Você está na página 1de 11

Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Departamento Acadêmico de Eletrotécnica – DAELT


Disciplina: Eletrônica Digital

Engenharia Elétrica

LABORATÓRIO II
Experiência 3.2
Portas AND (E), NAND (NE), OR (OU) e NOR (NOU)

Data de Realização: 10/09/2015


Data de Entrega: 17/09/2015

Curitiba
Setembro/ 2015
Introdução

As portas lógicas AND, NAND, OR e NOR são amplamente utilizadas na


eletrônica digital, cada uma possui determinada característica. A porta AND
equivale a uma multiplicação, supondo duas entradas, se uma entrada possuir
nível lógico alto (1) e outra nível lógico baixo (0) a saída seria em nível lógico
baixo, pois 1x0=0. A porta NAND é a porta de negação da porta AND, assim
sendo, seu resultado é o oposto da porta AND. A porta lógica OR corresponde a
uma soma, basta que um nível lógico seja alto para que a resposta se dê em
nível lógico alto. A porta lógica NOR é a inversão de OR, assim, sua resposta
será ao contrário da tabela da verdade OR. Nesta experiência, testaremos cada
uma dessas portas lógicas para a visualização prática dos níveis lógicos.

Informação Técnica

Porta Lógica Símbolo Tabela Verdade Função Lógica

A B S
0 0 0
AND (E) 0 1 0 S=A.B

1 0 0

1 1 1

A B S

0 0 1

0 1 1
NAND (NE) 1 0 1 S=A.B
1 1 0

A B S

0 0 0

0 1 1
OR (OU) 1 0 1 S=A+B
1 1 1

A B S

0 0 1

0 1 0
NOR (NOU) 1 0 0 S=A+B
1 1 0
Tabela 1: Quadro de resumo das portas lógicas AND, NAND, OR e NOR.

Objetivo da Experiência

 Comprovar experimentalmente a operação das portas lógicas AND (E),


NAND (NE), OR (OU) e NOR (NOU);
 Conhecer as características físicas e elétricas dos CIs 7400, 7402, 7408
e 7432;
 Identificar níveis lógicos, analisando-se as tensões presentes nos pontos
solicitados dos circuitos.

Relação de Material

Quantidade Descrição
1 Fonte de tensão de 5V
1 Multímetro
1 Matriz de contatos
1 CI 7400
1 CI 7402
1 CI7408
1 CI7432
2 Cabos banana-banana
- Cabos jumper
Tabela 2: Relação de materiais

Desenvolvimento

Para o início da experiência, fizeram-se as ligações de alimentação,


fixando na protoboard o CI 7408. Ajustou-se uma fonte de tensão em 5V, ligou-
se o pino 14 ao terminal positivo da fonte de alimentação e o pino 7 ao terminal
negativo da fonte.

Em seguida, escolheu-se uma porta AND (E) do Cl 7408, neste caso a


porta ligada aos pinos 1, 2 e 3, sendo os pinos 1 e 2 terminais de entrada e o
pino 3, terminal de saída. Como demonstrado a seguir:
Figura 1

Em seguida foi respectivamente colocado os níveis lógicos (0,0), (0,1),


(1,0) e (1,1) nas entradas da porta AND (1 e 2) em questão. Quando necessitou
uma entrada em nível lógico 0 ligou-se o terminal correspondente ao 0V, ou
seja, o terra do circuito e no caso negativo da fonte de alimentação. Já quando
era necessário o nível lógico 1, bastou-se ligar o terminal correspondente ao 5V,
o qual alimentava o circuito.

Após os terminais estarem com o nível lógico adequado foi analisado o


nível lógico de saída com o auxílio de um multímetro na escala VDC. Os
resultados obtidos estão expressos na Tabela 2.

Depois que todos os dados para o CI 7408 foram recolhidos ele foi
substituído pelo CI 7400, como mostra a figura a seguir:

Figura 2

Então foram realizados os mesmos procedimentos com o objetivo de


realizar o mesmo teste, os valores lógicos do terminal de saída também estão
expressos na Tabela 1.
I. Teste de operação das portas AND(E) – CI 7408 e NAND (NE) – CI 7400.

Os CIs foram alimentados com as tensões de 0 e 5V, aplicada aos pinos


7 e 14 respectivamente.

Depois dos CIs estarem devidamente alimentados, para realizar o teste


em cada um deles, passou-se a colocar níveis lógicos às entradas das portas.
Como nível lógico “0” foi utilizado 0V, ou seja, as entradas eram ligadas
diretamente ao pino 7. Com o nível lógico “1” conectavam-se as entradas das
portas ao pino 14.

TABELA VERDADE DA PORTA AND


ENTRADA SAÍDA
A (V) B (V) S (V)
0 0 0,15
0 5 0,15
5 0 0,15
5 5 4,52
Tabela 3

TABELA VERDADE DA PORTA NAND


ENTRADA SAÍDA
A (V) B (V) S (V)
0 0 4,74
0 5 4,73
5 0 4,73
5 5 0,15
Tabela 4

Após estes procedimentos, realizou-se o teste de uma porta OU do CI


7432 (Fig. 3), os valores estão registrados na Tabela 5.

Figura 3
Em seguida foi substituído o CI 7432 pelo CI 7402, com o intuito de testar
uma das portas NOR (NOU) neste caso os terminais 1, 2 e 3, como
representado na figura a seguir e registrado na tabela 6, porém observando a
posição das portas que se encontram invertidas em relação às portas dos
demais CIs utilizados.

Figura 4

II. Teste de operação das portas OR (OU) – CI7432 e NOR (NOU) CI7402.

O mesmo procedimento foi utilizado para determinar as tabelas-verdade


das portas OR e NOR.

TABELA VERDADE DA PORTA OR


ENTRADA SAÍDA
A (V) B (V) S (V)
0 0 0
0 5 5
5 0 5
5 5 5
Tabela 5

TABELA VERDADE DA PORTA NOR


ENTRADA SAÍDA
A (V) B (V) S (V)
0 0 5
0 5 0
5 0 0
5 5 0
Tabela 6

Em seguida, com o auxílio de um fio uniram-se as entradas A e B, como


representado a seguir, para que desta forma o circuito tivesse apenas uma
porta.

Figura 5

Então colocou-se as entradas que foram unidas ligadas e a referência, ou


seja, nível lógico 0. Nesta condição foi medido a saída para conhecer o seu
estado lógico. Após isso foi desligada do nível lógico 0 e religada para o nível
lógica 1, o qual significa liga-las a +5V, então mediu-se novamente a saída para
conhecer o seu estado lógico. Estes dados estão gravados na Tabela 7 e o
processo representado a seguir:

Figura 6

III. Inversora construída com porta NOR de duas entradas.

Para transformar uma porta NOR em inversora, as entradas da porta


foram conectadas entre si. Desta forma, garante-se sempre o mesmo sinal
lógico para ambas as entradas, eliminando-se assim as linhas intermediárias da
tabela-verdade.

ENTRADA SAÍDA
A (V) S (V)
0 4,85
5 0,28
Tabela 7
Em seguida foi verificado com um multímetro o estado lógico da saída de
uma porta NOU quando nada estiver ligado à entrada, quando apenas uma das
entradas estiver ligada ao Gnd e quando apenas uma das entradas estiver
ligada ao Vcc. Os dados obtidos estão representados na Tabela 8.

IV. Entradas Flutuantes.

Várias medidas foram efetuadas na saída de uma porta NOR, para


verificar o nível lógico quando as entradas ou mesmo uma única entrada
apresenta-se desligada no circuito. A tabela seguinte resume os resultados
encontrados.

ENTRADA SAÍDA
A B (V) S (V)
Desligada Desligada 0,15
Desligada 0 0,15
Desligada 5 0,15
Tabela 1

Com isso, concluímos que não podemos deixar a entrada desligada,


pois os resultados começam a flutuar.

QUESTÕES

Q1. Elaborar uma tabela verdade para os seguintes circuitos:

a)

ENTRADA SAÍDA
A B S
0 0 0
0 1 0
1 0 0
1 1 1
b)

ENTRADA SAÍDA
A B S
0 0 0
0 1 0
1 0 0
1 1 1

c) ENTRADA SAÍDA
A B C S
0 0 0 0
0 0 1 1
0 1 0 1
0 1 1 1
1 0 0 1
1 0 0 1
1 0 1 1
1 1 0 1
1 1 1 1

d)
ENTRADA SAÍDA
A B C S
0 0 0 1
0 0 1 0
0 1 0 0
0 1 1 0
1 0 0 0
1 0 0 0
1 0 1 0
1 1 0 0
1 1 1 0
Q2. Durante a montagem de um circuito digital, sobre uma matriz de
contatos, na falta de uma porta lógica AND do CI7408, o CI 7411 pode ser
usado como substituto? Explique:

R. Porque sendo a diferença entre eles a quantidade de entradas lógicas, sendo


2 e 3 respectivamente para o CI7408 E CI 7411, pode-se ligar duas dessas
entradas tornando elas uma só, passando assim a ter uma porta lógica AND
com duas entradas. Ex: tem-se a porta 1 e a porta X, a qual é a união por um fio
da porta 2 e 3.

Conclusão