Você está na página 1de 2

A Imagem da Mulher que se Rende

Ela estava arrumando as malas para uma viagem sem volta. Tinha o coração pesado, pois
estava deixando seus pais, seu país e tudo o que conhecia. O marido havia sido enterrado ali e
provavelmente ela nunca mais veria seu túmulo.

Ela estava indo para um país estrangeiro, junto com sua sogra. Ela queria ir. Depois de ter-se
casado e entrado naquela família, tinha descoberto algo maravilhoso, espiritual. Tinha
encontrado a Deus. Sua sogra, Noemi, que tinha perdido os dois filhos e o marido, queria
retornar ao seu país. A fome havia terminado, e era chagada a hora de ir ter com seu povo.

Rute estranhamente sentira que aquele era o seu povo também. Eram os escolhidos de Deus,
e Rute acreditava neles. Sem Noemi, ela teria apenas os seus conhecimentos e adoraria a
Deus sozinha. Precisava acompanhar a sogra não apenas para ser uma boa nora, mas, acima
de tudo, para crescer no conhecimento de Deus.

Noemi tinha deixado bem claro para Rute que, se fossem para Belém, as duas viveriam
sozinhas. Como ambas eram viúvas, viveriam em condições difíceis. Rute teria de trabalhar no
campo catando os restos das plantações para prover o alimento às duas. Era prática comum
os pobres saírem atrás das pessoas que colhiam para catar os grãos que sobravam no chão.
Rute não apenas teria de se sujeitar a um trabalho difícil como também ao ridículo e à
humilhação. Ela estaria vulnerável aos homens que trabalhavam no campo. Mas qualquer
sacrifício por esse Deus que ela havia encontrado era válido e ela se comprometeu a buscar
refúgio sob as Suas asas, entre o Seu povo.

Rute desejava submeter-se ao processo que Deus tinha escolhido para ela na jornada ao Seu
coração. Seu desejo foi colocado em prática quando ela se comprometeu a seguir Noemi até
Belém e também com sua maravilhosa proclamação à sogra: "...porque aonde quer que fores,
irei eu, e onde quer que pousares, pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu
Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu, e aí serei sepultada..." (Rute 1:16-17)

Por que Rute se ofereceu voluntariamente para fazer uma viagem a um país estrangeiro, com
uma sogra que a desencorajava? Não havia nada fascinante; pelo contrário, apenas uma
realidade de dura sobrevivência. A verdadeira motivação para Rute se dispor para a jornada
era o coração de Deus. Isso significava renunciar a tudo o que conhecia e amava. Ela havia
avaliado o custo e, em sua vida, Deus valia a pena.

Render-se a Deus - "não é resignação passiva, nem fatalismo, nem acomodação; nem
significa suprimir a própria personalidade, nem desistir do raciocínio lógico, mas significa o
oposto: sacrificar a vida ou sofrer, a fim de mudar o que precisa ser mudado. "Quanto
mais deixamos que Deus assuma o controle sobre nós, mais autênticos nos tornamos, pois foi
ele que nos fez. É quando me volto para Cristo e me rendo à sua personalidade que pela
primeira vez começo a ter minha própria e real personalidade".
"A rendição se manifesta mais claramente na obediência e na confiança". As Escrituras
nos dizem que Pedro foi um exemplo de rendição, quando Jesus lhe mandou jogar novamente
as redes, ele disse a Jesus: "Mestre, esforçamos a noite inteira e não pegamos nada, mas
porque és tu quem estás dizendo, vou lançar as redes",(Lc 5,5). Outro aspecto de rendição
total é a confiança de Abraão que seguiu as orientações de Deus sem saber aonde isso o
levaria... Deus escolheu Maria para ser mãe de Jesus não por causa de seu talento, riqueza
ou beleza mas porque ela havia se rendido completamente a ele. Quando o anjo anunciou o
plano de Deus, ela respondeu: "Sou a serva do Senhor, aconteça comigo conforme a tua
palavra",(Lc 1,38). José confiou nos propósitos de Deus sem saber porque as circunstâncias
iriam se desenvolver daquela forma. Essas pessoas renderam-se completamente a Deus.
"Você sabe que se rendeu a Deus, quando depende dele para resolver as coisas, e
não insiste em manipular outras pessoas, forçar sua programação diária ou controlar a
situação. Você larga mão, e deixa Deus trabalhar. Você não tem de estar "no controle".
Entregue-se ao Senhor e espere pacientemente por ele, (Sl 37,7). Em vez de ficar tentando
com seu esforço, confie mais. Você sabe que está entregue a Deus quando não reage às
críticas, ou não tem ímpeto de defender-se. Corações entregues a Deus se destacam em
relacionamentos. Você não pressiona os outros, não exige seus direitos nem é egoísta,
quando está entregue a Deus.
"O medo impede que nos rendamos, mas o amor de Deus lança fora todo o
medo.Quanto mais você se der conta do quanto Deus te ama, mais fácil será, você se render.
Você pode experimentar o amor de Deus na sua vida, deixando-se ser amado por ele ; um
Deus que perdoa você, quando de coração sincero arrepende-se, (Sl 86,5) ele é
carinhosamente paciente com você, (Jr 29,11)."
O mais importante exemplo de auto-rendição é a pessoa de Jesus. Na noite anterior a
sua crucificação, Jesus se rendeu aos planos de Deus. Ele orou: Pai, tudo te é possível. Afasta
de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, mas o que tu queres, (Mc 14,36).
Você se beneficia quando rende sua vida totalmente a Deus. A primeira coisa que se
sente é a paz. Seus ensinamentos o libertam para viver abertamente em sua liberdade, (Rm
6,17-18). Você experimenta também o poder de Deus em sua vida. Tentações persistentes e
problemas impossíveis aos olhos humanos, podem ser solucionados por Cristo quando
estamos entregues a ele. Segundo a Bíblia, Josué se aproximou da maior batalha de sua vida,
(Jos 5,13-1519) ele deparou com Deus, prostrou-se em adoração perante a ele e rendeu-lhe a
seus planos. Tal rendição veio a vitória em Jericó. Render-se a Deus não o enfraquece, mas o
fortalece.
Jesus disse: "se as pessoas querem me seguir, elas precisam abrir mão de suas
vontades (Lc 9,23). Para descobrir o propósito para a sua vida, volte-se para a Palavra de
Deus, e não para a sabedoria do mundo. Conhecer seu propósito direciona sua vida. Você
deve edificar sua vida sobre verdades eternas, e não sobre os apelos do mundo materialista.
"Todo mundo, com o tempo se rende a algo ou a alguém. Se não for a Deus, você se
renderá às opiniões ou às expectativas dos outros, ao dinheiro, ao prestígio, ao orgulho
próprio, a luxuria, ao medo, ao rancor, ao ego. Você, eu fomos feitos para adorar a Deus e se
fracassarmos em adorá-lo, criaremos (ídolos) para os quais entregaremos nossa vida. Somos
livres para escolhermos a quem nos entregaremos, mas não somos livres das consequências
dessa escolha".

Reflexão: ." Render a Deus não é um tolo impulso emocional, mas um ato inteligente e
racional; a atitude mais inteligente que você pode tomar em sua vida. Seus momentos mais
sábios serão aqueles em que você disser sim para Deus". Quando você vive à luz da Palavra
de Deus, seus valores mudam e a sua vida simplifica. "Se não se rende a Cristo, se rende ao
caos!" (E.Stanley Jones).

Interesses relacionados