Você está na página 1de 19

Recurso 2

Questionário – Portugal: do autoritarismo à democracia

O que é a democracia?
A 28 de maio de 1926, um golpe militar liderado pelo general Gomes da Costa derrubou o
governo. Ao dissolver o Congresso e suspender as liberdades individuais – como a liberdade de
expressão e de reunião – os militares deram início à ditadura militar.

Os governos da ditadura militar não conseguiram resolver os problemas económicos nem


garantir a estabilidade política. O défice das contas do Estado e a dívida externa agravaram-se.

Em 1928, os militares convidaram Salazar para ministro das finanças. O êxito que obteve ao
equilibrar as contas do Estado contribuiu para que, em 1932, se tornasse chefe do governo,
cargo que ocupou até 1968, quando, devido a doença, foi substituído por Marcelo Caetano.

1. Lê a cronologia. Depois, localiza no tempo o período que corresponde:

a) à Ditadura Militar;
b) ao Estado Novo;
c) à Guerra Colonial;
d) ao governo de Salazar;
e) ao governo de Marcelo Caetano.
f) à República democrática;
g) à República ditatorial.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
1
2. Vê a animação do recurso 1, “As características do Estado Novo” e consulta o teu
manual.

2.1. Completa o quadro, selecionando as alíneas corretas.

a) Salazar apoderou-se dos poderes legislativo e executivo.


b) Proibição de organizações políticas, com exceção da União Nacional.
c) Portugal era visto como uma grande nação, enaltecendo-se a extensão, riqueza e
diversidade do império português.
d) Supressão das liberdades individuais: expressão, reunião e direito à greve.
e) Criação da Legião Portuguesa e da Mocidade Portuguesa.
f) Existência de censura e de uma polícia política.
g) Criação dos grémios – subordinação dos patrões aos interesses do Estado.
h) As colónias/ províncias ultramarinas eram consideradas parte integrante de Portugal.
i) As colónias/províncias ultramarinas forneciam matérias-primas e serviam de mercados
de escoamento dos produtos excedentários da metrópole, contribuindo para fortalecer o
nacionalismo económico.
j) Não se promoveu o desenvolvimento económico das colónias/províncias ultramarinas.
k) Nacionalismo.
l) Corporativismo.

Características do Estado Novo


Controlo da
Poder ditatorial Colonialismo
população
Enaltecimento de Criação de
alguns sindicatos
acontecimentos, nacionais
figuras e épocas controlados pelo
da História de governo –
Portugal. subordinação dos
trabalhadores
aos interesses do
Estado

2.2. Seleciona o título do quadro correto para legendares as fontes numeradas de 1 a 4


Justifica.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
2
Fonte 1 Fonte 2 Fonte 3 Fonte 4

3. Vê as animações do recurso 3, “A oposição ao Estado Novo” e consulta o teu manual.


Depois, refere:

a) o que aconteceu em 1945;


b) as ações militares;
c) as ações estudantis.

4. Ouve o excerto da canção “Os vampiros”.

4.1. Assinala as alíneas corretas com um X.

a) “Os vampiros” significam o poder financeiro que provoca a pobreza.


b) “A manada” significa o povo português que vivia com dificuldades.
c) “Os vampiros” significam os animais selvagens que atacavam as manadas de gado
durante a “noite escura”.
d) As canções de intervenção eram uma forma de mobilizar e agitar a população.
e) As canções de intervenção apelavam à luta social contra as más condições de vida
e contra a ditadura.
f) As canções de intervenção apelavam à população para que apoiasse a ditadura
salazarista.

5. Vê o vídeo do recurso 4, “A Guerra Colonial”. Depois, observa as fontes 5 e 6 e lê as


fontes 7 e 8.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
3
Fonte 5 – Cartaz de propaganda do Estado Novo.

Fonte 6 – O império colonial português na década de 1960.

Fonte 7 – Salazar e a descolonização

Nos territórios portugueses em África não existe, fora da unidade nacional


portuguesa, autêntico nacionalismo. Nós acreditamos pois […] que nenhum
benefício resultaria, nem para as populações dos territórios portugueses, nem para a
Nação portuguesa, de uma decisão que envolvesse a quebra dos laços políticos que
dão união ao conjunto. Tão-pouco julgamos que daí tirasse o Ocidente alguma
vantagem.

Carta de Salazar ao governo dos EUA, 29 de fevereiro de 1964 (adaptado)

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
4
Fonte 8 – A denúncia do colonialismo

Para os africanos, o colonialismo português é um inferno […]. Para proteger as


indústrias portuguesas periclitantes, os africanos são obrigados a comprar produtos
portugueses, de segunda categoria, a preços elevados, e a vender os seus produtos
aos colonos comerciantes, a preços muito mais baixos do que estes recebem aquando
da revenda.

Amílcar Cabral, Obras Escolhidas, Lisboa, 1972 (adaptado)

5.1. Refere:

a) a posição de Salazar em relação às colónias em África;

b) os argumentos utilizados para defender a sua posição.

5.2. Refere as consequências da posição defendida por Salazar.

5.3. Parece-te que o autor da fonte 8 concorda ou discorda do autor da fonte 7?


Justifica.

5.4. Assinala com um X a alínea que melhor completa a afirmação seguinte (justifica a
tua escolha):

Ao relacionar-se as fontes 5 e 6, conclui-se que…

a) … a política colonialista seguida por Salazar conduziu à Guerra Colonial.


Muitos países condenaram Portugal. Perante a hostilidade da comunidade
internacional, Salazar afirmava que Portugal estava “orgulhosamente só”.

b) … Salazar, ao defender que Portugal não era um país pequeno, pois


possuía um vasto império colonial que era parte integrante do território
nacional, recusou negociar a independência das colónias. Em
consequência, deu-se a Guerra Colonial, tendo muitos milhares de
militares portugueses ido combater em África. Mais de oito mil morreram.

c) … Salazar defendeu a manutenção do império português, afirmando que


Portugal ia “do Minho a Timor”. As colónias portuguesas abasteciam a

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
5
indústria da metrópole de matérias-primas e recebiam os produtos
excedentários.

5.5. Recorda o que estudaste sobre o anticolonialismo no após-guerra II Guerra


Mundial. Depois refere o que distingue Amílcar Cabral do Mahatma Gandhi quanto
às formas de luta pela independência.

6. Lê o esquema (fonte 9). Depois, observa as fontes 10, 11 e 12.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
6
Fonte 10 – Menino sapateiro (c.
1940). Durante o Estado Novo,
muitas crianças não iam à escola.

Fonte 11 – Produção agrícola/ha, em 1967


Fonte 9 (em toneladas).

Fonte 12 – Evolução
da população
absoluta em Portugal
(1870-1991).

6.1. Faz corresponder à informação do esquema as fontes que a “provam”. Justifica.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
7
7. Na tua opinião, a forma de governar de Salazar assemelhou-se mais à de um rei
absoluto ou à de um rei de uma monarquia constitucional? Justifica apresentando,
pelo menos, dois exemplos.

8. Vê a animação do recurso 5, “O 25 de Abril de 1974” e consulta o teu manual. Depois,


lê a cronologia.

Agora, indica:

a) quando acabou o Império Colonial Português;


b) quem foi o primeiro Presidente da República eleito democraticamente;
c) quando passou Portugal a ter uma constituição democrática.

9. Ordena cronologicamente (do mais antigo para o mais recente) os seguintes


acontecimentos, numerando-os de 1 a 8.

a) Marcelo Caetano substituiu Salazar na chefia do Governo.


b) Passa na rádio a canção “Grândola Vila Morena”.
c) Marcelo Caetano mantém a Guerra Colonial, a censura e a polícia política.
d) Os militares, muito descontentes com a Guerra Colonial, preparam uma ação para pôr
fim à ditadura.
e) Logo de madrugada, os militares vão para a rua, para ocupar as rádios, a televisão e
os aeroportos.
f) Marcelo Caetano entrega-se aos militares.
g) As tropas de Salgueiro Maia cercam o quartel da GNR, no Largo do Carmo, em Lisboa.
h) No Largo do Carmo, e como tinha acontecido antes, os populares apoiam os militares
das Forças Armadas.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
8
10. Assinala com um X as afirmações falsas, relativamente às primeiras medidas tomadas
após o 25 de Abril de 1974.

a) Os militares que fizeram o 25 de Abril entregaram a governação do país a uma


Junta de Salvação Nacional dirigida pelo general Spínola.
b) A polícia política (PIDE/DGS) foi extinta.
c) Manteve-se a Mocidade Portuguesa e a censura.
d) Manteve-se a Guerra Colonial.
e) Os exilados políticos regressaram a Portugal e os presos políticos foram
libertados.
f) Mário Soares e Álvaro Cunhal, dois antigos exilados políticos, participaram na
comemoração do 1.o de Maio, Dia do Trabalhador.

11. A democratização de Portugal foi um processo difícil. Lê a cronologia e visualiza o


vídeo do recurso 6, “Qual é o valor da tua ferramenta?”.

28-09-1974 Manifestação de apoio ao então presidente da República, general Spínola,


proibida pelo MFA. Foram presos vários políticos do Estado Novo, antigos
membros da Legião Portuguesa e alguns manifestantes.
Spínola demite-se e é substituído por Costa Gomes.

11-03-1975 Tentativa falhada de golpe de Estado levada a cabo pelo general Spínola. A
revolução radicalizou-se: foram decretadas as nacionalizações dos bancos,
companhias de seguros e grandes empresas.
No Alentejo e em parte do Ribatejo, deu-se início à Reforma Agrária.

25-11-1975 Ataques a sedes do Partido Comunista Português por todo o país. Setores da
esquerda mais revolucionária levam a cabo uma tentativa de golpe de
Estado. Paraquedistas de Tancos ocupam o Estado-Maior da Força Aérea e
várias bases aéreas. Oficiais moderados, sob o comando de Ramalho
Eanes, retomam o controlo da situação.
Fim da fase radical do processo revolucionário.

11.1. Refere o período de radicalização do processo revolucionário.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
9
11.2. Relembra o que aprendeste ao estudares a Revolução Soviética. Depois,
assinala com um X a opção correta (justifica as tuas escolhas).

a) O homem que segura a ferramenta defende a coletivização, enquanto o


homem que fala com ele defende a propriedade privada;

b) O homem que segura a ferramenta defende a propriedade privada, enquanto


o homem que fala com ele defende a coletivização;

c) O homem que defende a coletivização seria apoiante da “Revolução de


Outubro de 1917”.

d) O homem que defende a coletivização seria apoiante da “Revolução de


Fevereiro de 1917”.

12. Uma das medidas tomadas após o 25 de abril de 1974 foi pôr fim à Guerra Colonial.
Fez-se, então, a descolonização: Portugal negociou com os movimentos de libertação
africanos a independência das suas antigas colónias africanas.

Observa a fonte 13.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
10
Fonte 13 – Os novos países africanos, a integração de Macau na China
e a independência de Timor Leste em 2002.

12.1. Completa o texto seguinte, preenchendo os espaços em branco com as


palavras corretas.

Um dos principais objetivos do MFA era descolonizar. Rapidamente, o governo


português entrou em negociações com os movimentos de libertação das
colónias africanas, tendo em vista fazer a _____. Surgiram, então, novos países.
Na costa ocidental africana, a _____,em 1974 e a _____, em 1975, assim como
a _____de São Tomé e Príncipe. Moçambique, localizado na costa oriental
africana, tornou-se independente em 1975
O território de Macau voltou a ser território _____ em 1999, e Timor Leste
tornou-se independente em 2002. Terminou, assim, o Império Português, que se
tinha formado nos séculos _____ e _____O Brasil já se tinha tornado
independente em _____, logo após a Revolução_____ de 1820, que pôs fim
à_____ passando Portugal a ter uma _____.

12.2. Vê o vídeo do recurso 7, “A ponte aérea da TAP” e consulta o teu manual.


Depois, relaciona a informação da coluna A com a da coluna B do quadro.
Escreve o número e a alínea que lhe corresponde.

A B
1. O governo português garantiu a) Muitos portugueses
que os portugueses que viviam partiram de Angola à
nas antigas colónias pudessem pressa; outros ficaram e
vir para Portugal. outros foram mortos.
2. Em Angola, ainda antes da b) Foi organizada uma
independência, já havia uma ponte aérea: 900 aviões
guerra civil. trouxeram para Portugal
3. Muitos portugueses não cerca de 300 mil
tiveram tempo de vender os portugueses.
seus bens, como casas e carros. c) Muitos portugueses
4. Muitos portugueses já tinham chegaram aos aeroportos
nascido em Angola e não portugueses e não
tinham família em Portugal. tinham ninguém a
recebê-los nem para
onde ir.
d) Muitos portugueses
chegaram a Portugal sem
bagagem, trazendo
apenas a roupa que
tinham vestida.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
11
13. Apesar de a construção da democracia ter começado logo após o dia 25 de abril de
1974, só em abril de 1975 se realizaram as primeiras eleições livres. Todos os homens
e mulheres com pelo menos 18 anos puderam votar, o que nunca tinha acontecido em
Portugal.

Vê o vídeo do recurso 8, “Os órgãos de poder democráticos” e consulta o teu manual.

13.1. Completa o texto, preenchendo os espaços em branco. Seleciona a informação


correta do quadro.

Assembleia Constituinte; deputados; 18; eleições; Direitos; mulheres;


abril; poderes; Constituição; Monarquia Absoluta;
Constituição; homens; Estado Novo

Em abril de 1975, realizaram-se eleições para eleger os _________ para a __________.


A principal função dessa assembleia era elaborar uma nova ________ para substituir a
Constituição de 1933, que deu início à ditadura salazarista, período designado por
Salazar como ___________. Nas ________ participaram 91,6% dos portugueses com
direito a votar. Puderam votar__________ e ________ maiores de _____ anos, o que
nunca tinha acontecido em Portugal. A Constituição democrática foi aprovada
em________ de 1976.
Além de garantir a separação de _________ , como tinha acontecido, pela primeira vez
em Portugal, com a _________ aprovada em 1822, a nova Constituição também
contemplou as Liberdades e os ____________ dos Portugueses.

13.2. Lê o quadro. Depois, associa a informação da coluna A com a que se lhe opõe
na coluna B. Escreve o número e a alínea que lhe corresponde.

A B

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
12
No tempo da ditadura salazarista: Após a aprovação da Constituição de
1. Só alguns portugueses podiam 1976:
votar. a) Ninguém pode ser submetido a
2. A polícia política/PIDE tortura nem a tratos ou penas
perseguia, prendia e torturava cruéis.
os que fossem contra a b) Todos têm o direito de divulgar
ditadura. livremente o seu pensamento.
3. A censura impedia a divulgação c) Os cidadãos têm o direito de se
de notícias contra a ditadura. reunir pacificamente.
4. Os sindicatos eram controlados d) O sufrágio [direito de voto] é
pelo governo, e o direito de universal, igual e secreto e
manifestação e o direito à greve reconhecido a todos os
eram proibidos. cidadãos maiores de 18 anos.
5. Só era permitida a existência de e) É garantido aos trabalhadores a
uma organização política: a liberdade sindical e o direito à
União Nacional, mais tarde greve.
chamada Ação Nacional f) A liberdade de associação
Popular. compreende o direito de
6. Os ajuntamentos de pessoas constituir partidos políticos.
eram proibidos.

13.3. Agora, completa o esquema com a informação seguinte:

a) Presidente da República; b)Governo; c) Tribunais; d) Assembleia da República;


e) Fazer as leis; f) Executar as leis; g) Julgam os que são acusados de não respeitar as leis; h)
Nomear ou demitir o primeiro-ministro; i) Eleitores
7.

2. 3.6.
1.9.
4. 7.
5.8.
© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
13
13.4. Completa o texto seguinte, com base no esquema.

Os órgãos do poder central, ou de soberania, são a ________, que faz


as________; o ________, que nomeia e pode demitir o ________ e promulga
as leis aprovadas pela Assembleia da República; o ________, que executa
as _______e ainda os ________, onde são julgados os acusados de não respeitar
as leis
O presidente da República e os deputados à Assembleia da República
são ________ por todos os cidadãos eleitores, ________ com mais de 18 anos
de idade. Em 1975, pela primeira vez, em Portugal as mulheres tiveram
________ a votar.

13.5. Recorda o que estudaste sobre a Constituição Portuguesa de 1822. Depois


refere uma mudança e uma continuidade.

13.6. Consideras que a mudança contribuiu, ou não, para fortalecer a democracia?


Justifica.

13.7. A Constituição de 1976 garantiu também a autonomia regional. Criaram-se


assim as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

a) Completa o esquema com a informação seguinte:

Assembleia Regional; Governo Regional; Fazer executar as leis;


Fazer as leis próprias de cada região autónoma

1. 2.
3. 4.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
14
b) pesquisa informação na internet e escreve os nomes do atual presidente
do Governo regional da:

 Região Autónoma da Madeira __________ ();


 Região Autónoma dos Açores __________ ().

13.8. Assinala com um X a afirmação correta:

a) A autonomia regional é o poder que uma região tem de se organizar e


administrar, sem estar subordinada aos órgãos de soberania do Estado a
que pertence.
b) A autonomia regional é o poder que uma região tem de se organizar e
administrar, embora subordinada aos órgãos de soberania do Estado a
que pertence.
c) A autonomia regional é o poder que um país tem de se organizar e
administrar, devendo os órgãos de soberania do Estado ser eleitos
democraticamente.

14. Lê o esquema seguinte e consulta o teu manual. Depois, completa o texto


preenchendo os espaços lacunares com a informação correta.

Fonte 14 – Órgãos do poder local.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
15
A Constituição Portuguesa de 1976 consagrou uma das características mais importantes
das sociedades democráticas: a descentralização política. Assim, foi garantida a
existência do __________ , ou seja, o poder local, exercido pelas autarquias. As
Assembleias Municipais e as Assembleias de Freguesia são órgãos com
funções___________ , enquanto as Juntas de Freguesia e as Câmaras Municipais têm
funções___________.

Os ___________ da freguesia elegem a Assembleia de Freguesia e os cidadãos eleitores


do município elegem a ___________ e a Câmara Municipal.

15. Com a implantação da democracia em Portugal, o nosso país foi aceite em algumas
organizações internacionais, como a Comunidade Económica Europeia, mais tarde
chamada União Europeia. Observa as fontes 15 e 16. Depois realiza as atividades 15.1.
e 15.2.

Fonte 15 – A União Europeia.

Fonte 16 – Principais objetivos da CEE/UE

15.1. Observa o mapa.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
16
a) Os territórios pintados a azul fazem lembrar um império que estudaste no 7. o
ano. Qual foi? Refere o ano em que Portugal aderiu à CEE/UE. Qual é o
território assinalado no Norte da Europa, onde se fala a língua inglesa e que já
não faz parte da União Europeia?

15.2. Assinala com um X a resposta que completa corretamente cada uma das
seguintes afirmações:

A. Durante a ditadura salazarista, Portugal não poderia aderir à CEE, porque…


a) … não faz parte da Europa.
b) … existia uma ditadura e a CEE defendia a democracia, ou seja, só
aceitava países democráticos.
c) … a moeda portuguesa era o escudo e a CEE pretendia criar uma moeda
única.

B. A partir de 1993, a CEE passou a chamar-se…


a) … União Europeia.
b) … União Ibérica.
c) … União Monetária.

C. A moeda única significa que…


a) … cada país da União Europeia faz as suas próprias moedas.
b) … a moeda alemã, o marco, passou a ser a moeda de todos os países da
União Europeia.
c) … foi criada uma moeda chamada euro que é usada em todos os países
europeus que decidiram aceitá-la como moeda única.

D. A Espanha, a Itália, a França e a Alemanha são alguns dos países que aderiram à
moeda única, assim, se viajares para esses países…
a) … podes fazer compras e pagar despesas com euros.
b) … não precisas de levar dinheiro nem cartões bancários.
c) … precisas de trocar euros pelas moedas desses países.

16. Observa a fonte 17.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
17
Diário de Notícias, 30 de abril de 2013 (adaptado)
Fonte 17

16.1. Seleciona um exemplo do mapa que corresponda a cada um dos seguintes


objetivos da União Europeia:

a) “Melhorar a saúde”;
b) “Melhorar a educação”;

16.2. Seleciona o exemplo que prova que alguns setores da economia portuguesa
foram prejudicados com a adesão à CEE.

16.3. Pesquisa na internet notícias de jornais sobre as medidas tomadas por países
da União Europeia para combater a Covid-19. Depois, compara-as com
medidas tomadas pelos governos do Brasil e dos EUA. Elabora um quadro
comparativo e retira uma conclusão.

17. Completa o esquema com a informação seguinte. Escreve o número do esquema e a


alínea que lhe corresponde.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
18
a) Restrições das liberdades; b) Guerra Colonial; c) descolonização; d) polícia política;
e) censura; f) Aprovação de uma nova constituição;
g) Descentralização; h) Órgãos de soberania;

1.
2.

3. 4.

5. 6.

7. 8.

17.1. Agora, define por palavras tuas o que é a democracia. Justifica as tuas
afirmações com informação da Constituição Portuguesa de 1976.

© Francisco Cantanhede, Marília Gago e Paula Torrão – autores de manuais escolares de História – e LeYaEducação

Adaptado de http://apoioescolas.dge.mec.pt
19