Você está na página 1de 1

Selecção do Lótus goleeou Índia e Taiwan

Vitória em dose dupla no arranque do Asiático

A selecção de hóquei em patins de Macau entrou com o patim direito na 14ª edição do
Campeonato Asiático da modalidade, prova que se disputa até ao próximo domingo na cidade
continental de Haining. A formação orientada por Alberto Lisboa iniciou a defesa do título
conquistado há dois anos em Hefei com um triunfo esclarecedor sobre aquele que seria, à partida
e pelo menos a título teórico, o mais exigente adversário do cinco do território.
Frente à vice-campeã Índia, os eneacampeões asiáticos não deixaram créditos por mãos alheias,
ainda que tenham assinado um ínício de desafio tremido frente ao colectivo orientado por
Harpreet Singh. Frente aos grandes favoritos ao triunfo na competição, o cinco indiano não se
atemorizou, inaugurando o marcador no gimnodesportivo de Haining que acolhe a competição. A
resposta da formação do Lótus dificilmente poderia ser mais esclarecedora, com os pupilos de
Alberto Lisboa a golearem o adversário por 12-3. Depois de um início periclitante de partida, a
selecção de Macau recuperou a tranquilidade necessária para redireccionar o andamento do
marcador de acordo com os seus interesses. Augusto Ramos repôs a igualdade no placard e abriu
as portas a uma exibição esclarecedora, que teve em Hélder Ricardo o seu principal artífice e
protagonista.
O avançado, natural de Alcobaça, assinou uma exibição memorável e fez o gosto ao stick por
sete ocasiões. Formado no Biblioteca, de Valado de Frades, Hélder Ricardo já se sagrou por
várias vezes melhor marcador no âmbito do Campeonato Asiático de Hóquei em Patins e em
Haining arrisca-se a repetir a façanha. O dianteiro, que acumula com o estatudo de jogador o
papel de seleccionador de hóquei em linha de Macau, foi o principal motor da revolução operada
por Macau no desafio frente à Índia, mas não foi o único a marcar. Para além de Augusto Ramos,
Nuno Antunes, Alberto Lisboa e Ricardo Atraca também celebraram golos. Antunes facturou por
duas ocasiões e Lisboa – aos 46 anos, o seleccionador do território mostrou que ainda ai está para
as curvas e contribuiu com um tento para o sucesso da equipa dentro das quatro linhas –
consumou a velha máxima de que quem sabe nunca esquece, antes de Ricardo Atraca encerrar a
contagem, ao apontar o décimo segundo e último golo dos campeões asiáticos.
O triunfo frente à Índia abriu o apetite ao colectivo orientado por Alberto Lisboa. A selecção de
hóquei em patins do território voltou a entrar em campo ao início da noite de ontem, para a
segunda ronda da competição, goleando a formação de Taiwan por doze bolas a duas. A exemplo
do que sucedeu contra a selecção indiano, a formação do território voltou a oferecer a iniciativa
de jogo ao adversário e coube ao cinco formosino inaugurar o marcador. A resposta dos
campeões asiáticos de hóquei patinada voltaria, no entanto, a afigurar-se irredutora: verdadeira
máquina de fazer golos, o grupo de trabalho às ordens de Alberto Lisboa despediu-se da primeira
metade do desafio a vencer por seis bolas a duas e na etapa complementar facturou novamente
por seis ocasiões. Com quatro golos, o imparável Hélder Ricardo voltou a chamar a si o estatuto
de avançado mais eficaz. Ricardo Atraca também esteve em destaque, ao fazer o gosto ao “stick”
por três ocasiões, ao passo que Alfredo Almeida e Alberto Lisboa bisaram na partida. Nuno
Antunes completa o rol de marcadores no triunfo por fácil de Macau sobre a congénere
taiwanesa. O Japão é o adversário que se segue, numa competição que ficou reduzida a quatro
após a desistência do Paquistão.