Você está na página 1de 10

FACULDADE DO MARANHÃO

CURSO DE PEDAGOGIA

DILCIONE DOS REIS RAMOS


KAMILA THEREZA COSTA SOUSA
LAÍS LARISSA FRAZÃO
NEIZE DE CARVALHO PEREIRA
TALITA DIAS NUNES
TIAGO NASCIMENTO DIAS

O PAPEL DA PEDAGOGIA NA SOCIEDADE ATUAL: contexto social e


educacional na área pública.

São Luís - MA

2015
DILCIONE DOS REIS RAMOS

KAMILA THEREZA COSTA SOUSA

LAÍS LARISSA FRAZÃO

NEIZE DE CARVALHO PEREIRA

TALITA DIAS NUNES

TIAGO NASCIMENTO DIAS

O PAPEL DA PEDAGOGIA NA SOCIEDADE ATUAL: contexto social e


educacional na área pública.

Artigo apresentado a docente Regina


Célia da disciplina: Metodologia
Cientifica pra obtenção de uma nota
parcial para o bimestre.

São Luís - MA

2015
RESUMO

Este presente artigo tem como objetivo geral mostrar a importância da práxis
docente como mediadora do conhecimento em seu contexto social, politico e
econômico. Salientando-a ainda que o mesmo tem contribuição para a formação de
valores morais e éticos, transformando assim um cidadão de caráter para a
habilitação para a sociedade. A pedagogia é o campo do conhecimento que estuda
a sistemática da educação, visando analisar a relevância do método e princípio que
são voltados para a educação. Esta pesquisa permitiu-nos a percepção de
analisamos e avaliamos o nosso mundo contemporâneo e seus processos
educacionais que estes são sempre sociais acumulados toda trajetória de cultura ou
civilização. No entanto, destacam-se alguns autores, tais como: Libâneo (2010),
Freire (2005). Nessa perspectiva, e diante das transformações impulsionadas pela
globalização, crises econômicas, revolução tecnológica e politicas; a educação
precisa buscar o desenvolvimento do ser integral de seu educando. Mostrando
assim, resultados sólidos, na inexistência dos efeitos colaterais, do sistema de
Ensino predominante, tais como a indisciplina e a desmotivação dos alunos. E para
que tenhamos um mundo e futuro melhor, é através da educação. Ela em si, não
transforma o mundo, mas transforma as pessoas. Sendo assim, elas mudarão o
mundo.

Palavras-Chaves: Educação, Contexto globalizado, Pedagogia, Contexto-Histórico


e Sociedade.
INTRODUÇÃO

A nossa sociedade vive em constantes transformações impulsionadas pelo mundo


globalizado, crises econômicas, revolução tecnológica, mudanças nas competições
profissionais e pela crise socioambiental. Contudo, os sistemas de ensino
modificaram-se para essa nova realidade.

O papel da práxis pedagógica vem como base orientar e difundir conhecimentos no


campo educacional. Ela, porém, precisa capacitar-se para ter atuação em diversas
áreas educativas, para assim compreender a educação como fenômeno cultural,
social e psíquico complexo, capaz de produzir os conhecimentos.

É importante ressaltar que a Pedagogia, desenvolve-se de acordo com a deficiência


ou dificuldades, de cada indivíduo. Sendo assim ela, planeja, acompanha, orienta
assessora, produz o material didático, faz pesquisas, enfim, contribui em projetos de
alfabetização de jovens, crianças e adultos.

Existem duas formas de Educação: a não intencional e a intencional (não formal e


formal). Das quais tratam de influências do contexto social, ambiental, escolar e
extraescolar. Tais diferenças provocam e determinam não apenas condições
maternais de vida, mas sim no acesso à cultura.

Entretanto, em nosso contexto histórico, é baseado no Dualismo, na Opressão que


os “educadores”, deixaram-nos. No século XV, os Jesuítas, vieram ao Brasil, no
intuito de Catequização dos indígenas, que aqui estavam. Envolvendo-os em uma
outra cultura. De igual modo, já no século XX, na ditadura militar, a educação era
opressora de forma que a metodologia definida pelo Estado, não podia ser alterada
(controle estatal). Algumas matérias, tais como: Filosofia, Geografia, História e
Sociologia, foram proibidas.

Portanto, a Educação nos é a Liberdade, o Sol, que uma vez descoberta e admirada
jamais serão esquecidas. A criticidade que nos é dado, através dela, nos define
como cidadãos de bem. Como pessoas, que querem e vão mudar o mundo.
O que é Pedagogia?

A pedagogia é uma ciência responsável por estudar os métodos e princípios aos


quais são diretamente voltados para a Educação. Este curso dura em média 4
(quatro) anos, com conteúdos nas diversas áreas, tais como: psicologia, sociologia,
metodologia e as principais e básicas disciplinas.
Ao se formar em pedagogia, o individuo estará apto para atuar em diversos lugares,
mas sempre com o intuito educacional. Tendo a fim, desenvolver projetos, sistemas
e métodos com os quais são fundamentais para o aperfeiçoamento dos educandos.
Podendo ainda, exercer funções em ambientes, não escolares, sendo estes:
Orfanatos, Presídios, Hospitais e Empresas em seus respectivos ramos; além de
Universidades, pré-escolares e em Clínicas Pedagógicas.

Como todo bom método pedagógico, não pretende ser método de


ensino, mas sim de aprendizagem, com ele o homem não cria sua
possibilidade de ser livre, mas aprende efetivá-la e exerce-la. A
pedagogia aceita a sugestão da antropologia: impõe-se pensar e
viver a educação como prática da liberdade.
Paulo Freire (2005 p.18)

Ao fazermos estas considerações, a prática pedagógica em que o método deixa de


ser instrumento do educador e passa a ser sua própria consciência. Da qual ela vem
ser a essência de um caminho para algo que não é ela, tal qual é a raiz do método,
assim é a essência da consciência, que só existe enquanto faculdade abstrata e
metódica. E Não há outro caminho, senão a prática pedagógica humanizada a tratar-
se. É importante, entendermos, que não se pode abrir mão da felicidade, do próprio
eu. Habilitando-se a ser aquilo me que é imposto. É preciso, fazer uma análise das
coisas em nossa volta, refletirmos, para termos a nossa criticidade. E é só através
da Educação, do conhecimento, de nossa visão de mundo, que conseguiremos
mudar a nossa realidade.
Contexto Histórico da Educação Pedagógica

Se a didática estuda os processos de ensino e aprendizagem e suas finalidades


educacionais e estes são sempre sociais acumulados pela sociedade, a prática
educativa deverá considerar o conhecimento acumulado por esta. Existindo ainda
duas formas de educação. Sendo estas: não intencional e intencional. Das quais,
referem-se, ás influências do contexto social e do ambiente sobre os indivíduos
(educação não intencional); e as influências em que há intenção e objetivo
conscientes (educação intencional). Essas formas que assumem a prática educativa,
intencionais ou não, formais ou não, escolares ou extras, se interpenetram. O
processo educativo, onde quer que se dê, é sempre contextualizado social e
politicamente; há uma subordinação á sociedade que lhe faz exigências, determina e
objetiva-se condições e meios de ação.

 A educação é socialmente determinada?

A prática educativa e especialmente os objetivos e conteúdo do ensino e o trabalho


docente, estão determinados por fins e exigências sociais, políticas e ideológicas.
Isto quer dizer que a organização da sociedade, a existência de classes sociais, o
papel da educação estão implicados nas formas que as relações sociais vão
assumindo pela ação prática concreta dos homens/ mulheres. Por isso o veículo
entre sociedade e educação.
Aonde se quer chegar com essas determinações? As relações sociais (capitalistas e
trabalhadores) no capitalismo são antagônicas e opostas: os interesses são
diferentes. Tais diferenças provocam determinam não apenas as condições
maternais de vida e de trabalho dos indivíduos, mas também a diferenciação no
acesso a cultura espiritual. Da qual, cita-se a seguir todo o momento histórico de
nossa educação social.
A história da educação e da formação de profissionais habilitados para ensinar, no
Brasil, começou com os jesuítas, ordem religiosa que veio juntamente com os
colonizadores na tentativa de catequizar os índios. Em 1759 os jesuítas foram
expulsos do território brasileiro, na época eles mantinham 36 missões, 17 colégios e
seminários, além de inúmeras escolas de primeiras letras. Depois da saída da Cia
de Jesus a educação ficou durante quase um século estagnada, só então no Império
foram fundadas as primeiras escolas de formação de professores. Em 1934, Anísio
Teixeira fundou o primeiro curso de nível superior para professores e fundou o
Instituto da Educação, no Rio de Janeiro, então capital do Império. A maior
contribuição brasileira à pedagogia internacional foi a invenção de um sistema de
alfabetização de adultos aplicado no Rio Grande do Norte, em Sergipe e em
Pernambuco, por Paulo Freire em 1950.
Já no século XX, a escola pública foi devastada, física e pedagogicamente,
desconsiderada e desvalorizada. A chamada Ditadura Militar, reprimiu o ato docente.
Existia o Controle Estatal, em relação aos conteúdos didáticos. E os docentes, dos
quais não seguiam essas regras eram cruelmente punidos.
Esta violência repressiva que se abateu sobre os educadores nos três níveis,
fundamental, médio e superior. As perseguições, cassações, as expulsões, as
prisões, as torturas, mortes, desaparecimentos e exílios. Enfim, houve uma
devastação no campo dos educadores. Todos os que tinham ideias de esquerda ou
progressista foram sacrificados.

Contexto Atual

Vive-se uma crise estrutural da Educação. Hoje a sociedade tem acesso a uma
infinidade de informações e as mudanças se tornam cada vez mais rápidas e
profundas. Os paradigmas que orientaram as gerações anteriores, baseados
pensamento cartesiano, linear e determinista, não conseguem mais explicar o
mundo atual.

A Educação precisa buscar o desenvolvimento do ser integral, com todas as suas


potencialidades. Isso inclui os aspectos intelectuais, mas também desenvolvem
outras áreas, tais como: a emocional, social, física, artística, estética, criativa,
intuitiva e existencial.
Atualmente, nada mais é desafiador, para os educadores envolvidos na formação de
professores para a educação infantil, das séries iniciais e dos cursos de Pedagogia,
do que a discussão sobre o compromisso social da escola pública com as novas
tecnologias da comunicação e da informação, já que a sociedade ocidental vive hoje
a chamada "crise de paradigmas”.

O desenvolvimento econômico, social e sustentável do Brasil ocorrerá somente com


a efetiva valorização do professor, da creche à pós-graduação. O Brasil possui cerca
de 2,5 milhões de profissionais que atuam como docentes em escolas da educação
básica e instituições de educação superior, responsáveis pela formação dos nossos
estudantes.

Considerações Finais

A pesquisa revela que a sociedade vem-se tornando cada vez mais pedagógica,
requerendo, desse modo, profissionais qualificados. Nesse contexto, exige-se que o
pedagogo assuma seu papel com responsabilidade para suprir as demandas
socioeducativas que vem sendo requeridas na atualidade. Sem dúvida, pedagogos e
professores são agentes imprescindíveis para o desenvolvimento humano e social
das comunidades, de norte a sul em nosso país. Assim, estudos como este se
justificam o objetivo de qualificar a formação desse profissional, considerando a
necessidade de imprimir significado à prática educativa, com vistas a formar sujeitos
mais cultos e cidadãos mais participantes e comprometidos com o desenvolvimento
social e econômico do Brasil.

O papel da Pedagogia é promover mudanças qualitativas no


desenvolvimento e na aprendizagem das pessoas, visando
ajudá-las a se constituírem como sujeitos, a melhorar sua
capacidade de ação e as competências para viver e agir na
sociedade e na comunidade.
(FRANCO; LIBÂNEO; PIMENTA, 2007, p.89).
Portanto, é importante ressaltar a educação como uma das vias para o processo
de uma sociedade, pois através dela passamos a conhecer uma cultura. A
educação em si, não muda o mundo, mas mudam as pessoas e elas sim mudam o
mundo.
REFEREÊNCIAS

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e Pedagogos, Para quê. 12 ed. São Paulo,
Cortez, 2010.

LIMA Sara; NETO, Pedro. Responsabilidade Social e o Papel do Pedagogo.


Revistas das Faculdades Santa Cruz, v.7, n.2, julho/dezembro 2009. Disponível em:
http://www.santacruz.br. Acesso em 19 novembros, 2015.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.