Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES


Departamento de Artes Cênicas

TEXTO | AUTOR OBRA

Orinocerontenasaladeaula SHAFER,R.Murray.Oouvidopensante.São
MurrayShafer Paulo:EditoradaUNESP,1992,p.296-306

TEMA TIPO DE FICHAMENTO


Pedagogia Analítico

FICHA

Em geral, minha própria abordagem é iniciar um curso dando à


classe total liberdade para fazer o que desejar. Porém, em arte,
só nos é permitido um gesto livre; tudo o mais é disciplina. Assim,
pouco a pouco, tento avaliar a imaginação, através da introdução

de qualquer
livre, regra que
do mesmo pareça
modo queestar implícita Itten
Johannes nessefez
primeiro ato
no seu
extraordinário "Curso Básico", na Bauhaus. Começamos com
liberdade, e então, pouco a pouco, nos concentramos no
artesanato e na economia. (p. 300)

O ensino das artes visuais está bem à frente do ensino da


música. Na música, por exemplo, não há equivalente ao curso
básico desenvolvido por Johannes Itten para os primeiranistas da
Bauhaus, um curso que foi amplamente reproduzido por todo o
mundo. Era um curso de livre expressão, mas criativamente
regulado pela progressiva limitação da escolha; esses alunos
eram levados a entrar quase imperceptivelmente em contato com
os maiores e elementares assuntos da expressão visual. (p. 285)

Sobre o Gesamtkunstwerk1 de Wagner:

Quanto mais me envolvo com a educação musical, mais


percebo a ''inaturalidade'' básica das formas de arte existentes,
cada uma utilizando um conjunto de receptores sensitivos, com a
exclusão de todos os outros. (p. 290)

“[...] em arte, só nos é permitido um gesto livre; tudo o mais é disciplina.”


(p. 300)


1
Fusão das artes
Venho discutindo a educação dirigida à experiência e à
descoberta. Nessa situação, o professor precisa se acostumar a
ser mais um catalizador do que acontece na aula que um
condutor do que deve acontecer. (p. 301)

“Dalcroze [...] desenvolveu sua eurritmia, pela qual o treinamento na arte


temporal da música foi atraída para dentro da sinergia, com a atividade do
movimento do corpo no espaço.” (p. 305)

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR