Você está na página 1de 7

MICROPIGMENTAÇÃO DE ARÉOLA

2

MICROPIGMENTAÇÃO DE ARÉOLA

A micropigmentação de aréola, conhecida como micropigmentação paramédica, permite a

reconstrução das aréolas de mulheres que realizaram mastectomia devido ao câncer de mama. É ótimo poder oferecer esse alento depois de um processo traumático.

Além dos casos pós-cirúrgicos, a micropigmentação de aréolas também corrige assimetrias das mamas. Por isso, pessoas com mamilos e aréolas muito claros, ou aréolas muito pequenas, também se beneficiam do procedimento.

A micropigmentação das aréolas é realizada de forma similar a uma tatuagem, porém só

atinge a camada superficial da pele, assim como a micropigmentação labial, dos olhos e sobrancelhas. Não há cicatriz, é quase indolor e leva entre uma e duas horas em média, para ser feita. Algumas vezes são feitas várias sessões, dependendo do efeito desejado.

A autoestima das mulheres que realizam a micropigmentação das aréolas aumenta bastante,

pois o resultado de um desenho feito com micropigmentação realista é bastante natural. A técnica dá textura e profundidade ao desenho e pintura das aréolas. Até mesmo as cicatrizes são camufladas.

O desenho dura entre 12 e 18 meses. Começa a clarear gradativamente, sendo então

recomendado o retoque, em que é possível mudar a cor e o formato de antes.

Não só para mulheres que realizaram mastectomia, mas também para as que colocaram implante de silicone ou fizeram mastopexia para elevação das mamas (correção da ptose mamária) também é indicada a micropigmentação das aréolas.

Os próprios cirurgiões recomendam e encaminham os pacientes. A micropigmentação de aréolas é uma grande aliada das cirurgias plásticas.

recomendam e encaminham os pacientes. A micropigmentação de aréolas é uma grande aliada das cirurgias plásticas.

3

Micropigmentação Paramédica do Complexo Areolo Mamilar Pós Mastectomia

INTRODUÇÃO

No Brasil, embora exista uma grande heterogeneidade na distribuição de casos novos e mortes por câncer de mama, as maiores taxas de incidência e mortalidade ocorrem nas Regiões Sul e Sudeste, e as menores taxas nas Regiões Norte e Nordeste¹. Estima-se que apenas entre 5% e 10% das mulheres com câncer detectado pelo rastreamento mamográfico terão suas vidas prolongadas em função desta detecção² e disseminação, onde envolve também a quimioterapia, hormonioterapia e radioterapia³.

em função desta detecção² e disseminação, onde envolve também a quimioterapia, hormonioterapia e radioterapia³.

4

O principal recurso terapêutico utilizado é a cirurgia, que tem a função de controle

local e regional da doença e assim podendo impedir sua disseminação, onde envolve também a quimioterapia, hormonioterapia e radioterapia ³. Outro fator também bastante discutido, é que as cirurgias mutiladoras afetam a percepção de seu próprio corpo, gerando uma mudança radical em sua imagem pessoal, que consequentemente refletindo na vida sexual 4 . Portanto, faz-se necessário a reconstrução do órgão mutilado e devolvendo a vontade de viver e autoestima. As condutas terapêuticas para o tratamento do câncer são diversas. Contudo, as cirurgias prevalecem e a técnica escolhida depende

da gravidade do quadro, podendo ser uma mastectomia radial modificada, conservadora com ou sem linfoadenetectomia 5 .

1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O mamilo ou papila da mama é uma proeminência de forma cilíndrico-cônica,

frequentemente na altura do quarto espaço intercostal. Pode ser de coloração castanho claro, castanho escuro, rosa ou negra. Portanto, pode ser constituída por fibras circulares e longitudinais, o que permite sua protusão frente a um estímulo, como por exemplo , o ato de sucção 6 . O carcinoma de mama é uma doença complexo e heterogênica, com formas de evolução lenta ou rapidamente progressivas, dependendo do tempo de multiplicação celular e outras características biológicas de progressão. Sendo também a neoplasia mais comum nas mulheres 7 .

As cirurgias também podem ser classificadas como: tumorectomia e quadrantectomia, indicadas quando os tumores ultrapassam 03 cm e mastectomia radical clássica 8 . Entretanto, a caracterização da cirurgia total ou parcial, pode também ser a retirada de gânglios linfáticos da axila/esvaziamento axilar 9 . Podendo também ser classificadas em: Mastectomia Conservadora, que consiste na remoção primária com margens de tecido normal; Tumorectomia na retirada do tumor com 1 cm, também indicado para tumores de até 1,5 cm de diâmetro; Quadrantectomia, consiste na remoção de quadrantes, onde se localiza o tumor maligno de 2 e 2,5 cm; Mastectomia Radical Halsted, extirpação da mama, músculo pequeno peitoral e esvaziamento axilar radical; Mastectomia Radical Modificada ou Cirurgia Mio Conservadora, extirpação total da mama, com conservação do músculo grande peitoral, podendo ser dividida em Mastectomia Radical Modificada Patey ou Mastectomia Radical Modificada Madden, que consiste na remoção da glândula mamaria e músculo pequeno; Mastectomia Total,

Radical Modificada Madden, que consiste na remoção da glândula mamaria e músculo pequeno; Mastectomia Total,

5

remoção da glândula mamária, aponeurose anterior do músculo peitoral e segmento cutâneo incluindo a cicatriz da Biopsia 10 . Portanto, há relatos que a paciente submetida ao tratamento cirúrgico do câncer de mama sofre com a mutilação, a estética e a limitação nas atividades cotidianas 11 .

A Reconstituição da aréola com micropigmentação é uma técnica da área de estética, onde o esteticista com especialização em micropigmentação cria um desenho da nova aréola e do mamilo com um dermógrafo, fazendo uso de várias técnicas e angulações na camada subepidérmica da pele, onde será usado pigmentos inorgânicos em ilusão de relevo. Sua permanência temporária dura entre 2 a 3 anos, podendo vir a ser retocado 12 . Baumann 13 preconiza a técnica se define como de aplicação de pigmentos na camada subdérmica da pele com auxílio de um dermógrafo (aparelho que se utiliza de agulhas para introduzir pigmentos). Sua duração é de cinco a quinze anos, dependendo da técnica utilizada e do grupo de agulhas usadas durante a pigmentação. Para Martins 14 , após dois a quatro meses do término da reconstrução da nova mama, pode-se dar início à reparação do mamilo e da aréola.

2. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Segundo a literatura, o câncer de mama e a neoplasia é a principal causa de morte entre as mulheres que vivem em países desenvolvidos e afetam drasticamente a mulher em todos os níveis, tanto biológicos, psicológicos, sociais e espirituais, contudo, agredindo sua alto-imagem 15 . Outras características incluem o sofrimento, ansiedade, tanto para a família como para a paciente. Uma vez que os seios representam a feminilidade, maternidade e sexualidade 16 . A mastectomia é um procedimento agressivo, provocando alterações emocionais, sociais, sexuais e físicas da mulher.

. A mastectomia é um procedimento agressivo, provocando alterações emocionais, sociais, sexuais e físicas da mulher.

6

Podendo apresentar lesões musculares, diminuição ou perda da amplitude de movimento, alterações de posturas, dores, fibroses e complicações cicatriciais, distúrbios sensitivas, diminuição da força muscular, disfunções respiratórias, diminuição ou perda da capacidade funcional e linfedema do braço homolateral à cirurgia 17 .

Diante de inúmeras etapas de sofrimentos, surge uma técnica que, embora não resgate sua integridade física e moral, contribui de uma forma positiva para encarar a sociedade de maneira sutil. Inicialmente o nome usado nessa técnica era Maquiagem Definitiva; nasceu no conceito da tatuagem que é introduzir tintas coloridas como na tatuagem, passando por uma repaginada e hoje mais conhecida por Micropigmentação 18 . A técnica que define a aplicação de pigmentos na camada subdérmica, com o auxílio de um dermógrafo (aparelho que se utiliza de agulhas para a introdução de pigmentos 13 . Entretanto, a dermopigmentação devolve o bem-estar e melhora a qualidade de vida dos pacientes 19 . Amenizando o desconforto da aparência inéstética, devolvendo a essas mulheres uma nova chance de recomeço. Quanto à reparação da aréola, existem opções dos enxertos e pigmentação por tatuagens . Para tal procedimento utiliza-se um pigmento de acordo com a cor da pele, vale ressaltar que, a cor deve ser testada ao lado da aréola. As agulhas são de alta rotação, que permite uma permeação instantânea, com cerca de aproximadamente 10 minutos 14 .

Observou-se um determinado grupo de mulheres que realizavam a dermopigmentação no complexo da aréola mamilar identificou, do ponto de vista estético e psicológico, uma visão mais positiva de suas autoimagens, desfazendo crenças irracionais em torno da perda da beleza e da sensualidade depois de serem mastectomizadas 20 . Também considerando esse procedimento como sendo paramédico, por reconstruir uma parte do corpo tão importante para a mulher, mas também tendo fins estéticos 21 . Entretanto é uma técnica conhecida como micropigmentação e por ser uma pigmentação exógena de fácil absorção na camada dérmica da pele 22 . Portanto, trata a técnica de micropigmentação como introdução de pigmentos inorgânicos de diferentes tons no tecido dérmico, com a ajuda de agulhas muito finas, que são ligados por um aparelho chamado dermógrafo, responsável por criar movimentos de vaivém necessários à deposição do pigmento da pele. A biossegurança está aliado a técnica de micropigmentação, pois uma fortalece a outra. Portanto, diminui os riscos biológicos,

está aliado a técnica de micropigmentação, pois uma fortalece a outra. Portanto, diminui os riscos biológicos,

7

químicos, físicos, de acidentes e ergonômicos inerentes a profissão dando credibilidade ao seu trabalho 23 . Levando em consideração que o profissional deve ter muito conhecimento sobre a pele, anatomia, fisiologia e citologia e também deve ter domínio de todos os módulos de micropigmentação que antecedem essa especialização 18 .

3. CONCLUSÃO

Independente de ser uma técnica radical ou conservadora, a dissecção axilar tem sido um tratamento cirúrgico padrão para o câncer de mama. Sendo representada como o mais temido entre a população feminina, pois a mama representa importância para o corpo da mulher como parte simbólica, fazendo assim ligação com sua sexualidade e principalmente com a maternidade. A perda da mama transmite para as pacientes o medo da reação da sociedade, o medo de que essa sociedade as perceba sem o órgão, com isso, elas evitam roupas que marcam a parte retirada. A reconstrução das mamas por meio cirúrgico traz consigo a “terrível cicatriz”, e é aqui que a micropigmentação oferece um papel preponderante, dando cor e efeito óptico, porém não projeção. Apesar de haver desbotamento da cor com o passar dos meses, é possível estabilizá-la com um ou dois retoques após a primeira aplicação e obter um resultado muito agradável e satisfatório para as clientes. Foi observado uma escassez de estudo científico e literatura sobre a importância da micropigmentação paramédica do complexo aréolo mamilar pós- mastectomia por se tratar de uma abordagem nova. Embora seja uma técnica pouco conhecida, preferida pelos cirurgiões, pelo fato de não causar qualquer tipo de risco cirúrgico, colabora para o resgate de qualidade de vida da mulher, devolvendo assim o direito de viver e resgatando sua autoestima

colabora para o resgate de qualidade de vida da mulher, devolvendo assim o direito de viver