Você está na página 1de 8

REVISÕES 2

Na resposta a cada item dos Grupos I, II, III e IV, selecione a única opção que permite obter uma
afirmação correta.

GRUPO I

A tabela apresenta a evolução da população residente, em Portugal, entre 2001 e 2011.

1. A população residente portuguesa tem, entre 2001 e 2011, registado…


(A) um decréscimo de cerca de 2%.
(B) um abrandamento no seu ritmo de crescimento, com 2% de aumento contra os 5% da década de 90.
(C) um acréscimo face à década de 90, de cerca de 5%.
(D) um acréscimo, atingindo valores próximos dos registados na década de 60.

2. A evolução da população residente em Portugal, na última década, resultou…


(A) do aumento do saldo natural e do abrandamento do saldo migratório.
(B) sobretudo do saldo migratório, que contribuiu com cerca de 91% para o acréscimo demográfico.
(C) do decréscimo do saldo migratório, consequência do aumento da emigração.
(D) do decréscimo do saldo natural e do saldo migratório.

3. Em 1995 a inflexão da tendência do saldo migratório traduziu…


(A) um saldo migratório positivo, com o aumento da imigração.
(B) um saldo migratório positivo, com o aumento da emigração.
(C) um saldo migratório negativo, com o aumento da imigração.
(D) um saldo migratório negativo, com a diminuição da imigração.

4. O saldo migratório manteve a tendência de diminuição e o saldo natural foi positivo em 2008
devido…
(A) ao aumento da emigração e à diminuição da natalidade.
(B) ao aumento da imigração, ao aumento da emigração e à ligeira diminuição da natalidade.
(C) à diminuição da imigração, ao aumento da emigração e ao ligeiro aumento da natalidade.
(D) à diminuição da imigração e ao aumento da natalidade.

5. A evolução da população resulta do…


(A) índice de envelhecimento.
(B) saldo natural.
(C) saldo migratório.
(D) crescimento efetivo.
GRUPO II

A figura representa a evolução das taxas de natalidade, mortalidade e de crescimento natural, entre
1950 e 2011.

1. A tendência geral da taxa de natalidade é de…


(A) diminuição.
(B) aumento.
(C) estagnação.
(D) rápido acréscimo.

2. Na década de setenta, após sensivelmente 1973, a taxa de natalidade registou…


(A) um acréscimo, em virtude da diminuição da emigração e do regresso dos portugueses de países
como França e Alemanha e das antigas colónias.
(B) um decréscimo, em virtude da diminuição da emigração e do regresso dos portugueses de países
como França e Alemanha e das antigas colónias.
(C) um acréscimo, em virtude apenas da diminuição da emigração.
(D) uma estagnação, devido ao saldo migratório negativo e ao saldo natural positivo.

3. Entre o final do século XX e o início do século XXI, a taxa de natalidade…


(A) aumentou, devido sobretudo à imigração.
(B) aumentou, devido sobretudo à emigração.
(C) diminuiu, devido à emancipação feminina.
(D) diminuiu, devido ao planeamento familiar.

4. A taxa de mortalidade tem registado uma…


(A) tendência para a estabilização nos cerca de 10 óbitos por cada 1000 habitantes.
(B) tendência para o aumento nos cerca de 10 óbitos por cada 100 habitantes.
(C) tendência para a diminuição nos cerca de 10 óbitos por cada 1000 crianças vivas.
(D) tendência para a estabilização nos cerca de 10 óbitos por cada 100 habitantes.
5. Nos últimos anos tem-se assistido a uma…
(A) ligeira subida da taxa de mortalidade, em resultado do envelhecimento demográfico, que é
provocado pela diminuição da natalidade e pelo aumento da esperança média de vida.
(B) acentuada descida da taxa de mortalidade, em resultado da melhoria generalizada da qualidade de
vida da população.
(C) ligeira subida da taxa de mortalidade, em virtude do aumento da taxa de mortalidade infantil.
(D) ligeira subida da taxa de mortalidade, em resultado do rejuvenescimento demográfico, que é
provocado pela diminuição da natalidade e pelo aumento da esperança média de vida.

GRUPO III

A figura representa a estrutura etária por género, em Portugal, nos anos 2001 e 2011.

1. Em 2011, a estrutura etária da população evidenciou…


(A) o decréscimo da população jovem, visível no topo da pirâmide.
(B) o decréscimo da população idosa, visível na base da pirâmide.
(C) o decréscimo da população idosa, visível pelo alargamento do topo.
(D) o decréscimo da população jovem, visível pelo estreitamento da base.

2. Na última década, Portugal sofreu um decréscimo da população em todos os grupos etários, entre
os 0 e os 29 anos, a partir dos 30 anos…
(A) a situação inverte-se e verifica-se um crescimento de 9% da população entre os 30 e os 69 anos e
uma diminuição de 26% para as idades superiores a 69 anos.
(B) o escalão dos 30 aos 69 anos representava 51% da população em 2001, representando, em
2011,54%.
(C) no grupo de população com mais de 70 anos, a população decresceu de 14%, em 2001, para 11%, em
2011.
(D) o escalão dos 30 aos 69 anos representava 60% da população em 2001, representando, em
2011,51%.

3. Na última década evidencia-se a tendência de…


(A) duplo envelhecimento.
(B) envelhecimento.
(C) rejuvenescimento.
(D) equilíbrio na estrutura etária.

4. Estamos cada vez mais velhos, o que se deve…


(A) ao decréscimo da taxa de natalidade/fecundidade, e consequente índice sintético de fecundidade
(visível no estreitamento da base da pirâmide etária), e ao aumento da esperança média de vida (visível
no alargamento do topo da pirâmide etária).
(B) ao aumento da taxa de natalidade/fecundidade, e consequente índice sintético de fecundidade
(visível no estreitamento da base da pirâmide etária), e ao aumento da esperança média de vida (visível
no alargamento do topo da pirâmide etária).
(C) ao decréscimo da taxa de natalidade/fecundidade, e consequente índice sintético de fecundidade
(visível no estreitamento da base da pirâmide etária), e à diminuição da esperança média de vida (visível
no alargamento do topo da pirâmide etária).
(D) ao aumento da taxa de natalidade/fecundidade e consequente índice sintético de fecundidade
(visível no estreitamento do topo da pirâmide etária), e ao decréscimo da esperança média de vida
(visível no alargamento do topo da pirâmide etária).

5. Nos últimos dez anos, a esperança média de vida manteve a tendência de…
(A) aumento, em virtude do decréscimo da taxa de mortalidade, uma consequência, por exemplo, dos
progressos na medicina, da melhoria da assistência médica e da melhoria das condições de vida.
(B) decréscimo, em virtude do aumento da taxa de mortalidade, uma consequência, por exemplo, dos
progressos na medicina, da melhoria da assistência médica e da melhoria das condições de vida.
(C) aumento, em virtude do aumento da taxa de mortalidade, uma consequência, por exemplo, dos
progressos na medicina, da melhoria da assistência médica e da melhoria das condições de vida.
(D) aumento, em virtude do decréscimo da taxa de mortalidade, uma consequência, por exemplo, dos
progressos na medicina, do decréscimo da assistência médica e da melhoria das condições de vida.

GRUPO IV

O jogo da vida e da morte, dos nascimentos e dos óbitos, transforma uma população. Para que compreendamos este
processo, o demógrafo expôs-nos os seus métodos e propôs medidas, efetivos e taxas, numa avalanche de números.
Fonte: JACQUARD, Albert (1993). A explosão Demográfica, Instituto Piaget (adaptado)

O Quadro I contém dados demográficos de oito países da União Europeia.


Quadro I – Dados demográficos de alguns países da UE, 2015

Saldo População
País Nados-vivos Óbitos totais
migratório absoluta

Alemanha 1 151 463 738 000 925 000 80 982 500

Croácia -17 945 37 503 54 205 4 236 063

Dinamarca 41 886 58 205 52 555 5 643 475

Espanha -8 390 417 265 420 018 46 480 882

Hungria 14 354 92 135 131 575 9 866 468

Portugal -10 481 85 500 108 511 10 401 062

Roménia -35 024 185 006 260 661 19 908 979

Suécia 79 699 114 870 90 907 9 696 110

Fonte: http://www.pordata.pt/ (consultado em agosto de 2016)

1. Em 2015, a taxa bruta de natalidade da Alemanha foi de, aproximadamente,…


(A) 11,4 ‰.
(B) 0,9 ‰.
(C) 9,1 ‰.
(D) 109,7 ‰.

2. A taxa de crescimento natural da Roménia foi, em 2015, de…


(A) -75 655 habitantes.
(B) -3,8 ‰.
(C) -38 ‰.
(D) 3,8 ‰.

3. Dos países representados no Quadro I, os que apresentaram, em 2015, um saldo natural positivo foram a…
(A) Dinamarca e a Suécia.
(B) Alemanha, a Dinamarca, a Hungria e a Suécia.
(C) Dinamarca, a Suécia e Portugal.
(D) Alemanha, a Croácia e a Hungria.

4. Em 2015, o valor do crescimento efetivo de Portugal foi de…


(A) -12 530 habitantes.
(B) 33 492 habitantes.
(C) 12 530 habitantes.
(D) -33 492 habitantes.
5. A análise do Quadro I permite concluir que a população da Alemanha aumentou no ano em análise. Esta
afirmação é…
(A) verdadeira, pois o valor do crescimento natural foi positivo.
(B) verdadeira, pois o valor do crescimento efetivo foi positivo.
(C) falsa, visto que o valor do crescimento natural foi negativo.
(D) falsa, uma vez que o número de emigrantes foi muito superior ao número de imigrantes.

6. A Alemanha, a Dinamarca e a Suécia são, sobretudo, países recetores de população. Esta afirmação é…
(A) verdadeira, pois oferecem boas condições de vida e concentram oferta de emprego.
(B) verdadeira, pois o número de emigrantes foi superior ao número de imigrantes.
(C) falsa, porque são, essencialmente, países emissores de população.
(D) falsa, pois são marcados por uma forte recessão económica.
GRUPO V

As assimetrias no índice sintético de fecundidade entre os Estados-membros da União Europeia são notórias,
conforme está patente no gráfico da Figura 6.

Figura 6 – Índice sintético de fecundidade em alguns países da UE, em 1960 e em 2014

Fonte: http://www.pordata.pt/ (consultado em agosto de 2016)

1. Identifique os dois países representados no gráfico que registaram a maior variação do índice sintético de
fecundidade entre 1960 e 2014.

2. Apresente duas causas da descida generalizada do índice sintético de fecundidade dos países representados no
gráfico.

3. Problematize o atual valor do índice sintético de fecundidade em Portugal, tendo em consideração os seguintes
tópicos de orientação:
 as consequências demográficas;
 os impactos económicos.
GRUPO VI

Ao longo dos anos, os movimentos migratórios em Portugal, quer internos, quer externos, influenciaram as
características sociais, demográficas e económicas do país.
O gráfico da Figura 7 põe em evidência a variação da população portuguesa (e respetivas componentes) entre 1961 e
2015.

Figura 7 – Variação populacional e suas componentes, Portugal, 1961-2015

Fonte: http://www.pordata.pt/ (consultado em agosto de 2016)

1. Identifique, no gráfico, dois períodos em que o saldo migratório em Portugal foi positivo.

2. Apresente dois fatores que justifiquem o comportamento do saldo migratório na década de 1970.

3. Estabeleça as diferenças entre o fluxo emigratório da década de 1960 e o fluxo emigratório atual, tendo em
consideração os seguintes tópicos de orientação:
 as características dos emigrantes;
 os destinos da emigração portuguesa.