Você está na página 1de 8

4ª Dinastia

D. João IV Duque de Bragança (1640-1656)

Fim do reinado da dinastia filipina e restauração da


independência portuguesa. Quando morreu, o reino não estava
ainda em segurança absoluta, mas D. João IV tinha-lhe
construído umas bases suficientemente sólidas para vencer a
crise. Sucedeu-lhe D. Afonso VI, seu segundo filho.
D. Afonso VI (1656 -1683)

Quando morreu D. João IV, o seu filho Afonso VI tinha 13 anos


de idade. A mãe de Afonso, Luísa de Gusmão, actuou como
regente até que, em Junho de 1662, ele começou a governar.
Foi substituído pelo irmão e foi preso em Sintra até à sua morte.

D. Pedro II (1683 - 1706)

Durante o reinado de Pedro II, Portugal recuperou do esforço


das guerras contra Espanha e começou a beneficiar da
descoberta de ouro e pedras preciosas do Brasil.
D. João V (1706 - 1750)

No reinado de D. João V, Portugal atingiu um grau de


prosperidade ainda nunca conseguido desde a Restauração da
Independência. A Portugal chegavam cada vez mais pedras
preciosas e ouro do Brasil.
- Inaugurou academias reais, palácios (Convento de Mafra e
outros) e livrarias.

D. José I (1750 -1777)


Foi no reinado de D. José que ocorreu o grande terramoto de
1755. O seu primeiro-ministro era o Marquês de Pombal,
Sebastião José de Carvalho e Melo.
- Proíbe o tráfico de escravos no reino.
D. Maria I (1777 – 1816)

Demitiu o Marquês de Pombal porque achava que ele tinha


poderes a mais. Era muito religiosa. Em 1792 deixou de governar
porque estava doente. O seu filho, que à sua morte se tornou D.
João VI (1816-26), governou em seu nome e em 1799 tornou-se
príncipe regente.
Foi neste período que houve as 3 invasões francesas mandadas
por Napoleão Bonaparte. Perante a ameaça dos franceses, em
1807, a rainha D. Maria, o príncipe regente D. João e a Corte
fugiram para o Brasil em muitos barcos carregados de muitas
riquezas.
D. João VI (1816 - 1826)

- Revolução de 1820.
Como havia guerra em Portugal D João VI regressou a Lisboa em
1821 e o seu filho mais velho Pedro ficou a governar o Brasil.
Quando D. João VI morreu (10 de Março de 1826), não tinha
deixado indicações sobre a sucessão ao trono excepto que a sua
filha Maria Isabel seria nomeada regente.

D. Pedro IV (1826 e 1834/1836)

Durante o seu reinado houve guerra em Portugal entre os


apoiantes de D. Pedro e de D Miguel.
- Declaração da independência do Brasil.
D. Miguel I (1828- 1834)

D. Miguel, irmão de D. Pedro fez-se aclamar rei absoluto com


todos os poderes. A guerra dos dois irmãos terminou com o exílio
de D. Miguel I (Junho) e a morte de D. Pedro IV (24 de
Setembro de 1834).

D. Maria II (1826 - 1853)


Maria da Glória tornou-se rainha como D. Maria II com a idade
de 15 anos.
O seu reinado foi passado num dos mais conturbados períodos da
nossa história, vários acontecimentos históricos se passaram: a
Guerra Civil…
Foi mãe dos reis D. Pedro V e D. Luís, dois dos seus 11 filhos.
D. Pedro V (1853 - 1861)

Sucedeu a D. Maria II, o seu filho mais velho, D. Pedro V.


Prometia ser um monarca capaz mas morreu de febre tifóide.
- Primeira viagem de comboio em 1856.

D. Luís I (1861 - 1889)


Durante o seu reinado houve paz em Portugal e a vida das
pessoas melhorou muito.
- Inauguração da rede telefónica em Lisboa
- Acabou com a Pena de Morte para os presos em Portugal.
D. Carlos I (1889 - 1908)
– Em 1890 é autorizado o acesso das raparigas aos liceus
públicos.
- Primeiros automóveis a circular em Portugal.
Em 1 de Fevereiro de 1908, D. Carlos I e o seu filho herdeiro
Luís Filipe, foram assassinados quando viajavam numa carruagem
em Lisboa, vindos de Vila Viçosa.
O regicídio foi aplaudido pelos republicanos, que imediatamente
começaram o ataque final contra a monarquia.

D. Manuel II (1908 - 1910)


A D. Carlos sucedeu o seu filho mais novo D. Manuel. Este rei
procurou o apoio dos monárquicos mas era tarde demais. No dia 5
de Outubro de 1910 foi proclamada a República
D. Manuel e sua mãe a rainha D. Amélia escaparam para a Ericeira
e daí por mar para Gibraltar e Inglaterra. Na sua morte em 1932
o seu corpo foi trazido para Portugal.

João Figueira