Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS – DFCH

CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

DISCENTE: MATHEUS AMORIM DA SILVA – TURMA 2016.1

RESUMO: “A IMPORTÂNCIA DA ESTATÍSTICA PARA O PROCESSO DE


TOMADA DE DECISÃO” – SÉRGIO APARECIDO IGNÁCIO

Neste texto intitulado “a importância da estatística para o processo de


conhecimento e tomada de decisão”, o autor Sérgio Aparecido Ignácio busca de
maneira enfática chamar a atenção para a necessidade de se compreender a
estatística para além de suas aplicações mais populares e suas expressões
cotidianas mais gerais. Instrumento basilar para a construção, manutenção e
direcionamento dos governos dos estados nacionais, a estatística promove
inúmeras e diversas formas de se analisar a realidade, tendo estado presente
nas empresas (públicas e privadas), universidades, centros de pesquisa, etc.

Para elucidar a importância da estatística, o autor nos propõe uma análise


a partir de dois tópicos principais: a partir de uma síntese histórica do objeto e
dá aplicação real da estatística nas organizações privadas e no governo.

O autor reforça que a estatística remonta a quatro mil anos antes de cristo
e que suas primeiras aparições tem atestação na bíblia. As preocupações que
promoveram a criação dessa ciência eram inicialmente apenas como forma de
se mensurar a quantidade populacional do povo, para que os imperadores e
governantes pudessem ter a ideia dos seus domínios, tanto no que se refere as
pessoas, quanto aos guerreiros.

A partir do século XVI, as nações, que agora buscam poder econômico e


comércio, utilizam de métodos e instrumentos que viriam futuramente a
configurar a estatística tal qual nós conhecemos hoje. Sendo uma forte aliada
dos governantes dos estados – que é de onde nasce o seu nome (do latim
STATU, que significa estado) – a coleta de informações sobre a poulação e a
produção de bens e serviços foram o pontapé inicial para a compreensão
científica da estatística.

Apenas no século XIX que a estatística começou a ser maior difundida


como método a ser desenvolvido em várias áreas do conhecimento, e a partir do
século XX passou a ser incorporada nas grandes corporações, passando a ser
então considerada de fato uma disciplina. Então, após a virada do século, a
estatística está presente em vários setores da sociedade, dando a cada fator das
cidades e países, análises profundas sobre o modo de operação das mesmas.

Na segunda parte do texto, o autor reitera a importância da estatística


levando em consideração sua aplicação na realidade, mais no que se refere as
organizações públicas e privadas. Nesse sentido, os meios de comunicação, que
utilizam de informações como nível populacional e indicadores ssocio-
economico; a medicina que usa da estatística para verificar a o grau de
verificabilidade de fármacos levando em consideração a eficácia na população;
como estratégia dos estados nacionais para verificar a rentabilidade de
atividades econômicas, como por exemplo, o setor agropecuário. Todas essas
aplicações reforçam o ponto do autor pra comprovar a variedade de aplicações
do método estatístico.

O autor, no decorrer do texto, fundamenta a ideia de que o método


estatístico, para além do método, é uma forma de apreensão do mundo que vai
além da concepção do senso comum, reduzindo está ciência a apresentação de
gráficos e tabelas na apresentação de um dado. Coleta, verificabilidade e análise
de dados indicam que a estatística caminha passos sólidos de uma ciência
estabelecida e que serve de base para muito outros estudos de diversas áreas.
Nesse sentido, Sérgio Ignácio foi bem claro ao sintetizar que o uso da estatística
está implicado nas entrelinhas do funcionamento das cidades e dos estados
nacionais, fazendo com que se reconheça mais a estatística enquanto ciência.