Você está na página 1de 7
Ciclo padrão de compressão a vapor Curso: Engenharia Mecânica 10° semestre Grupo 10 Integrantes: Fernando

Ciclo padrão de compressão a vapor

Curso: Engenharia Mecânica 10° semestre Grupo 10 Integrantes:

Fernando Henrique Katona

21501-2

Gabriel Henrique Bitner

22210-3

Guilherme Marim da Silva

22014-5

Luis Guilherme da Costa

22242-2

08 de outubro de 2019

Introdução

Objetivo:

Determinar as propriedades do fluido.

Observar o tipo de trabalho do fluido em diversos pontos do ciclo de refrigeração de um bebedouro

Comparar os dados obtidos com o ciclo padrão de refrigeração.

Fundamentação Teórica

O ciclo é composto dos seguintes processos:

1. Compressão de vapor, isto é, um compressor realiza trabalho sobre o vapor, transfere potência a ele;

2. A condensação do vapor, que ocorre no condensador;

3. A expansão do liquido após o condensador, que ocorre na válvula termostática ou em um tubo capilar;

4. A evaporação do liquido no evaporador.

Esquema do Ciclo-Padrão de Compressão a Vapor

capilar; 4. A evaporação do liquido no evaporador. Esquema do Ciclo-Padrão de Compressão a Vapor Diagramas

Diagramas pxh e Txs

capilar; 4. A evaporação do liquido no evaporador. Esquema do Ciclo-Padrão de Compressão a Vapor Diagramas

Trecho 1-2: Compressão adiabática reversível desde o estado de vapor saturado até a pressão de condensação.

Trecho 2-3: Rejeição reversível de calor à pressão constante, diminuindo a temperatura do refrigerante inicialmente e condensando-o depois.

Trecho 3-4: Expansão irreversível à entalpia constante desde o estado de liquido saturado até a pressão de evaporação.

Trecho 4-1: Ganho de calor à pressão constante, produzindo a evaporação do refrigerante até o estado de vapor saturado.

Representação esquemática do ciclo ideal de refrigeração por compressão de vapor no diagrama de Mollier

por compressão de vapor no diagrama de Mollier De acordo com STOECKER (2002), o gráfico da

De acordo com STOECKER (2002), o gráfico da figura 1, é o ciclo mais importante e o mais utilizado na prática (ciclo de Carnot).

Figura 1 Ciclo teórico de compressão a vapor

Figura 1 – Ciclo teórico de compressão a vapor Consiste de um refrigerante em circulação que

Consiste de um refrigerante em circulação que entra no compressor em forma de vapor, o mesmo é comprimido à uma entropia constante e sai do compressor superaquecido ( de 1 para 2). O vapor superaquecido desloca-se para condensador que realiza o arrefecimento e remove o superaquecimento do mesmo, depois o condensa transformando-o em liquido através da remoção do calor adicional (pressão e temperatura constantes, de 2 para 3). O liquido refrigerante passa por uma válvula de expansão onde sua pressão cai abruptamente causando sua evaporação parcial e a auto refrigeração de, normalmente, menos de metade do liquido ( de 3 para 4).

Materiais e Métodos

Equipamentos básicos

Uma geladeira contendo: Compressor, condensador, evaporador e tubo capilar, equipamentos esses que se aproximam do ciclo padrão de compressão.

Para mensuras de temperatura, um equipamento de termômetro digital, tipo infravermelho, como segue imagem.

Equipamento mensura térmica Procedimentos Para realizarmos este experimento, fizemos a mensuração das temperatura do

Equipamento mensura térmica

Procedimentos

Para realizarmos este experimento, fizemos a mensuração das temperatura do bebedouro, utilizando o termômetro infravermelho em suas respectivas entradas e saídas, obtendo os seguintes resultados:

Local

Temperatura (°c)

Saída

 

Condensador

36

Saída compressor

40

Entrada

 

compressor

19

Tubo capilar

51

Temperatura da

 

Água

15

Cálculos

Foi utilizado para cálculos, aplicativo do steam property.

Resultados calculados através das mensuras:

CICLO REAL:

COP=h1-h4/ h2-h1

 

Entalpia

REAL

(kJ/kg)

Entrada do compressor (h1)

402,4

Saída do compressor (h2)

428

Saída do condensador (h3)

275,7

Entrada do evaporador (h4)

275,7

CICLO PADRÃO:

COP=h1-h4/ h2-h1= 4,95

PADRÃO

Entalpia (Kj/kg)

h1

408,7

h2

421,3

h3

254,1

h4

254,1

COP=h1-h4/ h2-h1=

12,26

Conclusão

Ao analisarmos os dados calculados do ciclo padrão e do ciclo real, podemos concluir que através do COP, o bebedouro que foi estudado, esta com seus equipamentos trabalhando de maneira coerente, e adequada.

Sendo assim podemos dizer que :

De h1 para h2: ocorre uma compressão adiabática reversível desde o estado de vapor saturado até a pressão de condensação.

De h2 para h3: rejeição irreversível de calor a pressão constante, diminuindo a temperatura do refrigerante inicial e condesando -o depois.

De h3 para h4: expansão irreversível à entalpia constante desde o estado de líquido saturado até a pressão de evaporação.

De h4 para h1: ganho de calor a pressão constante, produzindo a evaporação do refrigerante ate o estado de vapor saturado.

Referências

Stoecker, W. F. & Jones, J. W. Refrigeração e Ar condicionado. 2ª ed. McGraw- Hill, 1985

Dossat, R. J. Princípios de Refrigeração. 3ª ed. Hemus. 1980.