Você está na página 1de 8

RESOLUÇÃO Nº 371, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2010.

Aprova o Manual Brasileiro de Fiscalização de Trânsito,


Volume I – Infrações de competência municipal, incluindo
as concorrentes dos órgãos e entidades estaduais de
trânsito, e rodoviários.

O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, usando da


competência que lhe confere o art. 12, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de
1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro, e conforme Decreto nº 4.711, de 29
de maio de 2003, que dispõe sobre a coordenação do Sistema Nacional de Trânsito –
SNT, e

Considerando a necessidade de uniformização e padronização de


procedimentos alusivos à fiscalização de trânsito no âmbito de todo território nacional;

Considerando a utilidade da adoção de um manual destinado à


instrumentalização da atuação dos agentes da autoridade de trânsito, na esfera de suas
respectivas competências;

Considerando os estudos desenvolvidos por Grupo Técnico e por


Especialistas da Câmara Temática de Esforço Legal, resolve:

Art.1º Aprovar o Manual Brasileiro de Fiscalização de Trânsito – MBFT,


Volume I – Infrações de competência municipal, incluindo as concorrentes dos órgãos e
entidades estaduais de trânsito, e rodoviários, anexo a esta Resolução.

Art. 2º O órgão máximo executivo de trânsito da União deverá:

I – Propor ao CONTRAN a atualização do MBFT, em virtude de norma


posterior que implique a necessidade de alteração de seus procedimentos.

II – Estabelecer os campos das informações mínimas que devem constar no


documento estabelecido no anexo I do MBFT.

Art. 3º Os órgãos e entidades que compõem o Sistema Nacional de Trânsito


deverão adequar seus procedimentos até a data de 30 de junho de 2011.

Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.


ANEXO I

CAMPOS MÍNIMOS PARA O AUTO DE RECOLHIMENTO DE


DOCUMENTOS

BLOCO 1 – IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO

CAMPO 1 – ‘CÓDIGO DO ÓRGÃO AUTUADOR’ – cadastro do DENATRAN


(campo numérico com seis caracteres). conforme tabela do ANEXO V - Portaria
59/2007.
CAMPO 2 – ‘IDENTIFICAÇÃO DO AUTO DE RECOLHIMENTO’ – número
seqüencial pré-impresso (campo alfanumérico com dez caracteres).

BLOCO 2 – IDENTIFICAÇÃO DO VEÍCULO

CAMPO 1 – ‘PLACA’ (campo alfanumérico com dez caracteres).


CAMPO 2 – ‘MARCA’ (campo alfanumérico com vinte e cinco caracteres).
CAMPO 3 – ‘ESPÉCIE’ (campo alfanumérico com vinte caracteres).
CAMPO 4 – ‘CHASSI’ (campo alfanumérico com vinte caracteres).
CAMPO 5 – ‘PAÍS’ (campo numérico com dois caracteres). Conforme tabela do
ANEXO VI - Portaria 59/2007.

BLOCO 3 – IDENTIFICAÇÃO DO PROPRIETÁRIO

CAMPO 1 – ‘NOME’ (campo alfanumérico com sessenta caracteres).


CAMPO 2 – ‘Nº DO C.P.F. OU C.N.P.J.’ (campo numérico com catorze caracteres).
CAMPO 3 – ‘Nº DO R.G.’ (campo numérico com catorze caracteres).
CAMPO 4 – ‘ÓRGÃO EMISSOR’ (campo alfanumérico com vinte caracteres).
CAMPO 5 – ‘UF’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 6 – ‘ENDEREÇO’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).
Obs: Campos 3 a 6, sempre que possível.

BLOCO 4 – IDENTIFICAÇÃO DO CONDUTOR

CAMPO 1 – ‘NOME’ (campo alfanumérico com sessenta caracteres).


CAMPO 2 – ‘Nº DO C.P.F.’ (campo numérico com catorze caracteres).
CAMPO 3 – ‘Nº DO REG. DA C.N.H. OU P.P.D. OU A.C.C.’ (campo numérico com
quinze caracteres).
CAMPO 4 – ‘CATEGORIA’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 5– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 6 – ‘Nº DO R.G.’ (campo numérico com catorze caracteres).
CAMPO 7 – ‘ÓRGÃO EMISSOR’ (campo alfanumérico com vinte caracteres).
CAMPO 8– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 9 – ‘ENDEREÇO’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).
BLOCO 5 – DOCUMENTOS RECOLHIDOS

CAMPO 1 – ‘Nº DO REG. DA C.N.H. OU P.P.D. OU A.C.C.’ (campo numérico com


quinze caracteres).
CAMPO 2 – ‘CATEGORIA’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 3– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 4 – ‘C.R.V.’ (campo alfanumérico com quinze caracteres).
CAMPO 5– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 6 – ‘C.R.L.V.’ (campo alfanumérico com quinze caracteres).
CAMPO 7– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).
CAMPO 8– ‘OUTROS’ (campo alfanumérico com cento e cinquenta caracteres).

BLOCO 6 – LOCAL, DATA E HORA DO RECOLHIMENTO

CAMPO 1 – ‘LOCAL’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).


CAMPO 2 – ‘DATA’ (campo numérico com oito caracteres).
CAMPO 3 – ‘HORA’ (campo numérico com quatro caracteres).
CAMPO 4 – ‘MUNICÍPIO’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).
CAMPO 5– ‘U.F.’ (campo alfanumérico com dois caracteres).

BLOCO 7 – MOTIVO DO RECOLHIMENTO

CAMPO 1 – ‘DESCRIÇÃO DO(S) MOTIVO(S)’ (campo alfanumérico com duzentos


e cinquenta caracteres).
CAMPO 2 – ‘ÓRGÃO OU ENTIDADE QUE SERÁ DESTINADO O(S)
DOCUMENTO(S)’ (campo alfanumérico com trinta caracteres).
CAMPO 3 – ‘ENDEREÇO’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).
CAMPO 4 – ‘TELEFONE’ (campo numérico com dez caracteres)

BLOCO 8 – APRESENTAÇÃO DA REGULARIZAÇÃO

CAMPO 1 – ‘LOCAL ’ (campo alfanumérico com cinquenta caracteres).


CAMPO 2 – ‘ÓRGÃO OU ENTIDADE ’ (campo alfanumérico com trinta caracteres).
CAMPO 3 – ‘TELEFONE’ (campo numérico com dez caracteres)
CAMPO 4 – ‘PRAZO’ (campo numérico com oito caracteres).

BLOCO 9 – IDENTIFICAÇÃO DA AUTORIDADE OU AGENTE AUTUADOR E


ASSINATURAS

CAMPO 1 – ‘NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO’ (campo numérico com quinze


caracteres)
CAMPO 2 – ‘NÚMERO DO AIT (se houver)’ (campo alfanumérico com dez
caracteres).
CAMPO 3 – ‘ASSINATURA DO AGENTE’
CAMPO 4 – ‘DATA’ (campo numérico com oito caracteres).
CAMPO 5 – ‘ASSINATURA DO CONDUTOR’
OBSERVAÇÕES:

• Quando da liberação do veículo e recolhimento de documento de porte


obrigatório, o presente Auto de Recolhimento de Documento, devidamente
preenchido e assinado, constitui uma autorização provisória para circular
até o prazo estabelecido para apresentação da regularização.
• A não apresentação do veiculo no prazo e local estabelecido ensejará no
encaminhamento do documento ao órgão ou entidade responsável pelo
registro ou emissão do documento recolhido.

MODELO DA DIAGRAMAÇÃO DO ANEXO I (SUGESTÃO)

‘Logo’ / Nome do órgão AUTO DE RECOLHIMENTO DE DOCUMENTOS


ou entidade de trânsito
IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO
Código do Órgão Autuador Nº Auto

IDENTIFICAÇÃO DO VEÍCULO
Placa Marca Espécie

Chassi País

IDENTIFICAÇÃO DO PROPRIETÁRIO
Nome CPF ou CNPJ

Nº RG Órgão Emissor UF

Endereço

IDENTIFICAÇÃO DO CONDUTOR
Nome CPF

( ) Nº do Reg. da CNH ( ) Nº da PPD ( ) Nº da Categoria UF


ACC

Nº RG Órgão Emissor UF

Endereço

DOCUMENTOS RECOLHIDOS
( ) Nº do Reg. da CNH ( ) Nº da PPD ( ) Nº da Categoria UF
ACC

Nº CRV UF

Nº CRLV UF
Outros

LOCAL DATA E HORA DO RECOLHIMENTO


Local

Data Hora Município UF

MOTIVO DO RECOLHIMENTO
Descrição do(s) motivo(s)

Órgão ou entidade que será destinado o(s) documento(s)

Endereço Telefone

APRESENTAÇÃO DA REGULARIZAÇÃO
LOCAL

Órgão ou entidade Telefone Prazo

IDENTIFICAÇÃO DA AUTORIDADE OU AGENTE AUTUADOR E


ASSINATURAS
Nº de identificação (matrícula) Nº do AIT (se houver)

Assinatura do Agente Data Assinatura do Condutor

OBSERVAÇÕES:

• Quando da liberação do veículo e recolhimento de documento de porte


obrigatório, o presente Auto de Recolhimento de Documento, devidamente
preenchido e assinado, constitui uma autorização provisória para circular
até o prazo estabelecido para apresentação da regularização.
• A não apresentação do veiculo no prazo e local estabelecido ensejará no
encaminhamento do documento ao órgão ou entidade responsável pelo
registro ou emissão do documento recolhido.
ANEXO II

PREENCHIMENTO DOS CAMPOS DO AUTO DE INFRAÇÃO

BLOCO 1 – IDENTIFICAÇÃO DA AUTUAÇÃO

CAMPO 1 – ‘CÓDIGO DO ÓRGÃO AUTUADOR’


Preenchimento obrigatório ou pré-impresso - conforme tabela do ANEXO V
administrada pelo DENATRAN.
CAMPO 2 – ‘IDENTIFICAÇÃO DO AUTO DE INFRAÇÃO’
Obrigatoriamente pré-impresso.

BLOCO 2 – IDENTIFICAÇÃO DO VEÍCULO

CAMPO 1 – ‘PLACA’
Preenchimento obrigatório.
CAMPO 2 – ‘MARCA’
Preenchimento obrigatório.
CAMPO 3 – ‘ESPÉCIE’
Preenchimento obrigatório.
CAMPO 4 – ‘PAÍS’
Preenchimento obrigatório para veículos estrangeiros - conforme tabela do ANEXO VI
administrada pelo DENATRAN.

BLOCO 3 – IDENTIFICAÇÃO DO CONDUTOR

CAMPO 1 – ‘NOME’
Preenchimento obrigatório quando houver a identificação do condutor do veículo.
CAMPO 2 – ‘Nº DO REGISTRO DA CARTEIRA DE HABILITAÇÃO OU DA
PERMISSÃO PARA DIRIGIR’
Preenchimento obrigatório quando houver a identificação do condutor habilitado.
CAMPO 3 – ‘UF’
Preenchimento obrigatório quando houver a identificação do condutor habilitado. No
caso de condutor estrangeiro, este campo deverá ser preenchido com 2 caracteres,
conforme tabela de países do ANEXO VI.
CAMPO 4 – ‘CPF’
Preenchimento não obrigatório.

BLOCO 4 – IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL, DATA E HORA DO


COMETIMENTO DA INFRAÇÃO

CAMPO 1 – ‘LOCAL DA INFRAÇÃO’


Preenchimento obrigatório.
CAMPO 2 – ‘DATA’
Preenchimento obrigatório.
CAMPO 3 – ‘HORA’
Preenchimento obrigatório.
CAMPO 4 – ‘CÓDIGO DO MUNICÍPIO’
Preenchimento não obrigatório.
CAMPO 5 – ‘NOME DO MUNICÍPIO’
Preenchimento não obrigatório para infrações constatadas em estradas e rodovias.
CAMPO 6 – ‘UF’
Preenchimento obrigatório.

BLOCO 5 – TIPIFICAÇÃO DA INFRAÇÃO

CAMPO 1 – ‘CÓDIGO DA INFRAÇÃO’


Preenchimento obrigatório. Utilizar a tabela de códigos apresentada no ANEXO IV.
CAMPO 2 – ‘DESDOBRAMENTO DO CÓDIGO DE INFRAÇÃO’
Preenchimento obrigatório. Utilizar a coluna de desdobramentos dos códigos de
infrações apresentada no ANEXO IV.
CAMPO 3 – ‘DESCRIÇÃO DA INFRAÇÃO’
Preenchimento obrigatório, devendo a conduta infracional estar descrita de forma clara,
não necessariamente usando os mesmos termos da tabela de códigos apresentada no

ANEXO IV.
CAMPO 4 – ‘EQUIPAMENTO/INSTRUMENTO DE AFERIÇÃO UTILIZADO’
Preenchimento obrigatório para infrações verificadas por equipamentos de fiscalização.
CAMPO 5 – ‘MEDIÇÃO REALIZADA’
Preenchimento obrigatório para infrações verificadas por equipamentos de fiscalização
ou nota fiscal.
CAMPO 6 – ‘LIMITE REGULAMENTADO’
Preenchimento obrigatório para infrações verificadas por equipamentos de fiscalização
ou nota fiscal.
CAMPO 7 – ‘VALOR CONSIDERADO’
Preenchimento obrigatório para infrações verificadas por equipamentos de fiscalização
ou nota fiscal.
CAMPO 8 – ‘OBSERVAÇÕES’
Preenchimento não obrigatório.

BLOCO 6 – IDENTIFICAÇÃO DA AUTORIDADE OU AGENTE AUTUADOR

CAMPO 1 – ‘NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO’


Preenchimento obrigatório.
CAMPO 2 – ‘ASSINATURA DA AUTORIDADE OU AGENTE AUTUADOR’
Preenchimento obrigatório exceto para infrações registradas por sistemas automáticos
metrológicos e não metrológicos.
BLOCO 7 – IDENTIFICAÇÃO DO EMBARCADOR OU EXPEDIDOR

CAMPO 1 – ‘NOME’
Preenchimento obrigatório para infrações de excesso de peso nos casos previstos no art.
257 do CTB ou infrações relacionadas ao transporte de produtos perigosos.
CAMPO 2 – ‘CPF’ ou ‘CNPJ’
Preenchimento obrigatório para infrações de excesso de peso nos casos previstos no art.
257 do CTB ou infrações relacionadas ao transporte de produtos perigosos.

BLOCO 8 – IDENTIFICAÇÃO DO TRANSPORTADOR

CAMPO 1 – ‘NOME’
Preenchimento obrigatório para infrações de excesso de peso nos casos previstos no art.
257 do CTB ou infrações relacionadas ao transporte de produtos perigosos.
CAMPO 2 – ‘CPF’ ou ‘CNPJ’
Preenchimento obrigatório para infrações de excesso de peso nos casos previstos no art.
257 do CTB ou infrações relacionadas ao transporte de produtos perigosos.

BLOCO 9 – ‘ASSINATURA DO INFRATOR OU CONDUTOR’


Preenchimento sempre que possível.