Você está na página 1de 6

- RESUMÃO -

CINEMÁTICA
(Física)
Formulário, Dicas e Macetes para a Prova

www.respondeai.com.br
Vetores
Vetores parece ser um assunto tranquilo, mas tem algumas coisas que é sempre bom
lembrar para não te surpreender na prova!

Se a questão te der um vetor inclinado de certo ângulo 𝜃 com a horizontal,


decomponha esse vetor nos eixos 𝑥 e 𝑦. Pode acreditar que facilita muito!

E se caso a questão pedir o comprimento do vetor e você tem apenas as


componentes, não se esqueça da fórmula do módulo de um vetor:
|𝑣⃗| = √𝑣𝑥2 + 𝑣𝑦2 + 𝑣𝑧2

Outra fórmula muito importante e bastante esquecida é a do produto escalar:


𝑣 𝑣2 = |𝑣
⃗⃗⃗⃗⃗1 . ⃗⃗⃗⃗⃗ 1 . |𝑣
⃗⃗⃗⃗⃗| ⃗⃗⃗⃗⃗|.
2 cos 𝜃
Ué, mas essa fórmula serve pra alguma coisa?
Sim! Serve! Às vezes a questão pode te pedir o ângulo entre dois vetores, por
exemplo, entre o vetor posição e o vetor velocidade.

Para descobrir esse ângulo você vai usar a fórmula neste formato:
𝑣1 𝑥 . 𝑣2𝑥 + 𝑣1𝑦 . 𝑣2𝑦 + 𝑣1 𝑧 . 𝑣2 𝑧 = |𝑣 1 . |𝑣
⃗⃗⃗⃗⃗| ⃗⃗⃗⃗⃗|.
2 cos 𝜃
OBS.: Lembre-se de que para achar o |𝑣 1 e o |𝑣
⃗⃗⃗⃗⃗| 2 você terá que utilizar a fórmula do
⃗⃗⃗⃗⃗|
módulo de um vetor que falamos acima.

Cinemática Unidimensional
Na cinemática unidimensional, a gente esquece um pouco os vetores. Aqui pensamos
em uma dimensão só. É o caso de carrinhos andando em uma linha reta e etc.
Então vamos a algumas coisas que a questão pode pedir que você saiba calcular nesse
caso:
A Velocidade média no trajeto:
𝛥𝑆
𝑉𝑚 =
𝛥𝑡
OBS.: Muito cuidado ao utilizar essa fórmula! Muitas pessoas utilizam ela
erroneamente. Esta fórmula só pode ser utilizada quando a questão falar
especificamente de velocidade média.

A Aceleração média no trajeto:


𝛥𝑉
𝑎𝑚 =
𝛥𝑡

1
OBS.: Assim como na velocidade média, utilize essa fórmula só quando a questão
pedir especificamente aceleração média.
Tá, ok. Já entendi que só vou usar para calcular a média. Mas e se a questão quiser a
velocidade instantânea ou a aceleração instantânea? Ai você vai usar essas aqui:

Um tipo de questão que costuma detonar os alunos e que não dá para resolver com as
formas que a gente viu são os famosos e odiados gráficos.
Na verdade, não tem mistério. É muito simples.
 Gráfico de 𝐴𝑐𝑒𝑙𝑒𝑟𝑎çã𝑜 × 𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜: A área do gráfico corresponde à variação da
velocidade(Δ𝑉) do objeto.
 Gráfico de 𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 × 𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜: A área do gráfico corresponde ao
deslocamento(Δ𝑠) do objeto.
 Gráfico de 𝐸𝑠𝑝𝑎ç𝑜 × 𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜: A inclinação do gráfico corresponde à velocidade
instantânea do objeto.

2
Lançamento Oblíquo

Em problemas de lançamento oblíquo, o esqueminha abaixo vai simplificar bem sua


vida:

Movimento Circular
Até agora falamos apenas de movimentos retilíneos sobre os eixos 𝑥 ou 𝑦 ou inclinados
a esses eixos. Mas e se a trajetória do movimento for uma curva?

Bem, o que acontecerá é que, além da aceleração que costumamos trabalhar aqui nos
subtítulos anteriores, aparecerá uma aceleração chamada de centrípeta.
“Mas o que é aceleração centrípeta?”

É uma aceleração responsável por mudar a direção do movimento (fazer a curva). Essa
aceleração aponta sempre para o centro da curva e tem a fórmula:
𝑣2
𝑎𝑐𝑝 =
𝑅
A aceleração que trabalhávamos nos subtítulos anteriores aqui será chamada de
aceleração tangencial. Geralmente, a questão vai informar o valor dessa aceleração.
Em raríssimos casos, se a velocidade for dada em função do tempo, podemos utilizar a
derivada:
𝑑𝑣
𝑎⃗𝑡 =
𝑑𝑡

3
Outra coisa que o problema pode pedir é a aceleração resultante, que é a resultante
entre a tangencial e a centrípeta.
Você pode calcular pensando como se a centrípeta e a tangencial fossem componentes
da aceleração resultante (lembra do subtítulo de vetor lá em cima?).
2 + 𝑎2
|𝑎⃗| = √𝑎𝑐𝑝 𝑡

Tem algumas relações que podem ser interessantes em algumas questões em que
você queira saber o deslocamento angular ou a velocidade angular:
 Deslocamento angular
Δ𝑆 = 𝑅 ∙ Δ𝜃
 Velocidade angular
𝑣 =𝑅⋅ω

Vale lembrar também que as fórmulas de antes são análogas para os formatos
angulares. Exemplo: velocidade angular média:
Δ𝜃
𝜔𝑚 =
Δ𝑡

Movimento Relativo e Referencial


 O problema geralmente vai dar a velocidade de dois objetos em relação a
algum referencial, por exemplo, um poste na rua.
 Daí ele vai querer a velocidade de um desses objetos em relação ao outro, não
mais em relação ao poste.
 Isso é apenas para saber a que velocidade dois objetos se aproximam ou se
afastam. A fórmula é bem simples.

Se você quer saber a velocidade do objeto 𝑃 em relação ao objeto 𝐵, em movimento,


você utiliza:
𝑣𝑃𝐵 = 𝑣𝑃 − 𝑣𝐵

Ah, é sempre bom lembrar das relações que utilizam derivadas e integrais.
𝑑𝑟⃗
𝑣⃗(𝑡) =
𝑑𝑡

Analogamente, se ele quiser também 𝑎⃗(𝑡), sabemos que:


𝑑𝑣⃗
𝑎⃗(𝑡) =
𝑑𝑡

4
Vale também fazer o inverso da derivada, que é a integral. Dai descobrimos que:
𝑡
𝑟⃗(𝑡) = 𝑟⃗(0) + ∫ 𝑣⃗(𝑡′)𝑑𝑡′
0

E também que:
𝑡
𝑣⃗(𝑡) = 𝑣⃗(0) + ∫ 𝑎⃗(𝑡′)𝑑𝑡′
0

Muita coisa para estudar em pouco tempo?

No Responde Aí, você pode se aprofundar na matéria com explicações


simples e muito didáticas. Além disso, contamos com milhares de exercícios
resolvidos passo a passo para você praticar bastante e tirar todas as suas
dúvidas.

Acesse já: www.respondeai.com.br e junte-se a outros milhares de alunos!

Excelentes notas nas provas, galera :)