípiointeressado.

§8º Decorridos120(centoevinte)diasdacomunicaçãoaoEstadoouMunicípioacercadaavaliaçãopreliminar queconcluiupelocumprimentodas metas oucompromissos noâmbitodoProgramadeAcompanhamentoFiscal, e desde que não tenha havido fatos supervenientes contrários àqueles anteriormente considerados na avaliação preliminar,aavaliaçãoseráconsideradadefinitiva.

CAPÍTULOIII

DOPROGRAMADEREESTRUTURAÇÃOEDEAJUSTEFISCAL

Art.14. OsEstadoseoDistritoFederalquetiveremcontratovigentederefinanciamentodedívidasfirmadocom

aUniãoaoamparodaLeinº9.496,de1997,equedesejaremaderiràregradequetratao§5ºdoart.3ºdareferidaLei,

noâmbitodoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscal,deverãocelebrartermoaditivoaocontrato.

§1º OtermoaditivoconteráasregraseprocedimentosdoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscal,que passaráaserparteintegrantedocontrato.

§2º OEstadoouoDistritoFederaldeveráobterautorizaçãolegislativaespecíficaparaacelebraçãodotermo aditivo.

12/08/2016

Decretonº8616

Art.15. OsEstadoseoDistritoFederalquetenhamfirmadoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscalnos

termosdo§3ºdoart.1ºdaLeinº9.496,de1997,estabelecerãometasoucompromissosanuaisparatrêsexercícios

financeiros:odereferênciaeosdoissubsequentes.

§1º OProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscal poderáserrevistonosegundoexercícioedeveráser revisto,obrigatoriamente,noterceiroexercíciodevigênciadasmetasoucompromissos.

§2º AnãorevisãodoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscalnofinaldoterceiroexercíciodevigência dasmetasoucompromissosequivaleaodescumprimentodatotalidadedasmetasoucompromissosaqueserefereo

Art. 16. A Secretaria do Tesouro Nacional avaliará anualmente as metas ou compromissos firmados pelos EstadosepeloDistritoFederalnoâmbitodoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscal.

§1º OsEstadoseoDistritoFederaldeverãoencaminharàSecretariadoTesouroNacional,atéodia31demaio decadaano,relatóriosobreaexecuçãodoProgramadeReestruturaçãoedeAjusteFiscalrelativoaoexercícioanterior esobreasperspectivasparaotriênioseguinte.

§2º Orelatóriodequetratao§1ºdeveráconteranálisedetalhadadocumprimentooudescumprimentodecada metaoucompromissoeadescriçãodasaçõesexecutadaspeloEstadoouDistritoFederal.

§3º OsEstadoseoDistritoFederaldeverãoencaminhardocumentaçãocomplementarnecessáriaparaavaliação daexecução do Programa de Reestruturação e de Ajuste Fiscal, nos termos e prazos definidos pela Secretaria do TesouroNacional.

§4º Aadimplênciaemrelaçãoàs metas oucompromissos seráatestadapelaSecretariadoTesouroNacional apósaavaliaçãopreliminaroudefinitivaconcluirpelocumprimentodasmetasoucompromissos,combasenoconjunto deinformaçõesencaminhadaspeloEstadoouDistritoFederal.

§5º A SecretariadoTesouroNacionalavaliarápreliminarmente, até30dejunhodoexercíciosubsequenteao exercícioavaliado,seestãosendocumpridasasmetasoucompromissosnoâmbitodoProgramadeReestruturaçãoe deAjusteFiscal.

§6º Na hipótese de a avaliação preliminar indicar que houve descumprimento das metas mencionadas nos

incisosIeIIdoart.2ºdaLeinº9.496,de1997,oEstadoouoDistritoFederalnãoteráaadimplênciaemrelaçãoàs

metasoucompromissosatestadapelaSecretariadoTesouroNacionalenquantopersistiremosefeitosdestaavaliação.

§7º Aavaliaçãopreliminarqueconcluapelodescumprimentodasmetasecompromissos,nostermosdo§6º, poderá ser revista pelo Ministro de Estado da Fazenda, para todos os efeitos, após apresentação de justificativa fundamentadapeloEstadoouDistritoFederalinteressado.

§8º Decorridos120(centoevinte)diasdacomunicaçãoaoEstadoouMunicípioacercadaavaliaçãopreliminar queconcluiupelocumprimentodas metas oucompromissos noâmbitodoProgramadeReestruturaçãoedeAjuste Fiscal,edesdequenãotenhahavidofatossupervenientescontráriosàquelesanteriormenteconsideradosnaavaliação preliminar,aavaliaçãoseráconsideradadefinitiva.

Art. 17. No âmbito do Programa de Reestruturação e de Ajuste Fiscal, devem ser observadas as seguintes

condiçõesestabelecidasnoparágrafoúnicodoart.26daMedidaProvisórianº2.192­70,de2001:

I­odescumprimentodasmetasecompromissosfiscais,definidosnosProgramasdeReestruturaçãoedeAjuste Fiscal, implicaráaimputação, atítulodeamortizaçãoextraordináriaexigidajuntamentecom aprestação devida, de valorcorrespondenteavinteecincocentésimos porcentodaReceitaLíquidaReal­RLRdaUnidadedaFederação, médiamensal,pormetanãocumprida;

II­apenalidadeprevistanoincisoIserácobradapeloperíododeseismeses,contadosapartirdanotificação,

pelaUnião,dodescumprimento,esemprejuízodasdemaiscominaçõespactuadasnoscontratosderefinanciamento;e

III­nocasodecumprimentointegraldasmetasmencionadasnosincisosIeIIdoart.2ºdaLeinº9.496,de1997,

nãoseaplicaapenalidadeprevistanesteartigo,eoEstadoouDistritoFederalseráconsideradoadimplenteparatodos

osdemaisefeitos.

CAPÍTULOIV

DISPOSIÇÕESFINAIS

Art. 18. Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios das capitais deverão divulgar, inclusive em meios eletrônicos de acesso público, os dados e informações relativos ao Programa de Acompanhamento Fiscal e ao

Art.19. ASecretariadoTesouroNacionaldivulgarámodelosdasleisautorizativasaquesereferem:

12/08/2016

I­o§3ºdoart.9º;

II­o§2º doart.10;e

III­o§2ºdoart.14.

Decretonº8616

Art.20.EsteDecretoentraemvigornadatadesuapublicação.

Brasília,29dedezembrode2015;194ºdaIndependênciae127ºdaRepública.

DILMAROUSSEFF

NelsonBarbosa

EstetextonãosubstituiopublicadonoDOUde29.12.2015­Ediçãoextra

ANEXOI

METODOLOGIADECÁLCULODODESCONTO

ANEXOI METODOLOGIADECÁLCULODODESCONTO onde: SD S E L I C
ANEXOI METODOLOGIADECÁLCULODODESCONTO onde: SD S E L I C

onde:

SD SELIC :saldodevedortotalatualizadopelavariaçãodataxaSelicem1ºdejaneirode2013;

t:índicedosomatório;

k:datadereferênciadodesconto,ouseja,1ºdejaneirode2013;

i:datadeocorrênciadecadaD t oudecadaPGTO t ;

D t : valores originalmente refinanciados, entregues ao devedor sob a forma de empréstimos, ou acrescidos ao saldodevedorpelaincorporaçãodenovasdívidas,liberaçãodenovosrecursos,ouaplicaçãodejurosmoratórios;

s t :fatoracumuladodavariaçãodataxaSelicentreadatadeocorrênciadecadavalorD t edecadavalorPGTO t e

1ºdejaneirode2013;

PGTO t : valor de cada um dos pagamentos efetuados pelo devedor na forma de prestação, amortização extraordináriaoucréditosreconhecidospelaUnião;

DESC:valortotaldodesconto;e

SD 2013 :saldodevedorem1ºdejaneirode2013calculadodeacordocomametodologiavigenteàépoca.

ANEXOII

METODOLOGIADECÁLCULODAATUALIZAÇÃOMONETÁRIA

1.Nomêsdejaneirode2013:

a.seráconsideradocomobasedecálculodaprestaçãonadata­baseovalordosaldoabatidododescontodeque

trataoincisoIdocaputdoart.3º;e

b.paraefeitodeapuraçãodocoeficientedeatualizaçãoCAM aseraplicado aos débitos ou créditos ocorridos

duranteomês,foradadata­base,serãocomparadasavariaçãomensaldoIPCAdivulgadoemnovembrode2012mais

jurosnominaisde4%a.a.(quatroporcentoaoano)eavariaçãomensaldataxaSelictambémdivulgadaemnovembro

de2012.

2.Apartirdefevereirode2013,osaldodevedorseráatualizadodaseguinteforma:

12/08/2016

Decretonº8616

12/08/2016 Decretonº8616 onde: AM t :valordaatualizaçãomonetáriadomêscorrente; t: mêscorrente; n
12/08/2016 Decretonº8616 onde: AM t :valordaatualizaçãomonetáriadomêscorrente; t: mêscorrente; n

onde:

AM t :valordaatualizaçãomonetáriadomêscorrente;

t:mêscorrente;

n:ocorrênciasdeB n nomêscorrente;

k:númerototaldeocorrênciasdeB n nomêscorrente;

B n : base para cálculo da atualização monetária, que pode corresponder ao saldo devedor do dia primeiro imediatamenteanterioràdatadecálculo,aovalordecadadébitoocorridoduranteoperíodosobatualização, forada data­base, sehouver, ouaovalordecadacréditoocorridoduranteoperíodosobatualização, foradadata­base, se houver;

CAM t :coeficientedeatualizaçãomonetáriadosaldodevedorparaomêscorrente,apuradoconformeAnexoIII,na formapercentualdivulgadamensalmentepelaSecretariadoTesouroNacional;

SD t :saldodevedordomêscorrenteatualizado;

SD t­1 :saldodevedordomêsanterior;

D:númerodediascorridosdomêsanterior,quandoocálculoocorrernadata­base,ounúmerodediascorridosdo

mêsemcursoquandoocálculoocorrerforadadata­base;e

DCP:númerodediascompreendidosentreadatadeinícioeadatafinaldocálculo,considerandocadabaseB n .

12/08/2016

Decretonº8616

ANEXOII­CONTINUAÇÃO

METODOLOGIADECÁLCULODOSJUROSREMUNERATÓRIOS

1.Paraocálculodosjurosremuneratóriosquecompõemaprestaçãodejaneirode2013,seráaplicadaataxade

jurosnominalde4%a.a.(quatroporcentoaoano)sobreovalordosaldoabatidododescontodequetrataoincisoIdo

caputdoart.3º.

2. Ovalordosjurosremuneratóriosapartirdefevereirode2013seráapuradodaseguinteforma:

onde: J t : valordosjurosremuneratóriosdomêscorrente;

onde:

J t :valordosjurosremuneratóriosdomêscorrente;

t:mêscorrente;

n:ocorrênciasdeB n nomêscorrente;

k:númerototaldeocorrênciasdeB n nomêscorrente;

B n :baseparacálculodosjuros,quepodecorresponderaosaldodevedordodiaprimeiroimediatamenteanteriorà

datadecálculo,aovalordecadadébitoocorridoduranteoperíodosobatualização,foradadata­base,sehouver,ouao

valordecadacréditoocorridoduranteoperíodosobatualização,foradadata­base,sehouver;

CAM t :coeficientedeatualizaçãomonetáriadosaldodevedornomês corrente, apuradoconformeAnexoIII, na formapercentualdivulgadamensalmentepelaSecretariadoTesouroNacional;

D:númerodediascorridosdomêsanterior,quandoocálculoocorrernadata­base,ounúmerodediascorridosdo

mêsemcursoquandoocálculoocorrerforadadata­base;e

DCP:númerodediascompreendidosentreadatadeinícioeadatafinaldocálculo,considerandocadabaseB n .

ANEXOIII

METODOLOGIADECÁLCULODOCOEFICIENTEDEATUALIZAÇÃOMONETÁRIA­CAM

onde: CAM t : coeficiente de atualização monetária do

onde:

CAM t : coeficiente de atualização monetária do saldo devedor para o mês corrente, truncado na quarta casa decimal, eaplicadodessaformaapartirdefevereirode2013, divulgadomensalmente, em termos percentuais, pela SecretariadoTesouroNacional;

t:mêscorrente;

p t­2 :número­índiceresultantedavariaçãomensaldoIPCAmaisjurosnominaisde4%(quatroporcento)aoano

acumuladoentredezembrode2012eosegundomêsanterioràqueledeaplicação;

s t­2 :número­índiceresultantedavariaçãomensaldataxaSelicacumuladoentredezembrode2012eosegundo

mêsanterioràqueledeaplicação;

p t­3 :número­índiceresultantedavariaçãomensaldoIPCAmaisjurosnominaisde4%(quatroporcento)aoano,

acumuladoentredezembrode2012eoterceiromêsanterioràqueledeaplicação;

s t­3 :número­índiceresultantedavariaçãomensaldataxaSelicacumuladoentredezembrode2012eoterceiro

mêsanterioràqueledeaplicação;

12/08/2016

Decretonº8616

min(p t­2,

s

t­2 ):menordosnúmeros­índiceacumuladosentredezembrode2012eosegundomêsanterioràquele

deaplicação;e

min(p t­3,

s

t­3 ):menordosnúmeros­índiceacumuladosentredezembrode2012eoterceiromêsanterioràquelede

aplicação.

ANEXOIV

METODOLOGIADECÁLCULODODISPOSTONO§3ºDOART.3º

ANEXOIV METODOLOGIADECÁLCULODODISPOSTONO§3ºDOART.3º onde: R t :
ANEXOIV METODOLOGIADECÁLCULODODISPOSTONO§3ºDOART.3º onde: R t :

onde:

R t :valordecadaumadasdiferençasentreosvaloresefetivamentepagoseosvalorescorrespondentesapurados

emconformidadecomoAnexoII.

t:índicedosomatório;

i:datadeocorrênciadecadaPGTP t oudecadaPGTD t ;

k:diaprimeirodomêsdecelebraçãodotermoaditivo;

PGTP t :valorefetivamentepago,calculadoconformecondiçõesoriginalmentepactuadas;

PGTD t :valordevidocalculadodeacordocomatabelaprice,observadaametodologiadescritanoAnexoII;

RA:Valordareduçãosobreosaldodevedoraseraplicadonoprimeirodiadomêsdecelebraçãodotermoaditivo;

CAM: coeficientedeatualizaçãomonetáriadosaldodevedornomês deocorrênciadecadaPGTP t e PGTD t , apuradoconformeAnexoIII,naformapercentualdivulgadamensalmentepelaSecretariadoTesouroNacional;

D:númerodediascorridosdomêsanterior,quandoocálculoocorrernadata­base,ounúmerodediascorridosdo

mêsemcursoquandoocálculoocorrerforadadata­base;e

DCP:númerodediascompreendidosentreadatadeinícioeadatafinaldocálculo.

*