Você está na página 1de 14

Shopia Game

1º ANO FILOSOFIA

1) (UFU – 1999/1)

Parmênides de Eléia, filósofo pré-socrático, sustentava que


I- o ser é.
II- o não-ser não é.
III- o ser e o não-ser existem ao mesmo tempo.
IV- o ser é pensável e o não-ser é impensável.
Assinale

a) se apenas I, II e IV estiverem corretas.


b) se apenas II, III e IV estiverem corretas.
c) se apenas I, II e III estiverem corretas.
d) se todas as afirmativas estiverem corretas
e) se apenas I, III e IV estiverem corretas.

2) (Uncisal 2012)

O período pré-socrático é o ponto inicial das reflexões filosóficas. Suas discussões se


prendem a Cosmologia, sendo a determinação da physis (princípio eterno e imutável
que se encontra na origem da natureza e de suas transformações) ponto crucial de toda
formulação filosófica. Em tal contexto, Leucipo e Demócrito afirmam ser a realidade
percebida pelos sentidos ilusória. Eles defendem que os sentidos apenas capturam uma
realidade superficial, mutável e transitória que acreditamos ser verdadeira. Mesmo que
os sentidos apreendam “as mutações das coisas, no fundo, os elementos primordiais
que constituem essa realidade jamais se alteram.” Assim, a realidade é uma coisa e o
real outra. Para Leucipo e Demócrito a physis é composta

a) pelos átomos.
b) pelo ilimitado.
c) pela água.
d) pelo fogo.
e) pelas quatro raízes: o úmido, o seco, o quente e o frio.

3) (UFAM/2008)

Sobre o pensamento de Heráclito de Éfeso, marque a alternativa INCORRETA.

a) Para Heráclito, a guerra (pólemos) é o princípio regulador da harmonia do


mundo.
b) Segundo Heráclito, a realidade do Ser é a imobilidade, uma vez que a luta
entre os opostos neutraliza qualquer possibilidade de movimento.
c) Heráclito concebe o mundo como um eterno devir, isto é, em estado de
perene movimento. Nesse sentido, a imobilidade apresenta-se como uma
ilusão.
d) Segundo Heráclito, o um é múltiplo e o múltiplo é um.
4) (UEM/2012)

Os filósofos pré-socráticos tentaram explicar a diversidade e a transitoriedade


das coisas do universo, reduzindo tudo a um ou mais princípios elementares, os
quais seriam a verdadeira natureza ou ser de todas as coisas. Assinale o que for
incorreto.

a) Tales de Mileto, o primeiro filósofo segundo Aristóteles, teria afirmado "tudo é


água", indicando, assim, um princípio material elementar, fundamento de toda a
realidade.
b) Heráclito de Éfeso interessou-se pelo dinamismo do universo. Afirmou que
nada permanece o mesmo, tudo muda; que a mudança é a passagem de um
contrário ao outro e que a luta e a harmonia dos contrários são o que gera e
mantém todas as coisas.
c) Parmênides de Eléia afirmou que o ser não muda. Deduziu a imobilidade e a
unidade do ser do princípio de que "o ser é" e "o não-ser não é", elaborando
uma primeira formulação dos princípios lógicos da identidade e da não-
contradição.
d) As teorias dos filósofos pré-socráticos foram pouco significativas para o
desenvolvimento da filosofia e da ciência, uma vez que os pré-socráticos
sofreram influência do pensamento mítico, e de suas obras apenas restaram
fragmentos e comentários de autores posteriores.
e) Para Demócrito de Abdera, todo o cosmo se constitui de átomos, isto é,
partículas indivisíveis e invisíveis que, movendo-se e agregando-se no vácuo,
formam todas as coisas; geração e corrupção consistiriam, respectivamente, na
agregação e na desagregação dos átomos.
5) (UFSJ/2013) Muitas vezes, somos surpreendidos pela compreensão “naturalista” que
os primeiros pensadores da escola jônica tiveram da realidade. Tales de Mileto dizia
que “tudo é água”. Essa atitude, que pode parecer mitológica ou científica, possibilitou,
segundo Hegel nas suas Preleções sobre a História da Filosofia, o nascimento do
pensamento filosófico porque aí começa:

a) uma compreensão natural da natureza


b) uma aproximação do ente imediato
c) uma aproximação da percepção sensível
d) um distanciamento da percepção sensível
e) uma interpretação objetiva da realidade

6) (Ufu 2013) De um modo geral, o conceito de physis no mundo pré-socrático expressa


um princípio de movimento por meio do qual tudo o que existe é gerado e se corrompe.
A doutrina de Parmênides, no entanto, tal como relatada pela tradição, aboliu esse
princípio e provocou, consequentemente, um sério conflito no debate filosófico posterior,
em relação ao modo como conceber o ser.
Para Parmênides e seus discípulos:

a) A imobilidade é o princípio do não-ser, na medida em que o movimento está em tudo o


que existe.
b) O movimento é princípio de mudança e a pressuposição de um não-ser.
c) Um Ser que jamais muda não existe e, portanto, é fruto de imaginação especulativa.
d) O Ser existe como gerador do mundo físico, por isso a realidade empírica é puro ser,
ainda que em movimento.

7) (Ueap 2011) ...que é e que não é possível que não seja,/ é a vereda da Persuasão
(porque acompanha a Verdade); o outro diz que não é e que é preciso que não seja,/
eu te digo que esta é uma vereda em que nada se pode aprender. De fato, não poderias
conhecer o que não é, porque tal não é fatível./ nem poderia expressá-lo.
(Nicola, Ubaldo. Antologia ilustrada de Filosofia. Editora Globo, 2005.)

O texto anterior expressa o pensamento de qual filósofo?


a) Aristóteles, que estabelecia a distinção entre o mundo sensível e o inteligível.
b) Heráclito de Éfeso, que afirmava a unidade entre pensamento e realidade.
c) Tales de Mileto, que afirmava ser a água o princípio de todas as coisas.
d) Parmênides de Eleia, que afirmava a imutabilidade de todas as coisas e a unidade entre
ser e pensar, ser e conhecimento.
e) Protágoras, que afirmava que o homem é a medida de todas as coisas, que o ser é e o
não ser não é.
8) (Uenp 2011) Mario Quintana, no poema “As coisas”, traduziu o sentimento comum
dos primeiros filósofos da seguinte maneira: “O encanto sobrenatural que há nas coisas
da Natureza! [...] se nelas algo te dá encanto ou medo, não me digas que seja feia ou
má, é, acaso, singular”. Os primeiros filósofos da antiguidade clássica grega se
preocupavam com:

a) Cosmologia, estudando a origem do Cosmos, contrapondo a tradição mitológica


das narrativas cosmogônicas e teogônicas.
b) Política, discutindo as formas de organização da polis e estabelecendo as regras
da democracia.
c) Ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores e da vida virtuosa.
d) Epistemologia, procurando estabelecer as origens e limites do conhecimento
verdadeiro.
e) Ontologia, construindo uma teoria do ser e do substrato da realidade.

9) (Ufpe 2011) As reflexões sobre o mundo e as relações sociais fazem parte da


construção da Filosofia, desde os seus primórdios. Na Grécia, o pensamento
filosófico foi muito importante para a organização da sua sociedade e o
estabelecimento de uma visão crítica de suas manifestações culturais. Uma das
figuras marcantes da Filosofia Grega foi Parmênides, que:
a) defendia a concepção de um universo composto pelos quatro elementos
fundamentais da natureza (a água, o fogo, a terra, o ar) em constantes
movimentos circulares.
b) seguiu as teorias de Heráclito sobre a permanência do sagrado e dos mitos,
como princípios básicos da realização religiosa da sociedade, em todos os
tempos.
c) se posicionou contra as teorias políticas dos mais democratas, pois achava a
escravidão necessária para se explorar as riquezas e facilitar a organização da
economia.
d) influenciou em muito o pensamento idealista da filosofia ocidental, dando
destaque à ideia de permanência e considerando o movimento como uma ilusão
dos sentidos.
e) estabeleceu orientações fundamentais para o pensamento de Aristóteles, de
quem foi mestre, articulando as bases de uma lógica dualista com a concepção
de governo monárquico vitalício.
10) A filosofia grega parece começar com uma ideia absurda, com a proposição: a água
é a origem e a matriz de todas as coisas. Será mesmo necessário deter-nos e levá-la a
sério? Sim, e por três razões: em primeiro lugar, porque essa proposição anuncia algo
sobre a origem das coisas; em segundo lugar, porque o faz sem imagem e fabulação; e
enfim, em terceiro lugar, porque nela, embora apenas em estado de crisálida, está
contido o pensamento: Tudo é um.

NIETZSCHE, F. Crítica moderna. In: Os pré-socráticos. São Paulo: Nova Cultural,


1999.

O que, de acordo com Nietzsche, caracteriza o surgimento da filosofia entre os gregos?

a) O impulso para transformar, mediante justificativas, os elementos sensíveis em


verdades racionais.

b) O desejo de explicar, usando metáforas, a origem dos seres e das coisas.

c) A necessidade de buscar, de forma racional, a causa primeira das coisas existentes.

d) A ambição de expor, de maneira metódica, as diferenças entre as coisas.

e) A tentativa de justificar, a partir de elementos empíricos, o que existe no real.

11) O que implica o sistema da pólis é uma extraordinária preeminência da palavra


sobre todos os outros instrumentos do poder. A palavra constitui o debate
contraditório, a discussão, a argumentação e a polêmica. Torna-se a regra do jogo
intelectual, assim como do jogo político.

VERNANT, J.P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Bertrand, 1992


(adaptado).

Na configuração política da democracia grega, em especial a ateniense, a ágora tinha


por função

a) agregar os cidadãos em torno de reis que governavam em prol da cidade.

b) permitir aos homens livres o acesso às decisões do Estado expostas por seus
magistrados.

c) constituir o lugar onde o corpo de cidadãos se reunia para deliberar sobre as


questões da comunidade.

d) reunir os exércitos para decidir em assembleias fechadas os rumos a serem


tomados em caso de guerra.

e) congregar a comunidade para eleger representantes com direito a pronunciar-se em


assembleias.
12) Observe o texto a seguir sobre a gênese do pensamento filosófico:

Entre o fim do VII século e o começo do VI a.C., o problema cosmológico é o primeiro a


destacar-se claramente como objeto de pesquisa sistemática diferente do impreciso
complexo de problemas que já ocupavam a mente dos gregos ainda antes do surgir de
uma reflexão filosófica verdadeira e própria.
(MONDOLFO, Rodolfo. O Pensamento Antigo, São Paulo: Mestre Jou, 1966, p. 31.)

O texto retrata, com clareza, o problema cosmológico, objeto de estudo da filosofia

a) Socrática.
b) Platônica.
c) Pré-socrática.
d) Mítica.
e) Pós-socrática.

13) Esta ordem do mundo não a criou nenhum dos deuses, nem dos homens, mas
sempre existiu e existe e há de existir: fogo sempre vivo, que se acende com medida e
com medida se extingue.
Heráclito. Fragmento 30. In: Geoffrey Kirk et al. Os filósofos pré-socráticos. Trad.
Carlos A. L. Fonseca. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian, 2010, p. 205 (com
adaptações).

Tendo como referência o fragmento de texto apresentado, do filósofo pré-socrático


Heráclito de Éfeso, que afirmava que o fogo seria o princípio de todas as coisas, julgue
o item a seguir.
O fragmento de texto remete a uma ideia comum aos filósofos pré-socráticos: evitar
explicações que relacionassem os fenômenos naturais às vontades de deuses.

a) Certa

b) Errada
14) Todas as coisas são diferenciações de uma mesma coisa e são a mesma coisa. E
isto é evidente. Porque se as coisas que são agora neste mundo – terra, água, ar e fogo
e as outras coisas que são agora neste mundo – , se alguma destas coisas fosse
diferente de qualquer outra, diferente em sua natureza própria e se não permanecesse
a mesma coisa em suas muitas mudanças e diferenciações, então não poderiam as
coisas, de nenhuma maneira, mistura-se umas às outras, nem fazer bem ou mal umas
às outras, nem a planta poderia brotar da terra, nem um animal ou qualquer outra coisa
vir à existência, se todas as coisas não fossem compostas de modo a serem as mesmas.
Todas as coisas nascem, através de diferenciações, de uma mesma coisa, ora em uma
forma, ora em outra, retomando sempre a mesma coisa.
DIÓGENES. In: BORNHEIM, G. A. Os filósofos pré-socráticos. São Paulo: Cultrix, 1967.

O texto descreve argumentos dos primeiros pensadores, denomindos pré-socráticos.


Para eles, a principal preocupação filosófica era de ordem

a) cosmológica, propondo uma explicação racional do mundo


fundamentada nos elementos da natureza.

b) política, discutindo as formas de organização da pólis ao estabelecer as


regras da democracia.

c) estética, procurando investigar a aparência dos entes sensíveis.

d) hermenêutica, construindo uma explicação unívoca da realidade.

e) ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores virtuosos que tem a


felicidade como o bem maior.

15) Alguns historiadores e pensadores consideram que a filosofia tem data e local de
nascimento. Ela teria surgido nas colônias gregas da Ásia Menor no séc. VII a.C.
inaugurando assim o período chamado Pré-socrático. Dentre as características desse
primeiro período da filosofia grega destaca-se

a) que a filosofia em sua origem defende a tese da verdade revelada


baseada em mistérios inacessíveis à razão humana.
b) que a filosofia surge como cosmologia, compreensão racional da
ordem cósmica e como monismo, buscando um princípio único
originário de todas as coisas.
c) a criação de modelos cosmogônicos e teogônicos capazes de
oferecer uma explicação racional para a origem e as mudanças que
afetam o homem e seu mundo.
d) que a invenção da escrita, da moeda, da política e do calendário
tornou-se obstáculo para o desenvolvimento da capacidade de
abstração do homem grego.
16) A primeira escola filosófica grega é a de Mileto e seus principais representantes são
Tales, Anaximandro e Anaxímenes.
Esses filósofos são considerados monistas, pois propõem

a) um único elemento como princípio original de tudo.


b) dois elementos principais como princípio original de tudo.
c) três elementos como princípio original de tudo.
d) quatro elementos principais como princípio original de tudo.
e) vários elementos como princípio original de tudo.

17) A Filosofia nasceu na Jônia no final do século VII a.C. O conteúdo que norteia a
preocupação dos filósofos jônicos é de natureza:

a) Mitológica.
b) Antropológica.
c) Religiosa.
d) Cosmológica.
e) Política.

18) Podemos caracterizar a mitologia como resultante dos primeiros esforços do ser
humano no Ocidente para dar explicações para as coisas e atribuir sentido à realidade.
Com base nesta compreensão, é correto afirmar:

a) Os mitos foram as primeiras formas de manifestação escrita


do homem no Ocidente e, nesse sentido, podem ser
considerados registros fiéis da realidade no período pré-
clássico.
b) O período mitológico teve pouca relevância para a história da
humanidade, na medida em que se baseava sempre na
religião predominante e, como tal, cumpriu um papel de
dominação do homem.
c) Os mitos cumprem um papel importante na história do
pensamento ocidental, dada, entre outras coisas, sua
importância para o nascimento da filosofia.
d) A filosofia dos filósofos pré-socráticos construiu-se como uma
radical oposição aos relatos mitológicos, rebatendo as ilusões
epistemológicas e respondendo aos anseios de cientificidade
da época.
e) Mito e filosofia pré-socrática se confundem. O que os
diferencia é o rigor metodológico dos primeiros filósofos.
19) “Anaxímenes de Mileto disse que o ar é o elemento originário de tudo o que existe,
existiu e existirá, e que outras coisas provêm de sua descendência. Quando o ar se
dilata, transforma-se em fogo, ao passo que os ventos são ar condensado. As nuvens
formam-se a partir do ar por filtragem e, ainda mais condensadas, transformam-se em
água. A água, quando mais condensada, transforma-se em terra, e quando
condensada ao máximo possível, transforma-se em pedras.”
(BURNET, J. A aurora da filosofia grega. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2006). (adaptado).
Filósofos de diferentes momentos históricos desenvolveram teorias que buscam
explicar a origem do universo. A fundamentação teórica de Anaxímenes faz parte de
uma tendência denominada de:

a) Atomismo
b) Monismo
c) Pluralismo
d) Relativismo
e) Ceticismo

20) “Pois pensar e ser é o mesmo”


Parmênides, Poema, fragmento 3, extraído de: Os filósofos pré-socráticos. Tradução de
Gerd Bornheim. São Paulo: Cultrix, 1993.

A proposição acima é parte do poema de Parmênides, o fragmento 3. Considerando-se


o que se sabe sobre esse filósofo, que viveu por volta do século VI a.C., assinale a
afirmativa correta.

a) Para compreender a realidade, é preciso confiar inteiramente no que os nossos


sentidos percebem.
b) O movimento é uma característica aparente das coisas, a verdadeira realidade
está além dele.
c) O verdadeiro sentido da realidade só pode ser revelado pelos deuses para
aqueles que eles escolhem.
d) Tudo o que pensamos deve existir em algum lugar do universo.

21(Uema 2015) Leia a letra da canção a seguir.

Nada do que foi será


De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará
A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito
Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo [...]
Fonte: SANTOS, Lulu; MOTTA, Nelson. Como uma onda. In: Álbum MTV ao
vivo. Rio de Janeiro: Sony-BMG, 2004.
Da mesma forma como canta o poeta contemporâneo, que vê a realidade
passando como uma onda, assim também pensaram os primeiros filósofos
conhecidos como Pré-socráticos que denominavam a realidade de physis.
A característica dessa realidade representada, também, na música de Lulu
Santos é o(a)

a) fluxo.
b) estática.
c) infinitude.
d) desordem.
e) multiplicidade.

22 (Ueap 2011) ...que é e que não é possível que não seja,/ é a vereda da
Persuasão (porque acompanha a Verdade); o outro diz que não é e que é
preciso que não seja,/ eu te digo que esta é uma vereda em que nada se
pode aprender. De fato, não poderias conhecer o que não é, porque tal não
é fatível./ nem poderia expressá-lo.
1) (Nicola, Ubaldo. Antologia ilustrada de Filosofia. Editora Globo, 2005.)

O texto anterior expressa o pensamento de qual filósofo?

a) Aristóteles, que estabelecia a distinção entre o mundo sensível e o inteligível.


b) Heráclito de Éfeso, que afirmava a unidade entre pensamento e realidade.
c) Tales de Mileto, que afirmava ser a água o princípio de todas as coisas.
d) Parmênides de Eleia, que afirmava a imutabilidade de todas as coisas e a
unidade entre ser e pensar, ser e conhecimento.
e) Protágoras, que afirmava que o homem é a medida de todas as coisas, que o
ser é e o não ser não é.

23)(Uenp 2011) Mario Quintana, no poema “As coisas”, traduziu o sentimento


comum dos primeiros filósofos da seguinte maneira: “O encanto sobrenatural que
há nas coisas da Natureza! [...] se nelas algo te dá encanto ou medo, não me digas
que seja feia ou má, é, acaso, singular”. Os primeiros filósofos da antiguidade
clássica grega se preocupavam com:

a) Cosmologia, estudando a origem do Cosmos, contrapondo a tradição


mitológica das narrativas cosmogônicas e teogônicas.
b) Política, discutindo as formas de organização da polis e estabelecendo as
regras da democracia.
c) Ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores e da vida virtuosa.
d) Epistemologia, procurando estabelecer as origens e limites do conhecimento
verdadeiro.
e) Ontologia, construindo uma teoria do ser e do substrato da realidade.

24) (Ufpe 2011) As reflexões sobre o mundo e as relações sociais fazem parte da
construção da Filosofia, desde os seus primórdios. Na Grécia, o pensamento
filosófico foi muito importante para a organização da sua sociedade e o
estabelecimento de uma visão crítica de suas manifestações culturais. Uma das
figuras marcantes da Filosofia Grega foi Parmênides, que:
a) defendia a concepção de um universo composto pelos quatro elementos fundamentais
da natureza (a água, o fogo, a terra, o ar) em constantes movimentos circulares.
b) seguiu as teorias de Heráclito sobre a permanência do sagrado e dos mitos, como
princípios básicos da realização religiosa da sociedade, em todos os tempos.
c) se posicionou contra as teorias políticas dos mais democratas, pois achava a escravidão
necessária para se explorar as riquezas e facilitar a organização da economia.
d) influenciou em muito o pensamento idealista da filosofia ocidental, dando destaque à
ideia de permanência e considerando o movimento como uma ilusão dos sentidos.
e) estabeleceu orientações fundamentais para o pensamento de Aristóteles, de quem foi
mestre, articulando as bases de uma lógica dualista com a concepção de governo
monárquico vitalício.

25) Parmênides e Heráclito foram dois pensadores pré-socráticos com ideias


antagônicas: este considerava que é essencial a mudança e a contradição existente nas
próprias coisas; aquele, contrariamente, considerava que o que não pode ser pensado
não pode existir e o que não existe não pode ser pensado.

Considere:

I. “Nós nos banhamos e não banhamos no mesmo rio. Não é possível descer duas
vezes no mesmo rio”.
II. “O ser tampouco é divisível, pois é todo inteiro, idêntico a ele; não sofre nem
acréscimos, o que seria contrário à sua coesão, nem dominação, mas todo inteiro, está
cheio de ser; é, assim, inteiramente contínuo, pois o ser é contínuo ao ser”.
III. “Este cosmos, o mesmo para todos, nenhum dos deuses e nenhum dos homens o
criou: mas sempre foi, é e será um fogo sempre vivo, acendendo-se e apagando-se com
medida”.
IV. “É uma a mesma e a mesma coisa: o vivo e o morto, o acordado e o adormecido, o
jovem e o idoso, pois a mudança de um converte no outro, reciprocamente”.
V. “Não há que temer que jamais se prove que o não ser é. Só nos resta um caminho a
percorrer, o ser é. E há uma multidão de sinais de que o ser é incriado, imperecível, pois
somente (o ser) é completo, imóvel e eterno”.

Correspondem ao pensamento de Heráclito, o que se afirma APENAS em


a) I, II e IV.
b) II, III e V.
c) III, IV e V.
d) I, III e IV.
e) II, IV e V.

26) Considera-se que a filosofia surgiu na Grécia Antiga, com os filósofos ditos pré-
socráticos. No que se refere aos filósofos pré-socráticos e a alguns filósofos posteriores,
julgue o item que se segue.

Os Eleatas, como Parmênides e Zenão, desenvolveram, em sua filosofia, a noção


de aparência, ao analisar o fenômeno do movimento, tendo sua perspectiva a respeito
do Ser como fundamento.

a)Certo
b)Errado

27) Considera-se que a filosofia surgiu na Grécia Antiga, com os filósofos ditos pré-
socráticos. No que se refere aos filósofos pré-socráticos e a alguns filósofos posteriores,
julgue o item que se segue.

O atomismo pré-socrático teve ampla aceitação na Grécia Antiga, assim como na Idade
Média, sendo uma das correntes de pensamento mais importantes a respeito do mundo
natural do período.

a)Certo
b)Errado

28) Considera-se que a filosofia surgiu na Grécia Antiga, com os filósofos ditos pré-
socráticos. No que se refere aos filósofos pré-socráticos e a alguns filósofos posteriores,
julgue o item que se segue.

A defesa de Empédocles das quatro raízes (água, ar, fogo e terra) como fundamento
dos fenômenos materiais foi absorvida pela tradição posterior na explicação do mundo,
tanto por Platão como por Aristóteles, e, de fato, só foi refutada no século XIX, com o
surgimento de uma nova forma de atomismo.

a)Certo
b)Errado

29) Considera-se que a filosofia surgiu na Grécia Antiga, com os filósofos ditos pré-
socráticos. No que se refere aos filósofos pré-socráticos e a alguns filósofos posteriores,
julgue o item que se segue.

Os pré-socráticos constituíram a filosofia de seu tempo a partir de um processo de


afastamento das explicações de caráter mitológico, comuns no período.

a)Certo
b)Errado

30) A maior parte dos filósofos antigos concebia somente princípios materiais como
origem de todas as coisas (...). Tales, o criador de semelhante filosofia, diz que a água é
o princípio de todas as coisas (por essa razão afirmava também que a Terra repousa
sobre a água).
Aristóteles. Metafísica, I, 3.
Todas coisas se dissipam onde tiveram a sua gênese, conforme a necessidade; pois
pagam umas às outras castigo e expiação pela injustiça, conforme a determinação
do tempo.
Anaximandro de Mileto. Fragmentos.
Necessário é dizer e pensar que só o ser é; pois o ser é, e o nada, ao contrário, nada
é (...).
Parmênides. Fragmentos.
Considerando os textos acima, julgue os itens seguintes.

Os filósofos pré-socráticos não desenvolviam uma argumentação para defender a


permanência de alguma substância ou elemento, material ou não, subjacente
à mudança na physis.

a)Certo
b)Errado

31) Relacione as figuras dos filósofos pré-socráticos Parmênides de Eleia e


Heráclito de Éfeso com os elementos de suas respectivas teorias.

I. Parmênides de Eleia.

II. Heráclito de Éfeso.

( ) Indivisível, é, pois, todo idêntico; nem algo em uma parte mais, que o impedisse de
conter-se, nem também algo menos, mas é todo cheio do que é, por isso é todo
contínuo.
( ) A guerra é mãe de todas as coisas e de todas, rainha. Das coisas contrárias nasce a
harmonia mais bela, e tudo se gera por via de contraste.
( ) Quem desce ao mesmo rio vem ao encontro de águas sempre novas. Descemos e
não descemos ao mesmo rio, nós mesmos somos e não somos.
( ) O mesmo é o pensar e aquilo em função do que é o pensamento porque sem o ser,
no qual é expresso, não encontrarás o pensar: de fato é ou será nada fora do ser.
( ) Todas as coisas se trocam por fogo e o fogo por todas as coisas, como mercadorias
se trocam por ouro e o ouro por mercadorias.

a) II, I, II, I, II.


b) I, II, II, I, II.
c) I, II, II, II, I .
d) II, II, I, I, II.
e) I, II, I, II, I.

32) s pioneiros do pensamento ocidental anteriores a Sócrates, de um modo geral,


observavam a natureza. À noite segue o dia. As estações do ano sucedem-se uma à
outra. As plantas e os animais nascem, crescem e morrem. Diante desse espetáculo
cotidiano da natureza, o homem manifesta sentimentos variados — medo, resignação,
incompreensão e espanto. E são precisamente esses sentimentos que acabam por levá-
lo à filosofia. O espanto inicial traduz-se em perguntas intrigantes: o que é essa
natureza, que apresenta tantas variações? Ela possui uma ordem ou é um caos sem
nexo?

Bernadete Abrão (Org.). História da Filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 1999, p. 24
(com adaptações).
A partir do assunto abordado no texto acima e considerando o pensamento de
filósofos pré-socráticos, assinale a opção correta.

a) Parmênides é o filósofo pré-socrático que do seu tempo destoava dos outros


filósofos por sua abordagem da temática antropológica ao estudar o agir do
homem e fundar, desse modo, a ética.
b) Pitágoras considerava tudo relativo na medida em que percebia o inter-
relacionamento de todas as coisas.
c) Para Heráclito, o mundo era um eterno fluir, como um rio em que seria
impossível banhar-se duas vezes na mesma água.
d) Para Anaxímenes, tudo se origina na água e toda a natureza teria como único
princípio esse elemento natural.