Você está na página 1de 4

RACIOCÍNIO LÓGICO

Raciocínio Lógico é um tema que, comumente, aparece em concursos e


que, por possuir tamanha importância, deve ser estudada com atenção e cautela,
pois demanda de uma lógica interpretativa e costuma ser o vilão de todos os
alunos e candidatos que prestam tais concursos. Porém, o nosso objetivo neste
curso, é descomplicar o assunto, de forma simples e objetiva, tornando o tema
Raciocínio Lógico um conteúdo de fácil entendimento, propondo que, ao final,
tenhamos desenvolvido o raciocínio analítico, desmistificando o processo de
aprendizagem. Ao final do nosso curso, após termos entendido os conceitos e
efetuarmos os exercícios propostos, teremos o entendimento perfeito da base do
Raciocínio Lógico e todos os seus preceitos. Para tanto, iniciaremos tratando da
base fundamental para os nossos estudos, a Lógica Proposicional.

LÓGICA PROPOSICIONAL
A Lógica Proposicional estuda, basicamente, as proposições. Neste
módulo, veremos os tipos de frases, a estrutura lógica, o conceito sobre
proposições, os tipos de conectivos que existem entre uma proposição e outra e
as Tabelas-Verdade. Mas para isto, devemos fazer uma breve introdução sobre
alguns conceitos de Língua Portuguesa, que são a essência do que nós vamos
precisar para entender as estruturas lógicas. Então vejamos estes conceitos:

O que é FRASE ?

Frase é todo enunciado que tem sentido.

Como se classificam as FRASES?

As classificações das frases que nos interessam são as frases declarativas,


interrogativas, imperativas e exclamativas.

FRASES DECLARATIVAS:

São frases que expressam uma afirmação (afirmativas) ou negação (negativas).

Exemplos:

 O número 2 é par.
 Florianópolis é a capital do Brasil. (Observe que esta declaração é falsa, ou
seja, ela possui um valor lógico falso, mas não deixa de ser uma
declaração. A declaração não precisa ser verdadeira, ela pode ser falsa.)
 João não passou no concurso.

FRASES INTERROGATIVAS:

São frases que pressupõem uma pergunta, elas devem conter o ponto de
interrogação.

Exemplos:

 Que horas são?


 Você é casado?
 Você acha que vai chover hoje?
Pergunta: É possível classificar uma dessas frases em verdadeira ou falsa?
Claro que não! Logo concluímos que frases interrogativas não podem ser
classificadas em verdadeiras ou falsas.

FRASES IMPERATIVAS:

São frases que usamos para incentivar alguém a fazer ou deixar de fazer algo, ou
seja, transmitem pedido ou ordem. Caracterizam-se por um comando de verbo e
podem ser afirmativas ou negativas.

Exemplos:

 Faça exercícios regularmente. (imperativa afirmativa)


 Cumpra com o seu dever. (imperativa afirmativa)
 Comece a trabalhar. (imperativa afirmativa)
 Não me atrapalhe. (imperativa negativa)

Pergunta: É possível classificar uma dessas frases em verdadeira ou falsa?


Claro que não! Logo concluímos que frases imperativas também não podem ser
classificadas em verdadeiras ou falsas.

FRASES EXCLAMATIVAS:

São frases que expressam sentimentos, admiração, surpresa, etc que enfatizam a
declaração. Na escrita, levam o ponto de exclamação.
Exemplos:

 Estou morrendo de sono!


 Como isso é difícil pra mim!
 Que Deus nos ajude!
Pergunta: É possível classificar uma dessas frases em verdadeira ou falsa?
Claro que não! Logo concluímos que frases exclamativas também não podem ser
classificadas em verdadeira ou falsa.

Conclusão: Somente as frases DECLARATIVAS podem ser classificadas em


verdadeiras ou falsas.

O que são PROPOSIÇÕES?

São frases que possuem um valor de verdade, ou seja, podem ser


classificadas em verdadeiras ou falsas. Apenas frases DECLARATIVAS
podem representar proposições.

Observações:

1. Nem todas as frases declarativas são proposições, mas apenas aquelas


frases que são declarativas podem vir a ser uma proposição.
2. Uma proposição só pode ser classificada em verdadeira ou falsa, não
podendo ser verdadeira e falsa simultaneamente.

Exemplos:

 O valor da soma entre 4 e 5 é 9. (consigo classificar como verdadeira,


então ela é uma proposição)
 Ana Maria é advogada. Pode ser classificada em verdadeira ou falsa por
alguma pessoa que conheça Ana Maria)
 O Brasil é um país do continente europeu. (posso classificar como falsa,
então ela é uma proposição)

SENTENÇAS PARADOXAIS:

Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira, que leva a uma


contradição lógica ou a uma situação que contradiz a intuição comum.

Exemplos:
 “A frase dentro destas aspas é uma mentira”. (perceba: se for verdade o
que diz a frase, então é uma mentira. Não temos como afirmar se é uma
verdade ou uma mentira)
 Só sei que nada sei.
Conclusão: Sentenças paradoxais não são PROPOSIÇÕES, pois não
conseguimos afirmar se elas são verdadeiras ou falsas.

SENTENÇAS:

ABERTAS: São aquelas que possuem algum grau de indeterminação. (NÃO


SÃO PROPOSIÇÕES)

Exemplos:

 x + 7 = 10. (não temos como calcular uma sentença desse tipo em


verdadeira ou falsa, porque não sabemos o valor do “x”. Se, por acaso, ele
for 8 a soma será falsa e se, por acaso, ele for 3 a soma será verdadeira,
dessa forma é impossível classificarmos essa sentença em verdadeira ou
falsa)

 Ele é presidente do clube Cruzeiro. (não sabemos quem é “Ele”, isso


deixa uma indeterminação para quem lê, pois não sabemos de quem se
está falando. Quem é esse “Ele”?)
FECHADAS: São aquelas que não possuem grau de indeterminação. (SÃO
PROPOSIÇÕES)

Exemplos:

 2 + 4 = 12 (eu posso classificar como falsa)


 7 – 3 = 4 (eu posso classificar como verdadeira)

Conclusão: sentenças abertas não são proposições e sentenças fechadas são.