Você está na página 1de 89

Idolatria, demonologia, deuses pagãos.

Pr. Robson Rocha


 Este é uma trabalho de pesquisa referente aos deus das
nações da Mesopotâmia, dos quais encontramos
relatos bíblicos.

 O intuito desta pesquisa é de meramente passar aos


leitores uma dimensão das formas de cultos e deuses
destas nações.

 Salientamos que servimos única e exclusivamente ao


Deus de Israel (YHWH) revelado à humanidade na
pessoa de Cristo Jesus, à Ele seja toda à Glória.
 A palavra “Baal” tem vários
significados. Pode significar
“Senhor”, “Proprietário”, “Mestre”
e “Marido”. A palavra Baal pode
ser usada tanto para humanos
com certa autoridade quanto
para divindades. Na verdade Baal
é um título (Senhor), assim como
a palavra hebraica “Adonai” que
também significa “Senhor” era
utilizada para se referir à
divindade israelita Jeová.
Provavelmente os israelitas escolheram chamar Jeová de
“Senhor” usando a palavra “Adonai” justamente para
diferenciar esta divindade (Jeová) das outras inúmeras
divindades que também eram chamadas de “Senhor” só que
usando a palavra “Baal”. Pode-se até inferir que em dado
momento, o próprio Jeová tenha sido chamado/entendido
como sendo “Baal”, uma vez que Jeová em Israel já fora
identificado com a divindade canaanita ‘El, e se apropriado de
atributos que eram dela, como “Pai de todos os deuses” e “Pai
dos homens”, etc.. Jeová também incorporou,
posteriormente, elementos como “fertilidade”, “chuva”,
“controle do tempo” que eram características de Baal Hadade.
Significa “Senhor Hadade” ou “Senhor da Tempestade” era a
divindade do trovão, da chuva e da fertilidade dos cananeus,
similar à divindade Adad cultuada pelos Assírios e Babilônios.
O nome Hadade era usualmente dado pelas pessoas aos seus
filhos, como forma de oferecer proteção daquela divindade à
eles (similar aos israelitas que colocavam o nome de Jeová no
nome de seus filhos, por exemplo “Elias” - que significa “Meu
Deus (ELI) é Jeová (YAHU)” – ELIYAHU).
O nome Hadade não é citado isoladamente como uma
divindade, mas encontra-se na Bíblia como um composto do
nome de dois reis: Ben-Hadade (que significa “Filho de
Hadade”) e Hadedezer (que significa “Hadade é minha
ajuda”).
1 Reis 15 (NVI)

18 Então Asa ajuntou a prata e o ouro que


haviam sobrado no tesouro do templo do
Senhor e do seu próprio palácio. Confiou tudo
isso a alguns dos seus oficiais e os enviou a Ben-
Hadade, filho de Tabriom e neto de Heziom, rei
da Síria, que governava em Damasco,

Estela de Baal Hadade encontrada em Ugarit, Síria, 1400 AEC – Museu do Louvre- Pari
 Significa “Senhor Hadade
Trovejador”. A palavra Rimom em
hebraico significa Romã. Os escribas
judeus alteram a grafia desta
divindade de “Ramán” =
“Trovejador” para “Rimom” = ”Romã
(fruta)” propositadamente, como
forma de menosprezar um deus
estrangeiro. Na bíblia temos duas
citações desta divindade, uma em
que ela representa a própria
divindade e outra em que ela
representa um lugar (que recebeu
tal nome em homenagem a este
deus):
Representando o deus Hadade-Rimom:
2 Reis 5:18 (NVI)
18 Mas que o Senhor me perdoe por uma única coisa: quando
meu senhor vai adorar no templo de Rimom, eu também
tenho que me ajoelhar ali, pois ele se apóia em meu braço.
Que o Senhor perdoe o teu servo por isso”.
Representando um lugar:
Zacarias 12:11 (NVI)
11 Naquele dia muitos chorarão em Jerusalém, como os que
choraram em Hadade-Rimom no vale de Megido.
“Senhor de Peor”. Peor era uma
montanha localizada na região de
Moabe (atual Jordânia). Não se sabe
se este Baal era mais uma
manifestação local da divindade
Baal Hadade (ligada à fertilidade)
ou outro deus específico da região
(mais um deus chamado “Senhor”).
Especula-se que Baal Peor seja outra
designação de “Quemós”, a
divindade nacional dos Moabitas.
Números 25:3 (NVI)

Assim Israel se juntou à adoração a Baal-Peor. E a ira


do Senhor acendeu-se contra Israel.
Significa “Senhor da Aliança”. Segundo o livro de Juízes esta
era a forma predominante de adoração no território de Israel,
nesta época, principalmente na cidade de Siquém.
A “Aliança” ao qual esse Baal se refere deve ser uma aliança
entre cidades canaanitas (Siquem inclusive) ou a aliança feita
por meio de tratados entre tribos (um exemplo é o “tratado”
firmado por Siquém e Jacó em Genesis 34).
Interessante que “Baal Berite” (Senhor da Aliança) parece ser
equivalente à “El-Berite” (Deus da Aliança), outra divindade
cultuada pelos canaanitas. Isso é uma evidencia que o nome
“’El” (Deus) também era usado para tratar divindades cujo
nome era “Baal”:
 Juízes 8 - Nova Versão Internacional (NVI-PT)

33 Logo depois que Gideão morreu, os israelitas


voltaram a prostituir-se com os baalins, cultuando-os.
Ergueram Baal-Berite como seu deus, e
Baal- Berite e El-Berite são os mesmos deuses da cidade de Siquém, note:

Juízes 9:3-4
3 Os irmãos de sua mãe repetiram tudo aos cidadãos de Siquém, e estes se
mostraram propensos a seguir Abimeleque, pois disseram: “Ele é nosso
irmão”. 4 Deram-lhe setenta peças de prata tiradas do templo de Baal-
Berite, as quais Abimeleque usou para contratar alguns
desocupados e vadios, que se tornaram seus seguidores.
Juízes 9:46
Ao saberem disso, os cidadãos que estavam na torre de Siquém
entraram na fortaleza do templo de El-Berite.
 A origem desta divindade é incerta. O erudito bíblico
Frank Moore Cross atribui sua origem à Montanha
Amanus, na Síria. Inscrições encontradas na fenícia
identificam um deus chamado “El-Hamom”,
possivelmente Baal-Hamom e El-Hamom eram a
mesma divindade. Este deus foi amplamente venerado
na cidade de Cártago, no 5º século AEC. Na bíblia,
Baal-Hamom é citado como um lugar onde o Rei
Salomão possuía um vinhedo.
 Cantares de Salomão 8:11

Salomão possuía uma vinha


em Baal-Hamom;
ele entregou a sua vinha a
arrendatários.
Cada um devia trazer pelos
frutos da vinha
doze quilos de prata.

Estátua de Baal-Hamom, Cártago


- Bardo Museum na Tunísia
Significa “Senhor do Norte” ou “Senhor [da Montanha
de] Zefon. A palavra “Zefon” em hebraico significa
“norte”, por isso pode parecer ambíguo quando esta
palavra se refere ao norte de algum lugar ou à montanha
chamada “Zefon” (Norte) que fica na Síria.

Baal Zefon provavelmente era mais uma forma em que


era conhecido Baal Hadade, deus dos trovões. Na bíblia o
nome Baal-Zefon é descrito como um lugar perto de
onde os israelitas acamparam, durante a época do
êxodo.
Êxodo 14 (NVI)

2 “Diga aos israelitas que mudem o rumo e acampem


perto de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar. Acampem à
beira-mar, defronte de Baal-Zefom.
Segundo a mitologia dos cananeus de Ugarit na Síria, a
montanha Zefon era lugar de morada dos deuses onde eles se
reuniam em assembleias. Interessante que esta tradição é
preservada no livro de Isaias na bíblia:

Isaías 14 (TNM)

13 No que se refere a ti, disseste no teu coração: ‘Subirei aos


céus.+ Enaltecerei o meu trono+ acima das estrelas+ de
Deus* e assentar-me-ei no monte de reunião,+ nas partes
mais remotas do norte*.

*Norte = Zefon
Significa literalmente “Senhor das Moscas”. Acredita-se que o
nome original desta divindade seria “Baal-Zebel” (com a letra
hebraica LAMEDE “ ”‫ל‬no lugar da letra hebraica BETE “ ”‫ב‬no
fim da palavra “Zeb-“) que significaria “Senhor Príncipe”.
Os escribas judeus deliberadamente substituíram as letras
como forma de menosprezar a divindade estrangeira. A
palavra “Zebel- Baal” ou “Príncipe Baal” é encontrada nos
textos de Ugarit, Síria, dando suporte a esta tese de
adulteração de grafia feita pelos escribas judaicos. Baal-
Zebube era um deus cultuado na cidade de Ecrom, que ficava
na faixa de Gaza. Posteriormente, séculos depois no
cristianismo, este deus foi equiparado ao Diabo.
2 Reis 1:2 (NVI)

Certo dia, Acazias caiu da sacada


do seu quarto no palácio de
Samaria e ficou muito ferido. Então
enviou mensageiros para
consultar Baal-Zebube, deus de
Ecrom, para saber se ele se
recuperaria.
Os baalins citados em
Juízes 2:11, deuses
menores do panteão
fenício, muito próximo
dos bíblicos elohim
[Gênesis 1:1 e referencias],
depois identificados como
espíritos protetores,
bastante populares e
cultuados inclusive pelos
hebreus [Juízes 2:12-13].
O Nome El significa
literalmente “poderoso” na
língua hebraica/canaanita.
Na cultura de Ugarit, Síria, em
1400 AEC, ‘El era conhecido
como o “pai dos deuses” e “pai
do homem (no sentido de
humanidade)”.
Vestia um chapéu com dois
chifres em associação ao
Touro, símbolo de vigor, força
e fertilidade.

Imagem de El sentado em seu trono – Ugarit, Síria, 1400 AEC.


El era muitas vezes chamado de “O deus touro”. Não
obstante várias vezes a bíblia faz associação de Jeová/El
como sendo adorado por meio de imagens de touro. Veja
esta tradição preservada na bíblia. Durante o êxodo do
povo israelita, Arão fez uma imagem de ‘El (Deus) em
forma de um touro:
Êxodo 32 (TNM)

4 Ele tomou então [o


ouro]* das suas mãos e
moldou-o+ com um buril,
e passou a fazer dele uma
estátua fundida de
bezerro.+ E começaram* a
dizer: “Este é o
teu Deus,*ó Israel, que te
fez subir da terra do
Egito.”+
1 Reis 12 (TNM)

28 Conseqüentemente, o rei tomou conselho+ e fez dois


bezerros de ouro,+ e disse ao povo:* “É demais para vós
subir a Jerusalém. Eis o teu Deus,* + ó Israel, que te fez
subir da terra do Egito.”
Amplamente cultuado na cultura canaanita. El também era
representado como sendo um homem velho, de barba e
muito sábio.
A palavra ‘El também pode significar genericamente “deus”
ou “divindade”, quando empregada para se referir à outros
deuses diferentes do “‘El”, ou seja, os hebreus e canaanitas
chamavam outros deuses de “poderosos”.
A tradição de traduzir-se ‘El por “Deus” iniciou-se com a
elaboração da primeira tradução da bíblia para outro
idioma, na Septuaginta, no 3º século AEC, em que os judeus
escolheram a palavra grega “theos” para ser empregada.
Perdeu-se então a essência restrita de que o nome
significava (poderoso) para o sentido mais amplo e genérico
do nome “deus”.
*deusa da guerra dos cananeus. Na
bíblia ela nunca é mencionada
como deusa, e sim como nome de
cidade.

Juízes 3 (NVI)

31 Depois de Eúde veio Sangar, filho


de Anate, que matou seiscentos
filisteus com uma aguilhada de
bois. Ele também libertou Israel.
Deusa da Fertilidade e deusa Mãe. Esposa de ‘El. Há
grandes evidências que era cultuada junto à Jeová, pois
Jeová e El eram encarados como mesma divindade pelos
antigos Israelitas.(logo também era encarada como
esposa de Jeová). O culto à Aserá envolvia adoração à
postes de madeiras entalhados, que representavam uma
figura feminina. Era também descrita como “Rainha dos
Céus”. Aserá e Baal são deuses citados diversas vezes na
bíb lia.
1 Reis 18:19 (NVI)
Agora convoque todo o povo de Israel para encontrar-se
comigo no monte Carmelo. E traga os quatrocentos e
cinqüenta profetas de Baal e os quatrocentos profetas
de Aserá, que comem à mesa de Jezabel.” .
Jeremias 44:15-18 (NVI)
17 É certo que faremos tudo o que dissemos que faríamos —
queimaremos incenso à Rainha dos Céus e derramaremos
ofertas de bebidas para ela, tal como fazíamos, nós e nossos
antepassados, nossos reis e nossos líderes, nas cidades de
Judá e nas ruas de Jerusalém. Naquela época tínhamos fartura
de comida, éramos prósperos e nada sofríamos.
*deusa da fertilidade, sexualidade e guerra. Seu culto era
bem proeminente pelos cananeus. A deusa Astarte é
ligada à deusa Ishtar dos assírios/babilônicos.

1 Reis 11 (NVI)

5 Ele seguiu Astarote, a deusa dos sidônios,


 Easter (Inglês)
 Eastre (Anglo-saxão)
 Ishtar (Babilônia)
 Astarote (Hebreu)
 Astarte (Grego)
 Rainha dos céus
 Azerá (Canaã)
 Nammu (Acádia)
 Semíramis

Todos os nomes estão


ligados a tal figura como a
deusa da fertilidade.
*deus de origem Assírio-babilônico. Seu nome significa
“grão”, por isso era associado à fertilidade. Um dos
símbolos que o representavam era o peixe, como forma
de multiplicação. Divindade também cultuada pelos
Cananeus e Filisteus.
Depois que os filisteus tomaram a arca de Deus, eles a
levaram de Ebenézer para Asdode.
E a colocaram dentro do templo de Dagom, ao lado de sua
estátua.
Quando o povo de Asdode se levantou na madrugada do dia
seguinte, lá estava Dagom caído, rosto em terra, diante da
arca do Senhor! Eles levantaram Dagom e o colocaram de
volta em seu lugar.
Mas, na manhã seguinte, quando se levantaram de
madrugada, lá estava Dagom caído, rosto em terra, diante da
arca do Senhor! Sua cabeça e mãos tinham sido quebradas e
estavam sobre a soleira; só o seu corpo ficou no lugar.
1 Samuel 5:2 (NVI)

e a colocaram dentro do templo de Dagom, ao lado de


sua estátua.
Juízes 16:23-30
A palavra Moloque é formada por três letras M-L-K que significa “Rei”.
Provavelmente Moloque era originalmente pronunciado como “meleque”
ou “melqui” (veja, por exemplo, nomes que levam M-L-K e se pronunciam
meleque, como Abimeleque ou Melquisedeque).
Os judeus quando traduziram a Bíblia para o grego acrescentaram as
vogais “o” e “e” na raiz semítica “M-L-K” como forma de zombar com o
nome desta divindade (as vogais “o” e “e” vem da palavra “bosheth” que
significa “vergonha”).
Não é certo se o nome Moloque (Rei) era um título para um deus ou se era
o próprio nome deste deus. Alguns especialistas apontam que Moloque
era mais uma representação local do deus Baal, ou seja o deus poderia ser
conhecido como Moloque-Baal (Rei Senhor), mas não há grandes
evidências disso.
O culto a este deus era amplamente difundido em toda canaã, e
aparentemente sacrifícios humanos estavam ligados à adoração desta
divindade. Moloque era o principal deus dos Amonitas:
2 Reis 23:10 (NVI)

Também profanou Tofete, que ficava no vale de Ben-


Hinom, de modo que ninguém mais pudesse usá-lo para
sacrificar seu filho ou sua filha a Moloque.

1 Reis 11:5 (NVI)

Ele seguiu Astarote, a deusa dos sidônios, e Moloque, o


repugnante deus dos amonitas.
2 Reis 23:13 (João Ferreira de
Almeida)

O rei profanou também os altos


que estavam ao oriente de
Jerusalém, à direita do Monte de
Corrupção, os quais Salomão, rei
de Israel, edificara a Astarote,
abominação dos sidônios, a
Quemós, abominação dos
moabitas, e a Milcom,
abominação dos filhos de Amom
Possível divindade solar, ligada à Moloque. Seu nome significa
“Adar é Rei”

Ídolo dos de Sefarvaim (Cidade, ou cidades da Assíria, de onde o


rei assírio trouxe muitos cativos para repovoarem as cidades de
Samaria – Capital do antigo reino do norte), que Salmaneser II, rei
da Assíria, trouxe para colonizar as cidades da Samaria, depois de
ter levado para aquele país os habitantes cativos (2 Rs 17.31)

“Os aveus* fizeram Nibaz e Tartaque; os sefarvitas queimavam


seus filhos em sacrifício a Adrameleque e Anameleque, deuses de
Sefarvaim.” (NVI).

Este ídolo era adorado com ritos semelhantes aos de Moloque,


sendo-lhe sacrificadas as crianças.
possível divindade lunar, liga à Moloque e ao deus
Assírio/Babilônico Anu, deus dos céus. Seu nome
significa “Anu é rei”.

Na demonologia, Anamelech é uma deusa que era


adorada juntamente com Adramelech. Assumia a forma
de uma codorna. Citada como fêmea e Adramelech como
macho podem ser também um possível casal de deuses.
Era considerada regente da lua (ou deusa-lua). Foi
considerada demônio assim como outros deuses pagãos.
Ídolo dos de Sefarvaim (Cidade, ou cidades da Assíria, de
onde o rei assírio trouxe muitos cativos para repovoarem as
cidades de Samaria – Capital do antigo reino do norte), que
Salmaneser II, rei da Assíria, trouxe para colonizar as cidades
da Samaria, depois de ter levado para aquele país os
habitantes cativos (2 Rs 17.31)

“Os aveus* fizeram Nibaz e Tartaque; os sefarvitas


queimavam seus filhos em sacrifício a Adrameleque e
Anameleque, deuses de Sefarvaim.”

(NVI). Este ídolo era adorado com ritos semelhantes aos de


Moloque, sendo-lhe sacrificadas as crianças. *
2 Reis 17:31 (NVI)

os aveus fizeram Nibaz e Tartaque; os sefarvitas


queimavam seus filhos em sacrifício
a Adrameleque e Anameleque, deuses de Sefarvaim.

*Aveus = (Povo primitivo de Canaã. Habitava em vilas, ou em acampamentos


nômades, ao sul de Sefela, grande planície ocidental, que vai até Gaza).
*deus da cidade egípcia de
Tebas. Posteriormente foi
incorporado ao deus Rá,
tornando-se Amom-Rá.
Não há indícios firmes que
Azazel tenha sido uma
divindade canaanita anterior
ao culto de Jeová pelos
israelitas. Porém, em textos
apócrifos como o Livro de
Enoque (1 Enoque 10:8),
Azazel é descrito como sendo
um anjo que se rebelara
contra deus.
Levítico 16 - (NVI)

6 “Arão sacrificará o novilho como oferta pelo seu


próprio pecado, para fazer propiciação por si mesmo e
por sua família. 7 Depois pegará os dois bodes e os
apresentará ao Senhor, à entrada da Tenda do Encontro.
8 E lançará sortes quanto aos dois bodes: uma para o
Senhor e a outra para Azazel. 9 Arão trará o bode cuja
sorte caiu para o Senhor e o sacrificará como oferta pelo
pecado. 10 Mas o bode sobre o qual caiu a sorte para
Azazel será apresentado vivo ao Senhor para fazer
propiciação, e será enviado para Azazel no deserto.
*deusa do Destino, Asima significa “O Nome” na língua
dos semitas ocidentais. Esta divindade é ligada à deusa
Shimti dos assírios/babilônios.

Era um deus adorado pelo povo de Hamate. O


respectivo culto foi introduzido na Samaria pelos
colonos de Hamate, a quem o rei da Assíria estabeleceu
naquela terra (2 Rs 17.30)

“Os da Babilônia fizeram Sucote-Benote, os de Cuta


fizeram Nergal e os de Hamate fizeram Asima.” (NVI).
divindade cujo nome significa “Tenda das filhas”. Nada
se sabe sobre a natureza desta deusa.

Cabanas, ou tendas das filhas. Nome de deuses que


foram criados pelos homens da Babilônia

(2 Rs 17.30)
“Os da Babilônia fizeram Sucote-Benote, os de Cuta
fizeram Nergal e os de Hamate fizeram Asima.”(NVI).
Parece que se trata de uma corrompida forma da
divindade babilônica, Bel-Merodaque, ou de sua mulher,
Zer-Banite.
*deus sumério da guerra, da morte, da pestilência e do
inframundo. Venerado pelos Assírios e Babilônios.

2 Reis 17:29 (NVI)

29 No entanto, cada grupo fez seus próprios deuses nas


diversas cidades em que moravam e os puseram nos
altares idólatras que o povo de Samaria havia feito. 30 Os
da Babilônia fizeram Sucote-Benote, os de Cuta
fizeram Nergal e os de Hamate fizeram Asima;
As plaquetas sumérias nos dizem que Nergal traiu seu irmão Marduk
divindade nacional da
nação de Moabe (atual
Jordânia). A origem de seu
nome é incerta. Alguns
historiadores afirmam que
este deus estava ligado à
Moloque, já que é indicado
na bíblia que eram
oferecidos sacrifícios
humanos para pedir favor a
Camos.
2 Reis 3 (NVI)

26 Quando o rei de Moabe viu que estava perdendo a batalha,


reuniu setecentos homens armados de espadas para forçar a
passagem, para alcançar o rei de Edom, mas fracassou. 27
Então pegou seu filho mais velho, que devia sucedê-lo como
rei, e o sacrificou sobre o muro da cidade. Isso trouxe grande
ira contra Israel, de modo que eles se retiraram e voltaram
para a sua própria terra.

1 Reis 11:7 (NVI)

7 No monte que fica a leste de Jerusalém, Salomão construiu


um altar para Camos, o repugnante deus de Moabe, e para
Moloque, o repugnante deus dos amonitas.
*deus semítico do Destino (Sorte). A palavra Gade
significa “dividir” dando a ideia que o destino é
“dividido” entre as pessoas. Traduzido na bíblia como
“Sorte”:

Isaías 65 (TNM)

11 “Mas vós sois os que abandonais a Jeová,+ os que vos


esqueceis do meu santo monte,+ os que pondes em
ordem uma mesa para o deus da Boa Sorte*.
Marduque era a divindade patrona da cidade de
Babilônia. Recebia o título de “Bel” que significa
“Senhor” na língua dos babilônicos (similar à “Baal” dos
hebreus). Seu nome significava “bezerro solar”.

Jeremias 50:2 (NVI)

“Anunciem e proclamem entre as nações, ergam um sinal


e proclamem; não escondam nada. Digam: ‘A Babilônia
foi conquistada; Bel foi humilhado, Marduque está
apavorado. As imagens da Babilônia estão humilhadas e
seus ídolos apavorados’.
*deus da sabedoria e de escrita dos assírios/babilônios. É
filho do deus Marduque.
A montanha onde Moisés foi supostamente enterrado
leva o nome “Nebo” em homenagem à esta divindade.

*Nabu é uma divindade da mitologia suméria. É o deus


da escrita e da sabedoria . É o filho de Marduk e casado
com Tashmetum .
*É mencionado na Bíblia como Nebo .

* http://pt.wikipedia.org/wiki/Nabu
Isaías 46:1 (NVI)

Os Deuses da Babilônia

46 Bel se inclina, Nebo se abaixa; os seus ídolos são levados


por animais de carga.
As imagens que são levadas por aí, são pesadas, um fardo para
os exaustos.
Deuteronômio 32 (NVI)

49 “Suba as montanhas de Abarim, até o monte Nebo,


em Moabe, em frente de Jericó, e contemple Canaã, a
terra que dou aos israelitas como propriedade. 50 Ali, na
montanha que você tiver subido, você morrerá e será
reunido aos seus antepassados, assim como o seu irmão
Arão morreu no monte Hor e foi reunido aos seus
antepassados.
Serpente de Bronze feita por Moisés (Números 21:4-9) e
foi reverenciado como ídolo pelos israelitas.
Provavelmente o nome deste ídolo não era “Neustã” pois
esta palavra significa literalmente “pedaço de latão”.

2 Reis 18:4 (NVI)

Removeu os altares idólatras, quebrou as colunas


sagradas e derrubou os postes sagrados. Despedaçou a
serpente de bronze que Moisés havia feito, pois até
aquela época os israelitas lhe queimavam incenso. Era
chamada Neustã.
Nada se sabe da origem desta divindade. Não há
referências extra-bíblicas. A Tradição judaica preservada
no Talmud diz que era um ídolo em forma de cachorro.
Nada se sabe da origem desta divindade. Não há
referências extra-bíblicas. A Tradição judaica preservada
no Talmud diz que era um ídolo em forma de asno.

2 Reis 17:31 (NVI)

os aveus fizeram Nibaz e Tartaque ; os sefarvitas


queimavam seus filhos em sacrifício a Adrameleque e
Anameleque, deuses de Sefarvaim.
*deus assírio da agricultura. Era um deus
antropomórfico, corpo de homem e cabeça de águia. Era
sempre representado carregando um cesto com água e
uma esponja para regar as plantas.

2 Reis 19:37 (NVI)

Certo dia, enquanto ele estava adorando no templo de


seu deus Nisroque, seus filhos Adrameleque e Sarezer
mataram-no à espada e fugiram para a terra de Ararate.
Seu filho Esar-Hadom foi o seu sucessor.
Réplica da Imagem de Nisroque – Palácio de Assurbanípal em Ninrode, Iraque
* deus protetor dos reis Sirios.
Seu nome significa “amanhecer” ou “alvorada”, esta
divindade é uma personificação feita pelos canaanitas
deste fenômeno da natureza. Em Ugarit, na Síria onde
foram encontrados vários escritos sobre a religião dos
cananeus, Shahar (Alvorada) era irmão gêmeo do deus
Shalim (crepúsculo), ambos filhos de El. Os dois deuses
eram representados pelo planeta Vênus.

Na bíblia a palavra “shahar” é empregada literalmente


como “alvorada”.
Alguns eruditos bíblicos afiram que os versos de Isaías
14:12 remontam a tradição antiga do deus canaanita
Shahar:
 Isaías 14:12 (NVI)

12 Como você caiu dos céus,


ó estrela da manhã, filho
da alvorada!
Como foi atirado à terra,
você, que derrubava as nações!
Lúcifer (em hebraico, heilel ben-shachar, ;‫הילל בן שחר‬em
grego na Septuaginta, heosphoros) é uma palavra do Latim
(lucem ferre) que quer dizer "portador de luz", representa a
estrela da manhã (a estrela matutina), a estrela D'Alva, o
planeta Vênus,1 . Nos dias de hoje, numa nova interpretação
da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou
Satã (cuja origem é o hebraico Shai'tan, que significa
simplesmente adversário). Atualmente discute-se a
probabilidade de Lúcifer ter sido um Rei Assírio da Babilônia

http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcifer
*deus de origem suméria, patrono dos alimentos e da
vegetação. Era mais uma divindade que representava o ciclo
de Viver-Morrer-Ressuscitar. Um dos rituais de culto à este
deus envolvia entoar “lamentações” e ficar de “luto” pela
morte de Tamuz.

Ezequiel 8:14-15 (NVI)

14 Então ele me levou para a entrada da porta norte da casa do


Senhor. Lá eu vi mulheres sentadas, chorando por Tamuz.
15 Ele me disse: “Você vê isso, filho do homem? Você verá
práticas ainda mais repugnantes do que esta”.
Semiramis e seu Imagem de Tammuz – cidade de
filho Tamuz Assur, 1500 AEC
*deusa dos Efésios. A qual muitos gregos adoravam.
(Atos 19:24,27,28,34 e 35)
“Um ourives chamado Demétrio, que fazia miniaturas de
prata do templo de Ártemis e que dava muito lucro aos
artífices…Não somente há o perigo de nossa profissão perder
sua reputação, mas também de o templo da grande deusa
Ártemis cair em descrédito e de a própria deusa, adorada em
toda a província da Ásia e em todo o mundo, ser destituída de
sua majestade divina… Ao ouvirem isso, eles ficaram furiosos
e começaram a gritar: “Grande é a Ártemis dos efésios!…Mas
quando ficaram sabendo que ele era judeu, todos gritaram a
uma só voz durante cerca de duas horas: “Grande é a Ártemis
dos efésios!… O escrivão da cidade acalmou a multidão e
disse: “Efésios, quem não sabe que a cidade de Éfeso é a
guardiã do templo da grande Ártemis e da sua imagem que
caiu do céu?.” (NVI).
Diana
Ártemis
Deus de Moabe.

Isaias 15:1,2

“Advertência contra Moabe: Sim, na noite em que foi


destruída, Ar, em Moabe, ficou arruinada! E na noite em
que foi destruída, Quir, em Moabe, ficou arruinada!
Sobe-se ao templo em Dibom, a seus altares idólatras,
para chorar; por causa de Nebo e de Medeba Moabe
pranteia. Todas as cabeças estão rapadas e toda barba foi
cortada.” (NVI).
Ishtar é a deusa dos acádios
ou Nammu, dos
antecessores sumérios,
cognata da deusa Asterote
dos filisteus, de Isis dos
egípcios, Inanna dos
sumérios e da Astarte dos
fenícios. Mais tarde esta
deusa foi assumida também
na Mitologia Nórdica como
Easter – a deusa da
fertilidade e da primavera.
Na crença pagã, ninrode é o deus sol, semiramis é a
senhora do céu e tamuz é o filho do sol
 Semíramis foi uma rainha mitológica que segundo as
lendas gregas e lendas persas reinou sobre a Pérsia,
Assíria, Armênia, Arábia, Egito e toda a Ásia, durante
mais de 42 anos, foi fundadora da Babilônia e de seus
jardins suspensos. Subiu ao céu transformada em
pomba, após entregar a coroa ao seu filho, Tamuz.
Semíramis foi adorada como rainha e deusa por
muitas civilizações antigas:

 na Babilônia a Deusa-Rainha Semíramis e seu


filho Tamus,
 na ìndia como a deusa Devka e seu filho Krishna,
 no Egito como a deusa Ísis e seu filho Hórus,
 em Éfeso com a deusa Diana dos Efésios,
 em Roma como a virgem Maria e seu filho Jesus.
 Um lugar para adorar ídolos. (1 Rs. 14:23; 2 Cr. 31:1; 33:3)
“Também construíram para si altares idólatras, colunas
sagradas e postes sagrados sobre todos os montes e debaixo
de todas as árvores frondosas… Quando a festa acabou, os
israelitas saíram pelas cidades de Judá e despedaçaram as
pedras sagradas e derrubaram os postes sagrados. Eles
destruíram os altares idólatras em todo o Judá e Benjamim,
e em Efraim e Manassés. Depois de destruírem tudo,
voltaram para as suas cidades, cada um para a sua
propriedade… Reconstruiu os altares idólatras que seu pai
Ezequias havia demolido, ergueu altares para os baalins e
fez postes sagrados. Inclinou-se diante de todos os
exércitos celestes e lhes prestou culto.” (NVI).
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Anamelech
 http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=11&t=14767&start=0
 http://setimodia.wordpress.com/2010/03/24/os-falsos-deuses-da-biblia/
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Sem%C3%ADramis