Você está na página 1de 36

Os desafios de

comunicar a
sustentabilidade
Outubro/2018
“É FUNDAMENTAL
DIMINUIR A DISTÂNCIA
ENTRE O QUE SE DIZ E
O QUE SE FAZ, DE TAL
MANEIRA QUE NUM
DADO MOMENTO A TUA
FALA SEJA A TUA
PRÁTICA.”
Paulo Freire
E o que isso
tem a ver com
Sustentabilidade?
Tudo. E com
humanidade
também.
Nos setores público
e privado os desafios
são semelhantes e
as soluções estão
sendo testadas.
Como dar visibilidade?
Global Reporting Initiative (GRI)
Modelo global de indicadores, que se baseia na descrição
quantitativa e qualitativa dos riscos e impactos socioambientais
relacionados à operação de uma empresa ou instituição.

Plano de Logística Sustentável (PLS)


⊷ Ferramenta de planejamento com objetivos e responsabilidades,
ações, metas, prazos de execução e mecanismos de
monitoramento e avaliação que permitem aos órgãos ou
entidades estabelecer práticas de sustentabilidade e de
racionalização de gastos e processos na administração pública.
⊷ De acordo com o projeto de lei 684/15, aprovado no dia
10/10/18 na Alerj, os órgãos da administração pública, direta e
indireta, deverão criar unidades ou núcleos socioambientais e
implantar o Plano de Gestão de Logística Sustentável (PLS).
O que é Responsabilidade
Socioambiental na gestão
pública?
É mais do que um conceito, calcado nos pilares social,
ambiental e econômico. É um processo contínuo e
progressivo de desenvolvimento de competências para
o avanço em direção à sustentabilidade no âmbito da
Administração Pública, assumindo responsabilidades
sociais e ambientais (e por que não econômicas
também?) com todos os públicos com que a instituição
interage.
Agenda Ambiental na Administração Pública
A3P
Qual é o principal gargalo
quando falamos de
Sustentabilidade nas
instituições?

É que mudar exige


engajamento pessoal dos
colaboradores e
funcionários.
Estamos falando de
estabelecer metas
concretas e
individuais para
impactar a
coletividade
O poder público não só dá o
exemplo, ele pode também
impulsionar e estimular o
desenvolvimento de produtos
mais sustentáveis por meio
das compras públicas. O
estado é um dos maiores ⊷ R$ 320 BILHÕES
contratantes permanentes de ⊷ 16% DO PIB
produtos, serviços e obras. BRASILEIRO
Como?
O Manual de Compras
Sustentáveis é uma ferramenta
que atende às necessidades
das diferentes áreas
envolvidas na decisão de
seleção de fornecedor e auxilia
empresas privadas e públicas
na decisão de compra sob os
critérios de sustentabilidade.

http://cebds.org/publicacoes/manual-de-compras-sustentaveis/#.W0OwqNVKgdU
Como engajar o público


interno para a mudança?
É preciso avançar
em um plano de
comunicação focado em
conversar com estes
diferentes públicos.
Nos setores público
e privado os desafios
são semelhantes e
soluções estão
sendo testadas.
E MAIS DO QUE ISSO...
RECONHECER DIFERENTES TIMINGS
MERCADO
INICIAL MERCADO PRINCIPAL

O ABISMO

ENTUSIASTAS VISIONÁRIOS PRAGMÁTICOS CONSERVADORES CÉTICOS


maioria inicial maioria tardia os retardatários

QUEREM NOVIDADE QUEREM COMODIDADE E CONVENIÊNCIA

ROGERS, Everett M. Diffusion of Innovations


Entusiastas Visionários Pragmáticos / Céticos
Já estão Buscam formas Conservadores Vão aguardar
“convertidos”, de adaptar a o ambiente
vão ajudar a estrutura Querem avaliar e
ver resultados. mudar para
divulgar os existente às aderir. Por isso,
ganhos da inovações, de Números
interessam e dados não abrem mão
mudança de forma a tornar de anunciar as
atitude e animar as mudanças são relevantes. Não
fale com eles sem mudanças.
o público permanentes.
mostrando que é isso em mãos!
possível.
Outra forma é incluir a instituição nas
discussões da Agenda 2030 da ONU
Na Alerj, ao analisar os ODS, encontramos
convergência com os seguintes:

12.2. Até 2030, alcançar gestão sustentável e uso eficiente dos recursos naturais.
12.4. Até 2020, alcançar o manejo ambientalmente adequado dos produtos químicos e de
todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes, de acordo com os marcos
internacionalmente acordados, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar, água
e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente
12.5. Até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção,
redução, reciclagem e reuso.
12.6. Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais,
a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo
de relatórios.
12.7. Promover práticas de compras públicas sustentáveis, de acordo com as políticas e
prioridades nacionais
12.8. Até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham informação relevante e
conscientização sobre o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a
natureza
12.b. Desenvolver e implementar ferramentas para monitorar os impactos do desenvolvimento
sustentável para o turismo sustentável que gera empregos, promove a cultura e os produtos locais
12.c. Racionalizar subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis, que encorajam o consumo
exagerado, eliminando as distorções de mercado, de acordo com as circunstâncias nacionais,
inclusive por meio da reestruturação fiscal e a eliminação gradual desses subsídios prejudiciais,
caso existam, para refletir os seus impactos ambientais, tendo plenamente em conta as
necessidades específicas e condições dos países em desenvolvimento e minimizando
os possíveis impactos adversos sobre o seu desenvolvimento de maneira que proteja
os pobres e as comunidades afetadas
5.5. Garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades
para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e
pública.
10.3. Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de
resultados, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas
discriminatórias e da promoção de legislação, políticas e ações adequadas a este
respeito.

16.6. Desenvolver instituições eficazes, responsáveis e transparentes em


todos os níveis.

16.b. Promover e fazer cumprir leis e políticas não discriminatórias para o


desenvolvimento sustentável.

17.16. Reforçar a parceria global para o desenvolvimento sustentável,


complementada por parcerias multissetoriais que mobilizem e
compartilhem conhecimento, expertise, tecnologia e recursos financeiros,
para apoiar a realização dos objetivos do desenvolvimento sustentável
em todos os países, particularmente nos países em desenvolvimento.
Ferramentas de Comunicação

• Eventos

• Criação e adesão a redes que


ajudem a encurtar caminhos

• Redes Sociais

• Assessoria de Comunicação

• Pesquisas de Opinião
Case A3P – Pesquisa Alerj
• Segundo o Almoxarifado, em 2015, os pedidos de copos plásticos iriam
aumentar em 30%
• Até abril de 2014, tínhamos consumido 73,27% do total de kw/h consumidos
em 2014 inteiro.
• Nenhum gerenciamento de resíduos sólidos.

539 Entrevistas 56,8%


separam o lixo em
83,2%
utilizariam impressão
casa, tendo ou não frente e verso 75,9%
44,2 % 55,5 % coleta seletiva afirmam desligar o
gabinete administrativo computador apenas
11,9% quando vão embora
0,6% 96,1% dizem não
vem de 16,5 % adotariam uma poder imprimir
bicicleta viriam de bicicleta caneca frente e verso
Lembre-se!
Sustentabilidade gera pautas
positivas:

⊷ Economia

⊷ Redução de desperdícios

⊷ Engajamento

⊷ Saúde
Como mobilizar?
7 passos
1 Articulação
Quanto mais intensa a troca de ideias e a difusão de boas práticas, mais
velocidade podemos imprimir à utilização do poder de compra do estado para
estimular a sustentabilidade nos governos e empresas. Nesse campo da
sustentabilidade, os desafios são semelhantes no setor público e no privado.​

Case Rede Sustent


Iniciativa do Governo do Estado criada para a construção e implementação de
medidas sustentáveis nos edifícios públicos, como uso racional de água e energia,
intercâmbio de boas práticas no uso sustentável dos prédios, além de capacitação e
certificação dos gestores.
2 Cultura
• Estamos na era da escassez, não na da abundância, como costumávamos
supor. É preciso virar essa chave.​

• Os efeitos do aquecimento global não escolhem endereço. Por isso resiliência


tem que estar na ordem do dia!

Relatório Especial do Intergovernmental Panel on Climate Change


(IPCC) prevê aquecimento global de 1.5 ° e alerta sobre a necessidade de
uma ação climática urgente.
3 Ciclo de Vida dos Produtos
A Avaliação do Ciclo de Vida é uma tendência mundial: para as empresas,

otimiza o uso de recursos. Para os consumidores se transforma em opção na

hora da aquisição dos produtos.

Conhecer detalhes sobre fabricação e uso dos produtos ajuda a escolher ao


melhor solução: copo descartável ou xícara de porcelana?
4 Informação
Há uma infinidade de materiais disponíveis sobre o tema.

Buscar esses repositórios de informação e manuais de

implantação pode ser um bom começo, mas é importante

também criar seu próprio material.


5 Capacitação Permanente
Precisamos capacitar os servidores para conhecer a legislação vigente e
aplicá-la. A lei de licitações tem muitas potencialidades. Por que não pensar
na criação de uma carreira especializada em compras?​

Case Câmara Verde - Interlegis


Oficina realizada com membros das câmaras de vereadores e assembleias legislativas
para estimular a adoção de instrumentos de gestão sustentável, acessibilidade, compras
públicas e construções sustentáveis, com base na experiência do Senado Federal e nas
normas vigentes.
6 Padronização
A criação de um conjunto de documentos que orientem as compras

sustentáveis é de extrema importância para viabilizar a disseminação dessa

prática. ​ Vale trocar experiências, afinal de contas, os desafios são

semelhantes e as soluções podem servir como base e modelo para o

aperfeiçoamento da instituição e de outras que estão buscando implementar as

compras sustentáveis. ​
7

Certificação
Normas Técnicas
www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

Fórum de Desenvolvimento do Rio

@forumdesenv

Fórum Permanente de Desenvolvimento


Estratégico do Estado do Rio de Janeiro
Obrigada ;)
Geiza Rocha
Secretária-geral do Fórum de Desenvolvimento do Rio

geizagr@gmail.com 55 21 99400-1959

forumdesenvolvimentorj@gmail.com Palácio Tiradentes - Rua Primeiro de


Março, s/nº, sala 127 - CEP 20010-090
55 21 2588-1352 Praça XV - Rio de Janeiro - RJ