Você está na página 1de 4

ATIVIDADE

BLOCOS DE CONCRETO
Aluno(s): RA:

Disciplina: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II (MATCON2) Turma:


Duração: min
Divisão: U( ) D1 ( ) D2 ( ) D3 ( ) D4 ( )

Professor: Data:

1. Durante a dosagem de um traço de concreto seco, responda:


a. Com base nos resultados experimentais abaixo, qual é o traço unitário em massa para a
produção de blocos de 6,0 MPa?
fbk (MPa) 4,5 6,0 8,0 9,0
Cimento : Agregados 1:10 1:9 1:8 1:7

1,90
Massa unitária compactada (kg/l)

1,85

1,80

1,75

1,70

1,65

1,60

1,55
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90%
Teor de agregado miúdo (%)

b. Com base nos testes de otimização do tempo de vibro-compressão, qual é esse tempo ideal
para a produção de blocos de concreto com máxima resistência e alta produtividade?
7
fbk (MPa)

2
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
Tempo de vibro-compressão (s)
2. A tabela abaixo mostra as quantidades de materiais obtidas durante o cálculo de dosagem de um
concreto seco para a produção de blocos de concreto. Para a moldagem dos blocos de concreto foi
utilizada uma vibro-prensa manual.
• O ponto de pelota foi obtido no traço T3 (Problema: blocos grudaram na forma durante a
desmoldagem)
• O teor de água ideal para moldagem adotado foi o traço T2
Traço
Material
T1 T2 T3 T4
Cimento 50 kg 50 kg 50 kg 50 kg
Areia 250 kg 250 kg 250 kg 250 kg
Pedrisco 200 kg 200 kg 200 kg 200 kg
Água 14 litros 16 litros 17,5 litros 19 litros
a/c 0,29 0,32 0,35 0,38

Considerando a figura abaixo, responda:


a. Considerando o uso de uma prensa manual, qual é a relação a/c teórica do traço para a
obtenção de blocos com máxima resistência mecânica?
b. Considerando o uso de uma prensa manual, por que a relação a/c adotada para a
moldagem foi de 0,35?
c. Para o caso de se utilizar uma prensa pneumática, qual seria a relação a/c deste traço para
se conseguir moldar blocos de concreto com a máxima resistência?

7
fbk (MPa)

5
Curva de Abrams
4
Vibro-prensa hidráulica
3
Vibro-prensa pneumática
2
Vibro-prensa manual
1

0
0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5
Relação a/c

3. Determine o traço de cada um dos seguintes blocos de concreto, baseado nos diagramas de
dosagem a seguir:
Tempo de vibro-
Bloco Vibro-prensa Traço unitário Teor de água (%)
compressão (s)
Estrutural Classe A Hidráulica
Estrutural Classe B Hidráulica
Estrutural Classe C Manual
Vedação Classe D Manual
* Consulte o gráfico do Ex.1 (Massa unitária compactada X Teor de agregado miúdo)
** Consulte Boletim Técnico Sinaprocim – Blocos (disponível no Dropbox)

Vibro-prensa manual Vibro-prensa hidráulica
8,0 8,0
fbk (MPa)

fbk (MPa)
Classe A (m= 9,3)
7,0 7,0
Classe B (m= 10,8)
6,0 6,0 Classe C (m= 11,5)
Classe D (m= 12,5)
5,0 5,0

4,0 4,0

3,0 3,0
Classe A (m= 9,3)
2,0 Classe B (m= 10,8) 2,0

1,0 Classe C (m= 11,5) 1,0


Classe D (m= 12,5)
0,0 0,0
6,5% 7,5% 8,5% 6,0% 7,0% 8,0%
Teor de umidade (%) Teor de umidade (%)
0 0
1 1
2 2
Tempo de vibro-compressão (s)
Tempo de vibro-compressão (s)

3 3
4 4
5 5
6 6
7 7
8 8
9 9
10 10

4. Os diagramas de dosagem apresentados no Ex.3 representam algum dos métodos de dosagem
apresentados nos artigos CT10 e CT11 (disponíveis no Dropbox)?
5. Considere a Figura do Ex.1 (Massa unitária compactada X Teor de agregado miúdo) e as
informações do método de dosagem da Besser Company (CT10, disponível no Dropbox), e
responda:
a. Os agregados abaixo são adequados para a produção de blocos de concreto de densidade
normal? (SIM à Por quê?) (NÃO à O que fazer para corrigir?)
PENEIRAS Agr. Miúdo Agr. Graúdo PORCENTAGEM RETIDA PORCENTAGEM RETIDA
ABERTURA MASSA PORC. MASSA PORC. DA MISTURA ACUMULADA DA MISTURA
(mm) RET. (g) RET RET. (g) RET (%) (%)
19 0,0 0,00 0,0
12,50 0,0 89,30 3,0
9,50 0,00 0,0 758,70 25,3
6,30 2,00 0,8 1255,20 41,9
4,80 2,50 1,0 451,50 15,1
2,40 15,00 5,8 0,00 0,0
1,20 25,00 9,7 0,00 0,0
0,60 45,00 17,5 0,00 0,0
0,30 75,00 29,2 0,00 0,0
0,15 92,00 35,9 0,00 0,0
0,101 0,00 0,0 441,50 14,7
TOTAIS 256,50 100,0 2996,20 100,0 0,0
0,1% 0,1% 1% 1%
Porcentagem Retida Média Acumulada (%) 100

90

80

70

60

50

40

30

20

10

0
100 10 1 0,1
Abertura das peneiras (mm)