Você está na página 1de 194

NEUTRALIZAÇÃO DE

MICROPIGMENTAÇÃO COMO
NEUTRALIZAR SOBRANCELHAS
QUE ESTÃO COM CORES
INADEQUADAS COMO: AZUIS,
VERMELHAS E ARROXEADAS.
A neutralização e despigmentação são feitas para corrigir procedimentos de micropigmentação.
Muitas vezes, a micropigmentação foi feita com um profissional sem formação técnica adequada e o
resultado não fica nada bom.

As sobrancelhas micropigmentadas podem ter um resultado azulado, cinza chumbo, avermelhado ou


esverdeado, com o tempo, por conta de procedimentos mal feitos. Para corrigir essas tonalidades,
não há como cobrir com uma nova micropigmentação, sem antes neutralizá-las da forma correta e
para isso o profissional necessita de um profundo conhecimento técnico em colorimetria e
pigmentologia.

A despigmentação , por sua vez, é feita para apagar a micropigmentação. É usada nos casos de
desenhos desarmônicos, assimétricos, traços muito escuros. O profissional especializado irá estudar
qual a melhor técnica apropriada para cada caso. A remoção desse pigmento pode ser realizada
através de laser, produto químico ou aparelho de ultrassom.

Importante saber que todo tratamento de despigmentação e neutralização demanda e tempo, porém,
hoje em dia os resultados são muito positivos. Realiza se uma verdadeira reengenharia com diversas
técnicas modernas de disfarces, que praticamente ganha se uma nova sobrancelha e devolve se a auto
estima à várias mulheres. micropigmentação nas sobrancelhas .
Bora estudar galera; PARA FAZER DO CONHECIMENTO A DIFERENÇA NOS
RESULTADOS E NA VIDA DAS PESSOAS.
01 PH Esverdeado - Pig. frio....serve para neutralizar sobrancelhas avermelhadas e
adicionar em pigmentos quentes.
02 Taupe - Pig quente...serve para neutralizar sobrancelhas azuladas/ esverdeadas desde
que muito claras e misturas
03 Blondie - Pig frio...serve para sobrancelhas de louras que apresentam a pele
avermelhada...(Sugestão; misturar com castanho claro)
04 Castanho Medio - Pig neutro...serve para qualquer tipo de sobrancelhas...podendo usar
puro ou/em misturas usando como base para clarear ou escurecer tons e é o que mais
gosto.
05 Castanho Claro - pig. quente..serve para pessoas claras e deve ser usado com o ph
esverdeado...
06 Castanho Intermediário - pig quente usado para pardas a negras, só uso puro em
"melaninas" muito frias.
07 Castanho escuro - Pig. frio, usado para pardas a negras sempre aquecido por algum
outro de base quente.
08 Castanho Avermelhado - Pig.quente,quase um terracota bem escuro, usado para
pardas a negras bem vermelho ótimo para dar base ao preto.
09 - Marrom Cafe - Pig frio...Usado para contorno de olhos
10 - Preto Usado somente para contorno de olhos
11 - Vermelho, Vermelho Alaranjado, Salmão, Salmão Claro, Carmim e Mandarina
costumo usar em lábios.
12 - Mandarina corretivo para cores frias
13 - Ocre uso para clarear o pigmento
14 - Branco deve ser usado com extremo cuidado e por profissionais experientes.
15 - Azul e verde uso em delineadores de olhos boa cor fantasia.
16 - Cinza uso em sobrancelhas alaranjadas e para corrigir tons muito quentes de
pigmentos. Não recomendo para efeito grisalho.
17 - Magenta e Terracota só uso em algumas misturas pra lábios, evito seu uso puro.
Bom meninas dei uma incrementada no que a nossa amiga Evy Becher fez colocando
minha experiencia com este pigmento, lembrando que quem conhece Colorimetria sabe
usar qualquer pigmento sem medo e sem sustos!

01 PH Esverdeado - Pig. frio....serve para neutralizar sobrancelhas avermelhadas e adicionar em


pigmentos quentes.
02 Taupe - Pig quente...serve para neutralizar sobrancelhas azuladas/ esverdeadas desde que muito
claras e misturas
03 Blondie - Pig frio...serve para sobrancelhas de louras que apresentam a pele avermelhada...(Sugestão;
misturar com castanho claro)
04 Castanho Medio - Pig neutro...serve para qualquer tipo de sobrancelhas...podendo usar puro ou/em
misturas usando como base para clarear ou escurecer tons e é o que mais gosto.
05 Castanho Claro - pig. quente..serve para pessoas claras e deve ser usado com o ph esverdeado...
06 Castanho Intermediário - pig quente usado para pardas a negras, só uso puro em "melaninas" muito
frias.
07 Castanho escuro - Pig. frio, usado para pardas a negras sempre aquecido por algum outro de base
quente.
08 Castanho Avermelhado - Pig.quente,quase um terracota bem escuro, usado para pardas a negras bem
vermelho ótimo para dar base ao preto.
09 - Marrom Cafe - Pig frio...Usado para contorno de olhos
10 - Preto Usado somente para contorno de olhos
11 - Vermelho, Vermelho Alaranjado, Salmão, Salmão Claro, Carmim e Mandarina costumo usar em
lábios.
12 - Mandarina corretivo para cores frias
13 - Ocre uso para clarear o pigmento
14 - Branco deve ser usado com extremo cuidado e por profissionais experientes.
15 - Azul e verde uso em delineadores de olhos boa cor fantasia.
16 - Cinza uso em sobrancelhas alaranjadas e para corrigir tons muito quentes de pigmentos. Não
recomendo para efeito grisalho.
17 - Magenta e Terracota só uso em algumas misturas pra lábios, evito seu uso puro.
Bom meninas dei uma incrementada no que a nossa amiga Evy Becher fez colocando minha experiencia
com este pigmento, lembrando que quem conhece Colorimetria sabe usar qualquer pigmento sem medo e
sem sustos!

Neutralização de sobrancelhas corrige


imperfeições de tons indesejados
Desenhos com proporções erradas, sobrancelhas azuladas,
esverdeadas ou rosadas podem ganhar contornos e tons
desejados por meio da técnica conhecida como neutralização.
A micropigmentação estética, ao contrário do que muitas
pessoas pensam, quando não realizada por profissionais
qualificados pode transformar o seu sonho de ficar bela e com
a autoestima elevada em um pesadelo.
Infelizmente, os erros cometidos por profissionais
despreparados trazem prejuízos emocionais para quem busca
os serviços de micropigmentação estética e é surpreendido por
sobrancelhas coloridas e nada convencionais ao padrão de
beleza. Mas, a boa notícia é que o problema tem solução se
conduzido por um profissional capaz. Por meio da técnica de
neutralização é possível ter de volta a tão sonhada
sobrancelha.
O procedimento de neutralização devolve a cor desejada e
ideal ao tom de pele e cabelo. A técnica utiliza soluções em
Colorimetria, infiltrando pigmentos com base em cores que
reagirão com os pigmentos anteriormente depositados nos
melanócitos e camuflagem na assimetria. O procedimento é
feito de forma segura, sem aplicação de ácidos que possam
resultar em problemas futuros, permitindo também o resultado
fio a fio 3 d.
O que difere de um procedimento em sobrancelhas “virgens”
são os retornos que devem variar em média, três vezes com
espaço de aproximadamente 40 dias.

Micropigmentação, apesar do processo de neutralização ser


mais demorado do que de uma micropigmentação de
sobrancelha “virgem”, é possível suavizar, corrigir e até
remover grande parte da cor e ou formato indesejado de uma
sobrancelha mal desenhada.

A cor e o desenho adequados pode ser possível sem a utilização da


despigmentação, sendo que este procedimento resulta na maioria das
vezes em cicatrizes que dificultam a fixação da nova pigmentação e
adequação do design.

O estudo das cores complementares (cor faltante para formação do


“todo”), mostra que acrescentando a tonalidade oposta ao tom, o
resultado é a modificação da cor, sendo assim, podemos transformar
tonalidades azuladas, esverdeadas, acinzentadas, arroxeadas,
rosadas em cores adequadas ao tipo cromático de cada pele.

Mas o que vem a ser cor complementar e como utilizar isso em


correções de tons alterados ?
Uma cor principal é formada por três cores primárias, a ausência de
uma delas resultará em uma cor secundária e de duas delas em uma
cor primária. A cor complementar é a que não entrou na formação da
cor e vice versa.

No círculo cromático as cores complementares estão em posição


oposta, como são antagônicas anulam entre si.

Ex.: o azul anula o laranja e vice versa; o vermelho anula o verde e


vice versa; o amarelo anula o roxo e vice versa.

Assim a cor azul é complementar do laranja como esta é do azul. Elas


conseguem entre si o máximo de contraste e vibração.

No trabalho do pigmentador a tendência para o avermelhado poderá


ser corrigida por intermédio da cor oposta ao vermelho que é o verde
ou o cinza (ocre, castanho claro e ultra claro). Se a tonalidade estiver
azulada o laranja ou mostarda irá anular o excesso.

Confira no quadro acima como utilizar a cor oposta dos pigmentos


para Micropigmentação e atingir resultados satisfatórios de correção.

Assim a cor azul é complementar do laranja como esta é do azul. Elas


conseguem entre si o máximo de contraste e vibração.

No trabalho do pigmentador a tendência para o avermelhado poderá


ser corrigida por intermédio da cor oposta ao vermelho que é o verde
ou o cinza (ocre, castanho claro e ultra claro). Se a tonalidade estiver
azulada o laranja ou mostarda irá anular o excesso.

TUDO Que Você Precisa Saber Sobre


Colorimetria na Micropigmentação!
22, mar 2016
TUDO Que Você Precisa Saber Sobre Colorimetria
na Micropigmentação!
Deyris Peixoto
Colorimetria e Neutralização
A colorimetria na micropigmentação continua sendo um grande desafios para as
micropigmentadoras, conhecer a fundo sua função é de estrema importância.
Não podemos falar de colorimetria sem falar de melanina e base de pigmentos que
também é de extrema importância.
O que é melanina? É a pigmentação natural da pele que define nossa tonalidade branca,
parda, morena clara, negra …após descobrirmos a melanina a definimos como quente ou
fria de acordo com o sub-ton de pele.
Quanto mais melanina mais eu sou morena a negra com isso meu sub ton é azulado,
predominância de melanina fria, quanto menos melanina mais eu sou branca, loira natural
meu sub-ton é avermelhado predominância de melanina quente.
Porque eu preciso saber de melanina? Para me auxiliar a definir a cor do meu
procedimento e saber se será necessário neutralizar a melanina da minha cliente antes de
fazer o procedimento para evitar as cores fantasias (verde, azul, laranja, vermelho, cinza).
Como Devo Neutralizar?
Melanina quente: branca, loira natural fototipo 1 e 2
5 gotas do pigmento + 1 do modificador frio(verde)
Melanina fria: branca das sobrancelhas escuras morenas e negras
Fototipo 4/5 e 6
5 gotas do pigmento + 1 do modificador quente(laranja)
A ordem é sempre reversa se a pele é quente o modificador tem que ser frio, se a pele é
fria o modificador tem que ser quente.
Estética na Senescência"-Estética na Terceira Idade

“Todo organismo multi-celular possui um tempo limitado de vida e sofre


mudanças fisiológicas com o passar do tempo. A vida de um organismo
multi-celular costuma ser dividida em três fases: a fase de crescimento e
desenvolvimento, a fase reprodutiva e a senescência, ou envelhecimento.
Durante a primeira fase, ocorre o desenvolvimento e o crescimento dos
órgãos especializados, o organismo cresce e adquire habilidades
funcionais que o tornam apto a se reproduzir. A fase é caracterizada pela
capacidade de reprodução do indivíduo, que garante a sobrevivência,
perpetuação e evolução da própria espécie. A terceira fase, a senescência, é
caracterizada pelo declínio da capacidade funcional do organismo.”

Ao completar 60 anos, uma pessoa ingressa naquilo que se convencionou


chamar de terceira idade. No processo de envelhecimento podem ser citados
como fatores intrínsecos as reações dos radicais livres, a oxidação e a auto
imunidade, entre outros. Os fatores extrínsecos estão relacionados aos
problemas ambientais, como poluição, radiação, temperatura, e de ordem
pessoal, como má alimentação, cigarro, estresse e tensão emocional.

Envelhecimento Fisiológico da pele

O processo de envelhecimento fisiológico da pele decorre não só da ação de


fatores ambientais, mas também com o envelhecimento de outros órgãos, além
de doenças cutâneas e sistêmicas. O que se observa na pele senil é um conjunto
de alterações, entre as quais podem ser citadas: pele mais fina, sensível, o
aparecimento de rugas devido à falta de elasticidade da pele, manchas senis. A
pele fica "caída" por falta de tônus muscular e diminuição da produção de
colágeno. O envelhecimento fisiológico da pele caracteriza-se também pelos
transtornos na regulação térmica, causados pela diminuição das terminações
nervoso-sensitivas, pela diminuição do diâmetro dos capilares na derme e pela
esclerose dos vasos maiores. É normal o embranquecimento e diminuição do
número e volume dos pêlos em função da diminuição em número de melaninas
(pigmento que dá cor à pele).
Recursos Terapêuticos

De forma geral, os recursos terapêuticos estão relacionados com a busca de uma


melhor qualidade de vida, por meio de boa alimentação, da participação ativa
em clubes de terceira idade e de programas de valorização do idoso, e do
desenvolvimento de atividades físicas, intelectuais e sexuais. As atividades
físicas melhoram o sistema cardiovascular, respiratório e locomotor, ajudam a
estabilizar fatores emocionais e a controlar patologias que surgem em
decorrência da depressão. São indicados exercícios de alongamento e
caminhadas em locais planos e não acidentados. Condições psicológicas
favoráveis ao desenvolvimento da afetividade e de uma maior auto-estima
podem ser alcançadas por meio da atividade sexual. Não existem contra-
indicações médicas com relação à prática sexual, quando há vitalidade. No que
diz respeito à alimentação, é necessário observar a menor exigência do
organismo idoso no que se refere a calorias. É mais importante a qualidade dos
alimentos do que a quantidade destes. As gorduras, de preferência insaturadas,
para evitar problemas de arteriosclerose, devem representar apenas 25% do
valor calórico da dieta total.

Higienização diária da pele, com um bom creme de limpeza, seguida


de um tônico à base de colágeno, uréia, elastina e um creme
hidratante com filtro solar para manter a proteção da pele à
poluição. À noite é importante a limpeza da pele para retirar
resíduos de sujeira adquiridos durante as atividades diárias,
novamente o tônico e agora um creme nutritivo à base de colágeno,
elastina, Ureía, vitamina C, para repor o que a pele já não produz em
quantidade suficiente.

É durante o sono que nossa pele faz todo seu processo de renovação e
oxigenação. Noites mal dormidas podem se ver refletidas em nossa pele. Vícios
como cigarro e bebidas alcoólicas, aceleram o processo de envelhecimento
celular, bem como pensamentos negativos e stress.

O Mercado e o seu Crescimento

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), a população mundial com mais de
60 anos vai quadruplicar nos próximos 50 anos, atingindo 2 bilhões de pessoas . Esta
projeção se deve aos avanços da tecnologia, medicamentos, transformação demográfica
e queda acentuada de fecundidade nos últimos 20 anos.
De acordo com a organização, o Brasil já é o sexto país do mundo em maior
número de idosos, com crescimento na ordem de 3,2% ao ano. Conforme dados
do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2005, existiam 120
idosos para cada 100 crianças. As pessoas com mais de 60 anos representavam
8,8% dos brasileiros, com previsão de que est e número alcance 18% em 2050. A
ciência e a tecnologia são fortes aliadas do envelhecimento com qualidade.
Cosméticos e protocolos específicos são alguns benefícios proporcionados pelo
desenvolvimento científico que prolongam a vida e aumentam o bem-estar do
ser humano. O trabalho dos Profissionais Especializados garante ao cliente da
Terceira Idade qualidade de vida, amenizando e reduzindo as conseqüências das
alterações físicas e psicológicas desta etapa da vida. O poder de compra e
consumo desse grupo também deve ser considerado . Portanto, investir no
cliente idoso pode ser um bom negócio para as Profissionais de Estética. Para
isso, é necessário que as mesmas despertem e questionem quem é esse
consumidor, quais são as suas necessidades, seus anseios, seus medos, evitando
que est e nicho de mercado fique desamparado de atendimento. Para começar,
é preciso compreender quais as mudanças físicas e psicológicas que ocorrem na
Terceira Idade. São algumas delas:
- A pele se torna mais pálida e as feridas não se curam tão rápido . A pele
se torna mais vulnerável aos danos causados pelo sol, menos capaz de
produzir suor, menos eficiente na termorregulação, mais permeável e menos
capaz de produzir uma resposta inflamatória ;
- A pele se torna cada vez menos elástica e complacente, perdendo tônus e
elasticidade . Há descolamento constante nas articulações e outros lugares. É
empurrada ou dobrada, desenvolvendo as rugas.
Além das mudanças visíveis que ocorrem na aparência física, mudanças
relacionadas à idade na composição corporal também têm implicações na
função física e na saúde, como:
- O aumento de peso e a diminuição da massa muscular, devido ao fato de o
metabolismo se tornar mais lento e já não ter a mesma capacidade de absorver
nutrientes e eliminar gorduras ;
- Efeitos sobre controle motor, coordenação e habilidade ;
- Postura curvada, flexionada e equilíbrio tênue ;
- Depressão. Considerada uma das doenças mais preocupantes, atinge cerca de
15% dos idosos, com até 2% de casos graves. É um problema de grande
dimensão, pois se observa que o número de pessoas da Terceira Idade cresce
rapidamente no Brasil. A depressão se caracteriza pelo estado de sofrimento
psíquico, que pode causar desordens no comportamento de uma pessoa,
afetando de modo negativo seu estilo de vida. Pode alterar o humor e a forma
como interage com as pessoas. Este estado pode ser induzido por fatores
biológicos, sociais e psicológicos.
A Importância da Hidratação da Pele

Assim como o Planeta Terra, o corpo humano é formado, em sua maior parte,
por água . Ela pode representar até 70% do peso total de uma pessoa. Esta
quantidade diminui com o decorrer do tempo, sendo que, aos 60 anos, este
índice pode cair para 40%. Por isso, ainda durante a juventude, é preciso
manter o corpo bem hidratado, por meio do consumo de água e com a utilização
de produtos cosméticos apropriados.
Mesmo sem a prática de qualquer atividade, o organismo elimina, diariamente,
cerca de um litro e meio de água. A eliminação pode ocorrer de forma perceptiva
(urina, suor) ou imperceptiva (fala, respiração). Daí a necessidade de ingerir, no
mínimo, dois litros de água por dia. Quando a quantidade de água das células se
encontra em nível abaixo do normal, algumas conseqüências são o
ressecamento da pele, a baixa eliminação de toxinas e o mau funcionamento de
diversos órgãos. Em condições normais, 70% da composição das células da
epiderme presentes na camada basal (onde a célula se reproduz) são de água.
Quando as células chegam à camada granulosa, onde começam a
desfalecer (mortas, em forma de escamas), a quantidade mínima de água
necessária é de 10%. Abaixo deste valor, as células se apresentam ressecadas.
O sucesso de qualquer protocolo estético está relacionado com o consumo ideal
de água pelo cliente. A carência de água compromete tratamentos de gordura
localizada, celulite, flacidez, rachaduras , ressecamento da pele e, até mesmo,
problemas de pele acneica. Os cremes hidratantes não repõem a água eliminada
pelo corpo. Eles apenas ajudam a manter o líquido já existente no tecido
epitelial. Um exemplo é a questão da flacidez: a derme – onde se encontram as
fibras, o colágeno, a elastina – apresenta composição em gel. Este tecido precisa
de água para manter-se firme. Mesmo pessoas que apresentem retenção de
líquido precisam tomar água. O organismo que retém líquido também retém
toxinas. Por isso, é importante o consumo de água. Massagens e drenagens
linfáticas tratarão o problema da retenção. Desta forma, é atribuída aos
Profissionais de Estética a importante missão de conscientizar seus clientes de
que é indispensável ingerir, aproximadamente, dois litros de água por dia.
A Profissional de Estética

As massagens e outros protocolos estéticos para clientes da Terceira Idade oferecem


muitos benefícios . Em particular, são mais eficazes devido aos desafios emocionais e
físicos que os idosos experimentam ao passar pelo processo de amadurecimento do
corpo físico. Nesta fase, cabe à Profissional de Estética dedicar compreensão, atenção,
carinho e protocolos específicos, que aliviem e previnam as conseqüências destas
alterações. Pesquisas indicam que o contato social é um dos componentes-chave da
saúde e felicidade nesta fase. O contato periódico entre a Profissional de Estética e o
cliente pode ser significativo para satisfazer muitas necessidades do idoso. O cliente
sabe que, quando visitar o Profissional de Estética, receberá atenção totalmente focada
ao seu cuidado individual . Ele, então, se sentirá único e valorizado. A grande maioria
dos idosos é sedentária, muitas vezes por dolorosas artrites, dificuldade de equilíbrio
ou problemas circulatórios. Protocolos suaves, mas estimulantes, trazem alguns dos
resultados que seriam conseguidos através de exercícios.
Protocolos mais utilizados:
Protocolos de hidratação e revitalização são os mais indicados, visto
que a pele tem tendência a ficar desidratada, com a elasticidade
reduzida e a vitalidade comprometida. Utilizar produtos naturais,
com óleos vegetais biodegradáveis, sem a presença do óleo mineral,
da parafina e dos parabenos é essencial, devido à sensibilidade
cutânea do cliente.

Ativos como o ARGIRELINE e DMAE- Dois ativos


ultra potentes, proporcionando efeito imediato no
combate às rugas, redução de linhas de expressão e
flacidez.
" Lembre-se que o protocolo é apenas uma ferramenta de auxílio, cada pele
deverá passar por uma devida avaliação, para assim poder saber o que
realmente poderemos usar. Para começar, é preciso compreender quais as
mudanças físicas da senesçência."

Resultados moderados

Mesmo sabendo dos benefícios que a área oferece, os idosos têm consciência de
que não existem milagres, e que a melhora do quadro é mais modesta em
relação aos jovens. Ainda assim, o nível de satisfação é grande. São pessoas
bem informadas e preocupadas com qualidade de vida. Segundo os
médicos, quando gostam do ambiente, aproveitam as clínicas não só para fins
estéticos, mas para relaxar, fazendo uso de massagens, banhos, sauna,
drenagem linfática, etc. Como se vê, o envelhecimento pode ser interpretado
de diferentes formas: Como uma conseqüência dos anos que leva à diminuição
do potencial humano, ou ao contrário, um instrumento de equilíbrio e
discernimento. “A vida é um jogo que nos oferece escolhas diversas. Façamos as
nossas!

Estética: ideal de beleza da senescência


- Este trabalho objetiva apresentar como se dão as relações de
busca da beleza perfeita na senescência, analisando a estética
e seus procedimentos nesta fase da vida . Para Tanto,
realizei um recorte sistêmico para a produção deste trabalho
devido à exigüidade do tempo e não querendo perder na
estruturação didática e metodológica. Focando apenas
gênero , faixa etária e alterações fisiológicas.
"Recomendo que, em conjunto com um tratamento de beleza, o idoso
esteja em sintonia com a promoção de sua saúde, elegendo hábitos
saudáveis como alimentação balanceada e exercícios moderados. Esta é
uma atitude com enfoque preventivo, e não mais paliativo. Saúde e beleza
sempre estiveram interligadas, ainda mais neste período, em que as
doenças debilitam o corpo de forma mais severa”
Lembre-se: Sua (seu) maior amiga (o) é você mesma (a). A importância que
você se dá, será a importância que as outras pessoas darão a você.

Beleza na terceira idade: Como deixar a pele bonita e


jovial
Nenhum comentário. Comente!
Todos nós sabemos que o processo de envelhecimento é natural e inevitável.
Em todas as fases de nossas vidas, nossa pele é constantemente exposta aos
efeitos dos raios solares e da poluição, que são prejudiciais à nossa saúde e
altamente compatíveis com o envelhecimento precoce.

Na terceira idade é preciso dar maior atenção à pele, já que o órgão fica mais
fino, desidratado e com menor elasticidade por sofrer algumas agressões no dia
a dia, causando manchas, sardas, vermelhidão, opacidade e perda de
elasticidade.

Isto geralmente acontece quando nossa pele está mais sensível, com perda de
fibras e proteínas, que são responsáveis pelas estruturas dos tecidos, fazendo
com que percam a resistência e a elasticidade.

Quando nossa pele perde a resistência, a probabilidade de se formarem rugas é


muito grande, atingindo principalmente o rosto e as mãos. Mas lembre-se, o
cuidado e a atenção com o corpo devem ser mantidos em todas as fases da vida,
não só na terceira idade.

Para quem está na terceira idade e deseja melhorar o aspecto da pele, existem
vários procedimentos estéticos para deixar sua pele mais bonita e jovial, confira
alguns:

Limpeza de Pele
A limpeza de pele ajuda a minimizar os efeitos do envelhecimento, removendo a sujeira
e o acúmulo de células mortas, favorecendo a hidratação.

Peeling de Diamante
O peeling de diamante é ideal para as rugas, ajuda a rejuvenescer o rosto e deixar a pele
com uma textura mais agradável.
Botox

O botox é um tratamento anti-rugas que se tornou muito popular nos últimos anos.

Preenchimento
O preenchimento é indicado para o tratamento das rugas visíveis no repouso.

Peeling Químico
O peeling químico é um tratamento à base de ácidos aplicados sobre a pele, que ajuda a
retirar as camadas.

CO2 Fracionado

O CO2 fracionado é uma das técnicas mais modernas no tratamento das rugas faciais,
removendo os tecidos envelhecidos com mínima lesão.
Além dos tratamentos estéticos, é imprescindível o Uso do Protetor Solar e
a Hidratação da Pele. Hidratar a pele e passar protetor solar, no rosto e no corpo,
devem ser cuidados diários, independentemente do tipo de pele, idade ou
estação do ano, pois evitam o aparecimento de manchas, vasinhos e rugas.
Seguindo as dicas do Blog da Pró-Corpo, você solucionará suas dúvidas e se
sentirá mais bonita e feliz!
Clique no botão abaixo e agende uma consulta gratuita na Pró-Corpo Estética,
nossos profissionais estão capacitados e preparados para indicar os melhores
procedimentos estéticos para atender suas necessidades.
CORREÇÃO EM SOBRANCELHAS &
LÁBIOS
Há algumas maneiras de corrigir uma micropigmentação assimétrica: neutralizar, simetralizar e/ou

camuflar são algumas destas soluções. Se desejar eliminar uma cor muito escura ou mudar a existente

pode-se neutralizar, usando uma cor complementar os complementos opostos são as cores indicadas na

posição oposta uma a outra na estrela cromática, ao serem mescladas, estas cores se neutralizam entre
si).

Camuflagens, Neutralizações & Cobertura

Ao realizar a correção da intensidade da cor juntamente com a

despigmentação, a assimetria restante e a cor alterada podem ser amenizadas com as técnicas de
camuflagem e neutralização.

Convém lembrar que para a realização do procedimento de correção de umprocedimento, o resultado é

100% não deverá ser prometido, pois o trabalho incorreto será apenas amenizado e de forma nenhuma

terá o aspecto de uma nova micropigmentação, lembrando também que os retoques anuais deverão
ocorrer já que a pigmentação anterior será predominante.

 Camuflagem

indicada para pequenas assimetrias e sem saturação. Utilizamos os pigmentos a base de dióxido de

titânio – branco, aréola ou bege, que devem ser aplicados com técnica de sobreposição, suavemente
para que não ocorra sua pigmentação, pois desta técnica necessitamos somente do fundamento da cor,
afim de obter um efeito mais suave da cor da assimetria. Normalmente, utilizamos após técnicas de
remoção.

 Neutralização de Cor:

Indicada quando a cor presente se apresenta alterada e indesejada, com aspecto não impregnado e

saturado. Normalmente a neutralização e utilizada em trabalhos não assimétricos e após

despigmentações, onde foi obtido diminuição da saturação do pigmento inicial. A neutralização e


realizada comtécnica de compactação

 Cobertura

Indicada quando a cor presente esta saturada e impregnada, principalmente os tons avermelhados. A

cobertura e realizada com pigmentos a base de dióxido de titânio que garantem fixação e cobertura,
inibindo a estabilidade dos vermelhos.

Convém deixar claro que não se trata de uma remoção, uma vez que não há pigmentos que removam
pigmentos.

A técnica de cobertura pode ser complementada com a técnica de neutralização e composição de técnica
para correção, principalmente quando não há assimetrias

Correção em Lábios

Os lábios tem características arroxeada natural, para atenuar esta coloração e auxiliar na fixação de

pigmentos, utilizando pigmentos fixadores compostos por dióxido de titânio, que garantem a fixação e
neutralização (complemento) da cor.

Quando a pigmentação estiver caracterizada como tatuagem ou assimétrica, com presença de

impregnação de pigmentos e cicatrizes, a neutralização terá de ser precedida de uma despigmentação

com ácido cosmético ou laser para remover a saturação da cor predominante.

Em caso de pigmento impregnado na pele, a indica será a remoção utilizando o Laser. Este procedimento
só poderá ser aplicado por profissionais médicos & especializados. Prof. Márcia Martins.
Olá micropigmentadores!

No post de hoje faremos uma introdução a Colorimetria, para apresentar a


vocês a ideia principal sobre esse assunto tão importante.
Colorimetria é um tema que deve ser dominado pelo profissional de
micropigmentação, porque influencia diretamente no êxito do procedimento.
Por esse motivo, elaboramos e ministramos palestras em diversos eventos,
cursos e especializações para sanar possíveis dúvidas que surgem para, desta
forma, evitar que trabalhos não sejam feitos da forma apropriada.

Vamos começar pelo básico:

O QUE É COR?
Cor é o resultado da modificação física da luz feita pelos pigmentos observada

pelo olho humano e interpretada no cérebro.

Sob o ponto de vista puramente físico, a produção de cor requer três fatores: a
fonte de luz, um objeto iluminado, e olho e cérebro para perceber a
cor. Alternativamente, o olho pode ser substituído por um detector fotossensível
e equipamento auxiliar.

Na micropigmentação, com o auxilio de um dermógrafo, pigmentos são


implantados na pele, a qual tem um tipo de pigmentação predominante,
ocasionando a soma das cores do pigmento artificial com o da pele. Por este
motivo é essencial conhecermos a formação das cores, para evitarmos
predominância ou ausência de alguma cor no resultado final.

A IMPORTÂNCIA DA COLORIMETRIA
Colorimetria é a ciência que estuda a medida das cores e que desenvolve
métodos para a quantificação da cor, ou seja, para o desenvolvimento de
valores numéricos da cor.

As cores possuem três características definidas: o tom, a saturação e a


intensidade.

O tom é fisicamente o intervalo de longitude de onda com o qual se pode


escrever uma determinada cor. Na prática,é a característica que faz com que
possa se reconhecer uma cor como sendo vermelha, uma outra como sendo
azul, e assim por diante.

A saturação de uma cor é o seu grau de pureza. Quanto menor for o conteúdo
de branco ou cinza, mais saturada será a cor.

As cores mais saturadas são aquelas que não são originárias de pigmentos,
mas sim de fenômenos interferenciais. No procedimento fotográfico,
especialmente no indireto (negativo–positivo ou positivo–positivo), a saturação
do corante tem uma função determinante na qualidade do resultado final.

A intensidade ou luminosidade de uma cor é a característica que faz com que


ela apareça mais clara do que uma outra, independentemente da sua
saturação.

*Outra aplicação importante da colorimetria é na correção de cor


(neutralização), muitas vezes necessária pela aplicação incorreta da cor inicial.
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema
importância o conhecimento da cor e sua utilização a cada tipo de pele. Você
acompanhará a seguir um estudo detalhado sobre a teoria das cores e a forma
adequada de aplicação para cada tom de pele.

A cor é um dos elementos mais importantes da imagem. Na micropigmentação


trabalhamos principalmente com a imagem facial, portanto é essencial saber
como a cor funciona e como usá-la para conseguir seus diversos efeitos. É
preciso lembrar que a pele já é pigmentada pela melanina, então é necessário
saber como as cores do pigmento reagem com a cor da pele, e como isto será
transmitido.

Os humanos distinguem-se por serem claros e/ou escuros, o que se dá pela


presença do pigmento natural, a melanina, que dependendo do seu tamanho,
localização, forma e tamanho de seus grânulos origina a cor de pele, olhos e
cabelos de cada indivíduo, conforme imagem abaixo que ilustra os diferentes
padrões cromáticos humanos.

Há dois tipos de melanina que dividem as pessoas em quentes ou frias que


são, respectivamente, feumelanina e a eumelanina. A eumelanina predomina
nas pessoas de pele fria e a feumelanina em pessoas de pele quente, os
padrões cromáticos são determinados pela composição destes dois tipos de
melanina.

CORES PRIMÁRIAS
As cores primárias também são chamadas de cores puras, por não serem
formadas pela mistura de outras cores, mas é a partir delas que todas as cores
são formadas. São elas: Vermelho,Azul e o Amarelo.

CORES SECUNDÁRIAS
As cores secundárias são obtidas pela combinação das cores primárias, duas a
duas, em proporções iguais obtendo assim o Verde,Vermelho e o Azul.

CORES TERCIÁRIAS
Podemos dizer que as cores terciárias são todas as outras cores que não se
enquadram como primária ou secundária.
Obtemos uma cor terciária quando misturamos duas primárias em proporções
diferentes, isto é, uma em maior quantidade que a outra; ou quando
misturamos as três cores primárias, sejam em proporções iguais ou não.

Contrastes de temperatura

As cores nos passam sensações de frio e quente, por isso a classificamos


assim:

Cores quentes: tendem para o amarelo, e suas matizes com os alaranjados e


avermelhados.

Cores frias: tendem para o azul, e as matizes entre o verde, azul e violeta.

Cores pardas ou neutras

As cores pardas são o negro, o café e o cinza. Destas três cores, unicamente o
café pode ser classificado como “quente ou frio”. As cores pardas formam-se
pela união das três cores primárias.

– Negro: é a união de partes iguais de amarelo, vermelho e azul.

– Cinza: é a união de partes iguais de amarelo, vermelho e azul e branco.

– Café neutro: é a união de três partes de amarelo, 2 partes de vermelho e 1


parte de azul

Concluímos que uma imagem será quente ou fria de acordo com a cor primária
ou secundária predominante.

Cor complementar

Na cor o todo é compreendido pelas cores primárias. O complemento é aquele


que falta para completar o todo. Como duas cores primárias formam uma
secundária, então a cor complemento é a cor primária ausente na mistura.
O conhecimento das relações complementares pode ajudar a escolher o
pigmento adequado para seu processo de micropigmentação ou a cor que
necessita para corrigir as mudanças de pigmento que permanecem muito
tempo.

Marrons

Para a micropigmentação as marrons são as mais utilizadas, uma vez que todo
tom de pele é marrom. Há uma variedade de marrons que vai dos tons quentes
ou frios e claros e escuros.

O bege é uma variação de marrom que é obtido pela mistura de amarelo, roxo
e branco, considerado um pigmento frio.

Tipos cromáticos

Para a micropigmentação a temperatura das cores é fundamental, pois o tom


de pele também é classificado de acordo com a temperatura das cores de sua
tez, dos cabelos e dos olhos.

A pele tem uma tonalidade de base, que é azulada (fria) ou dourada (quente), e
uma intensidade que vai do claro ao escuro.

As cores frias são azuladas que harmonizam com o vermelho e as cores


quentes são douradas que harmonizam com o laranja. Convém lembrar que
para o Brasil, estas classificações podem sofrer variações, devido a mistura
racial existente no país.

Para se descobrir o tom de pele, além da prática de trabalho de aplicação de


pigmentos, uma regra nos auxilia:

Peles frias combinam com o branco, enquanto peles quentes combinam com o
bege.

Todos os pigmentos que se adquirem para o delineado permanente são feitos


com a combinação das três cores primárias, seja de partes iguais ou
desproporcionais. Cabe mencionar que a cor azul, representada pelo óxido de
ferro preto, é a mais saturada das cores primárias e, molecularmente, duas
vezes maior que a cor amarela, representada pelo óxido de ferro amarelo, que
não possui saturação, mas sim intensidade. Pela diferença de tamanho
molecular e a falta de saturação, o amarelo tende a absorver-se ou
desaparecer mais rápido que o vermelho e o azul.
Tenha-se em conta que quanto mais escuro for um pigmento, mais
concentração da cor azul terá; se o pigmento for claro, terá mais amarelo e se
acobreado mais vermelho. Se não observar a cor primária predominante na
base do pigmento a ser utilizado, obterá uma cor diferente da esperada. O ideal
é que os pigmentos sejam puros, sem mistura, mesmo que sejam entre eles.
Limitar as misturas apenas com as bases de suas cores para clareá-los ou
escurecê-los.

Antigamente, ensinava-se que as pessoas quentes deveriam ser pigmentadas


com cores frias e vice-versa. Ainda que este conceito tenha dado resultado
para muitas pessoas, não chegou a convencer de todo, pois chegou-se a
conclusão de que se não usasse o pigmento com a base exata do
complementar oposto, não se conseguiria o efeito desejado, lembrando ainda
da dificuldade em estabelecer o tipo cromático, num país de tantas misturas
étnicas.

Para isso, classificamos a utilização de pigmentos em sobrancelhas e seus


contrastes segundo o fototipo da pele. E lembre-se que, de acordo com a
técnica aplicada, a saturação da cor será maior ou menor e, para isso fica a
dica: para as técnicas de maior saturação, como a compactada, opte pelos
pigmentos mais claros.

Fototipo I

Fototipo II

Fototipo III

Fototipo IV

Fototipo V

Fototipo VI
CORREÇÃO DE CORES EM SOBRANCELHAS E LÁBIOS.

Os complementos opostos são as cores indicadas na posição oposta uma a


outra na estrela cromática. Ao serem mescladas, estas cores neutralizam-se
entre si.

Há algumas maneiras de corrigir uma micropigmentação assimétrica;


neutralizar, simetralizar e ou camuflar são algumas destas soluções. Se desejar
eliminar uma cor muito escura ou mudar a existente, pode-se neutralizar,
usando uma cor complementar, conforme indicação abaixo:

 Sobrancelhas azuladas – acinzentadas claras neutralizar com mostarda


(fundamento amarelo alaranjado;
 Sobrancelhas azuladas-acinzentadas escuras neutralizar com avelã
(fundamento laranja);
 Sobrancelhas azuladas saturadas – neutralizar com aréola (fundamento
vermelho + branco).
 Sobrancelhas avermelhadas sem saturação: neutralizar castanho ultra claro
(fundamento verde amarelado);
 Sobrancelhas rosadas sem saturação neutralizar com castanho médio ou
escuro + ocre (fundamento verde);
 Sobrancelhas avermelhadas ou rosadas com saturação: neutralizar e cobrir
com bege (fundamento verde + branco);
 Sobrancelhas esverdeadas – neutralizar com marrom (fundamento vermelho);

 Sobrancelhas arroxeadas sem saturação: neutralizar com ocre (fundamento


amarelo);
 Sobrancelhas arroxeadas com saturação: neutralizar e cobrir com palha
(fundamento amarelo + branco);

CORREÇÃO EM LÁBIOS

Os lábios têm característica arroxeada natural, para atenuar esta coloração e


auxiliar na fixação de pigmentos, utilizamos pigmentos fixadores compostos por
dióxido de titânio, que garantem a fixação e a neutralização (complemento) da
cor. Para obtenção de cor e fixação utilizamos o pêssego e o rosa, compostos
aos pigmentos selecionados a cada cor de lábio, e os pigmentos palha e aréola
para correção. Sendo o palha para neutralizar cores arroxeadas e o aréola para
neutralizar cores escuras.
ATENÇÃO: SE A PIGMENTAÇÃO ESTIVER CARACTERIZADA COMO
TATUAGEM OU ASSIMÉTRICA, COM PRESENÇA DE IMPREGNAÇÃO DE
PIGMENTO E CICATRIZES, A NEUTRALIZAÇÃO TERÁ DE SER
PRECEDIDA DE UMA DESPIGMENTAÇÃO COM ÁCIDO COSMÉTICO OU
LASER PARA REMOVER A SATURAÇÃO DA COR PREDOMINANTE. Por
Andreia Martins.

Colorimetria & Visagismo


colorimetria

Este é o círculo de colorimetria. Mostra quais cores são QUENTES e quais são FRIAS.
Este conceito vale para tudo que se colore: decoração, pintura, tingir cabelos… e make.
Tendo em vista que as cores quentes são mais vivas quando combinadas com as frias ficam
mais evidentes. Isso você pode usar quando se quer contraste intenso (ou se for tons suaves, o
contraste é interessante e sutil).
Mas cuidado! Para errar em uma combinação contrastante é muito fácil! Para usar cores puras
(rosão, amarelão…) deixe para editoriais de moda ou eventos que exijam muita produção (festa
à fantasia, eletrônica…).
Cores frias combinadas com outros tons frios dão resultados mais seguros pois dão ar de mistério
no olhar, profundidade e não oferecem contrastes que possam errar. Tudo depende do tom, da
combinação e ocasião, lógico!
Sombra marfim abaixo das sobrancelhas, pigmento azul médio combinado com beringela
profundo pode dar jogo. Ou tons de verde oliva com verde profundo (bonito) dá também.
Tons como preto, branco, tons de marrom, marfim, cinza, grafite e bege estão na categoria dos
neutros. Combinam com tudo! É o porto seguro!!!
Melhores opções para o dia a dia são combinar cores neutras com qualquer “temperatura” de
cor (quente ou fria). Errar assim é bem mais difícil
.
Os dois extremos das cores ( ou não exatamente podemos chamar de cores) são:

 Branco, ausência total de cor, ou seja, luz pura;


 Preto, ausência total de luz, o que faz com que não se reflita nenhuma cor.
Organização das cores

Cores primárias:

São as cores puras, que não se fragmentam. As cores primárias são:

 Vermelho
 Amarelo
 Azul
Cores secundárias.
As combinações surgidas de duas cores primárias são chamadas de cores secundárias.
São elas:

 Laranja: que é a mistura do amarelo com o vermelho


 Verde: que é a mistura do azul com o amarelo
 Violeta: que é a mistura do vermelho com o azul.
Cores Terciárias.

São obtidas pela mistura de uma cor primária com uma ou mais cores secundárias.

Cores Complementares.

Uma cor primária se complementa com uma cor secundária. Estas duas são opostas uma
a outra. Por exemplo, a cor complementar do vermelho é o verde. Tanto é que pessoas
que tem olhos verdes ficam bem de batom vermelho.

As cores complementares dão força e equilibrio a um trabalho criando contrastes.


Raramente se usa apenas cores complementares em um trabalho, o efeito pode ser
desastroso, mas em alguns casos é extremamente interessante. Eu uso cores
complementares apenas para acentuar as outras criando assim, equilibrio no meu trabalho.

Vale lembrar que as cores complementares são as que mais se contrastam entre si, sendo
assim, se queremos destacar um amarelo, devemos colocar junto dele um violeta.
As cores complementares Também podem se neutralizar entre si. Ex: Para tirar a “potência”
de um amarelo, basta acrescentar-lhe certa quantidade de violeta até que se consiga o
efeito desejado

Cores quentes e frias.

A temperatura das cores faz toda a diferença quando criamos uma maquiagem verão ou
inverno, ou para uma pele morena ou branca, porque elas tendem a parecer quentes ou
frias no nosso olhar. Ex:

 O amarelo, vermelho, violetas e laranjas, são cores quentes, vibrantes, porque


transmitem a sensação de calor.
 E os azuis e verdes são cores frias, que transmitem sensações de tranquilidade e frescor.
Cores análogas

São análogas porque há nelas uma mesma cor básica. Pôr exemplo o amarelo-ouro e o
laranja-avermelhado tem em comum a cor laranja.

As cores análogas, ou da mesma “família” de tons, são usadas para dar a sensação de
uniformidade.

Eu acho que uma composição de cores análogas em geral é elegante! Porém deve-se
tomar o cuidado de não a deixar monótona.

Cores neutras.

Os cinzas e os marrons são consideradas as cores neutras, mas podem ser neutras
também os tons de amarelos acinzentados,azuis e verdes acinzentados e
os violetas amarronzados. Apesar do preto não ser considerado cor, na hora da
maquiagem ele também entra na cartela dos neutros.

A função das cores neutras é servir de complemento das outras cores e para dar
profundidade, visto que as cores neutras em geral tem pouca reflexividade de luz.

Visagismo
ANTES DE MAIS NADA…O QUE SIGNIFICA VISAGISMO?

Visagismo vem do Francês = Visage = Rosto

Esta pergunta é fundamental:


O que você deseja expressar pela sua imagem?

Visagismo é a arte de criar uma imagem pessoal que revele qualidades interiores de uma
pessoa.
De acordo com suas características físicas, e os princípios da linguagem visual (harmonia e
estética), utilizando maquiagem, corte, coloração e penteados.
Beleza Sanguínea.
É luminosa e vibrante, destemida e criativa.
Expressa alegria, jovialidade, carisma, simpatia e descontração. É amigável, conselheira,
sociável e divertida.

Cores que a valorizam


cores claras, brilhantes,
alegres e luminosas.

Prefere a Primavera.
http://www.youtube.com/watch?v=gR_azQU3exo
http://robertapeixoto.com.br/index.php/video-de-maquiagem-serie-visagismo-temperamento-
sanguineo/,
Roberta Peixoto

Beleza MELANCÓLICA

Expressa lirismo e sensibilidade.


É cuidadosa, organizada, disciplinada e perfeccionista.
Prefere o Verão.

Cores que a valorizam:


cores suaves, acinzentadas e sutis.http://www.youtube.com/watch?v=Ht_JelMojqk
Roberta Peixoto
FLEUMÁTICA:
- É serena e espiritualizada, meiga, persistente e acolhedora. É também diplomática e amigável.
Transmite segurança e paz.
- Prefere o Inverno
- Cores que a valorizam: cores puras, vivas e intensas.

Defina e Realce sua beleza

DEFINIÇÃO :

A micropigmentação Trata-se de uma técnica de implantação de micro pigmentos


exógenos na camada superficial da pele através do dermógrafo, tem como finalidade
a correção e embelezamento estético, conhecida também como Maquiagem
Definitiva, dermopigmentação, maquiagem Temporária, Maquiagem Semi-
Permanente, entre outras.

É erroneamente chamada de “Maquiagem Definitiva”, pois tem uma duração média


de 06 (seis) meses a 02 (dois) anos, aproximadamente. Este período pode ser
alterado pelas condições individuais da cliente, como utilização de ácidos
cosméticos, filtro solar, etc.

Na primeira consulta o paciente passará por uma anamenese que dirá se o mesmo
poderá fazer o procedimento sem risco a saúde, resultado positivo, o profissional
fará a micropigmentação da área escolhida ( sobrancelhas, olhos ou lábios), após
realizado o procedimento, nos primeiros 30 dias ocorre um clareamento em cerca
de 50% da cor, neste período poderão aparecer falhas na região, que na segunda
consulta o profissional avaliará a necessidade de se fazer o retoque. A casos de
pessoas que possuem uma boa fixação, não necessitando de retoque.

SERVIÇOS :
MICROPIGMENTAÇÃO E CORREÇÃO EM SOBRANCELHAS:

SOBRANCELHAS

As sobrancelhas são a moldura do rosto, sendo o que mais identifica a vaidade e a classe de
uma mulher.
As opções são variadas para quem busca a sobrancelha ideal, e o profissional designer
micropigmentador é a pessoa certa para indicar o procedimento mais adequado para o seu
tipo de sobrancelha.

Preenchimento
Fio a fio
Correção de falhas
Correção de sobrancelhas azuladas, roxas , vermelhas e outras cores.
Diminuição e eliminação de falhas
Despigmentação/ neutralização
Alongamento

LÁBIOS

Contorno
Preenchimento
Contorno e Preenchimento
Aumento

OLHOS

DELINEAMENTO SUPERIOR

DELINEAMENTO INFERIOR

DELINEAMENTO SUPERIOR E INFERIOR

VANTAGENS EM FAZER A MAQUIAGEM SEMI DEFINITIVA ?

O desejo de todas é o mesmo. Disfarçar imperfeições, realçar os traços mais marcantes do


rosto feminino, dando um toque especial ao visual. Segue alguns motivos para fazer a
dermopigmentação semi definitiva
 Bem estar desde a hora que acorda até a hora de dormir, nas atividades de trabalho e lazer,
piscina, praia, academia, na noite, etc.
 Ganho de tempo e qualidade de vida;
 Aparência mais jovial, definida e expressiva;
 corrigir pequenas imperfeições.
 corrigir pequenos desequilíbrios nos lábios, as desigualdades de espessura.
 Você pode embelezar os lábios, sulcos perioral remover, eles vão esconder as rugas dos lábios
causados pelo fumo ou/e idade.
 Você pode aumentar o contorno dos lábios.
 Você pode corrigir sobrancelhas, corrigir a falta de pelo por excesso dedepilação ou
cicatrizes.
 Pode se dar espessura para os cílios com uma linha muito finita.

PERIGO DA MICROPIGMENTAÇÃO SEMI-DEFINITIVA:


Procurar um profissional habilitado e capacitado, constitui o primeiro passo para
quem valoriza a vida e a saúde. O serviço de micropigmentação é de extrema
responsabilidade e só pode ser feito por profissionais com conhecimento na área de Ciências
da Saúde, os riscos de um procedimento com profissional desqualificado acarreta em
diversos problemas, dentre os quais podemos citar :

Contaminação por vírus e bactérias,


Desenvolvimento de granulomas,
Quelóide,
Cicatrizes e bolhas,
Transmissão de doenças, como Aids, hepatite, estafilococos (formadoras de massas irregulares
de células e causadoras de infecções locais com pus), estreptococos (bactérias causadoras
de doenças como pneumonia, faringite, febre reumática e meningites), por causa do uso de
agulhas contaminadas, e reações alérgicas às tinturas permanentes

DIFERENCIAL :
Domínio no conhecimento das técnicas,
Qualificação contínua,
Pigmentos de alta qualidade, as cores não ficaram azul, cinza, verde etc,
Material utilizado descartável, uso exclusivo, aberto e descartado na frente do cliente,
Procedimento sem dor.

CUIDADOS PRÉ E PÓS PIGMENTAÇÃO :


CUIDADOS PRÉ-PIGMENTAÇÃO:
Ter r uma dieta alimentar rica em Vitaminas A, D, E, C, e frutas vermelhas.
CUIDADOS PÓS-PIGMENTAÇÃO
Não molhar por 48 horas no caso de sobrancelhas.
Não tomar sol direto durante 30 dias
Não usar sauna, não frequentar piscina e mar, nos primeiros 7 dias.
Nunca utilizar cremes contendo ácidos e sabonetes, base, loções, pomada, creme
hidratante, ou qualquer produto que seja oleosos, cremosos, untuosos ou toxicos sobre o
local.
Ter cuidados com calor de forno, secador de cabelos, vapor de panela.
Não usar maquiagem até completa cicatrização.
Não arrancar a casca que se forma, deixá-la cair naturalmente.
Não ingerir frutos do mar.
Não beijar ou tocar os lábios no travesseiro, evitar cítricos, ácidos, apimentados em caso
de lábios.
Só lavar a área com soro fisiológico ou água boricada após 24 horas.
Não deixar ninguém tocar.
Fazer retoque entre 25 a 40 dias. Após 40 dias perderá o direito ao retoque.
Se perdeu o direito a retoque, até 90 dias da data da pigmentação, o mesmo poderá ser
feito sendo cobrado 1/3 do valor do serviço.
Após 90 dias não será mais considerado como retoque e sim como novo serviço

Se você é uma das centenas de pessoas que, infelizmente, está com problemas na
micropigmentação de suas sobrancelhas pois se deparou com
um profissional inexperiente, acalme-se.

Saiba que, na maioria dos casos, é possível amenizar o estrago e reverter os


processos por meio da despigmentação de sobrancelha.

Porém, antes de iniciar este artigo é importante que você saiba que
a despigmentação de sobrancelha varia, principalmente, conforme a cor da tinta e
a profundidade que foi implantada.

Eventualmente, alguns dos métodos para a despigmentação de


sobrancelha podem deixar marcas, mas, se realizado por um bom profissionais,
os resultados provavelmente serão satisfatórios;

Os procedimentos são indicados para as pessoas que sofrem com sobrancelhas


esverdeadas, azuladas e com design indesejado, mas gestantes e lactantes não
devem realizar nenhuma das técnicas. Nesse caso, é melhor esperar para remover
a pigmentação.

Mecânica da mudança de cor! Quer saber mais?


Já me perguntaram várias vezes Prof. Léo Calheiros qual a mecânica da modificação da cor
em Micropigmentação de Sobrancelhas. Como isso acontece?
Bom busquei inúmeras pesquisas nacionais e internacionais e fiz um pequeno apanhado mais
científico do processo de modificação da cor. Claro que entraremos em um caminho que nos
leva além do entendimento de Colorimetria, e exige uma percepção maior da que estamos
acostumados a vivenciar principalmente pelo fato de haver a necessidade de entender que a
modificação da cor acontece por outros fatores além, claro da reação da melanina com o
pigmento implantado.
Todos nós sabemos que a Micropigmentação é o resultado da cor implantada com dermógrafo
aparelho que utiliza micro agulhas para este fim. Esta tinta, possui em sua composição vários
elementos comuns a uma emulsão, porem como principio ativo teremos pigmentos e corantes
em suspensão. Muito comumente ensinamos aos nossos alunos de forma a tornar o
entendimento mais simples que devemos sempre analisar o subtom de pele e classificar ele
em quente ou frio segundo a prevalência das cores quentes e frias visualizadas na pele, mas
nem sempre isso é tão fácil ou simples assim. Da mesma maneira que ensinamos como
analisar o fundo de cor da tinta a ser usada, se quente ou fria. Lembrando que vermelhos e
laranjas são considerados quentes, azuis e verdes considerados frios.
Com este entendimento primário muitos profissionais aplicam a teoria inversa, ou seja, aplicam
tintas de fundo quente em peles de subtom frio. No entanto é provado que há muitas falhas
neste processo, e muitos jovens profissionais não conseguem entender pois fazem tudo
conforme aprenderam e mesmo assim não funciona, resultando em sobrancelhas cinzas ou
rosadas e colocam a culpa exclusivamente no material utilizado.

Sim o material é de grande importância e pode sim determinar a qualidade do resultado, no


entanto Colorimetria é uma ciência exata, mas que depende da acuidade visual e da percepção
inerente a cada pessoa.
Além disso, há outros fatores que promovem a mudança significativa da cor da tinta aplicada
na pele. Infelizmente pouco vemos este assunto ser abordado. Concordo que é complexo e
muitos profissionais desconhecem a necessidade de estudar de maneira mais ampla a
Anatomia, a Fisiologia, a Química, a Física, Patologia, Micro imunologia. Claro que não
estamos formando médicos, mas somos profissionais de saúde, e lidamos com a vida de seres
humanos.
Voltando ao tema principal, vou citar aqui alguns destes fatores que interferem na cor.
A profundidade alcançada pela agulha: Sabemos que a luz atravessa a pele e permite a
reflexão da cor da tinta de maneira transepidermica. Por isso quanto maior a profundidade do
implante, mais será a reflexão das ondas azuis, resultando em castanhos esverdeados e
azulados, tal qual vemos um vaso sanguíneo mais profundo meio azulado e um vaso mais
superficial mais vermelho ou menos azul.
A angulação da agulha: Para a grande maioria dos profissionais e não estou dizendo ser certo
ou errado, mas para a maioria, a utilização do angulo de 45 graus é mais confortável, mas é
fato que nesta angulação a agulha precisa estar mais longa para atingir uma profundidade que
no angulo dde 90 graus atingiria, e isso pode favorecer uma variação muito grande de
profundidades de aplicação, ou seja resultaria na falta de uniformidade, a medida que ninguém
ficaria regulando a escala de graus pra se manter a 45 todo tempo com a mesma precisão e
força nas mãos.
Aparelhos: A estabilidade e precisão também são cruciais para a manutenção e uniformidade
da cor na pele, se o aparelho não possuir uma precisão adequada, mesmo com todo esforço
do profissional haverá desigualdade no implante.
A saturação: Sim a quantidade de vezes que passamos ou aplicamos a tinta sobre a pele
também vai interferir, muitas vezes existe o pensamento de que quanto mais vezes passar
melhor será a fixação, o que não é verdade, pois é mais importante aplicar menos vezes,
agredindo menos, e utilizando baixas velocidades de mão e de agulha. Quanto mais tinta maior
será a reflexão da luz, porem a profundidade estará aumentada também revelando mais
facilmente o azul luminoso.
Importante lembrar que nós trabalhamos com tintas misturadas e ja prontas e com cores
terciárias, se não entendermos isso, dificilmente conseguimos um bom equilíbrio, pois fica tudo
muito voltado somente as cores primarias, mas ninguém aplica, azul, vermelho ou amarelo
puro na pele do cliente.
Além disso em indivíduos com alta carga de melanina as reações costumam ser desastrosas
pois a reatividade do melanócito geralmente é mais alta nestes indivíduos.

Outro fator importante é a alcalinidade de certos anestésicos e produtos recomendados para a


fase de cicatrização. A alcalinidade além de alterar quimicamente alguns pigmentos e corantes,
também altera a forma como o corpo processa estas moléculas. O mecanismo ainda não foi
definido. Muito se fala de fagocitose, mas é precisa estar atento, pois só existira fagocitose se
houver digestão celular ou seja se o macrófago dissolver o pigmento. A não digestão
descaracteriza a Fagocitose, e toda cadeia inflamatória possui ciclos distintos que devemos
entender essa cascata de eventos.
Outros fatores são por exemplo, os tratamentos de pele, como peelings, uso de certos
medicamentos, consumo regular de alcool, tabagismo este ultimo além de alteração na cor
teremos alterações na fisiologia da pele, inclusive na morfofisiologia do tecido dos lábios.

Um dos fatores que não pode ser esquecido é o tamanho do grão de pigmento usado, se muito
grande pode ser expelido mais facilmente e de pouca fixação, se muito pequeno tende a se
espalhar e expandir o desenho, alguns autores defendem a necessidade de se manterem entre
6 e 8 micras, mas acontece que uma partícula de óxido de ferro tem menos que isso, o que
acontece é que dada eletricidade se atraem por magnetismo e alcançam as vezes mais que 8
micras, por isso outros autores desprezam tal informação, pois isso valeria somente para
pigmentos orgânicos.
No caso do Carbono ou melhor dos pretos de base carbônica, eles são amorfos e muito
menores as vezes que 1 micra, o que facilitaria e muito a expansão e a migração deste tipo de
pigmento na pele até pq não há eletro atração entre eles o que não permite que alcancem
maior tamanho com facilidade. Os pigmentos usados também de devem ser miscíveis entre e
ter em média a mesma duração ou melhor a mesma capacidade de se manter estável sob
ação da luz solar. Por exemplo se uma tinta é composta por corantes e pigmentos com
estabilidades muito diferentes teremos uma alteração rápida de cor, poi se os corantes se
degradam primeiro teremos os pigmentos refletindo sua cor, de forma inversa se os pigmentos
se degradarem rápido demais somente os corantes estarão na pele refletindo sua cor, isso
resultara na alteração da cor visualizada. Daí a importância de uma boa mescla entre
orgânicos e inorgânicos na tinta usando corantes e pigmentos que tenham estabilidade e
fotosensibilidade semelhantes.
Quando voce observar uma sobrancelha Azul ou Verde, lembre-se do Prof. Léo Calheiros que
sempre disse que ali existe muito mais que um erro de avaliação da pele ou da tinta usada...vai
além da Colorimetria...

Tratamentos específicos para pele


na 3º idade
Publicado por em 6 de agosto de 2015
Categorias
Tags

A pele do rosto nada mais é do que um reflexo dos nossos hábitos de vida. Se mantivemos uma boa
alimentação, hidratação adequada, um histórico de cuidados diários com a pele, entre outros
cuidados como não beber, fumar e não abusar do sol, a nossa pele na terceira idade irá aparentar essa
atenção. Independente da faixa etária atualmente um dos maiores inimigos da pele é o sol. E por
incrível que pareça algumas pessoas ainda ignoram este fato, não protegendo a pele como deveria.

FALTA DE ELASTICIDADE E ENVELHECIMENTO: A radiação UVA danifica o colágeno e


as fibras elásticas, levando a perda de sustentação e elasticidade e é a grande responsável pelo
envelhecimento cutâneo. Já a radiação UVB, incidente principalmente das 10 às 16h, causa
queimadura e aparecimento de manchas e é a principal responsável pelo câncer de pele.
OUTROS VILÕES DA PELE PARA MANTER LONGE:
 cigarro (s substâncias tóxicas do cigarro causam destruição das fibras de colágeno e
elastina, responsáveis pela elasticidade e firmeza da pele)

 álcool

 alimentação desequilibrada,poluição, o frio (o ar poluído pode obstruir os poros,


proporcionando um aspecto grosseiro e opaco à pele)

 diferenças de temperatura e o calor úmido


As alternativas de tratamentos e os cuidados na terceira idade:
Atualmente não faltam tratamentos e opções de cosméticos para tratar e regenerar a pele. São
diversas as opções de procedimentos e tecnologia de ponta disponíveis. Entre eles estão: Limpeza
de pele, radiofrequência (contra flacidez), Peelings faciais, Máscaras e tratamentos específicos
para manchas, laser fracionado, carboxiterapia, LPG Facial (Liftmassage), Bioplastia, Toxina
Botulínica, preenchimento, entre outros tratamentos disponíveis no mercado. Para tanto,
recomenda-se sempre procurar uma especialista capacitada e habilitada para realizar tais
procedimentos com segurança. A busca por uma clínica idônea e com referência no mercado
também garante que o tratamento seja realizado com segurança e sem riscos à saúde.
Produtos e princípios ativos contra o envelhecimento:
De acordo com especialistas um dos produtos mais conhecidos e utilizados para tratar o
envelhecimento é o : ÁCIDO RETINÓICO (derivado da vitaminaA), entretanto, existem outros
derivados da vitamina A, também considerados medicamentos, que agem no envelhecimento
cutâneo, são eles: isotretinoína, adapaleno e o tazaroteno. Cosméticos com retinol, que é a própria
vitamina A, ou com retinoaldeído, que é um derivado dela, são mais fracos e menos irritantes, mas
promovem melhora em alguns parâmetros do envelhecimento.
Vitamina C: a vitamina C é um poderoso antioxidante e faz parte do sistema natural da pele para
protegê-la em relação à agressão da luz solar. Já a Vitamina C tópica em concentrações altas, de 5%
a 10%, além da ação antioxidante, também é clareadora e participa na síntese do colágeno.
Vitamina E: A vitamina E também é muito utilizada em cosméticos e cosmecêuticos, tendo ação
antioxidante e hidratante. Pode ser associada à vitamina C, havendo então uma potencialização de
sua ação antioxidativa.
Segundo especialistas existem ainda alguns princípios ativos contra o envelhecimento. Confira
abaixo:
 DMAE, ou deanol (dimetilaminoetanol): substância que existe no corpo humano
(fígado, cérebro, coração) e que também é encontrado em peixes como a sardinha e a
anchova. É um ativo antienvelhecimento que parece melhorar a flacidez, entre outros
benefícios.N6-furfuriladenina: estimulante celular que tem ação
antienvelhecimento, melhorando as rugas e o tônus da pele.Ácido
alfalipoico: protege a membrana celular, o citoplasma e o núcleo da célula. Tem ação
regeneradora sobre a viatamina C, vitamina E e glutationa, sendo também um
antioxidante e anti-inflamatório. Seu uso é indicado para edema e bolsas
oculares.Isoflavonas: fitoestrógenos indicados para uso tópico em mulheres na
menopausa. Combatem o processo natural de envelhecimento, compensando os danos
ocasionados pela diminuição dos hormônios femininos. Melhoram o tônus e a
hidratação da pele.
Raffermine: um agente potente extraído da soja. Atua fortalecendo a estrutura
molecular da derme. Seus efeitos são aumentar a firmeza, a elasticidade e a
tonicidade da pele.
Tensine: extraído da semente do trigo, é um agente que melhora a firmeza da pele.
Possui propriedades hidratantes e é utilizado em compostos com “efeito Cinderela”,
ou seja, quando utilizado em concentrações mais elevadas, promove estiramento da
pele por aproximadamente seis horas.
Cobre: também tem sido incorporado a cosméticos devido a seu efeito estimulador
da atividade dos fibroblastos e da produção de colágeno. Confere maior firmeza à
pele, melhorando as rugas e a elasticidade.

Lifiting sem Cortes


Este processo estético ainda não é popular no país pelo seu alto custo e a necessidade de
equipamento especializado. Contudo, clínicas de São Paulo e Rio de Janeiro já possuem
uma boa gama de aparelhagem para este tipo de tratamento, que consiste em jatos de
calor pontuais para remover as células mortas.
O aparelho do lifting sem cortes manda um foco de calor para a região da pele que precisa
de tratamento. Com isso, haverá uma forçação nas células para a produção de proteínas
e fibras que restauram o tecido, deixando a sua pele mais jovem. No mesmo dia você já
poderá conferir os resultados em frente ao espelho. Mas como todo tratamento para a
terceira idade, não é permanente, pois sem o lifting sua pele vai voltar a produzir a
quantidade normal de proteínas e por isso voltará a ter problemas. Ele é indicado para
aumentar o tônus da pele, brilho e remover rachaduras de secura, comuns na terceira
idade.

Fotorejuvenescimento
Este tratamento mais uma vez usa um feixe de luz para atuar na pele. Esta luz especial
tem como foco agir um pouco mais profundamente em sua pele, estimulando a produção
de colágeno, substância responsável por unir tecidos e pele, evitando as rugas. Não é
nada gritante que te dê 30 anos a menos, mas ao menos uns 10 ao longo das sessões
você vai ganhar no espelho. Também é um tratamento na hora: fez, você já pode conferir
os resultados.
Peeling Químico
Este com certeza é um dos mais populares tratamentos da pele e também considerado um
dos mais eficientes. Por meio da queima das camadas superiores da pele com produtos
químicos considerados seguros pela indústria de cosmética, o tratamento força a
descamação e renovação celular, deixando a pele mais firme, hidratada e jovem.
Com o passar dos anos o seu organismo deve ficar mais preguiçoso. Isso quer dizer que
ele vai continuar produzindo células até a sua morte, mas não tão rápido como era antes.
O peeling irá forçar sua pele a produzir células novas mais rapidinho, e com isso você
acaba ganhando uma pele mais jovem e sem sacrifício. São necessárias algumas sessões
para o tratamento ficar pronto, que dura ao menos seis meses. Este procedimento é
bastante indicado para remover rugas ao redor dos lábios, consideradas as mais difíceis
de se livrar.
Esfoliação Caseira
Em menor nível que um peeling mas com o mesmo propósito, a esfoliação caseira
semanal também é uma forma de forçar a sua pele a se renovar e sem gastar muito.
Durante o tratamento as pessoas devem lavar o rosto e depois aplicar um creme com
glânulos para ajudar a pele a se livrar de suas células mortas. No lugar, a pele deve
produzir mais células e com isso ocorre a renovação.
A esfoliação caseira pode ser feita sem qualquer contra indicação em homens e mulheres.
Pode-se usar produtos tanto mais elaborados e comprados prontos, como esponjas de
fibra natural e cremes caseiros com açúcar para se criar os grânulos. Como é feita em
casa e com produtos leves, não espere milagres na frente do espelho. Sua pele vai sim
ficar mais bonita e serve para todas as idades, mas é algo bem gradativo e light, com
resultados pequenos ao longos das semanas.

Carboxiterapia Facial
Tratamento cada vez mais popular em todo mundo, esta técnica estética consiste em
injetar diretamente na pele gás carbônico. O gás é colocado no tecido subcutâneo por
meio de uma seringa com agulha bem fina. O gás carbônico vai ajudar na circulação
sanguínea que costuma ser mais lenta com o avanço dos anos. Com isso sua pele fica
mais bem nutridas, as rugas devem suavizar e a pele vai ficando mais jovem. Haverá uma
melhoria do tônus também e com isso uma suavização das rugas.
Massagem Modeladora
Para as mais cheinhas, a massagem modeladora é uma das grandes novidades. É uma
forma de se livrar do excesso de gordura sem muito sacrifício, por meio de uma
massagem técnica bem rápida e intensa na pele. O líquido deve ser forçado a sair e com o
tempo você vai estar mais em forma. Mas como é bem invasiva e cansativa, deixando o
corpo dolorido, a massagem modeladora é indicada para quem está na fase dos primeiros
anos da terceira idade. Pessoas muito idosas podem sentir bastante dor pela sensibilidade
do corpo nesta idade.
Dicas para pele na
terceira idade
ABRIL 4, 2016 by BLUEHOST 000000




Se você já nos acompanha sabe alguns cuidados que deve ter ao longo da vida em relação
a pele, a principal delas e que falamos sempre aqui é o cuidado de passar o protetor solar
todos os dias. Mas se você está na terceira idade o cuidado deve ser ainda maior, é
necessário ter uma pele bonita e saudável sempre. Se ainda não tem cuidados específicos
ou cuida, mas queria mais algumas dicas acompanhe esse post.

Nos vamos te mostrar e ensinar algumas dicas para ter uma pele bonita na terceira idade,
mas antes de começar devemos avisar que o envelhecimento faz parte da vida e a terceira
idade vai sim chegar. Você não pode querer evitar alguns sinais de envelhecimento o resto
da vida, isso é natural e bonito, por isso não queira ter uma pele bonita e macia como
tinha aos 15 anos, sua pele pode ser sim, bonita e macia, mas bem diferente de quando
tinha 15, 20 e 30 anos.

Importância da pele
A pele é muito importante para o corpo, ela tem suas funções e não está ali atoa, é uma
barreira protetora e impermeável, ela protege da penetração de substâncias e micro-
organismos, protege da radiação ultravioleta e defende de reações imunológicas. Quando
chega a terceira idade muitas dessas funções começam a diminuir, o indivíduo fica mais
frágil e sujeito a agressões que falamos, principalmente os raios solares.
Dicas para cuidar de sua
pele
Nossa primeira dica para cuidar da pele na terceira idade é redobrar a atenção e passar
bastante protetor solar. A irradiação solar acelera o processo de envelhecimento e pode
produzir graves queimaduras, o problema é que a luz do sol é importante e fundamental
para a produção de vitamina D pela pele. Por isso o idoso não pode deixar de tomar sol,
mas deve se proteger muito para que essa exposição não cause danos.

Outro problema que aparece na terceira idade é a perda de água da pele, ela fica
desidratada mais facilmente e isso não acontece apenas na terceira idade. A desidratação
começa por volta dos 25 anos e piora um pouco mais na terceira idade. A perda de água
é acompanhada do desaparecimento de fibras do colágeno que melhora a elasticidade.

Para que sua pele não fique enrugada demais você precisa beber bastante água para
mantê-la hidratada e também passar creme hidratante para evitar o ressecamento. Não
espere ficar com sede, pois ele já é sinal de desidratação, ela deve ter consumida antes do
sinal de sede.

Sobre o hidratante ideal a dica é usar um indicado pelo seu dermatologista, o seu médico
vai analisar sua pele e indicar o melhor hidratante. Existem muitas formulas que seu
médico pode indicar e pedir para fazer observando sua pele, ele também vai mostrar como
passar, quando e de quanto em quanto tempo. Parece bobagem, mas se sua pele está muito
ressecada ou não demonstra melhora com os cremes hidratantes comuns o melhor é usar
um indicado pelo médico.

É muito importante manter a pele sempre hidratada na terceira idade, assim ela irá
apresentar um aspecto sedoso e saudável e não vai comprometer sua função de proteção.

Mais dicas para a terceira


idade
As dicas já citadas de beber água, hidratar a pele e passar protetor solar são indispensáveis
e devem ser feitas não só pela terceira idade para por todas as pessoas. A prevenção deve
começar logo cedo, quanto antes começar a observar esses cuidados com a pele melhor
será.

Para que você chegue a terceira idade com a pele bonita é preciso muito cuidado, você
vai sofrer com a perda de elasticidade e da firmeza e uma dica para evitar um pouco essa
perda é usar produtos que contêm ácido hialurônico, ele vai ajudar a suavizar as rugas e
também vai aumentar o tônus e elasticidade da pele.

Uma boa notícia para você que nunca teve muito cuidado com a pele é que dá para
melhorar ainda, mesmo já estando na terceira idade. A nossa dica agora é prestar atenção
na alimentação, coma frutas, verduras e legumes que oferecem nutrientes e antioxidantes
importantes para recuperar a hidratação e elasticidade da pele. Esses alimentos também
vão ajudar a manter a pele bonita.

E o uso de cosméticos?
Nossa dica é não deixar os cosméticos esquecidos, não use apenas o protetor solar, mas
use outros produtos que podem melhorar e evitar o processo de envelhecimento da pele.
Se você não sabe qual cosmético usar converse com seu dermatologista e veja o mais
indicado para você. Existem muitos cosméticos para a terceira idade que pode ajudar a
evitar manchas e rugas profundas.

Peça ao seu dermatologista dicas de produtos com ácido como o glicólico, retinóico e
telúrico e também produtos com vitamina C e antioxidantes na fórmula. É importante ter
produtos específicos para sua idade, até porque em cada idade a pele vai precisar de um
cuidado especial, se você tiver esse cuidado vai perceber uma grande melhora.

Você também precisa ter uma rotina de beleza, parece bobeira, mas quando começar não
vai querer mais parar. Quando acordar lave o rosto usando um sabonete para o seu tipo
de pele, peça o dermatologista para indicar, depois use um hidratante como creme anti
idade com antioxidante e depois do creme passe o protetor solar com FPS no mínimo 30.
Esse protetor deve ser reaplicado outras vezes ao dia, pelo menos mais duas vezes. Antes
de dormir a rotina de beleza precisa continuar.

Por isso lave seu rosto e retire tudo o que usou durante o dia, creme, protetor, maquiagem
e até sujeita, depois é só passar um creme e ácido glicólico ou outro indicado pelo
dermatologista. Essa rotina é bem simples e pode variar de acordo com a sua necessidade,
fique sempre atento nas dicas do dermatologista e se tem dificuldade para lembrar de tudo
o que precisa passar anote e faça o passo a passo.

Essa rotina de beleza que mostramos é apenas para o rosto que é o que mais preocupa as
pessoas, principalmente as mulheres. Mas você também deve ter uma rotina de cuidado
com a pele do corpo todo, depois que tomar seu banho use um bom hidratante e dê
bastante atenção para as áreas mais ressecadas como pés, joelhos e cotovelos. Passe
também um creme especial para as mãos, elas merecem um cuidado a mais. E não esqueça
do protetor solar no corpo também, é importante passar o protetor nas áreas que pegaram
sol, principalmente ombros e braços.

Essas são só algumas dicas para a pele na terceira idade, se você observar, nem são tantos
cuidados que precisa ter para deixar a pele saudável e bonita e assim que começar a ter
uma rotina de beleza vai perceber o quanto ela é importante. Não deixe de visitar o
dermatologista pelo menos uma vez ao ano, essa visita é necessária para te ajudar e
orientar quanto aos produtos que devem ser usados e a forma correta de passar.

Se ficou alguma dúvida não deixe de comentar e contar o que achou, seu comentário é
muito importante para nós.

Como Diagnosticar e Tratar

Alterações de pele na terceira idade


Skin disorders in the elderly

Célia Sampaio Costa Accursio


Cirurgiã plástica, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, diretora científica da Sociedade Brasileira de Medicina
Estética, membro fundadora e atual 2ª tesoureira da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e professora do Curso
de Pós-graduação da Fundação Técnico Educacional Souza Marques - Rio de Janeiro.
Endereço para correspondência:
Rua Tomás Carvalhal, 619 - Paraíso
CEP 04006-001 - São Paulo - SP.

Unitermos: dermatoses pele senil, envelhecimento cutâneo, fotoenvelhecimento.


Unterms: geriatric dermatology, aging skin, photoaging skin.

Numeração de páginas na revista impressa 646 à 658

As alterações visíveis na pele dos indivíduos na terceira idade são alterações provenientes do próprio
processo de envelhecimento cutâneo, bem como conseqüência da constituição genética, fatores ambientais,
repercussão cutânea do envelhecimento de outros órgãos ou, ainda, efeitos de doenças da própria pele ou
sistêmicas. Distinguem-se, no entanto, dois fenômenos: o envelhecimento cutâneo propriamente dito e o
envelhecimento de pele devido à radiação ultravioleta, conhecido como fotoenvelhecimento.

De uma maneira geral, as alterações principais incluem: secura, aspereza, rugas, flacidez, uma variedade
de lesões benignas e, por fim, as neoplasias malignas.

Para entendermos as alterações visíveis a olho nu, reportamo-nos um pouco aos achados histológicos e às
funções da pele que se encontram diminuídas nesta faixa etária.

Os achados dos Quadros 1 e 2 traduzem uma menor adesão entre as camadas derme e epiderme, o que
explica a pobre resistência da pele do idoso a pequenos traumas, até mesmo como a retirada de curativos,
e pequenas abrasões, o que leva à formação de bolhas. Essa alteração também confere uma menor
transferência de nutrientes de uma camada a outra da pele e uma modificação na absorção de substâncias
pela pele do idoso, assim sendo, sabe-se que ocorre uma diminuição de absorção de substâncias
hidrofílicas pela pele do idoso, como hidrocortisona e ácido benzóico, mas nenhuma alteração no que diz
respeito à absorção de substâncias hidrofóbicas como a testosterona e o estradiol.

A diminuição na taxa de renovação celular (30% a 50% entre a terceira e oitava década de vida) e
reparação de pele elevam o tempo de cicatrização das feridas que pode chegar a duas ou três vezes mais
do que o de uma pessoa jovem.

Devemos lembrar que a barreira de proteção contra a radiação ultravioleta (UV) está extremamente
prejudicada, uma vez que há uma diminuição no número de melanócitos enzimaticamente ativos.

Há diminuição de colágeno, elastina, substância fundamental da derme, proteínas e açúcares, em especial


do ácido hialurônico, que influenciam no turgor da pele; estes também apresentam alterações bioquímicas,
fazendo com que haja uma perda de elasticidade e compressibilidade da pele.
Assim sendo, a derme envelhecida se torna um tecido rígido, inelástico e irresponsível à tensão, com menor
capacidade de resposta a estresse ou trauma.

Com relação aos pêlos, de início ocorre a canície (pela perda de melanócitos no bulbo piloso) e
posteriormente a diminuição do número dos folículos pilosos, sendo os pêlos remanescentes menores no
diâmetro e mais lentos no crescimento. A calvície resultante é primariamente de caráter androgenético.

As glândulas sudoríparas écrinas diminuem em média 15% e o suor espontâneo, em resposta ao calor
seco, acaba por diminuir em média 70% no idoso, ocorrendo também uma discreta diminuição das
glândulas sudoríparas apócrinas.

As glândulas sebáceas apresentam uma diminuição na sua produção de secreção em até 60%, ao longo da
vida.

Há uma diminuição no número e no volume dos corpúsculos de Meissner e Pacini ao longo da vida, bem
como alterações estruturais histoquímicas; porém há pequenas alterações nos corpúsculos de Merkel e nas
terminações nervosas livres.

Há uma diminuição de percepção sensorial, porém o limiar de dor cutânea aumenta, segundo várias
pesquisas em 20%, com o avançar da idade.

QUADRO 1
Achados histológicos

Epiderme
· Achatamento da junção dermoepidérmica
· Espessura variável
· Células de tamanho e forma variáveis
· Atipia nuclear ocasional
· Melanócitos diminuídos
· Células de Langerhans diminuídas
Derme
· Atrofia com perda de volume
· Diminuição dos fibroblastos
· Diminuição dos mastócitos
· Diminuição dos vasos sangüíneos
· Alças capilares encurtadas
· Terminações nervosas anormais
Apêndices
· Cabelos despigmentados
· Perda de pêlos
· Conversão de pelos terminais em "vellus"
· Lâmina ungueal anormal
· Diminuição de glândulas
________________________________________________________________________________

QUADRO 2
Funções da pele que diminuem
com a idade

· Renovação celular
· Reposta a trauma
· Função barreira
· "Clearance" químico
· Percepção sensorial
· Proteção mecânica
· Responsividade imune
· Responsividade vascular
· Termorregulação
· Produção de suor
· Produção de sebo
· Produção de vitamina D
________________________________________________________________________________
As dermatoses mais comumente encontradas em pele envelhecida são:

Acrocordon
Trata-se de um papiloma fibroepitelial (envolve derme, queratinócitos e melanócitos) que não tem
significação clínica a não ser estética, ou quando sua localização o predispõe a traumas constantes.
Histopatologicamente se trata de um feixe fibroso vascular recoberto por uma epiderme normal.

Tratamento: exérese cirúrgica (vários métodos: shaving, eletrocirurgia com bisturi comum ou de alta
freqüência, bisturi de lâmina e sutura).

Figura 1 - Acrocordon.

Figura 2 - Acrocordon.

Figura 3 - Angioma rubi ou nevus rubi.


Figura 4 - Queratose seborréica.

Figura 5 - Dermatose papulosa nigra.

Figura 6 - Dermatose papulosa nigra.


Figura 7 - Melanose solar.

Angioma rubi
Também chamado de "nevus rubi". Pequenas pápulas esféricas de 1 a 5 mm de diâmetro de cor
vermelho-brilhante a escura (vinhosa), que se assemelham a pequenos rubis. É uma lesão composta
por capilares neoformados e dilatados, que tendem a aumentar em tamanho e em número com o
tempo. Não possui qualquer significação sistêmica, sendo o único fato desagradável o sangramento
acidental.

Tratamento: coagulação com bisturi elétrico, bisturi de alta freqüência, bisturi bipolar ou, mais
modernamente, com laser vascular (este último não deixa qualquer cicatriz).

Queratose seborréica

De etiologia desconhecida, são lesões verrugosas, de coloração variável, desde rósea até marrom-
escuro, que podem aparecer em qualquer parte do corpo, exceto nas mucosas. São lesões benignas e
não sofrem transformações, sendo a sua retirada de cunho totalmente estético.

Tratamento: curetagem, eletrocirurgia, nitrogênio líquido e, mais modernamente, vaporização com


laser de CO2 ou ablação com Coblationâ.

Dermatose papulosa nigra

É a forma clínica de queratose seborréica comum em negros. O tratamento é o mesmo.

Melanose solar
Também chamada impropriamente de "Lentigo Senil" ou "Mancha Senil", é causada pela ação de UV
em que ocorre um aumento do número e de atividade dos melanócitos, portanto, trata-se de uma
fotodermatose por irritação primária progressiva. Visualmente são manchas de cor castanho-clara a
escura e que surgem nas áreas do corpo expostas ao sol.

Tratamento: cremes com despigmentantes, nitrogênio líquido, ácidos, laser. O importante é frisar ao
paciente que qualquer que seja o tratamento este nunca terá resultado definitivo, pois outras lesões
surgirão com o passar do tempo.

Hiperplasia sebácea (senil)

Consiste em pápulas de 2 a 4 mm de tamanho, de cor amarelada, umbilicadas, aparecendo na face,


principalmente na fronte e região maxilar. Ocorre em adultos, a partir da terceira e quarta décadas,
origina-se da hiperplasia de glândulas sebáceas da face.

Tratamento: exérese cirúrgica, eletrocirurgia, laser, Coblationâ.

Rinofima

Consiste na hiperplasia de glândulas sebáceas do nariz, onde ocorre um intumescimento desfigurante


do mesmo. É comum a presença de telangiectasias e, ainda, a associação à blefarite e à conjuntivite,
que em casos mais sérios pode chegar a ceratite com ulcerações e irites.

Tratamento clínico: tetraciclina 500 mg 12/12 horas. Por no mínimo dois meses ou, ainda,
metronidazol (500 mg/dia) por 30 a 40 dias e programação de cirurgia pelos métodos disponíveis:
dermoabrasão, laser e Coblation®.

Figura 8 - Hiperplasia sebácea.

Figura 9 - Rinofima.
Figura 10 - Púrpura hipostática.

Figura 11 - Rosácea.

Rosácea
Trata-se de uma afecção crônica, acnéica de porção central da face, mais freqüente em mulheres,
ocorrendo após os 30 anos e de causa desconhecida, em que a excessiva labilidade vasomotora da
face pode ser o fator predisponente. De início, ocorrem surtos de eritema na porção média da face,
que se vão tornando mais freqüentes e persistentes e, com o passar do tempo, o eritema se estende
atingindo outras áreas, como a fronte e o mento ao mesmo tempo que surgem pápulas, pústulas e
telangiectasias. Comum estar associado à dermatite seborréica da face e couro cabeludo e, ainda,
hiperplasia progressiva das glândulas sebáceas do nariz.

Tratamento: somente clínico. Sistêmico: uso de tetraciclina por tempo indeterminado (mínimo de dois
meses) ou ainda metronidazol (30 a 40 dias) na fase mais aguda.

Local: loções com antibióticos (eritromicina ou clindamicina) e substâncias antiinflamatórias, como


alfa-bisabolol, ácido glicirrízico ou mesmo, se necessário, corticóides como a hidrocortisona ou
desonida. O uso do laser vascular diminui a telangilctasia e tem se mostrado benéfico, diminuindo os
surtos de eritema.

Pele seca (xerodermia) associada ao prurido asteatósico


Consiste no prurido ocasionado pela diminuição do manto lipídico cutâneo, podendo-se apresentar de
intensidade variável, continuamente ou por surtos. O paciente apresenta uma descamação e sequidão
difusa de pele, por vezes áreas eritematosas, preferencialmente as faces de extensão do corpo. Nas
formas crônicas observamos, ao exame clínico, marcas de escoriações, lesões liquenificadas,
linfadenopatia (mesmo na ausência de infecção) e melanodermia (escurecimento da área),
provavelmente pós-inflamatória. Quando ocorre no inverno, é chamado de prurido hiemal em
pacientes com xerodermia ou mesmo pele normal, mas que nessa época do ano fazem uso excessivo
de sabonetes e água quente, piorando o quadro de pele seca.

Tratamento: orientação para o banho: usar óleo em todo o corpo antes de expô-lo à água do chuveiro
ou banheira, água não muito quente; usar sabonetes hidratantes ou suaves somente nas regiões atrás
da orelha, nas axilas, no períneo e planta dos pés, e o uso de loções ou cremes hidratantes em todo o
corpo após o banho. Em muitos casos, no início do tratamento é necessário o uso de loções ou cremes
que contenham corticosteróides para alívio do prurido durante alguns dias.

Púrpura senil
Trata-se de um conjunto de petéquias e equimoses, ou mesmo hematomas, que ocorre principalmente
no dorso das mãos, punhos e antibraços, por diminuição do suporte conjuntivo pericapilar, decorrente
do envelhecimento da pele. Não há tratamento para tal, o que se faz é minimizar os sinais através do
uso de cremes à base de vitaminas K1 e K3 que reduzem mais rapidamente as manchas que, em geral,
incomodam estética e emocionalmente os pacientes.

Púrpura hipostática
Carateriza-se por petéquias e equimoses que surgem nas pernas e tornozelos, são confluentes,
deixando áreas de pigmentação acastanhada hemossiderótica, conhecida como dermatite ocre. É
observada em pacientes idosos que permanecem de pé por muito tempo ou, ainda, nas condições que
causam estase: varizes, obesidade, atrofias musculares, artrites etc. O quadro é devido ao aumento de
pressão hidrostática intracapilar e fraqueza do suporte conjuntivo pericapilar.

Tratamento: deve-se corrigir a causa, quando possível, impedindo, desta forma, sua progressão. São
úteis elevação dos membros inferiores, uso de meias elásticas e repouso. A pele pode ser tratada com
cremes à base de alfa-hidroxiácidos (que vão diminuir a camada córnea e a adesividade entre as
células, permitindo a penetração de outras substâncias), despigmentantes (hidroquinona, ácido kójico
etc.), venotrópicos (benzopirona etc.), quelantes de ferro (desferroxamina), vitamina K1 e K3 e
hidratantes, associados a antiinflamatórios tópicos.

Devemos estar atentos para as lesões relacionadas também ao fotoenvelhecimento.


Figura 12 - Elastose solar.

Figura 13 - Leucodermia punctata.


Figuras 14 e 15 - Poiquilodermia solar.

Figura 16 - Carcinoma basocelular.

Figura 17 - Carcinoma basocelular.

Elastose solar

Trata-se de um espessamento de consistência coriácea e superfície sulcada como casca de laranja,


sendo causada pela degeneração de fibras elásticas e colágenas da pele pela ação da radiação
ultravioleta.

Queratose actínica ou solar

É uma lesão extremamente freqüente que ocorre em áreas expostas à luz, caracterizada por ser
maculopapulosa recoberta por escamas secas, duras, de superfície áspera de cor amarela a castanho-
escura, de tamanho variável, podendo confluir formando placas. As escamas são aderentes e, quando
destacadas, podem ocorrer pequenos sangramentos. Quando há uma produção exagerada de camada
córnea, é chamado de corno cutâneo.

Tratamento: remoção seja com aplicação de nitrogênio líquido, ou neve carbônica ou eletrocirurgia ou
laser ou Coblationâ e, ainda, recentemente, o uso de imunomodulador tópico, em creme (imiquimod a
5% - Aldara®), na posologia de três vezes/semana até o total desaparecimento da lesão. O uso de 5-
fluorouracil a 2% ou 5% em creme (Efurixâ) também é bastante eficiente em alguns casos, porém
causa erosão do local.

Leucodermia solar ou leucodermia punctata

Trata-se de lesão hipocrômica, em geral circular, que ocorre de forma múltipla nas áreas expostas à
luz solar. É causada pela destruição do melanócito naquela região pela radiação UV.

Tratamento: em geral responde bem ao uso de nitrogênio líquido local, ponto a ponto.

Poiquilodermia solar
Caracteriza-se pelo aumento de telangiectasias de forma retienlada nas faces laterais do pescoço e
região infra-hióidea, poupando a região triangular supra-hióidea, por ação da radiação UV.

Tratamento: utilização de laser vascular para coagulação de toda telangiectasia.

Carcinoma basocelular

Também chamado de epitelioma basocelular, é o mais benigno dos tumores malignos, sendo
constituído por células que se assemelham às células basais da epiderme. Pode ser considerado como
incapaz de originar metástases, entretanto possui malignidade local, invadindo e destruindo tecidos
adjacentes, inclusive o osso. É a neoplasia epitelial mais freqüente, 65% do total, sendo fatores
predisponentes a exposição à luz solar e pele clara, tendo como outras causas desencadeantes a
radioterapia e absorção de compostos de arsênico. Tem como localização preferencial os dois terços
superiores da face (acima de uma linha imaginária que passe pelo lobo das orelhas e comissuras
labiais), menos comum em outras áreas, não ocorrendo nem em mucosas, tampouco palma das mãos
ou planta dos pés.

Clinicamente se caracteriza por uma pápula rósea, de borda perlácea, brilhante, podendo, na maioria
das vezes, apresentar finas telangilctasias confluentes para o centro e, em alguns casos, o centro
elevado ou ulcerado. Cresce progressivamente, podendo haver extensão em superfície ou mesmo em
profundidade ou, ainda, vegetante. Pode ainda apresentar uma variante clínica escleratrófica,
caracterizada por uma placa branco-amarelada, dura, lisa, translúcida, com algumas telangiectasias,
lembrando esclerodermia; porém a grande maioria apresenta bordas lisas e perláceas.

Tratamento: a opção da grande maioria é a exérese cirúrgica da lesão com averiguação de margens
através de exame anatomopatológico, embora trabalhos recentes multicêntricos (EUA, Canadá,
Alemanha) mostrem excelentes resultados com o uso tópico de Aldaraâ, um imunomodulador em
creme (imiquimod a 5%). Alguns dermatologistas preferem a cirurgia pelo método de Mohs (método
pelo qual vai fatiando-se o tumor pouco a pouco e simultaneamente, fazendo-se a avaliação
microscópica, até que se atinja tecido são) e outros, simplesmente a curetagem cirúrgica seguida de
eletrocoagulação ou crioterapia.

Carcinoma espinocelular

Ainda chamado de carcinoma epidermóide ou epitelioma espinocelular, é um tumor maligno,


constituído por proliferação atópica de células da camada espinhosa, de caráter extremamente
invasivo, podendo causar metástase. Ocupa cerca de 15% dos tumores epiteliais malignos, tendo
origem freqüentemente na queratose solar ou actínica, leucoplasia, radiodermite crônica, queratose
arsenical, queratose actínica, xeroderma pigmentoso, úlceras crônicas e cicatrizes decorrentes de
queimaduras ou de cicatrização por segunda intenção. Localizações mais comuns são um terço
inferior da face, orelhas, lábio inferior, dorso das mãos, mucosa bucal e genitália externa, podendo, no
entanto, ocorrer em qualquer outro lugar do corpo. As metástases podem ocorrer após meses ou anos,
sendo mais freqüentes e precoces nos carcinomas das mucosas, dorso das mãos e cicatrizes de
queimaduras.

Tratamento: a exérese cirúrgica e avaliação anatomopatológica de margens faz-se mister para se obter
grau de profundidade e de invasão. A ressecção deve ser feita com o intuito de se obter margens livres
em toda direção, pois, desta forma, a prognose é boa, principalmente para os casos recentes e
adequadamente tratados.

Queilite actínica

Ocorre principalmente no lábio inferior e é caracterizada por descamação epidérmica e fissuração,


resultante da luz solar (radiação UV). Em sua evolução acaba em uma leucoplasia e, por fim, num
carcinoma epidermóide.

Tratamento: é sempre exérese cirúrgica da área afetada com atuação para as margens visualizadas
através do exame anatomopatológico e o uso de bloqueadores solares labiais no pós-operatório.

Alterações das unhas

Há uma diminuição na taxa de crescimento de unha que chega a ser de 0,5% por ano de idade, de 15 a
90 anos. Nos indivíduos de meia-idade começam a surgir sulcos longitudinais, distrofia lamelar, que
são traduzidos por unhas fracas e quebradiças e com a borda final dividida em camadas, queixa muito
freqüente entre as mulheres, embora tenha a mesma prevalência em ambos os sexos a partir dos 60
anos de idade. Surgem também mudanças na pigmentação, com a idade, que podem ser confundidas
com sinais secundários de outras doenças sistêmicas. Há uma grande incidência de unhas
esbranquiçadas e opacas (unhas de Terry). Nos indivíduos de raça negra ocorre pigmentação
longitudinal nas unhas em cerca de 96% das pessoas acima de 50 anos. A onicodistrofia é freqüente
(mais nos dedos dos pés), podendo ser confundida com onicomicose. Em geral as unhas das pessoas
mais idosas são mais convexas e com a lâmina ungueal mais espessa, podendo haver uma
hiperqueratose subungueal. Nos dedos dos pés encontramos com bastante freqüência a exostose
subungueal, geralmente após um trauma, a onicocriptose (popularmente conhecida como "unha
encravada") ou, ainda, uma unha hipertrofiada secundariamente a um trauma ou pressão crônica,
podendo a mesma estar grossa, opaca e com alterações de coloração. É comum encontrarmos
onicólise, que é a separação de lâmina ungueal do leito na metade distal, podendo refletir uma
circulação periférica prejudicada; ainda a onicogrifose, onde a lâmina ungueal está espessada,
alongada e encurvada, recebendo a denominação de unha em garra e por fim a onicofose ou
hiperqueratose subungueal que pode ser focal ou difusa e, geralmente, resultante de trauma local.

É interessante salientarmos a freqüência do aparecimento de dermatites eczematosas, principalmente


em pacientes acima de 70 anos, bem como uma exagerada sensibilidade dos raios UV e algumas
vezes à luz visível, apresentando então estes pacientes, placas eritematosas por vezes liquenificadas, e
que ocorrem principalmente na fronte e região posterior do pescoço. Com o tempo essa erupção se
torna mais profunda e intensamente vermelha, podendo surgir áreas irregulares de hiperpigmentação.
Pode haver progressão gradual a eritrodermia e o desenvolvimento de uma "fácies leonina", associado
a um prurido intenso e linfadenopatia.
Sinais cutâneos de reações adversas a drogas nos idosos podem estar exacerbados, embora sejam
reversíveis quando da descontinuação do uso de medicação. Muitos podem causar fotossensibilidade.

Com relação às membranas mucosas, é comum a inflamação e fissura dos cantos de boca, devido ao
somatório dos fatores: aumento de salivação, muitas vezes falta de dentes com reabsorção óssea e
aumento de flacidez facial, queda da bochecha por atrofia das bolas de Bichat e por perda de
elasticidade da pele, criando-se então uma dobra que origina uma zona intertriginosa, o que predispõe
à retenção de saliva e maceração dos cantos da boca. É comum a superposição de uma candidíase, que
responde prontamente ao tratamento antifúngico.

Figura 18 - Reação alérgica a hipoglicemiante oral.

Figura 19 - Celulite - causa desconhecida provável arranhadura ou coçadura.

Infecções mais comuns

1. Por dermatófitos

1a. Bicho geográfico - geralmente nos pés, freqüentemente acompanhado por onicomicose. Em geral
não surge em indivíduos de idade muito avançada. Quando surge no pé, persiste por muito tempo,
especialmente em homens, freqüentemente é confundido com pele seca.

1b. Tinea pedis - chega a atingir cerca de 80% dos homens acima de 64 anos. Maceração e
hiperqueratose branca surgem de coabitação do dermatófito e bactéria, freqüentemente envolvendo
organismos gram-negativos.

1c. Tinea incógnito - é o dermatófito que surge causando infecção em locais de uso de corticóide
tópico persistente de maneira inapropriada pelos pacientes em áreas de inflamação crônica. O
diagnóstico geralmente é tardio.

1d. Tinea cruris - pode ser diagnosticada erroneamente em homens idosos em que o quadro é de
dermatite seborréica.

1e. Tinea capitis - é muito comum no idoso, assim como a dermatite seborréica, sendo o diagnóstico
diferencial fundamental, exigindo uma terapia tópica rigorosa.

2. Candidíase

Candida albicans pode aparecer nos locais de dobras de pele redundantes ou zonas intertriginosas. Em
áreas como o períneo, que podem ainda ficar úmidas com a urina, podem surgir pústulas ocorrendo
uma infecção bacteriana associada. Fatores predisponentes ou exacerbantes incluem: diabetes
mellitus, medicações sistêmicas, fatores nutricionais e função salivar diminuída.

3. Celulite

A celulite no idoso pode não ter alguns de seus sinais clássicos e freqüentemente ficar sem
diagnóstico. Às vezes o edema é o único sinal, ao invés de toda a manifestação clínica esperada como
calor local, vermelhidão, febre, associado à leucocitose em um leucograma. Como fatores
predisponentes estão o edema crônico, circulação arterial e venosa deficiente, diabetes mellitus,
traumas não percebidos (picadura de inseto, pancada local) ou, ainda, infecções que tiveram como
porta de entrada uma tinea pedis ou mesmo xerose com eritema craquelato.

A celulite pode ainda estar relacionada a outra infecção sistêmica decorrente de, por exemplo,
colecistite, abscesso do músculo psoas, hérnias encarceradas etc.

As celulites que têm como porta de entrada tinea pedis, geralmente, apresentam como agente
infectante um estreptococo do grupo A.

A erisipela, variante especial de celulite, é geralmente caudada por um estreptococo beta-hemolítico e


deve ser encarada como uma emergência, pois, se não tratada, pode evoluir para uma septicemia e
morte. As lesões surgem em qualquer lugar, podendo ser sua porta de entrada uma pequena
arranhadura, picadura de inseto, úlcera de estase, pequena fissura etc.; se recorrências aparecerem,
faz-se-á necessário o uso de antibiótico profilático. São comuns as seqüelas quando a infecção se dá
na face como edema persistente de região maxilar ou periorbitária ou, ainda, que pode ocasionar
macroqueilia.

4. Pioderma

A piodermite nessa idade pode ser sutil e disfarçada, havendo discreta vermelhidão, certo
amolecimento da pele do local do toque, calor local sem resposta de febre, mesmo em infecções
severas como nos carbrínculos. O furúnculo pode simular um abscesso frio. A falta de sinais clínicos
iniciais evidentes de infecção levam a um retardo no diagnóstico e conseqüente tratamento.
5. Herpes Zoster

A ocorrência de herpes Zoster no idoso é freqüente, com quadro mais florido e mais sério,
principalmente por causa da nevralgia pós-herpética que tem alta incidência e é severa nestes casos,
sendo o risco de 20% em pacientes acima dos 60 anos de idade. Estudos recentes mostraram que
pacientes acima de 60 anos podem chegar a uma incidência de 50% de nevralgia pós-herpética, sendo
60% com duração de um mês após a manifestação do rash cutâneo, 24% com duração de três meses
de dor e 13% com dor durante seis meses. A prevalência é maior quando o nervo atingido é o ramo
oftálmico. Estudos recentes revelaram diminuição da dor com o emprego de aciclovir 10 mg/kg, EV,
a cada oito horas durante cinco dias, ministrados dentro dos quatro dias do início da dor ou, ainda,
dentro de 48 horas do início do rash cutâneo. Para tal tratamento se faz necessário avaliação da função
renal do paciente. Em alguns casos se associa corticosteróide com o início da erupção, numa tentativa
de também evitar-se a dor. Sugere-se a dosagem de 60 mg de prednisona por dia, reduzindo-se até a
retirada, porém mantendo-se a terapia por um período de quatro semanas, o que parece ter evitado a
nevralgia pós-herpética na maioria dos pacientes submetidos ao tratamento. A causa da maior
incidência da infecção herpética e nevralgia continua ainda desconhecida.

Infestações

A mais comum é a escabiose que, embora de fácil tratamento, pode ter seu diagnóstico retardado
devido ao xeroderma e prurido asteatótico do idoso. Casos obscuros podem apresentar prurido com
lesões mínimas; ainda casos que são mascarados pelo uso de corticóides tópicos, levando a um
diagnóstico tardio, mascarando sinais e sintomas e que podem ser dramaticamente alterados em sua
extensão e distribuição. Subseqüente superinfestação pode confundir sua apresentação, assim nódulos
contendo os ácaros podem persistir após o tratamento com medicamentos antiescabiose. A aparência
histológica pode assemelhar-se a neoplasmas linfóides. Pode ocorrer grande infestação em pacientes
imunodeprimidos que têm sensação cutânea diminuída, podendo haver associações de linfadenopatia
e eosinofilia. Situações epidêmicas são comuns em casos de repouso.

Tratamento: benzoato de benzila a 25%.

Desta forma, observamos que na chamada terceira idade os comemorativos que ocorrem na pele
formam um compêndio dermatológico que deve ser de conhecimento de todo médico clínico.

Dermoabrasão
É a remoção mecânica de camadas da epiderme e derme, com o objetivo de melhorar
cicatrizes, rugas e imperfeições da pele.
Também atua, preventivamente, em algumas formas de pré-câncer de pele.

Intradermoterapia
É uma técnica de aplicação de medicamentos em que se utiliza a medicação em pequenas
concentrações, apenas no local em que queremos que ela atue, evitando efeitos colaterais.
Indicado para o tratamento de gordura localizada, celulite, flacidez, queda de cabelos e de
queloides. O que muda em cada uma das indicações são os remédios que serão utilizados.

Laser
é uma área da dermatologia voltada para o uso de tecnologia relacionada ao uso da luz.
Hoje, são diversos tratamentos realizados por inúmeros aparelhos. Os alvos do
tratamento podem ser os pelos (depilação), as manchas (como as melanoses solares), o
fotoenvelhecimento, as rugas, as acnes, os vasos da pele, ou ainda, as micose nas unhas.

Microagulhamento
É uma técnica com o uso de um aparelho que contém múltiplas mini agulhas, simétricas e
alinhadas entre si, fixadas num rolo giratório, cuja principal finalidade é estimular o
colágeno, a elastina e a microcirculação. Também pode ser utilizado como "drug delivery",
ou seja, um carreador de alguma medicação para o interior do tecido a ser tratado.
Apresenta excelentes resultados em cicatrizes de acne, queimaduras, estrias, flacidez,
fotoenvelhecimento, queda de cabelos e celulite. Tem como uma de suas principais
vantagens a rápida recuperação após o procedimento.
Deve ser realizada apenas por médicos, para garantir as condições de biossegurança.
Desse modo, são evitadas infecções, cicatrizes e manchas.

Peelings
químicos consistem na aplicação de ácidos nas áreas a serem tratadas.
Podem ser superficiais, médios ou profundos, dependendo da profundidade da pele a ser
atingida pela medicação.
Bons resultados podem ser alcançados compeelings superficiais e seriados. Estes provocam
descamação leve e por pouco tempo.
Peelings médios promovem crostas finas.
Já os peelings profundos deixam crostas mais aderidas, que podem demandar curativos.
Os peelings apresentam diversas indicações para manchas, como por exemplo do melasma,
pós queimaduras, ou feridas, para as manchas de sol, as melanoses solares, também
chamadas de manchas senis.
Outra excelente indicação é no rejuvenescimento e cicatrizes. Pode ser usado nas estrias
recentes.

Preenchimento
Nesta técnica são utilizadas substâncias que repõem o volume perdido numa determinada
área.
Podem ser utilizados no conhecido “bigode chinês” (sulco nasogeniano), nas rugas ao redor
dos lábios, nas olheiras e na reposiçao de volume facial.
As medicações mais utilizadas são à base de ácido hialurônico, substância biocompatível e
biodegradável, cujo resultado dura em torno de 1 ano. Apresenta excelente perfil de
segurança. Seu resultado é visto logo após sua aplicação.
Também se utiliza a hidroxiapatita de cálcio que além de preencher tem o importante papel
de estimular a produção do colágeno e da elastina. O que, em médio prazo, melhora a
textura da pele. Outra opção terapêutica é o uso do acido polilático que melhora o contorno
facial e a flacidez.

Radiofrequência
São emissões eletromagnéticas, de alta frequência, que geram calor. Desta maneira,
estimulam a produção de colágeno e aumentam a tensão das fibras elásticas, promovendo
firmeza e o efeito tightening.
A radiofrequência também pode promover a diminuição do volume das células de gordura,
consequentemente, diminuindo a gordura localizada e dando firmeza à pele.
Podendo ser usada em flacidez facial, corporal, celulite, fibrose e bolsas de gordura abaixo
dos olhos.

Toxina botulínica
A aplicaçao de toxina botulinica, é utilizada para diminuir as linhas de expressão
decorrentes da movimentaçao muscular excessiva. Ela causa o relaxamento muscular, na
área em que é aplicada; as principais indicações são para as linhas ao redor dos olhos,
conhecidas como pés de galinha, para as rugas entre as sobrancelhas, as “linhas da
braveza”, para as linhas horizontais no meio da testa, ou rugas do espanto. É indicada
também para o tratamento da hiperhidrose, ou excesso de sudorese, muito frequente na
regiao axilar, maos e pés. Após sua aplicação, observamos resultados a partir de 5 dias e seu
efeito dura em torno de 4 a 6 meses. A aplicação não é realizada durante a gravidez.

Tratamento capilar
Inicia com o diagnóstico do tipo de queda, ja que existem inúmeras doenças que culminam
na perda de fios até chegar à calvicie.Entre as opções terapeuticas destaca-se a
intradermoterapia, através dessa tecnica podemos injetar medicações capazes de estimular o
foliculo piloso.

Tratamento corporal
Hoje contamos com muitas técnicas para atenuar os problemas mais frequentes.
Microagulhamento pode ser utilizado para o tratamento da celulite, da flacidez e de estrias
corporais, dependendo da medicação utilizada como drug-delivery. O ácido poli-latico, há
muito utilizado como auxiliar na formação de colágeno e elastina e nos tratamentos faciais
para a flacidez, vem apresentando resultados interessantes para o tratamento de áreas de
difícil tratamento como interno de braços, coxas e glúteo. Leucodermia solar, aquelas
manchas brancas, semelhantes a confetes, são decorrentes da exposição excessiva ao sol, ao
longo da vida. Hoje pode ser tratada com a criocirurgia e com uso de ácidos.

Tratamentos que ajudam a


“rejuvenescer” a pele
Retração da pele do rosto e preenchimento das mãos são os tratamentos mais buscados
Envelhecer, bem ou mal, traz consigo várias mudanças na pele. A gordura do rosto
cai, aumentando a bochecha, enquanto a pele fica mais seca e áspera, o número
de rugasaumenta, bem como a flacidez, e surgem as lesões benignas em forma
de manchas. Para tudo, porém, há um tratamento e novidades voltadas à terceira
idade têm crescido no mercado.
ASSINE A GAZETA DO POVO E TENHA ACESSO ILIMITADO AOS NOSSOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS VIVER BEM.
Embora a maior procura seja por procedimentos não invasivos, algumas técnicas mais
agressivas são bem aceitas, de acordo com Mariana Gradowski, médica especialista
em medicina estética, como a de fios de sustentação absorvíveis.
A técnica reposiciona os tecidos da face através de um fio absorvível, que também
estimula o colágeno e a fixação da pele. A princípio, o procedimento pode ser
indicado para pessoas de 45 e 50 anos, quando começa a queda dos tecidos da
face. “Porém, a técnica pode ser feita em mulheres mais velhas, principalmente
quando chegam com a pele mais bem cuidada, e traz bons resultados”, diz ela.
O laser de CO2 fracionado e a radiofrequência são também muito buscados, segundo
Silvia Schmidt, dermatologista e diretora da Sociedade Brasileira de Cirurgia
Dermatológica (SBCD). “São procedimentos com ótimas respostas para a terceira
idade, que visam a retração da pele, e levam uma semana para se recuperar. Os
resultados precisam ser acompanhados e aparecem em seis meses, em média”,
explica a dermatologista.
Para ajudar a retrair as peles também pode ser usado o ultrassom microfocado, que
auxilia na estimulação do colágeno da pele. “Mesmo uma mulher acima dos 70 e 80
anos pode fazer”, diz Mariana.
Mãos com volume
O ácido polilático e o hialurônico são duas as opções de preenchimento das mãos,
que perdem tecido, ficam com aspecto “murchado” e envelhecido. De acordo com o
Alex Buziquia, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da Clínica
Vitaclin, o preenchimento pode ser feito também com gordura ou hidroxiapatita de
cálcio. “Os tratamentos podem ser associados para amenizar as discromias que
também surgem e causam o aspecto de envelhecido nas mãos”, explica.
Preenchedores permanentes devem ser evitados, segundo a dermatologista Silvia
Schmidt, pois podem causar granulomas na pele e outras reações dermatológicas. Os
temporários duram de um a dois anos.
Protetor sob medida
Quem passou dos 60 anos pode encontrar protetores específicos no mercado, com
ativos que hidratam e reduzem o aspecto envelhecido: na menopausa, a mulher que
tem a pele mais seca deve evitar protetores antioleosidade, que ressecam e
envelhecem. Para proteger e hidratar, busque produtos com ácido hialurônico.
Idade máxima?
Com indicação e liberação médica, os procedimentos estéticos podem ser feitos
em qualquer idade, de acordo com a dermatologista Silvia Schmidt. “Não existe limite
de idade, podem ser feitos em pacientes de 70, 80 anos, mas existe um limite de
clínica. É preciso avaliar se a pessoa precisa mesmo e se tem a indicação. Se ela tem
excesso de pele, não adianta usar a toxina botulínica, que o resultado não fará muita
diferença”, diz a médica, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.
Todos os pacientes devem passar por uma avaliação médica antes dos procedimentos
estéticos, mesmo os não tão invasivos. “Precisamos ver se a paciente tem alguma
doença pré-existente, se há alguma limitação, como diabete e pressão alta, que não
limitam para todos os procedimentos, apenas alguns e se estiverem
descompensadas”, diz a especialista em estética, Mariana Gradowski.
Protocolo para Envelhecimento
Cutâneo
Sem descrição

Transcrição de Protocolo para Envelhecimento Cutâneo


Manchas pigmentares relacionadas a melanina: Efélides
Hidratação: Pele seca
Oleosidade: Alípidica
Espessura: Fina
Rugas dinâmicas e estáticas moderadas
Dados Pessoais
Conheça 9 tratamentos que atuam contra o
envelhecimento da pele
postado em 29 01/2013 às 10h00 por Redação |
Comente!

Partilhar2

A força do tempo aliada a hábitos inadequados são os grandes


responsáveis pelo envelhecimento da cútis. Pensando nisso, conheça
alguns tratamentos que podem ajudar a minimizar os sinais da idade

Reportagem: Monique Zagari Garcia

Atenção: o uso excessivo de maquiagem, assim como dormir sem removê-la, são hábitos
que podem colaborar para o envelhecimento precoce da pele
Foto: Shutterstock
Poros dilatados, manchas, rugas e linhas de expressão, olheiras, pele seca e fina, alterações de
pigmentação e perda de elasticidade são alguns dos sinais que denunciam o envelhecimento
cutâneo. “A perda de colágeno é um dos principais fatores que contribuem para isso. Ele é o
responsável pela sustentação da pele e principal elemento proteico das células de órgãos
como cartilagens, ossos e a própria tez. Fatores externos como a exposição solar, mudanças de
temperatura, alimentação inadequada, poluição e umidade do artambém contribuem para
o envelhecimento da cútis”, explica Julio Cesar Nogueira, dermatologista do W Spa (RJ). Além de
manter bons hábitos como a prática de exercícios físicos, limpeza diária da pele, alimentação
saudável, uso do filtro solar e passar longe do estresse, alguns tratamentos podem dar aquela
ajudinha para minimizar os sinais do tempo que tanto nos incomodam. Conheça-os:
Carboxiterapia facial
A carboxiterapia consiste na aplicação de um gás atóxico na pele, que é injetado no tecido
subcutâneo com o auxílio de uma agulha bem fina. É capaz de atenuar o aspecto de olheiras, bolsas,
flacidez do pescoço e promover o rejuvenescimento facial. “O tratamento melhora a circulação,
promovendo a nutrição e a oxigenação do tecido, o que estimula a formação de colágeno e fibras
elásticas”, afirma Barbara Teixeira, fisioterapeuta dermato-funcional do Zahra Spa & Estética (SP).
+ CUIDADOS COM A PELE

o Observar a pele pode ajudar a identificar doenças


o Qual é a idade certa para começar a usar cremes antirrugas?
o Conheça os malefícios de dormir maquiada

Preenchimento facial
Visa restaurar o contorno e o volume de regiões específicas do rosto, tornando a pele mais jovial
e saudável. Nesse tratamento, é feita a aplicação do ácido hialurônico na camada dérmica. “Essa
substância está presente na pele de qualquer pessoa, e com o envelhecimento, diminui junto com
as fibras de colágeno, causando a formação de rugas, sulcos e depressão da pele ”, explica Bárbara.
Vale lembrar que o procedimento deve ser feito por médico mediante avaliação prévia.
Hidratação facial profunda
É indicada para peles desidratadas, desvitalizadas, opacas, desnutridas ou envelhecidas por fatores
biológicos e cronológicos. “Inicia-se o tratamento com uma higienização do rosto e
esfoliação da pele. Depois é utilizada a técnica da drenagem facial com pedras frias para facilitar
a permeabilidade do produto pelas células. Em seguida, é feita a aplicação da máscara hidratante
nutritiva com filtro solar”, explica Bárbara.
Laser CO² fracionado
É emitido um feixe de luz com alta energia em pulsos sequenciais, o que provoca a evaporação de
camada por camada da epiderme e da derme superficial até chegar à derme média, contraindo as fibras
elásticas e estimulando a formação de colágeno novo. “O tratamento melhora o tônus cutâneo,
dando mais firmeza à pele e ainda reduz rugas superficiais e profundas, manchas e cicatrizes”, diz
o dermatologista Julio Cesar. O procedimento deve ser feito por um médico mediante avaliação
prévia.

Conheça 9 tratamentos que atuam contra o


envelhecimento da pele
postado em 29 01/2013 às 10h00 por Redação |
Comente!

Partilhar2
A força do tempo aliada a hábitos inadequados são os grandes
responsáveis pelo envelhecimento da cútis. Pensando nisso, conheça
alguns tratamentos que podem ajudar a minimizar os sinais da idade
Peeling de cristal
É feita uma esfoliação na pele com microcristais, removendo as células mortas, estimulando
a produção de colágeno e elastina, deixando a pele macia e fina, além de melhorar a oleosidade,
manchas superficiais e até suavizar sinais de expressão. “Uma de suas vantagens é que pode ser
feito em todos os tipos de pele”, comenta Bárbara.
Peeling de platina
Utilizam-se componentes nanoencapsulados que atuam a favor do rejuvenescimento cutâneo e
uniformizações de colorações, atenuando manchas e pequenas lesões cicatriciais. “O procedimento
promove uma leve descamação da pele, ao mesmo tempo em que a platina age diretamente
na estimulação do colágeno e da elastina para reconstituí-la. O processo é conjugado à aplicação
de peptídeos, substâncias regeneradoras que são naturalmente direcionadas para os pontos críticos
da face”, esclarece o dermatologista Fernando Passos de Freitas (SP). Segundo o especialista, as
sessões são indicadas a partir dos 25 anos de idade.
Vacina anti-idade
Outra indicação para retardar os sinais do tempo é o VC System, também conhecido como vacina
antiage (anti-idade, em português). Michele explica que a aplicação da injeção no local desejado
aumenta o potencial da pele de se reestruturar, estimulando o rejuvenescimento natural.
Hertix facial
O tratamento é feito com um gerador de radiofrequência, que provoca calor nos tecidos dérmicos.
O aparelho aumenta a temperatura do tecido, que desencadeia uma sequência de reações, incluindo
o aumento da circulação e o estímulo à formação de novo colágeno. “É recomendado para reduzir
rugas, melhorar a aparência da pele e diminuir a flacidez tissular”, destaca Bárbara.
Endermolift
“O aparelho francês age de forma mecânica na pele, com a finalidade de aumentar a firmeza e
elasticidade da pele, tonificar o contorno facial e dos olhos, preencher e nivelar as rugas e marcas
de expressão, iluminar a restituir a textura e brilho da pele e remodelar as zonas de
sobrecarga (queixo duplo, bochecha) e redesenhar os contornos para um rosto harmonioso”, diz
Bárbara.
Tratamento e as causas envelhecimento da pele

O envelhecimento da pele

Ao longo dos anos, a pele, assim como todos os demais órgãos do corpo, sofre alterações e
envelhece. Tais alterações levam à perda de elasticidade e luminosidade, surgem rugas e
flacidez. Mas não é só o envelhecimento cronológico que faz com que a aparencia da pele
mude ao longo dos anos. Fatores externos como o estresse, o fumo e, principalmente, a
radiação solar, influenciam e aceleram o envelhecimento da pele, fazendo com que o aspecto
da pele seja alterado mais cedo, com o surgimento de manchas, casquinhas, asperezas, rugas e
outros sinais do envelhecimento precoce.

O que acontece dentro da pele;


Na epiderme começa a haver uma diminuição de suas camadas. O número de células que se
descamam da pele começa a diminuir em função da alteração da renovação celular. Há uma
diminuição da produção hormonal e a pele começa a apresentar ressecamento.
A derme começa apresentar uma diminuição da quantidade e da qualidade do gel coloidal,
perdendo sua capacidade de reter a água e de manter o equillbrio na produção das fibras de
colágeno e elastina, que sustentam a pele.

Com isso, a manutenção da firmeza e da elasticidade da pele fica fragilizada. Os vasos


sanguíneos vão perdendo a capacidade de eliminar as toxinas do organismo e também de
nutrir e oxigenar as células da epiderme. Assim, sendo, a renovação celular fica prejudicada.
Além de tudo isso, a comunicação entre todas as células que é essencial para seu bom
funcionamento, fica deficiente e fragilizada, desequilibrando uma série de processos naturais,
dentre eles os já mencionados.

Envelhecer faz parte da nossa história, mas cuidados básicos podem suavizar seus efeitos.
Assim, rugas e cabelos brancos podem ser adiados com uma vida saudável, boa alimentação,
bastante água, prática de exercícios físicos e proteção do sol.
A pele envelhecida se caracteriza por ser fina, sem elasticidade, apresentar rugas finas e
aprofundamento das linhas de expressão. O envelhecimento pode se dar também pelas
características genéticas que herdamos.

Fatores relacionados ao envelhecimento da pele :

Radiação solar;

A radiação solar atua na pele causando desde queimaduras até foto envelhecimento e
aparecimento do câncer de pele. Várias alterações de pigmentação da pele são provocadas
pela exposição solar, como as manchas, pintas e sardas. A pele foto envelhecida é mais
espessa, por vezes amarelada, áspera e manchada. Pessoas com pele envelhecida pelo sol têm
maior probabilidade de desenvolver câncer e lesões pré-cancerosas.

Cigarro;

Pessoas fumantes possuem marcas acentuadas de envelhecimento na pele. O calor da chama


e o contato da fumaça com a pele provocam o envelhecimento e a perda de elasticidade
cutânea. Além disso, o fumo reduz o fluxo sangüíneo da pele, dificultando a oxigenação dos
tecidos. A redução deste fluxo contribui para o envelhecimento precoce da pele e para a
formação de rugas. Rugas acentuadas ao redor da boca são muito comuns em fumantes.

Álcool;
O consumo de álcool influi no metabolismo. Altera a produção de enzimas e estimula a
formação de radicais livres, que causam o envelhecimento. A exceção à regra é o vinho tinto,
consumido moderadamente, que contém flavonóides, que têm ação antioxidante.

Movimentos musculares;

O movimento repetitivo e contínuo de alguns músculos da face aprofunda as rugas, causando


as chamadas marcas de expressão, como as rugas ao redor dos olhos. Já a atividade muscular é
importante para o organismo como um todo, tornando a pessoa mais disposta, melhorando
seu físico e também a sua saúde.

Radicais livres;

São uns dos maiores causadores do envelhecimento cutâneo. Os radicais livres se formam
dentro das células pela exposição aos raios ultravioleta, pela poluição, estresse, fumo, etc.
Acredita-se que os radicais livres provocam a degradação do colágeno (substância que dá
sustentação à pele) e a acumulação de elastina, que é uma característica da pele
fotoenvelhecida.

Bronzeamento Artificial;

A Sociedade Brasileira de Dermatologia condena formalmente o bronzeamento artificial que


pode causar o envelhecimento precoce da pele (rugas e manchas) e formação de câncer de
pele.
Envelhecimento e Alimentação

Uma dieta não balanceada contribui para o envelhecimento da pele. Assim como a ingestão de
líquidos é importante para a saúde geral e também para a hidratação do organismo, a dieta é
importante para manter a pele saudável. Existem elementos que são essenciais e devem ser
ingeridos para repor perdas ou para suprir necessidades, quando o organismo não produz a
quantidade diária suficiente. São eles: água em abundância, vegetais, frutas, peixe, carnes
magras, etc. Enfim, toda a gama de alimentos que contenham as vitaminas, proteínas e fibras
necessárias ao organismo e que ajudem a prevenir os radicais livres, que aceleram o processo
do envelhecimento.

O envelhecimento natural;

Ao longo da vida, a pele passa por diferentes fases. É nela que ficam mais evidentes os efeitos
A partir dos 12 anos,começam a ocorrer alterações hormonais e, consequentemente, pode
surgir o acne.

A partir dos 20 anos começam a aparecer os primeiros sinais do tempo. Surgem marcas muito
finas, principalmente ao redor dos olhos e da boca. Nessa faixa etária, é comum a ocorrência
de peles com graus de oleosidade e acne. Nesta fase os tratamentos priorizam a prevenção
contra o envelhecimento.

A partir dos 30 anos,os sinais iniciais do envelhecimento começam a ser notados. Começam
surgir as primeiras rugas. As fibras de e elastina começam a sofrer alterações na produção e
regulação, com efeitos prejudiciais em sua qualidade e quantidade. Em razão dessas
alterações, começa o processo diminuição da densidade cutânea, com a perda de firmeza e
elasticidade, afetando contorno do rosto. A renovação celular e a hidratação natural da pele
começam a diminuir. Nesta faixa etária deve-se tratar a pele para estimular suas funções,
prevenindo ou diminuindo os efeitos que se acentuarão com o passar do tempo.

A partir dos 45 anos ,os sinais do tempo já são bem visíveis, com linhas de expressão e rugas
acentuadas. A alteração na produção das fibras de colágeno e elastina aumenta e as fibras
desorganizam-se. A renovação celular torna-se irregular a pele vai perdendo cada vez mais sua
hidratação natural. A queda natural na produção de hormônios traz ainda mais prejuízo a
todas as funções da pele. Todas essas alterações fazem com que ocorra perda em sua
densidade, firmeza e elasticidade.

A partir dos 60 anos,a pele, como um todo, está bem comprometida, com todos seus sinais
bem aparentes: as rugas acentuadas, a perda da elasticidade e da firmeza é perceptível e ela
se torna muito mais fina, flácida, frágil, desidratada e desprotegida. A renovação celular é
bastante deficiente. A contínua diminuição das taxas hormonais impossibilita a recuperação
natural da pele. É a fase em que os ativos que combatem os sinais do tempo são mais
necessários a sua revitalização.

Tratamentos do Envelhecimento;

Sabendo-se do papel do sol no envelhecimento da pele, qualquer tratamento de


rejuvenescimento obrigatoriamente começa com filtro solar! Como regra “básica” devemos
preferir os filtros com FPS 30 a 55 ou maior, que protejam contra os raios UVA e UVB. Outros
tratamentos podem ser indicados como técnicas de rejuvenescimento, laser,peelings,
lifting,eletroterapia, mesoterapia lifting,isometria, massagem revigorante e microcorrentes
afim de devolver a nutrição e colágeno a pele.Os tratamentos variam de acordo com cada
caso.

Toxina Botulínica
Indicação: combate rugas e linhas de expressão.
Benefícios: para rugas estáticas, a toxina aplicada com frequência suaviza as
marquinhas presentes no rosto, podendo até eliminá-las se associada a outras técnicas.
Também é eficaz no combate a rugas dinâmicas, que ainda não estão “fixas”, deixando
a pele lisinha e prevenindo o surgimento de outras.
Quantidade de sessões: apenas uma, realizada novamente a cada três ou seis meses.
Os resultados começam a aparecer de três a cinco dias após a aplicação. Em 15, já é
possível visualizar a ação completa.
Lifting
Indicação: combate à flacidez da pele e falta de elasticidade.
Benefícios: melhora global do aspecto cutâneo em relação à flacidez e ao contorno
facial, sem interferir na qualidade da pele.
Quantidade de sessões: como se trata de uma cirurgia de correção facial, costuma
ser realizada apenas uma vez. Os resultados começam a ser vistos após sete dias, porém,
a face apresentará melhor aspecto a partir de três meses.

Laser para estimular a produção de colágeno


Indicação: recuperação de colágeno, principalmente em quem tem a pele muito
branca ou fotoenvelhecida.
Benefícios: melhora a textura da pele, promove o fechamento de poros, além de
diminuir manchas, rugas e flacidez.
Quantidade de sessões: em media, três sessões, realizadas a cada 30 ou 45 dias.
Após uma semana, já é possível ver os resultados que se tornam duradouros,
principalmente se houver cuidados específicos com a pele como hidratação e uso de
fotoprotetores.

Radiofrequência
Indicação: eliminação da flacidez e celulite.
Benefícios: aumenta a temperatura do tecido para que ele alcance cerca de 40ºC,
desencadeando uma sequência de reações fisiológicas. O aquecimento induz o aumento
da circulação e oxigena melhor o local, estimulando a formação de colágeno,
aumentando a firmeza da pele e melhorando o aspecto da celulite.
Quantidade de sessões: de quatro a dez sessões dependendo do objetivo a ser
alcançado e dos tratamentos associados. Os intervalos de aplicação são de, no mínimo,
15 dias. Em casos de celulite, as sessões podem ser realizadas semanalmente.

Hidratação com ouro 24K


Indicação: recuperação da hidratação cutânea.
Benefícios: age nos canais de ureia, regenerando e dando luminosidade ao tecido
cutâneo. Além disso, as partículas de ouro utilizadas trabalham na síntese do colágeno e
da elastina, fornecendo maior hidratação.
Quantidade de sessões: quatro sessões com intervalos de uma semana entre elas. Os
resultados podem ser vistos a partir de sete dias e tendem a ser mais duradouros com
cuidados específicos como hidratação, cápsulas orais antioxidantes e uso de protetores
solares.

PELE ENVELHECIDA
COM RUGAS
REVISTA ULTIMATE BEAUTY // CORPO E ESTÉTICA

 PARTILHAR

 PARTILHAR

 PARTILHAR

 PINT IT

 IMPRIMIR

 DESCARREGAR PDF
Dermatologista ensina a tratá-la

As rugas são o primeiro sinal evidente da passagem do tempo pela nossa pele.
O tabaco pode agravar a sua profundidade, pelo que convém evitá-lo. Este está, no
entanto, longe de ser o único fator nocivo para a sua tez.

De acordo com a dermatologista Manuela Cochito, as


causas de uma pele envelhecida, para
além da genética, já são sobejamente
conhecidas. Entre elas destaca-se a
exposição solar excessiva e o consumo
de tabaco.

Esta pele «caracteriza-se


pelo aparecimento de rugas, pele baça
e grossa, flácida e sem luminosidade»,
esclarece a especialista. As peles maduras, para além de rugas,
manifestam alterações de pigmentação
e maior secura. Os sintomas agravam-se pela exposição
ao sol, tabagismo e pela diminuição dos
estrogénios, causada pelo avanço da
idade, entre outros fatores.

CONSELHOS PARA PROTEGER A SUA PELE


Estas são algumas das recomendações a ter em linha de conta permanentemente:

- Evite a exposição solar excessiva e utilize


protetor solar com um grau de proteção elevada (FPS 50 ou FPS 50+) mesmo nas horas
de maior calor.

- Aplique fórmulas cosméticas com


ácido retinóico, que previne e trata o
envelhecimento porque estimula a
formação de colagénio.

- Os antioxidantes tópicos, como as


vitaminas C e E e os alfahidroxiácidos,
também demonstraram ter utilidade
no tratamento de peles maduras. Prefira este tipo de produtos

Veja na página seguinte: Os tratamentos estéticos mais adequados a este tipo de


pele

TRATAMENTOS ESTÉTICOS ADEQUADOS


«Existe já uma grande panóplia
de soluções para tratar peles
envelhecidas», diz a dermatologista Manuela Cochito.

Para este tipo de peles, a dermatologista


sugere os seguintes:

1. Peelings superficiais
Fazem-se
isolados ou em séries de três, deixando
a pele mais fina, homogénea e brilhante,
ajudando também na acne e nas
cicatrizes.

2. Botox
É ideal para reduzir as rugas de
expressão, sendo muito eficaz e natural
quando bem feito.

3. Preenchimentos com ácido hialurónico

São usados no caso de rugas profundas


ou preenchimento de lábios.

4. Mesoterapia antienvelhecimento

Introduzem-se na pele, através de


pequenas injeções indolores, várias
substâncias que a revitalizam e
rejuvenescem.

5. Radiofrequência
É um tratamento com
ondas eletromagnéticas que produzem
novo colagénio na pele, aumentando
a sua firmeza e luminosidade.

Como reconhecer se há toxinas em seu corpo à


primeira vista.
AGOSTO 20TH, 2017 ADMINISTRADOR SAÚDE0 COMENTÁRIOS
Muitas pessoas se olham no espelho todos os dias e se irritam com as espinhas, rugas e olheiras. Mas
o que a maioria das pessoas não sabe é que muitas das mudanças em nossos rostos podem ser sinais
de doenças graves. Dê uma boa olhada no seu rosto e descubra se você é tão saudável quanto pensa
que é…

1. Testa

A pele na sua testa é apertada, pálida ou vermelha? Isso pode indicar que seu metabolismo não está
funcionando direito. A testa indica problemas com o fígado, que é responsável por se livrar das
toxinas de nossos corpos. Também pode ser um sinal de que a sua vesícula biliar não está
funcionando bem.
2. Têmporas

Se suas têmporas estão vermelhas ou inchadas, isso pode ser sinal de que seus fígados estão
sobrecarregados. Esses tipos de problemas de pele acontecem quando as toxinas acumulam no
corpo, mas também podem ser causadas pelo consumo excessivo de comidas processadas.
3. Pálpebras superiores

Se seu baço está saudável, a parte de cima das pálpebras e a área acima delas estará brilhando. O
baço é responsável por manter um sistema imunológico saudável ao armazenas e produzir glóbulos
brancos. Se essa área parece estar inchada, vermelha ou simplesmente muito diferente do usual, isso
pode indicar que seu baço não está funcionando direito e você deve ir ao médico o mais rápido
possível.
4. Olheiras

Depois de uma longa noite e sem dormir o bastante, muitas pessoas acordam com olheiras. Se eles
não desaparecem após uma boa noite de sono, você deve ficar atento. Quando as olheiras estão
pálidas ou cinzas, pode ser uma indicação de que algo está errado com seus rins. Se seus olhos estão
inchados, pode ser um sinal de estresse. A falta de nutrição também pode causar olheiras.

Jovens que têm “pés de galinha” ao redor dos olhos podem têm problema no fígado. Isso também
pode ser causado por sentimentos constantemente negativos, como tristeza.
5. Parte de cima das bochechas e maçãs do rosto

Pessoas que sofrem de descoloração cinza, poros muito abertos ou atonia (perda de força do
músculo) nessa área podem ter problemas nos pulmões. Isso acontece frequentemente com fumantes.
6. Parte inferior das bochechas

Descoloração nessa área indica que a dieta da pessoa é muito gordurosa e que o estômago está
sobrecarregado. Se isso é acompanhado por atonia, isso pode significar que a pessoa tem um
problema com o metabolismo. Inchaços e espinhas nessa área são um grande sinal de que a pessoa
tem intolerância a certas comidas.
7. Parte de cima do nariz e narinas

Uma grande cavidade ou inchaço ao longo do nariz pode indicar um problema na função da tireoide.
Inchaços ao redor das narinas, por outro lado, são frequentemente causados por pulmões ampliados,
um problema comum entre pacientes de asma. Vermelhidão ao redor das narinas pode indicar uma
infecção bronquial. De qualquer forma, se você notar que seu nariz está diferente do usual, isso pode
significar que os pulmões não estão funcionando bem.

8. Ponta do nariz

Ninguém quer um nariz como a de Rudolph, a rena do nariz vermelho. Mas não é apenas um
problema cosmético e pode indicar um problema cardíaco. Se você nota que seu nariz está
constantemente vermelho, vá ao médico o mais cedo possível.
9. A área entre o lábio superior e o nariz

Estresse pode levar a problemas de pele e rugas embaixo do nariz. Estresse físico também tem um
efeito nos níveis hormonais, que altera o nível de estrogênio e o funcionamento dos órgãos
reprodutores. Esse desequilíbrio hormonal reflete na nossa aparência externa.
10. Lábios

Seus lábios podem te dizer se você tem um problema no intestino delgado. Bolhas de herpes, feridas
e descoloração são os primeiros sinais. Se seu lábio inferior estiver inchado, ele pode significar que
seus intestinos não estão funcionando bem. Se seus lábios estão pálidos, isso pode indicar má
circulação. Mudanças nos lábios também podem ser sinais de problemas com o baço, vesícula biliar,
fígado ou cólon.

11. Queixo

Mulheres têm frequentemente espinhas no queixo durante a segunda metade do ciclo menstrual. Isso
causa mudanças nos níveis hormonais. Porém, manchas e rugas também pode indicar que alguns
órgãos não estão funcionando bem. Em homens, um queixo saliente pode ser sinal de próstata
alargada.
Como você pode ver, nossos rostos podem nos dizer muito sobre nossa saúde em geral. Vale a pena
dar uma boa olhada no espelho todas as manhãs e tentar não ignorar os sinais de alerta. Espelho,
espelho meu…
FACIAL: ACNE
AGENDAR AVALIAÇÃO GRATUITA

LIMPEZA DE PELE COM BANHO DE VITAMINA C:

Hidrata, ilumina e renova a pele da face. A pele limpa evita vários incômodos, como o
surgimento de acne e manchas, além de ser imprescindível para uma boa aparência da
pele e uma maquiagem perfeita. Saiba mais …

MICROAGULHAMENTO:

Tratamento estético baseado na utilização de microagulhas, acopladas a um rolo, que


deslizam sobre a pele em determinados sentidos e com repetições sequenciais
melhorando a cicatriz já existente pela produção de colágeno. Saiba mais …

DESINCRUSTE:

Regula o sebo da pele oleosa ou acneica, remove impureza, ajuda na desobstrução dos
poros combatendo a acne e cravos. Saiba mais …

PEELING QUÍMICO:

O peeling químico é uma técnica usada para melhorar a aparência da pele. Uma solução
química é aplicada na pele, provocando a sua separação, descamação e o surgimento de
uma nova pele mais lisa e menos enrugada que a pele antiga, com menos manchas, e
ajuda no fechamento dos poros. Saiba mais …

PEELING DE CRISTAL:

É uma dermoabrasão, ou seja, uma esfoliação realizada mecanicamente na pele com o


objetivo de remover marcas e melhorar o aspecto, tratando cravos, manchas, rugas e
estrias corporais. Saiba mais …

PEELING DE DIAMANTE:

É um peeling físico, ou seja, utiliza um equipamento próprio para esse fim e promove
uma microesfoliação da pele. Entre os principais objetivos do procedimento estão a
remoção das células mortas que ficam na camada mais superficial da pele e a
estimulação à produção de colágeno. Saiba mais …

MICROCORRENTES:

Procedimento que através de estímulos elétricos não sensoriais e indolores busca


melhorar a tonificação muscular, promovendo o rejuvenescimento e a atenuação das
rugas e linhas de expressão, inclusive as localizadas no orbicular dos olhos. Saiba mais

Tratamento para Acne

A Acne, conhecida também por espinha, é uma dermatose crônica, já que, apesar de ser mais
comum em adolescentes, não se limita a apenas essa etapa da vida. É caracterizada por lesões
inflamatórias, principalmente na face, podendo ocorrer também nos ombros e porção superior do
tronco. A doença é causada por inúmeros fatores como genéticos, hormonais, hiperprodução
sebácea, hiperqueratinização folicular, colonização bacteriana e liberação de mediadores
inflamatórios da pele.
Como é formada a acne?

Cada poro representa uma abertura para um folículo que apresenta um pelo e uma glândula sebácea.
Quando essas glândulas produzem óleo em excesso, os poros acabam ficando bloqueados.
Acumulam-se na pele, então, os resíduos causados por fatores externos, bactérias e células
inflamatórias, formando uma obstrução denominada comedão. Esse, quando em coloração branca, é
chamado de espinha, e quanto preto é chamado de cravo. Caso ocorra o seu rompimento, o material
dentro do comedão gera inchaços e saliências vermelhas.

Quais as classificações da acne?

Existem duas classificações para as acnes, as primárias e as secundárias. As acnes primárias são
causadas pela predisposição genética com a colaboração da produção inicial dos hormônios, na
adolescência. Já a secundária aparece devido ao uso de corticosteroides e vitaminas e pela utilização
inapropriada de cosméticos. Alterações hormonais androgênicas podem ocasionar quadros graves.

Quais os graus de manifestação das acnes?

Grau I - Acne Comedônica: Predomínio de comedões. Algumas pápulas e raras pústulas


não alteram o grau.

Grau II - Acne Pápulo-Pustulosa: Presença de comedões, pápulas inflamadas e pústulas com sinais
inflamatórios.

Grau III - Acne Nódulo-Cística: Presença de comedões, pápulas, pústulas e cistos formados pela
ruptura da parede do folículo com sinais inflamatórios.

Grau IV - Acne Conglobata: Predomínio de lesões nódulos-císticas e nódulos purulentos, em grau


bastante avançado e com formação de abscessos e fístulas.

Grau V - Acne Fulminante: Surge repentinamente acompanhada de sintomas sistêmicos (febre,


leucocitose, artralgia e queda do estado geral).

Qual o tratamento para acne?

O tratamento para acne depende muito do grau em que ela se encontra. Pode ser tópico, sistêmico,
terapia combinada, isotretinoína oral, corticoides orais, tratamento hormonal ou terapia
fotodinâmica. Veja como funciona cada um desses tratamentos para acne:

Tratamento tópico para acne:

Indicado para o grau I e II objetivando a remoção do excesso de sebo da pele. Tem como
subclassificação: agentes queratolíticos que agem sobre o comedão e antibióticos que agem sobre a
bactéria Propionibacterium acnes.

Entre os queratolíticos, ressaltam-se os sabonetes, tanto líquidos quanto em espuma ou barra, loções
e soluções de limpeza. O grupo mais potente desses agentes são os retinóides, pois eles levam à
expulsão dos comedões e inibem a sua regeneração. É indicado para todos os tipos de acne. Há
também os antimicrobianos, utilizados principalmente em casos de acne inflamatória no grau I e II.

Ocupando a classificação dos antibióticos encontram-se os de uso tópico, que reduzem a inflamação
e colonização do Propionibacterium acnes.

Tratamento sistêmico da acne:


Utilizam-se antibióticos orais indicados no grau III, quando o tratamento tópico não obteve o
resultado esperado. Os sistêmicos atuam de forma mais rápida e efetiva na supressão do crescimento
do Propionibacterium acnes e da inflamação. Sempre que possível, devem ser associados a um
retinóide tópico para ter mais eficácia.

Terapia combinada para acne:

Utiliza dois ou mais tratamentos, normalmente antibióticos e medicação tópica como retinóides.
Assim, os retinóides são utilizados no microcomedão e os antibióticos para melhorar as lesões
inflamatórias. Depois que diminuir as lesões, suspende-se o antibiótico, permanecendo os retinóides
como terapia de manutenção. Dessa forma, o tratamento diminui as chances de acontecer uma
resistência bacteriana.

Isotretinoína oral no tratamento para acne:

Indicada para as acnes em graus avançados que são resistentes aos tratamentos para acne
convencionais. Diminui o tamanho e a secreção da glândula sebácea, regulariza a queratinização
folicular e impede o surgimento de novos comedões. Indiretamente, dificulta o crescimento da
bactéria e tem efeito anti-inflamatório. É o único tratamento que atua em todos os mecanismos
patogênicos da acne.

Corticoides orais no tratamento para acne:

Indicados para os níveis III e IV e usado simultaneamente com um antibiótico e isotretinoína oral na
acne de grau V.

Tratamento hormonal para acne:

Indicado para mulheres em que a acne aparece mais tarde e acaba aumentando durante a
menstruação, não respondendo aos tratamentos comuns. Utilizam-se anticoncepcionais e
espironolactona, espironolactona com antibióticos sistêmicos ou somente o anticoncepcional.

Terapia fotodinâmica para acne:

Utiliza luzes para atingir a acne inflamatória quando não pode ser utilizada a isotretinoína oral.
Aplica-se o ácido 5-aminolevulínico –ALA, substância fotossensibilizante, que gera com o contato
da luz a destruição da glândula sebácea e da bactéria.

Conheça os quatro tipos de rugas e as formas de tratá-las

10 ABR 2013 07h18 atualizado às 07h18

separator0COMENTÁRIOS

Campeãs de reclamação de quem luta para ficar com a pele jovem e bonita, as rugas são os
sinais mais impiedosos do envelhecimento cutâneo e difíceis de evitar, principalmente por
possuírem - segundo pesquisa publicada pelo Journal of Cosmetic Science , dos Estados
Unidos- quatro diferentes estágios.

SAIBA MAIS

Nova tecnologia trata rugas, flacidez e estria em 15 minutos


Aos 50 anos, Solange Frazão faz lasers para ter pele de 25

Aparelho 2 em 1 reduz cicatriz de acne e rugas de uma só vez

Para se livrar ou, pelo menos, amenizar os efeitos causados pelas marquinhas na face, é
preciso conhecer suas características. Por isso, confira, a seguir, os tipos e as particularidades
das rugas que mais comprometem a juventude da cútis.

Sinais impiedosos do envelhecimento cutâneo, rugas possuem quatro diferentes estágios


Responsáveis por dar um aspecto quebradiço às peles branquinhas, rugas finas devem ser
tratadas com peelings superficiais, lasers ablativos, luz intensa pulsada e cremes manipulados
com ácidos Provocadas pela perda intensa de colágeno, rugas profundas aparecem a partir dos
45 anos e exigem tratamentos com lasers profundos, como CO2 e dual mode Algozes de quem
faz muitos movimentos faciais para se comunicar, marcas de expressão podem ser combatida
com injeções de toxina botulínica Comuns a partir dos 60 anos, rugas gravitacionais aparecem
juntamente com a flacidez dos músculos do rosto e podem ser tratadas com volumizadores,
aparelhos de radiofrequência e laser

5 fotos

ver galeria

Sinais impiedosos do envelhecimento cutâneo, rugas possuem quatro diferentes estágios

Sinais impiedosos do envelhecimento cutâneo, rugas possuem quatro diferentes estágios

Foto: Shutterstock

Rugas finas

Comuns em pessoas de pele branquinha e com pouco mais de 30 anos, as rugas finas estão
diretamente relacionadas à perda de colágeno (substância responsável pela manutenção da
tonicidade e resistência da pele). Apesar de ser o tipo mais superficial, confere um aspecto
quebradiço à cútis, que se agrava, principalmente, pela exposição diária aos raios solares, mas
pode ser tratada com peelings superficiais, lasers ablativos, luz intensa pulsada ou cremes
manipulados com diversos ácidos, que devem ser receitados por um dermatologista.

Rugas profundas

Consequências do envelhecimento intrínseco (geneticamente natural) e extrínseco (provocado


por agentes externos), as rugas profundas costumam aparecer devido à perda intensa de
colágeno e afinamento da derme, principalmente a partir dos 45 anos. “Dermocosméticos com
firmadores auxiliam no tratamento, mas, muitas vezes, são necessários lasers mais profundos,
como o CO2 e o dual mode ”, indica Murilo Drummond, dermatologista e professor titular do
Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, do Rio de Janeiro.

Marcas de expressão

Localizadas na testa, entre as sobrancelhas e ao redor dos olhos, as marcas de expressão são
as algozes de quem faz muitos movimentos faciais para se comunicar, independentemente da
idade. Para evitar o problema, vale a pena apostar desde cedo nas aplicações de toxina
botulínica, capazes de diminuir a intensidade das expressões.

Rugas gravitacionais

Causadas, principalmente, pela redução das fibras colágenas e elásticas, as rugas gravitacionais
aparecem juntamente com a flacidez dos músculos, deixando sobras de pele, geralmente, no
ângulo da mandíbula. “Ela é comum a partir dos 60 anos, embora possa surgir devido ao
tabagismo e excesso de sol, que, inclusive, agravam o problema”, afirma Renata Domingues,
dermatologista especializada pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).
“Volumizadores, aparelhos de radiofrequência e laser Elektra Pixel podem atenuar esses tipos
de marcas do tempo”, aponta a especialista.

DERMATOLOGISTA EXPLICA QUAIS SÃO OS TIPOS


DE RUGAS QUE EXISTEM, COMO EVITÁ-LAS E
TRATÁ-LAS

Saiba como corrigir e evitar o surgimento de ruguinhas e linhas de expressão

Com o passar do tempo, é natural que haja um declínio da produção de elementos da
pele, como o colágeno, a elastina e o ácido hialurônico. Estes são importantes para sua
estrutura e, quando presentes, minimizam as chances das rugas aparecerem de forma
precoce. É possível evitar que as marcas sejam profundas e, de acordo com a
dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, existem diversas opções de tratamento contra
o envelhecimento. Saiba mais abaixo!
Descubra por que o rosto desenvolve rugas e como evitá-las
Segundo a médica, a redução da sustentação, firmeza e elasticidade são os principais
agentes internos que provocam as linhas. “A pele tende a ficar franzida em áreas de
contração muscular e movimentos constantes. Uma das principais formas de evitar esse
tipo de marca é se protegendo da exposição solar excessiva, já que a radiação ultravioleta
A é a grande responsável pela alteração do colágeno”, explicou.
Entenda quais são os níveis que as marcas podem apresentar
De acordo com a Dra. Flávia, existem duas classificações:
- Rugas dinâmicas: são as primeiras a serem notadas, conhecidas também como linhas de
expressão, e não aparecem no repouso;
- Rugas estáticas: são visíveis mesmo sem movimentos faciais e muito comuns em rostos
maduros.
A única diferença entre elas é a profundidade, que também sofre influência de fatores
genéticos, espessura da pele e quantidade de exposição solar.
Saiba como é feito o tratamento das rugas em cada caso
Para uma aparência mais natural, o ideal é uma combinação de dermocosméticos e/ou
medicamentos orais e tratamentos clínicos, que serão escolhidos de acordo com a
situação. “O dermatologista faz uma avaliação para indicar os procedimentos adequados
para a área, profundidade, tipo de pele, idade e quantidade de exposição solar. Podem ser
realizados lasers, toxina botulínica, produtos tópicos derivados do retinol, preenchedores e
até a cirurgia plástica”, concluiu.
*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se
utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o
tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de
Dermatologia.

Entenda as Diferenças Entre os Tipos de Rugas: As rugas são sulcos ou pregas na superfície da pele e
correspondem a um dos parâmetros mais visíveis do envelhecimento cutâneo. Elas resultam do processo
natural de envelhecimento, expressões faciais, exposição solar, fumo, hidratação inadequada, entre outros
fatores. Rugas Dinâmicas - decorrentes do movimento muscular da expressão facial. Rugas Estáticas -
aparecem mesmo na ausência do movimento, e podem ser entendidas como fadiga pelo excesso de
tensão. Rugas Gravitacionais - decorrentes do excesso de movimentação, associado a ptose tissular e
muscular. A irregularidade do panículo adiposo também promove rugas gravitacionais, pela diminuição
da sustentação do tecido. Fonte: Livro Terapêutica em Estética Conceitos e Técnicas/ Fábio Borges/
2016. Venha para UpSkin e faça tratamentos de prevenção. Rua Ângelo Chiarini, Número 26 - Centro
(Rua atrás da MMartan Pouso Alegre) #Rugas #Estética #UpSkin

#ACNESolutionMáscaraSecativa Tratamento Anti-Acne inova ao utilizar o multifuncional Ácido


Lactobiônico. Associa ativos que aceleram a cicatrização, combatendo os processos inflamatórios do acne
em grau I e II através de sua ações adstringente, tônica, adsorvente da oleosidade, remineralizante,
secativa, suavizante, antisséptica, emoliente, antiinflamatória e antisseborréica, normaliza a
hiperqueratinização e exerce efeito rejuvenescedor sem irritar a pele e propriedade rejuvenescedora,
antioxidante e cicatrizante. Benefícios • Máscara secativa com argila branca de ação anti-inflamatória,
cicatrizante, calmante e seborreguladora (controla a oleosidade); • Acalma a pele avermelhada como
consequência do processo inflamatório; • Regula a secreção sebácea e promove ação anti-irritante; •
Diminui o eritema e proporciona efeito mate. Usamos na UpSkin! Rua Ângelo Chiarini, Número 26 -
Centro (Rua atrás da MMartan Pouso
Alegre) #ADCOS #Tratamento #Estética #Beleza #Saúde #UpSkin
RUGAS ATRÓFICAS

Tratamento para as rugas atróficas

As rugas atróficas são depressões que surgem devido à atrofia do colágeno, um


processo que acontece principalmente em razão do envelhecimento natural da pele. Essas
rugas são responsáveis pela aparência cansada, sendo as mais facilmente percebidas.
São caracterizadas como linhas finas, tais como as rugas periorbitais.

Veja alguns tratamentos para rugas atróficas


Drenagem Linfática facial
A drenagem linfática facial ocorre de forma semelhante a drenagem linfática corporal, com
a realização de movimentos sobre a região. Esses movimentos precisos atuam sobre as
rugas atróficas, a fim de amenizar ou até mesmo evitar o seu aparecimento. Isso ocorre
porque a massagem ajuda na ativação da circulação sanguínea provoca o relaxamento
dos músculos e a eliminação das toxinas formadoras da linfa, linhas finas e marcas de
expressão.

Laser CO2 Fracionado


O laser CO2 fracionado possui uma tecnologia que tem afinidade com a água, o que
acaba fazendo com as moléculas de H2O sejam vaporizadas. O calor faz com que a pele
se contraia, inclusive o colágeno, que acaba sendo estimulado com a ação.

O procedimento é feito ambulatorialmente, com anestesia local e rápida recuperação.

Peeling Químico
O peeling químico para rugas atróficas atua na renovação celular do organismo, a partir da
utilização de uma solução que remove as células mortas e auxilia na produção de novas.
Assim, ocorre uma descamação controlada da pele, fazendo com que ela se regenere
mais jovem, sem manchas e rugas.

Peeling de Diamante
Assim como o peeling químico, o peeling de diamante procura realizar a renovação celular.
Para isso, utiliza uma caneta a vácuo que possui uma ponteira de diamante com diferentes
espessuras.

Sua atuação promove uma dermoabrasão superficial, que traz como resultados uma pele
com mais colágeno, menos rugas e menos envelhecida.

Radiofrequência
O aparelho utilizado nesse procedimento utiliza um equipamento minimamente invasivo
que atua especificamente na camada interna da pele, a derme. Com o aquecimento, as
partículas de colágeno se contraem, ação essa que faz com que seja estimulada a sua
produção.

Após a formação do neocolágeno, a pele fica muito mais elástica e rejuvenescida, já que
sua espessura é aumentada.

Eletroestimulação
A eletroestimulação visa tratar a flacidez, tonificar os músculos e realizar a drenagem
linfática. Para obter esses resultados, são utilizadas correntes elétricas que provocam a
contração muscular e aumentam a circulação sanguínea.

Saiba também sobre os tratamentos para rugas glabelares.

RUGAS GLABELARES

Tratamento para as rugas glabelares


A glabela é o espaço compreendido entre as duas sobrancelhas que, frequentemente, tem
a formação de rugas, devido às contrações em geral relacionadas a sentimentos negativos
como preocupação, irritação, raiva ou frustração. Em razão disso, muitas pessoas
chamam as rugas glabelares de “ruga da brabeza“.

Existem diversos tratamentos utilizados que buscam amenizar as rugas glabelares, entre
eles:

Toxina botulínica
A técnica consiste na injeção da toxina botulínica tipo A, mais conhecida por sua marca
comercial*, no músculo da glabela.

A substância paralisa a região temporariamente, suavizando as rugas mais leves e


atenuando as mais profundas, além de diminuir a velocidade de aparecimento de novas.
Dificilmente a expressão facial se altera, não havendo sensações desagradáveis.

O efeito deste tratamento para rugas tem duração de quatro a seis meses, sendo
recomendado para amenizar as rugas glabelares.

A toxina botulínica, quando ministrada por médicos qualificados, não oferece riscos, de
modo que é devidamente liberada pelo FDA (Food and Drug Administration) como
bloqueador muscular.

Laser CO2 fracionado


O laser de CO2 fracionado para o tratamento de rugas glabelares apresenta uma grande
afinidade com a água presente na pele, de modo que o laser em questão é absorvido por
ela. Além disso, como o laser penetra na segunda camada da derme, ele estimula a
remodelação do colágeno.
O laser atinge a pele de forma fragmentada, preservando microzonas intactas entre as
áreas atingidas. Com isso, os locais que não foram afetados facilitam a cicatrização dos
tecidos ao redor, coagulando o colágeno natural e estimulando, assim, o crescimento de
um novo e a produção de elastina.

Peeling químico
O peeling químico atua a partir da remoção da pele morta e, posteriormente, estímulo a
renovação celular. Isso proporciona uma pele mais viçosa e lisa, além de rugas glabelares
atenuadas.

Para que o objetivo seja alcançado com êxito, é necessário um número considerável de
sessões.

Ácido Hialurônico
O ácido hialurônico é uma substância presente em nosso organismo, que preenche os
espaços entre as células da pele. O produto é aplicado por meio de injeções na face, sob
anestesia local, objetivando a diminuição das rugas glabelares.

O procedimento leva cerca de 30 minutos, com recuperação imediata.

Bioplastia
As rugas glabelares podem ser preenchidas por meio da bioplastia, que é um
procedimento que pode ser feito com materiais biocompatíveis e biodegradáveis, com
durabilidades diferentes. Um dos produtos mais utilizados para aplicação da bioplastia é o
PMMA, produto biocompatível com o organismo.

O procedimento da bioplastia para rugas é minimamente indolor, sem necessidade de


cortes ou pontos. A aplicação é feita por meio da microcânula, um material que consiste
em uma espécie de agulha sem ponta (ponta atraumática).

Drenagem Linfática Facial


A drenagem linfática facial tem objetivos preventivos, estéticos e terapêuticos. Ela estimula
a oxigenação de tecidos e a eliminação da linfa, tonificando a pele.

A drenagem linfática facial deve ser aplicada somente por profissionais qualificados,
deixando a derme mais firme, reduzindo e suavizando as linhas de expressão.

Peeling de Diamante
No peeling de diamante para tratamento de rugas glabelares é utilizada uma caneta a
vácuo, que possui uma ponteira de diamante. Ela promove a remoção mecânica da
camada superior da pele, contribuindo para a melhoria da circulação sanguínea, aumento
da taxa metabólica e formação de colágeno, elastina e ácido hialurônico. Isso faz com que
a pele fique mais firme e com maior elasticidade.

Eletroestimulação
O procedimento utiliza correntes elétricas para tonificação muscular, estimulando os
fibroblastos e produzindo colágeno em maior quantidade. Além disso, essa estimulação
também provoca contração, aumentando a circulação sanguínea, melhorando a
oxigenação celular e eliminando toxinas.
RUGAS DE EXPRESSÃO

Tratamentos para as rugas de expressão


Mesmo que involuntariamente, acabamos contraindo os músculos faciais inúmeras vezes
por dia, a fim de demonstrar nossas expressões sobre determinadas situações. Esse
movimento realizado repetidamente ao longo dos anos faz com que surjam as
denominadas rugas de expressão, devido à hipertrofia e tonicidade aumentada do
músculo da região.

Os locais em que as rugas de expressão se instalam são, principalmente, ao redor dos


olhos, da testa e dos lábios. Regiões que, geralmente, mexemos quando demonstramos
estar alegres, brabos ou tristes. Ou seja, as rugas periorbitais, glabelares e nasogenianas.

Alguns tratamentos para amenizar as rugas de


expressão
Laser CO2 Fracionado
O laser CO2 fracionado no tratamento para rugas de expressão emite um feixe de luz que
é atraído pelas moléculas de água do corpo humano, vaporizando-as e estimulando a
produção de colágeno no local.

O profissional realiza o procedimento de forma ambulatorial e com anestesia tópica.


Quando o feixe de luz entra em contato com a pele, ocasiona uma contração imediata, que
permite o aumento de colágeno na região, visto que ele reage em temperaturas acima de
60ºC. Isso faz com que ocorra o rejuvenescimento da pele e futura diminuição das rugas
de expressão.

São necessários de três a sete dias de recuperação após o tratamento para rugas de
expressão, bem como, e evitar a exposição solar. Os resultados começam a aparecer a
partir da primeira sessão, podendo ser observada uma significativa diminuição das rugas
finas e médias da testa, nos lábios e nos “pés de galinha”.

Peeling Químico
Os peelings químicos no tratamento para rugas de expressão podem ser superficiais,
médios ou profundos, porém, todos visam estimular a renovação celular, eliminando as
células mortas, permitindo a formação de novas.

Com o passar do tempo, o processo de renovação celular fica mais lento, o que faz com
que apareçam as manchas decorrentes do sol e as indesejáveis rugas de expressão.
Dessa forma, o peeling químico é um ótimo procedimento para quem pretende amenizar
esses sinais faciais.

Quando é realizada essa descamação proposital de diversas camadas de células


danificadas, as mais superficiais renascem e descamam, permitindo que uma nova
camada com textura mais lisa e coloração uniforme se regenere. Assim, além de estimular
o crescimento de novas células, o tratamento para rugas de expressão com peeling
químico acaba por esticar a cútis e, consequentemente, reduzir as rugas de expressão.
O procedimento é realizado no próprio consultório médico, sem necessidade de
internação. Geralmente, são indicados de cinco a sete dias de recuperação para um
peeling químico de média profundidade.

O paciente não irá sentir dor durante esse processo, entretanto, a pele apresentará
aparência de queimadura solar, de modo que é necessário evitar a exposição solar, utilizar
sempre filtro solar e adotar todas as medidas de proteção.

Fio Russo
O fio russo é o nome dado ao tratamento que implanta fios no rosto e pescoço a fim de
amenizar as marcas geradas pelo envelhecimento. Objetiva levantar a pele dessas regiões
podendo, se necessário, arquear as sobrancelhas.

O procedimento é realizado sem cortes, sem cicatrizes, sem internação, com o mínimo de
sangramento e resultado imediato. Para realizar tal procedimento, o especialista utiliza
anestesia local.

Com o auxílio de uma agulha oca, os fios são implantados por dentro da pele, na camada
profunda de gordura, sempre para o alto e para os lados do local desejado. Sua posição
permite aos tecidos serem puxados para a mesma direção.

Cada fio contém garras para que permanecem no local quando a agulha for retirada, além
de não permitir que a pele se dobre. Eles ficam imperceptíveis, não podendo ser vistos
nem sentidos.

Em aproximadamente uma hora, os fios são aplicados, não sendo necessária internação e
podendo o paciente retornar normalmente para as suas atividades após um dia. Os
resultados aparecem normalmente depois de algumas horas, com acomodação dos
tecidos em até 30 dias e com efeito potencializado em até seis meses.

DrenagemLinfática
A drenagem linfática facial é um método que, por meio da massagem, ameniza e evita o
surgimento das rugas de expressão.

A drenagem linfáti facial para rugas de expressão, também aumenta a circulação


sanguínea, promovendo o relaxamento dos músculos da face e eliminando as toxinas
formadoras da linfa e causadoras das linhas finas e marcas de expressão.

Peelingquímico
No peeling químico utiliza-se uma solução para esfoliar a pele, eliminando as camadas
superficiais e envelhecidas, e acelerando o processo de renovação celular. Por meio da
descamação controlada de várias camadas de células danificadas, o peeling químico
atenua as rugas e deixa a pele com uma textura mais lisa e com coloração mais uniforme.

Radiofrequência
A radiofrequência para rugas de expressão atua de forma não invasiva nas camadas mais
profundas da pele, sem atingir as superficiais. O calor emitido provoca a contração do
colágeno, atenuando as rugas de expressão, além de aumentar a circulação sanguínea,
conferindo um aspecto de uma pele mais elástica e rejuvenescida.
Eletroestimulação
A eletroestimulação suaviza as rugas de expressão e atenua as mais profundas. No
procedimento é implantado um eletrodo ativo, que concentra a energia necessária,
promovendo o carregamento de partículas hidratadas para a região. Dessa forma, a
eletroestimulação revitaliza e rejuvenesce a pele, além de estimular os fibroblastos,
produzindo colágeno em maior quantidade e de melhor qualidade.

ToxinaBotulínica
A utilização de toxina botulínica tipo A ocasiona um efeito paralisante e promove o
relaxamento da musculatura responsável pela contração, que é o que forma as rugas de
expressão.

Para tanto, a toxina botulínica no tratamento para rugas de expressão, mais conhecida por
sua marca comercial*, é diluída com soro fisiológico e injetada na pele com o auxílio de
uma fina agulha pelo médico especialista. Sua atuação bloqueia a liberação do mecanismo
que promove a contração da musculatura, gerando, assim, uma paralisação temporária.

O tempo estipulado do procedimento é em torno de 30 minutos, e a substância permanece


no organismo impedindo a contração muscular em torno de quatro a seis meses. Os
resultados começam a aparecer em três dias, podendo haver um retoque após 20 dias, se
necessário.

É imprescindível ter bastante cuidado na hora de escolher o médico que irá realizar as
aplicações, visto que seu uso exacerbado pode gerar inúmeros problemas, tais como o
surgimento de hematomas, perda da expressão facial, queda das pálpebras,
enfraquecimento dos músculos, perda da naturalidade do rosto e em casos extremos
ocasionar até a morte.

RUGAS GRAVITACIONAIS

Tratamento para as rugas gravitacionais


As rugas gravitacionais, bem como o nome diz, são aquelas que se formam devido à ação
da gravidade que atua sobre a pele, puxando-a suavemente o tempo todo.

Geralmente, as rugas gravitacionais surgem por volta dos 50 anos, em que se faz notório o
aumento das rugas do pescoço e ptose da ponta do nariz.

Os principais locais em que essas rugas gravitacionais aparecem são diante das orelhas,
nos lados do queixo ou no pescoço, deixando a pele marcada e flácida. Os sulcos
nasogenianos, mais conhecidos como “bigode chinês”, são exemplos dessas rugas.

Veja a seguir alguns tratamentos para rugas


gravitacionais
Bioplastia
A bioplastia, conhecida como a plástica sem cortes, é uma técnica não invasiva, realizada
sob anestesia local e em ambiente ambulatorial. Na bioplastia para preenchimento de rugas,
normalmente é utilizado o polimetilmetacrilato (PMMA), produto definitivo e biocompatível
com o organismo humano.

O tratamento para rugas é feito ao injetar o produto na pele por meio de microcânulas, uma
espécie de agulha com a ponta romba, preenchendo a região desejada.

Preenchimento
O ácido hialurônico no tratamento para rugas gravitacionais com um produto absorvível
que perdura no organismo em torno de seis meses a um ano. Ele já é presente no nosso
organismo preenchendo os espaços entre as células, criando elasticidade e tonicidade para
a pele.

Com o passar dos anos, sua produção é diminuída, propiciando o surgimento das rugas.

A atuação dessa substância tem efeito vasodilatador, provocando um fluxo maior com mais
oxigênio, favorecendo, assim, a formação de colágeno.
Drenagem linfática facial
Os movimentos realizados na massagem facial proporcionam a ativação da circulação
sanguínea, o relaxamento dos músculos da face e a eliminação das toxinas que formam a
linfa, amenizando, assim, as rugas gravitacionais.

Além disso, a drenagem linfática leva à diminuição da fibrose tissular e à tonificação da pele.

Laser CO2 fracionado


O Laser CO2 fracionado atua no organismo aumentando a produção de colágeno, o que
proporciona uma pele mais firme e elástica. Para realizar o tratamento a laser para rugas,
emite-se um feixe de luz que atrai as moléculas de H2O, provocando a contração do
colágeno.

Como consequência do tratamento com laser CO2 fracionado, ocorre o rejuvenescimento


da pele e consequentemente a diminuição das rugas gravitacionais.

Radiofrequência
O aparelho de radiofrequência utilizado atinge especificamente a derme (camada profunda
da pele), aquecendo a região e permitindo a contração do colágeno que, posteriormente, se
transformará em neocolágeno. Sua atuação aumenta a circulação sanguínea, destrói os
adipócitos e ameniza as rugas gravitacionais.

Eletroestimulação
As correntes elétricas que o aparelho dispara provocam a contração muscular e o aumento
da circulação sanguínea, estimulando a oxigenação e eliminando as toxinas.
Consequentemente, leva ao aumento da produção de colágeno, atuando no tratamento
para rugas gravitacionais.

HIPERCROMIAS ORIENTAÇÕES
Neste vídeo a Profa. Erika Rossetti irá falar sobre Hipercromias que são as famosas manchas que
todos os profissionais talvez tenha algumas dificuldades no tratamento delas.
Erika irá abordar sobre os tipos de manchas que podem ser tratadas no inverno
Manchas ocasionadas pelo sol, pela idade, manchas hormonais e pós inflamatórias.
Você sabia que não é só o sol que ocasiona as hipercromias (manchas)?
A maioria das hipercromias são ocasionadas pelo o mau uso do protetor solar e pelo o mau uso do
sol como consequência, mas nem tudo gera os problemas das manchas nós temos muitos casos a
serem tratados que não são só manchas provenientes do sol ou do mau uso do protetor são manchas
inflamatórias como por exemplo a Acne, e salienta também que existem as manchas hormonais
conhecidas também como melasmas e cloasmas.
A professora Erika fala também neste aula que existem vários tipos de ácidos e princípios ativos no
mercado para o tratamento das hipercromias dentre os ácidos existem 3 tipos que
são: Químicos, Físicos e enzimáticos já os princípios ativos que atuam muito bem são eles: ácido
glicólico, ácido salicílico, ácido mandélico, vitamina A, resveratrol, alfa arbutin, ácido
pirúvico.
O que é Hipercromias?
As hipercromias são as manchas escuras que aparecem na pele e são produzidas pelo excesso de
produção de melanina(coloração da pele). Nesse caso, a coloração fica mais escura que a coloração
normal da pele.
As manchas de pele são causadas por vários motivos, entre eles pelo sol, na gravidez, por espinhas,
por picadas de inseto e pela depilação. Mas essas marcas escuras deixadas na pele podem ser
amenizadas com tratamento.
Melasma
É um distúrbio pigmentar que causa manchas escuras na pele, principalmente, nas áreas do rosto
como testa, nariz, maçãs do rosto. É muito comum ocorrer em gestantes devido a mudanças
hormonais e possui também como causas a exposição ao sol, ao uso de contraceptivos e problemas
nos ovários.

Melanose Solar
A melanose solar são manchas que aparecem com o passar do tempo pela ação e exposição solar.
Geralmente, aparecem em pessoas com mais de 40 anos, mas a exposição ao sol na pele com mais de
30 anos precisa de cuidados especiais.

Sardas
As sardas são manchas que aparecem em pessoas com mais predisposição genética, ou seja, de
forma hereditária. Podem piorar com o passar do tempo se não forem tratadas desenvolvendo
doenças como o câncer de pele.

Fitofotomelanoses
São manchas marrons causadas na pele provocadas com contato direto com frutas cítricas,
especialmente, o limão. Popularmente, é conhecida como “manchas de limão”, mas as manchas são
provocadas por qualquer fruta cítrica.
Hipercromia Pós Inflamatória
São manchas causadas após um processo inflamatório como em picada de insetos, acne (espinhas) e
depilação. Ocorre com maior frequência em peles escuras e negras.

Argilas Suas Funções.


Argila verde, amarela, branca, rosa, negra, cinza… Para quem é novata no
assunto, não é difícil se perder com tantas opções. Às vezes parece até
exagero tantos tipos de argila no mercado, mas vocês verão que cada
uma tem características específicas que as tornam úteis para algumas
funções. Não importa se você tem pele sensível, seca, oleosa, mista, com
manchas, certamente terá algum tipo de argila que atenda às suas
necessidades.

Argila branca

Ideal para peles mistas, sensíveis (devido ao seu pH bem próximo ao da


pele) e/ou com manchas. Limpa e absorve a oleosidade sem ressecar,
promove uma hidratação branda, tem propriedades calmantes, anti-
inflamatórias, cicatrizantes e clareadoras. É a argila mais suave de todas,
daí a sua indicação para peles sensíveis.

Argila vermelha

Hidrata, nutre, previne o envelhecimento da pele, tem propriedades


antiestressantes e estimulante (estimula a circulação sanguínea). O
principal uso da argila vermelha é como redutora de medidas (qualquer
argila pode ser aplicada em outras partes do corpo também, não só no
rosto!), em máscaras faciais é mais comum encontrá-la na forma de argila
rosa.

Argila rosa

A argila rosa é uma mistura de argila branca com vermelha, portanto sua
função é um “mix” das funções de ambas: tem leve ação clareadora,
propriedades calmantes, cicatrizantes, anti-inflamatórias, hidratantes e
antienvelhecimento. Ideal para peles secas a normais e/ou com manchas
e problemas de sensibilidade.

Argila amarela/dourada

Rica em elementos responsáveis pela formação da base de colágeno, a


argila amarela aumenta a elasticidade da pele, combate e retarda o
envelhecimento, tem efeito tensor (ou seja, ajuda a combater a flacidez
cutânea), além de reduzir rugas e inflamações. Excelente para peles
maduras, desvitalizadas.

Embora seja menos conhecida, outra argila que também é bacana para
peles maduras é a argila roxa. Rica em magnésio, ela melhora o tônus
muscular e revitaliza a pele cansada.

Argila verde
Quem tem pele oleosa provavelmente já ouviu falar dela: tem
propriedades adstringentes (ou seja, limpa profundamente), tonificantes,
estimulantes (estimula a circulação sanguínea), secativa, desintoxicante,
bactericida, analgésica e cicatrizante. Perfeita para peles oleosas e
acneicas.

A argila verde ainda pode ser usada no combate à celulite (por estimular a
circulação e ter ação anti-inflamatória) e como esfoliante capilar – uma
vez por semana – em cabelos extremamente oleosos.

Argila cinza

Possui propriedades clareadoras, antioxidantes, antienvelhecimento e


também ajuda a combater espinhas e cravos (devido ao enxofre em sua
composição). É bacana para peles oleosas mais maduras ou para peles
oleosas que desejam clarear manchas. Caso a pele seja oleosa, com
mancha, porém bem sensível, a argila branca é mais indicada.

Argila negra

É a argila mais nobre de todas. Tem ação anti-inflamatória,


antiestressante, rejuvenescedora e estimulante. É comumente usada no
tratamento de doenças como artrite e artrose.
Postado por Ana Costa às 17:11 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
quinta-feira, 8 de maio de 2014

Tipos de Acnes e Tratamentos !


O que é a acne?

A acne é o nome dados aos cravos e espinhas resultantes de um


processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos
pilossebáceos. As áreas mais atingidas são o rosto, peito, ombro, costas
e os braços.

Embora não seja uma condição que ameace a vida, a acne pode ser
bastante incômoda e até mesmo levar à deformação da face ou à
ocorrência de cicatrizes.

A manifestação da acne está relacionada ao comportamentos de


hormônios sexuais masculinos ou andrógenos encontrados tanto em
homens quanto em mulheres. A elevação de níveis hormonais durante a
adolescência causa aumento das glândulas sebáceas da pele, existentes
nas regiões nas quais a acne é mais frequente, fazendo com que a doença
seja muito comum na puberdade. No entanto, a doença não é exclusiva
dessa faixa etária, e pode atingir jovens e adultos com mais de 40 anos.

E como ocorre a acne? As glândulas sebáceas são conectadas aos


folículos pilosos e produzem uma substância oleaginosa (sebo) que
alcança a superfície da pele após seu esvaziamento através de uma
abertura do folículo piloso. O sebo estimula as células da parede interna
do folículo que, então, desprendem-se mais rapidamente e se agrupam
formando um "tampão" na superfície da pele.

A associação de sebo e células propicia o crescimento bacteriano no


interior do folículo. As bactérias em crescimento podem produzir
substâncias que causam a ruptura da parede folicular. O sebo, bactérias e
células descamadas da parede do folículo derramam-se na pele causando
eritema (vermelhidão), edema (inchaço) e pus – a famigerada "espinha".

Como se manifesta?

Os sintomas da acne variam de acordo com cada pessoa e, na maioria


das vezes, são de pequena a média intensidade. As manifestações são
variadas e incluem:
• Comedões (cravos): folículos pilosos entupidos com sebo;
• Pápulas: lesões sólidas mais altas, com 5mm ou menos, arredondadas,
endurecidas e eritematosas;
• Pústulas: lesões com contém pus;
• Nódulos: lesões caracterizadas pela inflamação, que se expandem por
camadas mais profundas da pele e podem levar à destruição de tecidos,
causando cicatrizes.
• Cistos: maiores que as pústulas, inflamados, expandem-se por camadas
mais profundas da pele, podem ser muito dolorosos e deixar cicatrizes.

Classificação da acne

A acne pode ser classificada de acordo com sua gravidade:


• Acne Grau I – presença apenas de comedões (cravos), sem lesões
inflamatórias (espinhas);
• Acne Grau II – comedões, pápulas e pústulas;
• Acne grau III – comedões, espinhas, pústulas e cistos.
• Acne Grau IV – comedões, espinhas, lesões císticas maiores que podem
se interconectar pela pele (acne conglobada), formando “túneis”.
Acne grau V (fulminans): forma rara que provoca queda do estado geral
do paciente e exige internação hospitalar.

Como tratar?
Quem tem pele acnéica precisa lavar o rosto com sabões neutros e água
morna duas vezes ao dia. Repetir o procedimentos mais vezes pode
piorar a acne. Usuárias de maquiagem podem optar por produtos “oil-
free” não acnogênicos, que devem ser removidos diariamente com sabão
e água morna.

Homens com acne na face devem optar por aparelhos de barbear


elétricos ou outro instrumento que cause menos danos. No caso de se
optar por lâminas, deve-se primeiramente amaciar os pelos com sabão e
água morna antes de aplicar o creme de barbear.

Não aperte, esprema ou manipule espinhas. Quando uma espinha é


"espremida", mais eritema (vermelhidão), edema (inchaço) inflamação e
cicatrizes poderão surgir.

O tratamento da acne varia de acordo com a gravidade do caso e o tipo de


pele. Inclui opções como:
• Cremes ou loções de uso tópico como vitamina A ou peróxido de
benzoíla prescritos pelo dermatologista – auxiliam na desobstrução dos
poros e reduzem a proliferação de bactérias, mas podem causar
ressecamento e descamação.
• Antibióticos de uso tópico – utilizados nos casos de acne de menor
gravidade. Quando grandes pústulas vermelhas estão presentes, o
dermatologista poderá injetar cortisona diretamente no interior das
mesmas para auxiliar na regressão.
• Antibióticos orais como tetraciclina, minociclina ou eritromicina
– indicados para casos moderados a severos, especialmente quando há
grande número de lesões nas costas ou tórax. Os antibióticos diminuem a
quantidade de bactérias contidas no interior dos folículos e podem
auxiliar na redução do eritema.
• Hormônios femininos ou medicamentos que reduzem os efeitos de
hormônios masculinos – indicados para os casos de acne grave.
• Isotretinoína – medicação oral indicada para casos graves que não
respondem a outros tratamentos. Pode causar efeitos colaterais. A
prevenção da gravidez é indispensável durante o tratamento.
Dicas: Primeiramente procure um dermatologista, para avaliar e passar os
tratamentos certo para cada tipo de pele!

E também um centro estético para avaliar sua pele!

Postado por Ana Costa às 12:24 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Telangiectasias - Veias Avermelhadas

Chamadas de telangiectasias, as varizes de pequeno tamanho, bem finas,


tipo "fio de cabelo", vêem incomodando bastante mulheres e homens pela
questão de aparência - já que na maioria das vezes se localizam na face,
no nariz e no colo -, mas o que muita gente não sabe é que a progressão
destas veias avermelhadas pode levar a manchas e até a um e sangramento
no futuro se não cuidadas.

Segundo o angiologista e cirurgião vascular Eliud Garcia Duarte Júnior, as


telangiectasias ou vasinhos, são pequenos capilares localizados na pele,
muito finos, ramificados, em geral de coloração avermelhada, constituídas
de microfístulas arteriovenosas. São também chamados de "spider veins"
pelo padrão tipo teias de aranha. O crescente incômodo estético, que as
telangiectasias de face causam, principalmente em mulheres, vem fazendo
com que o angiologista se dedique cada vez mais ao problema,
pesquisando novas técnicas e aprimorando as já existentes, de tal forma a
associar um melhor resultado médico-cirúrgico a uma maior perfeição
estética.

A causa dos vasos do rosto são as mais diversas. "As telangiectasias são
um problema semelhante às varizes de membros inferiores, mas podem ter
causas diferentes. O envelhecimento facial, o uso de alguns medicamentos
tópicos, a hereditariedade e a rosácea, são algumas das principais causas
do aparecimento dos pequenos vasos na face", informa o Eliud Garcia.

A presença das telangiectasias na região central da face pode caracterizar


uma doença vascular inflamatória crônica, conhecida por Rosácea, que
pode ser acompanhados por pústulas e nódulos. A Rosácea ocorre
principalmente em adultos entre 30 e 50 anos de idade. É mais freqüente
em mulheres e, em geral, o quadro é mais extenso e moderado. Formas
mais localizadas e graves são encontradas mais comumente nos homens.
Raramente é observado o diagnóstico em negros.

Tratamento

"Assim como as varizes dos membros, as varizes da face também


apresentam bons resultados com os novos tratamentos a laser, onde as
veias disformes de pernas e face podem ser tratadas de maneira não
invasiva e com sucesso", informa o cirurgião vascular e angiologista José
Maria Gómez Pérez dizendo ainda que as recentes tecnologias permitem
uma sensível redução da dor e manchas na pele.

Portanto, para tratar varizes no rosto o Laser é mais eficiente, porque os


vasos são muito superficiais, e existe uma pequena extensão de pele entre
a superfície e os vasos, o que diminui riscos e facilita o tratamento. "A
eliminação dos vasinhos é realizada no próprio consultório médico, sem a
necessidade de anestesia, basta marcar o dia como se fosse fazer uma
consulta, o processo é realizado e o paciente vai embora em seguida. A
recuperação após as aplicações não exige muito cuidados especiais. O que
se recomenda é que o paciente não tome sol nas primeiras 24h", revela o
angiologista.
Os aparelhos de laser produzem luz com determinadas características que
podem ser controladas com perfeição. Estas características fazem com
que a luz seja seletivamente absorvida por células vermelhas de sangue
dentro dos vasos sangüíneos na pele, levando a alteração da energia
dentro dos vasos que se quer eliminar, mas não lesando os outros tecidos
ao seu redor. Assim se atinge o objetivo de eliminar os pequenos vasos da
pele.
Postado por Ana Costa às 11:46 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
TIPOS de PELE – Saiba o seu: Normal, Oleosa,
Seca, Mista?
Conhecer o seu tipo de pele é fundamental para conseguir tomar a
decisão acertada ao escolher os cuidados específicos de acordo com as
necessidades da sua pele. Os seus genes são certamente os maiores
responsáveis pelo tipo de pele que você tem. Sendo a pele um órgão do
seu corpo, tal como os outros órgãos, as suas características são
determinadas geneticamente, isto é, você já nasce com elas definidas.

No entanto, a beleza e saúde da sua pele durante a vida vai depender


também de outro tipo de fatores. O que você come, a sua dieta, o seu
nível de stress, os medicamentos que toma, a forma como você cuida do
seu corpo em geral e o descanso, são alguns dos fatores que determinam
a quantidade de óleo que a sua pele produz e também que aspecto vai ter.
Há várias dicas para ter uma pele bonita que você pode seguir, mas
talvez a mais importante seja identificar o seu tipo.A maior parte dos
especialista distinguem 5 tipos de pele: A pele normal, a pele oleosa, a
pele mista, a pele sensível e a pele sem Cada tipo de pele tem as suas
características particulares que requerem cuidados diferentes.
Pele Normal > A pele normal tem uma textura fina e uma superfície suave,
macia e é bem flexível. De todos os tipos de pele este é sem dúvida o
mais equilibrado e o que menos problemas e imperfeições como espinhas
e manchas desenvolve. Não é nem demasiado seca nem demasiado
gordurosa. Os poros são bem pequenos e mal se notam. Este é um tipo
de pele vibrante que reflete saúde.

Pele Oleosa > Este é um tipo de pele que (como o seu nome sugere)
produz uma maior quantidade de óleo, isto é, as glândulas sebáceas a
vários fatores (principalmente o fator genético) têm maior actividade do
que nas pessoas com pele seca, normal ou mista, o que leva uma maior
quantidade de secreção de sebo. A pele oleosa apresenta poros dilatados
, bem maiores do que os outros tipos de pele e também mais escuros,
devido ao excesso de sebo que produzem e ao lixo que se vai
acumulando, o que se revela num dos maiores problemas deste tipo de
pele. É um tipo de pele marcado pelo aspecto gorduroso e brilhante que
se vê em muitas pessoas. Tem também maior tendência para o
desenvolvimento de acne.

Pele Seca > De todos os tipos de pele, a pele seca será o que requer mais
cuidados, devido á sua tendência para envelhecer mais rapidamente e
desenvolver problemas mais sérios. É um tipo de pele com maior
tendência para descamar, ter menos elasticidade bem como desenvolver
rugas é linhas de expressão do que os outros tipos de pele.

Pele Mista > Este é provavelmente um dos tipos de pele mais comuns e,
como o próprio nome sugere, é uma combinação de pele seca com pele
oleosa. Algumas regiões são oleosas (principalmente na zona T-
queixo,nariz e testa) onde os poros são naturalmente mais dilatados e
também outras áreas em que esta pode ser normal ou seca (área em redor
dos olhos, boca e bochechas). Se você sente a sua pele esquisita como
se estivesse a ser esticada em algumas áreas e com excesso de óleo ,
então você provavelmente tem pele mista.

Pele Sensível > A pele sensível é um dos tipos de pele mais frágeis e se
torna irritada e inflamada muito facilmente. É normal haver zonas que
desenvolvam vermelhidão, coceira, manchas, ardor e uma maior
tendência para descamar. Apresenta uma textura fina, delicada e bastante
sensível ao uso de cosméticos bem como às alterações do clima. A pele
sensível é talvez um dos tipos de pele mais problemáticos e como tal
exige cuidados especiais.

OBS: Procure sempre ver o EPI-Equipamento De Proteção Individual.


Postado por Ana Costa às 10:45 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
quarta-feira, 7 de maio de 2014

Pele Lipidíca ( Oleosa e Acneica)


"sofre de pele lipídica? Veja quais são as causas e como diminuir a
oleosidade da pele."

Existem diversos tipos de pele, a alipídica (aspecto ressecado e com a


presença de descamações), a mista (aspecto seco nas maças, e oleoso na
região da testa, nariz, e queixo) e a oleosidade que apresenta a aparência
brilhante e presença de secreções sebáceas. Os brasileiros sofrem mas
com o tipo de pele lipídica, onde os poros possuem maior destaque, e
normalmente a características dilatadas, esse tipo de pele normalmente
vem acompanhado de acne e cravos (comedões) , piorando ainda mais a
aparência da pele.

A pele lipídica é causada pelo excesso de produção de sebo pelas


glândulas sebáceas e acarreta na maior propensão ao surgimento das
acne e dos cravos, e normalmente atinge até 90% das mulheres jovens.
Além da produção em excesso dos sebos, a alteração hormonal, o
excesso de sol, a má alimentação, e até mesmo a mudança
climática podem interferir no tipo de pele a tornando de espécie lipídica.
Se sua pele possui este aspecto e você deseja amenizar sua aparência
oleosa(lipídica) siga as dicas abaixo.Primeiramente adquira sabonetes
neutros para serem utilizados nas lavagens do seu rosto que não podem
ultrapassar a margem de duas vezes diárias, isto porque mais que isso o
efeito é contrário passando a estimular a maior produção do sebo. Além
disso, procure fórmulas que contenham antibactericidas e anti-sépticos.
A maior produção desse sebo é realizada durante a noite, por isso é
crucial que a pele seja higienizada antes de dormir, e caso use
maquiagem, não esqueça de retirá-la completamente toda noite. Procure
utilizar produtos sem álcool para retirar a maquiagem, existem diversos
demaquilantes no mercado com a fórmula isenta da substância. Outra
alternativa para quem deseja eliminar o aspecto oleoso da pele é a
realização de esfoliação uma vez por semana, existem produtos
especializados para a realização da esfoliação ou você pode preparar uma
solução caseira para esfoliar a pele, basta misturar um hidratante de sua
preferência.

Uma grande inverdade é que peles oleosas não devem ser hidratadas e o
uso de protetores solares aumenta sua oleosidade. Mesmo a pele oleosa
precisa do uso de hidratantes e é claro, do FPS . No entanto, procure as
versões “Oil Free” (livre de óleo) criados especialmente para esse tipo de
pele.O ideal é preocurar um dermato ou um centro estético, para lhe
orientar quanto ao uso desses produtos.

Postado por Ana Costa às 11:02 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
terça-feira, 6 de maio de 2014

Espero que Vocês Gostem do Meu Blogger


Ainda tenho muitas coisas para publicar, breve continuo dando dicas
sobre todos tratamento de pele e os fotótipos !
Postado por Ana Costa às 17:09 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Pés Macios, Hidratados, Sem Rachaduras?
''Cuidamos dos cabelos, das unhas, da pele, queremos estar sempre lindas.
Mas esquecemos do nosso pés, esses que nos sustentam durante todo o
dia, que fica horas dentro de um sapato apertado.Nossos pés, precisam
de cuidados, assim como outras partes.''

Tem menos glândulas sebáceas, a possibilidade de ressecar ou rachar é


bem maior que as outras, mais um motivo para cuidar muito bem.O que
causa rachadura dos pés?? Ingestão de pouca água,banhos
quentes,desidratação causada por elevados níveis de açúcar no sangue-
diabetes,consumo de bebidas alcoólicas.E como evitar o ressecamento ou
rachadura dos calcanhares? A primeira coisa a se fazer é se hidratar de
dentro para fora, sendo assim, beba água, no mínimo quatro copos por
dia. Evitar sapatos apertados e moderar no uso dos saltos! os pés
precisam de um descanso.Já os chinelos, rasteirinhas e sapatos sem salto
aumentam a pressão nos calcanhares, sendo assim, o ideal é que faça um
rodízio, alterne os modelos dia após dia, para evitar a pressão sempre nos
mesmos pontos.é preciso hidratar os pés diariamente para isso, use
produtos que tenham em sua formulação ureia, ácido glicólico, ácido lático
ou ácido salicílico – sempre após o banho.

Dicas: Devemos sempre cuidar bem dos nossos pés, eles precisam de
cuidados especiais!
Postado por Ana Costa às 17:04 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
As Mãos Denunciam a Idade.
Do que adianta todos aqueles cuidados para disfarçar ou atenuar o
envelhecimento da pele do rosto ou do corpo, as mãos, que denunciam a
idade?? Hidratantes e tratamentos faciais ou corporais serão sempre bem
-vindos.Se não cuidar,as mãos podem denunciar muito sobre os anos
vividos.

''Para manter as mãos macias e hidratadas são necessários cuidados


como: filtro solar e creme hidratante''

Postado por Ana Costa às 13:52 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
O Que São Hemangioma ou Angioma Rubi
Tipos de Hemangioma
O angioma rubi também é umas das causas mais frequentes. São
pequenas “bolinhas” vermelhas semelhantes a pedras de rubi que
surgem principalmente no tronco de indivíduos de ascendência ibérica ao
longo da idade adulta.
“Existem alguns medicamentos que podem parar o crescimento e até
fazer regredir estas lesões. Os corticoides sistêmicos e o imiquimod
tópico produzem esse efeito na criança. Mas, antes de iniciar qualquer
medicamento é preciso verificar os riscos e os efeitos colaterais”, alerta o
angiologista, Ary Elwing.
O Granuloma piogênico é conhecido como “carne esponjosa”, sendo uma
proliferação de vasos sanguíneos que forma uma lesão tumoral
secundária a um traumatismo, como os provocados pelos alicates das
manicures ou por uma unha encravada. Ela pode ser encontra no canto
da unha.
Angioma estelar corresponde a pequenas dilatações vasculares que
formam “braços” a partir de um ponto central. Também são chamados de
aranhas vasculares (nevus araneus) devido à semelhança de formato com
o animal.
E por último a mancha vinho do porto, são manchas com cores de vinho
ou salmão, encontradas no rosto ou nas mãos. A melhor opção para
remover essas manchas é o laser.

Tratamentos

O tratamento para as lesões pequenas pode ser feito por meio da


eletrocoagulação, excisão e sutura das lesões, ou até mesmo a
criocirurgia, mas o tratamento de escolha mais moderno e mais seguro é
o tratamento com o laser.
O uso do laser para a redução de tamanho tem sido mais indicado. A luz
emitida pelo laser danifica os vasos do hemangioma sem afetar a pele.

OBS: Esses procedimento só pode ser feito através de um dermato.


Postado por Ana Costa às 12:36 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Dermatose Papulosa Nigra
O que é?
Dermatose papulosa nigra são lesões que são pequenos pontos
acastanhados a negros, elevados que surgem com mais frequência na
face. Este problema acomete entre 35% e 77% das pessoas negras e pode
ter transmissão genética. No entanto, o tratamento é simples: com
cauterizações ou curetagem pode-se resolver o problema, tendo muito
cuidado para não desenvolver outras manchas na tentativa de remover a
lesões.
Trata-se de doença benigna que representa uma forma clínica específica
da ceratose seborréica. Pode atingir qualquer pessoa,porém mais
frequente na nossa pele meninas, então vamos entender um pouco mais.
O surgimento das lesões pode se iniciar ainda na juventude mas o
aparecimento das primeiras lesões é mais comum na idade adulta
Manifestações clínicas
As lesões são pequeninas, elevadas, de cor marrom escuro ou pretas,
atingindo principalmente a face e o pescoço. São assintomáticas e
começam formando pequeninos pontos, do tamanho de uma cabeça de
alfinete que crescem progressivamente até cerca de 2 a 5 milímetros de
diâmetro. Podem se unir, formando placas maiores.

Tratamento
O tratamento da dermatose papulosa é simples e traz bons resultados
estéticos, quando adequadamente indicado e realizado. Consiste na
destruição das lesões, que pode ser obtida através da cauterização
química ou eletrocoagulação.
Cauterização química
Consiste na aplicação de uma substância cáustica, geralmente um ácido,
sobre a lesão. O tratamento causa leve ardência e a área fica
esbranquiçada , o que dura alguns minutos. Pode ocorrer vermelhidão ao
redor.
Nos dias que se seguem, a área tratada torna-se escura e ressecada,
devido à morte celular. Cerca de 7 a 15 dias depois as lesões são
eliminadas.
Quando realizada de forma criteriosa, e com a concentração adequada do
ácido, proporciona ótimos resultados.

Observações: Só um dermato, que pode realizar esse tipo de


procedimento
( Cauterização Química ou eletrocoagulação.)
Postado por Ana Costa às 11:51 Um comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Tratamentos Para Machas de Pele
Despigmentadas

Dicas: "Antes de qualquer procedimento


estético procurar primeiramente um Dermato."

Peeling Médio e Profundo : Só pode se feito através de uma


dermatologista.
Peeling Superficial: Pode ser feito através de uma Esteticista.

O peeling superficial seria o mais leves e realizado em diversas sessões,


sendo a primeira opção para um clareamento de pele.

" Os peeligns químicos superficiais são uma alternativa uma alternativa


mais para deixar a cútis jovem, viçosa e hidratada, utilizando ácidos em
baixas concentrações. "

Todos os dias, milhares de células morrem, descamam e são substituídas


por novas. Com o envelhecimento, esse processo torna-se mais lento,
dificultando para a pele renovar manchas escuras ou corrigir o dano
causado pelo sol. A função de um peeling químico é criar uma descamção
controlada de várias camadas de células danificadas.

Peelings Mecânicos:
É um procedimento de esfoliação não-cirúrgico, não-invasivo, não
doloroso e de rápida execução que serve para atuar no rejuvenescimento
e melhorar a saúde da sua pele facial e corporal. As vantagens são menor
risco de discromias e regeneração tecidual mais rápida. Indicado para
homens ou mulheres de todas as idades.

O peeling de cristal pode ser superficial ou profundo variando de acordo


com a intensidade de lixamento.
Diamante: O procedimento é feito com uma caneta com ponta de lixa
diamantada que desliza sobre a pele promovendo uma esfoliação. O
principal objetivo é refazer a superfície da pele, reduzindo as rugas finas.

A abrasão e esfoliação são controladas e estimulam a formação de


colágeno – proteína natural da pele.

CUIDADOS FUNDAMENTAIS: É importante


que o paciente não se exponha ao sol sem proteçãod durante e após o
procedimento, uma vez que os ácidos deixam a epiderme mais fina e
sensível aos danos solares.O Sol potencializa a ação dos ácidos provoca
manchas e irritações diversas ou aumenta a vermelhidão da pele. É
indicado o uso de FPS várias vezes ao dia.
Depois do Peeling superficial é normal que a pele apresente vermelhidão
suave, sensação de ardor, ressecamendto, repuxamento e leve
descamação

ATIVOS QUE PODEM SER UTILIZADOS NOS


PEELINGS EM SÉRIE:
ÁCIDO RETINÓICO- Para fotoenvelhecimento, acne, manchas e
alterações da superfície da pele. O profisisonal de estética poderá aplicá-
lo em consultório médico e com orientação do dermatologista. As
concentrações variam de 1 a 5%.
Durante o Congresso, o Dermatologista norte-americano Dr. Albert
Kligman revelou que em 1963 tentou criar o ácido retinóico a partir da
vitamina A ácida e não teve sucesso. Porém, não tinha dúvidas de que
atingiria o seu objetivo. E efetivamente há 19 anos sua pesquisa teve
êxito e sua descoberta mostrou-se tão importante que hoje já podem se
usados, coma as mais diversas finalidades, cerca de 2000 retinódes.
"Quanto mais estudamos o Ácido retinóico, descobrimos um maior
número de aplicações para substância. Na verdade, pode ser
empregado no tratamento de quase todos os problemas ligados à pele.
Seus efeitos biológicos são inúmeros, dese o combate à acne, como na
quimioterapia.

Foram minhas próprias pacientes que me apontaram o uso do ácido


retinóico, como terapia anti-envelhecimento", comenta o Dr. Kligman.

ÁCIDO GLOCÓLICO- É um tipo de alfahidroxiácido, encontrado na cana-


de açucar. Ácidos desse grupo:
- LÁCTICO, contido no leite;
- MÁLICO, nas frutas ácidas;
- TARTÁRICO, nas uvas.
Esses ácidos podem ser aplicados como peelings sequênciais(4 a 6
sess). Melhora a textura da pele, atenua rugas, atua como coadjuvante
para as substâncias despigmentantes e melhora peles hipercrômicas.

As concentrações mais usadas por profissionais de estética têm maior ou


menor atuação frente ao pH do produto: se o ácido glicólico for usado a
uma concentração de 10% com pH 2, teremos uma biodisponibilidade
(permeabilidade) do ácido na pele de 100%, se o pH for de 3,8 ou 4,2 a
biodisponibilidade será de 35%, porque falamos de um pH mais próximo
da pele. Ao invés de penetrar 10% ele penetrará 3,5%.

RESORCINA- Ou Resorcinol é um derivado fenólico que pode ser


associado ao ácido salicílico (queratolítico) e ao ácido láctico em peelings
superficiais. Juntos cusam a ruptura de ligações de corneócitos e
consequente descamação. Em cabine de estética, a concentração em
cosméticos é de até 2%.

ÁCIDO MANDÉLICO- Extraído da amêndoa amarga, seu poder


antisséptico o diferencia dos outros alfa-hidroxiácidos. O uso tópico do
ácido mandélico tem atividade cosmético-farmacêutica e poder anti-
bacteriano.
O Tratamento com Ácido Mandélico a 20% é menos agressivo, de melhor
tolerância e produz resultados lentos, porém ótimos e seguros. A
recuperação é rápida e os riscos de complicações quase nulos. Ele
também pode ser aplicado em qualquer época do ano.
Por todos esse fatores, é uma alterantiva de peeling para todos os tipos
de pele. No Brasil, o ácido mandélico só é liberado a 10%.

ÁCIDO SALICÍLICO- Empregado como agente queratolítico, em


concentrações de 3 a 5%. Ação antifúngica suave quando associado ao
ácido benzóico. Para tratar acne e outras patologias onde há
hiperqueratose, em concentrações que variam de 2 a 10%.
Este ácido está sendo muito utilizado com o enfoque de tratamento no
envelhecimento cutâneo e aplicado em cabine.
Desde que foi descoberto em 1860, este ácido sempre esteve presente no
arsenal terapêutico por suas múltiplas aplicações. Recentemente,
descobriu-se que além de suas propriedades queratolíticas,
comedolíticas, anti-inflamatórias, anti-sépticas, fotoprotetoras e
adstringentes, possuía ação importante no tratamento da pele danificada
ou fotoenvelhecida.
O Dr Albert Kligman (Dermatologista) confirma que o "ácido salicílico é
efetivo na redução das rugas finas e linhas, além de melhorar a textura da
pele, pois atua como exfoliante epidérmico.

São muitas as opções para a realização de peelings na cabine de estética.


Além, de manter a pele viçosa e livre de manchas eles causam uma
descamação discreta e por isso não alteram a rotina diária.

Postado por Ana Costa às 11:27 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Tipos de Pigmentação de Pele
Discromia
Consiste em um termo médico utilizado para descrever anomalia ou alteração na
pigmentação da pele.
A etiologia da discromia é diversificada, podendo ser causada pela exposição aos raios
ultra-violetas (UV), alterações dos níveis hormonais, reações alérgicas, alterações
genéticas, estresse psicológico, acidentes mecânicos (como, por exemplo, queimadura),
entre outros. Dentre os locais mais comumente afetados estão: face, braços, mãos,
ombros, costas e pernas.

Classifica-se a discromia em dois tipos: hipodromia e hipercromia.


Hipocromia ( Pouca pigmentação)
Hipercromia ( Excesso de pigmentação)
Lêntigo solar: surge especialmente no tórax, como resultado da exposição solar.
Durante o período de tratamento das discromias, é de extrema importância evitar ao
máximo a exposição à luz solar, pois somente um dia já é suficiente para reverter meses
de tratamento.
Dicas : Quanto mais alto o valor do FPS, maior será a proteção que o filtro solar oferece
contra os raios UV-B (radiação ultravioleta, que causa queimaduras, e até mesmo câncer
de pele a longo prazo). O FPS também tem o poder de indicar o tempo que a pessoa
pode se expor ao sol usando filtro solar, e quando ela deve colocar novamente.
Para escolher o FPS ideal, o indivíduo deve tem em mente que, quanto mais clara for a
sua pele, mais alto deve ser, por exemplo, o FPS 15 filtra 93,3% da radiação ultravioleta
B, já o FPS 30 evita 96,7%.

Este tipo de discromia caracteriza-se por apresentar pouca pigmentação. O tipo mais
comum é o vitiligo. Esta patologia é de difícil tratamento; contudo, algumas técnicas,
como, por exemplo, a micropigmentação, podem melhorar a estética da área
despigmentada.

Este tipo de discromia caracteriza-se por apresentar excesso de pigmentação. São


diversos os tipos de hipercromia, dentre eles estão:

Mancha mongólica: também resulta da exposição à luz solar, de localização dérmica,


ocorrendo com maior frequência em pessoas negras.
Lêntigo senil: localizam-se habitualmente nas mãos, braços e face e decorrem da
exposição durante anos ao sol.
Efélide: popularmente conhecidas como sardas, ocorrem em pessoas de pele clara e
localizam-se mais comumente na face.
Melasma (ou cloasma): possui coloração marrom escura e localiza-se mais
frequentemente na face. Surge em mulheres durante o período gestacional, resultando,
em grande parte, das alterações hormonais ocorridas nesse período.
A melhor forma de evitar a discromia ocasionada pela exposição aos raios UV é utilizar
protetores com alto fator de proteção solar e de amplo espectro.
Câncer de Pele 1 - e Radiação Ultravioleta
Como vivemos em um país de clima quente e a maioria das pessoas ainda não se
conscientizou da importância do uso do protetor solar, tem sido crescente a incidência do câncer
de pele na população brasileira.

Conceito:

" O câncer de pele é um tumor formado por células da pele que sofreram mutações
gênicas e passaram então a dividir-se de forma desordenada, anormal, gerando um novo
tecido(neoplásico) que não preserva mais as suas características fisiológicas."
A exposição prolongada e frequente a radiação ultravioleta do sol é o principal agente
"causador" das mutações gênicas das células da pele, mas, para cada tipo de CA de pele
há ainda outros fatores que influenciam.
Essa mesma exposição "desprotegida" da pele aos raios ultravioletas do sol, é
também fator predisponente "a aceleração do envelhecimento da pele.
Como o sol pode provocar CA de pele?

Os raios solares (as radiações que ele emite UVA e UVB) atingindo o tecido cutâneo,
podem fazer com que haja a liberação de radicais livres que causam lesões no tecido
tegumentar.

Radical Livre: Moléculas com "elétrons desemparelhados", com elétrons "sobrando",


são moléculas instáveis, pode-se dizer que "agitadas", e essa sua instabilidade provoca reações
bioquímicas que lesionam as membranas e o material genético (DNA) da célula, aqui em se
tratando das células da pele.

Se persisti essa exposição constante e prolongada aos raios solares na pele, pode, num
dado ponto, causar mutação genética que leva essa célula da pele que foi constantemente
atingida a dividir-se já com alguma alteração e dependendo, tornar-se uma célula cancerígena.
Esse processo relaciona-se ao que é denominado pelos especialistas da área
como Estresse Oxidativo que leva lesões nos mais diversos tecidos.
Um tipo de substância que pode proteger a nossa pele são os antioxidantes, que
neutralizam o efeito dos radicais livres nos tecidos para que estes não os lesionem,
causando sua alteração genética e, com isso, o aparecimento de até um câncer.
Nós produzimos antioxidantes endógenos em nossa pele, mas, também, principalmente na
Estética, podemos utilizar a tecnologia cosmecêutica para utilizar sobre a pele dos clientes,
elementos antioxidantes para proteger sua pele.
Há vários tipos de radiação ultravioleta na luz solar (A, B, C, D) mas, na Estética, para os
tecnólogos, interessa as radiações UV tipos A e B, que são as formas que incidem na pele
causando desde envelhecimento precoce até o CA propriamente dito.
A radiação solar UVB é menos profunda que a UVA, a radiação UVB atinge a camada
mais externa, ou seja, a epiderme da nossa pele. A radiação UVA tem um comprimento de onda
maior, chegando a atingir a derme da pele. Assim, dependendo do comprimento de onda da
radiação, esta poderá alcançar e lesionar diferentes tipos de células da pele, portanto, o nome e a
gravidade de cada tipo de câncer de pele, dependerá de qual(s) célula foi atingida e sofreu
mutação gênica maligna.

Tipos de Radiação UV e Classificação de Fitzpatrick


Além dos raios solares, o fato de uma pessoa ser mais ou menos morena, também
influencia nessa maior predisposição. Quanto mais fotossensível a pessoa for, ou seja,
quanto menor for o seu fototipo (I, II), menas melanina essa pessoa produz e, mais exposta
a ação dos raios UV do sol ela fica. A classificação do Fototipo cutâneo é dada pela
"Classificação de Fitzpatrik.
(imagens ilustrativas Biblioteca Person Unopar Virtual).

Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 11:39 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Marcadores: antioxidante., Cancer de
pele, carcinoma, fototipo, melanoma, oxidante,radicais livres, Raios UVA e UVB, tipos
de cancer de pele
terça-feira, 11 de março de 2014

Tratamento Clínico da Acne


 Limpeza e Higienização adequada (com os produtos corretos e de forma correta);
 Para hidratar pele acnéica não se pode usar cosméticos a base de óleo;
 Usar cosméticos a base de gel, gel creme, loções aquosas e todas livres de álcool;
 Tratamento antibiótico prescrito pelo médico especialista nos casos mais graves de
acne. Há os de uso tópico e oral.
Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 13:13 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest

Lesões Elementares e Acne

Sabe-se que uma pessoa com Acne poderá apresentar em sua pele vários tipos de lesões
elementares (umas primárias outras secundárias), dependendo do grau dessa acne. Ainda que,
algumas dessas lesões presentes na acne poderão estar presentes em algumas patologias
dermatológicas como, por exemplo, o herpes, psoríase, entre outras. `Portanto, lesão elementar
não quer dizer patologia, mas, várias patologias diferentes podem apresentar, por vezes, tipos de
lesões elementares comuns a vários tipos de afecções dermatológicas diferentes.
Classificação Básica das Lesões Elementares
Lesões Elementares Primárias
1. Alterações de cor - planas;
2. Formações sólidas;
3. Coleções Líquidas:

Lesões Elementares Secundárias


4. Alterações da espessura;
5. Perdas Teciduais;

A partir do conhecimento dessas lesões, mais todos os outros dados colhidos na anamnese
é que o esteticista norteará então suas condutas.
Eritema: lesão elementar primária, aparece em forma de macha vermelha na pele, que
desaparece a vitropressão (quando se comprime o local, o eritema desparece ou diminui muito)
aparece porque está havendo vasodilatação nos capilares da derme no lugar onde se vê o
eritema. Há patologias diferentes que tem como um de seus sinais, o eritema, por exemplo:
O Lúpus eritematosos sistêmico causa um eritema em forma de asa de borboleta na face, as
doenças virais causam eritemas em vários locais, a psoríase causa o surgimento de placas
eritematosas na pele.
Pápula: lesão elementar primária sólida e circunscrita (delimitada), pequena, menor que 1
cm, alta sobre a pele e pode ter em sua superfície o formato plano ou encurvado, pode ser
superficial ou profunda, atingindo a derme.
Placa: maior que a pápula, maior que um centímetro, pode ser formada pela união de
várias pápulas (placa papulosa), e tem a superfície plana, que poderá estar descamando, com
crosta ou queratinizada ou até macerada (esfarelando).
Vesícula:Lesão elementar de conteúdo líquido. Pequena bolha. Aparece na pele como uma
pequena cavidade com conteúdo líquido claro, intraepidérmica, menor que 1 cm, elevada e
circunscrita;
Bolha: Cavidade com conteúdo líquido claro ou hemorrágico, maior que 1 cm, que pode
estar situada na derme, ou entre a derme e a epiderme.
Flictena: Bolha causada por queimadura.
Algumas patologias onde podemos verificar a presença de bolhas são o herpes e o impetigo.

Pústula: Lesão de conteúdo líquido, similar a vesícula, porém seu conteúdo é purulento
(provem de processo infeccioso ou não, por exemplo, as pústulas presentes no impetigo e na
acne são sépticas (infectadas por toxinas bacterianas), já as presentes na psoríase pustulosa são
assépticas (não é por infecção bacteriana, pois a psoríase é uma patologia auto imune).
Cicatriz: Lesão elementar secundária que também pode ocorrer na Acne. Surge como uma
lesão brilhosa sem anexos cutâneos (pêlos, glãndulas), formada devido a um processo de
reparação tecidual. Ex: corte. Pode ser plana na pele, mais funda que a pele ou elevada. Ex: As
estrias são um tipo de cicatriz, nelas ocorre perda tecidual na derme, pois fibras de
colágeno e elastina da derme se rompem e formam uma cicatriz interna que visualizamos
e sentimos na epiderme, porque houve perda tecidual.
Crosta: Lesão elementar secundária, formada a partir de uma lesão primária, conhecida
como "casquinha de machucado", é uma massa que se forma na área de perda tecidual devido
ao ressecamento de alguma secreção que vazou no local da lesão (sangue, pús, serosa) e,
dependendo do líquido que ressecou a crosta terá uma cor específica.

Obs.: A rosácea é uma patologia que ocorre na mulher, por fragilidade capilar da derme que se
apresenta como um tipo de acne.

Acne
Conceito:
É uma patologia inflamatória crônica, de caráter universal, que desenvolve-se
principalmente na população jovem do sexo masculino, porque a acne depende da testosterona,
e o rapaz, na puberdade, tem um grande aumento da produção desse hormônio, porém, as
mulheres, na puberdade, também apresentam uma pequena produção de testosterona, suficiente
para produzir acne também na mulher.
Não ameaça a vida, porém, traz um comprometimento psico-social, levando talvez ao
isolamento social quando a pessoa apresenta um grau de acne mais elevado.
É multifatorial (vários fatores podem levar ao seu desenvolvimento e aumento de grau) e
pode ocorrer por fator genético, sua fisiopatogenia é complexa.
Fisiopatogenia da Acne

1. Ocorre produção de sebo exagerada pelas glândulas sebáceas por estímulo hormonal;
2. Ocorre hiperqueratinização no folículo pilosebáceo que causa uma "rolha" que não permite
o escoamento normal do sebo (que e]já está sendo também produzido em maior quantidade);
Aqui, inicia-se o grau não inflamatório da acne.
3. Há colonização bacteriana, principalmente pela bactéria P. acnes, que normalmente não é
patogênica, mas, devido o acumulo de sebo, ocorre mudança do pH no local, promovendo o
crescimento dessas bactérias de forma patogênica; Grau inflamatório e indo para o infeccioso da
acne.
4. Ocorre liberação de substâncias pró inflamatórias devido as toxinas liberadas pela bactéria.
Nas ilustrações aqui abaixo, o folículo normal, antes da acne.
Agora, ilustrações da Acne, formando os comedões: aberto ou preto e fechado ou branco:
As 4 ilustrações acima são do site: http://www.elascontraacne.com.br/pt/acnes-e-espinhas/acne-
x-espinha/#

Causas não Hormonais da Acne

 Stress;
 Alimentação;
 Higienização da pele;
 Cosméticos utilizados na pele;
 Medicamentos (como os corticóides);
 Idade (na puberdade é mais prevalente);
 Patologias (ovário policistíco)
Resumo Ilustrado da Fisiopatologia da Acne

(fonte: www.saudecominteligencia.com.br)
Então, a lesão inicial da acne é o microcomedão, onde há leve dilatação do canal folicular,
pequeno aumento do tamanho das células foliculares e aumento da queratinização dos
corneócitos da epiderme (camada mais superficial da pele, a parte da pele que conseguimos ver
e tocar).
Quando o folículo fica tão cheio de sebo, suas paredes rompem-se e seu conteúdo
extravasa para a derme (camada mais profunda abaixo da epiderme) e entra o grau inflamatório
e após o infeccioso.

Graus da Acne

 Grau I não inflamatório, fase comediana: Há comedões abertos e fechados;


 Grau II inflamatório: Há comedões abertos, fechados, pápulas e pústulas; Pápulas
estão presentes no inicio do processo inflamatório da acne, e pústulas, quando já está havendo
evolução para um quadro mais grave, é o final do grau inflamatório, partindo para o infeccioso.
 Grau III inflamatório crônico: As lesões dos graus anteriores mais nódulos e cistos
(chamados de "espinhas internas" menores); Já podem começar a deixar cicatrizes;
 Grau IV: Há lesões dos graus anteriores mais abcessos grandes (infecciosa);
Deixam cicatrizes;
 Grau V: Acne Fulminanate, onde há as lesões mais graves e ainda necrose tecidual,
esse estágio da acne pode ameaçar a vida do paciente. É tratado com antibioticoterapia prescrita
pelo médico, mais medicações tópicas. As cicatrizes são muito profundas e difícil de tratar.
Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 12:47 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Marcadores: acne, bolhaespinhas, comedão aberto, comedão
fechado, cravos, discromia,Lesões, mácula, mancha, pápula, pele, pústulas
segunda-feira, 10 de março de 2014

Lesões elementares que podem ser


identificadas na pele do cliente
Há um curso gratuito e virtual da Unifesp que disponibiliza um estudo de dermatologia básica,
explicando todas estas lesões, com desenhos e fotos muito rico em conteúdo. Acesse pelo link
abaixo:
Curso Básico de Dermatologia da Unifesp Virtual

Mas, deixo aqui uma sintese:

As lesões elementares (de elementos) da pele, podem ser divididas em:


Primárias e secundárias, e dentro desta classificação básica haverá várias subdivisões
subsequentes.
Lesões Primárias:
Acima, fotos de tipos diferentes de machas (do curso da Unifesp já mencionado)
 Planas - Máculas ou Manchas que podem ocorrer por alterações: Vásculo
sanguíneas (Eritema, Telangiectasia, Púrpura, Mancha angiomatosa, mancha anêmica) e/ou
por alterações pigmentares (Asleucodermias: hipercromia. hipocromia, acromia)

placa

 Sólidas - Comedões ("cravos", que são formados por rolha de sebo tampando a
saída do folículo, quando ficam sem camada córnea da pele sobre eles, chamam-se
comedões abertos, ficam pretos na superfície onde a pele recebe luz devido a oxidação.
Quando há camada córnea da pele recobrindo a saída do folículo, então o sebo não oxida e
permanece clarinho, é o comedão fechado. Outras lesões sólidas são: Pápula, placa, nódulos,
cistos (de conteúdo pastoso), urtica, vegetação.
pápulas
 De conteúdo Líquido : Bolhas, Vesículas, Flictenas, Abscesso, Cisto (de conteúdo
líquido), hematoma.

cisto epidermóide.

Lesões Secundárias:
 Alterações de consistência e espessura: queratose, liquenificação, cicatriz, esclerose.
 Alterações por perda tecidual: Úlcera, crosta, fissura, fístula, escara.
 Aproveitando deixo uma foto que explica sobre a acne, que é um processo inflamatório
complexo do comedão ( que é uma lesão elementar primária) formando pápulas, pústulas, e,
dependendo do seu grau, evolui, apresentando outras lesões secundárias (como a cicatriz).


Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 14:53 Nenhum comentário:
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest

Avaliação Facial 1 - Classificando a Pele


Para o(a) Profissional Esteticista avaliar, ou seja, analisar a pele da face do cliente, antes,
precisa compreender bem a anatomia e fisiologia da pele, saber identificar lesões elementares
nessa pele, tendo em vista que são esses conhecimentos que o nortearão em suas decisões a
cerca dos protocolos que recomendará a cada cliente seu. Pontos importantes a saber sobre a
pele:
O Manto Hidrolipídico
O equilíbrio fisiológico da pele está relacionado ao seu manto hidrolipídico (camada
protetora que está sobre a camada córnea da epiderme, formado basicamente por suor e sebo
(gordura, lipídio) provenientes das glândulas sudoríparas e sebáceas respectivamente), esse
manto é o hidratante natural da nossa pele. Protege a pele da evaporação excessiva de água
proveniente da derme que hidrata e nutre a epiderme impedindo seu ressecamento. Atua como
uma película protetora e auxilia também na manutenção do pH da pele.
Se esse manto for muito "grosso" pela grande produção de sebo, a pele fica oleosa demais
e pode formar a acne.
Se este manto for muito fino, a pele resseca com mais facilidade.
Quando usamos produtos "errados", não apropriados, nós acabamos "destruindo esse
manto, e alterando o pH da nossa pele, e se não faço uma boa higiene o sebo e partículas de
poeira se acumulam e pode "formar rolha" na abertura de alguns poros do folículo pilosebáceo e
levar ao surgimento do comedão (cravo) na superfície da pele.
pH da Pele
deve estar, segundo as literaturas da área, entre 4,5 e 6.

Aqui, ilustração das alterações de pH que ocorrem no cabelo dependendo do que está
sendo utilizado nele, e como o pH influencia no fato dele permanecer com suas cutículas
abertas ou fechadas.
A sigla pH significa Potencial Hidrogeniônico.
É medido por uma escala que vai de 0 a 14, sendo que:
 pH neutro é em torno de 7;
 pH alcalino (neutro) ou básico, > que 7, aproximadamente de 8 pra cima;
 pH acido menor que 7;
 Porém, para cada substância há um pH ideal; Quando usamos um cosmético não ideal
ao nosso tipo de pele, podemos alterar o pH da nossa pele.
 O pH de uma pele saudável está entre 4 e 6, ou seja, é mais ácido, e isso tem um porquê.
 Esse pH entre 4 e 6 tem ação bactericida e fungicida;
 Se o pH da pele aumenta, indo para 7, 8, etc, a pele perde essa proteção bactericida que
favorece o desenvolvimento da acne na pele.
Então, como vemos, precisamos, antes de utilizar quaisquer cosmético na pele do nosso cliente
e também, para orienta-lo quanto ao tipo correto de cosmético que ele deve comprar e utilizar,
classificar primeiro essa pela, e para definirmos o "tipo de pele do cliente" a analisamos quanto
aos seguintes aspectos:
 Conteúdo Lipídico: analisa a normalidade da produção de sebo pelas glândulas
sebáceas, verificado pelos sinais de oleosidade já descritos na introdução. Por esse aspecto
verificamos, basicamente, se a pele é oleosa, mista, seca, normal ou sensível.
Pele Normal ou Eudérmica

"Tem um manto hidrolipídico normal, aspecto sedoso, aveludado, envelhece pouco e mantém
sua flexibilidade e elasticidade"

Pele Oleosa
"Áreas com oleosidade aumentada, principalmente na zona T (Testa, nariz e mento ou queixo)."
 Apresenta brilho;
 É alcalina (pH maior que 7) que grande quantidade de produção de sebo.
 Apresenta poros dilatados porque estão cheios de sebo, não apenas na zona T, e
apresentará comedões (cravos), por várias áreas da face;
 Tem aspecto grosso;
 Áspera, porque acumula sujidade;
 Predisponente à acne (processo inflamatório no folículo pilosebáceo que leva o
comedão a inflamar, e o cliente apresentará lesões elementares como pápulas e pústulas).
 É a pele que mais precisa fazer limpeza.
Pele Seca
"Apresenta área desidratadas e com tendência à descamação".
 Pele desidratada;
 Pele ácida;
 Produz pouco sebo, pouco manto hidrolipídico;
 Pele áspera, opaca e descamativa por falta desse manto e sensação de repuxamento por
parte do cliente;
 Mais sensível;
 Envelhece mais fácil, resseca;
 Não apresenta poros dilatados;
Pele Mista
 Tem partes oleosas e partes e secas;
 Pode ser ácidas nas partes secas e alcalina nas partes oleosas;
 Oleosa na zona T e seca nas laterais;
 Precisa de cosméticos apropriados para pele mista, caso contrário, suas partes oleosas
piorarão e as secas também.
Pele Sensível
 Pele frágil e delicada;
 Pele fina que desenvolve alergias com facilidade;
 Queima fácil tanto por exposição ao sol quanto ao frio e vento;
 É mais seca;
 Mais propensa ao surgimento de rugas;
 Precisa de produtos com ativos próprios para essa pele, pois ela arde fácil, irrita e pode
desenvolver alergia mesmo a um produto já utilizado;
 Peles claras na maioria e têm mais tendência a apresentar sensibilidade;
Na Prática, como avaliamos a Pele do Cliente
 A primeira avaliação realizamos antes de higienizar a pele, do jeito que a(o) cliente
chega verificamos se há brilho de óleo e comedões;
 Com a cliente deitada na maca, higienizamos essa pele e avaliamos novamente,
observar se não houve sensibilidade, se não está repuxando essa pele, é uma avaliação visual,
também tocamos na pele, fazemos perguntas e anotamos as respostas da(o) cliente, sempre
utilizando as mesmas palavras ditas por ele e entre aspas, preenchendo toda a ficha de
anamnese de avaliação facial.

Conteúdo Hídrico: Serve para analisar a função da glândula sudorípara, ou quanto


de água, suor. Basicamente, a pele será classificada em hidratada ou desidratada.

Na pele desidratada, a cliente costuma se queixar de que só sente uma leve hidratação quando
usa o creme, mas logo fica com sensação de ressecamento e até repuxamento. Precisa mais de
tratamentos como: Hidratação profunda e rejuvenescimento.

Após classificarmos a pele do cliente quanto a quantidade de óleo e de água, é necessária a


classificação quanto ao seu fototipo, ou seja, de acordo com sua pigmentação, sua cor, qual a
sua sensibilidade aos raios solares seguindo uma classificação internacional de uso universal
denominada Fitzpatrick. Não podemos, contudo, só olhar as características da tabela para
classificar, pois, no Brasil, por exemplo, há muitas variações. Sem contar que, há mulheres que
clareiam a cor dos cabelos, alisam cabelos, usam lente de contato, enfim, não será a "real"
aparência dela, portanto precisamos avaliar essa pele quanto ao seu nível de queimadura (ficar
vermelha, arder, porque a pele inflama devido ao sol) quando se expõe ao sol, e o quanto ela
bronzeia (escurece) conversando com a cliente e observando suas características.
Lembrando que: "O Bronzeado só acontece porque a pele produz mais melanina (nos
melanócitos) para nos proteger dos raios solares e, quando uma pessoa se expõe sempre ao sol
sem protetor solar, e quanto mais fotossensível ela for, mais pode acarretar a perda de potencial
de produção de melanina pelos melanócitos que, então levará ao aparecimento de manchas."

Clique no link abaixo para ter acesso a um artigo sobre esta classificação:
classificacao-dos-fototipos-cutaneos-escala-de-fitzpatrick
Basicamente, as análises da pele realizadas pelo esteticista serão então:

 Analise Visual: O profissional realiza uma análise visual da sua pele identificando as
características de coloração e pigmentação. Cor: Pálida ou avermelhada. Pigmentação:
hipercrômicas, hipocrômicas ou acrômicas, e, em quais locais estão estas alterações de cor e
pigmentação.
 Análise da Superfície da Pele: O profissional deverá tocar a pele do cliente para
"sentir" como está a superfície dessa pele, verificando:

Pelo Tato, se a pele está:


 Lisa – A pele lisa é suave ao tato e não possui relevos.
 Áspera – É mais espessa, apresentando alterações na superfície.
Espessura
 Fina – Suave ao contato e possui textura delicada.
 Carnosa – Mais espessa e possui textura mais grossa.
Firmeza
 Rugosa – Contém linhas de expressão profundas.

 Análise por Palpação da pele para verificar:


 Temperatura - Normal, fria, mais quente que o normal;
 Tônus - rígido, muito rígido, normal;
 Turgor cutâneo - O profissional levanta uma fina prega da pele do cliente / paciente
entre os dedos polegar e médio do profissional e segura-a por alguns segundos, ao soltá-la, nota-
se o tempo gasto para se desfazer. Se o tempo for:


  Imediatamente – O tugor está excelente;
  Até 3 segundos – Está abaixo do normal;
  Mais de 3 segundos – O tugor está insuficiente.
 Percebe-se que, quanto maior o tempo para a prega se desfazer, maior a desidratação
dessa pele.
 Sensibilidade da Pele: O Profissional passa o canto arredondado de uma espátula na
pele e nota sua reação.
Além dessas análises, o profissional classifica a pele segundo a semiologia cutânea para
descrever quais tipos de lesões elementares estão ou não presentes na pele do cliente, para
terminar de compor seu protocolo.
Observação: A ficha de anamnese contém todo um questionário que deve ser sinceramente
respondido pelo cliente sobre seu estado de saúde atual e anterior, para que diminua riscos de
haver quaisquer intercorrêcias, tais como alergias ou até a utilização de um tratamento
inadequado ou contra indicado para clientes com determinadas características.
Resumo do que é avaliado seguindo o check list da ficha semiológica de avaliação facial:
 Classificar o tipo de Pele;
 Fototipo de Pele;
 Tipos de Lesões Elementares que estão presentes: lesões vasculares, pigmentares,
sólidas, líquidas, alterações de queratinização e alergias.

Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 14:07 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest

Semiologia Cutânea na Estética Facial -


Parte 1 - Tipos de Pele - Introdução
Esse breve vídeo abaixo é uma demonstração sintetizada de como identificamos os tipos de
pele.
(Da: EDUBRAS)

Postado por Enfermagem - Ensinando a Cuidar às 11:33 Nenhum comentário:


Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no
FacebookCompartilhar com o Pinterest
Marcadores: estética, estética facial., facial, pele, pele mista, pele normal, pele
oleosa, pele seca, pele sensível, semiologia, semiologia cutânea, tipos de pele

Primeiro Momento na Estética


O início do trabalho profissional...
Todo e qualquer atendimento inicia por uma primeira consulta de avaliação do
cliente que chega até nós. Observando sua queixa principal, realizando apurada
anamnese e conscientizando o cliente, sem o qual não será possível obter sucesso na
realização de qualquer tratamento, pois o tratamento iniciado na clínica ou centro
estética, deve ser mantido pelo paciente em seu domicilio e vida diária, quando este
segue então, todas as orientações fornecidas a ele pelo profissional esteticista (as quais
ele também compromete-se a seguir assinando o termo de esclarecimento e
responsabilidade).
Segundo GOBBO:
"O profissional de estética deve estar ciente de que todos os tratamentos devem
possuir protocolos individualizados à cada cliente. Na realidade, o que denominamos
protocolo é um tratamento que alcançou seus objetivos. Dentro do protocolo existem
diversas técnicas profissionais e, sendo assim, cabe ao profissional analisar,
compreender as técnicas e saber diferenciar cada paciente no momento da avaliação
cutânea - protocolando, portanto, as técnicas que serão utilizadas em seu
tratamento."
Fisiopatologia do melasma

Luciane Donida Bartoli MiotI; Hélio Amante MiotII; Márcia Guimarães da


SilvaIII; Mariângela Esther Alencar MarquesIV

I
Doutora em Patologia, Dermatologista do Departamento de Dermatologia e
Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) - Botucatu (SP), Brasil
II
Professor Assistente Doutor do Departamento de Dermatologia e Radioterapia da
Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) - Botucatu (SP), Brasil
III
Professora Assistente Doutora do Departamento de Patologia da Faculdade de
Medicina de Botucatu (Unesp) - Botucatu (SP), Brasil
IV
Professora Adjunta do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina de
Botucatu (Unesp) - Botucatu (SP), Brasil

Endereço para correspondência/ Mailing Address

RESUMO

Melasma é uma dermatose comum que cursa com alteração da cor da pele normal,
resultante da hiperatividade melanocítica focal epidérmica de clones de melanócitos
hiperfuncionantes, com consequente hiperpigmentação melânica induzida,
principalmente, pela radiação ultravioleta. Clinicamente, caracteriza-se por manchas
acastanhadas, localizadas preferencialmente na face, embora possa acometer também
região cervical, torácica anterior e membros superiores.Mulheres em período fértil e de
fototipos intermediários representam as populações mais acometidas. Grande parte de
sua fisiopatogenia permanece desconhecida, havendo relação com fatores genéticos,
hormonais, uso de medicamentos, cosméticos, endocrinopatias e fotoexposição. Os
autores discutem os principais elementos relacionados à pigmentação da pele e ao
desenvolvimento do melasma.

Palavras-chave: Melanose; Pigmentação da pele; Raios Ultravioleta; Transtornos


da pigmentação

INTRODUÇÃO

Cor da pele normal


A pele é o mais visível aspecto do fenótipo humano e sua cor é um de seus fatores
mais variáveis. Pouco se conhece sobre as bases genéticas, evolutivas e os
aspectos culturais relacionados ao estabelecimento dos padrões de cor da pele
humana.1,2

Acredita-se que as variações, na cor da pele, sejam ganhos evolutivos e estejam


relacionadas com a regulação da penetração da radiação ultravioleta (RUV).3,4

A síntese de vitamina D na pele, degradação de ácido fólico pela RUV, resistência à


exposição solar direta e elementos culturais são argumentos sobre os quais tentam
explicar a distribuição fenotípica da cor da pele em diferentes latitudes do
planeta.5,6

A cor da pele humana normal é principalmente influenciada pela produção de


melanina, um pigmento castanho denso, de alto peso molecular, o qual assume o
aspecto enegrecido, quanto mais concentrado.7-9

No entanto, pigmentos exógenos amarelos - os carotenóides -, também contribuem


para a coloração da pele, assim como o vermelho endógeno, da hemoglobina
oxigenada nos capilares da derme e azul endógeno, da hemoglobina reduzida nas
vênulas.7,9

Em humanos, a pigmentação da pele e dos cabelos é dependente da atividade


melanogênica, dentro dos melanócitos, da taxa de síntese de melanina, bem como
do tamanho, número, composição e distribuição de partículas do citoplasma dos
melanócitos, denominadas melanossomas, além da natureza química da melanina
que elas contêm.8-11

Os melanócitos e os melanossomas têm seu número relativamente constante, em


diferentes etnias, como discutido adiante.9

Melanócitos

Melanócitos são células fenotipicamente importantes, responsáveis pela


pigmentação da pele e dos pêlos, contribuindo para a tonalidade cutânea,
conferindo proteção direta aos danos causados pela RUV.9

São células dendríticas, embriologicamente derivadas dos melanoblastos, os quais


se originam da crista neural, migrando para a pele logo, após fechamento do tubo
neural. Essa migração pode ocorrer para vários destinos, sendo que os
sinalizadores para os quais direcionam tal processo, ainda precisam ser melhor
caracterizados.8,12

Quando se tornam células completamente desenvolvidas, distribuem-se em


diversos locais: olhos (epitélio pigmentar retiniano, íris e coróide), ouvidos (estrias
vasculares), sistema nervoso central (leptomeninges), matriz dos pêlos, mucosas e
pele.8,12

Na pele, estão localizados, na camada basal da epiderme e, ocasionalmente, na


derme. Projetam seus dendritos, através da camada malpighiana, onde trans-
ferem seus melanossomas aos ceratinócitos (Figura 1). Essa associação
melanócito-ceratinócito é denominada: unidade epidérmico-melânica, e é
constituída, nos humanos, por um melanócito e cerca de trinta e seis
ceratinócitos.8,13,14
As células basais epidérmicas estão unidas às células vizinhas, por estruturas
específicas, denominadas desmossomas, e à membrana basal, por
hemidesmossomas. Os melanócitos não estão fixos na epiderme, identificando-se
apenas, pequeno desnível na posição dos melanócitos, em relação ao alinhamento
da camada basal, projetando-se, ligeiramente, em direção à derme (Figura 2).11
A densidade de melanócitos varia com os diferentes locais do corpo. Há em torno
de dois mil ou mais melanócitos epidérmicos por milímetro quadrado de pele da
cabeça e antebraço e cerca de mil, no restante do corpo, em todas as raças. Esta
regulação exata do número de melanócitos, na epiderme, parece ser mediada pelos
ceratinócitos e por mediadores específicos como o fator de crescimento de
fibroblastos (FGF2).11

O número de melanócitos diminui com a idade, em áreas não fotoexpostas, na


proporção de 6 a 8% por década, sendo que as diferenças raciais na pigmentação
não são devidas a uma marcante variação no número de melanócitos, mas sim no
seu grau de atividade (síntese de melanina e melanossomas), na proporção dos
subtipos de melanina (feomelanina e eumelanina), suas distribuições e
envolvimento de fatores ambientais como a exposição solar, já que estimulam
diretamente a síntese de melanina.11,15

Nos melanócitos, a melanina produzida fica armazenada em estruturas


intracitoplasmáticas específicas, denominadas melanossomas.

Melanossomas

Melanossomas são organelas elípticas, altamente especializadas, nas quais ocorre


síntese e deposição de melanina (Figura 3), armazenamento de tirosinase
sintetizada pelos ribossomos, e representam a sede dos fenômenos bioquímicos em
que originam a melanina.7

A síntese de melanina ocorre exclusivamente, nos melanossomas, sendo


dependente de vários genes.
Melanossomas desenvolvem-se em uma série de estágios morfologicamente
definidos (Figura 4), desde estruturas despigmentadas (estágio I) até organelas
listradas repletas de melanina (estágio IV).11,16

A diferença fenotípica fundamental entre as raças mais pigmentadas e menos


pigmentadas não reside na produção de melanina ou no número de melanócitos,
mas, principalmente, na qualidade de seus melanossomas (Tabela 1). 16

Os melanossomas nos indivíduos negros são maiores e mais maduros do que nos
brancos e são armazenados mais como unidades do que como grupamentos. Nos
ceratinócitos, a degradação dos melanossomas maiores é retardada, o que também
contribui para os níveis mais altos de pigmentação cutânea, nesses casos. 8 Os
processos, aos quais se levam a essa diferença de comportamento, precisam ser
melhores elucidados.

Nos melanossomas da pele normal, a melanina é extremamente densa, sendo um


polímero nitrogenado, insolúvel e de alto peso molecular, formando um pigmento
que, além de dar cor à pele, desempenha função protetora, filtrando e absorvendo
as RUV. Desempenha, portanto, um importante papel fotoprotetor contra danos da
RUV, como evidenciado por uma inversa correlação entre o conteúdo de melanina
da pele humana e a incidência de carcinomas de pele e melanomas. 11,17

Melanina

A melanina é o principal pigmento biológico envolvido na pigmentação cutânea,


sendo determinante das diferenças na coloração da pele.11

O elemento inicial do processo biossintético da melanina é a tirosina, um


aminoácido essencial. A tirosina sofre atuação química da tirosinase, complexo
enzimático cúprico-proteico, sintetizado nos ribossomos e transferido, através do
retículo endoplasmático para o Aparelho de Golgi, sendo aglomerado em unidades
envoltas por membrana, ou seja, os melanossomas.11

Os três membros da família relacionada a tirosinase (tirosinase, Tyrp 1 – tirosinase


relacionada à proteína 1 e Dct – dopacromo tautomerase) estão envolvidos no
processo de melanogênese, levando a produção ou de eumelanina (marrom-preta)
ou feomelanina (amarela-vermelha).18

Em presença de oxigênio molecular, a tirosinase oxida a tirosina em dopa


(dioxifenilalanina) e esta em dopaquinona. A partir desse momento, a presença ou
ausência de cisteína determina o rumo da reação para síntese de eumelanina ou
feomelanina.19

Na ausência de cisteína (glutationa), a dopaquinona é convertida em ciclodopa


(leucodopacromo) e esta em dopacromo. Há duas vias de degradação de
dopacromo: uma que forma DHI (dopa,5,6 diidroxiindol) em maior proporção; e
outra que forma DHICA (5,6 diidroxiindol-2-ácido carboxílico) em menor
quantidade. Este processo é catalisado pela dopacro- mo tautomerase (Tyrp 2-Dct).
Finalmente, estes diidroxiindóis são oxidados à melanina.19

A tirosinase relacionada à proteína 1 (Tyrp 1) parece estar envolvida na catalisação


da oxidação da DHICA à eumelanina. Por outro lado, na presença de cisteína,
dopaquinona rapidamente reage com tal substância para gerar 5-S-cisteinildopa, e,
em menor proporção, a 2-S-cisteinildopa. Logo, as cisteinildopas são oxidadas em
intermediários benzotiazínicos e, finalmente, produzem feomelanina (Figura 5).19
A eumelanina é um polímero marrom, alcalino e insolúvel e a feomelanina é um
pigmento alcalino, solúvel e amarelado. Pigmentos semelhantes à feomelanina, no
entanto, podem ser, estruturalmente, derivados da eumelanina, assim como esta
pode ser oxidada, na presença de íons metálicos, resultando em um pigmento
solúvel e mais claro. Outro pigmento sulfurado, derivado da feomelanina, pode ser
encontrado em pequenas quantidades nos cabelos humanos vermelhos, é
denominado tricromo. 13

Sendo assim, a melanogênese apresenta três passos distintos e importantes: o


passo inicial é a produção de cisteinildopa, que continua tão intensa quanto for a
quantidade de cisteína presente; o segundo passo é a oxidação da cisteinildopa
para formar feomelanina - processo dependente da quantidade de cisteinildopa
presente; o terceiro (e último) passo é a produção de eumelanina, onde somente
tem início, após a maioria da cisteinildopa ser depletada. Entretanto, parece que a
eumelanina se deposita sobre a feomelanina pré-formada e a relação entre feo e
eumelanina é determinada pela atividade da tirosinase e disponibilidade de
cisteína.19

A eumelanina absorve e dispersa a luz ultravioleta atenuando sua penetração na


pele e reduzindo os efeitos nocivos do sol. Em outras palavras, indivíduos com
maior pigmentação tendem a se queimar menos e bronzeiam mais do que
indivíduos mais claros. 15,20,21

A feomelanina, por outro lado, tem um grande potencial em gerar radicais livres,
em resposta à RUV, já que são capazes de causar danos ao DNA, dessa forma,
podendo contribuir para os efeitos fototóxicos da RUV. Isto explica o porquê de as
pessoas com pele clara, as quais contêm relativamente altas quantidades de
feomelanina, apresentarem um risco aumentado de dano epidérmico, induzido por
ultravioleta, inclusive neoplasias.20

Melanócitos individuais tipicamente sintetizam eumelaninas e feomelaninas, com a


taxa das duas sendo determinada por um balanço de variáveis, incluindo expressão
de enzimas pigmentares e a disponibilidade da tirosinase e de agentes redutores
específicos na célula.9

O receptor de melanocortina do tipo 1 (MC1-R) controla a taxa de eumelanina e de


feomelanina, dentro dos melanossomas. Essa proporção representa um importante
determinante da sensibilidade solar no ser humano. Entretanto, é provável que a
quantidade total de melanina produzida seja ainda mais importante que a relação
entre os tipos de melanina.5 Sabe-se que melanócitos, derivados de pele
intensamente pigmentada, apresentam uma quantidade maior de melanina total e
também uma taxa maior de eumelanina do que os melanócitos, derivados de pele
clara.10

A melanina total da pele resulta de uma mistura de monômeros de feomelanina e


eumelanina e a proporção entre as duas determina a expressão feno- típica final da
cor da pele e dos cabelos.

A redução na eumelanina e a presença predominante de feomelanina, como nos


indivíduos ruivos, são reguladas em grande parte pelo MC1-R. 11

Dois tipos de pigmentação melânica são a base para a cor normal da pele:

- A cor da pele constitutiva é a cor geneticamente determinada da pele saudável,


não-submetida à RUV, sobre a qual desempenha um papel essencial na
fotoproteção à RUV, ao alcançar a Terra, visto que minimiza os danos ao DNA que
levam ao aparecimento do câncer de pele.7,17

- A cor da pele facultativa é a cor de pele mais intensa, resultante de exposição


solar ou de doenças pigmentantes, e reflete a capacidade geneticamente
determinada de bronzeamento em resposta à RUV. Dessa forma, o grau de
"bronzeamento" é geneticamente determinado e é a base para divisão da pele
normal, em padrões de respostas adaptativas, chamadas fototipos.7

Após a síntese completa da melanina, os melanossomas, repletos desse pigmento,


são injetados no interior dos ceratinócitos, da unidade epidérmicomelânica
correspondente, através dos prolongamentos dendríticos dos melanócitos (atividade
citocrínica Uma vez no interior dos ceratinócitos, os melanossomas tendem a
distribuir-se no citoplasma, sobre a parte superior do núcleo, de forma a protegê-lo
das radiações ultravioleta. Tem sido sugerido que o pigmento, no interior destas
células atua, também, como varredor de radicais livres fotoproduzidos, sempre no
sentido de proteger o DNA celular.12,22,23

As propriedades de fotoproteção da melanina, na pele humana, têm sido bem


documentadas e ocorrem pela absorção e dispersão, tanto da luz ultravioleta
quanto da luz visível. Essa absorção aumenta linearmente na faixa de 720-620 nm
e então, exponencialmente, através de ondas mais curtas (300-600 nm). 17

A melanina tem grande afinidade pelo DNA, sendo capaz de produzir espécies
reativas de oxigênio, em resposta à radiação ultravioleta A. Em indivíduos de pele
clara, parece que a maior incidência de melanomas pode ser decorrente, não-
somente da falta de proteção natural, mas sim de mutações aumentadas,
promovendo a formação de feomelanina e/ou intermediários da melanina. 8,11,24

Estudos ultraestruturais revelaram que eumelanossomas, onde, geralmente, são


produzidos na pele morena, permanecem intactos na epiderme, após exposição à
RUV, enquanto na pele clara, nenhum melanossoma intacto pode ser detectado,
apos essa irradiacao.17

Os principais fatores reguladores para a quantidade e qualidade da melanina,


produzida pelos melanocitos, incluem RUV, α-MSH (hormonio estimulante de
melanocitos do tipo α ou melanocortina), ASP (proteina sinalizadora AGOUTI) e
MC1-R.8,25

α-MSH e MC1-R

A pigmentacao melanica da pele humana sofre intenso controle hormonal. Em


1967, Snell sumarizou o prevalente, consenso acerca da acao hormonal nos
melanocitos de mamiferos, particularmente, em humanos.26,27

Injecoes de α-MSH e β-MSH nos individuos humanos levaram a um escurecimento


da pele, tanto que isso resultou na elevada melanogenese, dentro dos melanocitos
epidermicos, e aumentou o transporte dos melanossomas, derivados de
melanocitos, para os ceratinocitos, sem a necessidade de exposicao a RUV. A
hiperpigmentacao cutanea foi tambem observada, quando individuos humanos
foram injetados com altas doses de hormonio adrenocorticotropico (ACTH). 11,26,28,29

O α-MSH e um tridecapeptideo, com uma sequencia identica aos 13 primeiros


aminoacidos do ACTH. A clivagem proteolitica da proopiomelanocortina (POMC), na
glandula pituitaria, e a responsavel pela origem de varios subprodutos, dentre eles:
o α-MSH. E sabido tambem que POMC expressa e sofre clivagem em outros locais,
incluindo o cerebro e a pele. O α-MSH foi o primeiro dos peptideos, derivados da
POMC, a ser identificado na pele.20

Ceratinocitos humanos sao capazes de sintetizar α-MSH e β-MSH, em quantidades


fisiologicas. O α- MSH e tambem produzido em melanocitos e celulas de
Langerhans.9,11,17,25,30-34 Evidencias indicam que estes hormonios tem um papel
paracrino, na regulacao das funcoes dos melanocitos. Mais de 120 genes tem sido
identificados e parecem regular a pigmentacao, porem, os efeitos do α-MSH sao
mediados pelo MC1-R, o qual e expresso na superficie dos melanocitos, sendo
considerado o ponto chave para pigmentacao. Esta tambem presente, em outras
celulas, tais como: monocitos, neutrofilos, celulas de glioma, astrocitos,
macrofagos, fibroblastos, celulas endoteliais e ceratinocitos. Desde que MC1-R
tenha uma distribuicao tecidual ampla, e provavel que esteja associado com um
numero grande de funcoes biologicas. 9,11,17,25,30,32-35

Em 1992, Mountjoy et al.,36 da Universidade de Ciencias da Saude de Oregon, em


Portland, relataram a clonagem do receptor hormonal de MC1-R, em humanos e
ratos. Demonstraram tambem que mutacoes no gene deste receptor
proporcionavam alteracoes na cor dos pelos em ratos. Em 1995, Valverde et
al.37 relataram uma associacao semelhante entre formas aberrantes do receptor e
variacoes na coloracao da pele e cabelos nas pessoas.

Apesar da identificacao de mais de 100 loci, envolvidos na pigmentacao dos


vertebrados, o MC1-R e o maior determinante do fenotipo de pigmentacao. A
extensao de seu locus foi, primeiramente, identificada em ratos, com base na
alteracao da coloracao dos pelos. Os mutantes recessivos tinham pelos amarelados
ou feomelanoticos, enquanto ratos tipo-selvagem tinham pelos escuros/marrons ou
eumelanoticos.9

No inicio dos anos 90, foi realizada a caracterizacao molecular do receptor de MSH,
entao, chamado de MC1-R e de seu antagonista - a AGOUTI proteina sinalizadora
(ASP). Foi conhecido, por muitos anos, o envolvimento dos dois loci na regulacao
qualitativa (eumelanina e feomelanina) e quantitativa da pigmentacao de
mamiferos, sendo a ASP produzida nos foliculos e agindo nos melanocitos
foliculares, pela inibicao da sintese de eumelanina.17,38,39Previamente a clonagem,
dois receptores de melanocortina, receptor de MSH e ACTH, foram descobertos por
estudos farmacologicos e fisiologicos classicos.

O sistema melanocortina consiste de peptideos de varias formas de MSH (alfa, beta


e gama) e ACTH, sendo descrita uma familia com cinco receptores de
melanocortina, ligados a proteina G, com sete dominios transmembranicos (sete
passagens pela membrana) e o ASP.17,38,39

O MC1-R foi o primeiro receptor de α-MSH a ser clonado e foi isolado de uma
linhagem celular de melanoma.34 O gene do MC1-R humano esta localizado no
cromossomo 16q24.3 e mostra uma estrutura de leitura de 951 pares de base que
codificam uma proteina de 317 aminoacidos. A sequencia proteica humana
demonstra todas as caracteristicas de receptores, acoplados a proteina G, incluindo
a presenca de 7 fragmentos transmembrana e 2 locais de potencial N-glicosilacao.
A ocorrencia de locais de ligacao especificos, de alta afinidade, na maioria dos
melanocitos humanos, ja fora conhecida, antes mesmo da clonagem do gene MC1-
R.25,40,41 Entretanto, o numero de locais de ligacao e variavel, podendo ser tao
baixo quanto poucas centenas por celula, como detectado pela analise de
Scatchard, usando probes radiomarcados. Ao MC1-R, ligam-se nao so o α-MSH,
mas tambem o ACTH, β e λ MSH.34

Trata-se, entao, de um gene altamente polimorfico na populacao branca, e tais


variacoes genicas estao associadas com pele clara e cabelos avermelhados, e agem
na diminuicao da habilidade da epiderme em responder a RUV.

Atualmente, o gene do MC1-R e considerado um dos maiores marcadores de


susceptibilidade a neoplasias malignas cutaneas, ja que variantes genicas estao
associadas, com risco aumentado, para melanoma e canceres de pele nao-
melanoma. 17,30,34,42-44

Outros estudos demonstraram que efelides e lentigos solares sao distintos tipos de
lesoes pigmentadas, pois apresentam diferencas marcantes, nas suas etiologias,
porem, variantes genicas do MC1-R sao um fator necessario para o
desenvolvimento de efelides, quando desempenham um papel menos importante
no caso dos lentigos.3,30,45,46

Variação relacionada ao gene MC1-R e excepcionalmente alta entre caucasianos e


tem um significante impacto no fenotipo pigmentar deste grupo etnico. Cabelos
vermelhos (ruivos) tem sido relacionados a alguns alelos, mas recentes estudos
indicam que os mesmos genotipos podem expressar diferentes cores de cabelos,
dependendo da populacao estudada.3,44

MC1-R esta expresso, abundantemente, em celulas de melanoma humano e de


ratos e em niveis significativamente mais baixos em melanocitos de ratos. Mais
recentemente, foi demonstrado em glandulas normais da pele humana e foliculos
capilares, bem como em malformacoes e neoplasmas da pele.34
Na maioria dos individuos com pele clara, os quais nao se bronzeiam, e encontrada
uma variacao na na sequencia genica do MC1-R classico, ja que normalmente
confere cabelos escuros e facilidade para se bronzear. 11 Desde que individuos com
cabelos avermelhados e pele clara tenham predominancia de feomelanina, em
cabelos e pele e/ou reduzida habilidade para sintetizar eumelanina, uma diminuicao
funcional do MC1-R, com resultante reducao na atividade da tirosinase
melanotropina-induzida, associada com eumelanogenese, pode ser a chave para a
promocao da sintese de feomelanina dentro dos melanocitos humanos.

Sendo assim, o MC-1R dos melanocitos e, indubitavelmente, um importante


elemento na regulacao da pigmentacao nos mamiferos, mas tambem um dos mais
polimorficos.11,20,30,32-34,47 Sequencias genicas variantes sao encontradas, em mais
de 80% dos individuos com cabelos vermelhos e pele clara, em menos de 20% dos
individuos com cabelos castanhos ou pretos, e em menos de 4% daqueles que
mostram uma boa resposta para se bronzear.34

O α-MSH sinaliza, atraves do MC1-R, ativando a adenilciclase (AC) e aumentando a


adenosina monofosfato ciclico (AMPc) intracelular, resultando em producao do
pigmento escuro de eumelanina (Figura 6). Se o MC1-R esta envolvido em outras
vias sinalizadoras, ainda permanece desconhecido, mas a ativação do MC1-R
influencia as quantidades relativas de feomelanina e eumelanina produzidas, sendo
sua perda de atividade, associada a cabelos vermelhos ou amarelos. 20,34,38,39,48-52

Variantes do MC1-R tem sido associadas com a heranca de cabelo vermelho, na


qual mais pigmento amarelo-avermelhado de feomelanina e produzido e
apresentam capacidade de bronzeamento muito pequena. Variantes R160W,
R151C, D294H, R142H, 86insA e 537insC de MC1-R sao os principais determinantes
do fenotipo de cabelos vermelhos e pele clara. Trata-se de um fenotipo
característico dos fototipos I e II, com maior chance de queimaduras solares e
desenvolvimento de neoplasias cutâneas. 10,20,34

O gene murino AGOUTI, o qual foi recentemente clonado, esta localizado no


cromossomo 2 e codifica a proteina ASP, composta por 131 aminoacidos, e age
como antagonista competitivo de MC1-R, bloqueando sua ativacao pelo α-MSH.
Entretanto, a troca entre eumelanogenese e feomelanogenese envolve a oposicao
de efeitos da ASP e α-MSH, como ligantes para o MC1-R. A feomelanogenese pode
ser estimulada por um tratamento in vitro com ASP recombinante purificada. Apos
tratamento com ASP, a expressao de genes, codificando tirosinase e outras
proteinas melanogenicas, e suprimida nos melanocitos, a qual exige outros fatores
fisiologicos caracteristicos de feomelanogenese in vivo. Em melanocitos humanos
normais, onde o numero de MC1-R expresso e relativamente baixo, ASP anula
completamente os efeitos estimulatorios de α-MSH na proliferacao melanocitica e
melanogenese. 17,25,53

A incapacidade de se bronzear nos individuos com variacao no MC1-R e consistente,


com um papel critico para o MSH/AMPc nesta resposta, mas alguns estudos indicam
que o dano ao DNA do melanocito pode mediar a pigmentacao induzida por RUV. 54

RUV e Pigmentação

O espectro da radiacao solar e amplo, variando, desde os raios cosmicos


(ultrarraios X), ate as radiacoes do infravermelho. As radiacoes de menor
comprimento de onda, ate 200 nm, nao atingem a Terra, pois sao absorvidas pelo
oxigenio e ozonio atmosfericos. 17,55 A RUV e a luz visivel situam-se entre 200 e
760 nm e constituem o espectro fotobiologico com o ultravioleta entre 200 e 400
nm e a visivel entre 400 e 760 nm. Alem desse limite, ate 17000 nm, esta o
infravermelho, vindo a ser um indutor de calor.17,55

Os efeitos agudos da exposicao a RUV podem ser, basicamente, dois: queimadura


e/ou bronzeamento. A resposta do individuo a exposicao a RUV, ou seja, o quanto
consegue de bronzeamento, e um dos maiores exemplos de adaptacao ambiental
dos humanos.9

Após uma unica exposicao a RUV, um aumento no tamanho dos melanocitos pode
ser observado, acompanhado de um aumento da atividade da tirosinase.
Exposicoes repetidas a RUV levam a um aumento no numero de melanossomas,
estagio IV, transferidos aos ceratinocitos, bem como um aumento no numero de
melanocitos ativos. Alem disso, a densidade dos melanocitos, em estudos
comparativos, e maior nas areas fotoexpostas.16

Portanto, a RUV e um eficiente estimulante da pigmentacao da pele, em humanos,


e e responsavel pela iniciacao da resposta de bronzeamento. Varios mecanismos
podem estar envolvidos e acredita-se que a resposta seja resultado de uma
combinacao de diferentes sinais, agindo tanto diretamente quanto indiretamente
nos melanocitos. A acao indireta da RUV envolve a liberacao de mediadores dos
ceratinocitos na pele.33,40

A radiacao ultravioleta B (UVB), na pele humana, induz a producao de α-MSH e


ACTH nos melanocitos e ceratinocitos. O α-MSH estimula a atividade da tirosinase e
a sintese de melanina in vivo e em cultura de melanocitos, via MC1-R. Outros
relatos indicam que a irradiacao de melanocitos com RUV aumenta os niveis de
RNAm de MC1-R. Alem disso, a sintese de muitos fatores epidermicos, incluindo α-
MSH, ACTH e endotelina-1, e aumentada pela exposicao a RUV, sugerindo uma
importante influencia desses mediadores na resposta dos melanocitos a luz
solar. 32,56-58

O Ultravioleta C (UVC) (200-290 nm) e basicamente germicida, o UVB (290-320


nm) causa eritema, pigmentacao e, principalmente, alteracoes que induzem ao
cancer cutaneo. Ja o ultravioleta A (UVA) (320- 400 nm) tem maior penetracao na
pele, alem da pigmentacao e alteracoes cancerigenas, sendo o principal indutor de
fotossensibilidade.55

O UVB e o principal responsavel pelas queimaduras solares, com surgimento do


eritema, apos um periodo de latencia de 2 a 7 horas. Ja a UVA promove um
eritema, que surge mais tardiamente, e pode tornar- se gradualmente mais
intenso.55

A interacao dos hormonios e RUV pode ser ilustrada no melasma. A RUV estimula a
producao de melanocortina, dentro dos melanocitos e ceratinocitos, o que justifica
o envolvimento desse hormonio na patogenese do melasma, posto que se
caracteriza basicamente por uma melanizacao epidermica aumentada, sem
proliferacao melanocitica.11

Melasma

Melasma e uma hipermelanose comum, adquirida, simetrica, caracterizada por


maculas acastanhadas, mais ou menos escuras, de contornos irregulares, mas
limites nitidos, nas areas fotoexpostas, especialmente, face, fronte, temporas e,
mais raramente, no nariz, palpebras, mento e membros superiores (Figura 7).59-62

Trata-se de doenca dermatologica facilmente diagnosticada ao exame clinico,


porem, apresenta uma cronicidade caracteristica, com recidivas frequentes, grande
refratariedade aos tratamentos existentes e ainda muitos aspectos fisiopatologicos
desconhecidos.57

O nome melasma deriva do grego melas, significando negro. Cloasma e um termo


que e usado com o mesmo sentido, sendo tambem derivado do grego cloazein, de:
estar esverdeado. A denominacao melasma constitui, portanto, uma designacao
mais adequada para a doenca.59

Embora possa acometer ambos os sexos e todas as racas, favorece fototipos


intermediarios e individuos de origem oriental ou hispanica que habitam areas
tropicais. E mais comum em mulheres adultas em idade fertil, podendo, porem,
iniciar-se pos-menopausa. A idade de aparecimento situa-se entre 30-55 anos e o
sexo masculino representa apenas 10% dos casos.7,57,61,63,64

Ainda que melasma seja mais frequente entre latinos, a exata prevalencia e
desconhecida. Aproximadamente 66% das mulheres mexicanas desenvolvem
melasma durante a gravidez, e um terco dessas mulheres mantem a pigmentacao
pelo resto da vida.65-67

Para uma dimensao desse acometimento, de acordo com um censo de 2000, nos
Estados Unidos, os latinos constituem 12,6% da populacao e estima-se que o
numero aumente para 15,5% em 2010 e 24,4% em 2050.65,67

Não há um consenso sobre a classificacao clinica do melasma. Sao reconhecidos


dois principais padroes de melasma da face: centrofacial, porque acomete a regiao
central da fronte, regiao bucal, labial, regiao supralabial e regiao mentoniana; e
malar, acomete regioes zigomaticas. Alguns autores acrescentam ainda um terceiro
padrao, menos frequente, chamado mandibular. Ponzio & Cruz observaram em um
estudo, 78,7% de melasmas centrais e 21,3% de perifericos.59,63,68

Há inúmeros fatores envolvidos, na etiologia da doença, porém nenhum deles pode


ser responsabilizado isoladamente pelo seu desenvolvimento. Dentre estes:
influências genéticas, exposição à RUV, gravidez, terapias hormonais, cosméticos,
drogas fototóxicas, endocrinopatias, fatores emocionais, medicações
anticonvulsivantes e outros com valor histórico. Porém, parece que predisposição
genética e exposição às radiações solares desempenham um papel importante,
tendo em vista que as lesões de melasma são mais evidentes, durante ou logo após
períodos de exposição solar.7,60,62,63,68-70

Sacre et al., investigando o melasma idiopático, concluiu que as reservas


tireotrófica, prolactínica e gonadotrófica apresentaram-se normais e, como
observou, as funções ovariana e tireoidiana, também, normais, logo, não foi
possível estabelecer correlação entre os níveis hormonais encontrados e essa forma
de melasma.71

Ao contrário do que ocorre na gravidez, o melasma induzido por anovulatórios não


involui com suspensão da droga e, entre as pacientes que o apresentaram pelos
contraceptivos, 87% também o tinham manifestado em gestações anteriores. 63

A predisposição genética tem sido sugerida pelos relatos de ocorrência familiar. Um


fator racial tem sido relatado pela ocorrência comum de melasma, nos pacientes de
origem hispânica. Sanchez et al. identificaram história familiar em mais que 20%
dos casos estudados, e todas as pacientes referiram exacerbação pela luz solar e
uso de cosméticos.59,72

Vale destacar que a melasma é uma das dermatoses inestéticas das quais
determinam a grande procura ao atendimento dermatológico especializado, embora
represente, somente, uma anormalidade comum e benigna da pigmentação.
Talvez, isso se explique pela natureza cosmeticamente desfigurante e pelos efeitos
emocionais e psicológicos nos indivíduos acometidos pelo problema, os quais,
muitas vezes, em virtude da insatisfação com a aparência, acabam se privando do
convívio social, inclusive com casos de suicídio relatados. 65-67,69

Embora a afecção tenha uma conotação, muitas vezes, somente do ponto de vista
estético, com tal preocupação, pode ser muito importante e impactante na vida
social, familiar e profissional dos indivíduos acometidos, provocando efeitos
psicológicos que não podem ser negligenciados. 65,73

Em 2003, o MELASQoL, um novo instrumento de qualidade de vida relacionado à


saúde para mulheres com melasma, foi publicado por Balkrishnan e colaboradores.
Tal instrumento foi validado e demonstrou utilidade para monitorar o impacto,
causado pelo melasma, na qualidade de vida dos pacientes. Os principais setores
da qualidade de vida, que se mostraram afetados pelo melasma, foram: a vida
social, a recreação e o lazer e o bem-estar emocional. Em 2006, tal instrumento foi
traduzido para o português e adaptado culturalmente, de acordo com as regras
estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde.65-67,74

O tratamento do melasma é geralmente insatisfatório, pela grande recorrência das


lesões e pela ausência de uma alternativa de clareamento definitivo. Estudos
clínicos controlados indicam a fotoproteção e uso de clareadores como as medidas
de primei- ra linha no seu tratamento.75-77 Entretanto, a discussao sobre as
diversas modalidades terapeuticas, apesar do grande interesse clinico e academico,
foge do escopo desse texto.

Sendo assim, contribuir para o entendimento do mecanismo pelos quais os


melanocitos promovem uma coloracao fenotipica localizada, ou como a cor da pele,
geneticamente pre-determinada, se torna alterada para uma cor induzida por
fatores como: luz solar, hormonios, inflamacoes e outros. Torna-se tarefa de
grande importancia, sendo que tais elucidacoes podem gerar importantes subsidios
para inovacoes terapeuticas e como consequencia, melhora na qualidade de vida
dos doentes.

Em conjunto, os estudos comparativos de pele, acometida por melasma, e pele


adjacente normal, verificaram que a afeccao se caracteriza por hiperpigmentacao
epidermica, sem aumento do numero de melanocitos ou da quantidade de
melanina, em todas as camadas da epiderme, aumento no numero de
melanossomas e da elastose dermica.57,78 A pigmentacao dermica nao difere na
epiderme com melasma, e na pele sa adjacente, esse achado desabona a
classificacao em melasma epidermico, dermico e misto visto a luz de Wood. 2,57,59,63

Estudos recentes indicam que inumeros peptideos exercem uma regulacao


autocrina ou paracrina dos melanocitos, na pele humana, e em diversas doencas
pigmentares. Sao representados principalmente por: endotelina 1 (ET-1), fator
estimulador de colonia granulocito-macrofago e fator stem cell tipo membrana
(SCF). Tambem e conhecida a regulacao por oncogene- a relacionado ao
crescimento, para interacoes entre melanocitos e ceratinocitos, fator de
crescimento hepatocitico e fator stem cell,l tipo soluvel, para interacoes entre
fibroblastos e melanocitos.1,79,80

Esta inter-relação tambem envolve alguns receptores especificos expressos nos


melanocitos, como: o receptor de endotelina B, o receptor de fator stem cell e c-
KIT. A up ou downregulation, dessa rede interligada, esta intrinsecamente
envolvida na estimulacao das funcoes melanociticas, em varias desordens
epidermicas que cursam com alteracoes na pigmentacao. 79,80

Achados imunohistoquimicos sugerem que uma forte imunorreatividade de α-MSH


na pele lesada de melasma e um dos maiores fatores na genese dessa doenca. A
relacao entre area fotoexposta e a maior imunorreatividade de α-MSH na pele
lesada ainda nao foi elucidada. Entretanto, a existencia de um ainda desconhecido
caminho sinalizador, com aumento de expressao de MC1-R, que pode desempenhar
um papel significante nessa maior imunorreatividade ao α-MSH deve ser
investigado. Ha evidencias de uma forte expressao de antigeno α-MSH nos
ceratinocitos de pele lesada no melasma, sugerindo que α-MSH desempenha papel
chave na hiperpigmentacao de pele com melasma.57,81

Dessa forma, a avaliacao da expressao de α- MSH e MC1-R na epiderme de lesoes


de melasma, comparados a pele sa perilesional, permitiria uma estimativa do papel
da via do MC1-R na fisiopatogenese da doenca.

Ainda o β-estradiol aumenta a expressao de α- MSH e MC1-R nos


melanocitos.51 Alem disso, em estudo recente demonstrou-se uma expressao
aumentada de receptores estrogenicos na pele com melasma, comparada a pele
normal, porem a avaliacao foi de apenas dois pacientes e de forma qualitativa, o
que nao permite ainda determinar a real funcao deste receptor e do estrogenio na
fisiopatogenia do melasma.82
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Melasma e uma doenca frequente na populacao geral, que gera grande impacto na
qualidade de vida dos pacientes e movimenta grandes esforcos da pesquisa clinica
e farmaceutica no desenvolvimento de tratamentos. Entretanto, o conhecimento
relacionado a sua fisiopatogenia ainda e muito limitado.65,83

Investigação dos receptores de estrogenio, na epiderme e nos melanocitos das


peles sa e lesada, seria esclarecedora quanto ao papel de hormonios esteroides
sexuais, no processo da hiperpigmentacao localizada da doença. 84-88

Pesquisa de variantes alelicas do MC1-R, que se expressem diferentemente na pele


sa e lesada, poderiam justificar a pigmentacao mais efetiva, em certas areas
fotoexpostas, do que em outras.30,46,89

Cultura de ceratinocitos e melanocitos, de pele sa e com melasma e de populacoes


nao acometidas pela doenca, sob diferentes regimes de exposicao, permitiria um
estudo comparativo da expressao de diversos genes para demonstrar as bases do
comportamento fenotipico diferente desses grupos de celulas adjacentes, no
mesmo tecido.90,91

A experimentação clinica com proteinas AGOUTI, em lesoes de melasma, que


competem com α-MSH, nos receptores de MC1-R, poderia gerar subsidios
fisiopatologicos para a compreensao do papel do sistema α-MSH/MC1-R, na
fisiopatogenia da doenca.79,92

Perfis de citocinas melanogenicas sao expressas nas peles lesada e sa, assim como
as celulas de origem, as decorrencias locais e os estimulos desencadeantes
permitiriam uma compreensao dos elementos, envolvidos na genese do
melasma.79,80,93,94

Enfim, estudos epidemiologicos de base populacional ou de subgrupos de pacientes


com melasma, como gestantes, mulheres pos-menopausa ou homens tambem
contribuiriam para a elaboracao de novas hipoteses sobre a historia natural e
fisiopatogenese da doença.