Você está na página 1de 1

Cidades/Metrópole C3

%HermesFileInfo:C-3:20110508:

O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 8 DE MAIO DE 2011

O CAMINHO DO RODOANEL. Prestes a sair do papel


TIAGO QUEIROZ/AE

Vista do Parque Taipas, na zona norte de SP. Haverá dois tipos de remoção, por desapropriação (para quem tem posse do imóvel) e reassentamento: gastos previstos em R$ 733 milhões

na região norte vão passar por

Dersa mapeia a 1.400 imóveis regulares e 1.300


casasirregulares–cujosmorado-
res não têm escritura. São essas
famílias as que mais estão assus-
tadas no processo.
Famílias de Taipas
e Brasilândia são
aluguel ou vão me despejar”, diz
a desempregada Rita de Cássia
Alves de Oliveira, de 35 anos.
pressionadas a sair
região para conter
Rita mora com o marido e um
“Vejo os reassentamentos co- filho em uma casa no Jardim Pa-
mo o principal conflito. Porque raná – em 2007 teve outros dois
as pessoas moram no local há ● Pelo menos 300 famílias da filhos assassinados no Parque
muitos anos, têm uma vida ali, região norte, moradoras dos bair- da Cantareira. “Estou desespera-
mas não têm o título de proprie-

novas invasões
ros de Taipas e Jardim Paraná, da, não tenho aonde ir. Depois do
dade”, afirma o ambientalista receberam nos últimos dias notifi- que aconteceu, nem tenho condi-
Carlos Bocuhy, ex-integrante do cações da Prefeitura de São Pau- ções de trabalhar.”
Conselho Estadual de Meio Am- lo para deixar suas casas. O pedreiro José Justino da Sil-
biente (Consema) e crítico do “Moro há mais de 14 anos aqui va, de 31, diz que a Defesa Civil
projeto.“Quandocolocamnopa- e nunca apareceu ninguém. Ago- informou que uma pedra vizinha
pel o traçado, não se tem uma ra que o Rodoanel vai passar, já à sua casa é um risco e ele tem
Rodoanel Norte vai desapropriar 1.400 imóveis regulares e 1.300 sensibilidade dos transtornos. vieram três vezes dizendo que ou de sair. “A pedra sempre esteve
irregulares; famílias sem escritura são as que têm mais medo Os deslocamentos das famílias
têm de ser feitos com respeito,
saio e aceito R$ 5 mil e a bolsa- aí, mas só falaram agora.”

dentro do ciclo comunitário das


Com uma estimativa de 2.700 grande Lourenço. quem não tem a escritura. A pre- pessoas, levando em conta a es- nia Barbosa, de 49 anos, líder en- deiro impacto que os 44,2 km do
moradias a serem removidas ao Com base nas imagens, a em- visãodegastosparaosdoisproje- cola das crianças, por exemplo.” treos moradoresde Taipas, tam- Rodoanel terão sobre a região, o
longo do trajeto – número ques- presafazumacontagemdetelha- tos é deR$ 733 milhões – cerca de A líder comunitária Duilia Do- bém reclama. “A gente não tem histórico de ocupações na zona
tionado por líderes comunitá- dos para, em seguida, avaliar 13% do orçamento total de R$ 5,8 mingues Simões, de 49 anos, é nenhuma garantia e vimos em nortedeixapreocupações.Na re-
rios da região –, a Desenvolvi- também a qualificação das resi- bilhões do projeto. uma das envolvidas no processo outros trechos do Rodoanel pes- gião da Brasilândia, que registra
mento Rodoviário S.A. (Dersa) dências. Depois, consegue tra- Para uma família que não tem quereclamamda faltadeum pla- soas que receberam R$ 3 mil e o maior impacto ambiental so-
diz que está “blindada” contra çar uma estimativa do número título de propriedade, o paga- no já traçado para as famílias. tiveram de ir para outro lugar. bre o Parque da Cantareira, os
novasocupações provocadaspe- de famílias que vive nesses lo- mento médio é de R$ 5 mil de “Ninguém sabe para onde vai, se Além disso, tem um impacto in- 80 mil metros quadrados de ex-
lo anúncio das obras do Trecho cais. Lourenço ressalta que os indenização, encaminhamento será atendido realmente. Não vi direto em outras moradias que pansão nos últimos dez anos fo-
Norte do Rodoanel. A empresa trabalhos de campo só serão ini- para Auxílio-Aluguel e, futura- nenhum cidadão a favor do Ro- não está sendo visto pela Dersa.” ramocupadosporfamíliasexpul-
conta com levantamentos de fo- ciados após o licenciamento da mente,paraumaunidadehabita- doanel e, pelo que eu sei, estrada A empresa informa que é im- sas por causa de outras obras pú-
tosaéreasparaevitar opagamen- obra, momento em que as áreas cional. “Não passaremos por ci- não é para ser construída em portante adiar ao máximo o blicas.
to a invasores recentes. de remoções serão oficializadas madeninguém.Será porconcor- área urbana, em cima das pes- anúnciofinal dotraçadoparaevi-
“Posso comparar as imagens e pela empresa. dância ou determinação judi- soas”, diz ela, que é conhecida tar especulação imobiliária. Expulsão. O diagnóstico é do
dizer que determinado morador A Dersa vai adotar dois mode- cial”, diz o presidente da Dersa. como Du e vive no Jardim Para- Além disso, a política de mora- Núcleo de Estudos da Paisagem-
não está há cinco anos onde diz los de remoção: desapropriação ná, na Brasilândia. A casa dela dia só será mensurada depois do Brasilândia,do LabCidadedaFa-
que vive”, disse ao Estado o pre- para quemtem título deproprie- Conflitos. Segundo estudos da também está na rota da via. licenciamento do projeto. culdade de Arquitetura e Urba-
sidentedaDersa,LaurenceCasa- dade e reassentamento para empresa, as pistas do Rodoanel A auxiliar administrativa So- Enquanto se debate o verda- nismoda USP.“Acompanhamos
a expansão com fotos aéreas. No
trabalhodecampoenasentrevis-
tas com moradores, percebe-
A Prefeitura de São Paulo pediu não Dias ou a Dutra.” do reservatório. Sobre a escola, mos a dinâmica de expulsão da
Guarulhos quer ligação exclusão da ligação da estrada
com a Avenida Inajar de Souza,
No traçado atual, o Reservató-
rio de Água do Bananal e a Escola
não houve resposta. própria região por causa de
obraspúblicas”,disseapesquisa-
do Rodoanel com o centro conformeoEstadorevelou.Aal-
teração foi acatada pela Dersa e
Municipal Nazira Abbud Zanar-
di, no Jardim Paraíso, serão atin-
Compensação. O secretário
diz que Guarulhos não quer in-
doraCecíliaMariadeMoraisMa-
chado, que coordena o núcleo e
está em análise no Consema. gidos. O parecer de Guarulhos viabilizar a obra, mas reafirma estuda a região desde 2004.
Assim como fez São Paulo, a Pre- Ospedidosconstarãoempare- De acordo com o secretário de vaiexigirqueumnovoreservató- que vai brigar pelo interesse do Segundo Cecília, obras de pis-
feitura de Guarulhos quer novas cer do município, que deve ser Governo de Guarulhos, João Ro- rio e também uma escola nova, município. “Não há a mínima cinão, escola e até um telecentro
mudançasnoRodoanel.Aprinci- entregue até terça-feira. O docu- berto Rocha Moraes, a medida namesmaregião,sejamconstruí- possibilidade de aprovarmos al- na própria região provocaram a
pal exigência é uma ligação da mentoéparteobrigatóriadopro- seria benéfica à cidade. “Temos dos antes de a pista chegar. “Não go que atrapalhe a população.” transferência das pessoas mais
rodovia com o centro da cidade, cesso de licenciamento pelo um movimento de cargas, que é podemos deixar a população Como o trajeto estará 52% em carentes para novas fronteiras
o que o projeto não contempla Conselho Estadual do Meio Am- importanteparaacidade.Supon- sem água nem escola.” Guarulhos, a Prefeitura quer a em áreas verdes. “A serra é um
até agora, além de construções biente (Consema). do que não seja viável essa alter- A Dersa informou que não vai mesma proporção em compen- estoque de terra para o mercado
antecipadas de dois aparelhos A solicitação de Guarulhos é nativa, queremos pelo menos se manifestar antes de receber o sações de todos os tipos. “É jus- informal.EoRodoanelpodepio-
públicos e de uma maior com- exatamente contrária à reivindi- um acesso para o centro da cida- documento. Entretanto, já está to, porque os impactos da opera- rar a situação.” / DIEGO ZANCHETTA
pensação ambiental e social. cação feita pela capital paulista. de no encontro da via com a Fer- disposta a adiantar a construção ção vãorefletir aqui.”/ D.Z. e P.S. e PAULO SALDAÑA

As famílias removidas vão morar impossível dormir de madruga-


Exemplo da Anchieta amedronta especialistas em conjuntos habitacionais que
estãosendoconstruídosemSan-
da com o barulho dos cami-
nhões”, reclama Marina Leite,
ANTONIO MILENA/AE-14/2/2007
tos e Peruíbe. de 32 anos. Após longa batalha
Para ambientalistas, o mesmo judicialdosmoradores,aconces-
Ambientalistas temem risco de degradação corre a Can- sionária decidiu construir um
na Cantareira repetição tareira com o Rodoanel. Eles ci- murode isolamentoacústicoen-
tam como exemplo mais recente tre o km 12 e o km 14 da pista. A
de processo de ocupação o Trecho Oeste do anel viário, obratemprevisãodeserconcluí-
na Serra do Mar por inauguradoem2002,quecontri- da no fim do primeiro semestre.
antigos operários buiu para o avanço de condomí- Outro transtorno enfrentam
nios em áreas de preservação moradores em condomínios de
O histórico de ocupação na Ser- nos municípios de Cotia e Em- Embu construídos ao lado do
ra do Mar, entre São Paulo e San- bu. “Não dá para imaginar que Trecho Oeste. Eles reclamam
tos, é sempre lembrado por am- essa obra não vai causar maior que o movimento de caminhões
bientalistas que temem uma de- expansão nas favelas. É só ver o no Rodoanel causa trepidações e
vastação semelhante na Canta- que aconteceu no Trecho Oeste, rachaduras nas casas.
reira, após o início das obras do querecebeu vários condomínios
TrechoNortedoRodoanel.Inau- Ocupação. Em três décadas, Via Anchieta atraiu 7 mil famílias para áreas de preservação nos últimos anos”, diz o ambien- Defesa. O governo do Estado
gurada em 1949, a Via Anchieta talista Carlos Bocuhy. argumenta que o Trecho Norte
atraiu, ao longo de três décadas, queajudaram aconstruira estra- – a maioria deles se transformou Hoje o governo gasta mais de R$ Nos condomínios ao lado do não terá entradas e saídas de fá-
7 mil famílias para áreas de pre- da montaram acampamentos nos“bairros-cota”.Havianaépo- 1 bilhão em um programa que Trecho Oeste erguidos antes da cil acesso, a exemplo do Trecho
servação permanente localiza- provisóriosnosmorrosdaflores- ca vasta demanda por mão de prevê a retirada dessas famílias. pista, como o Residencial Tam- Sul–apistaqueinterligaasRodo-
das dentro da serra. ta. Mas, quando a estrada foi obra nas indústrias que chega- Desde 2007, um efetivo de 300 boré1, moradores reclamam que viasRégisBittencourt eImigran-
A ocupação na Serra do Mar aberta, os trabalhadores, na vam a Cubatão, o que também policiaismilitares também tenta a concessionária não colocou tesnãoregistraocupaçõesnoen-
começou com o fim da obra na maior parte nordestinos, resol- agravou o adensamento nas evitar novas invasões dentro do barreiras acústicas na estrada. torno desde sua inauguração,
Anchieta. Milhares de operários veram ficar nos acampamentos áreas verdes. Parque Estadual Serra do Mar. “Nossa vida virou um inferno. É em março de 2010. / D.Z. e P.S.