Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – CAMPUS III

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E AGRÁRIAS


LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS
DISCENTE: Lucinete Guilherme dos Santos

O Diabo dos Números

A primeira noite:

Durante a primeira noite, o menino que se chamava Robert, demonstra estar irritado
porque seus sonhos eram sempre semelhantes, então em um de seus sonhos surge um velhinho
chamado “diabo dos números” e Robert sente-se feliz por não sonhar novamente as mesmas
coisas.

Apesar disso, Robert não acredita que o velhinho pudesse existir em seu sonho, mas
mesmo assim queixa-se sobre a matemática, falando que odeia tudo em relação a ela. O menino
passa a acreditar que a disciplina de matemática é algo muito maior do que sua capacidade de
aprender, então passa a ter medo. Diante disso, o Diabo dos Números resolve ajudá-lo na
disciplina, para começar, lhe apresenta o número 1 como o principal, na qual se pode fazer
quase tudo.

A segunda noite:

O segundo capítulo aborda uma questão comum que é a importância que o zero tem para
o nosso cotidiano e para a matemática. O diabo dos números, dá início falando sobre os
romanos, sobre a dificuldade que eles tinham para escrever um conjunto de números, e então
ele explica sobre os números saltados, começa a lhe explicar quantas vezes cada número tem
que saltar para chegar em dezena, centena e milhar. O velhinho, acaba provocando curiosidade
no garotinho pelos números.

A terceira noite:
Após Robert conseguir dormir, o diabo dos números logo busca ensina-lo a dividir. O
menino começa a falar que acha ruim porque divisão nunca são exatas e o diabo tenta ajudar,
logo em seguida lhe apresenta os números primos e comenta que são números na qual os
matemáticos vêm quebrando a cabeça há mais de mil anos. O diabo dos números mostra a
Robert os números primos, através do Crivo de Erastóstenes.

A quarta noite:

Nessa noite, o diabo dos números, ensina novamente sobre dividir, entretanto dessa vez
o Diabo lhe apresenta as divisões que resultam em números infinitos, utilizando uma
calculadora, de novo mostra a Robert os números que saltam, elevando-o ao quadrado, ao cubo,
também a saltar para trás e, ainda, extrair a raiz quadrada.

A quinta noite:

Durante essa noite o velhinho, diabo dos números, aparece no sonho do Robert
novamente de um jeito inusitado, em cima de uma palmeira com muitos cocos e propõe ao
garotinho que ele suba também, e depois de beberem água começam a jogar os cocos, então
eles caem no chão um após o outro criando triângulos, então os números triangulares começam
a se formar no chão, em seguida o diabo dos números mostra a Robert que tem muita
matemática e faz algumas observações de modo que desperta a possibilidades de argumentações
por parte do garotinho. O diabo dos números fala para Robert que não existe apenas números
triangulares, mas muitos outros com uma sequência geométrica.

A sexta noite:

O diabo dos números aparece nos sonhos do pequeno Robert sentado em uma cadeira
rodeado de uma plantação de batatas, então começa falar sobre um amigo chamado Bonatchi
um italiano que morreu há um tempo, na qual foi um dos primeiros a entender o zero. Comentou
sobre os números de Fibonacci, e o garotinho entendeu que a sequência numérica era infinita,
assim como ele diz “até são nunca”.

A sétima noite:

Durante a sétima noite, Robert após dormir, o diabo dos números começa a construir
um triangulo, na qual usa alguns cubos, tal triangulo construído é conhecido como triângulo de
Pascal e nele parece que a matemática não acaba, então de novo o pequeno Robert percebe os
números triangulares, os números que saltam e também os números de Bonatchi.
A oitava noite:

Nesta noite Robert começa a sonhar que está em sua sala de aula e seu professor é o
diabo dos números, onde ensina a todos os alunos da turma a análise combinatória e em meio
a isso, lhes ensina outras coisas também. O garotinho começa ter um pensamento diferente
daquele do início, onde passa a perceber que pode acreditar nos números.

A nona noite:
Na nona noite Robert estava doente, então leu alguns gibis e em seguida dormiu, então
sonhou estar com febre e o diabo dos números estava ao seu lado, onde o diabo dos números
dá ordens para várias sequências de números e cada uma com uma cor diferente. Portanto a cor
branca está sendo representada os números em ordem crescente, em seguida de vermelho são
os ímpares, de verde são os números primos, e assim por diante com números naturais, séries
aritméticas, sequências, números ímpares, frações simples etc. então quando o garotinho
acorda, a febre passou.

A decima noite:

Robert sonhou que estava no meio da neve, em cima de uma mochila, parecia estar no
polo norte e em seu sonho tinha um segundo Robert e o garotinho pensou se era possível sonhar
com ele mesmo. Logo mais, aparece o diabo dos números e o transporta para uma sala onde
tem um computador especialmente para ele. Após começar a sequência de Bonatachi, o diabo
dos números também lhe ensina sobre os cristais de neve, curvas de Koch, frações contínuas,
frações decimais, frações decimais não periódicas, fractais, fórmula de Euler, linhas, limites,
malhas, vértices, números irracionais, poliedros, polígonos, octaedro, anel de tetraedros, entre
outros.

A decima primeira noite:

O garotinho Robert sonha que seu Professor está correndo atrás dele, como sempre, o
diabo dos números está no seu sonho e o leva a um elevador na qual sobem para o último andar.
Quando chegam, Robert lhe conta sobre o que pensava a respeito de tudo que havia lhe ensinado
e o diabo dos números fala para ele alguns problemas interessantes e que muitos deles ainda
nem tiveram solução, lhe mostrando que a matemática nunca está pronta ou acabada, porquê
sempre terá algo para fazer.
A decima segunda noite:

Robert já não havia mais sonhado com o diabo dos números, mas certo dia enquanto
dormia um sono tranquilo, voltou a sonhar com o diabo dos números, onde ele batia com
insistência na porta de seu quarto, consigo tinha um convite para um jantar no inferno dos
números/paraíso dos números. Então, o diabo dos números levou Robert voando em suas costas
e logo chegaram a um palácio enorme, onde ele foi apresentado para vários matemáticos
importantíssimos, tais como: Bertrand Russel, Félix Klein, Georg Cantor, Leonardo de Pisa
(Fibonacci), Pitágoras de Samos, Leohard Euler, Carl Friedrich Gauss e Arquimedes de
Siracusa.

Após o jantar, onde foram servidas várias tortas em formas de círculos, o diabo dos
números se despediu de Robert então após ficar sozinho, em seu próprio sonho ele começou a
dormir, acordou com sua mãe o chamando para ir à escola. ao despertar percebeu havia ficado
com o presente do seu último sonho com o diabo dos números, uma estrela de cinco pontas, na
qual indicava que ele permanecia em sua ordem.