Você está na página 1de 17

4º MÓDULO - MASSAGENS RELAXANTES

Massagens relaxantes são tratamentos que usam as mãos ou aparelhos simples


como massageadores com rodinhas, apalpadores, cocadores, bambu ou
massageadores com molas. Todos os tipos de massagens relaxantes tentam promover
relaxamento muscular e combate ao estresse.

A maioria deles, libera um hormônio chamado ocitocina que combate a tensão


muscular, o estresse, ajuda o intestino e baixa a pressão arterial. Em geral, todos os
tipos de massagem que existem, fazem de alguma forma parte das massagens
relaxantes, considerando que o relaxamento muscular é uma das características mais
comuns nas terapias de massagem.

Normalmente, os iniciantes em massagem começam a carreira com a


massagem relaxante por ser muito gostoso de receber e incluir a maioria das
manobras usadas nas massagens terapêuticas. Na verdade, as massagens relaxantes
são muito terapêuticas, combatendo o estresse e melhorando o funcionamento do
corpo.

Massagens relaxantes mundialmente famosas

Antiestresse ou Anti Stress - Usa deslizamentos leves e amassamentos leves


para estimular a produção do hormônio ocitocina para diminuir o estresse do dia a dia.
O toque leve estimula hormônios de bem estar e aumenta a circulação de sangue na
pele e na musculatura, que tende a relaxar. Normalmente é feita com suavidade para
o cliente não sentir dores, o que é contra-indicado neste tipo de massagem. A
massagem antiestresse vem no ocidente, da massagem clássica ou massagem sueca.

1
Aromoterapia - A técnica usa óleos aromáticos essenciais. Diz-se que foi
desenvolvida no Egito ou alguma outra cultura antiga. A aromoterapia atua nos
processos emocionais e mentais. Os óleos usados são as substâncias que as plantas
produzem para se defender contra os predadores, bactérias e fungos. As formas mais
usadas são com inalação, massagens ou banhos.

Bowen Massagem - feita com muita leveza e suavidade para estimular a divisão
nervosa autônoma chamada parassimpática. O sistema parassimpático estimula o bom
funcionamento do intestino e baixa a pressão sanguínea. O sistema parassimpático
também estimula os órgãos sexuais. Bowen é um tipo de massagem relaxante. Foi
desenvolvido por Tom Bowen, na Austrália. A massagem tenta estimular o sistema de
autocura que é inata no cliente.

Do-In - Massagem japonesa que utiliza os meridianos da acupuntura para


equilibrar as energias do corpo. Equilibra e desbloqueia o fluxo de Ki, a energia vital
segundo a medicina chinesa tradicional. A técnica é muito usada para fazer
automassagens, em que a pessoa pode apertar pontos no corpo para aliviar
problemas. É considerada muito relaxante.

Facial - Aumenta a elasticidade da pele e a circulação no rosto, diminui olheiras,


rugas e inchaços. Ajuda na eliminação das células mortas acumuladas no rosto. Usa
pontos reflexos existentes na face para aliviar sintomas de dor ou estresse. Por ser
uma massagem leve é considerada relaxante.

Quick Massage - Massagem rápida em cadeira, que dura de 10 a 30 minutos. A


técnica não usa óleos e é aplicada diretamente sobre as roupas das pessoas. Muito
comum em shoppings, aeroportos, empresas, casamentos, parques ou em escritórios,
é uma forma muito popular de profilaxia e relaxamento.

Reflexologia - Pressões nas zonas reflexas do pé ou da mão para estimular e


desbloquear a energia dos órgãos internos das pessoas. Cada ponto tem um órgão
correspondente, como se o pé fosse um mini mapa do corpo todo. A sola, os lados e a
parte de cima do pé englobam todos os órgãos do corpo. Por meio de pressões
(acupressura), é possível estimular e desbloquear a energia dos órgãos e relaxar o
corpo. A reflexologia sempre começa com uma massagem relaxante nos pés antes do
tratamento.

Massagem Relaxante - Usa deslizamentos e amassamentos no corpo todo para


relaxar a musculatura e diminuir o estresse acumulado no corpo. Estimula,
principalmente, a liberação de ocitocina, um hormônio de anti estresse. Normalmente
a massagem relaxante é feita de forma mais leve e lenta para o paciente não sentir
dores. A massagem relaxante é muito parecida com a massagem antiestresse. A

2
técnica usa óleos essenciais e música suave no fundo para aumentar o relaxamento. É
muito usada em Spa`s, consultórios de massagens e muitas pessoas aprendem a
técnica para usar em casa como uma forma alternativa de tratamento e para gerar
mais bem estar.

Shantala Massagem - Relaxante para recém nascidos e bebês.

Esta massagem traz o aumento da circulação, relaxamento, ajuda no


crescimento, melhora intestinal e auxilia gradativamente o desenvolvimento dos
movimentos, tornando-os mais harmônicos e coordenados. A técnica foi criada na
Índia, onde é usada como um tratamento muito comum em bebês.

Massagem Sueca - É o mesmo que a massagem clássica. Esta técnica foi


desenvolvida com base nas massagens antigas da Grécia e do império romano. A
massagem sueca pode ser aplicada de várias formas, ambas forte e fraca e é o tipo de
massagem mais usado no ocidente. Ele ajuda a drenar as toxinas do corpo como o
ácido láctico e a recuperar músculos tensos fornecendo um alívio nos tendões. A
massagem aumenta a circulação sanguínea e libera hormônios antiestresse.

Fonte: https://www.cursosmassagem.com.br/massagens-relaxantes.php

MASSAGENS RELAXANTES E SEUS BENEFÍCIOS

É reunião atrás de reunião, o trânsito que está sempre caótico e, no fim do dia,
a tensão não dá trégua. A melhor solução para todo esse estresse é relaxar. E uma boa

3
pedida para aliviar as tensões do dia a dia e alcançar um pouco de calma são as
massagens, que de quebra também estimulam os sistemas circulatório e imunológico.

Massagem Sueca

Essa técnica surgiu na Suécia, e é baseada em uma sequência com cinco


manobras: deslizamento, pressão, amassamento, vibração e percussão. Neste tipo de
massagem, costuma ser usual a aplicação de determinados óleos de massagem ou pó
de talco, para reduzir a sensação de fricção.

“A massagem não propõe apenas o relaxamento, mais uma cascata de


benefícios que provém de técnicas específicas para cada paciente de acordo com sua
necessidade. Ela aumenta a circulação sanguínea, além de aliviar o estresse”, comenta
Sueli Szterling, massoterapeuta e proprietária do Espaço Kurma, em São Paulo.

Por isso, a massagem sueca é especialmente indicada para quem estiver


sofrendo com enrijecimento muscular, tensões, insônia, ansiedade, depressão,
edemas e dores musculares.

Destoxi Drenante

Esse tipo de massagem tem como intuito desintoxicar e drenar o organismo, o


que faz reduzir o inchaço. A destoxi drenante contribui, portanto, para diminuir a
flacidez e proporciona relaxamento muscular. O indicado é fazer a massagem até três
vezes por semana. Dessa maneira, a técnica pode trazer diversos benefício para o
organismo, como:

desintoxicar;

aliviar dores;

diminuir edemas;

relaxar a musculatura;

equilibrar as funções metabólicas;

combater a flacidez.

E uma boa notícia: as grávidas podem usufruir da destoxi drenante. A única


ressalva é comunicar o obstetra antes de iniciar o tratamento.

4
Abyanga

Oriunda da ayurvédica, esse técnica utiliza óleos vegetais para aplicar a


massagens por toda a extensão do corpo do paciente. A massagem não indicada é para
grávidas ou as mulheres que estejam no período menstrual, pois ela pode aumentar
muito o fluxo.

Entre seus principais benefícios estão:

a remoção das toxinas das células;

melhora dos sistemas circulatório, imunológico e digestivo;

lubrificação e reforço dos músculos, tecidos e articulações;

suavidade, elasticidade e brilho para a pele;

dissolução de estresse, tensão emocional e ansiedade;

reconexão espiritual;

alívio de tensões e dores musculares e aumento da flexibilidade.

Fonte: http://arevistadamulher.com.br/viver-bem/content/2448759-confira-5-tipos-de-massagens-
relaxantes-e-seus-beneficios

MASSAGEM AYURVÉDICA

A técnica mistura métodos de Yoga e Ayurveda. “Segundo o indiano Keshav,


especialista na técnica, o tipo de massagem ayurvédica é baseado em três princípios:
energia vital, circulação sanguínea e respiração. A massagem é feita por meio de
toques profundos e vigorosos e utiliza produtos naturais, como o óleo vegetal. Este
lubrificante é esquentado em um recipiente e aplicado em temperatura morna na
pele”, afirma Fabiane Evangelista, fisioterapeuta dermato-funcional, do Rio de Janeiro.

Ainda segundo Fabiane, a técnica começa a ser realizada pela coluna do


paciente, que é a base de sustentação do corpo. Depois disso, os movimentos são
estendidos ao pescoço, ombros, pernas, barriga, peito e rosto.

5
“Essa técnica oferece um grande estado de relaxamento, melhora a circulação
do sangue e da energia, relaxa e estimula os músculos. Através da prática, as toxinas
presentes nos músculos e no corpo são liberadas, resultando num efeito detoxificante
e relaxante”, conta Roberto Debski.

O tipo de massagem ayurvédica pode ser indicado para pessoas de todas as


idades, desde que não exista nenhuma contra indicação de origem médica para
receber a técnica.

Fonte: http://arevistadamulher.com.br/viver-bem/content/2448759-confira-5-tipos-de-massagens-
relaxantes-e-seus-beneficios

Datada há mais de 5000 anos, a massagem ayurvédica é uma poderosa


medicina que encara a pessoa como um ser integral e age na causa das doenças.

A massagem ayurvédica (Ayur significa Vida e Veda significa Ciência ou


Conhecimento) é uma técnica de massagem muito utilizada por médicos e terapeutas
ayurvédicos, e como descrito no artigo “História e Origem da Medicina Ayurveda“, é
conhecida como a mais completa e mais antiga técnica de massagem natural, tendo
sido criada há mais de 5 mil anos segundo registros históricos, e segundo estudos, esta
técnica é mais praticada na Índia, onde cerca de 80% da população pratica esta técnica
milenar.

Benefícios da massagem ayurvédica

6
Segundo relatos profissionais, a massagem ayurvédica pode ser realizada em
pessoas de qualquer idade e não há nenhuma contraindicação aparente. Este tipo de
técnica é muito indicada e eficaz nos seguintes casos:

pessoas que sofrem com dores musculares moderadas

enxaqueca

problemas na coluna (como má postura)

depressões

síndrome do pânico

estresse

ansiedade

Mais sobre o que é massagem ayurvédica

A massagem ayurvédica é aplicada através de profundos e vigorosos toques


com as mãos, cotovelos e até com os pés, proporcionando grande relaxamento,
estimulando os músculos e a circulação sanguínea, liberando assim substâncias tóxicas
presas aos tecidos e músculos do nosso corpo.

A prática da massagem ayurvédica, segundo as crenças do povo que a pratica


há milênios, traz muito além de benefícios físicos. A aplicação da terapia causa uma
harmonização entre a parte espiritual, mental e emocional, balanceando as energias
do corpo, causando uma “purificação” em quem está recebendo a massagem.

Curiosidades

Segundo relatos de pessoas que receberam essa técnica de massagem indiana,


depois de uma sessão de massagem ayurvédica, as pessoas saem mais leves, mais
alegres, com um brilho diferente no olhar, sendo fisicamente visíveis os efeitos dessa
terapia.

Ao explicarmos o que é massagem Ayurvédica ou qualquer outra terapia não


convencional, precisamos sempre lembrar que a visão da nossa medicina tradicional
costuma tratar os sintomas e não as causas das doenças.

7
Segundo a formação em medicina Ayurveda, ficamos doentes quando há
bloqueio ou obstrução do Prana (energia vital) causado por diversos fatores já citados.
Portanto, a Ayurveda tem como objetivo tratar a pessoa como um todo e não só nos
sintomas relatados pelo cliente.

Fonte: http://www.dicasdemassagem.com/o-que-e-massagem-ayurvedica

SHIATSU

É um tipo de massagem de origem milenar, baseada na medicina tradicional


chinesa e na medicina oriental, tem a finalidade de melhorar a saúde e proporcionar o
bem-estar. “Shiatsu é uma palavra de origem japonesa que significa pressão (“atsu”)
com os dedos (“shi”), mas pode ser feita também com os cotovelos, palma das mãos, e
joelhos”, esclarece Roberto Debski, médico, especialista em homeopatia e acupuntura
pela Associação Médica Brasileira.

A massagem shiatsu é realizada com o paciente na posição deitada e pode-se


utilizar óleos essenciais para facilitar o deslizar das mãos. “O terapeuta realiza pressão
em pontos de regiões em que há dor ou tensão, com a finalidade de promover a
circulação da energia e do sangue, o relaxamento muscular e a analgesia”, explica o
médico.

O shiatsu é um tipo de massagem que pode ser indicado para:

8
dores em geral (como dor de cabeça, enxaqueca, dor nas costas, músculos e
articulações);

problemas emocionais e psicossomáticos (como a ansiedade e o estresse);

alterações do sono;

lesões do esporte;

falta de vitalidade;

distúrbios alimentares;

melhorar a circulação sanguínea e a circulação dos vasos linfáticos.

“Através do shiatsu, é possível conseguir o alívio das tensões musculares,


melhora da postura, reequilíbrio da circulação do sangue e do fluxo energético do
organismo. E esse tipo de massagem promove a eliminação de toxinas, melhora a
qualidade do sono, causa sensação de relaxamento, acalma, traz bem-estar, mais
disposição, energia e vitalidade”, complementa Debski.

Qualquer pessoa pode fazer uma sessão de shiatsu, a única exceção são as
crianças pequenas e bebês. Nesses casos, é mais indicada a massagem shantala ou
relaxante. Além disso, de acordo com Marcos Yshida Ferrari, massoterapeuta do
Espaço Kurma, em São Paulo, a técnica também é contraindicada para mulheres no
primeiro trimestre gestação e não pode ser feita em membros com varizes.

Fonte: http://arevistadamulher.com.br/viver-bem/content/2448759-confira-5-tipos-de-massagens-
relaxantes-e-seus-beneficios

SHIATSU: O PODER DO TOQUE HUMANO

O Shiatsu é uma prática terapêutica com bases na medicina tradicional oriental


e cuja missão principal é encaminhar os seus praticantes para um estado completo de
saúde e de bem-estar. Como é conseguido? Através da pressão, com as mãos e dedos,
de pontos vitais do corpo, que ajudam a reequilibrar as nossas energias internas, para
uma cura natural e progressiva. Aliás, Shiatsu é uma palavra japonesa que significa isso
mesmo – pressão (“atsu”) com os dedos (“shi”).

9
De onde veio?

O Shiatsu tem as suas origens numa prática com mais de dois mil anos de
existência – a "Tao Yin" – que, através de exercício físico, técnicas de respiração,
massagens e meditação, procurava devolver ao organismo a fluição natural e “ki”, a
“força da vida” que, aliás, rege a medicina oriental. Introduzida no Japão por volta do
século VI, os japoneses aperfeiçoaram a técnica ao estudar e desenvolver um método
muito próprio: o diagnóstico e tratamento abdominal.

Conhecido durante muito tempo como “Anma”, o Shiatsu ganhou estatuto


próprio ao distanciar-se da medicina propriamente dita e integrar as práticas de
fisioterapia e de quiropraxia, aliada às técnicas de pressão exercidas sobre o corpo
com recurso apenas aos dedos.

No início do século XX, o terapeuta japonês Tamai Tempaku associou os


conhecimentos modernos de anatomia e de fisiologia aos métodos de tratamento
orientais antigos e obteve o primeiro esboço do Shiatsu como é hoje conhecido – o
"Shiatsu Ryoho" deu mais tarde lugar ao "Shiatsu Ho" até ser simplesmente baptizado
de Shiatsu.

Em 1964, o governo japonês reconheceu o Shiatsu enquanto terapia


independente e distinta, tanto da antiga “Anma”, como da massagem ocidental.

De que se trata?

Recorrendo à pressão dos dedos, o Shiatsu trabalha em cima dos canais de


energia do corpo (meridianos), numa tentativa de equilibrar o fluxo da energia vital
para a vida (o "ki" – que não vemos, mas sentimos), que pode estar bloqueado, em
défice ("kyo") ou em excesso ("jitsu") no organismo.

Ao normalizar o “ki”, devolve-se ao corpo a capacidade de se defender das


doenças, garantindo assim, o seu funcionamento pleno. Isto é conseguido através dos
movimentos manuais feitos nos cerca de 365 pontos de pressão, ou “tsubos”, que
existem no corpo humano. Saiba que um meridiano com excesso de energia vai
apresentar-se tenso e dorido, enquanto um meridiano com falta de energia vai
apresentar-se suave e indolor.

10
A técnica

Curar com as mãos é a base do Shiatsu, cuja técnica é extremamente simples: o


terapeuta utiliza os dedos, os polegares, as mãos e as palmas das mãos, os cotovelos e
os joelhos para pressionar, alongar e massagar o corpo nos pontos adequados
(“tsubos”) ou simplesmente através de movimentos rotativos com os braços ou
pernas.

As pessoas (e o corpo humano!) respondem muito bem ao toque,


principalmente se este for direccionado para as zonas carenciadas. E é precisamente
isso que está por de trás da terapia Shiatsu – ajustar a estrutura física do corpo, assim
como as suas energias interiores, de forma a prevenir as doenças e manter uma saúde
de ferro.

Os 12 meridianos

Segundo a medicina oriental, a energia (“ki”) percorre o nosso corpo de cima a


baixo e vice-versa, seguindo uma linha que se encontra dividida em 12 meridianos
pares – simetricamente colocados em cada lado do corpo. São uma dúzia de áreas que,
apesar de terem sido batizadas com o nome do órgão que nela se encontra, possui
características orgânicas, mas também psicológicas ou emocionais e que não estão
relacionados exclusivamente com esse órgão.

Se, por exemplo, o terapeuta lhe disser que o seu meridiano do coração
necessita de tratamento, não quer dizer que o órgão-coração está doente, mas antes
que precisa de apoio emocional. Existem ainda dois meridianos ímpares, duas
“artérias” que percorrem o eixo do corpo – o vaso-anti-concepção (na parte anterior
do corpo) e o vaso-governador (na parte posterior do corpo).

1 - Pulmões

2 - Mestre do Coração/Pericárdio/Circulação-Sexo

3 - Coração

4 - Intestino Delgado

5 - Triplo-Aquecedor

6 - Intestino Grosso e Fino

7 - Baço-Pâncreas

11
8 - Fígado

9 - Rins

10 - Bexiga

11 - Vesícula Biliar

12 - Estômago

O Shiatsu é ideal para…

Não sendo uma técnica que pode curar doenças sozinha, o Shiatsu é
especialmente poderoso quando utilizado em conjunto com outras terapias orientais
ou até convencionais. O seu principal objectivo é devolver ao doente elevados níveis
de energia, regular e fortalecer o funcionamento dos órgãos, estimulando a resistência
natural do organismo contra as doenças e outros problemas de sáude, quer físicos,
quer emocionais ou psicológicos. Neste sentido, é mais correcto afirmar que o Shiatsu
não cura, mas ajuda a curar, até porque concentra todos os seus poderes curativos na
saúde e não na doença. Está indicado principalmente para:

Dores de cabeça/enxaquecas

Dores de costa/coluna/pescoço/ombros

Dificuldades emocionais (depressão, baixa auto-estima…)

Stress/Tensão/Ansiedade

Cansaço/Fraqueza

Insônias

Distúrbios intestinais

Perturbações menstruais

Problemas respiratórios (asma, bronquite…)

Problemas reprodutivos

Sinusite

Constipações e tosse

Tensão muscular

12
Artrite

Lesões desportivas

Quais os seus benefícios?

O Shiatsu funciona como catalisador no processo de cura, sendo que a cura não
é uma experiência imediata, mas sim um percurso contínuo. São muitos os benefícios
desta terapia holística, destacando-se uma maior flexibilidade da pele e dos músculos,
melhorias ao nível dos sistemas circulatório, digestivo, ósseo, endócrino e nervoso.

O objetivo é criar um equilíbrio físico, mental e espiritual; e dotar a pessoa de


um maior conhecimento e capacidade de leitura do seu próprio corpo, alertando-a
para a importância de um estilo de vida harmonioso e saudável.

Shiatsu vs Massagem

Muitas vezes denominada de “massagem oriental”, e embora partilhe algumas


das mesmas características (pressão das mãos no corpo para aliviar a tensão muscular
e as articulações presas), na realidade o Shiatsu é muito mais do que uma simples
massagem. Isto porque, mesmo que o problema esteja numa zona específica do
organismo, o terapeuta trabalha o corpo, ou melhor o sistema energético, por
completo.

Contra-Indicações & Efeitos Secundários

Enquanto tratamento para infecções, doenças contagiosas, fracturas ou varises,


o Shiatsu não é recomendado, a não ser que seja administrado em conjunto com
tratamentos médicos convencionais.

Não deve ser praticado por grávidas nos primeiros três meses de gestação.

Salvo estas exceções, pode ser efetuado por qualquer pessoa. Em termos de
efeitos secundários são raros, no entanto, há quem sinta dor de cabeça, rigidez nos
músculos, frio, má disposição, diarreia, maior vontade de urinar, cansaço ou fraqueza
após uma sessão. Estes sintomas são passageiros, desaparecendo nas 12 horas
seguintes. Para aliviar algum desconforto sentido na pós-sessão, aconselha-se
descanso, o consumo de bastante água e que se mantenha agasalhado.

13
O diagnóstico

Antes da primeira sessão, o terapeuta elaborará um diagnóstico baseado no


seu atual problema, historial médico, estilo de vida, hábitos alimentares e de exercício
físico. Mas fará também um diagnóstico visual (do seu aspecto geral, tom de pele,
postura e forma de caminhar); um diagnóstico auditivo (não apenas se ouve bem ou
não, mas também do som da sua voz – se é tímida, tensa, nervosa, alta…); um
diagnóstico baseado no toque ou o diagnóstico “hara” (“hara” significa abdómen e
esta parte do corpo é alva de uma observação cuidadosa porque, sendo uma zona
central, denuncia precisamente as áreas "kyo" e "jitsu").

Prepare-se para a primeira sessão

As sessões de Shiatsu têm a duração de aproximadamente uma hora e são


realizadas num tapete específico que é colocado no chão ou numa cadeira própria
para o efeito. Deve ir equipada com roupa larga e confortável (ao contrário das
massagens convencionais, o Shiatsu não requer que a pessoa se dispa) e procure não
comer uma refeição pesada, nem beber álcool nas duas horas que antecedem o
tratamento.

Tente manter-se descontraído e relaxado durante a sessão de Shiatsu, feche os


olhos e não fale – a não ser que esteja a sentir muitas dores, nesse caso informe de
imediato o terapeuta. No final da sua primeira sessão, pode não sentir nada, pode
sentir-se extremamente cansado ou até com muita energia.

Regra geral, há um sentimento de tranquilidade, leveza e de bem-estar, logo


após a primeira experiência Shiatsu. No entanto, aconselha-se a realização de três ou
quatro sessões, ao longo de um período de 4-6 semanas, para garantir a obtenção de
bons resultados. Cada sessão de Shiatsu custa entre €40-€50.

Fonte: https://bemtratar.com/artigos/shiatsu-o-poder-toque-humano

A SHANTALA COM BEBÊS

14
A Shantala é mais do que um técnica de massagem – é um ato que reforça
aspectos indispensáveis desde o primeiro respirar do bebê no mundo: o amor, o
carinho e o contato.

A massagem poderá acalmar ou deixar seu bebê mais agitado, por isso você
deve observar seus efeitos e adequá-la ao melhor momento do dia. O mais importante
é notar a disposição do bebê em receber a massagem.

Primeiro, prepare o ambiente de forma aconchegante, ajustando uma


iluminação confortável. Você poderá usar um colchão ou um trocador onde você e seu
bebê deverão ficar. A temperatura do ambiente deve estar agradável. Retire anéis ou
pulseiras para que não atrapalhem. Por fim, aqueça suas mãos e utilize um óleo
vegetal para untá-las. Sente-se com suas pernas esticadas acomodando o bebê sobre
elas e inicie a massagem:

1° Comece massageando o peito. Movimente suas mãos do centro do tórax em


direção à axila. Repita o movimento de 5 a 10 vezes.

2° Agora, o movimento deverá partir do tórax e ir em direção aos ombros do


pequeno.

3° Segure o pulso do bebê com uma de suas mãos, formando uma espécie de
bracelete. Depois, com a outra mão, forme um bracelete próximo ao ombro do seu
pequeno e deslize-o até o encontro da outra mão, em movimento de rosca. Repita o
movimento sucessivamente.

4° Agora é a vez das mãozinhas. Use seu polegar para massagear, começando
da palma e indo em direção aos dedinhos. Depois, puxe delicadamente cada um deles
e os aperte suavemente.

5° Posicione suas duas mãos na altura do peito do bebê e desça até a altura da
bexiga. Repita de 3 a 6 vezes. (Obs: Essa é uma ótima técnica para o alívio das cólicas!)

15
6° Faça um leve movimento de torção começando na base da coxa do bebê e
indo até seus tornozelos, massageando toda sua perninha. Você pode repetir esse
movimento até 10 vezes em cada uma das pernas.

7° Massageie seus pezinhos usando também seu polegar, puxando e apertando


os dedos, assim como nas mãozinhas.

8° Agora, posicione seu bebê virado de costas para você. Ele ficará de bruços
em suas pernas. Coloque suas mãos na altura dos ombros e desça com elas até a
altura dos quadris. Depois, faça o movimento inverso, partindo dos quadris em direção
aos ombros. Dê leves batidinhas ao longo das costas.

9° Você poderá massagear agora seu rostinho suavemente.

10° Você também pode fazer a Padmasana (posição de lótus), cruzando suas
perninhas e as impulsionando em direção à barriga.

Esses são alguns passos desta técnica milenar que, além de proporcionar
benefícios orgânicos, reforça os laços entre o bebê e suas figuras de afeto.

16
Fonte: https://leiturinha.com.br/blog/shantala/

OS BENEFÍCIOS QUE A MASSAGEM TRAZ PARA OS BEBÊS

Segundo o ensinamento tradicional, a técnica indiana pode ser aplicada nos


bebês a partir do primeiro mês de vida. Mas para o pediatra Alessandro Danesi, do
Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, a massagem é recomendada desde os primeiros
dias do recém-nascido, em razão dos benefícios que ela traz para o bebê. Abaixo,
listamos os principais. Confira:

1. Os toques, que abrangem todo o corpo do bebê, trabalham as regiões do


corpo: peito, barriga, costas, pernas, braços e rosto. A criança fica mais tranquila e
menos chorosa e dá menos trabalho na troca de fraldas e durante as refeições. Além
disso, o relaxamento contribui para o alívio das cólicas e garante um sono gostoso.

2. A massagem no peito melhora a respiração porque expande a caixa torácica.


Os movimentos na barriga auxiliam o funcionamento do intestino e do estômago. A
própria posição em que o bebê fica, de costas, estimula a coluna vertebral, e a
movimentação de braços, mãos, pernas e pés facilita o desenvolvimento da
musculatura e o aprendizado de abrir e fechar, pegar e soltar.

3. A shantala ainda traz a consciência corporal. “A criança ganha mais noção de


espaço e dos limites do seu corpo, se movimenta melhor. À medida que ela vai
crescendo, não cai com facilidade e não esbarra tanto nas coisas enquanto anda de um
lado para o outro”, lembra a terapeuta Veena Mukti.

4. A maior abertura no contato com outras pessoas é mais uma vantagem. Já


que o pequeno possui esse contato físico de amor com os pais, tende a se tornar mais
receptivo ao toque em geral e a ter mais facilidade para se relacionar.

5. Um benefício extra é proporcionado para os bebês que nasceram de cesárea.


Como não receberam a massagem original, ao passar pelo canal da vagina, eles podem
se beneficiar muito dos movimentos da shantala.

Fonte: https://bebe.abril.com.br/familia/shantala-aprenda-passo-a-passo-a-fazer-a-massagem-que-os-
bebes-adoram/

17