Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA – UFBA

COMPONENTE: QUIB31 – ENERGIA, AMBIENTE E SOCIEDADE


DISCENTE: STEPHANY FIGUEIREDO CARNEIRO
DOCENTE: EMERSON ANDRADE SALES

MINHA RESPONSABILIDADE COM O PLANETA TERRA

INTRODUÇÃO:

Esta pesquisa tem como objetivo demonstrar o consumo pessoal dos bens
naturais e avaliar minha contribuição para um desenvolvimento sustentável do
planeta. Para avaliação foi utilizado o cálculo do consumo de água, de energia,
pegada ecológica, além da emissão de gás carbônico.

Resido em um bairro de classe média baixa, sendo que minha casa possui
quatro cômodos (um quarto, um banheiro, cozinha, sala). Nela resido eu e
minha mãe. Saio para a faculdade pela manhã e retorno à noite. A casa fica
vazia no período da manhã, pois minha mãe cuida da minha avó em outra
residência e acaba passando em média quatro dias fora de casa em período
integral. Em suma, eu apenas tomo banho, cozinho e durmo em casa de
segunda à sexta. Finais de semana, minha mãe e eu passamos o dia na rua,
muitas vezes nem chegamos a dormir em casa.

DIAGNÓSTICO:

Ao calcular minha emissão de CO2, o Site da Iniciativa Verde (ONG)


registra a minha emissão de 0,72 toneladas de gás carbônico anualmente e
seria necessário o plantio de cinco árvores para compensar esse consumo. O
consumo médio do país é de 7,85 toneladas por pessoa. Sendo assim, estou
bem abaixo da média de consumo nacional. Como moro próximo a faculdade,
eu vou andando para a mesma e faço uso apenas do App Uber, pois não
passa ônibus em meu bairro e é bem perigoso em horários noturnos, o que não
chega a mais que 10 minutos no carro. No site da Idesam meu consumo de
CO2 é de 0,560 toneladas por ano, para a compensação devo plantar 2
árvores. Em relação a outras médias, meu consumo é baixo e justificado pela
ausência de veículo e pouco uso de meios de transporte público.

De acordo com os meus dados inseridos no Site da Raposa (Iniciativa


privada)., levando em consideração o uso de chuveiro, privada, pias, meu
consumo é de 139.64L/dia, é considerado um consumo bom. O banheiro é o
responsável pelo maior gasto. Mensalmente o consumo em minha residência é
de 8,38m³. O site aconselha que eu troque a minha descarga por uma de caixa
acoplada e que eu juntasse mais roupas para lavar de uma vez só caso seja
possível. Vale ressaltar que passo a maior parte do tempo na faculdade e
consumo água dos bebedouros em garrafinhas de 1 litro, encho-as umas duas
vezes no dia, e uso o banheiro da faculdade para minhas necessidades que
geralmente se resume a xixi e não costumo dar descargas, pois geralmente
estão danificadas e tenho medo de quebra-las mais ainda. No site Water foot
print, minha pegada hídrica é 890 m³ por ano onde o maior consumo está
empregado na minha alimentação por ser baseada em carne. A produção de
carne é um dos maiores responsáveis por emissões de gases poluentes. É
preciso fazer uma reflexão quanto a este consumo, pois além de ser prejudicial
a minha saúde, faz muito mal ao planeta.

Em relação ao meu consumo de energia, calculei com auxílio do site da


Copel, e de acordo com os cálculos do consumo de energia em minha
residência. O consumo aproximado é de 136,61 kWh/mês, dividido entre minha
mãe e eu individualmente gasto 68,305 kWh/mês. O uso de energia na
faculdade (cálculo baseado no tempo de uso dos espaços) é de 70 kWh/mês.
Somando todos os valores, dá um total de 138,305 kWh/mês. Já para o site da
Light, meu consumo mensal é de 143 kWh. O consumo médio nacional em
uma residência está em torno de 152,2 kWh/mês, sendo assim, o meu
consumo médio é considerado baixo.

Na parte da Pegada ecológica, o Site do INPE (Órgão Federal)


classificou minha avaliação com a nota: 52 pontos, sem mais detalhes do
cálculo. Para este diagnóstico estou em um padrão aceitável de consumo. De
acordo com os meus dados processados no Site de Iniciativa privada (Nuno
Marques e Miguel Jerónimo)., se todas as pessoas do planeta tivessem meus
hábitos, seria necessário um planeta para sobreviver. O site é de Portugal e a
moeda utilizada para a pesquisa é o Euro, por isso, realizei a conversão para o
Real. Baseado na pesquisa que é mais abrangente que a primeira, estou na
média europeia no consumo. Já no site FootPrint calculater, informa que
precisaria de 1,8 Terras para sobreviver, isto é, estou na média brasileira
apontada pela referência. Meu problema quanto ao excesso se resume a
alimentação e troca de descarga, pois há um desperdício neste sentido.

REFERÊNCIAS:

Copel. Disponível em: <http://www.copel.com/hpcopel/simulador/.> Acesso em


28 de abril de 2018.

Ecoladora. Disponível em:


<http://web.ist.utl.pt/~ist155390/ecoladora/questionario/questionario.php.>

Acesso em 21 de abril de 2018.

Footprint. Disponível em: https://www.footprintcalculator.org/ Acesso em: 30


de abril de 2018.

Idesam. Disponível em: <http://idesam.org/calculadora/>. Acesso em:30 de


abril de 2018.

Iniciativa Verde. Disponível em:


<http://www.iniciativaverde.org.br/calculadora/index.php#coletivo.> Acesso em
20 de abril de 2018.

LabEEE. Disponível em: <www.labeee.ufsc.br/node/480.> Acesso em 21 de


Abril de 2018.

Light. Disponível em: < http://www.light.com.br/para-


residencias/Simuladores/consumo.aspx> . Acesso em: 7 de Maio de 2018.
Raposa Meio Ambiente. Disponível em:
<http://raposa.meioambiente.mg.gov.br/sistemas/projetocalc/.> Acesso em 20
de Abril de 2018.

Teste sua pegada ecológica. Disponível em:


<http://www.suapegadaecologica.c om.br/.> Acesso em 23 de abril de 2018.

Interesses relacionados