Você está na página 1de 2

Cópia não autorizada

ABR./1992 NBR 12583


Agregado graúdo - Verificação da
adesividade a ligante betuminoso
ABNT-Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA

Método de ensaio

Origem: 02:008.10-017/91
CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
Copyright © 1990, CE-02:008.10 - Comissão de Estudo de Terminologia Rodoviária
ABNT–Associação Brasileira
de Normas Técnicas NBR 12583 - Coarse aggregate - Coating to bituminous binder - Method of test
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Agregado. Ligante 2 páginas
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO 4 Aparelhagem
1 Objetivo
2 Documento complementar A aparelhagem necessária ao ensaio é a seguinte:
3 Definição
4 Aparelhagem a) peneiras de 19 mm e 12,5 mm, de acordo com a
5 Execução do ensaio NBR 5734, inclusive com tampa e fundo;
6 Resultado
b) fogão ou outra fonte de calor;

1 Objetivo c) estufa capaz de manter a temperatura em torno de


40°C, 60°C, 100°C e 120°C;
Esta Norma prescreve o método para a verificação da
adesividade de agregado graúdo a ligante betuminoso. d) balança com capacidade de 1 kg, sensível a 0,1 g;

2 Documento complementar e) espátula de aço inoxidável, com lâmina de aproxi-


madamente 20 cm de comprimento;
Na aplicação desta Norma é necessário consultar:
f) cápsula de porcelana ou metálica, com cabo, com
capacidade de 500 mL;
NBR 5734 - Peneiras para ensaio com telas de tecido
metálico - Especificação
g) béquer de vidro, com capacidade de 250 mL;
3 Definição h) placa de vidro de superfície lisa ou papel silicona-
do;
Para os efeitos desta Norma é adotada a definição de 3.1.
i) termômetro de 0°C a 200°C, graduado em 1°C.
3.1 Adesividade de agregado a material betuminoso
5 Execução do ensaio
Propriedade de o agregado ser aderido por material betu-
minoso; é verificada pelo não-deslocamento da película 5.1 A amostra de agregado, a ser utilizada no ensaio, é
betuminosa que recobre o agregado, quando a mistura obtida do material que passa na peneira de 19 mm e fica
agregado-ligante é imersa em água destilada a 40°C, du- retido na de 12,5 mm. A seguir, a amostra deve ser lava-
rante 72 h. da e colocada em um frasco com água destilada, durante
Cópia não autorizada

2 NBR 12583/1992

1 min. Logo após, deve ser levada à estufa a 120°C e nela 5.4 Adicionar, sobre a amostra de agregados previamen-
permanecer durante 2 h. te aquecida, (17,5 ± 0,5) g de um dos ligantes citados, e,
com uma espátula, proceder à mistura até completo en-
5.2 Pesar, na cápsula descrita em 4-f), (500 ± 1) g da volvimento da amostra.
amostra previamente preparada e aquecê-la de acordo
com o ligante a ser utilizado: 5.5 A amostra de agregados envolvida pelo ligante deve
ser colocada sobre uma placa de vidro de superfície lisa ou
a) cimento asfáltico de petróleo: 100°C; papel siliconado, a fim de que o ligante betuminoso esfrie
ou cure ou se rompa. Em seguida, a amostra deve ser
b) asfalto diluído de petróleo: 60°C. colocada no béquer de vidro e ser totalmente recoberta
com água destilada. O recipiente é colocado na estufa a
40°C e mantido em repouso durante 72 h.
5.3 As amostras dos ligantes devem ser aplicadas nas se-
guintes temperaturas:
6 Resultado
a) cimento asfáltico de petróleo: 120°C; O resultado é considerado satisfatório quando, ao fim de
72 h, não houver nenhum deslocamento da película betu-
b) asfalto diluído de petróleo: 100°C; minosa e insatisfatório, quando houver total ou parcial
deslocamento da película betuminosa neste mesmo tem-
c) emulsão asfáltica: temperatura ambiente. po.