Você está na página 1de 9

ATIVIDADES PEDAGÓGICAS NÃO PRESENCIAIS

Componente Curricular: Língua Portuguesa


Professor(a): Queila C Luvisa
Turma: 9 ° ano
Período Semanal: 14/06 a 18/06

Olá turma! O trabalho abaixo será avaliado. São atividades sobre conteúdos que já estudamos em aula.
Façam com atenção e entreguem a atividade impressa em aula para correção. Bom Trabalho!

TENTAÇÃO
Clarice Lispector

Ela estava com soluço. E como se não bastasse a claridade das duas horas, ela era ruiva.
   Na rua vazia as pedras vibravam de calor - a cabeça da menina flamejava. Sentada nos degraus de sua
casa, ela suportava. Ninguém na rua, só uma pessoa esperando inutilmente no ponto do bonde. E como se
não bastasse seu olhar submisso e paciente, o soluço a interrompia de momento a momento, abalando o
queixo que se apoiava conformado na mão. Que fazer de uma menina ruiva com soluço? Olhamo-nos sem
palavras, desalento contra desalento. Na rua deserta nenhum sinal de bonde. Numa terra de morenos, ser
ruivo era uma revolta involuntária. Que importava se num dia futuro sua marca ia fazê-la erguer insolente
uma cabeça de mulher? Por enquanto ela estava sentada num degrau faiscante da porta, às duas horas. O que
a salvava era uma bolsa velha de senhora, com alça partida. Segurava-a com um amor conjugal já habituado,
apertando-a contra os joelhos.
   Foi quando se aproximou a sua outra metade neste mundo, um irmão em Grajaú. A possibilidade de
comunicação surgiu no ângulo quente da esquina, acompanhando uma senhora, e encarnada na figura de um
cão. Era um basset lindo e miserável, doce sob a sua fatalidade. Era um basset ruivo.
   Lá vinha ele trotando, à frente de sua dona, arrastando seu comprimento. Desprevenido, acostumado,
cachorro.
   A menina abriu os olhos pasmada. Suavemente avisado, o cachorro estacou diante dela. Sua língua
vibrava. Ambos se olhavam.
    Entre tantos seres que estão prontos para se tornarem donos de outro ser, lá estava a menina que viera ao
mundo para ter aquele cachorro. Ele fremia suavemente, sem latir. Ela olhava-o sob os cabelos, fascinada,
séria. Quanto tempo se passava? Um grande soluço sacudiu-a desafinado. Ele nem sequer tremeu. Também
ela passou por cima do soluço e continuou a fitá-lo.
    Os pêlos de ambos eram curtos, vermelhos.
   Que foi que se disseram? Não se sabe. Sabe-se apenas que se comunicaram rapidamente, pois não havia
tempo. Sabe-se também que sem falar eles se pediam. Pediam-se com urgência, com encabulamento,
surpreendidos.
   No meio de tanta vaga impossibilidade e de tanto sol, ali estava a solução para a criança vermelha. E no
meio de tantas ruas a serem trotadas, de tantos cães maiores, de tantos esgotos secos - lá estava uma menina,
como se fora carne de sua ruiva carne. Eles se fitavam profundos, entregues, ausentes de Grajaú. Mais um
instante e o suspenso sonho se quebraria, cedendo talvez à gravidade com que se pediam.
   Mas ambos eram comprometidos.
   Ela com sua infância impossível, o centro da inocência que só se abriria quando ela fosse uma mulher. Ele,
com sua natureza aprisionada.
   A dona esperava impaciente sob o guarda-sol. O basset ruivo afinal despregou-se da menina e saiu
sonâmbulo. Ela ficou espantada, com o acontecimento nas mãos, numa mudez que nem pai nem mãe
compreenderiam. Acompanhou-o com olhos pretos que mal acreditavam, debruçada sobre a bolsa e os
joelhos, até vê-la dobrar a outra esquina.
   Mas ele foi mais forte que ela. Nem uma só vez olhou para trás.
Atividades sobre CONTO PSICOLÓGICO

Responda:

1.Quem são as personagens principais do conto “Tentação”? O que elas têm em comum?

2.O que a menina fazia sentada na porta de casa, às duas horas da tarde?

3.Onde se passa a história? Retire do texto uma frase que apresenta uma característica marcante do cenário.

4.De acordo com o texto, como a menina se sentia em relação a outras pessoas? Retire do texto uma frase
para justificar sua resposta.

5.“Sentada nos degraus de sua casa, ela suportava. ”Pode-se dizer que a menina suportava
(A) a curiosidade ao ver uma pessoa que esperava o bonde.
(B) a companhia de uma bolsa velha.
(C) o calor daquela tarde e a solidão por se sentir diferente do demais.
(D) a tristeza por ter brigado com sua mãe.

6. De acordo com o texto, no terceiro parágrafo, o que salvava a menina era


(A) um degrau faiscante da porta.
(B) uma bolsa velha de senhora.
(C) sua mãe
(D) um homem que esperava o bonde

7.No texto, quem é o narrador é alguém que não está presente na história ou alguém presente na história,
mas sem participar muito?

8. Retire do texto (3º parágrafo) um trecho em que se percebe a presença do narrador como personagem.

9.O que o narrador fazia naquele lugar?

10.Pode-se dizer que o narrador se identifica com a menina? Por quê?

11.O cão provoca uma mudança na cena inicial. Qual a reação da menina e do cão quando se veem?

12.“Mas ambos eram comprometidos. ”Segundo o texto, com o que eles eram comprometidos?
13.Por que o cachorro não olhou para trás?
14.Qual a relação entre o título Tentação e o texto?
15. Complete o quadro informativo com as palavras a seguir de acordo com a caracterização do conto
psicológico:

personagem - psicológico - narrativa - interior – emoções – Clarice Lispector

Conto Psicológico – É uma __________ cujo fato principal sempre está relacionado às lembranças e
sentimentos dos personagens, oque acarreta a predominância do tempo_______ (não há uma ordem
exata),que flui de acordo com as________. Geralmente, a narrativa é escrita em 1ªpessoa, com um
narrador____________. A apresentação do enredo pode não seguir a ordem natural dos acontecimentos, já
que o tempo das emoções não é linear; o espaço físico também é marcado do ponto de vista. No Brasil a
representante mais importante do conto psicológico é___________________________. Em seus textos,
geralmente, um fato do cotidiano ou uma lembrança aparentemente banal desencadeia no personagem uma
viajem ao próprio ___________________, para questionar a própria existência e despertar dramas
existenciais.
Atividades sobre CHARGE.
16.

Ao relacionar o problema da seca à inclusão digital, essa charge faz uma crítica a respeito da
a)    dificuldade na distribuição de computadores nas áreas rurais.
b)    capacidade das tecnologias em aproximar realidades distantes.
c)    possibilidade de uso do computador como solução de problemas sociais.
d)    ausência de políticas públicas para o acesso da população a computadores.
e)    escolha das prioridades no atendimento às reais necessidades da população.

17.

A internet proporcionou o surgimento de novos paradigmas sociais e impulsionou a modificação de outros já


estabelecidos nas esferas da comunicação e da informação. A principal consequência criticada na tirinha
sobre esse processo é a
a)    criação de memes. 
b)    ampliação da blogosfera.
c)    supremacia das ideias cibernéticas.
d)    comercialização de pontos de vista.
e)    banalização do comércio eletrônico.

18.

Na tirinha, o leitor e conduzido a refletir sobre relacionamentos afetivos. A articulação dos recursos verbais
e não verbais tem o objetivo de
a)    criticar a superficialidade com que as relações amorosas são expostas nas redes sociais. 
b)    negar antigos conceitos ou experiências afetivas ligadas à vida amorosa dos adolescentes.
c)    enfatizar a importância de incorporar novas experiências na vida amorosa dos adolescentes.
d)    valorizar as manifestações nas redes sociais como medida do sucesso de uma relação amorosa.
e)    associar a popularidade de uma mensagem nas redes sociais a profundidade de uma relação amorosa.
Atividades sobre PRONOME RELATIVO 
19. O “que” é um pronome relativo na passagem:
(     ) “O que é um refugiado?”
(     ) “Refugiados são pessoas que deixam seus países de origem […]”
(     ) “As situações enfrentadas pelos refugiados são tão perigosas que eles buscam […]”
 
20.Na passagem assinalada acima, o pronome relaciona-se com:
(     ) um verbo
(     ) um adjetivo
(     ) um substantivo

 21.Grife o pronome relativo presente neste período do texto:

“Uma pessoa é considerada perseguida quando a sua vida e a sua liberdade estão em risco no país onde
vive.”

 22. O pronome relativo, grifado na questão anterior, indica:


(     ) lugar
(     ) modo
(     ) tempo

 23. Na frase “Este é o país cujos problemas colocam em risco a vida das pessoas.”, o pronome relativo
“cujos”:
(     ) deveria estar no singular.
(     ) foi empregado corretamente.
(     ) deveria estar acompanhado de um artigo definido.
Atividades sobre ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS

24.Reescreva os períodos a seguir, transformando o adjetivo / locução adjetiva em destaque, em uma


ORAÇÃO ADJETIVA RESTRITIVA.
a) As máscaras de tecido foram doadas.
b) Ele assistia a filmes policiais todas as noites.
c) As pessoas solidárias merecem destaque.

25. Leia os períodos abaixo.


I. Os condôminos que apoiam o síndico querem a sua reeleição.
II. Os condôminos, que apoiam o síndico, querem a sua reeleição.

A) Classifique as orações subordinadas.

B) Explique a diferença de sentido entre esses períodos.

26. Use (E) para orações adjetivas explicativas ou (R) para restritivas:
( ) Aqui há brinquedos que fascinam.
( ) Aplaudimos o cantor, que foi premiado.
( ) A casa, onde nasci, foi reformada.
( ) O pianista, que era francês, chegou ao Brasil cedo.
( ) A rua, onde caí, vive deserta.
( ) Deixei-o em sua tristeza, que parecia incurável.
( ) Pedro, que é muito agitado, derrubou a jarra.
Atividades sobre TIPOS DE PREDICADO

27. 1. Em “O hotel virou catacumba”:


a) o predicado é nominal
b) o predicado é verbo-nominal
c) o predicado é verbal

28. Assinale a sequência correta quanto à classificação dos predicados das orações a seguir:
I. Ela chegou da festa já era madrugada.
II. Os moradores estavam revoltados.
III. Ele encontrou os amigos no bar.
IV. Os estudantes protestaram nervosos contra a corrupção.
V. Ela ficou aflita com a sua demora.
a) verbo-nominal; nominal; nominal; verbal; verbal.
b) verbal; nominal; verbal; verbo-nominal; nominal.
c) verbal; verbal; nominal; nominal; verbo-nominal.
d) verbal; nominal; verbal; verbo-nominal; verbal.

29. "O professor entrou apressado." O trecho em destaque indica:


a) predicado nominal
b) predicado verbo-nominal
c) predicado verbal
Atividades sobre BIOGRAFIA

Leia o texto a seguir e faça o que se pede.

Luiz Gonzaga, músico brasileiro


Dilva Frazão

Luiz Gonzaga (1912-1989) foi um músico brasileiro. Sanfoneiro, cantor e compositor, recebeu o título de
Rei do Baião. Foi responsável pela valorização dos ritmos nordestinos, tendo levado o baião, o xote e o
xaxado para todo o país. A música “Asa branca”, feita em parceria com Humberto Teixeira e gravada por
Luiz Gonzaga no dia 3 de março de 1947, virou hino do Nordeste brasileiro.
Luiz Gonzaga nasceu na Fazenda Caiçara, em Exu, sertão de Pernambuco, no dia 13 de dezembro de 1912,
filho de Januário José dos Santos, o mestre Januário, “sanfoneiro de 8 baixos”, e Ana Batista de Jesus. O
casal teve oito filhos. Luiz Gonzaga, embora já tocasse sanfona desde menino, comprou sua primeira aos 13
anos, com dinheiro emprestado.
Em 1929, por causa de um namoro proibido pela família da moça, Luiz Gonzaga foge para a cidade de
Crato, no Ceará. Em 1930, vai para Fortaleza, onde entra para o exército. Corneteiro da tropa, em 1933,
servindo em Minas Gerais, é reprovado, por não saber a escala musical, num concurso para participar da
orquestra do quartel. Depois, tem aulas com Domingos Ambrósio, famoso sanfoneiro de Minas Gerais.

Em 1939, Luiz Gonzaga deixa o exército após nove anos sem dar notícias à família. Vai para o Rio de
Janeiro e passa a se apresentar em bares, cabarés e programas de calouros. Em 1940, participa do programa
Calouros em Desfile, da Rádio Tupi, e ganha o primeiro lugar com a música “Vira e mexe”.
Tocando como sanfoneiro da dupla Genésio Arruda e Januário, é descoberto e levado pela gravadora RCA
Victor a gravar seu primeiro disco. O sucesso foi rápido, vários outros discos foram gravados, mas só em 11
de abril de 1945 grava seu primeiro disco como sanfoneiro e cantor, com a música “Dança Mariquinha”.
Em 23 de setembro, nasce Gonzaguinha, fruto do relacionamento com a cantora Odaleia Guedes. Nesse
mesmo ano, Luiz Gonzaga conhece o parceiro Humberto Teixeira.
Depois de 16 anos, volta para sua terra natal. No Recife, apresenta-se em vários programas de rádio. Em
1947, faz sucesso com “Asa branca”. Em 1948, casa-se com a cantora Helena Cavalcanti, e, no ano seguinte,
leva sua família para morar no Rio de Janeiro. As parcerias com Humberto Teixeira e com Zé Dantas
rendem muitas músicas. Gonzaga e seu conjunto passam a se apresentar em várias partes do país.
Em 1980, Luiz Gonzaga canta para o papa João Paulo II, em Fortaleza. Também se apresenta em Paris, a
convite da cantora amazonense Nazaré Pereira. Recebe o prêmio Nipper de Ouro e dois discos de ouro pelo
álbum Sanfoneiro macho.
Em 1988, se separa de Helena e assume o relacionamento com Edelzita Rabelo.
Luiz Gonzaga é internado no Recife, no Hospital Santa Joana, no dia 21 de junho de 1989, e falece no
mesmo ano, no dia 2 de agosto.
Em 2012, foram comemorados os 100 anos do nascimento de Luiz Gonzaga, com o lançamento do filme
Gonzaga, de pai para filho, que narra a relação entre ele e Gonzaguinha. O artista recebe, ainda hoje, várias
homenagens em todo o país.

30. O objetivo principal do texto é

a) narrar uma história fictícia.


b) relatar fatos da vida de Luiz Gonzaga.
c) argumentar sobre a obra de Luiz Gonzaga.
d) descrever Luiz Gonzaga.

31 A canção “Asa branca” foi gravada


a) depois da separação de Luiz Gonzaga e Helena Cavalcanti.
b) antes de Luiz Gonzaga se casar com Odaleia Guedes.
c) depois do nascimento de Gonzaguinha.
d) antes de Luiz Gonzaga servir no exército.

32. Releia o fragmento a seguir, observando as informações destacadas.

“Em 1939, Luiz Gonzaga deixa o exército após nove anos sem dar notícias à família.[...] Em 1940, participa
do programa Calouros em Desfile, da Rádio Tupi, e ganha o primeiro lugar com a música ‘Vira e mexe’.”

• Nas biografias, comumente são apresentados dados precisos, informações exatas. Por quê? Qual é a relação
entre essa característica e o gênero?

33. De acordo com os parágrafos finais da biografia, pode-se inferir que Luiz Gonzaga
a) só foi reconhecido no Nordeste.
b) fez carreira internacional.
c) ficou restrito ao rádio.
d) parou de tocar a sanfona na adolescência.

34. Em que pessoa do discurso o texto é escrito? Que relação esse traço linguístico tem com o gênero?

35. Com base no que foi estudado nesta lição, pode-se dizer que as biografias têm como finalidade
a) chamar a atenção para fatos corriqueiros sobre membros de um grupo social.
b) relatar os fatos centrais da vida de pessoas de destaque para uma comunidade.
c) denunciar atitudes suspeitas de pessoas.
d) revelar detalhes do estilo de vida de celebridades da televisão.