Você está na página 1de 34

DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

“Enquanto a sinalização convencional se preocupa com o objetivo


de o DIRECIONAR DE UM PONTO A, existem muitas outras
maneiras de ANUNCIAR A SUA CHEGADA NO PONTO B”.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

INTRODUÇÃO:

Esta disciplina proverá os alunos da informação necessária para aquisição das competências
teóricas e práticas para a criação efetiva de sistemas de sinalização e sinalética, sistemas nos quais
o impacto visual incide preponderantemente.
Aqui procuraremos integrar os conhecimentos de metodologia projetual, cores, semiótica,
tipografia, editoração, sistemas de impressão e técnicas de representação, sinais, no
desenvolvimento de sinaléticas e sinalizações.
Além do mais enriqueceremos o conteúdo com temas como ergonomia, materiais, aspectos legais,
normas técnicas entre outros.
A proposta durante a disciplina é abordar três diferente funções fundamentais: a aprendizagem, a
experimentação e a investigação e uma clara consciência que um designer deve desempenhar em
seu contexto social.
Objetivo: O aluno ao final do curso analisará todos os elementos que intervém em um sistema de
sinalização / sinalética e deverá realizar um projeto desta natureza, tomando em conta o usuário, as
condições ambientais e o entorno.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

INTRODUÇÃO:

Antigamente o homem movido pelas necessidades mais elementares, procurou referenciar, seu
entorno, seu mundo, seus espaços, etc..., por meio de marcas ou sinais. Assim, a sinalização
começou de forma intuitiva e em resposta a certas necessidades, como foi o fato de orientar-se por
meio de objetos e marcas que deixavam nos caminhos.
A medida que a disciplina foi avançando no tempo começou a surgir uma linguagem
simbólica que deveria ser captado de forma instantânea e por todos. Desta maneira
começam as primeiras tentativas de normalização de uma forma de comunicação espacial,
que deveria ser geral, sistemática e imediata, quer dizer “Universal”.
A informação que aporta qualquer código de sinais deve facilitar com rapidez, as vezes de forma
quase instantânea, a percepção da mensagem que se tenta transmitir. Esta informação é oferecida
aos usuários através de um conjunto de sinais – gráficos ou tipográficos – ao longo de um trajeto ou
em um lugar determinado.
Eles devem conter em si mesmos valores informativos, o qual determinará de forma que possam
apresentar-se sozinhos ou formado-se com outros elementos para comunicar uma mensagem mais
extensa.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Sinalética e Sinalização:
A sinalética, embora originada da sinalização, apresenta especificidades que a
distinguem. O primeiro ponto a ser observado são os domínios de cada área:
• A sinalização é destinada a orientar os fluxos humanos e de transporte, no espaço
exterior. É um sistema determinante de condutas e é universal.
• Já a sinalética atende áreas onde a circulação também existe, porém é feita por
indivíduos: em supermercados, estações de metrô, shopping centers ,etc. Nesta
situação, a orientação será resolvida com soluções personalizadas.
Os programas sinaléticos são responsáveis por indicar pontos nos cenários. Seus signos
são criados a partir das particularidades do local trabalhado. Sua aplicação se adapta ao
local e esta se sobrepõe a este.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Sinalética e Sinalização:
A sinalização e a sinalética são trabalhos complexos e delicados,
cada projeto têm funções diferentes e distintos manejos das
informações já que as reações dos usuários são diversas.

Sinal:

• Marca, símbolo ou elemento visual utilizado para representar


algo ou para distinguir o suporte sobre o qual se encontra.
• Gesto ou ação para transmitir informação, uma ordem, uma
petição, uma negativa, etc...
• Letreiro publico que oferece uma informação, um poste
indicador, etc...

O termo “sinal” pode ter significados bastante diversos. Os sinais


têm uma longa história que se remete desde o tempo dos
romanos e atualmente se constituem como um dos elementos
gráficos mais óbvios de muitas grandes metrópoles e cidades.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

PROBLEMATIZAÇÃO
A sinalização/sinalética é um meio de nos ajudar
a viajar ou passear de forma independente por
espaços e lugares.
A sinalização destila a informação ao mínimo
absoluto, eles falam-nos no momento exato e
nos mantêm em movimento.

Ler uma boa sinalização é melhor do que uma multidão de prestáveis habitantes.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Design Gráfico e a Sinalética.


“O designer gráfico alia uma expressão
criativa e a resolução analítica de problemas.
O design para sinalética implica que a
resolução analítica de problemas venha em
primeiro lugar, de forma a fundamentar
corretamente a expressão criativa”.
• A sinalização pode ser um contributo significativo
para a experiência de um visitante de um edifício
ou espaço, por ex.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

• O design de sinalética, pode ser uma operação simples, meramente guiando um


ser humano de um lado A para o outro lado B, sem confusão ou aborrecimento.
• É nessa hora que a sinalização realmente funciona no mundo real.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Algumas reflexões devem ser feitas ao projetar:


• Será visto ao fundo da rua? Como ficará à noite? Como pode
ser limpo? Precisa de uma autorização? Ou seja, uma mente
organizada é necessária para compor uma complexa rede de
sistemas de sinalética.
• Na maioria das vezes a sinalização é considerada como
meras ajudas bidimensionais, como setas em postes ou listas
fixas a paredes. Locais como escolas, hospitais devem ser
mais considerados.
• A sinalização pode também fazer parte integrante da
identidade de uma empresa e incorporar o espírito da sua
marca, aproveitando-se da tridimensionalidade.
• A uma escala maior os sinais podem ser marcos ou até
anúncios.
Sendo assim a sinalética pode tomar diferentes formas.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Ferramentas digitais para o design de


sinalização.
 Ilustrator, Corel draw, In-design, utilizadas para
grafismos e edição de textos, além de um bom
leque de tipos de fontes.

 O Photoshop pode ser utilizado para criação de


maquetes de sinalização montado em fotografias,
estudo de texturas, cores, etc.

 As ferramentas CAD e criação tridimensionais ,


como o 3D Max , o blender, Rinnoceros e outros
podem ser uma mais-valia para a criação de
apresentações mais eficazes, podendo ser
utilizadas pelos arquitetos e designers envolvidos
no projeto, mas não para as tarefas de produção.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO
Materiais e processos mais comuns para o design de
sinalização:
 Muitas sinalizações são produzidas utilizando-se de letras e
formas recortadas de vinil. Estas são produzidas em
máquinas de corte de vinil, a maioria das quais podem
trabalhar facilmente com arquivos gráficos vetoriais EPS.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO
Materiais e processos mais comuns para o design de
sinalização.
 Máquinas de moldagem controladas por computador, para cortar e
tornear metal, ou artigos de madeira, nylon, plásticos no geral (tipo
pvc, nylon, etc.), podem implicar em outros formatos de arquivo como o
DFX.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Materiais e processos mais comuns para o design de


sinalização.
 A Serigrafia é um processo de impressão muito comum e adequa-se
à reprodução de trabalhos com linhas fortes e cores simples. É ideal
para sinalização que têm de suportar temperaturas e condições
climáticas extremas e ficar expostos aos abusos do público.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

O Ambiente:
Implantação
“O ambiente em que a sinalização é colocada e o 1. Pórtico de acesso
2. Estacionamento de carros
papel que esta sinalização deve desempenhar, vão 3. Estacionamento de ônibus
influenciar a sua construção física e a sua forma. 4. Núcleo de convívio
5. Centro comunitário
Para só então o designer ter uma base sobre o qual 6. Pavilhão de eventos
7. Pavilhão japonês
ele pode analisar os elementos gráficos” – nunca o 8. Pista de skate
contrário. 9. Núcleo esportivo
10. Praça da Proa
11. Escultura aquática
As sinalizações no geral seguem influência do 12. Auditório da lagoa

ambiente onde será implantado.


DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Processos Especializados
Necessários para a Sinalização.
MATERIAIS - Os processos utilizados
para a criação de sinalização são
quase ilimitados pois o tempo de vida
presta-se a um variado leque de
materiais duráveis, incluindo-se:
Vidro, metais, plásticos, madeiras,
pedras, ardósia, tecidos e até mesmo
peles.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Processos Especializados Necessários para a


Sinalização.
TEXTO E IMAGENS – podem ser impressos em
serigrafias, em jato de tinta, pintados, gravados,
recortados (vinil ou outros), torneados ou moldados.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Processos Especializados Necessários para a


Sinalização.
METODOS DE FIXAÇÃO – podem ser variados como
qualquer outra construção arquitetônica e é esta rica
variedade de materiais, formatos e fixações que torna o
design de sinalética uma área interessante para envolver-se.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

D- Considerações para o Design de


sinalização.
D1 – Simplicidade - a sinalização deve ser
simples, compreensiva e direta, bem como
inventiva quando apropriada.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

D- Considerações para o Design de sinalização.


D2 – Integração – o local é muito importante e a sinalização deve ser
desenvolvida para se integrar e funcionar neste ambiente.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

D- Considerações para o Design de sinalização.


D3 – Consistência – deve-se ser consistente ao longo de um esquema,
recordando-se que uma placa leva a outra. A sinalização deve inspirar
confiança no utilizador, sendo claros e consistentes.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

O pavilhão brasileiro da Expo Shanghai 2010 foi


projetado pelo arquiteto Fernando Brandão, e assim
ele define seu projeto: "(...)uma pele exterior para
fazer o Pavilhão do Brasil ser notado e para revelar
uma brasilidade. O interior da estrutura também
brinca com a percepção do visitante do espaço. O
parêntese simboliza a receptividade brasileira e
representa um braço aberto, acolhendo todos os
tipos de pessoas diferentes e culturas.”
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

D- Considerações para o Design de sinalização.


D4 – Funcionalidade – a sinalização deve funcionar
para vários grupos de pessoas, que vão desde as
medianas, as altas, baixas, menos vivazes e capazes,
bem como para as que estão em cadeiras-de-roda.
Outras tantas pessoas têm dificuldades de visão.
Em alguns contextos podem ser exigidos sinais
multilíngües, e os sinais devem servir a todos,
obviamente.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Considerações para o Design de sinalização.


Escolha de um tipo de letra – a maioria dos tipos
de letras disponíveis par os designers hoje em dia
tiveram origem em formas de letras desenvolvidas
para impressão.
• Poucas letras foram desenhadas para fins de
visualização e sinalética, portanto é necessário
testar com rigor os tipos de letras que forem
escolhidas em diferentes corpos.
• Qualquer letra aumentada acima dos 72 pts,
assumirá uma nova personalidade. Escolher o tipo
de letra para um sistema de sinais pode, ser muito
difícil.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Considerações para o Design de sinalização.


Altura de maiúscula – A - deve ser alta em proporção à largura da letra;
Altura – x – n – deve ser grande;
Ascendentes – t – devem ser, idealmente, iguais à altura da maiúscula;
Descendentes – y – devem ser o mais pequenos possível;
Design do tipo – e – deve ser o mais forte possível, com uma seleção de
alturas para ênfase;
Serifas – A – devem ser fortes, curvadas ou chatas.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Escolha das Cores – ler um texto grande em um fundo


contrastante é normalmente suficiente, mas localizar a
sinalização em primeiro lugar pode ser um desafio:
• Ao analisar um esquema de cor para a sinalização, a cor
da sinalização em si deve contrastar com o seu ambiente.
• Se as cores estiverem pré-determinadas, com as de uma
identidade corporativa, pode ser difícil de obter um bom
contraste. Neste caso caso acrescentar moldura simples,
mas distinta, ao redor da sinalização pode ser uma solução.
• Com diversos programas gráficos procurar experimentar
numerosas formas de cor e combinação entre elas.
• Se, por ex. planejar utilizar o vinil recortado, as suas
escolhas de cor serão limitadas às disponíveis no material
do fornecedor.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Posicionamento – Uma família de sinais típica pode


compreender um sinal de estrutura vertical, um montado na
parede, ou pendurado, um painel tipo totem, e talvez, uma ou
duas variantes individuais para áreas especialmente difíceis.
• Ao desenvolver a família de sinalização o trabalho deve
começar com uma visita ao local (física, eletrônica ou mental) .
• Na sinalização de ruas e estradas, a sinalização são
apresentados muito antes de uma saída – dando tempo para
passar a faixa correta, freiar e preparar para sair.
• O mesmo principio se aplica a todas sinalizações, mesmo ao
ritmo mais lento de passear ao longo de uma sala de
exposição ou de um parque.
• A sinalização deve ser colocada onde possam ser vistos. O
ideal é colocá-los de modo a que a informação seja
apresentada mesmo acima do nível normal do olhar para uma
facilidade geral de leitura
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Posicionamento
• Se a sinalização for colocada em áreas de
multidão poderá não haver outra opção a não
ser a de colocar os sinais mais alto para que
possam ser lidos por todos em qualquer altura,
mesmo que à distância.
• A iluminação é também um fator a ter em
conta ao colar uma sinalização. O que parece
bom numa apresentação no monitor, nem
sempre funciona no local com o sol batendo
numa superfície de sinalização refletora.
Materiais refletores devem ser evitados.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Implementação – os fabricantes de sinalização


podem utilizar o seu próprio software para alguns
processos; os arquivos digitais entregue devem
providenciar informação correta em relação ao
espaçamento, e tipo de letra.
• Uma visita a fabrica que fornecerá as placas de
sinalização para verificar os pormenores de
produção vale a pena pois pode ser difícil corrigir
erros numa fase mais tardia.
• Os fabricantes são também normalmente
contratados para instalar a sinalização e durante esta
fase crucial vale a pena fazer visitas diárias ao local.
• Uma vez completo o projeto, é importante o cliente
receber registros de construção para futura
manutenção.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Manutenção – os bons sistemas de sinalética devem


durar muitos anos, pois são grandes investimentos.
• Confiar na experiência dos fabricantes de sinalização
para aconselhamento de materiais, acabamentos de
pintura, soluções de fixação e outros processos de
produção.
• A qualidade dos materiais e a fabricação não devem
ser limitadas pelo custo. É mais caro substituir um
sistema na totalidade mais cedo, do que preparar
sinalizações mais robustas logo de início.
• A sinalização deve ser forte para agüentar abusos
físicos e as suas superfícies poderem suportar grafites
com tinta spray, marcadores e colagens. As superfícies
devem ser fáceis de limpar e permitir uma substituição
rápida de partes componentes da estrutura.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Planejamento e Produção.
“Em grandes projetos de sinalização, é necessário envolver-se tão cedo quanto
possível. Este envolvimento ajuda o designer a compreender a visão do arquiteto
de um edifício ou espaço e isto deve influenciar as soluções finais de sinalização”.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Projeto Integrado – Sinalização e Programação Visual.

Projeto de revitalização de marca de cafeteria e sinalização – il Vero Café

Projeto de marcas e sinalização interna do centro logístico - AGV Logistica


DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

A equipe de Design - Se o projeto for grande,


existirão varias partes envolvidas :
• Primeiro o cliente, que deve delimitar a extensão do
projeto.
• Segundo o arquiteto, que deve providenciar a informação
no pensamento por detrás do seu design, o objeto de cada
espaço e os materiais a serem utilizados.
• Também poderá haver engenheiros civis e gestor de
qualidade envolvidos, e adicionalmente, algumas partes
interessadas como: autoridades de planejamento local,
bombeiros, polícia, e talvez grupos de interesse.
• Além de não poder esquecer os utilizadores – que vão
necessitar de uma consulta através de por ex. um grupo de
teste.
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO

Pesquisa
• Deve-se começar por estudar as plantas do local atentamente,
não esquecendo todas as abordagens externas. A sinalização deve
ser vista pelos utilizadores antes de chegarem ao local.
• Uma visita ao local é importante para observar a forma como as
pessoas se movimentam através do espaço;
•Os roteiros e todos os possíveis destinos devem ser mapeados.
Este processo indicará os pontos com o maior numero de
interseções e pontos de tomada de decisão para os visitantes;
• Com uma lista é possível verificar que alguns pontos podem ser
curtos e outros mais longos. Qual a quantidade de informação que
uma placa deve carregar e a sua posição, que deve ditar a sua
forma física;
DESIGN PARA SINALIZAÇÃO
Trabalho de reconhecimento 01
FORMULAÇÃO:
Buscar em ambientes do nosso cotidiano, sistemas de sinalização para analisá-lo nos
seguintes aspectos:
Ambiente onde está localizado; Tipo de sistemas encontrados;
Estilo: cor, forma, textura, grafismo; Material empregado, acabamento;
Facilidades de manutenção (quando houver); Tipo de uniões e fixações;
É compatível com o ambiente? Qual a sua sugestão para melhoramento?
Esta análise deverá ser apresentada em power-point, com no mínimo 12 slides – cada
apresentação com no máximo 15 minutos + 10 de debate.
Data da apresentação: 01/03 e 15/03;
Apresentação de trabalho profissional da área: 22/03 – Eita Design.

Terminal Rodoviário (interno e externo);


Shopping Center – Via Sul (interno e externo);
FIC (interno e externo - ambos prédios);
Edifício Comercial (interno e externo);
Dragão do Mar (interno e externo);
Praça do Ferreira – Centro de Fortaleza;
Hospital Unimed ou similar;
03 quarteirões da av. Beira-Mar (incluindo-se placas indicativas colocadas por estabelecimentos nesta
avenida).