Você está na página 1de 10

Ciências Humanas

História 2º Anos
e Suas Tecnologias

2021
A REVOLUÇÃO FRANCESA

PROFESSOR: JOÃO ANTONIO PEREIRA


Esta Apostila faz parte do Material Didático
Pedagógico utilizado pelos alunos dos 2º Anos do João Antonio Pereira | Facebook
Ensino Médio da Escola Estadual Dona Maria de
Lourdes Ribeiro Fragelli no Ano Letivo de 2021 Memórias da Vida em Vida
(memoriasdavidaemvida.blogspot.com)
Aluno (a):_________________________________________________

Série:_____/Turma:_______Turno:_____________Período:Maio/2021

©2021João Antonio Pereira – Especialista Em Educação – Direitos Reservado


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
Guiratinga-Mato Grosso – Período: 01 a 31 de maio de 2021
Ciências Humanas e Suas Tecnologias – História – 2º Ano do Ensino Médio
João Antonio Pereira – Professor Especialista Em Educação

existiam impostos e
A REVOLUÇÃO FRANCESA licenças que só eram
válidos para
determinadas regiões. O
poder político estava
1 – Introdução concentrado no rei e num
pequeno número de
Iniciada no dia 17 de junho de 1789 na França, foi um movimento auxiliares.
impulsionado pela burguesia contra o regime absolutista do
rei Luís XVI e contou com a participação dos camponeses e das Por isso, para a
classes urbanas que viviam na miséria. burguesia e parte da
nobreza era preciso
acabar com o poder
absoluto do rei Luís XVI.
Enquanto isso, do outro
lado do Canal da
Mancha, a Inglaterra,
sua rival, desenvolvia o
processo de Revolução
Industrial.

Com o avanço da
revolução elaborou-se
nova constituição, assim
como a Declaração dos
Direitos dos Homens,
Figura 1Fase Mais Violenta da Revolução - Fonte: Google Imagem baseados nos ideais
iluministas, que tinha o
Em 14 de julho de 1789, os parisienses tomaram a prisão da objetivo de dar fim às
Bastilha, para onde eram levadas as pessoas condenadas por desigualdades de
atos políticos que contrariavam o domínio absolutista francês classes. Também foi
desencadeando profundas mudanças que tiveram reflexos em instituída a liberdade de
todo o mundo, influenciando entre outros a independência dos imprensa.
EUA e o movimento da Inconfidência Mineira no Brasil.
Algumas monarquias
Durante esse período, intensas transformações ocorreram nas como Áustria e Prússia
esferas social, econômica e principalmente política. A revolução com medo que suas
foi responsável por reconfigurar totalmente as estruturas de populações adotassem
poder, dando destaque à conquista da classe burguesa, que já as mesmas causas
se desenvolvia naquele continente desde o final da Idade Média. entraram em conflito
armado com a França no
2 - Contexto histórico ano de 1791.

No final do século XVIII, a França era um país agrário, com a


produção estruturada no modelo feudal. Isso significava que
Página | 1 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação
Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias

3 - Fases da Revolução Francesa Pressionado pela


situação, o rei Luís XVI
convoca os Estados
Didaticamente, divide-se a Revolução Francesa em três fases:
Gerais, uma assembleia
▪ Monarquia Constitucional (1789-1792);
▪ Convenção Nacional (1792-1795); formada pelos três
▪ Diretório (1795-1799). estamentos da
sociedade francesa:

4 - Causas da Revolução Francesa • Primeiro Estado


- composto pelo clero;
A burguesia francesa, preocupada em desenvolver a indústria • Segundo Estado
no país, queria acabar com as barreiras que restringiam a - formado pela nobreza;
liberdade de comércio internacional. Desta forma, era preciso • Terceiro Estado -
que se adotasse na França, segundo a burguesia, o liberalismo composto por todos
econômico.
aqueles que não
pertenciam ao Primeiro
nem ao Segundo Estado,
no qual se destacava a
burguesia.

O Terceiro Estado, mais


numeroso, pressionava
para que as votações
das leis fossem
individuais e não por
Estado. Somente assim,
o Terceiro Estado
poderia passar normas
que os favorecessem.
Figura 2- Reunião dos Estados na Assembleia. Fonte: Nova Escola No entanto, o Primeiro e
o Segundo Estado
A burguesia exigia também a garantia de seus direitos políticos, recusaram esta proposta
pois era ela quem sustentava o Estado, posto que o clero e a e nada mudou.
nobreza estavam livres de pagar impostos. Apesar de ser a
classe social economicamente dominante, sua posição política Desta forma, reunidos no
e jurídica era limitada. Palácio de Versalhes, o
4.1 - Iluminismo: O iluminismo se propagou entre os Terceiro Estado e parte
burgueses e propulsionou o início da Revolução Francesa. Este do Primeiro Estado
movimento intelectual fazia duras críticas às práticas (baixo clero) se separam
econômicas mercantilistas, ao absolutismo, e aos direitos da Assembleia. Em
concedidos ao clero e à nobreza. Seus autores mais conhecidos seguida, declaram-se os
foram Voltaire, Montesquieu, Rousseau, Diderot e Adam Smith. legítimos representantes
da nação, formando a
2 - Crise econômica e política: A crítica situação Assembleia Nacional
econômica, às vésperas da revolução de 1789, exigia reformas, Constituinte e jurando
mas gerava uma crise política. Esta se agravou quando os permanecer reunidos até
ministros sugeriram que a nobreza e o clero deveriam pagar
que ficasse pronta a
impostos.
Constituição.

Página | 1 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias

5 - Monarquia constitucional (1789-1792) 7 - O Terror


(1793-1794)
No dia 26 de agosto de 1789 foi aprovada pela Assembleia a
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Esta Dentro do período da
Declaração assegurava os princípios da liberdade, da igualdade, Convenção Nacional
da fraternidade (“Liberté, égalité, fraternité” - lema da Revolução), existe um ano
além do direito à propriedade. extremamente violento,
onde as pessoas
A recusa do rei Luís XVI em aprovar a Declaração provoca novas suspeitas de serem
manifestações populares. Os bens do clero foram confiscados e contrarrevolucionárias
muitos padres e nobres fugiram para outros países. A eram condenadas à
instabilidade na França era grande. guilhotina. Este período
ficou conhecido como
A Constituição ficou pronta em setembro de 1791. Dentre os "terror".
artigos podemos destacar:
Isto foi possível graças a
• o governo foi transformado em monarquia constitucional; aprovação da Lei dos
• o poder executivo caberia ao rei, limitado pelo legislativo, Suspeitos que
constituído pela Assembleia; autorizava a prisão e
• os deputados teriam mandato de dois anos; morte dos considerados
• instituído o voto censitário (só seria eleitor quem tivesse antirrevolucionários.
uma renda mínima); Nessa mesma altura, as
• suprimiram-se os privilégios e as antigas ordens sociais; igrejas eram encerradas
• confirmaram-se a abolição da servidão e nacionalização e os religiosos obrigados
dos bens eclesiásticos; a deixar seus conventos.
• manteve-se a escravidão nas colônias. Aqueles que recusavam
a jurar a Constituição
6 - Convenção Nacional (1792-1795) Civil do Clero eram
executados. Além da
A Assembleia Legislativa foi substituída, através do sufrágio guilhotina, os suspeitos
universal masculino, pela Convenção Nacional, que aboliu eram afogados no rio
monarquia e implantou a República. Os jacobinos eram a Loire.
maioria neste novo parlamento.
A ditadura jacobina
O rei Luís XVI foi julgado e sentenciado culpado por traição, introduziu novidades na
sendo condenado à morte por guilhotina e executado em janeiro Constituição como:
de 1793. Meses depois, a rainha Maria Antonieta teria o mesmo
destino. Internamente, as opiniões divergentes de como • voto universal e
deveriam ser conduzidas a revolução, começavam a provocar não censitário;
divisão entre os próprios revolucionários. Existiam basicamente • fim da escravidão
dois grupos: nas colônias;
• congelamento de
Os girondinos - representantes da alta burguesia, defendiam preços de produtos
posições moderadas e a monarquia constitucional. básicos como o trigo;
• instituição do
Por sua parte, os jacobinos representantes da média e da Tribunal Revolucionário
pequena burguesia, constituía o partido mais radical, sob a para julgar os inimigos
liderança de Maximilien Robespierre. Queriam a instalação de da Revolução.
uma república e um governo popular.

Página | 2 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
As execuções tornaram-se um espetáculo popular, pois país, proteger a riqueza
aconteciam diversas vezes ao dia num ato público. Para os da burguesia e salvá-los
ditadores eram uma forma justa de acabar com os inimigos, das manifestações
porém essa atitude causava medo na população que se voltou populares. Por volta de
contra Robespierre e o acusou de tirania. Nessa sequência, 1803 têm início as
após ser detido, Robespierre foi executado e este fato ficou Guerras Napoleônicas,
conhecido como “Golpe do 9 Termidor”, em 1794. conflitos revolucionários
imbuídos dos ideais da
8 - Diretório (1794-1799) Revolução Francesa que
teve como protagonista
A fase do Diretório dura cinco anos e se caracteriza pela Napoleão Bonaparte.
ascensão da alta burguesia, os girondinos, ao poder. Recebe
este nome, pois eram cinco diretores que governavam a França. várias foram as
consequências para o
Inimigos dos jacobinos, seu primeiro ato é revogar todas as país e o mundo, além
medidas que eles haviam feito durante sua legislação. No das mudanças políticas
entanto, a situação era delicada. Os girondinos atraíram a sociais e econômicas.
antipatia da população ao anular o congelamento de preços. Dentre alguma delas,
podemos citar:
Vários países, como a Inglaterra e o Império Austríaco,
ameaçavam invadir a França a fim de conter os ideais • Fim dos
revolucionários. Por fim, a própria nobreza e a família real no privilégios de classe na
França;
exílio buscavam organizar-se para restaurar o trono.
• Fim de qualquer
resquício do feudalismo
Diante desta situação, o Diretório recorre ao Exército, na figura
no país e início da
do general Napoleão Bonaparte para conter os ânimos dos
consolidação do
inimigos. Desta maneira, Bonaparte dá um golpe - o 18 Brumário capitalismo;
- onde instaura o Consulado, um governo mais centralizado que • Início do processo
traria paz ao país por alguns anos. de queda do absolutismo
na Europa e na França;
9 – Consequências Principais da Revolução Francesa • Inspiração para
movimentos de
Em dez anos, de 1789 a 1799, a França passou por profundas independência no
modificações políticas, sociais e econômicas. A aristocracia do continente americano;
Antigo Regime perdeu seus privilégios, libertando os • Popularização da
camponeses dos laços que os prendiam aos nobres e ao clero. república como forma de
Desapareceram as amarras feudais que limitavam as atividades governo;
da burguesia e criou-se um mercado de dimensão nacional. • Separação entre
os poderes;
A Revolução Francesa foi a alavanca que levou a França do • Imposição das
estágio feudal para o capitalista e mostrou que a população era liberdades individuais,
capaz de condenar um rei. Igualmente, instalou a separação de que tornavam os homens
poderes e a Constituição. Em 1799, a alta burguesia aliou-se ao “iguais perante a lei”.
general Napoleão Bonaparte, que foi convidado a fazer parte do
governo. Sua missão era recuperar a ordem e a estabilidade do

Exercícios de Fixação de Aprendizagem – Período: 01 a 31 de Maio de 2021


Página | 3 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação
Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
Sociedades do Oriente Próximo Ao Mediterrâneo

Eixo Competência Competência Habilidade/Objeto


Estrutural Geral Específica do Conhecimento
1 -Tempo e 1– Conhecimento 1-1- Analisar processos políticos, (EM13CHS101);
Espaço econômicos, sociais ambientais e (EM13CHS102);
Dimensão 1: Aprendizagem culturais nos âmbitos local, regional, (EM13CHS103);
e Conhecimento nacional e mundial em diferentes
(EM13CHS104);
Subdimensão 1.1 APLICAÇÃO tempos, a partir da pluralidade de
DO CONHECIMENTO procedimentos epistemológicos,
científicos e tecnológicos, de modo a
compreender e posicionar-se
criticamente em relação a eles,
considerando diferentes pontos de
vista e tomando argumentos e fontes
de natureza científica. decisões
baseadas em
2-Território e 2- Analisar a formação de 2-COMPETÊNCIA 7 – Argumentação (EM13CHS201);
Fronteiras territórios e fronteiras em 2.1 Dimensão: CONSCIÊNCIA (EM13CHS202)
diferentes tempos e GLOBAL
espaços, mediante a
compreensão das relações
de poder que determinam
as territorialidades e o papel
geopolítico dos Estados-
nações.

01- A queda na produção de cereais, às vésperas da Revolução Francesa de 1789,


desencadeou uma crise econômica e social, que se manifestou:

a) na alta dos preços dos gêneros alimentícios, na redução do mercado consumidor de


manufaturados e no aumento do desemprego;
b) no aumento da exploração francesa sobre o seu império colonial, na reação da elite
colonial e no início do movimento de independência;
c) no abrandamento da exploração senhorial sobre os servos, na divisão das terras dos
nobres emigrados e na suspensão dos direitos constitucionais;
d) na decretação, pelo rei absolutista, da lei do preço máximo dos cereais, na expansão
territorial francesa e nas guerras entre países europeus;
e) na intensificação do comércio exterior francês e no aumento da exportação de tecidos
para a Inglaterra, que foi compensada pela compra de vinhos ingleses.

02- As Revoluções Inglesas do século XVII e a Revolução Francesa são, muitas vezes,
comparadas. Sobre tal comparação, pode-se dizer que:

a) é pertinente, pois são exemplos de processos que resultaram em derrota do


absolutismo monárquico; no entanto, há muitas diferenças entre elas, como a importante
presença de questões religiosas no caso inglês e o expansionismo militar francês após o
fim da revolução.
b) é equivocada, pois, na Inglaterra, houve vitória do projeto republicano e, na França, da
proposta monárquica; no entanto foram ambas iniciadas pela ação militar das tropas
Página | 1 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação
Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
napoleônicas que invadiram a Inglaterra, rompendo o tradicional domínio britânico dos
mares.
c) é pertinente, pois são exemplos de revolução social proletária de inspiração marxista;
no entanto os projetos populares radicais foram derrotados na Inglaterra (os “niveladores”,
por exemplo) e vitoriosos na França (os “sans-culottes”).
d) é equivocada, pois, na Inglaterra, as revoluções tiveram caráter exclusivamente
religioso, e, na França, representaram a vitória definitiva da proposta republicana
anticlerical; no entanto ambas foram movimentos antiabsolutistas.

3- Leia os dois artigos abaixo, extraídos da Declaração dos Direitos do Homem e do


Cidadão, de 26 de agosto de 1789.

Artigo 1º: Os homens nascem e permanecem livres e iguais em direitos. As distinções


sociais não podem ser fundamentadas senão sobre a utilidade comum.

Artigo 6º: A lei é a expressão da vontade geral. Todos os cidadãos têm o direito de concorrer,
pessoalmente ou pelos seus representantes, na sua formação. Ela tem de ser a mesma
para todos, quer seja protegendo, quer seja punindo. Todos os cidadãos, sendo iguais aos
seus olhos, são igualmente admissíveis a todas as dignidades, lugares e empregos
públicos, segundo a capacidade deles, e sem outra distinção que a de suas virtudes e
talentos.

Ambos os artigos introduzem, na política, o princípio de:

a) Renda universal
b) Nacionalidade
c) Cidadania
d) Livre circulação de pessoas

4- “Compete-vos, portanto, decidir se Luís é inimigo do povo francês, se é estrangeiro (...)


Luís combateu o povo: foi vencido. É um bárbaro, um estrangeiro prisioneiro de guerra (...)
o traidor não era o rei dos franceses, era o rei de alguns conjurados. Fazia recrutamentos
secretos de tropas, tinha magistrados particulares; considerava os cidadãos como seus
escravos (...).” Discursos e relatórios. Saint-Just. Lisboa: Presença, 1975, p. 41.

O discurso de Saint-Just, com seu tom acusatório, remete as relações entre a


população e o rei Luís XVI, durante o processo revolucionário, que teve como
consequência:
a) O julgamento de Luís XVI.
b) O juramento da Constituição pelo rei
c) A queda da Bastilha.
d) A toma do poder por Napoleão Bonaparte.
e) NDA.

06 - Algumas transformações que antecederam a Revolução Francesa podem ser


exemplificadas pela mudança de significado da palavra “restaurante”. Desde o final da
Idade Média, a palavra restaurant designava caldos ricos, com carne de aves e de boi,
legumes, raízes e ervas. Em 1765 surgiu, em Paris, um local onde se vendiam esses caldos,
usados para restaurar as forças dos trabalhadores. Nos anos que precederam a Revolução,
em 1789, multiplicaram-se diversos restaurateurs, que serviam pratos requintados,

Página | 2 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
descritos em páginas emolduradas e servidos não mais em mesas coletivas e mal cuidadas,
mas individuais e com toalhas limpas. Com a Revolução, cozinheiros da corte e da nobreza
perderam seus patrões, refugiados no exterior ou guilhotinados, e abriram seus
restaurantes por conta própria. Apenas em 1835, o Dicionário da Academia Francesa
oficializou a utilização da palavra restaurante com o sentido atual. A mudança do
significado da palavra restaurante ilustra

A) a ascensão das classes populares aos mesmos padrões de vida da burguesia e da


nobreza;
B) a apropriação e a transformação, pela burguesia, de hábitos populares e dos valores da
nobreza.
C) a incorporação e a transformação, pela nobreza, dos ideais e da visão de mundo da
burguesia.
D) a consolidação das práticas coletivas e dos ideais revolucionários, cujas origens
remontam à Idade Média.
E) a institucionalização, pela nobreza, de práticas coletivas e de uma visão de mundo
igualitária.

07 - Sobre a Revolução Francesa de 1789, é correto afirmar que,


a) embora inspirada nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, a revolução, ao final,
criou uma estrutura social ainda mais rígida, na qual a burguesia fundava seu poder em
privilégios feudais e em títulos de nobreza.
b) às vésperas da revolução, a burguesia manifestava uma aguda insatisfação contra o
absolutismo de Luís XVI, o qual, no entanto, contava com grande apoio da população pobre,
favorecida pelas boas colheitas, salários estáveis e baixos preços dos alimentos.
c) superada a ameaça de radicalização dos anos da Convenção Montanhesa (1793-1794),
a alta burguesia assumiu o controle do processo revolucionário, garantindo as conquistas
eminentemente burguesas e frustrando os anseios populares e realistas.
d) ao defender o direito à propriedade privada e o dever de sujeição do cidadão ao Estado
e à ordem, os filósofos iluministas formularam uma ideologia contrária aos interesses da
burguesia, e conseqüentemente, favorável ao trono absolutista.
e) a “reação termidoriana” (julho de 1794) levou ao poder os líderes da Montanha
(jacobinos) que, adotando uma posição de radicalismo político, eliminaram seus
adversários e deram à revolução seu traço definitivo, ou seja, o de uma revolução popular.

07 - No preâmbulo da Constituição francesa de 1791 lê-se: Não há mais nobreza, nem


distinções hereditárias, nem distinções de Ordens, nem regime feudal... Não há mais nem
venalidade, nem hereditariedade de qualquer ofício público; não há mais para qualquer
porção da Nação, nem para qualquer indivíduo qualquer privilégio nem exceção... Do texto
depreende-se que, na França do Antigo Regime, as pessoas careciam de

a) igualdade jurídica.
b) direitos de herança.
c) liberdade de movimento.

Página | 3 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
d) privilégios coletivos.
e) garantias de propriedade.

08) (UFU) Rousseau, um dos ideólogos da Revolução Francesa, ao tratar da questão da


cidadania, concebe os cidadãos como elementos ativos, participantes da autoridade
soberana do Estado. Considerando-se que, para ele, a igualdade É condição fundarnental
para que se possa viver em liberdade, pode-se dizer que, no Brasil, hoje, segundo a lógica
do pensamento rousseauniano :

A) vivemos sob um regime democrático, pois, além da igualdade de todos perante a lei,
existe plena liberdade de organização partidária.
B) estamos longe de viver sob um regime democrático, tendo em vista as disparidades
econômico-sociais expressas na concentração de renda, o que acaba viciando o processo
político de tomada de decisões.
C) vivemos sob um regime democrático, atestado pelo funcionamento do sistema
democrático-parlamentar, condição essencial para a representação da "vontade geral".
D) estamos longe de viver sob um regime democrático, pois este só será alcançado quando
os interesses particulares orem efetivamente respeitados, sem sofrer qualquer interferência
do Estado.
09) (FGV) “Compete-vos, portanto, decidir se Luís é inimigo do povo francês, se é
estrangeiro (...) Luís combateu o povo: foi vencido. É um bárbaro, um estrangeiro prisioneiro
de guerra (...) o traidor não era o rei dos franceses, era o rei de alguns conjurados. Fazia
recrutamentos secretos de tropas, tinha magistrados particulares; considerava os cidadãos
como seus escravos (...).” Discursos e relatórios. Saint-Just. Lisboa: Presença, 1975, p. 41.

O discurso de Louis Antoine Saint-Just foi pronunciado num dos momentos mais
dramáticos da História Francesa. Esse discurso refere-se:

a) Às revelações de que o rei havia conspirado com os Estados estrangeiros em guerra


contra a França.
b) Às lutas entre os duques de Orléans e da Borgonha durante a Guerra dos Cem Anos.
c) Aos episódios que insuflaram a população de Paris a destruir a Bastilha, símbolo do
absolutismo francês.
d) Ao processo de emancipação política do Haiti, liderado por Saint-Just e por Toussaint
Louverture.
e) À revolta de Saint-Just contra o terror revolucionário levado à frente pelo rei Luís XVI.

10) Sobre a Revolução Francesa de 1789, é correto afirmar que,

a) embora inspirada nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, a revolução, ao final,


criou uma estrutura social ainda mais rígida, na qual a burguesia fundava seu poder em
privilégios feudais e em títulos de nobreza.

Página | 4 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação


Ciências Humanas
História 2º Anos
e Suas Tecnologias
b) às vésperas da revolução, a burguesia manifestava uma aguda insatisfação contra o
absolutismo de Luís XVI, o qual, no entanto, contava com grande apoio da população pobre,
favorecida pelas boas colheitas, salários estáveis e baixos preços dos alimentos.

c) superada a ameaça de radicalização dos anos da Convenção Montanhesa (1793-1794),


a alta burguesia assumiu o controle do processo revolucionário, garantindo as conquistas
eminentemente burguesas e frustrando os anseios populares e realistas.

d) ao defender o direito à propriedade privada e o dever de sujeição do cidadão ao Estado


e à ordem, os filósofos iluministas formularam uma ideologia contrária aos interesses da
burguesia, e conseqüentemente, favorável ao trono absolutista.

e) a “reação termidoriana” (julho de 1794) levou ao poder os líderes da Montanha


(jacobinos) que, adotando uma posição de radicalismo político, eliminaram seus

Página | 5 A Revolução Francesa – Professor João Antonio Pereira – Especialista Emeducação