Você está na página 1de 11

Iluminismo (John Locke, Voltaire,

Montesquieu, Rousseau, Adam Smith) -


Questões de Vestibulares
1. (Espcex (Aman) 2016) Observe as ideias de três pensadores da Idade
Moderna.

- Adam Smith (escocês), em sua obra A riqueza das nações, afirmava que a única
fonte de riqueza era o trabalho, e não a terra.
- A ideia central da doutrina de Karl Marx (alemão) é que a “história das sociedades
humanas é a história da luta de classes”.
- Thomas Malthus (inglês), em sua obra Ensaio sobre o princípio da população,
escreveu que a natureza impõe limites ao progresso material, já que a população
cresce em progressão geométrica, enquanto a produção de alimentos aumenta em
progressão aritmética.

Pode-se afirmar que


a) os três pensadores defendem o liberalismo clássico.
b) as três ideias propõem a ditadura do proletariado.
c) Adam Smith propõe o liberalismo clássico, Thomas Malthus e Karl Marx, o
socialismo utópico.
d) Thomas Malthus e Adam Smith defendem o pensamento liberal clássico e Karl
Marx foi um dos autores do socialismo científico.
e) Karl Marx e Adam Smith são considerados anarquistas, e Thomas Malthus, socialista
utópico.

2. (Fgv 2016) “O gênero humano é de tal ordem que não pode subsistir, a
menos que haja uma grande infinidade de homens úteis que não possuam
nada.”
(Dicionário filosófico, verbete Igualdade)

“O comércio, que enriqueceu os cidadãos na Inglaterra, contribuiu para os


tornar livres, e essa liberdade deu por sua vez maior expansão ao comércio;
daí se formou o poderio do Estado.”
(Cartas inglesas)

Sobre os trechos de Voltaire, é correto afirmar que o autor


a) define, com suas ideias, os interesses da burguesia como classe, no século XVIII: o
comércio como condição para a acumulação de capital, a riqueza como fator de
liberdade e do poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade.
b) crê, como filósofo iluminista do século XVIII, nas igualdades social e política, pois a
filosofia burguesa elabora uma doutrina universalista que confunde a causa da
burguesia com a de toda a humanidade.
c) critica a centralização do poder na medida em que ela breca a liberdade, impedindo
o progresso das técnicas e a expansão do comércio que geram riqueza, e, ao mesmo
tempo, aceita a propriedade como fundamento da igualdade.
d) considera que a burguesia não se constitui em uma classe no século XVIII, e ela
precisa do poder do Estado centralizado para garantir a sua riqueza e, nessa
medida, aproxima-se da nobreza para obter apoio político.
e) defende, como representante da Ilustração, a liberdade ligada à ausência da
propriedade e elabora princípios universais, com direitos e deveres para todos os
homens, o que faz a igualdade econômica ser o fundamento da sociedade.

3. (Pucrj 2015) Em meados do século XVIII, diversas monarquias europeias


se modernizaram com base nos ideais iluministas para um programa de
reformas que assegurasse uma administração mais racional e eficiente do
Estado. Embora afirmassem agir em nome da “maior felicidade dos povos”,
estes permaneciam excluídos da tomada de decisões políticas.

Considerando as relações entre a cultura iluminista e as reformas


promovidas pelos “soberanos esclarecidos”, analise as afirmativas a seguir.
I. Os soberanos reformadores concentraram seus esforços no desmantelamento de
privilégios fiscais e no redimensionamento dos poderes eclesiásticos, como no caso
de Frederico II na Prússia e de D. José I e de seu ministro Pombal em Portugal.
II. Os filósofos iluministas forneceram o tema da razão, da boa administração e da
pública felicidade aos projetos absolutistas dos monarcas e o da liberdade à
oposição antiabsolutista.
III. Os opositores do reformismo monárquico eram juristas e magistrados
tradicionalistas, a nobreza fundiária e o alto clero, ameaçados pela dissolução da
sociedade de ordens promovida pelos soberanos esclarecidos.

Assinale:
a) se somente a afirmativa I estiver correta.
b) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
c) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

4. (Uepb 2014) O século XVIII europeu foi marcado pela crise do Antigo
Regime” e pelo advento do Iluminismo - um movimento intelectual e político
favorável ao uso da razão como forma de se alcançar a liberdade, a felicidade
e o bem-estar social.
Analise as assertivas abaixo:
I. Enquanto movimento intelectual, o Iluminismo pretendia divulgar o conhecimento
até então produzido pela humanidade. Foi por isso que se produziu, entre 1751 e
1780, uma Enciclopédia (composta de 35 volumes). A ideia dos enciclopedistas era
travar uma batalha permanente contra a ignorância e a favor da educação popular.
lI. A base ideológica do Antigo Regime, assim chamado por se inspirar na elaboração
aristotélica, era a crítica ao poder absolutista e a defesa da soberania popular.
Filosoficamente, se filiava à elaboração de enciclopedistas como Voltaire,
d’Alembert, Montesquieu e Rousseau.
III. As sociedades europeias do Antigo Regime eram estamentais e o poder político e
econômico estava nas mãos da nobreza e da Igreja. Mas a educação ficava a cargo
dos enciclopedistas, que fundaram universidades para lecionar aos filhos da elite
um tipo de conhecimento laico, científico e comprometido com a reestruturação
social.
IV. Enquanto movimento político, o Iluminismo criticava as sociedades estamentais
baseadas no Antigo Regime. Os “homens da ilustração” questionavam a influência
política e cultural da Igreja, os privilégios da nobreza, a servidão no campo e a
censura às chamadas ideias perigosas”.

Assinale a alternativa correta:


a) I, II e III corretas, enquanto IV incorreta.
b) IV correta, enquanto I, II e III incorretas.
c) II e III corretas, enquanto I e IV incorretas.
d) II correta, enquanto I, II e IV incorretas.
e) I e IV corretas, enquanto II e III incorretas.

5. (Ufg 2013) Analise a imagem a seguir.

No século XVIII, criou-se um projeto arquitetônico para as prisões chamado


“pan-óptico”. O objetivo era transformar a ambiência do confinamento,
distinguindo-a das masmorras do Antigo Regime. Tal como demonstra a
imagem, o projeto estabelecia no centro uma torre com um vigia e, na
periferia, uma construção em forma de anel. A construção periférica era
dividida em celas para os presos, com duas janelas (uma interna ao anel e
outra externa), que permitiam a luz atravessar a cela. Com essa disposição
espacial, o pan-óptico expressava o ideal iluminista, na medida em que o
controle sobre os indivíduos era exercido por meio da
a) descentralização dos espaços reservados para os confinados.
b) valorização da punição ao comportamento em detrimento da vigilância.
c) manutenção de comunicação monitorada entre o ambiente de confinamento e a
sociedade.
d) hierarquização entre os presos separados pelas celas construídas no anel.
e) utilização da claridade para conferir visibilidade aos presos e às suas ações.

6. (IFCE 2014) A Europa Ocidental vivenciou, entre os séculos XVI e XVIII,


inúmeras transformações culturais. É(são) uma dessas transformações:
a) o Movimento Reformista do Século XVI foi caracterizado por uma unificação de
pensamento e práticas nos diversos países nos quais se difundiu.
b) o Pensamento Científico, nos Séculos XVII e XVIII, fundamenta-se na Crítica, no
Empirismo e no Naturalismo.
c) os Tribunais da Santa Inquisição foram extintos entre 1545 e 1563, graças à
Contrarreforma Religiosa, que alterou os dogmas católicos a partir de um enfoque
humanista.
d) as ideias liberais econômicas, na metade do século XVIII, criticavam o Sistema
Colonial e defendiam a Manutenção dos Monopólios que eram o principal gerador
de riqueza da sociedade.
e) o Movimento Iluminista, no século XVIII, baseava-se no racionalismo e criticava os
fundamentos do poder da igreja que apoiava os princípios do poder monárquico
absoluto.

7. (Upf 2014) “A revolução francesa consigna-se desta maneira um lugar


excepcional da história do mundo contemporâneo. Revolução burguesa
clássica, ela constitui, para a abolição do regime senhorial e da feudalidade, o
ponto de partida da sociedade capitalista e da democracia liberal na história
da França”.
SOBOUL, Albert. A revolução francesa. São Paulo: DIFEL, 1985, p. 122.

A grande Revolução Francesa, como outras revoluções burguesas do século


XVIII, refletiu as ideias dos filósofos iluministas. Dentre as características a
seguir relacionadas, assinale a alternativa que apresenta a base do
Iluminismo.
a) A defesa da doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os
direitos individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes.
b) A proposição da criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de
comércio favorável, para assegurar o direito de propriedade.
c) A crítica ao mercantilismo, à limitação ao direito à propriedade privada, ao
absolutismo e à desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
d) A crença na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as
desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.
e) A defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais, proporcionada pela
influência da Igreja Católica sobre a sociedade, por intermédio da educação.

8. (Ufpa) O texto abaixo recupera uma obra iluminista dirigida por Denis
Diderot e Jean Le Rond d’ Alembert em 1772 na França intitulada de
Enciclopédia ou Dicionário racional das ciências, das artes e dos ofícios. No
texto afirma-se que: na Enciclopédia não havia área do engenho humano que
não tivesse sido coberta. Ali se observava a confiança de que os homens
eram, ou poderiam ser em breve, senhores de seu próprio destino, que
poderiam moldar o mundo e a sociedade de acordo com as suas
conveniências e vantagens. Era o poder da razão. Por isso mesmo a
Enciclopédia não foi universalmente aceita. Poderes absolutistas civis e
religiosos foram seus combatentes.
(DENT, N. J. H.. Dicionário de Rousseau. Rio de Janeiro: Zahar, 1996, p. 125. Texto adaptado).

A Enciclopédia proposta por homens iluministas como Diderot e D’Alembert


foi criticada no contexto francês do final do século XVIII, porque nesse
momento o absolutismo e razão significavam
a) modos de viver compatíveis, nos quais as novas e modernas ideias iluministas
eram absorvidas pelo reis absolutistas, que percebiam nelas as vantagens de se
moldar o mundo à sua forma e maneira, tal qual Diderot em sua Enciclopédia, o
que possibilitou o advento da monarquia constitucional.
b) maneiras de fazer política muito diversas. Para os racionalistas, a política
absolutista deveria ser reestruturada ou revolucionada, pois os novos saberes
deveriam vir das experiências e das novas ciências e não de Deus e seus
emissários.
c) formas incompatíveis de fazer política, pois o povo francês era governado por um
velho monarca autoritário que se mantinha no poder devido à ignorância do povo.
Já livros como a Enciclopédia seriam a base da nova sociedade revolucionária e
anarquista proposta por Diderot.
d) formas de governo inconciliáveis, pois o absolutismo era autoritário e
ultrapassado. Já os enciclopedistas, como Diderot e D’ Alembert, desejavam a
derrubada do Rei pelos revolucionários comunistas, formadores de ideias
socialistas vinculadas ao marxismo contemporâneo.
e) maneiras de governar muito distintas, pois os enciclopedistas eram homens de
letras, que iniciavam carreira política nas fileiras dos liberais exaltados, e o
monarca absolutista era do partido conservador francês.

9. (Upe) As ideias liberais refizeram reflexões e anunciaram novas


perspectivas sociais. Um dos seus pensadores mais famosos, Locke, defendia
o(a)
a) fim da propriedade privada e da escravidão, com a queda da sociedade colonial e o
fim do mercantilismo.
b) consolidação da monarquia constitucional, destacando a universalidade do
conhecimento e as possibilidades de massificação da cultura.
c) pensamento de Descartes e o fim do idealismo, ressaltando o valor de democracia e
da igualdade social na Europa do século XVII.
d) liberdade natural dos humanos, afirmando a necessidade da propriedade privada e
combatendo o absolutismo.
e) crescimento do capitalismo, sem afetar a força política da nobreza e dos poderes
dos monarcas absolutistas da época.

10. (Fuvest) Sobre o chamado despotismo esclarecido é correto afirmar que


a) foi um fenômeno comum a todas as monarquias europeias, tendo por característica
a utilização dos princípios do Iluminismo.
b) foram os déspotas esclarecidos os responsáveis pela sustentação e difusão das
ideias iluministas elaboradas pelos filósofos da época.
c) foi uma tentativa bem intencionada, embora fracassada, das monarquias europeias
reformarem estruturalmente seus Estados.
d) foram os burgueses europeus que convenceram os reis a adotarem o programa de
modernização proposto pelos filósofos iluministas.
e) foi uma tentativa, mais ou menos bem sucedida, de algumas monarquias
reformarem, sem alterá-las, as estruturas vigentes.

11. (Fuvest) "Um comerciante está acostumado a empregar o seu dinheiro


principalmente em projetos lucrativos, ao passo que um simples cavalheiro
rural costuma empregar o seu em despesas. Um frequentemente vê seu
dinheiro afastar-se e voltar às suas mãos com lucro; o outro, quando se
separa do dinheiro, raramente espera vê-lo de novo. Esses hábitos diferentes
afetam naturalmente os seus temperamentos e disposições em toda espécie
de atividade. O comerciante é, em geral, um empreendedor audacioso; o
cavalheiro rural, um tímido em seus empreendimentos...".
(Adam Smith, A RIQUEZA DAS NAÇÕES, Livro III, capítulo 4)

Neste pequeno trecho, Adam Smith


a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos.
b) mostra as vantagens do capitalismo comercial em face da estagnação medieval.
c) defende a lucratividade do comércio contra os baixos rendimentos do campo.
d) critica a preocupação dos comerciantes com seus lucros e dos cavalheiros com a
ostentação de riquezas.
e) expõe as causas da estagnação da agricultura no final do século XVIII.

12. (Mackenzie) Assinale a alternativa em que aparecem as principais ideias


de Jean Jacques Rousseau em sua obra O CONTRATO SOCIAL.
a) Cada homem é inimigo do outro, está em guerra com o próximo e por esta razão
cria o Estado para sua própria defesa e proteção.
b) O Estado é uma realidade em si e é necessário conservá-lo, reforçá-lo e
eventualmente reformá-lo, reconhecendo uma única finalidade: sua prosperidade e
grandeza.
c) O governante deve dar um bom exemplo para que os súditos o sigam. Através da
educação e de rituais, os homens de capacidade aprenderiam e transmitiriam os
valores do passado.
d) Que as classes dirigentes tremam ante a ideia de uma revolução! Os trabalhadores
devem proclamar abertamente que seu objetivo é a derrubada violenta da ordem
social tradicional.
e) A única esperança de garantir os direitos de cada indivíduo é a organização da
sociedade civil, cedendo todos os direitos à comunidade, para que seja
politicamente justo o que a maioria decidir.

13. (Mackenzie) Sobre o iluminismo, é correto afirmar que:


a) defendia a doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os direitos
individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes.
b) propunha a criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de comércio
favorável, para assegurar o direito de propriedade.
c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o
absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
d) acreditava na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as
desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.
e) consistia na defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais,
proporcionada pela influência da Igreja Católica sobre a sociedade, através da
educação.

14. (Puc-rio) Assinale a opção em que se encontra corretamente identificado


um dos preceitos fundamentais da Fisiocracia:
a) "O ouro e a prata suprem as necessidades de todos os homens."
b) "Os meios ordinários, portanto, para aumentar nossa riqueza e tesouro são o
comércio exterior."
c) "Que o soberano e a nação jamais se esqueçam de que a terra é a única fonte de
riqueza e de que a agricultura é que a multiplica."
d) "Todo comércio consiste em diminuir os direitos de entrada das mercadorias que
servem às manufaturas interiores (...)"
e) "As manufaturas produzirão benefícios em dinheiro, o que é o único fim do
comércio e o único meio de aumentar a grandeza e o poderio do Estado."

15. (Uece) Identifique, nas sentenças a seguir citadas, aquela que expressa o
pensamento de Montesquieu:
a) "É uma verdade eterna: qualquer pessoa que tenha o poder, tende a abusar dele.
Para que não haja abuso, é preciso organizar as coisas de maneira que o poder seja
contido pelo poder".
b) "(...) é preciso (...) encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a
pessoa e os bens de cada associação, de qualquer força comum, e pela qual, cada
um, não obedeça senão a si mesmo, ficando assim tão livre quanto antes."
c) "O Estado está obrigado a proporcionar trabalho ao cidadão capaz, e ajuda e
proteção aos incapacitados. Não se pode obter tais resultados a não ser por um
Poder Democrático."
d) "A única maneira de erigir-se um poder, capaz de defendê-los contra a invasão e
danos infligidos, uns contra os outros (...) consiste em conferir todo o poder e força
a um só homem."
e) “O homem é o único animal racional, porém, o único que comete absurdos”.

16. (Uel) "A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão teria grande
repercussão no mundo inteiro. 'Este documento é um manifesto contra a
sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um manifesto a favor
de uma sociedade democrática e igualitária. Os homens nascem e vivem
livres e iguais perante a lei, dizia seu primeiro artigo; mas também prevê a
existência de distinções sociais, ainda que somente no terreno da utilidade
comum'..."

Assinale a alternativa que identifica um dos artigos da Declaração que prevê


a distinção a que o texto se refere.
a) "A propriedade privada é um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável."
b) "Os cidadãos de conformidade com suas posses devem contribuir com as despesas
da administração pública."
c) "A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de força pública que
deve ser instituída em benefício de todos..."
d) "A lei só tem direito de proibir as ações que sejam prejudiciais à sociedade."
e) "Ninguém pode ser molestado por suas opiniões, mesmo religiosas, desde que sua
manifestação não perturbe a ordem pública...".

17. (Uff) O Iluminismo do século XVIII abrigava, dentre seus valores, o


racionalismo. Tal perspectiva confrontava-se com as visões religiosas do
século anterior. Esse confronto anunciava que o homem das luzes encarava
de frente o mundo e tudo nele contido: o Homem e a Natureza. O iluminismo
era claro, com relação ao homem: um indivíduo capaz de realizar
intervenções e mudanças na natureza para que essa lhe proporcionasse
conforto e prazer.
Seguindo esse raciocínio, pode-se dizer que, para o Homem das Luzes, a
Natureza era:
a) misteriosa e incalculável, sendo a base da religiosidade do período, o lugar onde os
homens reconheciam a presença física de Deus e sua obra de criação;
b) infinita e inesgotável, constituindo-se um campo privilegiado da ação do homem,
dando em troca condição de sobrevivência, principalmente no que se refere ao seu
sustento econômico;
c) apenas reflexo do desenvolvimento da capacidade artística do homem, pois
ajudava-o a criar a ideia de um progresso ilimitado relacionado à indústria;
d) um laboratório para os experimentos humanos, pois era reconhecida pelo homem
como a base do progresso e entendimento do mundo; daí a fisiocracia ser a
principal representante da industrialização iluminista;
e) a base do progresso material e técnico, fundamento das fábricas, sem a qual as
indústrias não teriam condições de desenvolver a ideia de mercado.

18. (Ufmg) Leia o texto.


"Se existem ateus, a quem devemos culpar senão os tiranos mercenários das
almas que, provocando em nós a nossa revolta, contra as suas velhacarias e
hipocrisias, levam alguns espíritos fracos a negarem o Deus que esses
monstros desonram? Quantas e quantas vezes essas sanguessugas do povo não
levaram os cidadãos oprimidos a revoltarem-se contra o seu próprio rei?"
Esse texto é de autoria de
a) Descartes, no DISCURSO DO MÉTODO, em que apontava a fé como um empecilho
ao conhecimento.
b) Erasmo de Roterdã que, em O ELOGIO DA LOUCURA, condena a leviandade com
que o clero conduz os assuntos sagrados.
c) John Locke, em O SEGUNDO TRATADO SOBRE O GOVERNO CIVIL, em que defendeu
o direito à rebelião contra um governo tirânico.
d) Spinoza que, em sua obra TRACTUS THEOLOGICO-POLITICUS, investe contra a
intolerância religiosa e apregoa o livre pensamento.
e) Voltaire, que faz do seu DICIONÁRIO FILOSÓFICO um libelo anticlerical com fortes
críticas à conduta dos sacerdotes.

19. (Puccamp) Dividimos a história em eras, com começo e fim bem


definidos, e mesmo que a ordem seja imposta depois dos fatos - a gente vive
para a frente mas compreende para trás, ninguém na época disse "Oba,
começou a Renascença!" - é bom acreditar que os fatos têm coerência, e
sentido, e lições. Mas podemos apreender a lição errada.
(Luiz Fernando Veríssimo. "Banquete com os deuses")
Contextualizando historicamente o movimento da Renascença a que o texto
se refere, é correto afirmar que o Renascimento
a) destacou-se por introduzir a observação da natureza e a experimentação como
métodos básicos do conhecimento científico e na reconstrução das teorias
aristotélicas modernas.
b) caracterizou-se por conciliar, no século XVI, os princípios liberais e as necessidades
emergentes da população mediante a análise dos mecanismos sociais do
capitalismo.
c) foi um importante elo no processo de libertação da razão, que culminou, no século
XVIII, na filosofia iluminista e na constituição da moderna sociedade burguesa e
capitalista.
d) foi responsável pelo surgimento de ideias que colocavam o conhecimento racional
no ápice e pela constituição de uma linha bem nítida entre a razão e a fé, no século
XVII.
e) teve um importante papel na defesa de uma nova religiosidade entre os homens
que, somada à racionalidade, poderia resultar num mundo progressista e mais
justo.

20. (Unesp 2012) Encontrar uma forma de associação que defenda e proteja
a pessoa e os bens de cada associado com toda a força comum, e pela qual
cada um, unindo-se a todos, só obedece contudo a si mesmo, permanecendo
assim tão livre quanto antes. Esse, o problema fundamental cuja solução o
contrato social oferece.
[...]
Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a direção
suprema da vontade geral, e recebemos, enquanto corpo, cada membro como
parte indivisível do todo.
(Jean-Jacques Rousseau. Do contrato social, 1983.)

O texto apresenta características


a) iluministas e defende a liberdade e a igualdade social plenas entre todos os
membros de uma sociedade.
b) socialistas e propõe a prevalência dos interesses coletivos sobre os interesses
individuais.
c) iluministas e defende a liberdade individual e a necessidade de uma convenção
entre os membros de uma sociedade.
d) socialistas e propõe a criação de mecanismos de união e defesa de todos os
trabalhadores.
e) iluministas e defende o estabelecimento de um poder rigidamente concentrado nas
mãos do Estado.

21. (Uespi) As teorias dos economistas clássicos foram importantes para


consolidar o capitalismo e reorganizar a produção da época, quebrando
tradições nos negócios e rompendo preconceitos com relação ao uso do
trabalho assalariado. Os economistas clássicos:
a) definiam a necessidade de intensificar a colonização, focalizando a produção no
avanço das técnicas agrícolas e na exportação de mercadorias.
b) reforçaram as teses dos mercantilistas, mas redefiniram o lugar do trabalho,
defendendo a melhoria salarial e o fim da escravidão.
c) criticavam a excessiva interferência do Estado na economia, derrubando teses
mercantilistas e valorizando o trabalho produtivo.
d) admitiram a ideia de que a agricultura era a grande fonte de riqueza e seguiram os
caminhos sugeridos pelos fisiocratas.
e) estavam desatualizados com as questões financeiras da época, sendo criticados
pelos pensadores iluministas franceses.

22. (Upe) O Iluminismo foi um movimento intelectual, portador de uma visão


unitária do mundo e do homem, apesar da diversidade de leituras que lhe
são contemporâneas, conservou uma grande certeza quanto à racionalidade
do mundo e do homem, a qual seria imanente em sua essência.
FALCON, F. J. C. Iluminismo, São Paulo: Ática, 1986. Adaptado.

Suas principais linhas de força foram:


a) o pensamento crítico, o primado da razão, a antropologia e a pedagogia.
b) a ideia de progresso, a antropologia, a manutenção das tradições e a explicação
racional para tudo.
c) o direito coletivo, o direito à propriedade, o primado da razão, a ideia de
progresso.
d) o sentimento humanitário, a futilidade da guerra, a manutenção das tradições e a
explicação racional para tudo.

e) a ideia de socialismo, o pensamento crítico, o antropocentrismo e o naturalismo.

GABARITO

1. d) Thomas Malthus e Adam Smith defendem o pensamento liberal clássico e Karl Marx
foi um dos autores do socialismo científico.

2. a) define, com suas ideias, os interesses da burguesia como classe, no século XVIII: o
comércio como condição para a acumulação de capital, a riqueza como fator de liberdade
e do poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade.

3. b) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.

4. e) I e IV corretas, enquanto II e III incorretas.

5. e) utilização da claridade para conferir visibilidade aos presos e às suas ações.

6. e) o Movimento Iluminista, no século XVIII, baseava-se no racionalismo e criticava os


fundamentos do poder da igreja que apoiava os princípios do poder monárquico absoluto.

7. c) A crítica ao mercantilismo, à limitação ao direito à propriedade privada, ao


absolutismo e à desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
8. b) maneiras de fazer política muito diversas. Para os racionalistas, a política absolutista
deveria ser reestruturada ou revolucionada, pois os novos saberes deveriam vir das
experiências e das novas ciências e não de Deus e seus emissários.

9. d) liberdade natural dos humanos, afirmando a necessidade da propriedade privada e


combatendo o absolutismo.

10. e) foi uma tentativa, mais ou menos bem sucedida, de algumas monarquias
reformarem, sem alterá-las, as estruturas vigentes.

11. a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos.

12. e) A única esperança de garantir os direitos de cada indivíduo é a organização da


sociedade civil, cedendo todos os direitos à comunidade, para que seja politicamente justo
o que a maioria decidir.

13. c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o


absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.

14. c) "Que o soberano e a nação jamais se esqueçam de que a terra é a única fonte de
riqueza e de que a agricultura é que a multiplica."

15. a) "É uma verdade eterna: qualquer pessoa que tenha o poder, tende a abusar dele.
Para que não haja abuso, é preciso organizar as coisas de maneira que o poder seja contido
pelo poder".

16. a) "A propriedade privada é um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável."

17. b) infinita e inesgotável, constituindo-se um campo privilegiado da ação do homem,


dando em troca condição de sobrevivência, principalmente no que se refere ao seu
sustento econômico;

18. e) Voltaire, que faz do seu DICIONÁRIO FILOSÓFICO um libelo anticlerical com
fortes críticas à conduta dos sacerdotes.

19. c) foi um importante elo no processo de libertação da razão, que culminou, no século
XVIII, na filosofia iluminista e na constituição da moderna sociedade burguesa e
capitalista.

20. c) iluministas e defende a liberdade individual e a necessidade de uma convenção


entre os membros de uma sociedade.

21. c) criticavam a excessiva interferência do Estado na economia, derrubando teses


mercantilistas e valorizando o trabalho produtivo.

22. a) o pensamento crítico, o primado da razão, a antropologia e a pedagogia.