Você está na página 1de 42

Redação Discursiva

Prof. Diogo Alves

Redação Discursiva Prof. Diogo Alves 1
Redação Discursiva Prof. Diogo Alves 1

O QUE DIZ O EDITAL?

5 . 2 DAS PROVAS DISCURSIVAS

5 . 2. 1 Serão aplicadas provas discursivas de caráter eliminatório e

classificatório, no mesmo dia de realização das provas objetivas,

constituídas de : 1 (um) estudo de caso sobre tema constante do conteúdo programático de Conhecimentos Específicos para cada

cargo, constante do Anexo II deste Edital.

ANEXO II CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ADMINISTRADOR ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA : Razão e proporção . Porcentagem . Juros simples e compostos . Descontos.

Fundamentos de Matemática Financeira . Remuneração de Capital e Taxa de Juros . Juros Simples . Juros

Compostos . Séries Uniformes de Pagamentos. Séries de Parcelas Iguais : Antecipadas e Postecipadas . Sistemas de Amortização : Sistema Francês, Tabela Price . SAC - Sistema de Amortização Constante . Fluxos de Caixa . Valor Presente Líquido . Valor Futuro Líquido . Taxa Interna de Retorno.

ADMINISTRAÇÃO : Noções de Teoria Geral da Administração . Planejamento, organização, direção e controle. Princípios e responsabilidade social. Administração da qualidade (como definir, custos da qualidade e da não

qualidade). Acordos de nível de serviço . Logística e gerenciamento de cadeias de suprimento . Conceitos gerais

de compras . Noções de comércio eletrônico . Modalidades de transporte . Noções de gestão de estoques.

GESTÃO: Gestão Participativa. Gestão Estratégica . Cultura e Comportamento Organizacional. Liderança e Perfil de Gestão . Gerenciamento de Conflitos . Motivação . Empreendedorismo e Inovação . Gestão de Projetos. Monitoramento e avaliação .

NOÇÕES DE CONTABILIDADE. Conceito, objetivo e finalidades . Receita, despesa, custos e resultados.

Patrimônio : conceito, componentes, variações e configurações . Contas : conceito, estrutura e espécies . Apuração de resultados : amortização, depreciação, exaustão e provisões . Lucro bruto, custo de vendas, lucro operacional e lucro líquido . Avaliação de estoques, Levantamentos, Inventários . Tributos e suas aplicações nas aquisições no mercado interno e externo : noções de ICMS, IPI, ISS, II, PIS/COFINS, CSLL,IR,CPMF, CIDE. Documentos fiscais (Nota fiscal de venda de bens e serviços modelos válidos). Ética profissional.

ANEXO II CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ANALISTA TÉCNICO DE POLÍTICAS SOCIAIS POLÍTICAS SOCIAIS : Estado e sociedade civil : ONGs e políticas sociais . Direitos dos Povos indígenas:

Convenção nº 169 da OIT. GESTÃO : Gestão Participativa . Gestão Estratégica . Cultura e Comportamento Organizacional. Liderança e Perfil de Gestão. Gerenciamento de Conflitos. Motivação. Empreendedorismo e Inovação. Gestão de Projetos. Monitoramento e avaliação . SAÚDE PÚBLICA: Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único de Saúde (SUS) princípios, diretrizes, arcabouço legal e Controle social no SUS ; Determinantes sociais da saúde . Sistemas de informação em saúde. Política Nacional de Atenção a Saúde dos Povos Indígenas. Ética profissional. AUDITORIA: Conceito e definição de auditoria; normas de auditoria; auditoria interna e externa ; programas de auditoria e relatórios de auditora. 4

ANEXO II CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONTADOR CONTABILIDADE GERAL : Fundamentos conceituais de contabilidade : conceito, objeto, finalidade, usuários e princípios contábeis ; Patrimônio : conceito, elementos e equação patrimonial; fundamentos conceituais de ativo, passivo, receita e despesa ; Procedimentos Contábeis Básicos : plano de contas, fatos contábeis, lançamentos e escrituração ;

Demonstrações Contábeis de que trata a Lei Federal nº a Lei 6. 404/ 76 e suas alterações posteriores : Balanço Patrimonial,

Demonstração dos Lucros e Prejuízos Acumulados, Demonstração do Resultado do Exercício, Demonstração dos Fluxos de Caixa, Demonstração do Valor Adicionado ; Análise das Demonstrações Contábeis : análise horizontal, análise vertical, liquidez, endividamento, análise da rotatividade e da rentabilidade .

AUDITORIA : Conceito e definição de auditoria ; normas de auditoria ; auditoria interna e externa ; programas de auditoria e relatórios de auditora .

CONTABILIDADE PÚBLICA : Fundamentos legais e técnicos de Contabilidade Pública : conceito, objetivos, princípios ; Planejamento : Plano Plurianual PPA, Lei de Diretrizes Orçamentárias LDO e Lei Orçamentária Anual LOA ; Ciclo Orçamentário ; Créditos Adicionais : classificação ; Princípios Orçamentários ; Sistemas Contábeis aplicados ao setor público e o plano de contas ; Escrituração ; Demonstrações Contábeis de que trata a Lei Federal nº 4 . 320/ 64 e suas alterações posteriores ; Classificações Orçamentárias : classificação legal da receita e classificação legal da despesa classificação institucional, funcional - programática e econômica ; Receita e Despesa extra - orçamentárias ; Execução Orçamentária : fases da receita previsão, lançamento, arrecadação e recolhimento, e fases da despesa programação, licitação, empenho, liquidação e pagamento ; Restos a pagar; Dívida Pública e Dívida Ativa ; Controle Interno e Externo da Administração Pública :

conceito de controladoria e sua missão, controle externo pelo Tribunal de Contas e pelo Poder Legislativo .

LEGISLAÇÃO : Lei Complementar Federal nº 101/ 2000 e suas alterações posteriores Lei de Responsabilidade Fiscal; Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações posteriores Lei de Licitações ; Lei Federal nº 10. 520/ 2002 Institui no âmbito da Administração Pública a modalidade de licitação denominada pregão. Ética profissional. 5

CONTINUAÇÃO ANÁLISE DO EDITAL

5. 2. 2 A prova discursiva terá o valor de 40 (quarenta) pontos, conforme distribuição apresentada no subitem 5 . 2. 13 deste Edital e será realizada no mesmo horário previsto no subitem 5. 3 deste Edital para a realização das provas objetivas . 5. 2. 3 Serão considerados aprovados apenas os candidatos que

obtiverem o percentual mínimo de 50% (cinquenta por cento) de

aproveitamento nos pontos da referida prova .

5. 2. 4 A prova discursiva terá o objetivo de avaliar o conhecimento técnico na área de atuação, a capacidade de expressão na modalidade escrita e o uso das normas do registro formal culto da Língua Portuguesa .

5. 2. 5 A resposta à prova discursiva deverá ser manuscrita em letra legível, com caneta esferográfica de corpo transparente, de tinta azul ou preta, não sendo permitida a interferência e/ou a participação de outras pessoas, salvo em caso de candidato na condição de pessoa com deficiência que esteja impossibilitado de redigir textos, como também no caso de candidato que tenha solicitado atendimento especial para este fim, nos termos deste Edital . Nesse caso, o candidato será acompanhado por um fiscal do IDECAN devidamente treinado, para o qual deverá ditar o texto, especificando oralmente a grafia das palavras e os sinais gráficos de pontuação. 7

5. 2. 6 A resposta à prova discursiva deverá ter a extensão mínima de 20 (vinte) e máxima de 30 (trinta) linhas para o texto . Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado ou que não atingir a extensão mínima ou ultrapassar a extensão máxima permitida .

5. 2. 7 O candidato receberá nota zero na prova discursiva em casos de

não atendimento ao conteúdo avaliado, de não haver texto, de manuscrever em letra ilegível ou de grafar por outro meio que não o determinado no subitem anterior, bem como no caso de identificação em local indevido.

8

5. 2. 8 A Folha de Texto Definitivo da prova discursiva será fornecida juntamente com a Folha de Respostas da prova objetiva de múltipla escolha no dia de realização das provas, devendo, o candidato, ao seu

término, obrigatoriamente, devolver ao fiscal a Folha de Respostas

(prova objetiva) devidamente assinado no local indicado e a Folha de Texto Definitivo (prova discursiva) sem qualquer termo que identifique o candidato .

5. 2. 8. 1 A Folha de Texto Definitivo da prova discursiva será o único documento válido para a avaliação desta fase . O espaço reservado no caderno de provas para rascunho é de preenchimento facultativo e não

valerá para tal finalidade.

9

5. 2. 9 A Folha de Texto Definitivo conterá um cartão numerado e destacável, onde deverá ser aposta a assinatura do candidato, de modo a não o identificar. Este cartão numerado será destacado pelo aplicador da prova e depositado em envelope próprio, fornecido pelo IDECAN. 5. 2. 10 Quando da realização da prova discursiva, o candidato não

poderá efetuar consulta a quaisquer fontes ou meios de consulta para

auxílio na elaboração do estudo de caso .

5. 2. 10 Quando da realização da prova discursiva, o candidato não poderá efetuar consulta a quaisquer fontes ou meios de consulta para auxílio na elaboração do estudo de caso . 5. 2. 11 O candidato deverá observar atentamente as orientações de

transcrição da sua resposta quando da realização da prova discursiva .

Aquele que não observar tais orientações receberá nota 0 (zero), sendo

vedado qualquer tipo de rasura e/ou adulteração na identificação das páginas, sob pena de eliminação sumária .

5. 2. 12 O candidato, ao término da realização da prova discursiva, deverá, obrigatoriamente, devolver a folha de texto definitivo sem qualquer termo que identifique a folha em que foi transcrita sua resposta .

5. 2. 13 Para efeito de avaliação da prova discursiva serão considerados

os seguintes elementos de avaliação :

ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO DA PROVA DISCURSIVA

CRITÉRIOS

ELEMENTOS DA AVALIAÇÃO

PONTUAÇÃO

Aspectos formais e aspectos

textuais

Observância das normas de ortografia, pontuação,

concordância, regência e flexão,

paragrafação, estruturação de períodos, coerência e lógica na exposição das ideias.

12 pontos

Aspectos técnicos

Pertinência da exposição relativa ao tema, à ordem de desenvolvimento proposto e ao conteúdo programático proposto.

28 pontos

Total de pontos

40 pontos

5. 2. 14 Somente serão corrigidas as provas discursivas dos candidatos aprovados nas provas objetivas até 20 (vinte) vezes o número de vagas para cada cargo, em suas três modalidades (ampla concorrência, pessoas com deficiência e negros) e por Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), respeitados os empates na última posição .

5. 2. 14. 1 Os candidatos que não tiverem a sua prova discursiva corrigida

na forma do subitem 5. 2 . 14 serão eliminados e não terão classificação alguma no Concurso Público .

O que é um estudo de caso?

Köche ( 1999 ) considera a ciência como um processo de investigação que procura atingir conhecimentos sistematizados, sendo necessário o planejamento . O autor complementa que o planejamento da pesquisa depende tanto do problema a ser investigado, da sua natureza e situação

espaço -temporal em que se encontra quanto da natureza e nível de

conhecimento do pesquisador. Esta complexa situação leva a um número sem fim de tipos de pesquisa .

A pesquisa descritiva, segundo Rudio ( 1985 ), está interessada em descobrir e observar fenômenos, procurando descrevê -los, classificá - los e interpretá -los ; a investigação experimental, por sua vez, pretende dizer de que modo ou por que causas o fenômeno é produzido . O autor assevera que a investigação descritiva vai além do

experimento : procura analisar fatos e/ ou fenômenos, fazendo uma

descrição detalhada da forma como estes fatos e fenômenos se apresentam . Mais precisamente, é uma análise em profundidade da realidade pesquisada .

Oliveira ( 1999 ) comenta que a pesquisa descritiva exige planejamento rigoroso quanto à definição de métodos e técnicas para coleta e análise de dados. É recomendável que se utilize informações obtidas por meio de estudos exploratórios . Essas pesquisas explicam a relação entre

variáveis e procuram determinar a natureza dessa relação,

fundamentando com precisão os pressupostos ou hipóteses do objeto de estudo .

Segundo Yin ( 2005 ), o uso do estudo de caso é adequado quando se pretende investigar o como e o porquê de um conjunto de eventos contemporâneos . O autor assevera que o estudo de caso é uma investigação empírica (baseada na observação) que permite o estudo de um

fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real,

especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos .

Gil (2009) aponta alguns propósitos dos estudos de caso:

1) explorar situações da vida real cujos limites não estão claramente

definidos ; 2) preservar o caráter unitário do objeto estudado ; 3) descrever a situação do contexto em que está sendo feita uma determinada investigação; 4) formular hipóteses ou desenvolver teorias e 5) explicar as variáveis causais de determinado fenômeno em situações complexas que não permitam o uso de levantamentos e experimentos. 19

Bruyne, Herman e Schoutheete ( 1977 ) afirmam que o estudo de caso justifica sua importância por reunir informações numerosas e detalhadas que possibilitem apreender a totalidade de uma situação . A riqueza das informações detalhadas auxilia o pesquisador num maior conhecimento e numa possível resolução de problemas

relacionados ao assunto estudado.

Gil ( 2009 ) ressalta que o conceito de caso ampliou - se, a ponto de poder ser entendido como uma família ou qualquer outro grupo social, um pequeno grupo, uma organização, um conjunto de relações, um papel social, um processo social, uma comunidade, uma nação ou mesmo toda uma cultura .

Quem usa os estudos de caso e por quê?

Para alguns candidatos, o uso de casos representa a oportunidade de

aplicar teoria à prática, aprimorar habilidades analíticas, trabalhar em equipe

e comunicar soluções potenciais para problemas do setor público. Os pesquisadores acreditam que os casos permitem a investigação e organização de informações relacionadas a uma questão específica da administração pública ou a um problema referente a políticas públicas, unindo dados empíricos a fatores contextuais que afetam a relevância e o impacto das informações. Já para os profissionais, um estudo de caso permite a transferência de conhecimentos dentro de uma organização ou entre instituições do setor público. Um estudo de caso documenta a experiência de uma organização na superação de desafios específicos, de maneira que profissionais possam ver os fatos e o contexto associado a práticas, e como estas funcionaram. 22

Ensino

Estudos de caso podem ser usados em sala de aula para criar situações reais ou simuladas, em que os estudantes aplicam teorias, instrumentos de análise e de solução de problemas, seja para resolver uma dificuldade ou chegar a uma conclusão conjunta, com fins de aprendizagem. Esse talvez seja o uso mais comumente considerado para os casos .

Aprendizagem organizacional

Utilizados por organizações para compartilhar experiências em variados desafios, resumir práticas de vanguarda e apontar vulnerabilidades e erros, os estudos de caso são formas dinâmicas de avaliar as práticas existentes. Esse uso é um pouco menos formal que as avaliações de programas e mais próximo do compartilhamento de práticas .

Pesquisa

Para fins de pesquisa, os estudos de casos são empregados para documentar um acontecimento, uma série de acontecimentos ou uma questão de políticas públicas . Tanto os fatos e quanto os contextos nos quais a que estão emergiu são descritos . O propósito é desenvolver, por meio da abordagem de casos, os

antecedentes e as razões que levaram aos eventos ocorridos.

Exemplo de estudo de caso

TEXTO MOTIVADOR :

As funções administrativas podem ser entendidas a partir das seguintes

ações : prever, planejar, implantar, comandar, coordenar e controlar.

Planejamento e organização referem -se a aspectos mais abstratos do processo administrativo, direção e controle abordam um aspecto

concreto do trabalho, principalmente relacionado à condução do

projeto idealizado e à verificação de que os processos estão de acordo com os objetivos previamente estabelecidos.

A. Nogueira de Faria. Introdução à administração. 2.ª ed. Rio de Janeiro: Rio Fundo, 1993.

Tendo o texto acima como referência inicial, considere o seguinte caso hipotético.

Em uma empresa de médio porte, um evento para divulgação de um

projeto de fomento a abertura de pequenas empresas foi realizado há um mês . Em uma reunião com os funcionários envolvidos, no sentido

de avaliar o evento, foram detectados diversos problemas . Durante a

discussão, o problema da falta de equipamentos de multimídia durante o evento foi levantado, bem como a dificuldade em transportar os convidados do aeroporto ao hotel e ao local do evento em um único veículo .

27

Com referência aos problemas citados no caso hipotético acima descrito, redija um texto dissertativo que, além de identificar os aspectos que podem ter falhado e causado tais problemas, proponha

sugestões que a empresa poderia ter adotado para prevenir tais

transtornos . Ao elaborar seu texto, contemple, necessariamente, as seguintes funções administrativas:

planejamento;

organização;

direção ;

controle.

28

E AGORA?

Etapas:

1) Ao abrir a prova, vá direto para a redação ;

2) Anote as suas ideias acerca do tema;

3) Leia o estudo de caso ;

4) Identifique os principais problemas e anote-os;

5) Relacione os tópicos/etapas com os problemas encontrados para solucioná -los.

Qual é a estrutura do meu estudo de caso?

INTRODUÇÃO:

DESENVOLVIMENTO :

CONCLUSÃO:

O que fazer em cada parte?

Introdução:

Apresentar a temática de forma ampla, bem como os aspectos a serem

desenvolvidos.

Ex .:

“Em face da situação hipotética apresentada, nota - se a

necessidade de identificar as fontes dos problemas, além de resolvê-los

por intermédio de funções administrativas, quais sejam : planejamento, organização, direção e controle.

MODELO PRONTO PARA VOCÊ TREINAR EM CASA

(INTRODUÇÃO)

Em face da situação hipotética evidenciada, nota-se que é

fundamental

identificar

os

problemas

de

 

,

bem

como

apresentar

as

soluções

por

meio

de

, quais sejam :

O que fazer no desenvolvimento?

Citar cada etapa solicitada pelo examinador em um parágrafo (dividir 20 linhas pela quantidade de aspectos exigidos) .

Exemplo: 20 linhas / 4 aspectos = 5 linhas em média para cada

parágrafo (podendo variar para mais ou para menos: 4 a 6 linhas) .

Exemplo de desenvolvimento

Primeiro, no que condiz ao planejamento, sabe - se que esta função administrativa tem a finalidade de “planejar e definir os objetivos e escolher antecipadamente o melhor curso de ações para alcançá -los”, conforme Chiavenato, especialista em Administração . Nesse sentido, era necessário verificar os equipamentos que seriam utilizados na consecução do evento em questão, além da aquisição de

veículos (por meio de aluguel, por exemplo, com orçamento autorizado

pela coordenação da empresa), a fim de levar, comodamente, os convidados para o local do evento .

MODELO PARA TREINAR EM CASA (DESENVOLVIMENTO)

Primeiro, no que se refere

,

verifica -se que esta etapa tem a função de

,

conforme

Nesse contexto,

,

para que

Exemplo de estudo de caso

O Tribunal Regional Eleitoral, mediante prévio procedimento licitatório, celebrou contrato para a realização de determinada obra . Durante a execução do contrato, foram constatados problemas

como lentidão, paralisações injustificadas e não comunicadas ao órgão e suspensão da obra em

razão de execução irregular. Em decorrência desses fatos, o órgão rescindiu unilateralmente o contrato, retendo a garantia e aplicando cumulativamente as penalidades de advertência, de suspensão temporária de participação em licitação e de impedimento de contratar com a administração pelo prazo de um ano, sendo assegurados ao contratado o contraditório e a ampla

defesa no âmbito do processo administrativo . Inconformada, a empresa contratada interpôs

recurso administrativo invocando :

a)

ilegitimidade do ato de rescisão unilateral ;

b)

seu direito à devolução da garantia, caso admitida a rescisão ; e

c)

inviabilidade de aplicação cumulativa das sanções administrativas .

Considerando a situação hipotética apresentada, analise os questionamentos apresentados pela empresa contratada, posicionando - se, de forma fundamentada, a respeito de cada um deles . [valor : 4 , 75 pontos, sendo 1 , 75 ponto, 1 , 00 ponto e 2 , 00 pontos, respectivamente, para a, b, e c]

Sugestão de resposta

No que se refere ao primeiro ponto ilegitimidade do ato de rescisão unilateral , o candidato deve destacar que a situação fática revela a ocorrência de inadimplemento com culpa do contratado, hipótese que enseja a rescisão unilateral pela administração pública. Isso porque, à luz do

que estabelece o art . 79 da Lei n. º 8. 666/ 1993, a rescisão do contrato poderá

ser determinada por ato unilateral da administração pública nos casos

enumerados nos incisos I a XII e XVII do art . 78, entre os quais figuram como motivos para a rescisão o cumprimento irregular de cláusulas contratuais e

prazos (inciso II); a lentidão do seu cumprimento, levando a administração a

comprovar a impossibilidade da conclusão da obra no prazo estipulado (inciso III) ; a paralisação da obra, sem justa causa e prévia comunicação à administração (inciso V) . Logo, a conduta da contratada enquadra-se, claramente, em tais comandos, revelando a total legitimidade do ato de

rescisão unilateral promovido pela administração.

37

No tocante ao segundo questionamento, acerca do direito à devolução da garantia, o candidato deve destacar que a perda da garantia configura uma das consequências do inadimplemento com

culpa, tal como cogitado no caso . A Lei n . º 8. 666 / 1993 , em seu art . 79, § 2. º, I, prevê a devolução da garantia apenas nas hipóteses de rescisão sem culpa do contratado (rescisão por motivo de interesse público, ou

ocorrência de caso fortuito ou de força maior) . Portanto, o contratado

não tem direito à devolução da garantia, considerando - se que o inadimplemento se deu por sua culpa .

Quanto à última alegação, referente à inviabilidade de aplicação cumulativa das sanções administrativas, o candidato deve destacar que, em caso de inexecução total ou parcial do contrato, a administração tem a prerrogativa de aplicar sanções de natureza administrativa, tal como expressamente autorizado pelo art . 58 , IV, do mesmo diploma

legal . O art . 87 , por sua vez, contempla as espécies de sanções aplicáveis : advertência ;

multa ; suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar

com a administração, por prazo não superior a dois anos ; declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a administração pública, enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até a reabilitação . A pena de multa pode ser aplicada conjuntamente com qualquer uma das outras, conforme expressamente prevê o § 2 .º do

art . 87 da Lei n.º 8 .666 / 1993 , circunstância que veda, implicitamente, em qualquer outra

hipótese a acumulação de sanções administrativas . Logo, não poderia a administração pública aplicar a pena de advertência cumulativamente com a suspensão temporária (“A pena de multa pode ser aplicada juntamente com qualquer uma das outras (art . 87 , § 2 .º), ficando vedada, implicitamente, em qualquer outra hipótese, a acumulação de sanções

administrativas .Maria Sylvia Z . Di Pietro . Direito Administrativo . 26 .ª ed., p. 282 ).

Assim, o candidato deve concluir no sentido da legitimidade da rescisão contratual, bem como da garantia retida pela administração pública, porém deve reconhecer não ser viável a aplicação cumulativa da sanção de advertência e suspensão, embora fosse possível acumular a pena de multa com a de suspensão temporária.

42

42