Você está na página 1de 2

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL

ESCOLA DE HUMANIDADES
CURSO DE HISTÓRIA
DISCIPLINA:Humanismo e Cultura Religiosa.
Prof:Blasio Guido Jacobi

DATA: 25/08/20.
Nome: Gabriel engelmann Maltez
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Quando eu penso no sentido da minha vida, eu me lembro de uma passagem do


livro de Albert Camus “O homem revoltado”, o livro em si eu nunca terminei de ler, só
cheguei a ler dois capítulos, eu era uma criança na época em que li, o livro era muito
complicado para mim. Mas me lembro que no livro é proposto um cenário, aonde eu que
estudei grande parte da minha infância em escolas religiosas sempre me indagava, era se
não existisse um deus? e se quando a gente morrer nós só deixamos de existir e cabou? O
no que vale a pena viver em um mundo assim? O livro na minha interpretação, responde de
forma simples essas perguntas, não ter um deus faz a vida ficar mais interessante, porque
se o mundo está jogado em um caos, e nada no geral tem algum valor, então somos nós
que deveríamos julgar e arrumar sentido em pelo menos nas nossa vida. Já que não existe
nada divino que nos guia e dizer o que é importante ou não, não existe ninguém que
realmente pode julgar e dizer que o jeito que nós vivemos nossas vidas. Desde que não
machuque ninguém, (porque afinal nós vamos ter todos o mesmo destino ninguém é melhor
que ninguém) não faz sentido você acreditar que sua vida vale mais que a de outra pessoa,
você é o único que atribui sentido para a sua vida, você é o único responsável por fazer sua
vida fazer sentido e mais ninguém.
Pensando dessa forma gosto de acreditar que eu escolhi viver a minha vida de
forma mais leve, sem ter que me estressar com as coisas que estão fora do meu controle.
Tenho que viver pensando no presente e no que eu quero fazer no meu dia dia e no que
gostaria de atingir, sempre me perguntando o que me faz feliz para mim. Acabo sempre
chegando à conclusão, de que o que eu acredito que está mais ligado a felicidade de forma
geral é a minha liberdade de escolher e as minhas relações com as pessoas.
No desenho animado japonês Kaiji escrito por Nobuyuki Fukumoto, o personagem
Yukio Tonegawa faz um discurso onde o mesmo fala que “se nós não fazemos nossas
escolhas alguém faz elas pela gente, e normalmente elas não vão ser felizes para nós”
apesar de que Tonegawa, fala dessa forma por ser um empresário bem sucedido e elitista,
e acredita que quem “Fracassa” e por ser um preguiçoso, ignorando que a pessoas que são
completamente privadas de fazer suas próprias escolhas, tanto por viver em um governo
autoritário como a china, ter nascido fazendo parte de um grupo que historicamente sofre
preconceito ou estar em uma situação de miséria em que é obrigado a pensar somente em
como você vai conseguir comer hoje, eu ainda acho que existe verdade no que Tonegawa
fala. Nossa felicidade está completamente ligada com a nossa liberdade de fazer escolhas,
dessa forma consigo pensar que todas as minhas escolhas no meu cotidiano, não importa o
quão banal elas sejam, são de extrema importância para mim, e me trás felicidade e me
torna mais humano, o simples ato de tê las feito.
Última coisa que eu acho que poderei falar que é importante para mim, e dá sentido
a minha vida, são as relações com as outras pessoas. Acredito que quando colocamos
valor na relação que temos com alguém, nós acrescentamos os valores daquela e o que
faz aquela pessoa feliz na nossa própria vida, seja que você odeie essa pessoa ou ame, ela
terá muito impacto em você, pois você não terá controle sobre esses valores que essa
pessoa dará a você. Acredito então que é muito importante amar alguém, pois essa pessoa
provavelmente acrescentada coisas a você que você sequer pensou sobre.
ao mesmo tempo temos que conseguir entender, que temos total controle sobre as
pessoas que escolhemos valorizar em nossa vida. Se alguém acrescenta a você, coisas
que só fazem mal a você, não estou falando sobre discordar de você ou ter uma opinião
política diferente da sua, pois a diversidade e pluralidade de opinião é muito importante.
Mas se essa pessoa achar que tem direito a controlar suas escolhas, e faz você se sentir
inferior a ela, essa relação não vale a pena, e você deve cortar essa pessoa da sua vida, e
se por algum motivo você não poder fazer isso, por essa pessoa talvez estar ligada a algo
importante a você, no mínimo limitar o contato com ela. No final, acho que são essas três
coisas que eu acredito que dão sentido à vida.

Perguntas que eu faço ao leitor:

Quais são os valores que você mais acredita que dão sentido na sua vida?

Quais escolhas suas relações mais interferem no seu dia dia?