Você está na página 1de 13

COMO DARIO II CRIOU O JUDAÍSMO

© M Dr D Magee
Conteúdo Atualizado em: segunda-feira, 22 de junho, 2009

• É o histórico da Bíblia?
• A história bíblica de Judá
• Quando a Bíblia foi escrita ?
• O exílio eo regresso
• Hipótese de uma autoria Tarde
• Críticas e refutações

Resumo
O "retorno "foi a pacificação pela deportação , usado em indivíduos indisciplinados. Seus
líderes foram deportados para longe, e os novos líderes foram trazidos e encarregados de
restaurar o culto corrompido local, mas que realmente significava mudar o culto para
atender aos persas. É o que Dario II fez em Judah. A Bíblia não foi escrita por Judahites
nativos, nem em Jerusalém , nem sem o uso de fontes antigas. A história foi escrita para
fazer o backup da lei, Deuteronômio, por estudiosos persas dirigidos pela chancelaria persa,
com acesso aos registros assírios. A mensagem era para obedecer a Deus do pacto , cuja lei
foi. Ele mostrou que Deus havia castigado as gerações anteriores para a apostasia , e faria
de novo, se as pessoas não fossem justas, isto é, obediente à lei. Deveriam ter nos
governantes obediência. Se a Bíblia foi escrita por volta de 700 aC , os historiadores
hebreus precederam o primeiro historiador que foi Heródoto, em 200 anos. É um absurdo
manifesto.

A Bíblia é histórica?
Mesmo a maioria dos estudiosos biblistas aceitam que as histórias bíblicas de Davi e
Salomão não poderiam ter sido escritas muito antes de 600 aC , mas eles falam de
acontecimentos de três ou quatro séculos atrás. Os "estudiosos" contornaram esta verdade
incômoda ao admitir que a história de Judá , da qual pretende ser uma peça, é o resultado da
aplicação de pedaços juntados de fontes anteriores por editores mais tarde. Satisfaz os
rebanhos , mas ninguém pode ter certeza se as histórias anteriores eram história, mito, lenda
ou apenas contos de fadas. Não importa . Para os "acadêmicos" eram históricos. Assim,
pode-se ler em Davi e Salomão, Um livro em co-autoria por , provavelmente, o melhor da
moderna arqueólogos bíblicos, a pergunta:

Quando essas obras foram escritas antigo e histórico ?


Eu Finkelstein e Silberman N A

Assim, esses autores consideram estes como " obras históricas ", apesar de admitir o
problema remanescente do seu real confiabilidade historicidade , seus históricos. Parece
óbvio que a história escrita por quatrocentos anos após o evento , num momento em que
escrevo, mesmo as marcas de identificação em potes , era uma novidade , não posso ter
sido muito fiável. A maioria das obras de Homero, A Ilíada e A Odisseia, Uma vez que a
bíblia dos antigos gregos e escrita no mesmo período cronológico, são considerados mitos ,
ou a melhor das lendas.

No entanto, os estudiosos bíblicos pensam que as partes Samuel e Reis sobre Davi e
Salomão foram relatos contemporâneos , escritos por um escriba de fato no tribunal destes
reis. Os tribunais eram como os tribunais dos reis de grandes impérios e países ricos como a
Assíria e Egito , respectivamente, com os ministros , secretários e escribas , incluindo um
historiador da corte que devidamente escreveu formas mais avançadas da história do que
Heródoto, "primeiro" historiador do mundo, Mas meio milênio antes! Lamentavelmente ,
nada disso fábula é apoiada pela arqueologia , embora , surpreendentemente, Finkelstein e
Silberman , a tentativa de justificação biblista (Davi e Salomão, 2006) dos mitos bíblicos de
David e Salomão, em uma forma mais típica de WF Albright e sua escola.
Não muito da história da Grécia depende das deduções dos mitos gregos , apesar de
indícios ocasionais vêm com eles. Da mesma forma , o rei Arthur não está listado como um
rei da Inglaterra, ou suas façanhas e dos seus cortesãos registrado como história. Como as
histórias de Davi e Salomão , as histórias de Arthur não foram estabelecidos até meio
milênio depois. Outros mitos como os de Robin Hood e Aeneas são semelhantes. São mitos
de fundação e os mitos da " identidade comunitária ".

A história bíblica de Judá


Não há nenhuma evidência de fora da Bíblia de uma original Monarquia Unida. Finkelstein
e Silberman sugerem que o tempo os dois estados foram unidos fez o casamento de Atalia ,
irmã ou filha de Acabe, de Israel, Jorão ( Jeorão ) de Judá (2 kg 8:18). A Jeorão é o rei dos
dois países por cerca de 12 anos antes de Jeú usurpa o trono de Israel , quando se torna
rainha Alathiah em Judah. Se há alguma verdade nisso , é a única prova de uma monarquia
verdadeiramente unida , e isso também depende da bíblia. É concebível , Judá, em algum
estágio atingido uma independência nominal como uma espécie de principado, mas,
geralmente, ser beneficiado , sob a proteção de seu vizinho mais rico . Se a estela de Tel
Dan é genuína, Judá naqueles dias era "Casa de David " , implicando que foi fundada por
alguém chamado David. A estela de Tel Dan , no entanto, supondo bytdwd significa Casa
de David, lê-se:

... mortos [ iahu [...] ...] da casa de David ...

as lacunas então ser preenchida para se adequar às Bíblia.

Salomão, Roboão, Abias , e Asa estão listados no livro de Reis como sucessores de Davi, e
não temos nenhuma evidência independente para confirmar ou contestar essa seqüência.
Finkelstein e Silberman N A , Davi e Salomão

Todos os reis de Judá, a Ezequias , que está confirmado , pode ser ficcional, a menos que a
estela de Tel Dan prova ser verdadeiro , quando um outro pode ser adicionado. A evidência
externa que não seja isto sugere que Judas só se tornou independente de Israel , quando este
estava prestes a sucumbir à Assíria. Ezequias foi um rei fantoche assírio de um estado
garupa. Anteriormente, Israel tem de ter sempre governado ou dominado a região onde
mais tarde foi Judá .

Israel desapareceu da história, quando Samaria foi anexado à Assíria como a província
Samarina , os líderes israelitas foram deportados e os colonos de outras partes sendo
enviados dentro arqueólogos encontraram tabletes cuneiformes século VII em Gezer com
os nomes babilônicos e um papiro aramaico , confirmando que os colonos foram resolvidos
em Bethel em Samarina , mas apenas a alguns quilômetros ao norte de Jerusalém . Se a
datação desses artefatos não está assegurada , poderão ser a partir do período persa, mais de
200 anos mais tarde, quando a Bíblia diz que os povos da Babilônia vieram para Judá .

Finkelstein estima a população de Israel antes da anexação da Assíria ter sido de 225 mil , e
Sargão se orgulha da reinstalação de 27.500 , por isso , quase 90 por cento da população
não foram deportados. Os colonos assírios foram colocados no comando dos israelitas
nativos como classe dominante, mas um monte de israelitas se pode esperar que fugiram
para o sul como refugiados , estabelecendo-se em Judá , que experimentou uma expansão
súbita da população e da atividade econômica , alguns dos que terá sido o resultado do
influxo de israelitas mais sofisticados , e alguns o resultado de novas oportunidades de
comércio com os assírios. Judá era um estado cliente assírio, e de influência assíria é claro.

As cidades costeiras filistéias também foram clientes da Assíria. O rei filisteu aliado de
Davi na bíblia foi Aquis, rei de Gate. Escavações em Tel Miqne em 1996 descobriu uma
inscrição num bloco de calcário com o respectivo nome de Ikausu . Ele também é gravado
como homenagem a Esarhaddon e Assurbanipal , rei da Assíria. Tel Miqne é pensado para
ser Ecrom. Gate já tinha sido reduzido a uma aldeia, mas alguns argumentam que Ikausu
filisteu era um título , o equivalente a prefeito ou rei, ou , pelo menos, um nome tradicional
trono , e Gate e Ecrom são cidades vizinhas , e assim de perto com as tradições
semelhantes. registros assírios é pouco provável que repita o erro de nomear o rei de uma
cidade errada , por isso quem escreveu as histórias consideradas Ecrom como Gate.

Quando o Gate foi reduzida, Gathites muitos devem ter fugido para a Ecrom , e talvez as
duas cidades foram unidas em uma mini -estado chamado Gate , após o principal , que
continua como Gate , mesmo quando a menor cidade tornou-se mais importante. Então
Gate tornou-se o estado da cidade de Ecrom sim como o estado da cidade de Jerusalém foi
chamado Judah. Tudo isso é possível, mas talvez seja mais provável que os autores não
sabia que Gate tornou-se insignificante , e continuou a usar seu nome , embora a principal
cidade do distrito havia se tornado Ecrom. Se o erro foi acidental ou deliberada , não
poderia ter sido feito dentro da memória do tempo a mudança aconteceu, então deve ter
sido muito mais tarde.

Finkelstein e Silberman admitir que o início do desenvolvimento de Judá, não é certamente


conhecido , mas acho que deve ter começado cerca de 730 aC, no tempo de Acaz, e depois
continuou em Ezequias. Israel foi , naturalmente, anexado em 722 pela Assíria , para a
ascensão de Judá e de Israel a queda de ambos coincidiram com a expansão dos assírios na
Palestina. Curiosamente, ao mesmo tempo do norte de Samária , não foi evacuado, atinge o
sul do mesmo , confinando Judá. Aqui, a população entrou em colapso por três quartos . A
praga é mencionada na Bíblia , no momento em que afetam o exército assírio cercando
Jerusalém. Talvez dizimou a população do sul da Samaria , a poucos quilómetros a norte da
cidade sitiada. As provas de colonos da Babilônia em Gezer e Betel, na área pode ser
porque eles tiveram que ser trazidos para substituir a população israelita que tinha morrido
na praga ou fugiram para o sul .

Avigard , Reich e Shukron têm mostrado agora que em 600 aC , Jerusalém , de repente
cresceu dez vezes em área e em população de 150 hectares e 12 mil pessoas,
respectivamente , embora a estimativa da população baseia-se na área coberta. As fazendas
locais também se multiplicaram para atender a Jerusalém urbanos . A cidade foi fortificada
e do túnel de água de Siloé foi construído , os esforços que devem ter precisado de escravos
ou de trabalho para concluir corvéia e engenheiros qualificados para projetar, e que deve ter
sido para além das capacidades do Judahites sozinhos. Os assírios devem ter fornecido os
engenheiros e, talvez, o trabalho era corvéia alguns dos israelitas forçado a construir a
cidade , saiu de lá para se defenderem sozinhos . Em qualquer caso, a população de Judá
duplicou em poucos anos .

Judá aparece pela primeira vez na história em breve seu próprio direito , com as
características de uma nação comercial . Arqueologia em Tell Jammeh , perto de Gaza , um
entreposto comercial importante da Assíria revelou uma grande quantidade de ossos de
camelo , uma mistura de animais adultos e juvenis . Aqui , então, é certeza de camelos
provas estavam sendo usados como animais de carga pelos comerciantes em troca do
império assírio . Anteriormente, os camelos não tinham sido comum. Arqueologia pode dar
namoro termini para suas conclusões, a datas antes e depois que algo era possível.
Claramente , os assírios popularizaram o uso de camelos , a partir do século VII. Contudo, a
Bíblia tem confiança de Abraão, de mil anos antes , descrito como um rico proprietário de
camelo . Se ele era proprietário de camelo e rico, ele viveu após o século VII aC . Mais
certamente, as histórias bíblicas sobre ele foram escritos depois do século VII aC, mas
poderia ter sido qualquer hora depois, e no período persa é a mais provável.

Mesmo biblistas têm de respeitar os termini, Mas quando eles sentem que não podem , sem
perder uma parte importante do mito bíblico, eles inventam desculpas engenhosas e mesmo
milagrosas ! Caso contrário, eles tentam de tudo para empurrar os limites , tanto quanto
podem para acomodar a Bíblia. A visita da rainha de Sheba ( Sabá ) a Salomão é um
exemplo. Sheba é no sul da Arábia , a fonte de incenso precioso , especiarias e ouro, e era
um país governado por rainhas as vezes. Tudo se encaixa na lenda salomônica , mas o que
não cabe é que os sabeus não tinham existido no sul da Arábia na época de Salomão que
significa ter vivido. Saba no Iêmen moderno não existia antes do século VIII aC , ou não
fazer qualquer impressão sobre o mundo até então, 200 anos depois de Salomão
supostamente floresceram.

Biblicistas são, portanto, forçados a aceitar que a história da visita da rainha de Sabá deve
ter sido adicionado como um enfeite para a história de Salomão , quando foi escrita, e que
estava no oitavo século , tão logo Sabá tornou-se significativa . Em suma , eles criaram o
mais rapidamente possível tudo o que fosse para atender as suas crenças. Mas Sheba é
improvável que tenha pulado da obscuridade para a importância internacional , logo que
começou a funcionar. Aqui historiadores vão olhar para as probabilidades . O tempo da
história é provável que tenha sido adicionado é quando Sheba era uma força de negociação
estabelecido na região, ou mesmo mais tarde , quando o mesmo que havia sido ampliada a
lenda , quando a rainha de Sabá tornou -se lendária ! Combinado com as habilidades
avançadas literários envolvidos na gravação do conto, que não pode ser datado antes do
período helenístico , ou, na melhor das hipóteses , o período persa.

Quando a Bíblia foi escrita ?


Se você é um crente, você vai acreditar na profecia bíblica. Se você está são , você vai vê-lo
como um contador de histórias da trama . Quando as profecias da Bíblia relatam como
verdadeiro , não é um sinal do dedo de Deus, mas um sinal de que a história foi escrita
apenas após o evento , assumindo o evento como se fosse real.
Um profeta anónimo da época do idólatra , Jeroboão I, proclamou que seus pecados seriam
vingados e revertidos por um bom rei chamado Josias. A Bíblia relata que um bom rei
chamado Josias, surgiu 300 anos mais tarde, cerca de 620 aC. A profecia foi feita ,
portanto, ou depois do tempo de Josias, e que mostra que a narrativa anterior que termina
com a dissolução da monarquia unida não poderia ter sido escrito antes de Josias.

A inversão profetizou foi realizado em reforma de Josias do templo , a repressão da religião


cananéia, e a centralização do culto Yehouah no templo de Jerusalém. Há pouca evidência
de que qualquer dessas reformas aconteceu tão cedo como no século VII. Quando isso
aconteceu foi no período persa , quando o templo foi reconstruído pelos colonos persas em
Neemias, depois santificado por Ezra . supostas reformas de Josias foram escritas na
história judaica para justificar as reformas introduzidas pelos atuais persas como uma
restauração da adoração correta! A referência para as reformas de Josias implícita na
história de Jeroboão, mostra que não foi escrita depois que os persas tinham inventado as
reformas de Josias !

Os autores da história judaica da Bíblia gostam de dizer uma coisa ou outra era tão "a este
dia ", prova que não era um relato contemporâneo dos acontecimentos , mas uma muito
mais tarde. Finkelstein e Silberman aproveitaram esta frase para indicar que a Bíblia não foi
escrita até o século VII aC , no tempo de Josias, ainda , uma data extremamente precoce.
Judah só surgiu na história real no final do século VIII aC , mas somente um século mais
tarde, em tese , ele está produzindo espantosamente narrativa refinada , como a história e
muito antes de Heródoto !

As evidências parecem sugerir o contrário , exceto, talvez, para as referências bíblicas para
os reis de Judá . Judah só parece ter tido reis do século VIII, já sendo parte de Israel e,
posteriormente, parte do império da Babilônia . Posteriormente, os reis eram apenas quando
os Macabeus estabelecer-se como reis no século II aC . Parece certo que, nesse momento
eles vão ter editado as escrituras judaicas, estabelecidas pelos persas, os Ptolomeus e os
Selêucidas para atender seus próprios interesses. A ênfase na realeza judaica teria sido entre
eles. Isso, então, poderia ter sido quando as referências extensivas aos judeus reino foram
introduzidas.

Se a história bíblica foi escrita no século VII aC, como poderia ter incluído a conquista da
Babilônia , o exílio e o retorno chamados sob Neemias e Esdras, acontecimentos a história
até o século V aC . Os apologistas resposta é que estes livros posteriores foram
acrescentados posteriormente. Uma vez que se admitiu que os livros foram editados em
data posterior , então há um problema de saber quanto do que foi adicionado, porque na
verdade tudo isso não poderia ter sido escrito depois dos persas. Na verdade, é aí que as
evidências apontam .
O exílio e o regresso
O tema do conjunto das escrituras judaicas que é de Deuteronômio, o tema da apostasia da
adoração apropriada do verdadeiro Deus , a punição conseqüente , a restauração da
adoração por um bom resto antes que o ciclo começa novamente e o exílio e retorno são a
chave para isso , o ponto culminante de que , com o culto depois devidamente centralizado
em Jerusalém , e a todo o povo considerado justo. O messias desta história foi Ciro II
( Koresh ), o xá da Pérsia, e todo o esquema foi imposta por Ezra , que parece ter sido um
ministro sênior da chancelaria persa. Ele leu a lei, e assim deve ter sido aquele que foi
introduzi-lo . Na Bíblia é chamado agora Deuteronômio. Na verdade, o regresso " não
eram aqueles que tinham ido para o exílio , mas os colonos em Judá deportados para
criar um estado templo, como parte das políticas de geopolítica da Pérsia . Eles foram
descritos como " regressam ao trabalho " para se adequar ao tema do Deuteronômio, E esse
tema foi para atender a política persa de "restaurar " as religiões.

Finkelstein e Silberman repetiram a velha história que Ciro foi tolerante com os cultos
locais, e deixá-los fazer o que quisessem . É manifestamente irrealista e, se ele nunca foi
verdade, mais tarde shahs mudou. Ciro e os persas toleraram e acomodaram os seus súditos
que eram cooperativos. Eles eram totalmente intolerantes com aqueles que não eram , mas
eles sabiam da importância das percepções , e usaram propaganda intensamente. Era uma
política persa de aparecer útil e tolerante, mas eles eram implacáveis quando as
pessoas se rebelavam contra eles. Esses rebeldes foram consideradas pessoas que
adoravam deuses falsos, divas/devas, é palavra raiz da nossa palavra "diabo" . Os Persas
destruíram a torre de Babel, uma vez que os babilônios se rebelaram , porém Ciro tomou
Marduk pela mão inicialmente.

O que aconteceu foi que a Bíblia descreve a pacificação pela deportação. Foi por longo
caminho a conquistar as nações do ANE tratados assuntos indisciplinados. Seus líderes
foram deportados para longe, e um novo conjunto de líderes foram trazidos , com a tarefa
de restaurar a cultura que tinha sido corrompida pelos deuses diva/devas. No caso de
pessoas cooperativas, a política foi nominalmente a de reconhecer a cultura local , mas os
persas ofereceram toda sua ajuda e experiência para limpar as religiões locais das
distorções introduzidas pelos reis e sacerdotes maus , assim, mais uma vez "restaurar "o
culto à sua pureza original . Dario , o Grande, tinha seus conselheiros ajudando o
sacerdócio egípcio nas escolas de vida para resolver a religião egípcia. Os sacerdotes
egípcios aprenderam a lição e a usaram mais tarde para ajudar os judeus a publicar as suas
escrituras , tendo a chance de " restaurar " a deles. A tolerância dos cultos locais significava
ajudar a restaurá-los , mas "reparação" foi realmente mudar o culto em uma forma que
a regra adequada persa. Isso é o que Dario II fez em Judah.

O primeiro líder do " regresso " foi nomeado como Zorobabel , um nome babilônico que
significa " semente de " ou " filho de Babilônia" . No entanto, este homem era, somos
convidados a acreditar, não só um judeu , mas de linhagem real de Davi. Os judeus, apesar
de terem sido escravos e cativos na Babilônia, tiveram assiduamente suas tradições
mantidas de modo que eles foram capazes de "retornar" com os falsos e refinados por 70
anos reflexões muito mais profundas do que tinham anteriormente dedicado a eles. No
entanto, com toda a devoção e piedade neste nacional , o príncipe real não tinha mantido
um nome judeu .

Finkelstein e Silberman têm que reconhecer o óbvio , que os judeus tinham de fato
assimilado a cultura da Babilônia ", em apenas algumas décadas ". Os " apenas algumas
décadas " era na verdade 70 anos , mesmo de acordo com a Bíblia, uma vida humana
inteira, e cerca de três gerações naturais. Teria sido estranho se não tivessem assimilado, e
então o que é realmente peculiar é a história bíblica que fervorosamente ter mantido suas
tradições. E, se eles tivessem assimilado, então por que eles queriam voltar ? Babilônia era
um país exuberante, rico e cultural . Poucos que haviam assimilado a ela gostaria de ter de
retornar a um pobre e pequeno afloramento de calcário árido . O convite para retornar
caíram em ouvidos surdos, alguns voltaram, e aqueles falharam. Eventualmente, um
retorno foi aplicado, mas é improvável que aqueles que " voltaram " não tinham nada
a ver com aqueles que haviam deixado Judah.

Escavações indicam que Jerusalém foi sistematicamente destruída e ela e seus arredores
foram escassamente povoadas por um longo tempo. A pergunta é: " Quem foi que destruiu
Jerusalém os babilônios ou os persas ? " . A única resposta é ", os babilônios ", porque os
babilônios são conhecidos por ter demitido Jerusalém. Mas os livros bíblicos, Neemias e
Ezra, Sugerem que Jerusalém foi abandonada ainda em meados do quinto século atrasado,
muito depois do suposto "retorno" . A explicação poderia ser que os persas tinham
devastado Jerusalém como um castigo , talvez depois de uma rebelião, e dois são
conhecidos por essa época , a rebelião do Egito , e um por Megabyzes , cerca de meados do
século quinto.

Essas rebeliões aconteceram , mas se Jerusalém estava envolvida não é conhecido. Se


tivesse sido envolvida , então os persas teriam motivo para uma expedição punitiva
selvagem da cidade novamente, deixando Neemias meditando sobre o seu estado
lastimável. O resultado foi a colonização da cidade, e a construção do que hoje é sempre
chamado Segundo Templo, cerca de 417 aC. Como a dedicação do templo , de acordo com
a bíblia , ocorreu no reinado de Dario, que é habitualmente datado muito cedo, no reinado
de Dario , o Grande, cerca de 516 aC, quando ele realmente foi dedicado no reinado de
Dario II. Quando ele foi repovoado pelos colonos , Jerusalém tinha apenas cerca de 5
hectares de área em comparação com 60 antes da conquista da Babilônia quase 200 anos
antes.

Hipótese de uma autoria Tarde


Finkelstein e Silberman admitir que Crônicas foi escrito muito mais tarde que sua
suposição do século VII aC. 1 Crônicas 29:7 menciona uma moeda persa introduzida por
Dario , o Grande, cerca de 500 aC, o Darico. Crônicas, Eles pensam que foi escrito no
século IV , quando os judeus tinham de repente aparecido em todo o mundo antigo , apesar
da pequena população de Judá em todo o período anterior , desde o século VII, quando
brevemente ele subiu para uma miríade. Apologistas atribuem esta geração estranhamente a
imensa de milhões de judeus da diáspora , muito antes de qualquer judeus já tinha sido
dispersa para as dez tribos perdidas de Israel, deportados pelos assírios. Não importa que
essas pessoas não eram judeus, mas os israelitas , que tinham decidido se os judeus ao invés
disso, somos informados .

O fato é que os judeus eram os seguidores do Deus Yehouah, como Crônicas enfatiza não ,
os habitantes de Judá , mas mesmo assim as pessoas deportadas pelos Assírios , como as
pessoas deportadas pela Babilônios , nunca poderiam ter mantido a sua religião original.
Eles também terão sido obrigados a fazer o que foi dito , e devem ter assimilado a
população local de onde quer que eles acabaram . Os persas inventaram o Judaísmo dos
seus povos, sujeitos , a criação do estado do templo de Jerusalém como seu foco ,
dirigida por colonos enviados da Mesopotâmia acusado de ser uma nação de
sacerdotes, entre as nações do Abarnahara , para representar diante de um deus ético,
Yehouah , os assuntos da Pérsia , que não foram os iranianos e por isso não podia
adorar Ahuramazda .

Josefo diz que o templo samaritano no monte Garizim foi criado no tempo de Alexandre ,
que havia resolvido alguns de seus veteranos Macedonios lá. Os Samaritanos disseram que
seu templo foi construído ao mesmo tempo que os persas construíram o templo judaico em
Jerusalém , mas os samaritanos só aceitaram os cinco livros de Moisés, e não o resto das
escrituras judaicas como santo. Portanto, eles não têm os mitos de Davi e Salomão sobre
a construção inicial de seu templo. A correspondência sugere que Elephantine Samaria e
Judá foram de igual importância para os judeus ali todo o tempo os persas criaram o estado
do templo judeu. Pode significar que havia um templo samaritano , bem como a um judeu,
como os samaritanos alegaram , e ambos foram considerados como autoridade para os
judeus do Egito. Ambos os ramos devem ter sido dispostos a aceitar as revisões de
Ptolomeu da Bíblia persa, mas os samaritanos se recusaram a aceitar a adição de histórias
como as de Davi e Salomão, ou rejeitado em algum momento. A carreira de David e
Salomão têm características em comum com o surgimento e sucesso dos hasmoneus .
Magen escavou em Gerizim e identificou os restos de um templo lá como persa, quase
idêntico à do templo de Jerusalém e dedicado ao mesmo Deus.

Salmos, Cântico dos Cânticos, Provérbios e Eclesiastes são aceitos pelos estudiosos como
persas ou pós-persa , sendo este último , obviamente, helenístico e escrito por volta de 200
aC. Salmos e Eclesiastes têm sido associados com Davi, e os outros com Salomão. David e
Salomão refletem a noção caracteristicamente grega de "culto" ou "filósofo" reis
magos que valorizam o conhecimento prático e pelo bem da nação, e usar sua riqueza
e conhecimento para isso.

O rei dos judeus , com quem estabeleceu uma aliança, aquele que trouxe com ele a lei
foi Dario. Um pergaminho encontrado na coleção do Mar Morto (4Q505) o vê como o
rei David , com quem Deus havia estabelecido uma aliança. Os rabinos consideram
David ter sido um profundo conhecedor da Torah , embora não há muito nas
escrituras para sugerir isso. Dario é um rei muito mais plausível por trás dessa lenda,
por ter sido tomado como um estudioso da Torah, foi porque ele tinha criado o estado
do templo.

A lenda de Salomão inclui o conto que ele tinha o controle de demônios, e os fez
construir o templo. Os demônios são diabos, e um diabo era originalmente um
diva/deva, Como vimos , um deus mau para os persas. Assim , o mito Salomônico dos
demônios que ele usou para construir o templo parece ter uma relação com as pessoas
que fizeram o trabalho de construção e foram consideradas como os adoradores de
divas. Eram pessoas que não tinham sido cooperativas, talvez não tivessem produzido
voluntariamente , ou tinham-se revoltado contra os Judahites nativos.

Críticas e refutações
Finkelstein e Silberman, em Davi e Salomão, delinearam uma hipótese minimalista das
escrituras judaicas , similares à que foi adotada nestas páginas , então , de um modo típico
de apologistas, criticá-lo injustamente como tendo " lógico e arqueológico inconsistências
". Há pouca substância em suas críticas :

1. Alfabetização foi menor no persa e helenística idade precoce em Jerusalém que


tinha sido nos séculos oitavo e sétimo. É uma reivindicação muito buscado que eles
não suportam a prova. Eles descrevem justamente Jerusalém neste momento como "
um pequeno templo, fora da cidade no caminho nas montanhas da Judéia " , os
homens letrados de que não poderia ter ...

... compilado uma composição extraordinária longa e detalhada sobre a história ,


personagens e acontecimentos de um imaginário da Idade do Ferro "Israel" sem o
uso de fontes antigas.

Então, eles estão alegando que o que não foi possível neste lugar "fora do caminho "
no terceiro século aC, quando a escrita literária , em oposição à manutenção de
registos plenos tinha surgido , foi possível, quatro séculos antes , em um reino títere
verdadeiramente insignificante que tinha nenhuma tradição literária em tudo! Este é
especial articulado com dois dedos para cima!

Além disso, está se inclinando para um homem de palha, porque essas histórias não
eram necessariamente escritas pelos povos nativos de Judá, nem necessariamente ,
em Jerusalém, e não foram escritos por pessoas sem acesso a fontes antigas ! É
surpreendente que esses estudiosos não atenderam os pontos levantados na verdade,
ao invés de criarem os seus próprios objetivos , mas, infelizmente, ela própria é uma
tradição antiga biblista . As escrituras originais foram escritas para fazer o backup
da lei, Deuteronômio, por estudiosos persas dirigidos pela chancelaria Pérsica, e
com acesso às listas dos reis assírios , militares e registros do tribunal. A mensagem
foi a necessidade de obedecer a Deus do pacto que tinha fornecido a lei, e tinha
arranjado para que as gerações anteriores de ser punido por sua apostasia , e o
remanescente fiel sempre ser recompensado com um novo começo. Claramente , a
história bíblica foi feita para mostrar que isso é o que Deus fez . Ele tinha feito isso
antes , e ele faria isso novamente, se as pessoas não permaneçam obedientes e justas
intencionados com a lei. A decisão do sacerdócio instituído em Jerusalém, foram
alfabetizados , obviamente , mesmo que o resto do povo não foram, e posterior
escolha do antigo hebraico como um dialeto santo ( um pouco como a
perpetuação do século XVII pela Versão Inglêsa Autorizada da Bíblia) que
tornaram ainda mais difícil para as pessoas comuns a entender o que estava
escrito , mesmo quando eles começaram a ser alfabetizadas.

Apenas cerca de um século depois, os livros persas que, além de Deuteronômio, A


Lei, eram provavelmente pouco mais de contornos, foram extremamente
expandidos e reescritos de forma eficaz , não por escribas de Jerusalém, mas por
escribas em Alexandria , que foi estabelecida como um grande centro de bolsa de
estudos no mundo antigo pelos reis gregos do Egito, os Ptolomeus. Em colaboração
com alguns sacerdotes de Jerusalém enviados para o propósito de colocar as
escrituras judaicas em um formato adequado para publicação para o mundo. Os
editores eram sacerdotes egípcios , com o acesso às escolas de vida dos templos
egípcios , e os scripts antigos hieróglifos e hierático.

O fato de que os judeus e cristãos não podem enfrentar , mas é evidente na própria
Bíblia , é que os judeus não a escreveram, se " judeus "é entendido como o povo do
país do monte palestino. As Nações que lisonjearam-se , e omitiram os seus
defeitos e manias. Eles não publicaram para o mundo que eles são apóstatas. Mas
essa fórmula que os persas haviam imposto tinha -se revelado extremamente
lucrativa. Milhões de judeus espalhados pelo mundo foram feitos para se sentir
culpados , e com a necessidade de evitar a ira de Deus , então eles estavam prontos
para mandar dinheiro para o templo e participar pessoalmente em peregrinações . O
dinheiro foi entrando, e as religiões em todos os lugares já notaram o gênio dele. Os
persas a começaram , e os Ptolomeus , coniventes com o sacerdócio de Jerusalém ,
continuaram o tema Deuteronomico .

Todo mundo aceita que Heródoto , por volta de 450 aC , foi o primeiro historiador ,
mas os biblistas então querndo nos fazer crer que os melhores historiadores viveram
500 anos antes de Heródoto nos tribunais do rei Davi e Salomão . Mesmo a revisão
oferecidas por Finkelstein e Silberman que a Bíblia foi escrita por volta de 700 aC,
Heródoto ainda empurra bem fora de sua vara . Embora eles devem ter sido livros
estupendos para a época, nada disso surgiu até por volta de 250 aC na cidade
de Alexandria, aparentemente , em grego, e não há sinais físicos desses trabalhos
terem surgido até um século mais tarde, com a ênfase estar em Deuteronômio. A
posição apologética é um absurdo manifesto.

2. A objeção é que vem todas as genealogias, listas e detalhes sobre a administração


real eram desnecessários para a mitologia. Sua presença mostra a história é
verdadeira. Mas as histórias foram escritas , como a história , não como mito. Sem
dúvida, as origens persas terão sido muito mais superficiais do que o que temos
agora , a estrutura básica baseou em dados de que apenas uma grande civilização
poderia ter mantido - os assírios. Detalhe foi acrescentado pela alexandrinos e
governantes posteriores, e, uma vez que o hasmoneus tinham o controle, eles e sua
casta dominante dos padres teriam usado genealogias dar-se atual , (então) status.
Esse é o propósito real de genealogias . Genealogias são constantemente alteradas
para satisfazer as ambições de quem está no poder , e para eliminar seus inimigos da
história. Muito nas genealogias em detalhes e administrativas não incluídas nas
escrituras é anacrônico , provando que a Bíblia é muito mais tarde do que
qualquer crente está pronto para admitir.
3. Outra objeção é que ofereceu se as histórias foram inventadas, que
surpreendentemente correspondem às realidades e padrões de povoamento dos
séculos oitavo e sétimo. Mas a realidade social antes do estabelecimento da
hegemonia grega pouco mudou desde a época assíria, e as raízes da grama ,
provavelmente, ainda menos. Os tribunais de potentados orientais, a partir das
descrições que temos, não se alterou muito em milênios , e muito menos sobre
alguns séculos. Nem pode a narrativa de viagens de pessoas como Abraham
distingui-las facilmente como em qualquer particular século aC. Os lugares-comuns
da vida foram atemporal, embora o uso de camelos de Abraão , temos visto em
outros lugares, implica em algum momento após a conquista assíria quando camelos
foram introduzidas como o animal de projeto comum.

Finkelstein é um especialista em padrões de assentamento , com cerca de slogged


Israel olhando para a cerâmica que ele podia ver no terreno 2.700 anos mais tarde,
mas confessou que cacos de cerâmica não é bom para distinguir prazos de Ferro II
para o período persa , para a mudança de padrão de colonização do século oitavo,
deve ser impossível ver tudo com clareza. Em persa e helenística vezes , apenas
alguns séculos mais tarde, assentamentos real, embora abandonada, ainda deve ter
sido evidente , e as tradições locais terão preservadas as histórias sobre eles. É ainda
mais verdadeiro dos santuários e antigos centros de culto cananeu , o Bamote.
Permanente pedras , plataformas , terraços e altares de pedra ainda ter sido óbvio , a
menos que tinha sido construído ao longo , que provavelmente não é verdadeiro de
muitos. Mitos terá desenvolvido naturalmente sobre edifícios abandonados tal, e
eles poderiam ter sido adicionadas as histórias , mesmo após o contorno e conteúdo
principal tinha sido escrito , quando os textos estavam nas mãos dos reis locais, os
Macabeus. Sua referência a padrões de ocupação , portanto, não empilhar como
prova.

4. Outro argumento é que extra registros bíblicos da Assíria verificar a Bíblia. Não é
de surpreender se rei assírio listas fornecidas estrutura principal da história
deuteronomista 's .
5. Finalmente, argumenta-se que o Hebraico bíblico é o antigo hebraico monárquico,
e o hebraico pós- exílico é diferente. Onde estão os textos extensos que provam esta
afirmação ? Onde estão os textos finais da monarquia para comparar com a Bíblia ?
Não há simplesmente suficiente para as comparações úteis ou distinções seguras
para ser feito. A evolução do hebraico é baseado na Bíblia! Você não pode começar
mais um argumento circular. O Hebreu em Canaã tinha sido substituído pelo
aramaico , desde os tempos assírios e os persas o adotaram como a língua
franca, a língua do comércio e da diplomacia de seu império. Potes da época
persa de Judá são marcados em hebraico ou aramaico , mas o hebraico é
simplesmente cananeu, e algumas pessoas em Abarnahara ainda poderiam ter falado
cananeu, dos fenícios, que tinham colónias ultramarinas , por exemplo. Aqueles que
ainda eram alfabetizados nesses dialetos morto cananeu teria sido valioso na
tradução das fontes em " hebraico ".
O hebraico parece ter sido aprovado pelo sacerdócio de Jerusalém como a
linguagem apropriada para a história judaica, e dar autenticidade e seriedade
para a religião a ser desenvolvida e aplicada. Esta crítica implica que o registo
dos hebreus tinham imediatamente foi padronizado , de modo que o que se vê nas
diferenças registadas devem ser evolução. Eles podem ser as diferenças regionais,
os dialetos de diferentes autores, ou mesmo diferenças arbitrárias causadas por
falhas de gramática e ortografia. Nada de segurança pode ser deduzida a partir de
diferentes formas , até extensos arquivos hebraico não bíblico em cananeus foram
examinados .

A tese oferecidos por Finkelstein e Silberman contra a idéia de que a Bíblia seja tarde é que
os livros históricos do Samuel e Reis foram escritos no 600 aC , pouco antes de Judá
desaparecer, e depois de ter existido como um país alfabetizado por menos de 200 anos ,
mas muito Samuel é um aprimoramento mítica das personalidades contemporâneas e
eventos. O resto eles admitem que está atrasado, alguns deles do século IV, e alguns
terceiros. A posição minimalista é simplesmente que todos já é tarde .