Você está na página 1de 4

1.

Densidade Superficial de Cargas

A figura abaixo representa uma placa retangular com carga elétrica total (Q) distribuída na área
(A) da placa.

Define-se como densidade superficial de cargas ( σ) a relação entre a quantidade de carga (Q)
distribuída na área (A) da placa.

𝑄
σ=
𝐴
2.0 PODER DAS PONTAS

Denominação dada para a propriedade que um condutor possui de concentrar uma


quantidade maior de cargas em sua região pontiaguda.

Em condutores esféricos as cargas se distribuem igualmente por toda a sua superfície

3.0 - Para Raios

O Para Raios é um dispositivo de segurança idealizado no poder das pontas. O Para-Raios é


uma haste metálica terminada em pontas e conectada ao solo por meio de condutores. O Para-
Raios tem por finalidade interagir com nuvens de chuvas e descarrega-las.

4. 0 - CONDUTORES EM EQUILÍBRIO ELETROSTÁTICO

Em um condutor as cargas elétricas em excesso positivas ou negativas se distribuem


pela sua superfície externa
Como as cargas são externas p Campo Elétrico no Interior de qualquer condutor em
equilíbrio eletrostático é sempre nulo.

5 - BLINDAGEM ELETROSTÁTICA (GAIOLA DE FARADAY)

É uma demonstração de que no interior do corpo (rede) o campo


é nulo. Esta experiência foi realizada por Faraday em 1836.
Em 1775, numa carta a um amigo, Benjamin Franklin escreveu:
"eletrizei uma caneca de aproximadamente meio litro e nela
introduzi uma esfera de cortiça com mais ou menos uma polegada
de diâmetro pendurada em um fio de seda, até que tocasse o fundo
da caneca. O fato é singular. Eu não conheço explicação para o
fenômeno".
Mas em 1836, desejando demonstrar na pratica que o
campo elétrico é nulo no interior de um condutor eletrizado, Michael
Faraday, Físico e químico britânico, construiu uma grande caixa
usando telas metálicas condutoras e isolou-a da Terra.

Ele entrou na caixa, levando consigo vários dispositivos


de detecção da presença de campos elétricos, e mandou que
seus assistentes eletrizassem intensamente a caixa. Feito isso,
observou que nenhum dos aparelhos detectou a existência de
campo elétrico no interior da caixa. Ele havia descoberto a
Blindagem Eletrostática.

A caixa metálica foi chamada de Gaiola de Faraday.


A blindagem eletrostática mostra que uma pessoa dentro de
um carro ou no interior atingido por um raio nada sofrerá, pois a
estrutura metálica do carro isola o seu interior das influências
elétricas externas.
É importante registrar que a proteção ocorre porque a fuselagem do avião e a carroceria do
carro são materiais condutores, portanto não são os pneus que protegem as pessoas no
interior do carro, mas o material condutor da carroceria

6- RIGIDEZ DIÉLÉTRICA , RAIOS E RELÂMPAGOS

É a denominação dada para o maior valor do Campo


Elétrico suportado por um isolante. Ao ser exposto a
um valor de Campo Elétrico maior que a Rigidez
Dielétrica o Isolante torna-se Condutor.

Relâmpago é a denominação genérica para qualquer


descarga elétrica. Pode ocorrer entre a Nuvem e o
Ar, entre duas Nuvens e entre a Nuvem e o solo. Na
figura o relâmpago ocorreu entre a nuvem e o ar .Na
figura ao lado temos um raio. Todo Relâmpago que
toca o solo e chamado de Raio.

Durante a formação de uma tempestade, verifica-se que ocorre uma separação de cargas
elétricas, ficando as nuvens mais baixas eletrizadas negativamente, enquanto as nuvens mais
altas se eletrizam positivamente.
Podemos concluir que existe,
portanto, um campo elétrico entre
as nuvens mais baixas e mais
altas. A nuvem mais baixa,
carregada negativamente, induz
na superfície terrestre uma carga
positiva, criando um campo
elétrico entre elas.
A medida que vão avolumando
as cargas elétricas nas nuvens, a
intensidade destes campos vai
aumentando, acabando por
ultrapassar o valor da rigidez
dielétrica do ar ( E = 3 x
106V/m).

Quando isso acontece, o ar


torna-se condutor e uma enorme
centelha elétrica (relâmpago)
salta de uma nuvem para outra
ou de uma nuvem para a Terra.

Esta descarga elétrica aquece o ar, provocando uma expansão que se propaga em forma de
uma onda sonora (trovão) que chega diretamente da descarga, como também pelas ondas
refletidas em montanhas, prédios, etc.

EXERCÍCIOS

1 - As amigas Poliana e Geovânia, estudantes de Física, foram a uma loja de artigos de


artesanato para comprar caixinhas decoradas, as quais colocarão nas cabeceiras de suas
camas. Elas se agradam de duas, sendo uma de madeira e a outra de metal, ambas tendo
paredes laterais e tampas de pequena espessura. Enquanto discutem sobre qual das caixas
comprar, tendo em conta que, durante a noite, nelas serão guardados os seus telefones
celulares, os quais devem ser ouvidos – ainda que as caixas estejam tampadas -, elas
argumentam:
• Poliana – É melhor levarmos a caixa de madeira, porque esse material não produz o efeito de
blindagem eletrostática;
• Geovânia – Não concordo; a caixa de metal permite que as micro-ondas portadoras do sinal
de telefonia celular sejam melhor refratadas.

Tendo analisado as duas argumentações apresentadas, assinale a alternativa que as julga


corretamente.
a) Os argumentos de Poliana e Geovânia estão corretos.
b) Apenas o argumento de Geovânia está correto.
c) Apenas o argumento de Poliana está correto.
d) Os argumentos de Poliana e Geovânia estão incorretos

2 - (ENEM) Durante a formação de uma tempestade, são observadas várias descargas


elétricas, os raios, que podem ocorrer: das nuvens para o solo (descarga descendente), do
solo para as nuvens (descarga ascendente) ou entre uma nuvem e outra. As descargas
ascendentes e descendentes podem ocorrer por causa do acúmulo de cargas elétricas
positivas ou negativas, que induz uma polarização oposta no solo.

Essas descargas elétricas ocorrem devido ao aumento da intensidade do(a)

a) campo magnético da Terra.


b) corrente elétrica gerada dentro das nuvens.
c) resistividade elétrica do ar entre as nuvens e o solo.
d) campo elétrico entre as nuvens e a superfície da Terra.
e) força eletromotriz induzida nas cargas acumuladas no solo

3 - Em uma cartilha fornecida pelos DETRAN’s do país é alertado sobre o risco em caso de
acidente e cabos elétricos estarem em contato com os veículos. Nesta cartilha há um erro
conceitual quando é afirmado que: “No interior dos veículos, as pessoas estão seguras, desde
que os pneus estejam intactos e não haja nenhum contato com o chão. Se o cabo estiver sobre
o veículo, elas podem ser eletrocutadas ao tocar o solo. Isso já não ocorre se permanecerem no
seu interior, pois o mesmo está isolado pelos pneus.”
Noções de Primeiros Socorros no Trânsito, p. 25/São Paulo: ABRAMET – 2005

Assinale a alternativa correta que proporciona uma justificativa cientificamente adequada para
a situação descrita na cartilha.

a) As pessoas jamais estarão seguras, pois os pneus não tem isolamento adequado.
b) Os pneus devem estar cheios de ar, caso contrário não haverá isolamento.
c) Se as pessoas estiverem com calçados de borracha elas podem saltar do carro.
d) As pessoas devem permanecer no interior do carro porque estão blindadas
eletricamente, independente de estarem isoladas pelos pneus.

4. (Enem PPL 2018) Em uma manhã ensolarada, uma jovem vai até um parque para acampar
e ler. Ela monta sua barraca próxima de seu carro, de uma árvore e de um quiosque de
madeira. Durante sua leitura, a jovem não percebe a aproximação de uma tempestade com
muitos relâmpagos.

A melhor maneira de essa jovem se proteger dos relâmpagos é


a) entrar no carro.
b) entrar na barraca.
c) entrar no quiosque.
d) abrir um guarda-chuva.
e) ficar embaixo da árvore.