Você está na página 1de 5

NOÇÕES GERAIS DO HTP

OBSERVAÇÕES GERAIS:

- Atitude: avalia de forma geral como esse sujeito aceita tarefas novas e impostas por um
outro.

- Atitude comum é de aceitação, mesmo que haja alguma resistência.

- A atitude frente cada desenho está geralmente ligada ao conteúdo mobilizado por cada um
dos desenhos.

- Quando há rejeição, o desenho mais rejeitado é o da figura humana. As razões discutidas são
(1) dificuldade nas relações interpessoais; (2) mobiliza conteúdos mais conscientes e pré-
conscientes do que o da casa e árvore; (3) o acesso consciente ao espetro corporal.

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO DESENHO:

Aspectos gerais dos desenhos:


- Localização do desenho.
- Tamanho do desenho.
- Lista de conceitos.
- Proporção, perspectiva, detalhes – evidência à expressão do funcionamento esperado.
A forma apropriada de desenhar os detalhes é a primeira característica a se estabilizar no
desenvolvimento. Este aspecto evidencia clinicamente: a capacidade de reconhecer as
demandas simples da vida diária e corresponde-las, bem como a capacidade de cr´tica da
realidade, ou seja, o que é certo ou errado.
- A segunda é a capacidade de proporção realista (quando adequada fala da capacidade de
adaptação): indica a capacidade de julgamento frente às demandas, ou seja, capacidade de
assimilar e resolver problemas, lidar com improviso, resolver situações que exigem ações
imediatas e concretas.
- A terceira é a capacidade de reconhecer e representar a necessidade de perspectiva (posição
espacial do desenho). Fala da capacidade do indivíduo agir com visão crítica e elaborada nos
relacionamentos. Capacidade de abstração e elaboração. Capacidade de agir com sucesso nos
aspectos mais exigentes da vida.

Proporção:
- Fala de sentimentos, valores, ideias atribuídas aos objetos externos (objetos, situações e
pessoas);
- Capacidade de julgamento preservada;
- Capacidade de flexibilizar seu olhar para o outro (situações e pessoas).

Perspectivas:
- Fala da capacidade do sujeito agir com sucesso a aspectos mais complexos, mais abstratos e
mais exigentes da vida.

INQUÉRITO POSTERIOR AO TESTE:

- Momento em que o aplicando define, descreve e interpreta cada desenho;


- Expressa sentimentos, ideias, memórias associadas a eles.
Protocolo do inquérito:
- Objetivo: compreender o sujeito de forma dinâmica, extraindo o maior número possível de
informações, conteúdos e contextos de cada desenho.

LISTA DE CONCEITOS INTERPRETATIVOS:

- Após os desenhos e preenchimento da folha de inquérito, pegue a lista de conceitos, que traz
uma lista de série de características para cada desenho.
- Inicialmente veja as características “normais” para cada desenho e marque “S” (sim) para
aquelas que se aplicam a cada desenho. Algumas hipóteses clínicas comuns relacionadas para
cada característica do desenho são apresentadas nessa lista.
Importante: Essa lista é apenas um guia para o estabelecimento de hipóteses clinicas.

INTERPRETAÇÃO HTP:

TEMPO:

- A avaliação do tempo gasto para completar um desenho pode fornecer informações de como
o sujeito foi mobilizado, tomado emocionalmente, impactado pela produção de tal objeto.
- Para essa avaliação é preciso levar em consideração o número de detalhe do desenho.
- A realização dos 3 desenhos levam em média 2 a 30 minutos.
- Rapidez: livrar-se da tarefa desagradável.
- Demora: relutância em produzir algo ou mobilização de conteúdos com a gravura produzida
ou ambos.
- Caso o sujeito leve mais de 30 segundos para iniciar o desenho, é um forte indício de
presença de psicopatologia. É indício de forte conflito e ao longo da análise precisa ser
localizado.
- Caso o sujeito faça pausa de 5 segundos em um detalhe que está sendo desenhado, iniciado
este detalhe deve trazer indícios de conflito vivenciado. Esta área deve ser investigada
cuidadosamente durante o inquérito.
Questionamento:

- Pensando em um quadro maníaco podem levar muito tempo para desenhar em razão do
excesso de riqueza de detalhes irrelevantes.

- Pensando em um quadro obsessivo-compulsivo também levam muito tempo em razão do


tempo que levam para construir meticulosamente todos os detalhes relevantes.

CAPACIDADE CRÍTICA E RASURAS:

- A capacidade de criticar sua produção, ou seja, a capacidade de identificar detalhes fora de


ordem, detalhes desproporcionais são afetada facilmente em situações ansiogênicas como as
de avaliação. Em pacientes mais organizados psiquicamente, contudo paciente mais
desorganizados e com quadros orgânicos apresentam dificuldade ou incapacidade de crítica.

- Clinicamente isso reflete a capacidade de fazer e sofrer críticas em relação aos seus feitos, e o
quanto a pessoa é capaz d aprender com os próprios erros e prosseguir.
COMENTÁRIOS:

- Comentários escritos durante a fase do desenho como: nomes de pessoas, de ruas, de


árvores, números ou outros elementos podem significar necessidade compulsiva para tentar
estruturar uma situação; insegurança; tentativa de compensar uma ideia ou uma situação;
insegurança; tentativa de compensar um sentimento obsessivo que emergiu por alguma coisa
no desenho.

- Outro exemplo de traços de insegurança são comentários supérfluos como: “Eu vou colocar
essa gravata nele” – verbalização como os traços no papel ajudam o sujeito se organizar
internamente.

- A preocupação comparece no teste por meio de excessivos comentários irrelevantes ou


bizarros: “Você disse que era seu primeiro dia aqui hoje?” ou “Eu não sei se os alicerces são
firmes, para eu começar as janelas... Agora, aonde está minha porta? Eu coloque as janelas no
lugar errado. Eu vou por minha porta aqui, como devo fazer isso doutor?”

Importante: verbalizações durante os desenhos, geralmente trazem conteúdos que foram


excluídos das entrevistas.

INTERPRETAÇÕES DA CASA – LINHAS GERAIS

1) Note o tamanho da casa: uma casa pequena representa renúncia da vida em família,
enquanto uma casa grande significa que a pessoa é dominada pela família.

2) Observe as paredes da casa: linhas fracas representam fragilidade no ego, enquanto linhas
fortes significam a necessidade de fortalecer laços.

3) Determine a quantidade de detalhes feitos no telhado: quanto mais detalhado, mais a


pessoa se concentra em fantasias, enquanto que um telhado incompleto significa evasão de
ideias grandiosas.

4) Note a inclusão de janelas, portas e calçadas, que indicam abertura para interagir com
outras pessoas.

5) Perceba a inclusão de arbustos, sombras, persianas, barras e cortinas, que indicam a


hesitação de uma pessoas em se abrir aos outros.

INTERPRETAÇÕES DA ÁRVORE – LINHAS GERAIS

1)Note o tamanho do tronco: um tronco pequeno representa um ego fraco, enquanto que um
tronco largo significa um ego grande.

2) Observe se o tronco é dividido ao meio, o que indica uma divisão na personalidade.

3) Determine quais tipos de galhos foram desenhados: ramos individuais ou galhos pequenos
representam dificuldade de comunicação com os outros, galhos grandes significa muita
conexão com os outros, galhos pontudos, hostilidade e galhos mortos, desolação.

4) Note se as folhas estão incluídas: desenhar folhas representa sucesso em se conectar com
outras pessoas, enquanto uma árvore sem folhas significa vazio e folhas soltas indicam falta de
amparo.
5) Distingua os detalhes das raízes da árvore; enquanto raízes normais representam uma
pessoa consciente, a falta de raízes significa instabilidade, raízes exageradas indicam obsessão
em examinar a realidade raízes mortas representam sentimentos removidos completamente
da realidade.

INTERPRETAÇÕES DA FIGURA HUMANA – LINHAS GERAIS

1) Note a posição dos braços: braços abertos representam uma inclinação a se conectar com
os outros, braços fechados significam hostilidade e braços indicam falta de proteção.

2) Observe a posição das mãos: dedos apontando e punhos fechados representam hostilidade,
enquanto mãos escondidas ou com luvas significam tendências antissociais.

3) Preste atenção nos detalhes das pernas e dos pés: figuras cortadas pela parte inferior do
papel representam impotência, enquanto que pés grandes e pequenos significam necessidade
de uma estabilidade maior.

4) Determine os detalhes da boca: uma boca grande ou aberta representa dependência, uma
boca fechada significa rejeição de necessidades e uma boca traçada ou com dentes indica
hostilidade verbal.

5) Perceba o quão detalhado o rosto é: o uso de expressões faciais detalhadas indica uma
pessoa com necessidade de se retratar de uma maneira aceitável.

28/03 ÁRVORE

Tronco: sentimentos de poder e a força do ego (auto-estima).

Muito fino ou pequeno e copa grande: equilíbrio precário da personalidade por causa da
excessiva busca de satisfação na fantasia. Com linhas reforçadas: necessidade de uso de
recursos defensivos para proteger a integridade do ego. Com linhas fracas: fragilidade das
defesas e vulnerabilidade. Irregularidades no tronco: sentimentos de inadequação. Cicatrizes:
experiências traumáticas. Pequena estrutura de galhos com tronco grande: equilíbrio precário
da personalidade por causa da frustração gerada pela incapacidade de satisfazer fortes
necessidades básicas. Base larga que vai afinando: ambiente anterior sem estimulação
calorosa ou saudável. Tronco fino que vai alargando: psicopatologia, colapso do controle do
ego. Bem centrada: relaciona-se com equilíbrio e bom relacionamento com ambos os sexos.
Colocação para a esquerda: já não sugere equilíbrio emocional e se associa com forte
influência materna e, para a direita denuncia forte identificação com a figura paterna. Feito na
parte superior da folha: fuga da fantasia. Na parte inferior: ???Margem da página: o uso de
uma das margens para fazer tronco: tendências agressivas, com sensibilidade aumentada.
Essas tendências podem ser reprimidas ou não. Relação com o observador: abaixo do
observador – depressão ou derrota. Acima, sentimento de esforço ou necessidade de proteção
ou segurança. Desenhada no topo, nem sempre é sinônimo de superioridade, quer dizer
sentimento de isolamento ou luta por autonomia.

Galhos: indícios sobre como o sujeito percebe sua capacidade de encontrar satisfação no
ambiente. O desenho de uma árvore deve ter pelo menos um tronco e um galho. A falta
desses elementos caracteriza uma deterioração intelectual. Ausentes: falta de contato. Galhos
cheios de folhas: meticulosidade e precisão. Folhas elaboradas: traços perfeccionistas. Caídos:
indivíduo que está perdendo a capacidade de lidar com pressões ambientais. Grossos e curtos
como se estivessem cortados perto do tronco: tendência suicida. Muitos galhos: busca
excessiva de satisfação. Poucos galhos: incapacidade de obter satisfação. Voltados para
dentro: egocentrismo. Quebrados: sentimentos de impotência, castração e trauma. Mortos:
desesperança, depressão. Reforçados: sentimento de inadequação na busca por satisfação.
Trepadeiras: sentimento de que o indivíduo está perdendo ou já perdeu o controle de
impulsos constrangedores e/ou de que os outros estão cientes de que ele tem necessidades
proibidas.

Folhas: Ausência de folhas: insatisfação. Contudo, no inverno as pessoas desenham árvores


sem folhas. Presença de frutos os desenhos de adultos: sentimento de satisfação e criatividade
(desejo de ter filhos?)Nas crianças: maçãs pendentes=necessidade de dependência. Caídas no
chão= sentimentos de rejeição. Raízes: estabilidade das forças da personalidade. Bom contato
com a realidade. Raízes como garras: agressividade. Ausência de raiz: contato pobre com a
realidade.

Pássaros ou animais perto: pessoa com forte valência pra o indivíduo. Esquilo saindo de um
buraco do tronco: forte sentimento obsessivo de culpa, sem controle. Linha de solo é mais
frequentemente desenhada na árvore do que na casa ou pessoa. Caso desenhe uma árvore de
natal: presença de narcisismo bem desenvolvido, tendências regressivas e forte necessidade
de cuidado e proteção. Ordem normal: tronco, galhos, folhagem ou parte superior, tronco e
base o tronco.