Você está na página 1de 12

Capítulo 8

Refrigeração por Absorção

8.1 Relação entre o Ciclo de Absorção e o de Compressão de Vapor


O ciclo de absorção possui o evaporador, o condensador e o dispositivo de
expansão exatamente como o ciclo de compressão de vapor. A compressão,
entretanto, é substituída por outra forma de elevação de pressão do vapor.

- Ciclo de compressão => Ciclo operado a trabalho


- Ciclo de absorção => Ciclo operado a calor

1
8.2 Coeficiente de Performance

Capacidade de Refrigeração Q
COPabs   e
Taxa de Adição de Calor no Gerador Qg

COPabs < COPcomp Isto se deve ao fato da energia na forma


de trabalho ser muito mais valiosa.

8.3 Coeficiente de Performance Ideal (Ciclo de Carnot)


O Ciclo ideal de absorção pode ser considerado composto por duas
máquinas: uma máquina de potência e uma máquina de refrigeração.

COP do Ciclo de Potência de Carnot

Qg Tg
COPpot  
W Tg  Ta

COP do Ciclo de Refrigeração de Carnot

Qe Te
COPcomp  
W Ta  Te

2
COP do Ciclo de Absorção

Qe Te
Qe (Ta  Te ) Te (Tg  Ta )
COPabs   W  
Qg Qg Tg Tg (Ta  Te )
W (Tg  Ta )

Exemplo:
Qual é o COP de um sistema de refrigeração ideal por absorção operando
com uma fonte de calor a temperatura de 100oC, temperatura de refrigeração de
5oC e uma temperatura ambiente de 30oC?

Solução

Qg Tg 100  273,15
COPpot     5,33
W Tg  Ta 100  30

Qe Te 5  273,15
COPcomp     11,13
W Ta  Te 30  5

COPcomp 11,13
COPabs    2,09
COPpot 5,33

Análise da equação do COP:

• Aumenta Tg aumenta o COP


• Aumenta Te aumenta o COP
• Aumenta Ta reduz o COP

8.4 Diagrama Concentração-Temperatura-Pressão de Soluções de Brometo


de Lítio-Água (LiBr-H2O)

- O LiBr é um sal sólido cristalino que a na presença do vapor d'água absorve


vapor e torna-se uma solução líquida.

- A solução líquida exerce uma pressão de vapor d'água que é uma função da
temperatura e da concentração da solução.

3
- Cada líquido exerce uma pressão de vapor.
- No equilíbrio as duas pressões são iguais.
- Muitas outras combinações de temperatura e concentração fornecem a
pressão de 7,38kPa.

4
5
8.5 Cálculo das vazões em Massa nos Ciclos de Absorção

Exemplo: Compute a vazão em massa de refrigerante (água) através do


condensador e do evaporador no ciclo mostrado abaixo se a bomba libera 0,6kg/s
e se prevalecem as seguintes temperaturas: gerador, 100oC; condensador, 40oC;
evaporador, 10oC e absorvedor, 30oC.

Solução

A pressão no condensador e gerador é fixa pela pressão de condensação


(saturação da água pura 40oC) => 7,38kPa
A pressão no evaporador e absorvedor é fixa pela pressão de evaporação
(saturação da água pura a 10oC) => 1,23kPa

6
Balanço de massa da solução no gerador

m 1  m 3  m 2  0,6kg / s

Balanço de massa de LiBr no gerador

m 1 x1  m 2 x2

0,6.0,5  m 2 .0,664

Resolvendo

m 2  0, 452kg / s
m 3  0,148kg / s

8.6 Entalpia de Soluções de LiBr


As tabelas de vapor podem ser utilizadas para avaliar entalpia no
condensador e evaporador.
No gerador e absorvedor são utilizados diagramas entalpia-temperatura-
concentração (h-T-C) para a solução de LiBr.

7
Entalpia nula para água líquida a 0oC (mesma referência para água pura) e
LiBr a 25oC.

8
8.7 Análise Térmica de Sistemas de Absorção Simples

Exemplo: Para o sistema de absorção do exemplo anterior compute Q g , Q c , Q a ,


Q e o COP.
e

Dados:

m 1  0,6kg / s
m 2  0,452kg / s
m 3  m 3  m 5  0,148kg / s
x1  0,5
x1  0,664

Solução
Entalpias da solução
h1=h(30oC;0,5)= -168 kJ/kg
h2=h(100oC;0,664)= -52 kJ/kg
Entalpias da água líquida e vapor d’água
h3=hv(100oC)= 2676 kJ/kg
h4=hl(40oC)= 167,5 kJ/kg
h5=hv(10oC)= 2520 kJ/kg

Balanço de Energia no gerador

Q g  m 1h1  m 2 h2  m 3h3
Q  m h  m h  m h
g 2 2 3 3 1 1

Q g  0,148.2676  0, 452.(52)  0,6.(168)  473,3kW

Balanço de Energia no Condensador

m 3h3  m 4 h4  Q c
m 3  m 3  m 4  m c
Q  m (h  h )  0,148.(2676  167,5)  371,2kW
c c 3 4

Balanço de Energia no Absorvedor

m 5h5  m 2 h2  m 1h1  Q a

Q a  m 5h5  m 2 h2  m 1h1  0,452.(52)  0,148.(2520)  0,6.( 168)  450,3kW

9
Balanço de Energia no Evaporador

Q e  m 4h4  m 5h5

Q e  m e (h5  h4 )  0,148.(2520  167,5)  348, 2kW

m 4  m 5  m e

Finalmente,

Q 348,2
COP   e   0,736
Qg 476,6

COP de Carnot

Te (Tg  Ta ) (10  273,15)(100  30)


COP    2,65
Tg (Ta  Te ) (100  273,15)(30  10)

Eficiência de Refrigeração

COPabs 0,736
R    0,277
COPCarnot 2,65

8.8 Ciclo de Absorção com Trocador de Calor

Note que no ciclo de absorção a solução que deixa o absorvedor necessita


ser aquecida de 30 para 100oC, enquanto que a solução que deixa o gerador
precisa ser resfriada de 100 para 30oC.
O maior custo de operação está associado à adição de calor no gerador e
indiretamente haverá um custo para rejeitar calor no absorvedor.
A introdução de um trocador entre as correntes de solução pobre que deixa o
gerador e de solução rica que deixa o absorvedor diminui a necessidade de adição
de calor no gerador e de rejeição de calor no absorvedor.

10
Exemplo
O ciclo simples do exemplo anterior é modificado pela inserção de um trocador de
calor, como mostrado na figura acima, de tal forma que a temperatura do ponto 2
é de 52oC. A vazão em massa do escoamento liberado pela bomba de solução é
de 0,6kg/s. Qual é a taxa de transferência de energia em cada componente e o
COPabs deste ciclo?

Solução

Certas quantidades permanecem inalteradas:

m 1  m 2  0,6kg / s

m 3  m 4  0, 452kg / s

m 5  m 6  m 7  0,148kg / s

As entalpias que permanecem inalteradas são:

11
h1= -168 kJ/kg; h3= -52 kJ/kg h5= 2676 kJ/kg h6= 167,5 kJ/kg
h7= 2520 kJ/kg

As taxas de transferência de calor no condensador e evaporador permanecem


Inalteradas:

Q c  371,2kW e Q e  348, 2kW

Pelo diagrama h-T-C, tem-se:

h2=h(52oC,50%)= -120 kJ/kg

Balanço de energia no trocador de calor

Q tc  m 1 (h2  h1 )  0,6.(120  (168))  28,8kW

Da mesma forma,

Assim,

h4= = -116 kJ/kg

O diagrama h-T-C mostra que a solução de 66,4% com a entalpia de -116kJ/kg


tem uma temperatura de 64oC.

Através do balanços de energia no gerador pode-se avaliar a taxa de transferência


de calor:

Q g  m 5h5  m 3h3  m 2 h2

Q g  0,148.2676  0,452.(52)  0,6.(120)  444,5kW

Da mesma forma, no absorvedor:

Q a  m 7 h7  m 4 h4  m 1h1  0, 452.(116)  0,148.(2520)  0,6.(168)  421,3kW

O Coeficiente de Performance

Q 348, 2
COP   e   0,783
Qg 444,5

Este COP representa uma melhoria em relação ao valor de 0,736 do sistema sem
trocador de calor.

12