Você está na página 1de 4

QUESTÕES DO ENADE SOBRE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA

PROFESSORA ANDREA LUCIA COSTA - DAELT


ENADE 2008 - Questão 51
VB22 2502 252 102
Z B2     25  25  625
SB 100 102

j125 j 25  5 j 5 1
zL     j  j 0,2 pu
625 25  25 25 5

O sistema, representado por um diagrama de


impedâncias em p.u., ficará da seguinte forma:
Dados dos componentes:
Gerador G1: 100 MVA, 20 kV, X = 10%
Gerador G2: 100 MVA, 25 kV, X = 10%
Trafos T1 e T2 : 50 MVA, 20 kV/250 kV, X = 10%
Trafos T3 e T4 : 50 MVA, 25 kV/250 kV, X = 10%
A figura acima apresenta um sistema de potência sem
perdas. Suponha que, inicialmente, a potência ativa
transmitida do gerador G1 para o G2 seja igual a
1,0 p.u., e que os dois estejam operando em suas
tensões nominais. Em um dado instante, uma das
linhas de transmissão é perdida. Supondo que as
tensões dos geradores e a abertura angular
permaneçam inalteradas, qual será a nova potência
ativa transmitida, em p.u., nessa condição de regime? Logo a reatância equivalente entre as tensões internas
(A) 5/6 do gerador 1 (EF1) e do gerador 2 (EF2) são calculadas
por:
(B) 3/4

(C) 1/2 0,2 0,2 0,2


xEQ  0,1     0,1  0,5 p.u.
2 2 2
(D) 1/5
Foi dito que os geradores operam nas tensões nominais,
(E) 1/10
e que não há alteração nesses valores de tensão
Resolução: (módulo e ângulo permanecem inalterados). Desse
modo podemos supor qualquer valor para as tensões
Essa é uma questão de Estabilidade em Regime
internas EF1 e EF2, sabendo que esses valores não serão
Permanente. E também envolve os conceitos de
alterados, vamos supor que as tensões EF1 e EF2 valem
Sistemas por Unidade (p.u.). Primeiramente o aluno
1,0 p.u. A potência transferida de EF1 para EF2 vale
deve determinar o sistema elétrico em valores p.u., para
P12=1,0 p.u. (enunciado). Podemos calcular o ângulo
então analisar a impedância de transferência entre os
interno do gerador 1, considerando a tensão EF2 como
geradores 1 e 2.
referência:
Nada foi dito sobre qual potência de base (SB) devemos
EF 1  EF 2
escolher. No entanto, como na prática se usa P12  sen
SB = 100 MVA, esse valor parece ser o mais lógico, X EQ
pois também é o valor nominal de ambos geradores.
Então, usando a fórmula da mudança de base, podemos 1,0 1,0 5
1,0  sen  sen 
calcular os valores em p.u. para os transformadores na 0,5 10
base de 100 MVA:
Se uma das linhas de transmissão for perdida, a
2
V SB reatância equivalente será diferente, como mostra
x novo  x dado  N

2
V SN
B
o cálculo de impedâncias abaixo:
0,2 0,2
250 2 100 xEQ  0,1   0,2   0,1  0,6 p.u.
xT 1  xT 2  xT 3  xT 4  0,1    0,2 p.u. 2 2
250 2 50
Considerando SB = 100 MVA e sabendo que a tensão Supondo que as tensões internas EF1 e EF2 e a
de base da alta tensão (área onde estão as linhas de abertura angular  não se alteram, então a nova
transmissão) é VB2 = 250 kV, então a impedância de potência de transferência será:
base para essa área será: nova 1,0 1,0 5 5
P12    p.u.
0,6 10 6
ENADE 2014 - Questão 33
Uma linha de transmissão de energia elétrica (LT) interliga uma usina hidrelétrica (UHE) e um centro de carga (SE) que
demanda potência ativa e reativa equivalentes a 1,0 e 0,2 pu, respectivamente, como ilustrado no diagrama unifilar da
figura a seguir. Sabe-se que essa LT é curta, possui uma reatância série equivalente de valor igual a 0,25 pu e suas
perdas podem ser desprezadas.

Considerando que um estudo de fluxo de potência, ou fluxo de carga, deverá ser realizado para o planejamento da
operação desse sistema elétrico de potência (SEP), avalie as afirmações a seguir.
I. Somente o fluxo de potência ativa nessa LT dar-se à no sentido da usina geradora para o centro de carga.
II. A tensão na barra da usina geradora será maior do que na barra do centro de carga.
III. O fluxo de potência reativa da barra da usina geradora para o centro de carga terá valor maior do que 0,2 pu.

É correto o que se afirma em:


a) I, apenas
b) III, apenas
c) I e II, apenas
d) II e III, apenas
e) I, II e III.

Resolução:
Essa é uma questão sobre Fluxo de Carga ou Fluxo de Potência.

I. FALSO. A carga na barra da SE consome Sc = 1,0 + j0,2 p.u. Como o valor da potência reativa consumida
é positivo, então essa é uma carga com fator de potência em atraso, ou seja, a carga está consumindo
reativos do sistema de transmissão, produzidos pelo gerador. Por isso o sentido do fluxo de potência
reativa também é da usina geradora para o centro de carga (representado pela barra SE).

II. VERDADEIRO. Como a corrente de alimentação do gerador para a carga é uma corrente com
característica indutiva (corrente em atraso), essa corrente produz uma queda (redução) no módulo das
tensões ao longo da linha de transmissão. Como a linha de transmissão é uma linha curta (que não injeta
reativos na rede) pode-se deduzir que o módulo da tensão na barra do gerador será maior do que o módulo
da barra de carga.

III. VERDADEIRO. O fluxo de potência reativa que sai da barra da usina é maior do que 0,2 pu porque o
gerador precisa fornecer reativos para alimentar a carga e a potência reativa consumida na linha de
transmissão devido a reatância série equivalente da linha.

**RELEMBRANDO AS FÓRMULAS:
Chamando a barra de geração como barra 1 e a barra de carga como barra 2, podemos calcular o fluxo de potência
reativa na linha de transmissão supondo que a tensão na barra 2 seja 1,0 p.u:
( SCARGA )*
I CARGA  I12   1,0  j 0,2 pu
V2*
Como I  V1  V2 então V1  V2  jxL  I12  1,0  j 0,25  (1,0  j 0,2)  1,07913,4 o pu
12
jxL
Logo o fluxo de reativo da barra 1 para 2 será:
V12  V1 V2  cos12 (1,079) 2  1,079 1,0  cos(13,4o )
Q12    0,46 pu
xL 0,25
ENADE 2011 - Questão 32 Algumas convenções são adotadas. A
injeção de potência líquida na barra é positiva se
O fluxo de carga é uma das ferramentas está entrando na barra (como uma geração) e
matemáticas mais importantes e utilizadas pelos
engenheiros eletricistas que projetam, analisam e
negativa se está sendo drenada da barra (carga).
operam o sistema elétrico de potência. Os fluxos por sua vez, são positivos se saem da
Atualmente, existe uma diversidade de programas barra e negativos se entram na barra.
que executam o cálculo de fluxo de carga e que
são utilizados para o sistema de alta tensão ou de
distribuição. O cálculo do fluxo de carga estático
**Portanto a resposta correta é a letra A,
em um sistema elétrico consiste, essencialmente, já que as afirmativas III e IV são falsas.
na
I. determinação das tensões e ângulos de fases
para cada barra do sistema. 2. Tipos de barras
II. determinação da distribuição dos fluxos de
potências ativa e reativa que fluem pelo sistema. São geralmente definidos três tipos de barras:
III. solução de um conjunto de equações  PQ, na qual são dados PK e QK, e calculados VK e K
diferenciais que descrevem o comportamento das
 PV, na qual são dados PK e VK, e calculados QK e K
máquinas síncronas (simulação de transitórios).
 V, na qual são dados VK e K, e calculados PK e QK
IV. solução de um conjunto de equações pelo
método de Gauss-Jordan.
As barras dos tipos PQ representam barras de
É correto apenas o que se afirma em: carga, ou aquelas nas quais predominam as cargas
A I e II.
(e não possuem controle de tensão). As barras PV
B II e IV.
são barras de geração (com controle do módulo
C III e IV.
D I, II e III. da tensão). A barra V representa um gerador que
E I, III e IV. é tomado como barra de referência (ângulo
zero), e tem as funções de fornecer referência
angular ao sistema, e, após a solução final do
1. Explicação sobre Fluxo de Carga
sistema, fechar o balanço de potência, suprindo as
perdas na transmissão. Por isso também é
O cálculo do fluxo de carga ou fluxo de potência
chamada de barra de folga (slack bus) ou barra
caracteriza-se pela determinação do estado da rede
swing.
(tensões complexas) e fluxos nas linhas de
transmissão de modo que a demanda seja Em um sistema ideal sem perdas de potência ativa
satisfeita; as linhas de transmissão e os na transmissão de energia, poderíamos determinar
equipamentos operem sem sobrecarga; e o perfil todos os níveis de geração uma vez que fossem
de tensão esteja dentro de limites pré- conhecidas as demandas. Em um sistema real com
especificados. perdas, isso não é possível, pois só conheceremos
A modelagem do sistema é estática, logo se as perdas de transmissão depois de obtida a
considera uma condição de regime permanente solução do problema, ou seja, após conhecermos o
para a qual se podem ignorar os efeitos estado da rede de transmissão. Assim sendo, na
transitórios. Os transformadores, reatores e linhas formulação do problema de Fluxo de Carga,
deixamos de especificar a potência gerada em pelo
de transmissão são modelados por seus circuitos
menos uma das barras de geração. Essa barra é
equivalentes. Os geradores e as cargas são
então chamada de barra de folga (slack bus) tendo
modelados como injeções de potência nas barras
em vista o papel que ela desempenha de “suprir”
(positiva se geração, negativa se cargas). as perdas de transmissão.
O Fluxo de Carga deve obedecer a 1a. e 2a. Ao longo dos anos, vários métodos de solução do
leis de Kirchoff. A primeira lei diz respeito à Fluxo de Carga foram propostos, entre eles o
potência líquida injetada na barra, a qual deve ser Método de Gauss, Gauss-Seidel, Método de
igual à soma de todas as potências que fluem Newton, Newton-Raphson, Método de Newton
pelos componentes conectados à barra. A segunda Desacoplado e Desacoplado Rápido.
lei refere-se aos fluxos nas linhas, os quais são
funções das tensões em seus nós terminais.
ENADE 2005 - Questão 47
O circuito equivalente de um transformador é dado na qualquer variação do fluxo concatenado com o circuito
figura abaixo. lhe induz uma tensão, cujo valor é proporcional à taxa
de variação do fluxo. Por outro lado, a diferença de
potência entre condutores faz com que esses se
tornem carregados, de modo semelhante às placas de
um capacitor. Assim, chega-se à conclusão que a
indutância e a capacitância são parâmetros
determinados por fatores construtivos e geométricos
(material e dimensões).
STEVENSON Jr., W. D. Elementos de Análise de
Sistemas de Potência – 2ª. Ed. São Paulo: McGraw-
Hill, 1986 (adaptado).

A partir das informações do texto, avalie as afirmações


As reatâncias de dispersão do primário e do secundário a seguir.
valem, respectivamente, j8Ω e j0,5Ω e a relação de
transformação é 4:1. I. Por meio do campo magnético, é determinado
Admita que este transformador esteja alimentando, o parâmetro da indutância, que resulta da
temporariamente, uma linha de transmissão em vazio, diferença de potencial entre condutores.
cujo comportamento pode ser considerado puramente II. Por meio do campo elétrico, é determinado o
capacitivo. A corrente I2, no secundário, tem valor parâmetro da capacitância, descrito a partir da
eficaz de 40 A e a tensão V2, da carga, é igual a variação de corrente nos condutores, que
100 kV. provoca variação do número de linhas de fluxo
Qual o valor eficaz da tensão V1, em kV?
magnético concatenadas com o circuito.
(A) 600
III. Numa linha de transmissão, a distância entre
(B) 560
(C) 400 condutores e a geometria (disposição espacial
(D) 240 dos condutores) influenciam os valores da
(E) 160 indutância e da capacitância.
IV. O valor da condutância de uma linha de
Resolução: transmissão independe da disposição espacial
de seus condutores.
Essa questão possui um erro na sua elaboração. O valor
É correto apenas o que se afirma em
da corrente no secundário deveria ser em módulo
40 kA e não 40 A. A) II.
B) III e IV.
Para facilitar os cálculos, primeiramente o aluno deve C) I, II e III.
determinar a impedância equivalente do transformador, D) I, II e IV.
referindo a impedância do primário para o lado do E) I, III e IV.
secundário: Resolução:
Z1 j8 8 Para resolver essa questão é importante lembrarmos
Z1ref ( 2)  2
 2  j  j 0,5
a 4 16 que o campo magnético é resultado das linhas de fluxo
magnético ao redor de um condutor. Essas linhas de
Z eq  Z1ref ( 2 )  Z 2  j 0,5  j 0,5  j1 campo dependem principalmente da corrente que
circula no condutor.
V2  VT 2  I 2  Z eq  100kV  j 40 KA  j1  100  40  60kV
Por outro lado o campo elétrico está diretamente ligado
V1  a  V2  4  60  240 kV
à diferença de potencial entre os condutores, causada
A resposta do gabarito é a letra (d). pela variação das cargas na superfície destes, e não pela
variação do fluxo magnético.

A indutância e a capacitância dependem da distância


ENADE 2017 - Questão 24
entre os condutores das fases, bem como do número de
condutores por fase e espaçamento entre estes.
Uma linha de transmissão de energia elétrica pode ser
representada pelos parâmetros: resistência, indutância, Como o próprio texto diz, a condutância é resultado da
capacitância e condutância. A condutância leva em corrente de fuga nos isoladores, os quais estão
conta a corrente de fuga nos isoladores, podendo ser localizados nas torres de transmissão. Portanto a
desprezível. A resistência é fornecida pelos fabricantes condutância não depende da disposição espacial dos
de condutores para certas condições de operação. A
condutores.
indutância e a capacitância são determinadas com
base nos campos elétrico e magnético presentes em **Portanto a resposta correta é a letra B, já que as
um circuito. Uma variação de corrente nos condutores
afirmativas I e II são falsas
provoca uma variação no número de linhas de fluxo
magnético concatenadas com o circuito. Por sua vez,

Você também pode gostar