Você está na página 1de 22

LÍNGUA PORTUGUESA

Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

SUMÁRIO

SINTAXE II ___________________________________________________________________ 3
A ORDEM DOS TERMOS ________________________________________________________ 3
1. ORDEM DIRETA E ORDEM INVERSA ____________________________________________ 3
2. ORDEM DIRETA NAS ORAÇÕES ________________________________________________ 3
3. ORDEM DIRETA NOS GRUPOS DE PALAVRAS _____________________________________ 6
4. ORDEM E SIGNIFICADO ______________________________________________________ 7
5. AMBIGUIDADES DE SENTIDO ________________________________________________ 10
6. MUDANÇA DE PONTUAÇÃO E MUDANÇA DE SIGNIFICADO ________________________ 12
7. ORDEM E CLAREZA _________________________________________________________ 13
8. ORDEM E EXPRESSIVIDADE __________________________________________________ 14
EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO _________________________________________________ 17
GABARITO__________________________________________________________________ 20

2
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

SINTAXE II
A ORDEM DOS TERMOS

1. ORDEM DIRETA E ORDEM INVERSA

Já vimos, no módulo anterior, que uma mesma frase pode ser escrita em várias ordens. Vejamos mais um
exemplo dessas variações, a partir de uma frase de Graciliano Ramos:

1. O inferno devia estar cheio de jararacas e suçuaranas.

2. De jararacas e suçuaranas devia o inferno estar cheio.

3. Cheio o inferno devia estar de jararacas e suçuaranas.

Lendo essas frases, qual delas você diria que está escrita na ordem mais comum, no modo como
normalmente ouvimos e falamos? A frase número um, não é verdade? É esta a que soa mais naturalmente
aos nossos ouvidos. Nota-se também que é nela que a ideia é transmitidade modo mais claro. Nas demais,a
compreensão fica um pouco mais complicada.

Essa ordem mais lógica nas línguas é chamada ordem direta. É a que preferimos, quando pretendemos
informar ou apenas dizer algo de modo mais simples e claro.

As outras frases são possíveis e corretas, mas são menos usuais. Elas acabam também deixando mais obscuro,
mais incompreensíveis o sentido de uma frase. Por isso, dizemos estarem escritas em ordem inversa.

2. ORDEM DIRETA NAS ORAÇÕES

Nas orações, a ordem direta é expressa por:

sujeito + verbo + complementos

3
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Note-se que o lugar do verbo pode ser ocupado por uma locução verbal; por “complementos”, entendemos
os objetos, o complemento nominal e os predicativos (do sujeito e do objeto).

Esse modelo realiza-se de modo diferente, conforme o tipo de predicado da oração. Observe:

a) Predicado verbal na voz ativa: sujeito + verbo + objeto direto + objeto indireto.

O padeiro Pedro queria levar aqueles pãezinhos a todos os clientes.


S V ODOI

b) Predicado verbal na voz passiva: sujeito + verbo + agente da passiva.

O professor José foi aplaudido pela turma.


S V AP

c) Predicado nominal: sujeito + verbo + predicativo do sujeito.

A Terra é um planeta do sistema solar


S V PS

d) Predicado verbo-nominal: sujeito + verbo + objeto direto + predicativo do objeto.

O juiz julgou o réu culpado.

S V OD PO

4
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

1ª) Quando não aparece algum dos termos da oração, não se altera a posição dos
demais:

Nós merecemos a morte.


S V OD
Obedecemos aos nossos mestres.
V OI

2ª) Nesse caso enquadram-se as orações com verbos impessoais, nas quais não há
sujeito:

Houve uma pausa.


V OD

3ª) Os adjuntos adverbiais são os termos que têm mais mobilidade dentro da oração.
Apesar disso, dizemos que sua posição em ordem direta é após os complementos:

O mar estava calmo naquelas alturas.


S V PS AAdv

4ª) Todas as demais disposições são chamas ordem inversa:

É muito esperto o seu gatinho.


V PS S

De música todo mundo gosta.


OI S V

O advogado recebeu, no tribunal, as testemunhas. (A.A.M.)


S V AA OD

5
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

3. ORDEM DIRETA NOS GRUPOS DE PALAVRAS

Acabamos de ver as disposições mais comuns dos termos de uma oração. Dentro desses mesmos termos,
também podemos perceber uma ordem direta e outra inversa. Observe estas frases:

Filhos nossos são muito educados.

Nossos filhos são muito educados.

Nas duas, os termos estão dispostos na mesma ordem: sujeito + verbo + predicativo. Mesmo assim, podemos
perceber que a segunda frase soa melhor aos ouvidos, parece mais comum. Por quê? Porque é mais natural
dizer “nossos filhos” que “filhos nossos”. Isso mostra que também as palavras podem organizar-se de várias
maneiras nos termos da oração, isto é, nos grupos de palavras.

Vejamos, então, quais são as disposições mais comuns das palavras ao se organizarem em grupos:

a) Adjetivos e locuções adjetivas vêm após o substantivo:

Os pés descalços de Dora se queimam no asfalto ardente. (J. Am.)


s ss a

O capitão tomou seu terceiro copo de cachaça. (E.V.)


s la

b) Pronomes demonstrativos, indefinidos e possessivos vêm normalmente antes do nome:

E desde este dia que lhe deu esta dor que não passa. (J.L.R.)
p ds pd s

Outros comentários levianos se faziam ouvir. (F.S.)


pi s

Onde estão teus amigos, teus companheiros? (R.B.)


PP s p ps

6
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

4. ORDEM E SIGNIFICADO

Em muitos casos, a disposição das palavras tem importância fundamental para a estruturação do sentido de
um enunciado. Isso pode ser observado tanto nas orações quanto nos grupos de palavras

A- ORDEM E SIGNIFICADO NAS ORAÇÕES

Em uma oração como:

Paulo matou o leão.

a ordem é o único fator que nos diz qual o sujeito e qual o objeto do enunciado. Uma alteração de ordem —
"O leão matou Paulo" — mudaria todo o sentido da oração.

Diferenças de ordem podem corresponder, portanto, a diferenças de significado.

Vejamos este outro exemplo:

Deixei a porta um pouco aberta.

O advérbio "um pouco" está, claramente, modificando o adjetivo "aberta". Essa constatação é possível devido
à ordem dos termos na oração. Confrontemos agora a frase anterior com esta outra, cm que as mesmas
palavras estão dispostas em outra ordem:

Deixei um pouco a porta aberta.

Conforme está graficamente indicado, a função do advérbio "um pouco" é, nesse caso, modificar o sentido do
verbo "deixar". Em ambos os casos, foi a distribuição dos termos que permitiu a correta análise e
interpretação do sentido das frases.

7
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

O mesmo se dá com a posição de palavras do tipo de "assim", "até", "mesmo", "só", "também" e outras, em
frases como as seguintes:

Só ela gosta de mim.

Ela gosta só de mim.

Até Maria perdoou a Pedro.

Maria até perdoou a Pedro.

Maria perdoou até a Pedro.

B- ORDEM E SIGNIFICADO NOS GRUPOS DE PALAVRAS

Há casos de grupos de palavras que merecem destaque especial, já que neles uma inversão de ordem altera o
sentido do conjunto.

C- COMPOSTOS DE SUBSTANTIVO E ADJETIVO

Tais grupos de palavras têm, às vezes, um sentido com o adjetivo anteposto e outro com ele posposto. Isso
ocorre, por exemplo, com o adjetivo "pobre" destas orações:

A cidade pobre estava assolada de bexiga. ( J.Am.)

Sempre lhe causara mal-estar aquela companhia de um pobre homem. (J.L.R.)

No primeiro caso, “pobre” significa “de poucas posses”; no segundo, equivale a ‘‘desgraçado”.

O mesmo se dá com "grande", "simples" e alguns outros:

Essa é urna obra muito grande para uma criança ler. ( = "uma obra muito extensa", "volumosa")

Quincas Borba leu-me daí a dias a sua grande obra. (M.A.) ( = "obra de grande valor")

8
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Pedro é um homem simples. (= "um homem sem muito luxo")

Pedro é um simples homem. (= "um homem sem muito valor")

D- COMPOSTOS DE SUBSTANTIVO E PRONOME

Merecem destaque os seguintes casos, onde a uma mudança de ordem corresponde uma mudança de
sentido:

a) ALGUM. Quando anteposto ao nome, o indefinido "algum" tem valor positivo (é o oposto de "nenhum");
quando posposto, tem significação negativa:

As aventuras tinham de render-lhe alguma coisa. (M.L.)

Ninguém lhe dizia coisa alguma, era só caçoada que sabiam fazer. (J Ant.)

b) CERTO. Anteposto, é pronome indefinido; posposto, é adjetivo de significação vária, geralmente


equivalente a exato”, "preciso", "inevitável", etc.:

Deixe esta ruga, que me empresta um certo ar de sabedoria. (C.M.)

Dizei-me se é morte certa. (C.M.)

Tenho um caixeiro que nunca faz as contas certas.

Conheço o homem certo para esse trabalho.

c) TODO. Anteposto ao substantivo, sem a presença do artigo, significa "qualquer", "cada".

Todo dia o sol levanta

e a gente canta

o sol de todo dia. (C.V.)

9
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Quando posposto, dá a ideia de totalidade:

O dia todo espiava os movimentos das pessoas. (G.R.)

5. AMBIGUIDADES DE SENTIDO

A- ORDEM E AMBIGUIDADE

Quanto ao significado, é necessário ainda que prestemos atenção à ordem das palavras para que a oração não
fique dúbia. Por exemplo, na frase:

Ele me ouviu discursar entusiasmado.

a disposição dos termos não permite saber quem estava "entusiasmado", se a pessoa que discursou ("eu") ou
a pessoa que ouviu o discurso ("ele"). Na primeira hipótese, poderíamos assim reescrever a frase:

Ele ouviu quando discursei entusiasmado.

Mas na segunda, um simples rearranjo dos termos resolveria o problema:

Entusiasmado, ele me ouviu discursar.

Outro exemplo: antes da oitava etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, um repórter de televisão dizia:
"O campeonato chega na metade com oito corridas disputadas aqui na Inglaterra. Algum desavisado poderia
muito bem imaginar que os ingleses já haviam sediado sete corridas. Outra ordem seria, portanto, mais
aconselhável. Por exemplo: "Aqui na Inglaterra, o campeonato chega na metade, com oito corridas
disputadas”; ou: “Com oito corridas disputadas, o campeonato chega na metade aqui na Inglaterra”.

Noutras vezes, a ambiguidade advém do duplo sentido que se pode atribuir a um termo. Vejamos esta frase,
de um teste de vestibular:

O menino viu o incêndio do prédio.

10
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Nesse caso, a preposição "de" pode tanto estar indicando o local de origem da ação de "ver” — "o menino viu
do prédio" como estar introduzindo um complemento nominal — "incêndio do prédio".

Podemos resolver a ambiguidade reescrevendo a frase. Na primeira hipótese, diríamos:

O menino viu o incêndio a partir do prédio.

ou

O menino, do prédio, viu o incêndio.

Na segunda hipótese:

O menino viu o prédio incendiar-se.

B- AMBIGUIDADE E AUSÊNCIA DE PONTUAÇÃO

Em certas orações, a ambiguidade pode estar sendo causada pela ausência de pontuação adequada. Nesta
frase de Mário Palmério:

Difícil uma mulher assim socada por aqueles fundos.

Não podemos ter certeza se a palavra "assim" é um adjetivo, relacionado ao substantivo "mulher", ou um
advérbio modificador do particípio "socada". Vejamos graficamente:

Difícil uma mulher assim socada por aqueles fundos.

Difícil uma mulher assim socada por aqueles fundos.

Na fala esse problema não existe, pois uma pausa no lugar apropriado tira qualquer dúvida. Na escrita,
podemos resolver a ambiguidade como uso da vírgula. No primeiro caso, escreveríamos:

Difícil uma mulher assim, socada por aqueles fundos.

E no segundo:

11
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Difícil uma mulher, assim socada por aqueles fundos.

Esse tópico, a pontuação, não faz parte da área de interesse deste módulo — a ordem das palavras na frase.
Mas como estamos estudando a construção de orações, bem como os problemas de ambiguidades de
sentido, seria útil vermos mais um aspecto que aproxima a pontuação e o significado das frases.

6. MUDANÇA DE PONTUAÇÃO E MUDANÇA DE SIGNIFICADO

Muitas vezes, um sinal de pontuação trocado muda todo o sentido de uma oração. Por exemplo: a maioria das
religiões cristãs escreve da seguinte maneira o versículo 43, capítulo 23, do Evangelho de São Lucas, que
reproduz a fala de Cristo, na cruz, ao "bom ladrão":

Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no paraíso.

Para outros, no entanto, que creem que apenas no Dia do Juízo Final se poderá estar no paraíso, o versículo é:

Em verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso.

A mesma coisa acontece nos seguintes períodos:

Os clientes, que atendo com simpatia, sempre voltam ao meu estabelecimento.

Os clientes que atendo com simpatia sempre voltam ao meu estabelecimento.

No primeiro caso, a pessoa diz que os seus clientes sempre voltam, porque são todos tratados com simpatia.
Mas no segundo período está subentendida a ideia de que há clientes que não são tratados com simpatia, e
só aqueles que são tratados desse modo voltam ao estabelecimento.

12
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

7. ORDEM E CLAREZA

DISTÂNCIA

Outro ponto da relação entre ordem e sentido é a clareza do enunciado. A excessiva distância entre um termo
e seu complemento pode tornar difícil a compreensão de uma frase, como esta:

Temos pago um duro, difícil, às vezes constrangedor, e quase sempre perigoso preço pelo nosso sucesso.

Há tantos termos intercalados entre a locução verbal — "temos pago" — e seu objeto — "preço" — que quase
se perde a ideia geral da oração.

INVERSÕES DE ORDEM

O emprego de complexas inversões também dificulta a leitura de uma frase. Um exemplo disso é o trecho
inicial de nosso Hino Nacional, com letra de Osório Duque Estrada:

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heroico o brado retumbante.

Você saberia dizer qual é o sujeito dessa frase, ou colocá-la na ordem direta? Em ordem direta, a frase ficaria
da seguinte maneira:

As margens plácidas do Ipiranga ouviram

O brado retumbante de um povo heroico.

O sujeito da frase, então, é Inversões exageradas, portanto, não caracterizam um discurso elegante, mas,
simplesmente, um discurso confuso.

13
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

8. ORDEM E EXPRESSIVIDADE

ÊNFASE E EXPRESSIVIDADE

Analisemos o seguinte período, de Jorge Amado:

No Corredor da Vitória, coração do mais chique bairro da cidade, se eleva a vivenda do Comendador José
Ferreira.

No grupo de palavras destacado, notamos que a informação nova é fornecida pelo adjetivo. Não importa
tanto que o Comendador more em um "bairro", mas que este seja "o mais chique" da cidade. Daí que o
adjetivo apareça anteposto, isto é, antes do substantivo.

Sempre que se deseja destacar um elemento da oração ou de um grupo de palavras, ele é deslocado de sua
posição mais comum. Chamamos de expressividade de um enunciado a parte do sentido transmitida não pelo
significado das palavras, mas pela ênfase que se põe sobre este ou aquele termo da oração. A ordem das
palavras, pois, pode obedecer à expressividade que se quer dar ao enunciado.

ÊNFASE DOS ELEMENTOS DE UM GRUPO DE PALAVRAS

Para enfatizar os elementos de um grupo de palavras, usam-se, normalmente, os seguintes expedientes:

a) O destaque do adjetivo e das locuções adjetivas, como vimos, ocorre com sua anteposição ao substantivo:

Paulo arriou-se no duro banco de jacarandá. (M.P)


Adj.+ subst

Locuções adjetivas dificilmente aparecem deslocadas de sua posição original, ou seja, posposta ao nome que
modifica. Casos assim são mais comuns na poesia de autores clássicos, como vemos neste verso de Gonçalves
Dias:

O incenso aspiraram dos seus maracás. (ordem direta= Aspiraram o incenso dos seus manacás).

a) O destaque dos pronomes ocorre com sua posposição, isto é, seu posicionamento após o substantivo:
14
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Filho meu não faz essa espécie de coisa.

Dinheiro nenhum me compra.

ÊNFASE DOS TERMOS DA ORAÇÃO

Quanto aos termos da oração, podem aparecer enfáticos nos seguintes casos:

b) O destaque do sujeito se dá com sua posposição ao verbo:

Chegava para a festa o pai e o filho.

Tinha ela no pescoço um lenço amarrado.

Por vezes, o sujeito é mesmo o último termo do enunciado.

Parecia trem de carga, o trem de Maguari. (A.A.M.)

Entrou mais cedo na sala o aluno aplicado.

Os demais termos da oração são normalmente enfatizados pela sua colocação no início do período:

Objeto direto:

Enxoval a criança já tem.

Objeto indireto:

Ao mestre dedicamos todo nosso afeto.

Predicativo do sujeito:

Palhaço não sou.

Predicativo do objeto:
15
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

Bonita eu a considerarei sempre.

Agente da passiva:

Por ninguém eu fui enganado.

Adjuntos adverbiais:

Ao cabo de sete dias expiraram as festas públicas. (M.A.)

Nas casas pobres as mulheres choravam. (J.Am.)

Pela liberdade o pai de Pedro Bala morrera. ( J.Am.)

OBS. ESTE MÓDULO NÃO TEM EXERCÍCIOS DE COMBATE, POIS É APENAS UMA
PREPARAÇÃO PARA QUESTÕES DE REESCRITURA, QUE SERÃO TREINADAS DEPOIS
DE OUTROS MÓDULOS, POIS NECESSITAMOS DE MAIS TEORIA PARA DAR CONTA
DE TUDO O QUE ESSAS QUESTÕES ABORDAM.

16
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

1. Identifique as frases em que o grupo de palavras destacado está disposto em ordem direta:
a) Felicitei o novo síndico. (F.S.)
b) Parece que despertei a simpatia dos guardas para a minha pressa. (F.S.)
c) Homem este que não conheço.
d) Certo dezembro vieram passar as férias com “Santa” Inácia duas sobrinhas suas. (M.L.)
e) Ele ouviu as injúrias todas.
f) E a virtuosa dama voltou contente da vida para o trono. (M.L.)
g) Todo menino loiro se parece com o menino Jesus. (C.L.)
h) Basta lhe dizer o que o seu Augusto do Oiteiro adquiriu na cidade uma sela inglesa. (J.L.R.)
i) Quando se despedem dos maridos não dão rápidos beijos, como os homens da terra. (J.Am.)
j) É o prelúdio da sua desgraça. (L.B.)
k) Aparelha-se com singular serenidade para a luta. (E.C.)
l) Uma caridade minha. (M.L.)
m) Dia aquele em que quase morri.
n) Assim foi – e essa consciência a matou. (M.L.)
o) Nenhum povo tem mais pavor aos terremotos que o peruano. (E.C.)
p) Um delírio sem Deus, nossa imaginação! (C.M.)
q) Mulher danada, comadre, anda me botando vigia por toda parte. (J.L.R.)
r) Vida, minha vida. (C.B.H.)
s) Receita de grande sabedoria é a de se reservarem as bezerras para serem cruzadas mais tarde com o
próprio pai. (J.L.R.)
t) Não farão revolta com dinheiro nosso.
u) ...com certeza mais formosa entre as contemporâneas suas. (M.A.)

2. Identifique as frases cujos termos estão dispostos em ordem direta:


a) Pescaria é ciência como outra qualquer. (M.P.)
b) Os homens nenhum comentário fizeram. (J.J.V.)
c) Não durou muito na chefia o caboclo Raimundo. (J.Am.)
d) Professor olhou com seus olhos de míope. (J.Am.)
e) Eu nunca o João enganei. (D.T.)
f) A chatice da várzea imensa chamava o sono. (M.P.)
g) O cachorro late à lua na areia. (J.Am.)
h) A experiência é belíssima. (E.C.)

17
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

i) Farturão de caatinga possui o Sertão dos Confins. (M.P.)


j) A mania de grandezas tinha exemplares notáveis. (M.A.)
k) Dora morre lentamente ante seus olhos. (J.Am.)
l) Escritores há que empregam vírgulas em demasia. (C.C.)
m) De vez em quando passava uma fagulha. (A.A.M.)
n) Ordens partiam de todos os lados. (A.A.M.)
o) Houve um pequeno silêncio. (E.V.)
p) Fomos levando o cadáver pela rua empedrouçada. (L.B.)
q) O doutor Vilaça deu um beijo em Dona Euzébia. (M.A.)
r) Aqui funcionava antigamente um asilo de órfãos. (F.S.)

3. Reescreva as frases seguintes dispondo seus termos em ordem direta:


a) Entrava na cozinha o Gerôncio com os outros companheiros. (M.P.)
b) Tontura gostosa dava a pinga forte do Gerôncio. (M.P.)
c) Entrou no quarto com o café o José Turco. (M.P.)
d) Pouca influência tinha o padre José Pedro. (J.Am.)
e) Aracne foi meu nome e na trama ilusória
Das rendas florescia a minha graça estranha. (M.B.)
f) As vossas forças restaurai perdidas. (G.D.)
g) De um vagão sai um fio de sangue. (J.Am.)
h) Eram as suas mãos mais lindas sem anéis. (M.B.)
i) Senhor, senhora, senhorio
Felino, não reconhecerás. (C.B.H.)

4. Antes das frases a seguir aparece uma palavra entre parênteses. Ponha-a em dois lugares diferentes no
enunciado. Em cada uma dessas posições a palavra deve modificar de modo distinto o sentido da frase.
a) (agora) Um menino pobre e órfão viera bater à sua porta. (J.Am.)
b) (só) Eu gostava do que tocava.
c) (também) Dinheiro não faltava aos Rochas. (M.P.)
d) (só) A mulher o chateava.
e) (mesmo) Ela vai ao baile carnavalesco.
f) (bem) Dizem que esses poetas são doidos. (J.Am.)
g) (só) Dois espantavam pelo curioso do delírio. (M.A.)
h) (só) As mulheres se encolhiam. (A.A.M.)
i) (não) Os que dormiam aproveitando a escuridão conversavam. (A.A.M.)
j) (mesmo) Este velho só fala na ponta do punhal. (J.L.R.)

5. Reconheça, seguindo o código, o termo enfatizado nas frases que seguem:


1- sujeito
2- objeto direto
3- objeto indireto
4- predicativo do sujeito
18
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

5- predicativo do objeto
6- agente da passiva
7- adjunto adverbial
a) ( ) Dos candidatos a vereador a gente não pode esperar nada. (M.P.)
b) ( ) Bom é um escalda-pé bem esperto. (M.P.)
c) ( ) A vida daquele povo da casa-grande ninguém pode compreender. (J.L R.)
d) ( ) Entram mulheres de negros véus nas igrejas. ( J.Am.)
e) ( ) Não achou Crispim Soares melhor saída. (M A.)
f) ( ) Do morro sua mãe tinha saído num caixão. ( J.Am.)
g) ( ) João considerava infiel a sua esposa.
h) ( ) De homem tão humilde, toda a cidade apiedou-se.
i) ( ) O professor dá à sua família tudo o que ganha.
j) ( ) De todos os cantos saíam estivadores. ( J.Am )
k) ( ) A todos os agentes são dadas muitas vantagens. (C.L.)
l) ( ) Impressão ruim iam ter dele. (M.P.)
m) ( ) Mentira sua boca não diz. (M P.)
n) ( ) Espinhosa é a missão do escritor. (F.S. )
p) ( ) E tinham razão os rapazes. (M.A.)

19
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

1.
RESPOSTA: As frases sublinhadas estão em ordem direta; as demais frases encontram-se em ordem indireta,
cuja ordenação se fez entre parênteses.

a) Felicitei o novo síndico. (F.S.)


b) Parece que despertei a simpatia dos guardas para a minha pressa. (F.S.)
c) Homem este que não conheço. ( Este homem que não conheço)
d) Certo dezembro vieram passar as férias com “Santa” Inácia duas sobrinhas suas. (M.L.) (Certo dezembro,
duas sobrinhas de “Santa” Inácia vieram passar as férias com a tia)
e) Ele ouviu as injúrias todas. (Ele ouviu todas as injúrias.)
f) E a virtuosa dama voltou contente da vida para o trono. (M.L.) (E a dama virtuosa voltou contente da vida
para o trono.)
g) Todo menino loiro se parece com o menino Jesus. (C.L.)
h) Basta lhe dizer o que o seu Augusto do Oiteiro adquiriu na cidade uma sela inglesa. (J.L.R.)
i) Quando se despedem dos maridos não dão rápidos beijos, como os homens da terra. (J.Am.) (Quando se
despedem dos maridos não dão beijos rápidos, como os homens da terra.)
j) É o prelúdio da sua desgraça. (L.B.)
k) Aparelha-se com singular serenidade para a luta. (E.C.) (Aparelha-se com serenidade singular para a luta)
l) Uma caridade minha. (M.L.) (A ordem direta, neste caso, provocaria um cacófato: Uma minha caridade, por
isso a preferência pela ordem indireta.)
m) Dia aquele em que quase morri. ( A ordem inversa, neste caso cria uma significação diferente da ordem
direta, porque dá ênfase a um determinado dia de que se fala: Quase morri naquele dia.)
n) Assim foi – e essa consciência a matou. (M.L.)
o) Nenhum povo tem mais pavor aos terremotos que o peruano. (E.C.)
p) Um delírio sem Deus, nossa imaginação! (C.M.)
q) Mulher danada, comadre, anda me botando vigia por toda parte. (J.L.R.)
r) Vida, minha vida. (C.B.H.)
s) Receita de grande sabedoria é a de se reservarem as bezerras para serem cruzadas mais tarde com o
próprio pai. (J.L.R.) (Receita de sabedoria grande é a de se reservarem...; neste caso, a inversão do adjetivo
"grande" provoca diferença de sentido. Um grande homem - homem de muito valor moral - é diferente de
um homem grande - de tamanho avantajado.)
t) Não farão revolta com dinheiro nosso. (Não farão revolta com nosso dinheiro.)
u) ...com certeza mais formosa entre as contemporâneas suas. (M.A.) (...com certeza mais formosa entre as
suas contemporâneas.)
20
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

2.
RESPOSTA:
a) Pescaria é ciência como outra qualquer. (M.P.)
b) Os homens nenhum comentário fizeram. (J.J.V.) (Os homens não fizeram nenhum comentário.)
c) Não durou muito na chefia o caboclo Raimundo. (J.Am.) (O caboclo Raimundo não durou muito na chefia)
d) Professor olhou com seus olhos de míope. (J.Am.)
e) Eu nunca o João enganei. (D.T.) (Eu nunca enganei o João.)
f) A chatice da várzea imensa chamava o sono. (M.P.)
g) O cachorro late à lua na areia. (J.Am.)
h) A experiência é belíssima. (E.C.)
i) Farturão de caatinga possui o Sertão dos Confins. (M.P.)
j) A mania de grandezas tinha exemplares notáveis. (M.A.) (Tinha exemplares notáveis a mania de
grandezas.)
k) Dora morre lentamente ante seus olhos. (J.Am.)
l) Escritores há que empregam vírgulas em demasia. (C.C.) (Há escritores que empregam vírgulas em
demasia.)
m) De vez em quando passava uma fagulha. (A.A.M.) (Passava uma fagulha de vez em quando.)
n) Ordens partiam de todos os lados. (A.A.M.) (Partiam ordens de todos os lados.)
o) Houve um pequeno silêncio. (E.V.)
p) Fomos levando o cadáver pela rua empedrouçada. (L.B.)
q) O doutor Vilaça deu um beijo em Dona Euzébia. (M.A.)
r) Aqui funcionava antigamente um asilo de órfãos. (F.S.) (Um asilo de órfãos funcionava aqui antigamente)

3.
RESPOSTA:
a) Entrava na cozinha o Gerôncio com os outros companheiros. (M.P.)
O Gerôncio entrava na cozinha com os outros companheiros.
b) Tontura gostosa dava a pinga forte do Gerôncio. (M.P.)
A pinga forte do Gerôncio dava tontura gostosa.
c) Entrou no quarto com o café o José Turco. (M.P.)
O José Turco entrou no quarto com o café.
d) Pouca influência tinha o padre José Pedro. (J.Am.)
O padre José Pedro tinha pouca influência.
e) Aracne foi meu nome e na trama ilusória
Das rendas florescia a minha graça estranha. (M.B.)
Meu nome foi Aracne na trama ilusória e a minha graça estranha florescia das rendas.
f) As vossas forças restaurai perdidas. (G.D.)
Restaurai as vossas forças perdidas.
g) De um vagão sai um fio de sangue. (J.Am.)
Um fio de sangue sai de um vagão.
h) Eram as suas mãos mais lindas sem anéis. (M.B.)
As suas mãos eram mais lindas sem anéis.

21
LÍNGUA PORTUGUESA
Profª. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 8

i) Senhor, senhora, senhorio


Felino, não reconhecerás. (C.B.H.)
Senhor, senhora, senhorio, não reconhecerás felino.

4.
RESPOSTA: Nos lugares onde as palavras podem ser postas, pusemos um asterisco.
a) (agora) Um menino * pobre e * órfão viera bater * à sua porta. (J.Am.)
b) (só) * Eu * gostava * do que tocava.
c) (também) Dinheiro * não faltava * aos Rochas. (M.P.)
d) (só) * A mulher * o chateava.
e) (mesmo) Ela * (mesma) vai ao * baile carnavalesco *.
f) (bem) Dizem * que esses poetas são * doidos. (J.Am.)
g) (só) * Dois espantavam * pelo curioso do delírio. (M.A.)
h) (só) * As mulheres * se encolhiam. (A.A.M.)
i) (não) Os que * dormiam aproveitando a escuridão * conversavam. (A.A.M.)
j) (mesmo) Este * velho só fala * na ponta do * punhal. (J.L.R.)

5.
RESPOSTA:
a) (3) Dos candidatos a vereador a gente não pode esperar nada. (M.P.)
b) (4) Bom é um escalda-pé bem esperto. (M.P.)
c) (2) A vida daquele povo da casa-grande ninguém pode compreender. (J.L R.)
d) (2) Entram mulheres de negros véus nas igrejas. ( J.Am.)
e) (1) Não achou Crispim Soares melhor saída. (M A.)
f) (7) Do morro sua mãe tinha saído num caixão. ( J.Am.)
g) (5) João considerava infiel a sua esposa.
h) (3) De homem tão humilde, toda a cidade apiedou-se.
i) (1) O professor dá à sua família tudo o que ganha.
j) (7) De todos os cantos saíam estivadores. ( J.Am )
k) (3) A todos os agentes são dadas muitas vantagens. (C.L.)
l) (2) Impressão ruim iam ter dele. (M.P.)
m) (2) Mentira sua boca não diz. (M P.)
n ) (4)Espinhosa é a missão do escritor. (F.S. )
p) (1) E tinham razão os rapazes. (M.A.)

22