Você está na página 1de 36

ROSS SOUTH AMERICA LTDA.

A Empresa norte-americana ROSS, desenvolve e fabrica


produtos pneumáticos desde 1921. Atualmente conta com
filiais e distribuidores em todos os continentes. Além das
válvulas de segurança e dos sistemas modulares para
prensas, os produtos pneumáticos ROSS se destacam nas
indústrias siderúrgica, alumínio, vidro e plástico.

 
RUA OLAVO GONÇALVES 43/47 – CENTRO – SÃO BERNARDO DO CAMPO – SÃO PAULO – BRASIL - CEP 09725-020
FONE:  55 11 4335 2200 FAX: 55 11 4335 3888 E-MAIL: vendas@ross-sulamerica.com.br www.rosscontrols.com
VÁLVULAS DE SEGURANÇA PARA PRENSAS
As válvulas de segurança têm dois conjuntos internos Embora com diferentes normalizações, as válvulas de 2000
com fluxo cruzado, acionados por solenóides segurança são de uso obrigatório nos Estados Unidos,
independentes. Quando um dos conjuntos apresenta Canadá, Japão, Europa e em muitos outros países.
falha, o outro assegura a despressurização e a
1995
parada da prensa. Após a falha, o sistema de
monitoração impede qualquer acionamento adicional.
Devem ser utilizadas para o comando do
freio/embreagem em prensas mecânicas, para reduzir
ao mínimo a possibilidade de repetição de golpes 1980
devido à falha no comando pneumático, e também para
assegurar a parada da prensa durante o ciclo, sempre
que os dispositivos de proteção, tais como comandos 1976
bi-manuais, cortinas de luz, grades de proteção, etc.,
enviarem um sinal de parada.

1967

1962 As válvulas de segurança para prensas são


utilizadas desde a década de 50. Ao
longo do tempo os projetos foram
aperfeiçoados para atender as rigorosas
1954 exigências de segurança.

A experiência da ROSS está à sua disposição.


FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

EMBREAGEM
POSIÇÃO INICIAL FREIO
FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

EMBREAGEM
ATUADO FREIO
VÁLVULA 3/2 VIAS CONVENCIONAL

EMBREAGEM FREIO

ESCAPE
SAÍDA

ENTRADA

POSIÇÃO INICIAL
VÁLVULA 3/2 VIAS CONVENCIONAL

EMBREAGEM FREIO

ESCAPE
SAÍDA Causas da provável
repetição de golpe da
prensa:
- travamento na posição
ENTRADA aberta;
- retorno lento retardando
a despressurização;
- fechamento parcial
ATUADO provocando vazamentos
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO PARALELO

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

POSIÇÃO INICIAL
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO PARALELO

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

ATUADA
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO PARALELO
Como é necessário reduzir a passagem
para diminuir a pressão residual, a vazão
na pressurização é pequena comparada
com a construção de fluxo cruzado.

ESCAPE

SAÍDA

Passagem
pequena para
ENTRADA
reduzir o
vazamento e a
pressão residual
(contra-pressão)

FALHA
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO CRUZADO

ESCAPE

Há cerca de 25 anos,
as válvulas com fluxo
SAÍDA cruzado substituíram as
de fluxo paralelo, uma
vez que oferecem menor
pressão residual e
pressurização com
passagem plena.

ENTRADA

POSIÇÃO INICIAL
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO CRUZADO

ESCAPE

SAÍDA

Pressurização
com passagem
plena

ENTRADA

ATUADA
VÁLVULA DE SEGURANÇA COM FLUXO CRUZADO

ESCAPE

Pequeno vazamento,
SAÍDA a pressão residual é
menor que 2% da
pressão de entrada,
assegurando a
despressurização do
freio/embreagem

ENTRADA

FALHA
VÁLVULA DE
SEGURANÇA COM
MONITORAÇÃO
TIPO E-P
VÁLVULA DE SEGURANÇA TIPO E-P

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

Permanece equilibrado
durante a operação
normal da válvula

POSIÇÃO INICIAL
VÁLVULA DE SEGURANÇA TIPO E-P

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

Permanece equilibrado
durante a operação
normal da válvula

ATUADA
VÁLVULA DE SEGURANÇA TIPO E-P

ESCAPE

SAÍDA Características:
-Monitoração estática
-Bloqueio em caso de falha
-Exige reset após a falha

ENTRADA

O contato do micro-switch
abre impedindo um novo
acionamento. O reset deve
ser acionado para voltar a
FALHA operar.
VÁLVULA DE
SEGURANÇA
MONITORADA
ATRAVÉS DE
PRESSOSTATOS
VÁLVULA DE SEGURANÇA MONITORADA
ATRAVÉS DE PRESSOSTATOS

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

A atuação simultânea
dos pressostatos é
monitorada por um
controlador eletrônico
(PLC)
POSIÇÃO INICIAL
VÁLVULA DE SEGURANÇA MONITORADA
ATRAVÉS DE PRESSOSTATOS

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA

A atuação simultânea
dos pressostatos é
monitorada por um
controlador eletrônico
(PLC)
ATUADA
VÁLVULA DE SEGURANÇA MONITORADA
ATRAVÉS DE PRESSOSTATOS

ESCAPE

SAÍDA

Características:
- monitoração dinâmica
- exige a utilização de um
controlador eletrônico
(PLC) para monitorar os
ENTRADA
pressostatos;
- bloqueio e reset através
do PLC

Falha, o
pressostato
continua atuado
FALHA
CCROSS
ROSSMMIRROR
IRROR
VÁLVULAS
VÁLVULASDE
DESEGURANÇA
SEGURANÇADEDE
ÚLTIMA
ÚLTIMAGERAÇÃO
GERAÇÃOPARA
PARAOO
ACIONAMENTO
ACIONAMENTODEDEPRENSAS
PRENSAS
MECÂNICAS.
MECÂNICAS.
Características:
Características:
Fluxo
Fluxocruzado,
cruzado,portanto
portantocom
compressão
pressão
residual menor que 2%;
residual menor que 2%;
Monitoração
Monitoraçãodinâmica
dinâmicatotalmente
totalmente
pneumática;
pneumática;
Bloqueio
Bloqueiopneumático
pneumáticoememcaso
casode
defalha
falha
(não
(não utiliza pressostato, micro-switchou
utiliza pressostato, micro-switch ou
outros meios estáticos);
outros meios estáticos);
Exige
Exigereset
resetapós
apósfalha
falha(de
(deacordo
acordocom
comaa
Norma
NormaEuropéia
EuropéiaENEN692);
692);
Reset
Resetincorporado
incorporadoou
ouremoto;
remoto;
Pressostato
Pressostatoopcional
opcionalpara
parasinalização
sinalizaçãode
de
falha.
falha.
CROSSMIRROR - MONITORAÇÃO PNEUMÁTICA
PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

O comando de
acionamento é
alimentado pelo
fluxo cruzado

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA Retorno final


pneumático

POSIÇÃO INICIAL
CROSSMIRROR - MONITORAÇÃO PNEUMÁTICA
PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

O comando de
acionamento é
alimentado pelo
fluxo cruzado

ESCAPE

SAÍDA

ENTRADA
Retorno inicial por
mola e pneumático

ATUADA
CROSSMIRROR - MONITORAÇÃO PNEUMÁTICA
PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO
A alimentação do
comando é
despressurizada, não é
possível nenhum
acionamento adicional

ESCAPE

SAÍDA

Em caso de falha, o
ENTRADA êmbolo pode retornar
parcialmente pela ação
da mola, mas não é
mais possível o retorno
total

FALHA – ÊMBOLO TRAVADO OU COM DESLOCAMENTO LENTO


CROSSMIRROR - MONITORAÇÃO PNEUMÁTICA
PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO
A alimentação do
comando é
despressurizada, não é
possível nenhum
Características: acionamento adicional
-monitoração dinâmica
-bloqueio em caso de
falha
-reset para voltar a
operar ESCAPE

SAÍDA

Em caso de falha, o
ENTRADA êmbolo pode retornar
parcialmente pela ação
da mola, mas não é
mais possível o retorno
total

O reset deve ser


FALHA - BLOQUEIO acionado para voltar a
operar
FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

NÃO EXISTE SOBREPOSIÇÃO


ENTRE O FREIO E A EMBREAGEM

EMBREAGEM FREIO
POSIÇÃO INICIAL
FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

NÃO EXISTE SOBREPOSIÇÃO


ENTRE O FREIO E A EMBREAGEM

EMBREAGEM FREIO
ATUADO
FREIO E EMBREAGEM SEPARADOS

POSSÍVEL SOBREPOSIÇÃO
ENTRE O FREIO E A EMBREAGEM

FREIO EMBREAGEM

POSIÇÃO INICIAL
FREIO E EMBREAGEM SEPARADOS

POSSÍVEL SOBREPOSIÇÃO
ENTRE O FREIO E A EMBREAGEM

FREIO EMBREAGEM

ATUADO
SINCRONISMO ENTRE A ATUAÇÃO DO FREIO E A EMBREAGEM

A escolha correta das válvulas para a


atuação do freio e da embreagem elimina
a sobreposição na parada da prensa.

Quando ocorrer, no acionamento da prensa,


sobreposição entre o freio e a embreagem,
um redutor de vazão fixo é introduzido na
flange da entrada P(1) da válvula da
embreagem, eliminando a sobreposição.
INTERLIGAÇÃO ELÉTRICA ENTRE VÁLVULAS

COMANDO Solenóides
ELÉTRICO
DA
PRENSA

Para evitar que na partida da prensa, caso a válvula do freio não atue, a embreagem possa
atuar mesmo com o freio ainda acoplado ou para que durante o ciclo da prensa a desativação
da válvula da embreagem possa provocar queda livre do martelo da prensa, as válvulas devem
ser interligadas, garantindo que as duas válvulas estejam atuadas ou então nenhuma.
INTERLIGAÇÃO ELÉTRICA ENTRE VÁLVULAS

Pressostatos instalados nas saídas das válvulas comutam


a cada ciclo da prensa. A monitoração dos pressostatos
através de um PLC pode assegurar que ambas as válvulas
estejam acionadas ou desligadas ao mesmo tempo.
INSTALAÇÃO RECOMENDADA

VÁLVULA DE SEGURANÇA
PARA PRENSA
MANÔMETRO

REGULADOR
DE PRESSÃO
LUBRIFICADOR*

FILTRO RESERVATÓRIO FREIO/


NUNCA UTILIZAR VÁLVULA EMBREAGEM
DE ESCAPE RÁPIDO

* A válvula opera com ar lubrificado ou não Voltar


lubrificado.
Recomendações Importantes:

A escolha correta do tamanho da válvula é fundamental para a


segurança. A distância mínima de segurança para a instalação do
comando bi-manual, cortina de luz e proteções, depende do tempo
de parada do martelo. Embora vários fatores influenciem no tempo
de parada do martelo, o tempo de despressurização do
freio/embreagem é o mais significativo.

Nunca instalar válvula de escape rápido ou qualquer componente


entre a válvula de segurança e o freio/embreagem, uma vez que a
falha deste componente pode comprometer a segurança.

Nunca utilizar para a atuação do freio/embreagem, pressão mais


elevada que a especificada pelo fabricante da prensa. Em geral a
pressão ideal é de 5,5 bar/6,0 bar, uma pressão mais elevada
somente aumenta o tempo de despressurização e
consequentemente o tempo de parada do martelo.

Silenciadores pneumáticos convencionais não podem ser utilizados


em válvulas de segurança para prensas. Com o acúmulo de
impurezas os silenciadores aumentam o tempo de despressurização.
Esta apresentação não é um catálogo técnico e não
contém todas as informações necessárias para a
aplicação dos produtos.Para informações detalhadas,
consulte os catálogo específicos.

A experiência da ROSS está à sua disposição:

ROSS SOUTH AMERICA LTDA.


Rua Olavo Gonçalves, 43/47 – Centro
São Bernardo do Campo – São Paulo – Brasil
CEP 09725-020
Fone: 55 11 4335 2200
Fax: 55 11 4335 3888
E-mail: vendas@ross-sulamerica.com.br
www.rosscontrols.com