Você está na página 1de 1

REDES RAMIFICADAS - PLANILHA DE CÁLCULOS

Coef. C(pvc) = 130


Coef. C(fo.fo) = 120 Q espec.(L/s.m) = 0,01
1 2 3 4 5 6 7 9 10 11 12 13 14 15 16
Trechos Extensões Vazões (L/s) Diâmetros Perdas de Carga (m/m) e (m) Cotas Piezométricas (m) Cotas do Terreno (m) Pressões Disponíveis (m)
A-B (m) Jusante Marcha Montante Fictícia (mm) Unitária Total Jusante Montante Jusante Montante Jusante Montante
1--3 150 0 1,5 1,5 0,75 50 0,00469 0,70 40 40,7 30 15 10 25,7
2--3 150 0 1,5 1,5 0,75 50 0,00469 0,70 40 40,7 18 15 22 25,7
3--4 300 3 3 6 4,5 100 0,00441 1,32 40,7 42,02 15 12 25,7 30,02
4--7 400 6 4 10 8 100 0,01279 5,12 42,02 47,14 12 15 30,02 32,14
5--7 400 0 4 4 2 75 0,00400 1,60 45,62 47,14 12 15 33,62 32,14
6--7 300 0 3 3 1,5 75 0,00235 0,70 46,4 47,14 10 15 36,4 32,14
7--10 300 17 3 20 18,5 200 0,00206 0,62 47,14 47,76 15 15 32,14 32,76
8--10 200 0 2 2 1 50 0,00799 1,60 46,16 47,76 15 15 31,16 32,76
9--10 500 0 5 5 2,5 75 0,00604 3,02 44,74 47,76 0 15 44,74 32,76
10--13 300 27 3 30 28,5 200 0,00459 1,38 47,76 49,14 15 15 32,76 34,14
11--13 200 0 2 2 1 50 0,00799 1,60 47,54 49,14 10 15 37,54 34,14
12--13 200 0 2 2 1 50 0,00799 1,60 47,54 49,14 20 15 27,54 34,14
13--R 100 34 1 35 34,5 200 0,00653 0,65 49,14 49,79 15 20 34,14 29,79

MARCHA DE CÁLCULO:
1: Numerar sequencialmente os nós de jusante para montante (do final para o início da rede)
2: Entrar com os dados na planílha. (2 - extensões, 13 e 14 - cotas do terreno)
3: Calcular a vazão total de distribuição (horária)
4: Calcular a vazão específica Q esp. = Q horária / soma das extensões
5: Atribuir o coeficiente de rugosidade de acordo com o material
6: Calcular a vazão de distribuição em marcha (4) = Q esp. x extensão (2)
7: Preencher as colunas das vazões (3) e (5). Vazão de jusante no nó extremo é zero e (vazão de jusante = vazão de montante - vazão em marcha)
8: Observar que o nó de mesmo numero tem a mesma vazão
9: Calcular as vazões fictícias Q fic. = (Qjus. + Qmon.) / 2 ...... (6) = [(3) + (5)] / 2
10: Determinar os diâmetros
11: Determinar as velocidades (8) e as perdas de cargas unitárias (9)
12: Determinar as perdas de cargas totais (10) = (9) x (2)
13: Fixar a pressão disponível mínima = 10 m.c.a no ponto mais desfavorável da rede
14: A partir dessa pressão, calcular a cota piezométrica de jusante nesse ponto (11) = (13) + (15)
15: Calcular a cota piezométrica de montante (12) = (11) + (10)
16: Observar que um nó de mesmo numero tem a mesma cota piezométrica
17: Calcular as pressões disponíveis (Pdisp. = Cpiez. - Cterreno) (15) = (11) - (13) e (16) = (12) - (13)
18: Observar que um nó de mesmo numero tem a mensma pressão disponível
19: Observar que a cota de fundo do reservatório coincide com a cota piezométrica nesse ponto: 49,79 m
20: Tendo-se a cota do terreno no ponto de implantação do reservatório e a sua cota de fundo, determina-se a sua altura
21: Por último verificar se todas as pressões disponíveis no nós (15) são > 10 m.c.a. Recalcular se necessário.