Você está na página 1de 7

10.

º ANO
A A ENSINO SECUNDÁRIO

I C
ÍM
MARGARIDA MARCÃO

Q U NUNO LINO

E
RICARDO PINTO

I C A
FÍS
ÍNDICE
DOMÍNIO DOMÍNIO

Elementos químicos e sua Propriedades e transformações


organização da matéria
1 MASSA E TAMANHO DOS ÁTOMOS 1 LIGAÇÃO QUÍMICA
Ordens de grandeza e escalas de comprimento 6 Tipos de ligações químicas 96
Dimensões à escala atómica 6 Ligação covalente 97
Exercícios resolvidos 8 Exercícios resolvidos 100
Massa isotópica e massa atómica relativa média 10 Geometria molecular 102
Exercícios resolvidos 11 Exercícios resolvidos 104
Quantidade de matéria e massa molar 12 Polaridade das moléculas 107
Fração molar e fração mássica 12 Exercícios resolvidos 108
Exercícios resolvidos 13 Estruturas de moléculas orgânicas e biológicas 110
Organizar ideias 17 Exercícios resolvidos 113
Exercícios propostos 18 Ligações intermoleculares 114
No laboratório 23
Exercícios resolvidos 115
Segurança no laboratório 23
Organizar ideias 117
Material e equipamento de laboratório 25
Exercícios propostos 118
Medição em química 26
No laboratório 128
A.L.1.1. Volume e número de moléculas de uma gota de água 30
A.L.2.1. Miscibilidade de líquidos 128
2 ENERGIA DOS ELETRÕES NOS ÁTOMOS Teste de avaliação 2 130
Espetros contínuos e descontínuos 32
Exercícios resolvidos 34 2 GASES E DISPERSÕES
Modelo atómico de Bohr 36 Lei do Avogadro. Volume molar e massa volúmica 135
Quantização de energia e transições eletrónicas 36 Exercícios resolvidos 136
Espetro do átomo de hidrogénio 37 Soluções, coloides e suspensões 138
Exercícios resolvidos 38 Exercícios resolvidos 139
Energia de remoção eletrónica 45 Composição quantitativa de soluções 144
Exercícios resolvidos 47 Exercícios resolvidos 145
Modelo quântico do átomo 49
Organizar ideias 148
Exercícios resolvidos 50
Exercícios propostos 149
Configuração eletrónica dos átomos 51
No laboratório 161
Exercícios resolvidos 52
A.L.2.2. Soluções a partir de solutos sólidos 161
Organizar ideias 54
A.L.2.3. Diluição de soluções 163
Exercícios propostos 55
No laboratório 66
3 TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS
A.L.1.2. Teste de chama 66
Energia de ligação e reações químicas 165
Teste de avaliação 1 68
Exercícios resolvidos 166
3 TABELA PERIÓDICA Reações fotoquímicas na atmosfera 171
Evolução histórica da Tabela Periódica 73 Exercícios resolvidos 174
Exercícios resolvidos 74 Organizar ideias 177
Estrutura da Tabela Periódica: grupos, períodos e blocos 75 Exercícios propostos 178
Elementos representativos e de transição. Famílias de metais No laboratório 191
e de não metais 76 A.L.2.4. Reações fotoquímicas 191
Exercícios resolvidos 77
Teste de avaliação 3 193
Propriedades periódicas dos elementos representativos 78
Exercícios resolvidos 81
Organizar ideias 84
Exercícios propostos 85
No laboratório 93
A.L.1.3. Densidade relativa de metais 93
ISBN 978-989-647-996-1
DOMÍNIO

Energia e sua conservação

1 ENERGIA E MOVIMENTOS 3 ENERGIA, FENÓMENOS TÉRMICOS E RADIAÇÃO


Energia cinética e energia potencial. Energia interna 200 Sistema, fronteira e vizinhança. Sistema isolado. 280
Sistema mecânico. Modelo do centro de massa Sistema termodinâmico 280
(partícula material) 200 Exercícios resolvidos 281
Teorema da energia cinética 203 Temperatura. Equilíbrio térmico. Escalas de temperatura 283
Exercícios resolvidos 204 Exercícios resolvidos 285
Forças conservativas e não conservativas. O peso como Radiação e irradiância 288
força conservativa. Trabalho realizado pelo peso e variação Exercícios resolvidos 290
da energia potencial gravítica 208 Condução e convecção 294
Exercícios resolvidos 210 Condução térmica e condutividade térmica 294
Energia mecânica e conservação da energia mecânica 213 Capacidade térmica mássica 295
Exercícios resolvidos 215 Variação de entalpia de fusão e de vaporização 296
Organizar ideias 219 Exercícios resolvidos 297
Exercícios propostos 220 Primeira lei da termodinâmica: transferências de energia
No laboratório 234 e conservação de energia 301
A.L.1.1. Movimento num plano inclinado: variação de Segunda lei da termodinâmica: degradação da energia
energia cinética e distância percorrida 234 e rendimento 301
A.L.1.2. Movimento vertical de queda e de ressalto de Exercícios resolvidos 302
uma bola: transformações e transferências de energia 236 Organizar ideias 304
Teste de avaliação 4 240 Exercícios propostos 305
No laboratório 322
2 ENERGIA E FENÓMENOS ELÉTRICOS A.L.3.1. Radiação e potência elétrica de um painel
Grandezas elétricas: corrente elétrica, diferença de potencial fotovoltaico 322
elétrico e resistência elétrica 245 A.L.3.2. Capacidade térmica mássica 324
Corrente elétrica contínua e corrente elétrica alternada 247 A.L.3.3. Balanço energético num sistema termodinâmico 327
Resistência de condutores filiformes. Resistividade 248 Teste de avaliação 6 330
Variação da resistividade com a temperatura 248 Provas globais
Exercícios resolvidos 249 Prova global 1 336
Efeito Joule 253 Prova global 2 342
Exercícios resolvidos 256
Organizar ideias 261 Formulário de Química 348
Exercícios propostos 262 Formulário de Física 349
No laboratório 273 Tabela Periódica 350
A.L.2.1. Características de uma pilha 273
Teste de avaliação 5 275 Proposta de soluções 351
FÍSICA E QUÍMICA A | 10.º ANO

RESUMO TEÓRICO

© AREAL EDITORES
LIGAÇÕES INTERMOLECULARES
Os estados físicos das substâncias dependem da agitação molecular e da
intensidade das forças intermoleculares. Por absorção ou libertação de ener-
gia pode ocorrer alteração dos estados físicos das substâncias.
Os pontos de fusão e de ebulição dependem da intensidade das forças intermo-
leculares sendo mais elevados quando as forças são mais intensas.

Dipolo Dipolo Dipolo Ligações de


instantâneo - permanente - permanente - hidrogénio
- dipolo induzido - dipolo induzido - dipolo permanente
Sentido do aumento da intensidade das ligações intermoleculares

Figura 5 | Intensidade relativa das forças intermoleculares.

Ligações de Van der Waals


As forças intermoleculares, nomeadamente as forças de Van der Waals, são
forças atrativas de natureza eletrostática que ocorrem entre moléculas. Estas
forças podem ser:
• Forças dipolo permanente-dipolo permanente ocorrem entre moléculas pola-
res, entre os dipolos destas moléculas.
• Forças dipolo permanente-dipolo induzido ocorrem entre moléculas polares
e apolares. Os dipolos da molécula polar induzem dipolos na molécula apolar.
• Forças de dispersão de London (dipolo instantâneo–dipolo induzido) ocor-
rem entre moléculas apolares. O movimento dos eletrões pode provocar a for-
mação de dipolos instantâneos que induzem dipolos em outras moléculas apo-
lares. Numa cadeia carbonada, quanto mais longa é a cadeia, mais facilmente é
polarizável, originando forças de London mais intensas.

As forças de London ocorrem também entre moléculas polares e entre molé-


culas apolares e polares, contudo não são forças predominantes.

Ligações de hidrogénio
São um caso particular das interações dipolo
permanente-dipolo permanente são muito H

intensas e ocorrem entre átomos de hidrogé- O H O H


nio em moléculas polares e átomos muito H H
eletronegativos e pequenos, como o oxigé- H O
nio, o nitrogénio e o flúor.
H

Miscibilidade de líquidos
A solubilidade entre líquidos designa-se por miscibilidade que depende das forças
intermoleculares existentes, relacionando-se com a polaridade das moléculas.
•  e a interação intermolecular já existente for mais intensa do que a possível
S
nova interação, então o soluto não solubiliza.

114
PROPRIEDADES E TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA FÍSICA E QUÍMICA A | 10.º ANO

RESUMO TEÓRICO
•  e a interação intermolecular já existente for menos intensa do que a possível
S
nova interação, então o soluto solubiliza.

Geralmente, a miscibilidade dos líquidos ocorre quando as intensidades das


ligações intermoleculares na mistura são semelhantes às intensidades das liga-
ções intermoleculares nos líquidos isolados. Assim, a miscibilidade dos líquidos
ocorre quando estes são semelhantes, regra da semelhança:
• Substância polar tende a dissolver substância polar.
• Substância apolar tende a dissolver substância apolar.
• Substância polar não tende a dissolver substância apolar e vice-versa.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
1.  efira a que grupo de ligações (intra ou intermoleculares) pertencem as
R
seguintes interações:
a) ligação covalente dupla
b) ligação dipolo permanente-dipolo permanente
c) forças dipolo permanente-dipolo induzido
d) ligação iónica

2.  elecione a opção que corresponde às interações conhecidas como Forças de


S
London.
(A) Dipolo permanente-dipolo permanente
(B) Dipolo permanente-dipolo induzido
(C) Dipolo instantâneo-dipolo induzido
(D) Pontes de hidrogénio

3.  elecione qual dos seguintes compostos é o mais


S
solúvel em benzeno, C6H6 (um solvente apolar
muito utilizado em química orgânica).
(A) NH3 (C) CH3OH
(B) HF (D) CH3–CH2–CH3

4. Identifique a substância que deve possuir maior ponto de ebulição, entre as


apresentadas abaixo:
(A) F2
(B) CH3–CH2–CH2–COOH
© AREAL EDITORES

(C) CH2=CH–CH3
(D) CH3–CH2–CH2–CH3

115
FÍSICA E QUÍMICA A | 10.º ANO

NO LABORATÓRIO

© AREAL EDITORES
AL 3.1. RADIAÇÃO E POTÊNCIA ELÉTRICA DE UM PAINEL FOTOVOLTAICO

EXERCÍCIO RESOLVIDO
Um grupo de alunos investigou experimentalmente a influência da diferença de
potencial elétrico no rendimento de um painel fotovoltaico. Montaram um cir-
cuito elétrico utilizando um painel fotovoltaico, um amperímetro, um reóstato
e um voltímetro, e fizeram incidir, perpendicularmente, a radiação proveniente
de uma lâmpada de incandescência no painel.
Mantendo as mesmas condições de iluminação do painel fotovoltaico, opera-
ram sobre o reóstato de modo a variar o valor da resistência elétrica. Para cada
posição do cursor do reóstato, leram a diferença de potencial entre os terminais
do painel e a corrente que percorre o circuito. Com base nos dados recolhidos,
os alunos obtiveram o seguinte gráfico da potência elétrica em função da resis-
tência.
P (W)
0,0160
0,0140
0,0120
0,0100
0,0080
0,0060
0,0040
0,0020
0,0000
0,00 2,00 4,00 6,00 8,00 10,00 12,00
R (W
1.  ara uma dada posição do cursor do reóstato os valores da diferença de
P
potencial e da corrente elétrica foram de 0,305 V e 45,0 mA, respetiva-
mente. Selecione a opção que permite calcular, em unidades SI, o valor
da resistência elétrica do circuito para essa posição.
0,305 0,305
(A) (C)
45,0 0,045

(B) 0,305 * 45,0 (D) 0,305 * 0,045

2. J ustifique a necessidade dos alunos manterem as mesmas condições de


iluminação do painel fotovoltaico.
3.  abendo que o rendimento máximo do painel fotovoltaico foi de 10,0%,
S
determine a energia da radiação incidente no painel, durante um minuto,
quando o seu rendimento é máximo.
4.  e os alunos utilizassem uma lâmpada com uma irradiância menor, nas
S
mesmas condições da experiência anterior, a potência máxima fornecida
pelo painel seria igual, maior ou menor do que a registada no gráfico
anterior?

322
ENERGIA E SUA CONSERVAÇÃO FÍSICA E QUÍMICA A | 10.º ANO

NO LABORATÓRIO
RESOLUÇÃO

U
1.  pção (C) uma vez que R = e é necessário reduzir as unidades da cor-
O
I
rente para A.
2.  anter constante a variável experimental irradiância, ou seja, a potência
M
da radiação incidente por unidade de área do painel.
3.  ela análise do gráfico, conclui-se que o rendimento do painel é maximi-
P
zado para uma resistência exterior de 6,00 W, ao qual corresponde uma
potência de 0,0140 W. Assim:
Eútil = P * Dt = 0,0140 * 60 = 0,84 J
Eútil 0,84
Efornecida = = = 8,4 J
h 0,10

4. Menor.

EXERCÍCIO PROPOSTO
Numa aula laboratorial, um grupo de alunos montou um circuito elétrico, cons-
tituído por um painel fotovoltaico, um reóstato e aparelhos de medida adequa-
dos. Fazendo incidir no painel a radiação proveniente de uma lâmpada, os alu-
nos realizaram as medições necessárias para determinarem a potência fornecida
ao circuito, P, em função da resistência, R, introduzida pelo reóstato.
A tabela seguinte apresenta o registo de resultados experimentais.

U(V) I(A)
0,090 0,0521

0,242 0,0454

0,335 0,0392

0,373 0,0365

0,460 0,0313

0,521 0,0262

0,562 0,0211

0,628 0,0164

0,661 0,0123

1.  elecione, de entre as seguintes opções, a que corresponde à sensibili-


S
dade do voltímetro digital utilizado.
(A) 0,010 V (C) 0,100 V
© AREAL EDITORES

(B) 0,001 V (D) 0,005 V

323