Você está na página 1de 23

PASTA TÉCNICA

ÍNDICE
2.6 - SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO DE AR E EXAUSTÃO
1 – INFORMAÇÕES BÁSICAS
MECÂNICA
1.1 - O QUE É A PASTA TÉCNICA?
2.6.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
1.2 - O QUE É SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO LOJISTA SAL?
2.6.1.1 - SISTEMA DE CONDICIONAMENT DE AR
1.3 - QUAL A DATA DE INALGURAÇÃO E QUAIS OS PRAZOS A
2.6.1.2 - SISTEMA DE EXAUSTÃO MECÂNICA
SEREM CUMPRIDOS?
2.6.1.3 - EQUIPAMENTOS
1.4 - O QUE FAZER AGORA?
2.6.2 - APRESENTAÇÃO DO PROJETO
1.5 - QUAIS OS PROJETOS A SEREM APRESENTADOS?
2.7 - PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO
1.6 - QUAL A ORDEM PARA APRESENTAÇÃO DOS DEMAIS
2.7.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
PROJETOS?
2.7.2 - CONTEÚDO DO PROJETO
1.7- QUAIS OS CRITÉRIOS DE PROJETO?
2.7.3 - MEMORIAL MODELO SIMPLIFICADO OU COMPLETO
1.8 - QUEM FAZ A OBRA?
1.9 - QUANDO INICIAR A OBRA?
3 – LOJAS ÂNCORAS
1.10 - COMO INICIAR A OBRA?
1.11 - COMO A LOJA SERÁ ENTREGUE?
1.12 - COMO FAZER A OBRA? 4 – INFORMAÇÕES SOBRE AS OBRAS
4.1 - INSTRUÇÕES GERAIS
2 – INFORMAÇÕES SOBRE OS PROJETOS 4.2 - CONDIÇÕES BÁSICAS PARA O INICIO DAS OBRAS
2.1 - APRESENTAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE PROJETOS 4.3 - ENTRADA, TRANSPORTE E GUARDA DE MATERIAIS
2.2 - ARQUITETURA 4.4 - ENTRADA E PERMANÊNCIA DE PESSOAL
2.2.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO 4.5 - EXECUÇÃO DOS TRABALHOS
2.2.2 - CONTEÚDO DO PROJETO 4.6 - APOIO AOS LOJISTAS
2.2.3 - QUIOSQUES COMERCIAIS 4.7 - HORÁRIO DE TRABALHO
2.3 - MEZANINO/ESTRUTURA METÁLICA 4.8 - ALOJAMENTO, LOCAL PARA REFEIÇÕES E SANITÁRIOS.
2.3.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO 4.9 - SEGURANÇA DO TRABALHO NA OBRA
2.3.2 - CONTEÚDO DO PROJETO 4.10 - COMPORTAMENTO NO CANTEIRO DE OBRAS
2.4 - INSTALAÇÕES ELÉTRICA, TELEFÔNICAS E DE SOM 4.11 - FISCALIZAÇÃO
2.4.1 - PROJETO ELÉTRICO 4.12 - LIBERAÇÃO DA LOJA PARA INAUGURAÇÃO
2.4.1.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO 4.13 - OBRAS APÓS A INAUGURAÇÃO
2.4.2 - PROJETO DE TELEFONE E SONORIZAÇÃO 4.14 - DISPOSIÇÕES FINAIS
2.4.2.1 - INSTRUÇÕES DE E ELABORAÇÃO DE PROJETO
2.4.3 - CONTEÚDO DOS PROJETOS ANEXOS
2.5 - INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS E DE GLP ANEXO 1 – TAPUME PADRÃO
2.5.1 - INSTRUÇÕES E ELABORAÇÃO DE PROJETO ANEXO 2 – PLANTA E CORTE DA LOJA (DETALHES)
2.5.2 - CONTEÚDO DO PROJETO ANEXO 3 – RELAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SAL
ANEXO 4 – MODELO ETIQUETA CD-ROM
ANEXO 5 – TERMO DE RECEBIMENTO
1 - INFORMAÇÕES BÁSICAS 1.4 - O QUE FAZER AGORA?

1.1 - O QUE É A PASTA TÉCNICA? O próximo passo é contratar um arquiteto ou profissional habilitado
com anotação de responsabilidade técnica de sua
confiança para fazer o projeto de arquitetura de sua loja, pois ele é básico
Esta Pasta foi elaborada com o objetivo de orientar o lojista com
para todos os demais projetos. Dê a ele ciência desta pasta e peça-lhe
relação às providências a serem tomadas de agora em diante e para
para fazer uma consulta prévia de orientação com o Coordenador
auxiliar os profissionais que irão projetar e executar as instalações das
responsável pelo SAL, instalado no canteiro de obras do Shopping.
lojas do Jataí Shopping.
1.5 - QUAIS OS PROJETOS A SEREM APRESENTADOS?
1.2 - O QUE É SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO LOJISTA -
SAL? Além do projeto de arquitetura, deverão ser apresentados os
projetos de estrutura metálica do mezanino, de instalações elétricas e
É uma equipe especialmente direcionada para orientar o lojista em telefônicas, ar condicionado, prevenção e combate a incêndio e os de
instalações hidráulicas, gás e exaustão mecânica, estes três últimos
todas as etapas que se sucedem para a montagem da loja, sendo
apenas para as lojas da praça de alimentação ou em casos especiais.
responsável pela aprovação dos projetos e pelo acompanhamento das
Todos os projetos deverão seguir as especificações contidas nesta Pasta
obras. Esta equipe é composta de diversos profissionais especializados
Técnica.
em diferentes áreas técnicas. O Coordenador do SAL estará à disposição
na obra ou pelo telefone, para que você possa recorrer a ele sempre que
necessitar de ajuda ou orientação sobre esta Pasta Técnica. 1.6 - QUAL A ORDEM PARA APRESENTAÇÃO DOS
DEMAIS PROJETOS?
1.3 - QUAL A DATA DE INAUGURAÇÃO E QUAIS OS
PRAZOS A SEREM CUMPRIDOS? O ideal é que sejam entregues juntos, mas, caso isto não seja
possível, entregue primeiro o de arquitetura, seguido pelo de estrutura
Para atender a data de inauguração da loja, pactuada no Contrato metálica do mezanino. O importante é que sejam cumpridos os prazos
de Locação, os lojistas terão no máximo 30 (trinta) dias para executar os estabelecidos anteriormente, e que o seu arquiteto acompanhe a
projetos e submetê-los à aprovação do SAL. Somente após a aprovação execução dos demais projetos, para evitar problemas de compatibilização
dos projetos é que o lojista poderá executar as obras de instalação e entre eles.
montagem da loja, aí incluída a colocação dos estoques, a disposição das
mercadorias para venda e a decoração de vitrines, que deverão estar 1.7 - QUAIS OS CRITÉRIOS DE PROJETO?
concluídas 02 (dois) dias antes da data aprazada para início das atividades
na loja.
A partir do item 2.2, os projetistas dos diversos ramos envolvidos
na construção de sua loja encontrarão informações básicas para
desenvolver os projetos. O anexo 2 contém a planta e um corte de sua
loja, úteis para iniciar os estudos. Mas vale ressaltar que o
desenvolvimento da obra do Shopping pode ocasionar revisões que não
constam no referido anexo. Por isso, é de fundamental importância que 1.11 - COMO A LOJA SERÁ ENTREGUE?
todas as cotas, pontos de fornecimento, vigas e pilares que existem em
A loja será entregue conforme descrito no Contrato de Locação.
sua loja sejam conferidos na própria obra, para verificar as reais A LOCADORA/EMPREENDEDORA entregará o Espaço Comercial (LUC) “em osso”, ou seja
condições, mas também para solicitar ao SAL a correção com pisos em concreto áspero e sem forro, alvenaria sem reboco.
de algum problema que esteja ocorrendo e que pode vir a prejudicá-lo. O espaço aéreo acima de 6 metros de altura é de uso exclusivo do Shopping.
O Shopping poderá usar pilares e alvenarias para a descida de prumadas, mesmo estando
1.8 - QUEM FAZ A OBRA? Dentro da LUC.
As juntas de dilatação estrutural da edificação devem ser respeitadas, sendo que os
Acabamentos das lojas (tanto pisos, paredes e forros), quanto os demais elementos
Toda e qualquer obra necessária à instalação comercial será Construtivos, deverão ser projetados e executados pelo lojista de modo a manter a
executada às expensas do lojista e sob sua exclusiva responsabilidade. Funcionalidade das mesmas.
Na linha de limite frontal não deverá haver diferença de nível entre piso do mall e o piso
da Loja. A loja será entregue com um rebaixo de 5cm em relação ao piso do mall.
1.9 - QUANDO INICIAR A OBRA? A loja não é totalmente vedada, poderá ser criado um fechamento vertical
ou horizontal pelo lojista, resguardando sempre as instalações aéreas
As obras serão feitas no período citado anteriormente, mas do shopping.
apenas após a liberação dos projetos. Se preferir, o lojista pode colocar o
tapume, feito conforme padrão desenhado no anexo 1, antes de iniciar as
obras e de ter os projetos liberados.
1.12 - COMO FAZER A OBRA?
1.10 - COMO INICIAR A OBRA?
Com o objetivo de minimizar os problemas decorrentes da
Depois de aprovados os projetos e instalado o tapume, a loja será criamos algumas normas que estão dispostas no capítulo 4. Temos em
liberada para as obras. Para tanto, o lojista deve solicitar ao SAL o Termo mente, com essas regras, facilitar a convivência no período de obras, e
de Recebimento da Loja (ver modelo Anexo 5), e deve receber desta evitar problemas como extravio de material, danos aos serviços já
a Autorização para o início das obras, que será emitida executados no Shopping, sinistros e diversos outros, comuns numa obra
depois de preenchidas as condições descritas no item 3.2, e que deverá deste porte.
execução de várias obras simultâneas dentro de um mesmo espaço,
ser afixada do lado externo do tapume ou local facilmente visível através
da vigia. Somente com a Autorização em seu poder poderá o lojista iniciar
a obra.
2 - INFORMAÇÕES SOBRE OS PROJETOS Todas as pranchas modificadas terão, obrigatoriamente, a
indicação, no espaço previsto no selo, da respectiva revisão, datada,
conforme solicitado anteriormente.
2.1 - APRESENTAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE PROJETOS
2.2 - ARQUITETURA
Os projetos deverão ser apresentados ao SAL acompanhados de
seus respectivos memoriais descritivos e memória de cálculo. Deverão ser
entregues em duas vias, plotadas, dobradas no formato A4 (210 x 297 2.2.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
mm). E em meio digital, gravado em CD, etiquetado (ver modelo etiqueta
no anexo 5) para arquivamento final. O projeto de arquitetura é básico para o desenvolvimento dos
O anexo 2 contém a planta e corte específicos da loja com demais, merecendo atenção especial e uma análise mais cuidadosa do
informações detalhadas indispensáveis ao desenvolvimento dos projetos layout a ser apresentado.
para a instalação da loja, a saber: Tópicos que devem ser observados na elaboração do layout:
 Objetividade técnico – comercial;
 Planta baixa da loja com seus limites e eixos de posição  Funcionalidade e versatilidade;
 Disponibilidades e alimentações, conforme o caso: carga  Criatividade e propriedade de escolha de materiais;
elétrica, ponto de telefone, água, esgoto, gás, ponto para hidrante e sprinker.  Criatividade e propriedade na técnica de iluminação;
 Corte genérico com altura do pé direito da estrutura interna  Criatividade na arte de apresentar a mercadoria;
da loja e forro do mall, onde houver.  Harmonia na conjugação layout/material/execução, sem
ofuscar o brilho a ser dispensado ao produto;
É obrigatório que constem no selo de identificação dos projetos os  Equilíbrio na conjunção do tripé instalação/mercadoria/
seguintes dados: título do projeto específico, conteúdo da prancha, o público;
profissional ou empresa responsável, número da loja, nome fantasia, área  Transparência da loja em relação ao mall ou seja: no mínimo
da loja, numeração sequencial e quantitativa, quadro de revisões. 70% da área da fachada da loja deverá ser transparente;
O selo deverá estar situado no canto inferior direito dos projetos,  A legibilidade, a propriedade do material, o equilíbrio e o
de forma a permitir rápida identificação da prancha, quando dobrada. destaque dos letreiros e luminosos.
As pranchetas devem ser de formato padrão, ABNT A1, A2, A3 ou Os vidros das fachadas deverão ser temperados, com espessura
A4. Não apresentar formato A diferenciado. mínima de 10 mm, lisos, incolores, não sendo aceitos vidros comuns ou de
O projeto deverá ser feito em arquivo eletrônico (AutoCad). Deve- fantasia. A vitrine terá 4,50m de altura e neste espaço deverá estar
se atentar para a qualidade e legibilidade do desenho, e, principalmente, inserido o letreiro.
das cópias. As instalações elétricas/telefônicas, dutos do ar condicionado e forros, quando
A escala para a apresentação dos projetos poderá ser 1:20 ou atirantados na estrutura, não poderão transmitir esforços superiores a 25 Kgf/m². Quando for
1:25, devendo os detalhes parciais ser apresentados na escala 1:10. estrutura de cobertura a fixação deverá ser junto aos nós. A unidade evaporadora
Admitem-se escalas 1:50 ou 1:100 para as lojas maiores de 100m . (condensadores de ar condicionado) não pode ser dependurada na
Não serão aceitos desenhos incompletos ou sem as cotas e dados referida estrutura.
indispensáveis à sua leitura.
2.2.2 - CONTEÚDO DO PROJETO
As alvenarias das lojas cumprem função exclusiva de vedação e não podem
ser utilizadas para suporte de quaisquer elementos das instalções. Também não podem Planta baixa
ser utilizados como apoio nenhum dos elementos estruturais do Shopping, pois não Plana baixa do mezanino (quando houver)
estão projetados para receber sobrecargas extras além das já previstas. Se houver Cortes longitudinal e transversal e nos locais de maior
necessidade de embutir instalações ou pilares, uma parede secundária poderá ser Elevações das paredes internas, quando os cortes não forem
edificada, desde que de gesso acartonado ou material leve similar. suficientemente claros.
Fachadas
Deverão ser criados elementos para a proteção dos painéis de vidro
Detalhe e corte do letreiro ou luminoso, mostrando, caso
Das fachadas, voltados para o mall (rodapé), com altura mínima de 15cm, exista, seu avanço em relação ao mall.
Uma vez que a limpeza do mall dar-se-á através de processo mecânico. Memorial Descritivo de Acabamento, com especificações de
Na elevação para o mall, as fachadas deverão respeitar os limites e materiais. Poderá estar no próprio projeto.
arremates apresentados no anexo 2. Assinatura e CREA do profissional responsável pelo Projeto
Não será permitida, em hipótese alguma, a fixação na viga no alto Arquitetônico, nos desenhos e cópia da ART do profissional.
da vitrine ou nas cantoneiras laterais de qualquer elemento de fachada.
Em hipótese alguma será permitido aplicar, fixar ou pendurar o letreiro ou 2.2.3 - QUIOSQUES COMERCIAIS
luminoso no elemento estrutural de arremate das fachadas.
Os letreiros poderão ser luminosos, devendo conter apenas o nome O shopping disponibiliza as áreas próprias para a
fantasia da loja. Fica proibido a colocação de número de telefone, nome de montagem dos quiosques com os pontos elétricos e
concessionárias, e qualquer denominação diferente daquela que consta no hidráulicos.
contrato. Salvo quando o prévio consentimento do EMPREENDEDOR. O Os pontos de esgoto e abastecimento de água e energia
letreiro não poderá avançar, além do limite da loja, mais do que 20cm, e não poderão ser alterados sem autorização prévia, e caso
seu ponto mais baixo deverá estar situado, necessariamente, a 3,50m do haja custo, a administração do shopping repassará ao
piso. lojista. Os projetos a serem elaborados são o arquitetônico,
Não são permitidos letreiros com movimentos, com utilização de elétrico, lógica, telefonia e hidráulico, memorial descritivo e ART de
iluminação intermitente, a colocação de logotipos ou marcas de produtos profissionais.
de terceiros na fachada ou a instalação de spots e luminária no espaço do O projeto arquitetônico será composto de:
mall. Não serão permitidos luminosos com filetes de néon expostos,
devendo tais filetes serem protegidos com chapa acrílica ou outro material. Situação (com todas as dimensões e distancias no mall)
Vitrines, letreiros e outros arranjos no interior das lojas deverão Planta
Permanecer iluminados durante os períodos determinados pela Cortes
administração do shopping. Fachadas (todas)
Na linha de limite frontal não deverá haver diferença de nível entre piso Vistas em terceira dimensão.
do mall e o piso da loja. A loja será entregue com um rebaixo de 5cm em Todos os desenhos deverão ter todas as cotas.
relação ao piso do mall. Algumas exigências serão cobradas, tais como:
Os materiais de acabamento escolhidos deverão estar em Altura máxima permitida: 1.60 m (Um metro e sessenta
sintonia com o alto padrão de acabamento do Shopping, cabendo ao SAL centímetros), elementos que não interfiram na fachada dos
a não aceitação de específicos que venham denegrir, depreciar ou que demais lojistas poderão ser estudados.
sejam inadequadas à imagem do Shopping.
 Área máxima de 2,00x3,00m, no Mall. No mall com deverá ser verificado conforme sondagem fornecida, com adoção de
extensão maior que 8m poderá ser liberado área de sapatas isoladas, estacas abertas com trado ou tubulões, “radier`s”.
3,00x3,00m O piso dos mezaninos deverá ser estruturado em perfis
 Será proibido exaustão no Mall. metálicos e ser do tipo wall ou de chapas metálicas. Não é permitido o uso
 O piso terá que ter uma elevação (interna quiosque) de de lajes (pré – moldadas ou maciças) para o piso dos mezaninos.
5cm do nível do Mall. Revestimento do piso do mezanino deverá ser incombustível ou com
Todos esses cuidados são fundamentais para que o tratamento ignífugo. As divisórias do mezanino deverão ser um material
comitê da diretoria do shopping entenda o produto e com não combustível, não sendo admitido o uso de alvenarias para este fim.
base nas imagens e informações oferecidas dê o seu parecer A área máxima do mezanino é de 50% da área total da loja, isso
de aprovação. Lembrando que um bom projeto dependerá do devera ser negociado com setor comercial e constar em contrato.
Maximo de informações e detalhes que posa julgar
necessários. Todo o projeto é confeccionado fora do 2.3.2 - CONTEÚDO DO PROJETO
shopping. Depois disso seu projeto será montado na data
estipulada.
 Planta baixa, cortes e indicações dos elementos montantes
da estrutura e suas dimensões (pilares de apoio, vigas e
2.3 - MEZANINO/ESTRUTURA METÁLICA escadas).
 Detalhes de solda e das chapas de base dos pilares, as quais
2.3.1 – INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO não poderão ser menores do que 25 x 25 cm e deverão ter
espessura mínima de 3/8’’.
 Detalhes dos perfis e das chapas dobradas.
Os mezaninos deverão ser projetados e executados em  Detalhe da escada
estrutura metálica. Não serão admitidos apoios ou engastes nas  Mapa de carga nos pilares.
alvenarias, nos pilares e nas vigas da estrutura do Shopping. A escada de  Memória de cálculo com indicação das cargas adotadas, o
acesso ao mezanino obrigatoriamente será metálica. peso próprio da estrutura, os tipos de revestimento e a
Será facultada a execução de paredes (desde que de gesso sobrecarga.
acartonado ou material leve similar) paralelas às paredes do Shopping,  Assinatura e CREA do profissional responsável pelos
para embutir pilares e tubulação. Nas lojas sobre terreno, estas alvenarias projetos, nos desenhos e na memória de cálculo, bem com
deverão ter sua própria fundação, independentemente das fundações do ART do profissional responsável pelo cálculo da estrutura.
Shopping.
Nas lojas sobre terreno natural ou compactado, a transferência
de carga dos pilares do mezanino para o terreno será ser feita através de
2.4 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, TELEFÔNICAS E DE
fundação assentada diretamente sobre o solo, independente das SOM
fundações do Shopping e devidamente calculada para este fim. Devem ser
evitadas quaisquer interferências com as estruturas de fundação do 2.4.1 - PROJETO ELÉTRICO
Shopping, tais como cintas e blocos de coroamento.
As fundações serão executadas considerando-se um
2.4.1.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
embutimento mínimo de 80 cm no solo e uma taxa de trabalho do terreno
Os parâmetros adotados para o cálculo de demanda máxima dispositivos de proteção contra surtos elétricos (DPS) – de
provável para cada loja tem por base a demanda constatada em responsabilidade do lojista.
estabelecimentos similares localizados em outros shoppings centers, Para todos os circuitos internos às lojas deverão ser previstos
obedecendo às normas da concessionária local e ABNT. disjuntores individuais, dimensionados de acordo com a norma NBR-5410.
Todas as instalações deverão ser executadas de acordo com a Para a proteção de equipamentos eletrônicos devera ser
norma NBR – 5410 e NR-10 atendendo às normas de segurança para a instalado no-break ou estabilizador.
proteção dos usuários e segurança contra incêndios, visando ao beneficio Deverá ser prevista a instalação de, no mínimo, dois aparelhos
do próprio lojista e à redução do prêmio de seguro contra incêndio. de iluminação de emergência autônomos (à bateria) com autonomia
As lojas satélites, âncoras e quiosques serão alimentados mínima de 1 hora, no interior da loja, salvo expresso autorização do SAL.
conforme ANEXO A. Circuitos de iluminação deverão ser independentes dos circuitos
Para as âncoras que receberem alimentação em média tensão de tomadas. Adotar condutores e de bitolas mínimas de:
deverão aprovar o projeto de subestação conforme normas técnicas da # 2,5 mm² (para circuitos de iluminação)
concessionária local e normas vigentes. A subestação deve ser locada na # 2,5 mm² (para circuitos de tomadas)
área interna das âncoras. Os eletrodutos de seção circular serão de ferro galvanizado ou
Caso haja necessidade de acréscimo de carga elétrica, além do PVC rígido, rosqueável, tipo leve, de bitola mínima de 20mm (3/4). Não
previamente estabelecido pelo contrato de locação, ele somente será serão aceitos eletrodutos flexíveis ou mangueiras.
liberado se houver disponibilidade de carga nos alimentadores principais e Os eletrodutos de seção quadrada (perfilado), caso utilizados,
na subestação elétrica do shopping. Todas as despesas decorrentes do deverão ser de chapa # 18 liso, galvanização eletrolítica, dimensões
acréscimo solicitado serão de responsabilidade do lojista interessado. indicadas em projeto, com tampa de pressão.
A área comum do Shopping receberá alimentação de energia As instalações (eletrodutos, caixas metálicas de passagem,
elétrica da concessionária de energia elétrica (em média tensão 13.800 V), tomadas, interruptores, painéis, e luminárias) deverão ser conectadas ao
para utilização e atendimento em baixa tensão (380V/220V). condutor de proteção (TERRA).
O consumo de energia elétrica (kW.h) de cada loja, âncoras e Na utilização da lâmpada dicróica, a fiação de ligação deverá ser
quiosques será medido através de leitura em medidor individualmente envolvida por duto de PVC rígido ou tubo de vidro. É vetada a utilização de
instalado pela concessionária local de serviço público, nos centros de lâmpada de néon.
medição. O custo do medidor para cargas instaladas inferiores a 26,0KW Soquetes para lâmpadas fluorescentes e incandescentes,
será cobrado diretamente pela concessionária de serviço público ao lojista, tomadas e interruptores aparentes nunca deverão ser fixados diretamente
que deverá providenciar o seu pagamento, bem como valores referentes à em peças de madeira ou material combustível.
ligação e ao consumo de energia elétrica específicos da loja locada. O Nos casos em que isso se tornar necessário, deverá ser
lojista deverá solicitar junto à CELG o pedido de ligação do respectivo instalado chapa metálica sobre a peça de madeira ou material
medidor, no máximo em 5 dias, após a disponibilidade de carga no combustível, e sobre ela instalado o equipamento elétrico. A chapa
Shopping. metálica deverá ser aterrada.
O condicionador de ar deve ser alimentado por um circuito A ligação de energia definitiva a loja, será efetuada pela equipe
trifásico (380 V) exclusivo, a partir do quadro elétrico geral da loja. técnica do lojista junto a CELG. Mediante a instalação do disjuntor no
O quadro geral da loja deverá ser, obrigatoriamente, equipado quadro de medição, após vistoria e testes das instalações no interior da
com dispositivo de seccionamento geral (disjuntor ou chave), dispositivo loja.
de proteção diferencial residual – dispositivo DR (interruptor de fuga) e
Os reatores fluorescentes deverão ser de alto fator de potência painéis e aparelhos de iluminação deverão ser conectados ao condutor de
(>0,92), partida rápida, espaços internos preenchidos com composto à Proteção (TERRA).
base de poliéster, para tensão 220 V – 60Hz, ou reatores eletrônicos. Os painéis deverão ser construídos em chapa de aço, espessura
Os reatores simples deverão ter o fator de potência corrigido mínima #16 MSG, com tratamento por processo de fosfatização ou
individualmente. equivalente. As portas deverão ser munidas de trinco e fechadura tipo
Todos os condutores de baixa tensão deverão ser de cobre YALE ou similar. Os painéis deverão ser equipados com disjuntor (ou
eletrolítico AFUMEX, isolados para tensão de 450/750 V, 70ºC, baixa chave) geral e barramentos de cobre eletrolítico para as três fases, neutro
emissão de de fumaça e gases tóxicos, devendo atender às e terra, de seção compatível com a carga instalada. Os barramentos de
especificações da NBR – 13248 da ABNT. fases e neutro deverão ser munidos de espelho interno frontal, para a
A identificação dos condutores deverá obedecer às seguintes proteção das partes vivas. As conexões internas deverão ser arranjadas
convenções: de modo a atender a uma distribuição equilibrada de cargas nas três
fases.
Os Disjuntores tripolar serão de caixa moldada, sem compensação
térmica de carcaça, mecanismo de operação manual com abertura
CIRCUITOS TRIFÁSICOS (380 V) CIRCUITO MONOFÁSICOS (220 v)
mecanicamente livre, para operações de abertura e fechamento,
Fase A .............................. Preto Fase.................................... Preto
dispositivo de disparo intercambiável, eletromecânico, de ação direta por
Fase B........................ Vermelho Retorno........................... Amarelo
sobrecorrente, com elementos instantâneos temporizados e dispositivo de
Fase C............................ Branco Neutro.......................... Azul Claro
disparo de ação direta e elemento térmico para proteção contra
Neutro........................ Azul Claro Terra.................................. Verde
sobrecargas prolongadas.
Terra................................. Verde
Os Disjuntores unipolar e termomagnético serão de características
gerais e demais requisitos e acessórios idênticos aos exigidos para o
disjuntor tripolar acima descrito.
Emendas para condutores maiores que #16,0mm² (inclusive) Os contadores tripolar, bobina 220 V – 60 Hz, tipo 3-TF, serão
deverão ser executados por meio de conectores de pressão, comprimidas equipados com o mínimo de 4 contatos auxiliares, sendo 2 NA e 2 NF, de
por meio de ferramentas apropriadas. fabricação GE, SIEMENS OU TELEMECANIQUE.
Todo isolamento de emendas e conexões de condutores será Os interruptores de fuga ou dispositivo diferencial residual (DR)
executado por meio de fita isolante plástica com isolação dupla. deverão ser apropriados para circuitos trifásicos + neutro, 30mA, para
Opcionalmente, o isolamento nas conexões de condutores, em áreas tensão nominal de 380V modelo adequado ao painel elétrico, de
internas, poderá ser feito por meio de conectores rápidos do tipo CRI. fabricação SIEMENS,FELTEN OU PIAL LEGRAND.
As caixas para abrigar interruptores e tomadas serão de chapa Todas as lojas deverão ter um circuito independente para
estampada esmaltada # 18, quando embutidas, ou alumínio fundido, tipo iluminação da vitrine, comandado por TIMER horário SIEMENS ou similar.
condulete, quando aparentes.
Todos os eletrodutos secos (sem os condutores) deverão ser 2.4.2 - PROJETO DE TELEFONE E SONORIZAÇÃO
sondados por meio de arame galvanizado diâmetro 1,65 mm.
Todas as estruturas metálicas, eletrocalhas perfilados, dutos de ar
condicionado, caixas de passagem ou ligação de interruptores e tomadas, 2.4.2.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
Cada loja receberá uma caixa de passagem com localização  Diagrama unifilar do painel de luz com indicação da
indicada no anexo 2. capacidade dos disjuntores, equilíbrio de fases e seção dos
Estarão disponíveis 2 pares para cada loja. barramentos.
Deverá o lojista, a partir daí, executar os seus pontos de telefonia,  Convenções adotadas, notas e observações relevantes.
obedecendo ao seu layout da loja. Os projetos de telefonia deverão  Detalhes executivos de instalação em consonância com
respeitar as normas da concessionária local e a ABNT. detalhes arquitetônicos e de decoração.
Cada lojista deverá providenciar junto à concessionária do serviço  Previsão de dutos específicos para o sistema de telefonia,
suas necessidades de comunicação externa (compra de telefones). sonorização e computador.
O projeto de telefone poderá ser desenhado junto ao projeto  ART do responsável técnico pela elaboração do Projeto
elétrico, desde que não haja recomendação contrária da concessionária, e Elétrico e execução elétrica conforme o mesmo.
que não dificulte o entendimento do conteúdo dos projetos.
Cabos telefônicos serão do tipo UTP-4 (atendendo rigorosamente 2.5 - INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS E DE GLP
as normas técnicas pertinentes).
Sonorização ambiental no interior da loja, caso exista, deverá ser
alimentada por fonte própria e específica da loja. 2.5.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
Cada lojista deverá providenciar sua própria fonte de sonorização
ambiental, incluindo projeto, memorial descritivo dos equipamentos, etc. Estas instruções têm por objetivo preservar e manter nas lojas o
Os projetos de sonorização e telefonia poderão ser desenhados mesmo nível de higiene, conforto e segurança dado ao empreendimento.
junto ao projeto elétrico, desde que isso não dificulte o entendimento do Os lojistas e seus prepostos deverão obedecer com todo o rigor e, no
conteúdo dos projetos. mínimo, as condições que seguem.
Todas as instalações deverão estar de acordo com as normas
2.4.3 - CONTEÚDO DOS PROJETOS NBR-5626 e NBR-8160 da ABNT, e as regulamentações da distribuidora
de GLP, atendendo às normas de segurança para a proteção dos usuários
 Toda loja deverá apresentar ao SAL projeto elétrico, lógica, e segurança contra incêndios, como extensão das medidas de segurança
telefonia e sonorização. Somente após aprovação do projeto, adotadas pela instalação geral do Shopping, para o benefício do próprio
o lojista poderá executar sua obra. lojista.
 Plantas baixas com diagramas unifilar, indicando a As lojas com atividades para a alimentação terão pontos de
distribuição dos circuitos por fase elétrica (QDF). alimentação de água potável, ligação de esgoto e gás.
 Quadro resumo da carga instalada com o cálculo da O consumo de água potável de cada loja será medido através
demanda. de leitura em medidor individual (hidrômetro), instalado pela locadora.
 Memorial descritivo e quantitativo com especificações e O custo do medidor e suas respectivas instalações serão
legendas dos materiais e equipamentos a serem utilizados. repassado ao lojista, que deverá providenciar seu reembolso à locadora,
 Previsão de iluminação de emergência em circuitos após o recebimento do comunicado.
independentes na loja (junto ao caixa) e no Mezanino Em todas as pias internas às lojas deverão ser instaladas caixas
(quando houver). de gordura individuais.
 Previsão de iluminação independente para a vitrine. A conexão do esgoto da loja com a rede do shopping será feita
pela caixa de gordura geral de cada loja.
No ponto de entrada de água potável na loja é recomendável a A vedação das roscas para tubos de gás, quando soldadas,
instalação de registro geral pelo lojista. deverá ser efetuada, preferencialmente, com litárgio com glicerina ou se
As instalações hidráulicas, sanitárias e de gás deverão ser expressamente autorizado pela distribuidora de gás, com veda-juntas à
testadas com pressão adequada, antes da liberação para revestimentos e base de ARALDITE.
fechamentos de paredes, piso e forros. Os registros esfera deverão ser construídos em bronze forjado ou
As conexões para os dutos de água deverão ser de material em aço inoxidável, e fabricação NIAGRA, DECA ou equivalente.
idêntico ao da tubulação utilizada, apropriadas para o tipo de tubo. As tubulações de gás, quando aparentes, deverão ser pintadas
Deverá ser utilizado como veda-juntas, para conexões com esmalte sintético na cor amarela.
roscáveis, pasta dos tipos: DOX, JOHN CRANE ou com fita TEFLON e As tubulações de gás, quando embutidas no solo, deverão receber
adesivo. O uso de sisal com zarcão deverá ser evitado. tratamento anti-corrosivo com duas demãos a base de asfalto betuminoso,
Os tubos de esgoto primário e de gordura, de diâmetro igual ou alcatrão ou similar, entre as quais será colocado saco de linhagem.
maior que 50 mm serão de PVC, série R tipo ponta e bolsa, de fabricação
TIGRE.
Os tubos de esgoto secundário (diâmetro de 40mm) serão de
PVC, tipo esgoto predial, tipo ponta e bolsa, de fabrição TIGRE ou 2.5.2 - CONTEÚDO DO PROJETO
FORTILIT.
Os tubos de esgoto deverão possuir declividade mínima de 2%,  Planta baixa com distribuição de pontos, tubulações, etc.
nos casos de diâmetro menor ou igual a 75 mm, e 1%, quando o diâmetro  Detalhes ampliados das instalações sanitárias – escala 1:20
for igual ou maior que 100 mm.  Detalhes ampliados das instalações hidráulicas (elevações ou
Todas as tubulações aparentes deverão ser fixadas por suportes isométricos na escala 1:20)
metálicos com espaçamentos tais que permitam boa rigidez das mesmas.  Convenções adotadas, notas e observações relevantes.
As tubulações hidráulicas e sanitárias, quando aparentes,  Detalhes executivos de instalação em consonância com
deverão ser pintadas com esmalte sintético nas cores verde claro e detalhes arquitetônicos e de decoração.
marrom, respectivamente.  Memória de cálculos e especificações de materiais
Haverá uma central de gás externa ao edifício do shopping, com  ART do responsável técnico pela elaboração dos projetos.
previsão de atendimento de gás para cada loja da praça de alimentação.
O consumo de gás de cada loja será medido através de leitura em 2.6 - SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO DE AR E
medidor individual de gás, instalado pela administração do shopping, e
reembolsado pelo lojista. EXAUSTÃO MECÂNICA
Não será permitida instalação de recipiente e equipamentos com
gás ou líquidos inflamáveis no interior da loja. 2.6.1 - INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO
Os tubos para instalação de gás interna das lojas deverão ser de
aço de carbono, tipo SHEDULE-40, sem costura, compatíveis com o nível Esta especificação visa determinar as condições técnicas básicas
de pressão indicado pela companhia fornecedora, de fabricação para projeto, fornecimento e instalação dos sistemas de Ar Condicionado e
MANNESMAN, SCAL, CONFORJA ou equivalente. Deverão ser soldados Exaustão Mecânica a serem instalados pelos lojistas.
entre si e com as conexões, por solda eletrógena, para diâmetros maiores
ou iguais a 38 mm.
Deverão ser observados as normas e códigos da ABNT, ASHRAE, Ambas as unidades têm seus locais definidos no projeto que faz parte
SMACNA, ANCA e ARI. desta especificação.
Todos os equipamentos para os sistemas descritos deverão ser de As unidades condensadoras, das lojas deverão ser instaladas na
operação silenciosa, sem vibração em quaisquer condições de carga. Nos plataforma técnica mais próxima. Assim o ideal é entrar em contato com o
casos em que equipamentos que venham a apresentar ruído ou que SAL para que você possa localizar com maior exatidão o espaço destinado
venham a perturbar as áreas ocupadas, o Instalador deverá prover todos para o seu condensador.
os serviços corretivos, uma vez que esta anormalidade será considerada Não é permitida em nenhuma hipótese a instalação do
inaceitável. equipamento de ar condicionado voltado para o mall do Shopping, e
Os materiais deverão ser novos, de classe, qualidade e grau equipamento de ar condicionado tipo portátil (janela).
adequados, e deverão estar de acordo com as últimas revisões dos Foram utilizados no cálculo e no projeto do sistema de ar
padrões da ABNT e normas acima. condicionado, os parâmetros e condições operacionais abaixo
relacionadas.
2.6.1.1 - SISTEMA DE CONDICIONAMENTO DE AR
Condições Internas
O Sistema de ar condicionado será composto por condicionadores Temperatura em bulbo seco .......................... 24.0ºC +ou-
de ar do tipo SPLIT SYSTEM individuais para cada loja ,as quais serão 2,0ºC
atendidas por um ou mais conjuntos, de acordo com as dimensões da loja,
por conseguinte, à carga térmica a que está submetida.
Umidade relativa (sem controle)....................... xxxx
- Para lojas com dimensões até 200 m2, devem-se utilizar aparelhos de ar Condições Externas
condicionado tipo SPLIT ambiente e/ou SPLIT p/dutos; Temperatura de Bulbo Seco............................. 35,0ºC
- Para lojas com dimensões acima de 200 m2, fica autorizada a utilização Temperatura de Bulbo Úmido........................... 24,5ºC
de ar condicionado CENTRAL;
Taxa de Ocupação
- As plataformas para condensadores, para lojas até 200 m2, foram
dimensionadas para carga máx. de 110 Kg/m2; Em conformidade com ABNT
- As plataformas para condensadores, para lojas acima de 200 m2, foram
dimensionadas para carga máx. de 300 Kg/m2. Nota: Caso o lojista venha utilizar o espaço da loja para fins
- A plataforma metálica dos Cinemas, âncora 08 e âncora 03, ficarão diferenciados tais como alimentação, academias de ginásticas,
locadas na área externa e não na cobertura: peso carga 300kg/m². consultórios médicos / odontológicos, bancos, o mesmo deverá
(No caso de dúvidas consultar SAL). providenciar a adequação do projeto de maneira a atender esta
utilização.
Cada conjunto é composto de uma unidade evaporadora de
ambiente, fixada no teto da loja e uma unidade condensadora, que será O sistema de ar condicionado poderá sofrer alteração no decorrer
instalada externamente, em local indicado pelo EMPREENDEDOR. Nas da obra. Portanto, o profissional responsável pelo projeto de ar
lojas com pé direito suficiente para montagem de um mezanino, foi condicionado e exaustão deverá buscar esclarecimentos antes de iniciar a
prevista a montagem da unidade evaporadora a 3,0 (três) metros do piso. sua execução, junto ao SAL.
2.6.1.2 - SISTEMA DE EXAUSTÃO MECÂNICA CHURRASQUEIRAS 0,4 a 0,6 1440 a 2160

As lojas de Alimentação deverão ser dotadas de sistema de Possuir sistemas de injeção de ar externo para reposição com
exaustão para as coifas das cozinhas. uma vazão de ar igual à vazão de ar exaustado da loja, de modo
Estas lojas deverão ser dotadas de ventiladores de exaustão e a não permitir a contaminação de áreas condicionadas;
ventiladores de captação de ar exterior para a reposição, a descarga de ar
será realizada ao nível da cobertura que será indicado pelo SAL. Obs.:
Os sistemas deverão basicamente atender às seguintes
características:  Os exaustores deverão ser instalados também sobre a laje
 Ser totalmente independentes para cada loja; técnica conforme especificada no projeto, da mesma forma
 Possuir na linha de exaustão, ventiladores que os condensadores do ar condicionado;
centrífugos de pás planas para trás (Tipo “Limit  Possuir coifas fabricadas em chapa, soldadas, devendo
Load”), com portas de inspeção na voluta; empregar bitola 20 (espessura igual a 0,91 mm), no mínimo;
 Possuir despoluidores atmosféricos e/ou retentores  Possuir coifas providas de filtros para gordura (metálicos ou
de gordura (filtros eletrostáticos localizados ou filtros inerciais);
lavadores de ar), instalados na rede de exaustão,  Possuir dutos executados em chapa de aço preta, bitola 14,
após as coifas; sendo sua execução totalmente soldada, tanto nas juntas
 Estar com os cálculos de vazão para as coifas de longitudinais como transversais de união entre diferentes
acordo com as prescrições técnicas (Tabelas seções, sendo os mesmos isolados termicamente quando
Indicativas Abaixo); atravessarem áreas condicionadas;
 Dutos de exaustão calculados para uma velocidade interna
EXAUSTÃO – Vazão de Ar mínima do ar igual a 10 m/s (em toda a sua extensão, ou
TIPO DE AMBIENTE - RENOVAÇÃO/HORA seja, desde a coifa até o ponto de descarga), de modo a
reduzir o acúmulo de gordura nas paredes internas;
Bares 6 a 12
 Possuir damper corta-fogo no duto de saída da coifa, de
Cozinhas
acionamento automático. Que deverá ser por meio de mola e
- Domésticas 15 a 30
solenóide elétrica.
- Industriais 20 a 40
 Possuir intertravamento elétrico, na operação dos sistemas
de exaustão e insuflamento auxiliar.
EXAUSTÃO LOCALIZADA – COIFA Somente no caso de sistemas de exaustão que atendam
3
APLICAÇÃO VELOCIDADE VAZÃO m /h por m2 equipamentos sem geração de gordura ou fuligem, como, por exemplo,
RECOMENDADA (m/s) na superfície da coifa fornos elétricos e banho-maria, será dispensável de damper corta-fogo e
da filtragem especial. Porém, todos os demais equipamentos, materiais,
COIFAS
intertravamento elétricos e detalhes construtivos indicados no item anterior
- Domésticas 0,5 a 0,7 1800 a 2520
deverão ser observados para montagem do sistema.
- Industriais 0,75 a 1,0 2700 a 3600
FORNOS 0,35 a 0,5 1260 a 1800
Todo fornecimento e instalação ficará a cargo do lojista (ventilador,
dutos, isolamento, térmico, etc.), bem como qualquer obra civil necessária
à instalação de materiais e/ou equipamentos, tais como a 2.6.1.3 - EQUIPAMENTOS
impermeabilização dos furos nas lajes, que deverão ser feitos, quando
necessários, com a aprovação do projetista estrutural.
A reposição do ar exaurido que atende a cozinha deverá ser feita As especificações descritas a seguir destinam-se a definir os
de forma idêntica à descrita para a captação de ar exterior para sistema de equipamentos e materiais a serem fornecidos e/ou instalados para as
ar condicionado. lojas, e deverão ser utilizadas como guia para seleção dos mesmos.
De forma alguma a tomada de ar para reposição de ar exaurido Os materiais, suas características técnicas e construtivas deverão
através dos sistemas de exaustão de coifas, cozinhas, depósitos, etc., estar de acordo com a especificação.
deverá ser realizada tornando-se ar condicionado da própria loja.
Admite-se para efeito de controle de odores que a exaustão tome Condicionadores de Ar
parte do ar proveniente de ambientes condicionados da própria loja, para
manter as áreas ventiladas em ligeira depressão em relação aos Serão utilizados condicionadores de ar de expansão direta,
ambientes condicionados.
construção tipo “Split” para ambiente, composto de uma unidade
O percentual e o ar condicionado exaurido através do sistema de
evaporadora e uma unidade condensadora.
exaustão conforme descrito acima deverá ser compensado através da
tomada de ar exterior do condicionador de ar.
O sistema de captação de ar exterior deverá ser provido Unidade Evaporadora:
basicamente de:
 Filtros de ar/Classe G1;  Gabinete: Gabinete em plástico de alta resistência,
 Ventilador para captação e insuflamento de ar; provido de bandeja com isolamento térmico, para
 Dutos fabricados em chapa de aço galvanizada, de forma recolhimento de água condensada.
a conduzir o ar desde o ponto de captação até o ponto de  Ventilador: Do tipo centrífugo, de dupla aspiração, com
injeção na loja, preferencialmente próximo as coifas; pás curvadas para frente, balanceadas estática e
 Registros de balanceamento do sistema, intertravamento dinamicamente, acionado por motor elétrico.
elétrico com o sistema de exaustão correspondente, de
forma a evitar-se a injeção de ar sem devida extração do Bandeja de Condensado
mesmo. Desta forma, o intertravamento elétrico só
deverá permitir a operação simultânea do ventilador de ar
As bandejas de recolhimento de condensado deverão formar uma
exterior.
peça única em poliestireno de alto impacto, sendo projetadas para permitir
 Todo fornecimento e instalação ficará a cargo do Lojista
um adequado escoamento de condensado, evitando a estagnação da
(ventilador, grelhas, filtros,dutos,isolamento térmico, etc.),
inclusive qualquer obra civil necessária à instalação de água e formação de mofos.
materiais e/ou equipamentos.
Compressores

Os compressores deverão ser do tipo “Scroll”, e possuir os


seguintes dispositivos de proteção: Serpentina Condensadora
 Line Break - Dispositivo montado internamente no estator
do motor compressor com a finalidade de proteger contra Deverá ser de 3 ou 4 filas de tubos de cobre grooved com
sobrecarga e superaquecimento.
diâmetro 3/8 “ expandidos contra aletas de alumínio, testados quanto a
 Relé de Seqüência de Fase – Componente instalado no
resistência e vazamentos a 420 psig e dotados de circuito de sub-
quadro elétrico da unidade condensadora com o objetivo
resfriamento.
de assegurar o sentido de rotação correto do
compressor.
 Compressor Lock-out – Componente instalado no quadro
elétrico da unidade condensadora com a finalidade de Motor e Ventilador
evitar a reciclagem automática do compressor. Após a
atuação dos pressostatos de alta ou baixa ou ainda do As unidades evaporadoras deverão utilizar ventiladores
Line Break o rearme só é possível desligando e religando centrífugos, de dupla aspiração, com pás voltadas para frente (Sirocco).
a unidade no termostato ou chave ON-OFF. Rotor em aço galvanizado, dinâmica e estaticamente balanceados,
acionados por motor elétrico e polias e correias em “V”.Deverão ser
Quadro Elétrico dimensionados com velocidade de descarga menor que 6,5 m/s e
velocidade de face menor que 2,0 m/s.
 Motor de Acionamento: será monofásico, 220 V para
Deverá ser montado em fábrica e deverá possuir fusíveis de
capacidade até 36.000 Btu/h (inclusive) e trifásico, 380 V
controle, contactores, relés de sobrecarga, relés de seqüência de fase,
para capacidade maiores que 36.000 Btu/h.
temporizador de partida.
 Evaporador: Construído de tubos de cobre sem costura,
com aletas de alumínio perfeitamente fixadas aos tubos.
Acessórios  Filtros de ar: Deverão ser do tipo padrão, de tela lavável,
instalados internamente ao equipamento.
Os equipamentos deverão ser fornecidos com, no mínimo, os  Unidade de Condensação Remota:
seguintes acessórios:  Gabinete: Em plástico de alta resistência (até 36.000
 Temporizador de partida; /btu/h, inclusive) ou em perfis de aço, com tratamento
 Pressostatos de alta e baixa, individuais, do tipo anticorrosivo para capacidades acima de 36.000 Btu/h.
miniaturizado e rearme automático;  Ventilador: Do tipo axial, com pás balanceadas estática e
 Filtro secador com conexões flangeadas e filtro de dinamicamente, acionadas por motor elétrico monofásico.
sucção;  Motor de acionamento: Do tipo de indução, para
 Válvulas de serviço 1/4 para tomada de pressão, vácuo e funcionamento contínuo.
carga de refrigerante nas linhas de sucção e líquido;  Condensador: construído de tubos de cobre sem costura,
 Comando provido de termostato eletromecânico e chave com atletas de alumínio perfeitamente ficadas aos tubos.
ON-OFF para instalação no ambiente condicionado;  Compressores: Compressores do tipo “Scroll”, utilizando
o gás R 22 como fluido refrigerante. Deverão ser providos de
pressostato de alta e baixa pressão e válvulas de serviço .
Tubulação de Interligação: Filtros Eletrostáticos

A Tubulação frigorífica deverá ser construída de tubos de cobre Os filtros eletrostáticos, para filtragem de ar de exaustão das
nas bitolas adequadas de acordo com as normas técnicas pertinentes, de coifas, deverão ser de fabricação Tuma Industrial, Tepco, Engelopes ou
modo a garantir a aplicação das velocidades corretas em cada trecho. Eletron.
Deverá haver o máximo rigor na limpeza, desidratação a vácuo e testes de O módulo de filtragem deverá ser composto por 3 estágios, sendo
pressão do circuito antes da colocação do fluído refrigerante. Deverão ser o primeiro composto por um pré-filtro, do tipo metálico lavável, o segundo
observados os comprimentos máximos das redes de acordo com os do elemento eletrostático e o terceiro por um filtro de manta pós-filtro.
fabricantes dos equipamentos. Deverão ser previstos dreno para gordura na parte inferior do
O isolamento deverá ser feito na linha de sucção, com espuma de equipamento, base de apoio para o gabinete, sistema de proteção e
polietileno ou espuma elastomérica preta. controle e um sistema de segurança para abertura das portas do filtro.
Para as lojas cujas redes frigoríficas excedem o comprimento O sistema deverá ser fornecido completo, com gabinete, portas e
máximo permitido pelo catálogo (verificar indicação), seguir as orientações módulo de ventilação e painel elétrico.
do fabricante. Deverá ser previsto o desligamento da unidade no caso de
abertura da porta ou painéis ou no caso de obstrução do filtro.
Dutos de Exaustão das Coifas
Lavadores de Ar
Deverão ser executados em chapa de aço preta, bitola 14, sendo
sua execução totalmente soldada, tanto nas juntas longitudinais como Os lavadores de ar, para filtragem do ar de exaustão das coifas,
transversais de união entre diferentes seções. deverão ser de fabricação do tipo “Wet” (úmido) ou hidrodinâmicos, filtros
Para efeito de limpeza interna, deverá ser instalada uma porta de estes que utilizam a água como elemento de coleta dos poluentes, de
visita de 60X30cm a cada 150cm de comprimento de duto, sendo esta fabricação Capmetal ou Engelopes.
porta de visita flangeada e aparafusada com parafusos de latão do tipo O gabinete deverá ser construído em chapas de aço carbono
borboleta. galvanizado, com pintura espacial, sobre duas camadas de primer. Deverá
Os dutos verticais deverão possuir dreno de gordura no ponto possuir dispositivo especial de limpeza automática.
inferior. No caso dos lavadores do tipo úmido, o sistema deverá ser
Os dutos horizontais deverão ter caimento (inclinação) de 1% em completado com a instalação de ventilador exaustor, na rede.
direção às coifas. No caso dos procipiladores hidrodinâmicos, deverá ser verificada a
relação pressão disponível X perda de carga, no dimensionamento do
equipamento.

OBS.: A DEFINIÇÃO DA VAZÃO DE AR É FUNÇÃO DO TIPO E DA


DIMENSÃO DA COIFA A SER UTILIZADA (CONFORME TABELA).
Balanceamento dos Sistemas
O projeto de proteção e combate a incêndio do Shopping é
O lojista deverá providenciar, junto ao instalador da loja, todo o composto de hidrantes estrategicamente colocados nas áreas comuns do
balanceamento do sistema que atende a loja (ar condicionado, exaustão, mall, conforme projeto aprovado pelo Corpo de Bombeiros, e extintores de
insuflamento auxiliar), de modo a garantir a operação do mesmo dentro incêndio especificados, dimensionados e distribuídos segundo as normas
dos parâmetros previstos em projeto. do Corpo de Bombeiros, nas diversas dependências do Shopping.
O balanceamento deverá ser executado no prazo a ser definido Todas as lojas, conforme o risco predominante, deverão possuir,
pelo Shopping, sendo o resultado apresentado nos formulários. no mínimo, um extintor de Pó ABC com capacidade extintora 20 B:C/ 2ª.
Havendo mezanino, será obrigatória a colocação de um extintor no
local, guarda corpo e corrimão na escada e ainda a adequação do projeto
2.6.2 - APRESENTAÇÃO DO PROJETO de combate a incêndio da loja.
Deve ser previsto iluminação de emergência em todas as lojas, a
O Lojista deverá apresentar todos os projetos do sistema que fim de garantir um nível mínimo de iluminamento de 3 lux nas áreas em
atende à loja (ar condicionado, exaustão, etc.), bem como a ART do geral e 5 lux em locais em desnível (escada).
responsável técnico pela elaboração dos projetos. A iluminação de emergência das lojas deve ter voltagem máxima
Deverão constar dos projetos todas as informações necessárias à de 30 V.
compreensão e análise dos mesmos, devendo estar claramente citados, Os extintores deverão ser dispostos de tal maneira que possam
todos os equipamentos e materiais a serem utilizados, com indicação de ser alcançados de qualquer ponto da área protegida, sem que haja
modelo e fabricante. necessidade de o operador percorrer distância superior a 20 metros.
Todos e equipamentos e materiais a serem utilizados deverão Os extintores, respectivas sinalizações e instalações das lojas
estar plenamente de acordo com a presente norma e com as disposições serão de responsabilidade dos lojistas.
dos órgãos locais. Os extintores deverão estar localizados em área de fácil
visualização e acesso, instalados a uma altura entre 0,20 e 1,60 m do piso.
2.7 – PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO No caso do extintor ser instalado no pilar deverá ser sinalizado todas as
faces do pilar.
2.7.1 – INSTRUÇÕES DE ELABORAÇÃO DE PROJETO A rede de chuveiros automáticos (sprinklers) da loja deve atender
a NBR 10.897/2007
Todas as instalações serão vistoriadas periodicamente no decurso
O lojista poderá a seu critério instalar outros equipamentos de da obra, e será feita uma vistoria final para verificação da correta execução
prevenção e combate a incêndio que julgar necessário. Exemplos: do projeto ou do atendimento às normas do corpo de bombeiros.
 Sistema de detecção e alarme; As lojas que tiverem mezanino ou necessitem ter hidrantes
 Iluminação de emergência; internamente devem ter seus projetos específicos de combate a incêndios
 Sinalização de emergência. analisados pelo Corpo de Bombeiros.
O Objetivo destas instruções é preservar a segurança do As lojas que possuírem depósitos devem sinalizar o piso abaixo do
empreendimento, ao manter nas lojas o mesmo padrão dado ao Shopping, extintor e hidrantes conforme preconiza a NT 20/2007.
atendendo também as normas da ABNT e corpo de bombeiros.
OBS:
3 - LOJAS ÂNCORAS
1. Caso no interior de alguma loja haja discordância entre os Projetos
de combate a Incêndio do Shopping e do Lojista ambos aprovados
As lojas Âncoras seguirão os padrões especificados nesta Pasta
no Corpo de Bombeiros prevalecerá a solução adotada no Projeto
Técnica salvo quando houver negociação contratual.
de Prevenção e Combate a Incêndio do lojista, pois neste último é
levado em consideração o layout da loja.
4 - INFORMAÇÕES SOBRE AS OBRAS
2. Caso haja necessidade, no decorrer da obra, pode ocorrer do
Corpo de Bombeiro local solicitar a aprovação do Projeto de 4.1 - INSTRUÇÕES GERAIS
Incêndio das lojas satélites.
Estas normas destinam-se a padronizar o relacionamento entre
2.7.2 – CONTEÚDO DO PROJETO os lojistas, seus prepostos e empregados, e o EMPREENDEDOR e o SAL
e equipe de gerenciamento da obra.
 Planta baixa com locação dos hidrantes e acionadores do O descumprimento destas normas pelo lojista e seus prepostos
alarme botoeira. (caso necessite de hidrantes dentro da loja). poderá acarretar o embargo das obras das lojas, ou impedimento do início
 Planta baixa com localização dos extintores no primeiro piso e das mesmas, até que seja corrigida a irregularidade observada.
mezanino. Durante o período de obras, a equipe de fiscalização e
 Indicação da iluminação de emergência coordenação de obras do SAL terá livre acesso ao interior dos canteiros
 Indicação da sinalização de emergência de obra das lojas, para fiscalizar e acompanhar a evolução dos serviços.
 Indicação da rede de chuveiros automático (sprinklers) Fica assegurada ao EMPREENDEDOR a prioridade na
especificando diâmetro e cotas execução de serviços do Shopping em relação aos serviços a serem
 Legenda com identificação dos tipos de extintores executados pelo lojista, quando houver simultaneidades na execução dos
 Plantas de corte longitudinal e transversal mesmos, a fim de ser preservada a data da inauguração do Shopping.
 Implantação da loja no shopping O lojista ou seus prepostos deverão cumprir as leis, normas e
portarias que regulam a Segurança no Trabalho, além das instruções
2.7.3 – MEMORIAL MODELO SIMPLIFICADO OU contidas nesta Pasta Técnica.
COMPLETO (caso seja dado entrada no Corpo de Caberá exclusivamente ao lojista as providências necessárias
para obtenção do alvará de funcionamento de sua loja. E os lojistas da
Bombeiros) Praça de Alimentação também deverão providenciar aprovação do projeto
junto a Vigilância Sanitária Regional.
As lojas que não necessitem ter hidrantes em seu interior devem Todas as providências e custos relativos a obra, tais como
preencher o memorial modelo simplificado e as que tiverem hidrantes licenças, habite-se, taxas ou impostos de qualquer natureza correrão por
devem preencher o memorial modelo completo. Ambos os modelos de conta dos lojistas.
memoriais constam do site do Corpo de Bombeiros do Estado.
www.bombeiros.go.gov.br.
4.2 - CONDIÇÕES BÁSICAS PARA O INÍCIO DAS OBRAS obra da loja, para que sejam providenciados os crachás de
identificação, emitidos pelo EMPREENDEDOR.
 Apresentar cópia da Apólice de Seguros contra Incêndios e
São condições indispensáveis para o início das obras civis e de
Risco de Engenharia, com cobertura para Responsabilidade
decoração da loja:
Civil Cruzada, tendo em vista que os danos causados ao
 Estar o lojista absolutamente em dia com suas obrigações,
Shopping e aos lojistas, dos trabalhos de obras civis
bem como não estar inadimplente com relação a quaisquer
executados na obra de sua loja, não estão cobertos pelo
das disposições contidas nos diversos instrumentos firmados
Seguro de Responsabilidade Civil do Condomínio.
entre ele e o EMPREENDEDOR.
 Obter, junto ao SAL, o termo de Autorização para o início das
 Ter obtido do SAL do EMPREENDEDOR a liberação de todos
obras, que deverá ser afixado no lado externo do tapume, em
os seus projetos.
local de fácil visualização.
 Atender, na elaboração de seus projetos, além das
disposições previstas nesta pasta técnica, às posturas e
imposições legais e administrativas das autoridades
competentes, dos órgãos públicos municipais e estaduais, da 4.3 - ENTRADA, TRANSPORTE E GUARDA DE MATERIAIS
saúde pública, das concessionárias locais e da companhia de
seguros. A Descarga e entrega de qualquer mercadoria ou material do
 Apresentar a licença de obras, emitida pela Prefeitura lojista deverá ser realizada pelo acesso indicado pela fiscalização do
Municipal de Patos de Minas-MG, e pelas concessionárias EMPREENDEDOR.
locais, se assim o exigido por elas. As notas fiscais que acompanharem materiais ou mercadorias
 Ter assinado o Termo de Recebimento da loja, obtido junto destinadas aos Lojistas deverão conter a identificação de destinatário
ao SAL. (Razão Social), o endereço do destinatário, o nome fantasia com a qual a
 Ter executado o tapume padrão de fechamento da loja. loja se estabelecerá no Shopping, o número da loja e o local de entrega
Todas as lojas serão fechadas com Tapume padrão, Avenida Presidente Tancredo Neves, nº 100, Setor Epaminondas –
conforme ANEXO 1 desta Pasta Técnica. A construção do Jataí/GO.
tapume é a única atividade liberada para a execução, A descarga de mercadoria ou material destinado ao lojista
independente da liberação dos projetos de arquitetura e somente será permitida com presença de seu preposto ou representante
técnicos da loja. legal, que se responsabilizará pelo recebimento.
 Ter instalado, no interior da loja, extintores de incêndio, Não é da responsabilidade do Shopping receber ou guardar
conforme solicitação do SAL. qualquer mercadoria destinada ao lojista, não estando qualquer
 Comunicar, com pelo menos 5 dias de antecedência, ao SAL, funcionário vinculado ao Shopping autorizado a fazê-lo.
a data do início da obra, para que possa ser providenciada a Os veículos destinados ao transporte de materiais ou mercadorias
ligação de energia provisória da loja. permanecerão no local de carga e descarga apenas o tempo estritamente
 Encaminhar ao EMPREEENDEDOR uma carta com relação necessário para a realização do serviço que se destinam.
das firmas contratadas para execução das instalações A carga e descarga de materiais serão feitas em um trecho do
comerciais, bem como o nome, o número do documento de estacionamento da frente do Shopping. O trecho será definido pela
identidade e a função dos funcionários que trabalharão na fiscalização oportunamente.
Qualquer material ou ferramenta encontrado nas partes comuns canteiro de obras, podendo, a seu critério, mandar abrir malas, pastas,
será considerado abandonado e sujeito à remoção. embrulhos, caixas, etc.
Os materiais abrasivos serão transportados em sacos plásticos
fechados. 4.5 - EXECUÇÃO DOS TRABALHOS
As argamassas poderão ser do tipo pré-fabricadas, fornecidas e
transportadas em sacos plásticos lacrados.
Materiais, máquinas e equipamentos que não possam ser O canteiro de obras de cada loja é o seu próprio espaço físico,
conduzidos manualmente deverão ser transportados com carinhos com limitado pelo tapume, sendo absolutamente vedada a utilização de
rodas de borracha. qualquer área comum do Shopping para esse fim.
Os condutores dos carrinhos deverão ser alertados para o risco de Os enchimentos de piso, para atender a imposição de projetos, e
possíveis prejuízos que poderão causar ao Shopping ou terceiros, quando com altura sujeita a aprovação projetista estrutural terão que ser
na condução dos mesmos. executados com materiais leves tipo bloco de concreto celular, sinasita,
O entulho e o lixo produzido no decorrer das obras da loja deverá, argila expandida, etc., não sendo permitido utilização de entulho.
permanentemente, ser depositado nos locais indicados pelo SAL. Todo o entulho deverá ser recolhido para a área externa ao
A guarda de materiais, ferramenta, peças de acabamento ou Shopping determinada pela EMPREENDEDORA. A obra que despejar
decoração da loja é de inteira competência do lojista e de seus prepostos, entulho no mall será paralisada até que o entulho seja recolhido.
não podendo a EMPREENDEDORA, na hipótese de um sinistro de furto, O entulho deverá ser ensacado para transporte até as caçambas,
ser responsabilizada ou penalizada. não poderá, em hipótese alguma, ser conduzido a granel.

4.4 - ENTRADA E PERMANÊNCIA DE PESSOAL


4.6 - APOIO AOS LOJISTAS
Para entrada no canteiro de obras, bem como no canteiro
O EMPREENDEDOR instalará, em locais estratégicos da obra,
específicos de cada loja, toda e qualquer pessoa só terá acesso se
pontos de abastecimento de água para desenvolvimento dos trabalhos.
previamente identificada e qualificada. O EMPREENDEDOR fará expedir
Não haverá instalação de telefones nas lojas para uso lojista ou
crachás padronizados a serem solicitados pelos lojistas, para todos que
seus prepostos. Haverá um local externo, indicado pela equipe do
participarem da execução das obras nas lojas. O uso do crachá será
EMPREENDEDOR, com telefones públicos, para este fim.
obrigatório durante a permanência na obra.
Para melhor controle da segurança e disciplina, todos os operários
das obras de lojistas terão acesso e saída por portaria própria, onde 4.7 - HORÁRIO DE TRABALHO
deverão se identificar.
É obrigatória a utilização do crachá e EPI necessário. O horário de trabalho, no canteiro de obras, será das 7:00 às
Será concedido crachá de visitante às pessoas credenciadas 18:00 horas, de segunda a sexta-feira e 7:00 às 12:00 horas aos sábados.
pelos lojistas que venham esporadicamente às obras. No caso de trabalho extraordinário, o lojista será o único
O EMPREENDEDOR, através de seus prepostos, poderá responsável pelo atendimento às posturas municipais, estaduais e do
proceder revista em qualquer pessoa que desejar entrar ou sair do Ministério do Trabalho.
_

O lojista deverá solicitar o Shopping, por escrito e com 1 dias de Os sinistros de incêndios ocorridos em obras dessa natureza
antecedência, autorização para executar serviços em horas extras. Na surgem, na maioria das vezes, por curto circuitos das instalações elétricas,
solicitação, estarão relacionados os funcionários que permanecerão nas lâmpadas superaquecidas sobre material combustível, cigarros acesos,
dependências das lojas e o tempo necessário. A autorização deverá ser vapores voláteis das colas de contato usadas na aplicação de laminados
afixada em local visível no tapume. ou carpetes. Deverá ser observado rigoroso controle das normas de
Aqueles que se encontrarem trabalhando fora do horário normal segurança, sendo o lojista ou seus prepostos responsáveis pelos danos
e/ou extraordinário, sem autorização, serão retirados do canteiro de obras que vier a causar, quer por atos de negligência ou inépcia. As apólices de
do Shopping. seguro devem cobrir este risco.
É vedada a estocagem de materiais inflamáveis, explosivos,
4.8 - ALOJAMENTO, LOCAL PARA REFEIÇÕES E substâncias tóxicas ou que exalem odores dentro das lojas, mesmo
durante a execução das obras.
SANITÁRIOS.
Caberá ao lojista ou a seus prepostos a fiscalização e
obrigatoriedade no uso dos dispositivos de segurança e de identificação
É terminantemente proibida a instalação de alojamento no interior, dos seus funcionários, durante o período de permanência no canteiro de
no canteiro de obras ou em qualquer dependência do Shopping. obras.
Por motivo de segurança, não será permitido acender fogueiras ou
qualquer tipo de fogareiros no interior das lojas ou do Shopping.
A fiscalização de campo do EMPREENDEDOR fará previsão de 4.10 - COMPORTAMENTO NO CANTEIRO DE OBRAS
instalações sanitárias de uso comum.
Todas as regulamentações, instruções, circulares, avisos e
4.9 – SEGURANÇA DO TRABALHO NA OBRA demais disposições, enviadas pelo EMPREENDEDOR ao lojista ou a seus
prepostos, deverão ser pronta e amplamente divulgadas aos seus
empreiteiros de sorte nortear o comportamento da equipe de operários no
É de responsabilidade integral do lojista e seus prepostos fazer
canteiro de obras.
cumprir todas as normas, leis, portarias e regulamentos relativos à
O EMPREENDEDOR fiscalizará, com todo rigor, a observância
segurança do trabalho e proteção coletiva, independente do preceituado
às regras de comportamento no interior do canteiro de obras,
nas presentes normas.
principalmente no que diz respeito às medidas de segurança e higiene no
O lojista deverá fornecer equipamentos de segurança e proteção
trabalho.
individual recomendados para as atividades executadas nas dependências
É terminantemente proibido o consumo de bebidas alcoólicas
de sua loja para seus empregados e visitantes.
dentro do canteiro de obras. Será afastado todo aquele que estiver
As recomendações feitas pelos supervisores de segurança do
portando ou fazendo uso de bebidas alcoólicas, ou em estado de
trabalho da construtora, sobre as questões de segurança, higiene,
embriaguez.
arrumação e limpeza deverão ser acatadas pelos lojistas, seus prepostos
Será também afastado todo aquele que, a critério do
e contratados.
EMPREENDEDOR, estiver agindo de modo inconvenientemente ou
Durante o período de execução das obras de instalações das lojas
prejudicando, por qualquer forma ou a qualquer pretexto, o bom
será obrigatório a existência de extintores de incêndio no canteiro de cada
desenvolvimento do serviço.
lojista.
4.11 - FISCALIZAÇÃO 4.13 - OBRAS APÓS A INAUGURAÇÃO

O SAL poderá, a qualquer tempo, exigir a reparação de qualquer Nas obras que se estenderem após a inauguração da expansão,
falha de natureza técnica, relacionada a especificações, qualidade ou as atividades que impliquem em ruído, poeira ou propagação de odores
quantidade dos materiais empregados, bem como solicitar o refazimento desagradáveis só poderão ser feitas no horário de 23:30 às 09:00 horas.
de qualquer serviço executado em desacordo com os projetos por ela Os serviços que não acarretarem incômodo aos usuários do
liberado. Shopping poderão ser executados no período de 9:00 às 23:30 horas, sem
O não atendimento às solicitações de fiscalização, por parte do a retirada do tapume colocado para a inauguração.
lojista seus prepostos, ou de qualquer de seus contratados, poderá Caso seja necessário executar obras na fachada da loja, o
implicar na interdição dos serviços e, ainda, na aplicação das sanções. tapume poderá ser removido até 0,50 cm para o mall, resguardando o
O EMPREENDEDOR, através do SAL, poderá exigir, a seu Shopping de eventuais prejuízos, que se houver serão arcados pelo lojista.
critério, a substituição de qualquer dos contratados do lojista que não Materiais e mercadorias somente poderão entrar no horário de
esteja satisfazendo a qualquer dos preceitos éticos e ou profissionais 23:30 às 9:00 horas.
quanto a qualidade, quantidade, prazos ou o bom andamento dos serviços. As normas aqui contidas quanto a responsabilidade, entrada,
A fiscalização do EMPREENDEDOR não exclui a trânsito e permanência de pessoal e de materiais deverão ser fielmente
responsabilidade do lojista pelo emprego de materiais e técnicas cumpridas.
inadequadas de construção, uma vez que se destina apenas a
acompanhar os trabalhos fazendo cumprir as normas do shopping. A falta 4.14 - DISPOSIÇÕES FINAIS
de objeção por parte do EMPREENDEDOR a qualquer serviço executado
não significa a aprovação deste, podendo ser exigida, a qualquer tempo,
sua retificação, mesmo após a inauguração da loja. Eventuais modificações que venham a ser implementadas nesta
pasta técnica serão imediatamente comunicadas por escritos aos lojistas.
Esclarecidos adicionais poderão ser obtidos junto ao SAL
4.12 - LIBERAÇÃO DA LOJA PARA INAUGURAÇÃO durante a obra, ou junto à administração do Shopping, se após a
inauguração.
A três dias do término das obras o SAL fará uma vistoria geral Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Técnica ou
das lojas para avaliação das que estiverem em condições de inauguração. pela administração do Shopping.
O tapume das lojas sem condições de inauguração será
removido e substituído por outro pelo Shopping, com custo a ser coberto e
de conhecimento prévio do lojista, sendo suspensas as obras no prazo a
ser estabelecido.
As lojas com obras suspensas poderão retomá-las após a
inauguração do Shopping.