Você está na página 1de 4

Pedir máquina

NEUROINFORMAÇÃO
Caros amigos e visitantes, este blog não se destina em nenhuma hipótese a dar
diagnósticos ou sugerir tratamentos, mas tão somente a alertar acerca de problemas de
saúde. Faça um bem a si mesmo. Na existência de algum problema de saúde procure um
médico. Não respondo a todos os comentários, e nem em tempo real. Posso demorar dias
até ter tempo de respondê-los. Perguntas sobre diagnósticos ou tratamentos devem ser
feitas a um médico em consulta.

Postagens ▼
domingo, dezembro 25, 2011

O que são os ventrículos cerebrais


O cérebro é composto não somente por células de suporte (células da glia) e neurônios,
mas por espaços preenchidos por um líquido chamado de líquor ou líquido céfalo-
raquidiano (LCR). Este líquido corre por fora, entre as camadas que encobrem o cérebro, o
tronco cerebral, o cerebelo e a medula espinhal (as meninges), mas ele é produzido dentro
do próprio cérebro, em cavidades chamadas de ventrículos.

Temos ao todo quatro ventrículos, ou seja, dois ventrículos laterais, que são os maiores e
mais altos no cérebro, o terceiro ventrículo, que é o intermediário em posição e menor em
tamanho, e o quarto ventrículo, localizado na parte mais baixa do encéfalo, no tronco
cerebral. Veja abaixo os ventrículos:

http://static.hsw.com.br/gif/brain-ventricles.gif

Os ventrículos, como pode-se ver, são interligados, e o líquido produzido neles sai,
principalmente, por aberturas localizadas no quarto ventrículo, chamadas de forames de
Luschka e forame de Magendie (forames são aberturas, vias de saída, em estruturas moles
como o cérebro, ou duras com os ossos). Dos ventrículos, o líquido flui em pulsos e banha
todo o encéfalo (conjunto do cérebro, cerebelo e tronco cerebral) e a medula, e é absorvido
na base do cérebro, por pequenas estruturas que se inserem nas veias cerebrais,
chamadas de granulações aracnóideas.

Os ventrículos são revestidos por uma membrana cheia de vasos, chamada de epêndima
ou membrana ependimária. Esta membrana tem vasos em seu interior, e o líquor é
produzido através da passagem de sangue pelo epêndima. O epêndima aparece na figura
acima como uma linha vermelha revestindo a parte interna dos ventrículos.

À incapacidade de absorver este líquido produzido, ou ao bloqueio de seu fluxo, ou ainda ao


excesso de produção deste líquido, levando ao aumento dos ventrículos e deformação do
cérebro ao redor, chama-se hidrocefalia, e será o tema do próximo tópico deste blog.

Dr Flávio Sallem Neurologista às 16:51

Compartilhar

3 comentários:

Luana vidal 21 de outubro de 2018 15:30


ParabÉns, seu trabalho foi muito esclarecedor.
Responder

Respostas

Dr Flávio Sallem Neurologista 26 de outubro de 2018 15:07


Obrigado

Responder

Cristal 21 de novembro de 2018 14:50


Mt bom!!!!! não sabia da relação dos ventrículos com a hidrocefalia.. :)
Responder
Digite seu comentário...

Comentar como: Conta do Google

Publicar Visualizar

Comente na minha página do Facebook - Dr Flávio


Sekeff Sallem,
Médico Neurologista

Links para esta postagem


Criar um link

‹ Página inicial ›
Visualizar versão para a web

Dr Flávio Sallem Neurologista


Seguir 1.151

Olá, meu nome é Flávio Sekeff Sallem, médico neurologista de São Paulo. Sou o criador e
principal escritor do Blog Neuroinformação, fonte de pesquisa em medicina para leigos e
pacientes.
Meu perfil completo pode ser achado em www.linkedin.com e www.doctoralia.com.br (procurar por Flávio
Sekeff Sallem)

Agora entre, sente-se, fique à vontade, leia e siga o blog.


Visualizar meu perfil completo

Tecnologia do Blogger.