Você está na página 1de 10

!! Pssssttt !

Universidade Autónoma de Lisboa
Regente : Dr. DIOGO LEITE DE CAMPOS
Aulas teóricas: Dr. José Rodrigo Castro
Aulas práticas: Dr. José Manuel Figueiredo
Apontamentos de António Filipe Garcez José, aluno n° 20021078

Direito fiscal
Subsector do Dt° Tributário que trata das receitas coactivas
unilaterais.
Direito fiscal
Conjunto de normas que regulam, o nascimento, o
desenvolvimento, a extinção da obrigação tributária que resulta da
verificação dos pressupostos legais e da aplicação das normas
tributárias

Conceito de Imposto
Prestação patrimonial de natureza definitiva, com carácter
obrigacional, estabelecido por lei (formal), exigível a quem tem
capacidade contributiva, a favor de entidades que exercem funções
públicas, com carácter de unilateralidade e sem carácter de sanção.




Imposto 

Prestação
Pecuniária
Unilateral
Definitiva
Coactiva

elementos objectivos

 Exigível a detentores de capacidade tributária
 A favor de entidades que exerçam funções públicas
 Para a realização das funções
públicas de carácter não sancionatório

Elementos
subjectivos

2. Elemento subjectivo Prestação devida por detentores de capacidade contributiva (pessoas singulares e colectivas) . 3. independentemente da vontade do contribuinte Define-se com base em 3 elementos : 1. Elemento teleológico Exigido com vista à satisfação de necessidades públicas Unilateralidade… " quando se paga um imposto. nada nos é dado em troca" . Elemento objectivo Prestação de carácter pecuniário definitiva e coactiva (patrimonial) . de conteúdo modelado por lei.Elementos teleológicos Prestação integra umaa relação de natureza obrigacional Pecuniária Concretizada em dinheiro Unilateral Não lhe corresponde qualquer contraprestação específica a favor do contribuinte. a favor de entidades que exerçam funções públicas. Definitiva Que não dá indemnização lugar a qualquer reembolso. restituíção ou Coactiva Ex lege. unilateral.

e as pessoas singulares e colectivas e outras entidades legalmente equiparadas a estas. a Direcção .º Classificação dos tributos 1 . a Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo.tributárias. . sem prejuízo do disposto no direito comunitário e noutras normas de direito internacional que vigorem directamente na ordem interna ou em legislação especial. o Ministro das Finanças ou outro membro do Governo competente. e os órgãos igualmente competentes dos Governos Regionais e autarquias locais. a Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros. regionais e locais.Lei Geral Tributária TÍTULO I Da ordem tributária CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1. d) O Código Civil e o Código de Processo Civil Artigo 3.tributárias as estabelecidas entre a administração tributária. às relações jurídico-tributárias aplicamse. c) O Código do Procedimento Administrativo e demais legislação administrativa. 2 .Os tributos podem ser: a) Fiscais e parafiscais.º Âmbito de aplicação 1 . b) Estaduais.º Legislação complementar De acordo com a natureza das matérias. as demais entidades públicas legalmente incumbidas da liquidação e cobrança dos tributos.Integram a administração tributária. consideram-se relações jurídico . quando exerçam competências administrativas no domínio tributário. 3 . para efeitos do número anterior. Artigo 2.Para efeitos da presente lei. b) O Código de Processo Tributário e os demais códigos e leis tributárias.A presente lei regula as relações jurídico . agindo como tal. sucessivamente: a) A presente lei.Geral dos Impostos. incluindo a lei geral sobre infracções tributárias e o Estatuto dos Benefícios Fiscais.

revelada.As contribuições especiais que assentam na obtenção pelo sujeito passivo de benefícios ou aumentos de valor dos seus bens em resultado de obras públicas ou da criação ou ampliação de serviços públicos ou no especial desgaste de bens públicos ocasionados pelo exercício de uma actividade são consideradas impostos.O regime geral das taxas e das contribuições financeiras referidas no número anterior consta de lei especial. na utilização de um bem do domínio público ou na remoção de um obstáculo jurídico ao comportamento dos particulares. capital ou património) IRS / IRC / CA Impostos indirectos (geralmente de obrigação única) Incidem sobre manifestações indirectas ou mediatas da capacidade contributiva. não representando uma auto-tributação.Os tributos compreendem os impostos. como contraprestação de um serviço público ou como remoção de um limite jurídico. Artigo 4. designadamente as taxas e demais contribuições financeiras a favor de entidades públicas.Os impostos assentam essencialmente na capacidade contributiva . 3 . de Selo Impostos estaduais .º Pressupostos dos tributos 1 . sobre manifestações directas ou imediatas da capacidade contributiva. constituindo custo de produção das empresas (sobre o consumo ou despesa) IVA / I. através do rendimento ou da sua utilização e do património. nos termos da lei. (rendimento. Contraprestação … " Sempre que há contraprestação estamos perante um caso de taxas " Classificação dos impostos Impostos directos (geralmennte são periódicos) Incidem sobre a matéria colectável.As taxas assentam na prestação concreta de um serviço público. 3 . com carácter sinalagmático (quando à vinculação para ambas as partes) a favor de um ente público ou entidade concessionária. Conceito de taxa Prestação pecuniária imposta por lei (material).2 . e outras espécies tributárias criadas por lei. não constituindo custo de produção das empresas. 2 . incluindo os aduaneiros e especiais.

IRS / IRC . IRS / IRC / IMI / IVA Impostos pessoais . Impostos regionais A titularidade activa pertence às regiões autónomas.imposto geral sobre o rendimento IVA .adicionais sobre a colecta do IRC Impostos reais Quando incidem objectivamente sobre uma parte do rendimento do capital ou do património do conttribuinte. IRS / IRC / IVA / IMT Impostos acessórios Quando dependem da existência de outros impostos.imposto geral sobre a despesa Impostos especiais Aqueles que embora digam respeito a situações genéricamente homogéneas. Derramas municipais . são objecto de uma disciplina especial. IEC's / IA Impostos especiais de consumo) Impostos principais Quando existem por si sem dependência de outros. (IRS/IVA) Impostos locais A titularidade activa pertence às autarquiqs locais ( IMI / IMT / ISV ) Impostos gerais Quando a previsão normativa abrange todas as situações que lhe são subsumíveis.Quando o Estado é o titular activo .

geralmente numa perspectiva. IRS / IRC Impostos sobre o património Quando incidem sobre o património imobiliário IMI / IMT / I. atendem à situação pessoal do contribuinte (estado civil. não se lhe aplicando integralmente os Princípios da Constituíção Fiscal. IRS / IRC / IMI Impostos instantâneos ou de obrigação única Situação tributária que se esgota num só momento. . incluindo as mais valias. Veículos/ IVA / IEC's Impostos extra fiscais São os que prosseguem objectivos de natureza económica e social. agregado familiar). por se tratar de actos ou factos isolados. IVA / IMT Impostos sobre o rendimento São os que tributam o rendimento. à sua situação económica. Selo Impostos sobre a despesa Quando se tributa o consumo ou a despesa IVA / IEC / IA / I. s. Selo / I. Selo Impostos fiscais Os que integram o Direito fiscal IRS / IRC / IMI / I.Quando embora incidindo sobre bens ou rendimentos. rendimento acréscimo. IRS Impostos periódicos Quando a situação tributária se produz no tempo ou se renova sucessivamente.

imposto automóvel IVA .imposto sobre o rendimento das pessoas colectivas IMI .imposto de selo IA .imposto sobre o alcool e as bebidas alcoólicas Fontes de Direito Fiscal  A Constituíção ( Arts. 104°.imposto sobre o tabaco IABA .imposto sobre produtos petrolíferos IT .imposto municipal sobre a transmissão de imóveis IS .imposto municipal sobre imóveis IMT .Contribuíções para a Segurança Social Impostos do sistema fiscal IRS .imposto sobre val or acrescentado ISP . 103°. 165°.imposto sobre o rendimento das pessoas singulares IRC . 227° e 238° da CRP )  O direito comunitário  As convenções internacionais  As leis .

 Os regulamentos  Os contratos  A jurisprudência  A doutrina As normas constitucionais    Princípio da legalidade Tributária Consagra a preeminência e a reserva da lei  Princípio da igualdade Tributária Obriga a tratar de forma desigual o que não é igual. a CRP estabelece que o IRS visa a diminuíção das desigualdades e será único e progressivo tendo em conta as necessidades e os rendimentos do agregado familiar. P° da generalidade Princípio da Igualdade Igualdade horizontal P° da uniformidade P° do benefício (taxas) Igualdade vertical P° da capacidade (impostos) contributiva .

e também quem são os … Sujeitos passivos Contribuintes. 13° CIRS) Qual é a … matéria colectavel Valores económicos sobre que recai a tributação Qual é a… Taxa de imposto A quota ou porcentagem calculada sobre a matéria colectável Normas de incidência objectiva (arts. Autarquias.Conteúdo das normas fiscais Normas de soberania fiscal Aquelas que determinam e definem os poderes tributários do estado em geral. substitutos. 1° a 12° CIRS) . constituem princípios tributários fundamentais e definem normas de carácter geral Normas de incidência Definem o complexo de pressupostos dos quais resulta a obrigação de imposto. Institutos Públicos. etc. responsáveis solidários Normas de incidência subjectiva (art. Definem quem é o … sujeito activo Estado.

75° a 90° CIRS e arts.Normas de lançamento Definem os processos de criação de cada obrigação de imposto e os processos através dos quais se determinam os respectivos elementos de tributação . 82° a 95° CIRC) Normas de cobrança São todas aquelas que disciplinam o pagamento dos impostos. 16° e 57° do CIRC) Normas de liquidação Aquelas que disciplinam a liquidação dos impostos. actividade ou situação que dá origem ao imposto . de execução fiscal e de contra ordenação fiscal.Lei 1093/2001. 97° a 111° CIRS e arts. no Código de Processo e Procedimento Tributário. (arts. os terceiros por actos ilícitos cometidos ou susceptíveis de comprometer as operações fiscais. (Art. de 27 de Dezembro Normas do Contencioso Tributário Tratam-se de normas que disciplinam os processos contenciosos de impugnação judicial. (arts. 28° CIRS e arts. Facto tributário Facto. Estas normas encontram-se na quase totalidade. 96° a 108° CIRC) Normas sancionatórias Destinam-se a penalizar os contribuintes e. por vezes. Estas normas estão contidas no Regime Geral das Infracções Tributárias. aprovado pelo Dec.