Você está na página 1de 7

Resumo sobre Era Vargas + Exercícios

Introdução
A Era Vargas durou 15 anos (1930-1945). Getúlio Vargas chegou ao poder a partir da
Revolução de 1930, essa Revolução é bastante discutida e questionada entre os historiadores,
ela promoveu várias transformações (políticas, econômicas e sociais). Uma das
transformações políticas foi a passagem do modelo oligárquico para o modelo populista. O
populismo nada mais é que um fênomeno típico da América Latina que possui um líder
carismático, um discurso nacionalista e que busca a aproximação com o proletariado.
Destaca-se nas transformações econômicas a passagem do modelo agroexportador para o
urbano-industrial. Já a questão social deixou de ser apenas um caso de polícia e o Estado
adotou o Trabalhismo (ideologia política que defende a classe trabalhadora) como mecanismo
de controle social. O perfil geral de todo o governo de Getúlio Vargas é caracterizado como
populista, nacionalista e intervencionista. A Era Vargas dividiu-se basicamente em 3 fases, a
primeira foi o Governo Provisório (1930-1934), a segunda foi o Governo Constitucional
(1934-1937) e a última foi o Estado Novo (1937-1945).

Figura 1. Getúlio Vargas

Governo Provisório (1930-1934)


O Governo Provisório durou 4 anos e foi praticamente uma ditadura, pois foram
tomadas algumas medidas, como: a suspensão da Constituição de 1891, o fechamento do
poder Legislativo e a indicação de interventores. Como já visto, o governo teve
características nacionalistas e populistas, essas características derivam do regulamento das
primeiras leis trabalhistas (8 horas diárias, salário mínimo, aposentadoria, férias remuneradas
e etc.), no entanto, é importante que você tenha em mente que nem todas as leis trabalhistas
foram criadas por Vargas e também esteja atento ao fato de que essas leis eram voltadas ao
trabalhador urbano, que era aquele que geralmente se revoltava contra os governos. Getúlio
também promoveu medidas para atenuar a crise do café, devido à superprodução e agravada
pela crise de 1929, ele criou então o CNC (Conselho Nacional do Café) e comprou o
excedente cafeeiro para queimá-lo.
Depois de 2 anos de governo começaram grandes contestações a partir de São Paulo,
pois Vargas não institucionalizou o novo sistema político após a Revolução de 1930, Getúlio
tentou amenizar a situação em 1932 fazendo uma Lei Eleitoral, que estabeleceu o voto
secreto e o voto feminino, além de algumas outras coisas. Como já visto, o governo Vargas
substituiu os governadores dos estados por interventores, o que agravou ainda mais a situação
em São Paulo, já que a indicação foi de um interventor que não era de São Paulo. Esse
conflito se agravou ainda mais quando em um conflito jovens foram mortos e se tornaram
símbolos, formando a sigla M.M.D.C., então as pessoas ficaram muito revoltadas e decidiram
se levantar contra o autoritarismo de Getúlio. No entanto, Vargas era muito habilidoso e para
contornar a situação isolou São Paulo, resultando na derrota de São Paulo.
Além disso, houve durante esse período a promulgação da Constituição de 1934, que
foi debatida por uma assembleia constitucional, essa Constituição proíbe a reeleição, acaba
com o cargo de vice-presidente, regulamenta as leis trabalhistas, institui o chamado Mandado
de Segurança, tornou o ensino primário obrigatório e gratuito.

Governo Constitucional (1934-1937)


Nesse período houve a polarização ideológica típica do período entre Guerras. Isso
chega ao Brasil através da Ação Integralista Brasileira (A.I.B) com o líder sendo Plínio
Salgado, representava a extrema direita (fascismo), eles eram anticomunistas, antiliberais,
ultranacionalistas, o símbolo que os representava era o Σ e lema que eles utilizavam era:
“Deus, Pátria e Família”. Contrapondo a A.I.B surge a A.N.L (Aliança Nacional
Libertadora) que era de extrema esquerda (socialismo), mas não representava somente o
pensamento da esquerda, pois era uma frente ampla antifacista, que tinham sindicalistas,
anarquistas, comunistas e tenentistas associados a ela, tinham como lemas “Pão, Terra e
Liberdade” e “Todo poder a A.N.L”, buscavam nacionalização da economia, não pagamento
da dívida externa e a reforma agrária.
Getúlio Vargas se assustou com a expansão da A.N.L entre a população, foi aí que ele
fez uso da Lei de Segurança Nacional para fechar a A.N.L. Houve, então, a intentona
comunista, que foi a tentativa dos partidários da A.N.L que pretendiam depor Vargas e impor
o comunismo no Brasil, porém, esse movimento não teve a força que eles imaginaram e
Vargas logo acabou com esse movimento. 2 anos depois continuam ainda as tensões e chegou
no ano de 1937, o ano em que Getúlio completou 4 anos no poder, então a única maneira dele
ainda continuar no poder era dando um golpe.

Estado Novo (1937-1945)


Para da início ao chamado Estado Novo, Vargas escolheu um amigo de sua confiança
que foi Olimpio Rocha para elaborar uma farsa que ficou conhecida como farsa do Plano
Cohen, esse plano era supostamente comunista, e aumentou as polarizações, entre um dos
objetivos do plano Cohen era o assassinato do presidente. Ele usou isso para poder fechar o
congresso nacional e suspender as eleições, iniciando assim, o Estado Novo. As bases do
Estado Novo eram as mesmas, porém, elas estão potencializadas.
Surge então, a Constituição de 1937, ela foi outorgada e baseada nas constituições
fascistas europeias, estabeleceu a centralização do poder, ou seja, o Estado Unitário, proibiu
as greves, regulamentou a pena de morte e o poder para dissolver os partidos políticos.
Getúlio estabeleceu o DASP (Departamento Administrativo do Serviço Público) para
controlar a burocracia estatal e fiscalizar os interventores nos Estados. Criou também o DOPS
(Departamento de Ordem Pública e Social) e a Polícia Secreta, estes eram instrumentos de
controle e repressão social.
Mas não termina por aí, Vargas desenvolveu mecanismos de controle social e
ideológico, um deles foi o chamado DIP (Departamento de Imprensa e Propagando), este foi
o responsável pela construção da imagem de Vargas e pela censura dos opositores, construiu
a ideia de que Getúlio era um mito, isso foi feito por meio de cerimônias públicas
relacionadas ao mundo das artes, da educação e da cultura em geral. Além disso, o DIP
também tinha a função de promover a identificação com o povo, estimulando o nacionalismo.
Vargas criou também a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) criada em 1943 para
ampliar a legislação trabalhista, nesse período surgiu o chamado Peleguismo que tinha como
função controlar os sindicatos pelo Estado e imposto sindical obrigatório.
Quanto à economia no Estado Novo houve um impulso à industrialização que foi
baseado no intervencionismo estatal e no nacionalismo econômico. Vargas criou o Conselho
Nacional do Petróleo (CNP), a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda, e
a Companhia Vale do Rio Doce em Minas Gerais. Nesse período o Brasil aumentou bastante
as exportações.
Para finalizar, o Brasil teve certa participação na Segunda Guerra Mundial, o país
apoiou a luta contra o nazifascismo, mas como já visto dentro do país havia vários
mecanismos de controle social, isso gerou uma contradição interna, pois os brasileiros
lutaram contra ditaduras no exterior mas existia uma no próprio país. Com isso, diversos
setores começaram a pedir democracia interna. Devido a pressão pela Redemocratização
foram criados alguns partidos políticos: o PDB; PSD e PTB (identificados com Vargas) e o
UDN (oposição a Vargas). Em meio a toda essa pressão surgiu o Queremismo que articulava
a manutenção de Vargas no poder, o movimento surgiu do slogan do PTB: “Queremos
Getúlio”. Após isso, ocorreu uma nova tentativa de articulação de Vargas que foi estopim
para o ultimato dado pelos militares para que ele renunciasse. Vargas renuncia prometendo
retornar nos braços do povo, pondo fim ao período conhecido como Era Vargas.
Exercícios
01. (Enem/2010) De março de 1931 a fevereiro de Ata de reunião no Ministério da Guerra, 28/09/1937. BONAVIDES, P.;
AMARAL, R. Textos políticos da História do Brasil, v.5. Brasília:
1940, foram decretadas mais de 150 leis novas de Senado Federal, 2002 (adaptado).
proteção social e de regulamentação do trabalho em Levando em conta o contexto político-institucional
todos os seus setores. Todas elas têm sido simplesmente dos anos 1930 no Brasil, pode-se considerar o texto
uma dádiva do governo. Desde aí, o trabalhador como uma tentativa de justificar a ação militar que
brasileiro encontra nos quadros gerais do regime o seu iria
verdadeiro lugar.
DANTAS, M. A força nacionalizadora do Estado Novo. Rio de Janeiro:
DIP, 1942. Apud BERCITO, S. R. Nos Tempos de Getúlio: da revolução de
a) debelar a chamada Intentona Comunista, acabando
30 ao fim do Estado Novo. São Paulo: Atual, 1990. com a possibilidade da tomada do poder pelo PCB.
b) reprimir a Aliança Nacional Libertadora, fechando
A adoção de novas políticas públicas e as mudanças todos os seus núcleos e prendendo os seus líderes.
jurídico-institucionais ocorridas no Brasil, com a c) desafiar a Ação Integralista Brasileira, afastando o
ascensão de Getúlio Vargas ao poder, evidenciam o papel perigo de guinada autoritária para o fascismo.
histórico de certas lideranças e a importância das lutas d) instituir a ditadura do Estado Novo, cancelando as
sociais na conquista da cidadania. Desse processo eleições de 1938 e reescrevendo a Constituição do
resultou país.
e) combater a Revolução Constitucionalista, evitando
a) a criação do Ministério do Trabalho, Indústria e que os fazendeiros paulistas retomassem o poder
Comércio, que garantiu ao operariado autonomia para o perdido em 1930.
exercício de atividades sindicais.
b) legislação previdenciária, que proibiu migrantes de 03. (Enem/2015) A Justiça Eleitoral foi criada em
ocuparem cargos de direção nos sindicatos. 1932, como parte de uma ampla reforma no processo
c) criação da Justiça do Trabalho, para coibir ideologias eleitoral incentivada pela Revolução de 1930. Sua
consideradas perturbadoras da "harmonia social". criação foi um grande avanço institucional, garantindo
d) legislação trabalhista que atendeu reivindicações dos que as eleições tivessem o aval de um órgão
operários, garantido-lhes vários direitos e formas de teoricamente imune à influência dos mandatários.
proteção. TAYLOR, M. Justiça Eleitoral. In: AVRITZER, L.; ANASTASIA, F.
e) decretação da Consolidação das Leis do Trabalho Reforma política no Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2006 (adaptado).

(CLT), que impediu o controle estatal sobre as atividades


políticas. Em relação ao regime democrático no país, a
instituição analisada teve o seguinte papel:
02. (Enem PPL 2010) Os generais abaixo-assinados, a) Implementou o voto direto para presidente.
de pleno acordo com o Ministro da Guerra, declaram-se b) Combateu as fraudes sistemáticas nas apurações.
dispostos a promover uma ação enérgica junto ao c) Alterou as regras para as candidaturas na ditadura.
governo no sentido de contrapor medidas decisivas aos d) Impulsionou as denúncias de corrupção
planos comunistas e seus pregadores e adeptos, administrativa.
independentemente da esfera social a que pertençam. e) Expandiu a participação com o fim do critério
Assim procedem no exclusivo propósito de salvar o censitário.
Brasil e suas instituições políticas e sociais da
hecatombe que se mostra prestes a explodir.
04. ENEM 2012 a) a aliança com os cafeicultores paulistas em defesa
de novas eleições.
b) o retorno aos quartéis diante da desilusão política
com a “Revolução de 30”.
c) o compromisso político-institucional com o
governo provisório de Vargas.
d) a adesão ao socialismo, reforçada pelo exemplo do
ex-tenente Luís Carlos Prestes.
e) o apoio ao governo provisório em defesa da
descentralização do poder político.

06. (Enem/2009) A partir de 1942 e estendendo-se


Cartaz da Revolução Constitucionalista. Disponível em:
até o final do Estado Novo, o Ministro do Trabalho,
http://veja.abril.com.br. Acesso em: 29 jun. 2012.
Indústria e Comércio de Getúlio Vargas falou aos
ouvintes da Rádio Nacional semanalmente, por dez
Elaborado pelos partidários da Revolução
minutos, no programa “Hora do Brasil”. O objetivo
Constitucionalista de 1932, o cartaz apresentado
declarado do governo era esclarecer os trabalhadores
pretendia mobilizar a população paulista contra o
acerca das inovações na legislação de proteção ao
governo federal.
trabalho.
Essa mobilização utilizou-se de uma referência
GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro:
histórica, associando o processo revolucionário IUPERJ/Vértice. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988.
a) à experiência francesa, expressa no chamado à luta Adaptado.
contra a ditadura. Os programas “Hora do Brasil” contribuíram para
b) aos ideais republicanos, indicados no destaque à
bandeira paulista. A) conscientizar os trabalhadores de que os direitos
c) ao protagonismo das Forças Armadas, representadas sociais foram conquistados por seu esforço, após anos
pelo militar que empunha a bandeira. de lutas sindicais.
d) ao bandeirantismo, símbolo paulista apresentado em B) promover a autonomia dos grupos sociais, por
primeiro plano. meio de uma linguagem simples e de fácil
e) ao papel figurativo de Vargas na política, enfatizado entendimento.
pela pequenez de sua figura no cartaz. C) estimular os movimentos grevistas, que
reivindicavam um aprofundamento dos direitos
05. (Enem/2010 - 2ª aplicação) A solução militar da trabalhistas.
crise política gerada pela sucessão do presidente D) consolidar a imagem de Vargas como um
Washington Luis em 1929-1930 provoca profunda governante protetor das massas.
ruptura institucional no país. Deposto o presidente, o E) aumentar os grupos de discussão política dos
Governo Provisório (1930-1934) precisa administrar as trabalhadores, estimulados pelas palavras do ministro.
diferenças entre as correntes políticas integrantes da
composição vitoriosa, herdeira da Aliança Liberal. 07. (Enem/2015) “Bandeira do Brasil, és hoje a
LEMOS, R. A revolução constitucionalista de 1932. SILVA, R. M.; única. Hasteada a esta hora em todo o território
CACHAPUZ, P B.; LAMARÃO, S. (Org). Getúlio Vargas e seu
nacional, única e só, não há lugar no coração do
tempo. Rio de Janeiro: BNDES.
Brasil para outras flâmulas, outras bandeiras, outros
No contexto histórico da crise da Primeira República, símbolos. Os brasileiros se reuniram em torno do
verifica-se uma divisão no movimento tenentista. A Brasil e decretaram desta vez com determinação de
atuação dos integrantes do movimento liderados por não consentir que a discórdia volte novamente a
Juarez Távora, os chamados “liberais” nos anos 1930, dividi-lo!” Discurso do Ministro da Justiça, Francisco
deve ser entendida como
Campos, na cerimônia da festa da bandeira, em E) implantação de associações civis como uma
novembro de 1937. estratégia para aproximar as classes médias e o
Apud OLIVEN, G. R. A parte e o todo: a diversidade cultural do Brasil governo.
Nação. Petrópolis: Vozes, 1992.
O discurso proferido em uma celebração em que as 09. (Enem/2016) A regulação das relações de
bandeiras estaduais eram queimadas diante da bandeira trabalho compõe uma estrutura complexa, em que
nacional revela o pacto nacional proposto pelo Estado cada elemento se ajusta aos demais. A Justiça do
Novo, que se associa à Trabalho é apenas uma das peças dessa vasta
engrenagem. A presença de representantes classistas
A) supressão das diferenças socioeconômicas entre as na composição dos órgãos da Justiça do Trabalho é
regiões do Brasil, priorizando as regiões estaduais também resultante da montagem dessa regulação. O
carentes. poder normativo também reflete essa característica.
B) orientação do regime quanto ao reforço do Instituída pela Constituição de 1934, a Justiça do
federalismo, espelhando-se na experiência política Trabalho só vicejou no ambiente político do Estado
norte-americana. Novo instaurado em 1937.
ROMITA, A. S. Justiça do Trabalho: produto do Estado
C) adoção de práticas políticas autoritárias,
Novo. In: PANDOLFI, D. (Org.). Repensando o Estado
considerando a contenção dos interesses regionais Novo, Rio de Janeiro: Editora FGV, 1999.
dispersivos. A criação da referida instituição estatal na conjuntura
D) propagação de uma cultura política avessa aos ritos histórica abordada teve por objetivo
cívicos, cultivados pela cultura regional brasileira. A) legitimar os protestos fabris.
E) defesa da unidade do território nacional, ameaçado B) ordenar os conflitos laborais.
por movimentos separatistas contrários à política C) oficializar os sindicatos plurais.
varguista. D) assegurar os princípios liberais.
E) unificar os salários profissionais.
08. (Enem PPL/2014) As relações do Estado
10. (Enem/2009) O autor da Constituição de 1937,
brasileiro com o movimento operário e sindical, bem
Francisco Campos, afirma no seu livro, O Estado
como as políticas públicas voltadas para as questões
Nacional, que o eleitor seria apático; a democracia de
sociais durante o primeiro governo da Era Vargas
partidos conduziria à desordem; a independência do
(1930-1945), são temas amplamente estudados pela
Poder Judiciário acabaria em injustiça e ineficiência; e
Academia Brasileira em seus vários aspectos. São
que apenas o Poder Executivo, centralizado em
também os temas mais lembrados pela sociedade
Getúlio Vargas, seria capaz de dar racionalidade
quando se pensa no legado varguista.
imparcial ao Estado, pois Vargas teria providencial
D’ ARAÚJO, M. C. “Estado, classe trabalhadora e políticas
sociais”. In: FERREIRA, J.; DELGADO, L. A. (Org). O intuição do bem e da verdade, além de ser um gênio
tempo do nacional-estatismo: do início ao apogeu do Estado político.
Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. CAMPOS. F. O Estado nacional. Rio de Janeiro: José
Durante o governo de Getúlio Vargas, foram Olympio, 1940. Adaptado.
desenvolvidas ações de cunho social, dentre as quais se Segundo as ideias de Francisco Campos,
destaca a A) os eleitores, políticos e juízes seriam
A) disseminação de organizações paramilitares mal-intencionados.
inspiradas nos regimes fascistas europeus. B) o governo Vargas seria um mal necessário, mas
B) aprovação de normas que buscavam garantir a posse transitório.
das terras aos pequenos agricultores. C) Vargas seria o homem adequado para implantar a
C) criação de um conjunto de leis trabalhistas associadas democracia de partidos.
ao controle das representações sindicais. D) a Constituição de 1937 seria a preparação para
D) implementação de um sistema de previdência e uma futura democracia liberal.
seguridade para atender aos trabalhadores rurais. E) Vargas seria o homem capaz de exercer o poder de
modo inteligente e correto.
Gabarito

01. Alternativa D
02. Alternativa D
03. Alternativa B
04. Alternativa D
05. Alternativa C
06. Alternativa D
07. Alternativa C
08. Alternativa C
09. Alternativa B
10. Alternativa E