Você está na página 1de 17

A DESONRA DE SER IDOSO NA BÍBLIA

Se a velhice é louvada na Bíblia como sinal de sabedoria, ela também não


deixou de constatar que “velhice honrada não consiste em ter vida longa,
nem é merecida pelos números de anos. Os cabelos brancos do homem
valem pela sua sabedoria, e a velhice pela sua vida sem manchas” (Sab. 4,7
- 9). Quem não soube acumular sabedoria chegará ao final da vida
desonrado. Ninguém vai perder tempo para ouvir suas lorotas. Salomão é
um exemplo desse tipo de idoso que se torna um louco, não sábio. Nesse
caso, a perda foi lastimável, pois Salomão foi cumulado de sabedoria por
Deus na sua juventude e a deixou escapar. Quando o jovem Salomão
reinou, a paz reinou em Israel. Ele construiu uma casa para Deus. Sabia
decifrar enigmas. Seu nome ficou conhecido entre os povos. Trouxe riqueza
para o seu povo. Mas tão logo a velhice chegou, Salomão perdeu a
sabedoria. Ou nunca a teve? O livro do Eclesiástico denuncia-o com duras
palavras: “Entregaste teu corpo a mulheres, deste-lhes poder sobre teu
corpo. Manchaste a tua glória, profanaste a tua raça, a ponto de fazer vir a
cólera contra teus filhos e a aflição até à loucura: erigiu-se um duplo poder,
surgiu de Efraim um reino rebelde” (Eclo 47,19 - 21).

Outro exemplo de idosos que não acumularam sabedoria durante a vida é o


dos dois anciãos do episódio da bela e devota Susana, esposa de Joaquim,
um rico que possuía um belo jardim. Susana costumava passear com o
marido nesse local e um dia resolveu também tomar banho. Havia dentre o
povo dois anciãos que exerciam o papel de juiz. Ambos desejaram o corpo
de Susana e tramaram para poder deitar-se com ela. E aconteceu que
quando Susana estava sozinha em seu banho no jardim, eles saíram do
esconderijo e procuraram convencê-la de se entregar a eles. Susana reagiu
com gritos e os seus familiares logo se ajuntaram. Os anciãos disseram que
um jovem estava com ela e que por isso as criadas não estavam por perto.
No dia seguinte, Susana foi acusada por eles diante de Joaquim e do povo. E
enquanto ela era levada para fora da casa para ser apedrejada até à morte,
eis que Deus mandou o espírito de um jovem adolescente, chamado Daniel,
para defendê-la. Daniel acusou o povo de julgá-la sem conhecer a verdade.
Convocou o povo para voltar ao lugar do julgamento e pediu que os anciãos
fossem colocados bem distantes um do outro para serem julgados por ele. À
pergunta, em separado, sobre o tipo de árvore que Susana estava com o
jovem, eles se contradisseram. E foram condenados à morte. Susana foi
libertada. As palavras de acusação proferidas por Daniel (Deus) contra os
anciãos foram duras: “Ó tu que envelhecestes no mal! Agora aparecem teus
pecados, que cometestes no passado: fazendo julgamentos injustos,
condenavas os inocentes e o justo!” (Dn. 13).

E como em qualquer sociedade, a presença de homens e mulheres injustos,


mesmo sendo idosos, é quase que inevitável, vale o conselho pastoral da
Carta de Tito: “Que os anciãos sejam sóbrios, respeitáveis, sensatos, fortes
na fé, no amor e na paciência. As mulheres idosas também devem
comportar-se como convém a pessoas sensatas: não sejam caluniadoras,
nem escravas de bebida excessiva; pelo contrário sejam de dar bons
conselhos de modo que as recém-casadas aprendam com elas (Tt. 2,2 - 4).

O ser humano que não cultivou a sabedoria, torna-se um idoso


desrespeitado e sem a alegria de viver para si e para os outros.

publicado no Jornal de Opinião - Belo Horizonte: Fumarc, 2003

http://www.psleo.com.br/b_desonra.htm

Idosos

Devemos honrar os idosos. A Bíblia diz em Levítico 19:32 “Diante das cãs te
levantarás, e honrarás a face do ancião, e temerás o teu Deus. Eu sou o
Senhor.”

As mulheres e os homens idosos devem ser tratados com respeito. A Bíblia


diz em 1 Timóteo 5:1 “Não repreendas asperamente a um velho, mas
admoesta-o como a um pai; aos moços, como a irmãos.”

Devemos apreciar os idosos pela sua experiência. A Bíblia diz em Provérbios


20:29 “A glória dos jovens é a sua força; e a beleza dos velhos são as cãs.”

Os jovens podem aprender lições valiosas da vida dos idosos. A Bíblia diz
em Salmos 71:18 “Agora, quando estou velho e de cabelos brancos, não me
desampares, ó Deus, até que tenha anunciado a tua força a esta geração, e
o teu poder a todos os vindouros.”

A Bíblia dá conselhos aos idosos. A Bíblia diz em Tito 2:2-5 “Exorta os velhos
a que sejam temperantes, sérios, sóbrios, sãos na fé, no amor, e na
constância; as mulheres idosas, semelhantemente, que sejam reverentes no
seu viver, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras do bem, para
que ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos, a
serem moderadas, castas, operosas donas de casa, bondosas, submissas a
seus maridos, para que a palavra de Deus não seja blasfemada.”

http://jesusvoltara.com.br/info/idosos.htm

Os idosos buscam (e conquistam) seu espaço


Projetos de Igrejas, instituições privadas e governos valorizam a experiência
dos idosos, além de ocupá-los com atividades que combatem a ociosidade

Sergio Dias

sdias@jornapalavra.com.br

Eles são os principais alvos da impaciência e intolerância dos mais jovens


nas ruas, em filas, nos transportes etc. Muitos são tratados como “objetos
em desuso”. Suas qualidades e experiências são deixadas de lado, somente
por serem velhos, num ato típico de preconceito. A Palavra de Deus fala
sobre os idosos. E de uma forma bem clara, nos ensina a ajudá-los, respeitá-
los e, principalmente, aprender com as experiências que possuem. No
Salmo 92, versículos 14 e 15, o salmista afirma que os idosos são como as
palmeiras, que no futuro ainda darão frutos viçosos.

Vivendo em um mundo que tanto os discrimina, os ido-sos lutaram e


elegeram representantes que os ajudaram a mudar este quadro. Veio a
aprovação do Estatuto do Idoso, que passou a vigorar em agosto de 2004. O
novo código chegou para coibir a falta de respeito que a sociedade impunha
aos mais velhos.

No âmbito religioso, em especial nas igrejas evangélicas, os idosos também


lutam pelo seu espaço. Muitos vivem sozinhos, sem o auxílio dos parentes e
buscam nas congregações a solução para a falta de companhia. E essa
solidão gera ociosidade. Foi no intuito de acabar com essa ociosidade e
auxiliar na reintegração do idoso na sociedade, que ministérios específicos
foram gerados dentro das igrejas.

Quem os ajuda

A Primeira Igreja Batista de Campo Grande (RJ), através do “Ministério


Crescer e Viver”, coordenado pela assistente social e gerontóloga, formada
na PUC (RJ), Nelzi Alves Camargo, de 61 anos, está disponibilizando para os
idosos atividades sociais e ministeriais que visam estabelecer um ambiente
de convívio que os auxilie na ressocialização. Segundo Nelzi, que trabalha
no ministério da igreja há dez anos, a grande base do trabalho está na
interatividade. “Quando eles (terceira idade) começam a freqüentar os
grupos de convivência, que tem bate-papo, chá de confraternização e
brincadeiras voltadas para o grupo; os idosos se sentem ativos, úteis e
valorizam o convívio. Esse é o desafio do nosso ministério: fazê-los
desenvolver novamente suas capacidades físicas e fazer com que saibam
conviver entre si e com as diversas faixas etárias que os cercam”, conta.

Na igreja, as atividades voltadas ao grupo são diversas e extremamente


interativas. Numa delas, jovens e adolescentes colaboram com o ministério
de visitação da terceira idade, que auxilia idosos do grupo e/ou asilos que
desejam a visita do ministério. O projeto conta também com cursos de
introdução à informática, artesanato, bordado, crochê, aulas de música e
curso de alfabetização para aqueles que desejam completar seus estudos.
“Temos a missão de capacitar os idosos para a sociedade em que vivem.
Mesmo que eles sejam desprezados e desacreditados, os incentivamos a
quererem mais, aprender coisas novas e interagir com os mais jovens. Sem
falar que a mente de um idoso sendo ocupada por trabalhos gratificantes na
obra de Deus, ajuda-o a viver mais e melhor”, finaliza a educadora.

Trabalho semelhante acontece na igreja de Nova Vida de Olaria – Terra dos


Milagres (RJ). O ministério local, intitulado “Terceira Idade – Terra da Melhor
Idade” atende mais de 60 idosos, que realizam encontros mensais na igreja
e fora dela, com atividades que envolvem passeios, oração, louvor,
dinâmicas, teatro e até dança. De acordo com a vice-líder do ministério,
Adriane Mateus, o foco central do ministério é cuidar, entreter e manter as
pessoas idosas na igreja, através de atividades específicas para o grupo.
“Os idosos não tinham seu ministério próprio.

Nosso trabalho, que tem direção geral do pastor Carlos Lima, integra
pessoas da mesma faixa etária que sofrem com problemas como solidão,
desprestígio, desânimo, baixa estima etc. Empenhamo-nos ao máximo para
colocar no coração destes irmãos a importância que eles têm para Deus”,
explica.

Sob o slogan “A sociedade do mundo rejeita, desampara, desacredita; mas,


Deus ama os seus filhos idosos, e não os lança fora.”, o ministério
desenvolve atividades de reinserção social para os “velhinhos”. Existem no
projeto aulas de educação física (com direito a uma personal trainer da
própria igreja), um jornal mensal produzido pelos próprios idosos e aulas de
artesanato, produção de bijuterias e pintura em vidros, ministradas por
idosos do grupo. “Achamos interessante que, após a criação deste
ministério, vemos idosos felizes, contentes e menos ociosos. É gratificante”,
finaliza Adriane.
Exemplo a ser seguido

No mercado de trabalho, os idosos começam a recuperar seu espaço. A


rede de lanchonetes fast-food Bob’s, por exemplo, comemorou dois anos de
sucesso do projeto “Melhor Idade”, que promove a contratação e
capacitação de aposentados para ajuda no pré-atendimento personalizado
ao cliente, com sugestões de lanches e sobremesas, além de prestar auxílio
nas tarefas simples de limpeza do restaurante, como remover bandejas
usadas. O projeto conta hoje com pouco mais de trinta idosas, que são
referenciais de dedicação e pontualidade, além de demonstrarem, na
prática, que ainda são úteis no mercado de trabalho. Até o fim do ano,
segundo informações do site da empresa, outras 10 idosas devem ser
contratadas em todo o Brasil.

No âmbito legislativo, os “velhinhos” foram beneficiados pelo projeto de lei,


aprovado pela Câmara dos Vereadores do município do Rio de Janeiro, que
garante, baseado nas resoluções do Estatuto do Idoso, a reserva de cinco
por cento das vagas nos estacionamentos públicos e privados existentes no
município do Rio de Janeiro. O projeto estabelece que o benefício seja
destinado às pessoas com idade igual ou superior a sessenta anos. “O
Estatuto foi uma grande vitória, pois através dele corrigiram-se muitas
injustiças. E devemos continuar lutando para que nossos idosos, que já
contribuíram tanto para o desenvolvimento de nossa cidade, tenham cada
vez mais reconhecidos seus direitos, o que lhes permitirá uma melhor
qualidade de vida”, finaliza a autora do projeto, a vereadora Lílian Sá, que é
evangélica.

Iniciativas como estas, tanto das forças eclesiásticas como legislativa e


privada, colaboram para que os idosos, tão desvalorizados e discriminados
pela sociedade, reencontrem suas razões de viver, deixem a solidão e
ociosidade, contribuindo ainda mais para o crescimento da sociedade.
Afinal, se os anos vividos dificultam a locomoção, os mesmos não
conseguem vencer o bom humor e a lucidez de muitos deles, que pensam e
aconselham com uma clareza e energia típicas de um jovem. É hora de
rever conceitos: os idosos não devem ser ignorados, pois são uma poderosa
ferramenta de recursos humanos para as igrejas.

http://www2.uol.com.br/bibliaworld/jornalpalavra/sociedade/1014a.htm
O idoso e a Bíblia

Os idosos podem recomeçar sempre:

Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira, que alcancemos


corações sábios (Sl 90:12).

Mesmo idosos sem muita cultura conseguem acumular sabedoria e


entendimento que só a vida longa concede. “Lembra-te dos dias da
antiguidade, atenta para os anos, geração por geração; pergunta a teu pai,
e ele te informará, aos teus anciãos, e eles te dirão” – Dt 32:7.

Jesus é descrito no Apocalipse não como jovem no vigor dos seus anos, mas
como ancião de cabelos brancos: “E a sua cabeça e cabelos eram brancos
como a lã branca, como a neve e os seus olhos como chama de fogo” – Ap
1:14.

A história de Deus com seu povo foi inaugurada com um casal de idosos,
sem descendência. Sara era estéril; Abraão, bem idoso. Nada podiam
esperar do futuro. Caminhavam para a morte, mas foram agraciados com
uma promessa de vida.

“Sara concebeu e deu a luz um filho na sua velhice”. A Escritura Sagrada


nos convida a refletir sobre a velhice como bênção de Deus, não apenas um
prolongamento de dias. Mostra-nos que não é um tempo de ficar
aguardando a morte chegar, mas pode ser palco de novas conquistas e
superação de dificuldades. Louve a Deus pelos anos de vida que Ele tem te
concedido. Viva-os como bênção em sua vida.

Pra. Carmem

http://www.chamaviva.com.br/materias/materias_idoso.htm

O que a Bíblia diz sobre os idosos?

Resposta: Devemos honrar os idosos. A Bíblia diz em Levítico 19:32 “Diante


das cãs te levantarás, e honrarás a face do ancião, e temerás o teu Deus. Eu
sou o Senhor.”

As mulheres e os homens idosos devem ser tratados com respeito. A Bíblia


diz em 1 Timóteo 5:1 “Não repreendas asperamente a um velho, mas
admoesta-o como a um pai; aos moços, como a irmãos.”
Devemos apreciar os idosos pela sua experiência. A Bíblia diz em Provérbios
20:29 “A glória dos jovens é a sua força; e a beleza dos velhos são as cãs.”

Os jovens podem aprender lições valiosas da vida dos idosos. A Bíblia diz
em Salmos 71:18 “Agora, quando estou velho e de cabelos brancos, não me
desampares, ó Deus, até que tenha anunciado a tua força a esta geração, e
o teu poder a todos os vindouros.”

A Bíblia dá conselhos aos idosos. A Bíblia diz em Tito 2:2-5 “Exorta os velhos
a que sejam temperantes, sérios, sóbrios, sãos na fé, no amor, e na
constância; as mulheres idosas, semelhantemente, que sejam reverentes no
seu viver, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras do bem, para
que ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos, a
serem moderadas, castas, operosas donas de casa, bondosas, submissas a
seus maridos, para que a palavra de Deus não seja blasfemada.”

http://www.bibliaonline.net/aconselhamentos/?
acao=resposta&numero=478&lang=BR

É errado repreender homens idosos?

Paulo escreveu a Timóteo e disse: “Não repreendas ao homem idoso; antes,


exorta-o como a pai; aos moços, como a irmãos; às mulheres idosas, como
a mães; às moças, como a irmãs, com toda a pureza” (1 Timóteo 5:1-2).
Mas, no mesmo capítulo, ele falou sobre presbíteros (anciãos,
necessariamente homens de alguma idade– veja as qualificações em 1
Timóteo 3 e Tito 1) e disse: “Quanto aos que vivem no pecado, repreende-
os na presença de todos, para que também os demais temam” (1 Timóteo
5:20). Será que Paulo está se contradizendo no mesmo capítulo? Claro que
não. A solução está nas palavras que ele usou.

A tradução de textos de um idioma para outro sempre apresenta algumas


dificuldades. Às vezes, uma língua tem várias palavras para comunicar uma
idéia e outra língua pode ter uma palavra só. Neste caso, os tradutores
usaram uma palavra (repreender) para traduzir duas palavras diferentes no
original. A palavra que Paulo usou em 5:1 quer dizer “tratar com rudeza”. A
palavra usada em 5:20 é outra. Ela tem o sentido de “reprovar, convencer
ou corrigir”.

O que aprendemos desses fatos?

 Podemos corrigir qualquer pessoa, até presbíteros e outros homens mais


velhos, uma vez que demonstramos o respeito devido a tais homens. Da
mesma forma que devemos honra e respeito aos nossos pais, devemos
tratar com dignidade os homens mais velhos. Mas, ninguém é infalível, nem
acima de correção.

 Devemos estudar com atenção, procurando até o sentido de palavras


difíceis. Um bom dicionário é uma ferramenta útil no estudo da Bíblia, pois
ela contém algumas palavras pouco usadas.

 Às vezes, precisamos de informações sobre a língua original para


entender o sentido do texto. Essas informações se encontram em léxicos ou
alguns comentários, mas nem todos têm fácil acesso a tais livros. Na
maioria das vezes, podemos descobrir diferenças comparando mais de uma
versão da Bíblia. Por exemplo, a Nova Versão Internacional (NVI) já
esclarece a dificuldade em 1 Timóteo 5. No versículo 1, os tradutores
puseram: “Não repreenda asperamente o homem idoso...”. No versículo 20,
encontramos o seguinte: “Os que pecarem deverão ser repreendidos em
público...”. Facilmente percebemos a diferença entre “repreender” e
“repreender asperamente”.

Estudo da Bíblia exige paciência e esforço, mas os benefícios são eternos!


Vamos desenvolver bons hábitos de leitura freqüente e estudo cuidadoso
para aproveitar ao máximo a palavra do Senhor.

-por Dennis Allan

http://www.estudosdabiblia.net/bd97.htm

O IDOSO E A FAMÍLIA

Data de Publicação: 5 de julho de 2004

Índice Texto Anterior | Próximo Texto

Pastor Irailton Melo de Souza

1. Importância do Tema
O Brasil não é mais um país jovem, como

se costumava dizer. Dados do Ministério da Saúde mostram que até o ano


de

2025 o Brasil terá mais de 32 milhões de pessoas com idade superior a 60


anos.

A nossa ocupação neste estudo, porém, não será com questões


relacionadas

à longevidade da população, mas com as relações sociais envolvendo o


idoso

e a família.

Salvo honrosas exceções, nas famílias

brasileiras os idosos são vistos como "peso" ou "fardo", a

menos que ainda banquem as despesas da casa, com o dinheiro de suas

aposentadorias. Neste caso, para muitos eles são – abre aspas - "um mal

necessário". Quando o idoso não é mais útil, a família encontra um

meio de colocá-lo num asilo.

Não é raro ouvirmos histórias de tortura e


maus tratos contra idosos no Brasil.

Algumas razões para isso podem estar relacionada

aos seguintes fatores:

a. Capitalismo.

Numa cultura onde pessoas são vistas como

unidade monetária é "normal" que aqueles que não podem mais gerar

renda sejam tratados com discriminação. O excelente filme "Diários de

Motocicleta", que conta um pouco da história de Ernesto Che Guevara, abre

os nossos olhos para o óbvio: somos um pedaço do mundo mal explorado e

escravizado pelo sórdido sistema capitalista.

b. Falta de políticas sociais adequadas.

Especialmente nos países terceiro-mundistas, a


escassez de iniciativas sociais bem planejadas e uma máquina estatal
sucateada

pela incompetência e improbidade administrativa tornam a vida da


população,

sobretudo crianças e idosos, um desafio duro de ser vencido.

c. A falta dos valores bíblicos sólidos no

estabelecimento da convivência e das relações familiares.

2. A Visão da Bíblia Sobre os Idosos

Na Bíblia (Pv 16:31) os cabelos brancos são

visto como "coroa de glória" ou "de honra". Nos tempos

bíblicos, era comum o respeito e a reverência aos mais velhos, sobretudo


aos

da própria família.

Em Dt 28.50, Moisés aparece profetizando o


castigo de Deus sobre os filhos de Israel por não respeitarem os mais
velhos;

Moisés os chama de "gente cruel".

O princípio por detrás das

recomendações bíblicas aponta para o fato de que, "no plano de Deus, o

ser humano deve começar na família e encerrar seus dias de vida na terra

também em família".

Nenhum ser humano é digno de isolamento e

esquecimento em nenhuma fase da vida.

3. O esforço da família e do idoso para o

desenvolvimento da boa convivência familiar

a. Família

Não ver o idoso como alguém excepcional.


Alguém já disse que "a terceira idade é uma idade como outra qualquer

(...) Assim como a infância, a adolescência, a juventude e a idade adulta, a

terceira idade também tem suas potencialidades e limitações. Estabelecer


um

diálogo franco, aberto e amoroso. A não ser que o idoso sofra de uma grave

deficiência auditiva, não se deve gritar com ele – não por ele(a) ser

"velhinho(a)", mas por ser gente e merecer respeito.

Envolva o idoso nas programações sociais

da família; peça a sua opinião e sugestões.

Valorize e explore (no bom sentido!) as

experiências que a vida deu ao seu idoso.

Aproveite bem cada momento com o seu idoso, seja

honesto e amoroso. Assim, no dia do sepultamento dele(a), você não


precisará

dar chilique, por se sentir culpado por não fazer o que poderia ter

feito.
Merval Rosa diz: "o elemento de que a

pessoa idosa mais tem necessidade para manter a sua identidade


psicológica é

amor e respeito por parte do seu mundo significativo".

b. Idoso

Em primeiro lugar, o conselho do apóstolo

Paulo a Tito (2.2): "Ensine os mais velhos a serem moderados, sérios,

prudentes e firmes na fé, no amor e na perseverança".

Não interfira nas relações familiares de seus

filhos, a menos que eles solicitem a sua ajuda. Seja prudente.

Não seja o pai/mãe? dos seus netos.

Primeiro porque esta não é sua responsabilidade; segundo, porque agindo


assim

você estará contribuindo – sem querer - para a desestabilização da

família. Quem tem que criar os filhos são os pais. A Bíblia


responsabiliza os pais e não os avós pela educação dos filhos.

Viva o tempo presente e evite o problema da

descontinuidade.

Um dos meus professores na faculdade contou a

experiência que teve com a sua mãe ao ouvi-la dizer pela milésima vez a

célebre frase: "no meu tempo não era assim". Eis a sua reação:

"Mamãe, o seu tempo é hoje! Do jeito que a senhora está falando parece

que parou de viver aos 30 anos e de lá pra cá apenas flutuou sobre a

terra...". De fato, este é um equívoco que só serve para nos desconectar

da vida. A menos que você seja um fantasma, se você está vivo agora, o
seu

tempo é HOJE! Este tipo de saudosismo não agrega nenhum valor à nossa

existência, uma vez que nos deixa bloqueados para a novidade do tempo
presente.

Se você costuma usar esta expressão, deixo-lhe então o verso do grande


poeta

Fernando Pessoa:"Sinto-me nascido a cada momento


para a eterna novidade do mundo".

Pratique esporte. Sirva em sua comunidade.

Ser útil não é questão de convite, mas de disposição. Desenvolva novos

relacionamentos.A célula é bom lugar para fazer isso acontecer.

Para Refletir...

1. No seu contexto familiar, o que significa

"envelhecer"? Ou: Como a "velhice" é tratada em sua cultura

familiar?

2. De acordo com a mensagem dominical, qual

a diferença entre a terceira idade e as demais idades como infância,

adolescência, juventude e idade adulta?

3. Você gostaria de envelhecer no ambiente


familiar em que vive? Por quê?

4. Como seriam as famílias sem os

idosos?

5. O que é a "velhice" para a

Bíblia (cf Pv 16.31)?

6. Que conselho você daria

a uma pessoa que costuma usar a expressão: "no meu tempo as

coisas não eram diferentes"?