Você está na página 1de 7

Forja a gás

Por: Francisco Samuel Lemke

Material

Qtdade

Valor

Extintor de 8 Kg pó químico

1

ganhei

Manta Cerâmica

1 m²

R$ 80,00

Plaquetas refratarias

2

R$ 3,00

Canos galvanizados

60

cm

ganhei

T galvanizado

 

1 R$ 8,50

Tampa T

 

1 R$ 1,50

Rosca Externa

 

1 R$ 8,00

Registro esfera

 

1 ganhei

Registro alta pressão

 

1 R$ 2,50

Mangueira alta pressão

2 mtos

R$ 5,00

Cano alumínio

30

cm

ganhei

Serviços de solda

algumas

eu fiz

Corpo da forja.

Extintor de pó químico de 8 Kg, casco condenado.

da forja. Extintor de pó químico de 8 Kg, casco condenado. Cortei primeiro a tampa de

Cortei primeiro a tampa de cima e a de baixo, tudo na serrinha, aja braço.

Depois medi a altura da manta e da plaqueta para fazer a abertura frontal (8X6

Depois medi a altura da manta e da plaqueta para fazer a abertura frontal (8X6 cm LxA), cortei a abertura na solda oxi/acetileno, por preguiça de furar.

Aproveitei e cortei a abertura de trás (6x6 cm), na solda oxi/acetileno, essa foi para aproveitar o corte da anterior.

Medi a bitola do cano do queimador e marquei para furar, no centro e no meio da forja (primeira imagem) e adivinhem, corte na solda oxi/acetileno.

Montei a manta na forja e nas tampas, para vazar as aberturas.

Ponteei a tampa frontal e por preguiça apenas firmei a tampa traseira com quatro pingos de solda, agora elétrica. Quando fizer todos os testes pretendo fazer uma dobradiça na tampa frontal.

Queimador.

Os canos galvanizados que ganhei são de 1”, e como eram usados tinham rosca padrão para essa bitola, assim só comprei o “T”, a rosca externa e a tampa de 1” e montei o queimador, nos mesmos moldes dos tutoriais do FCA.

O cano tem 220 mm, para a ponta foi furada uma arruela com 7 furos

O cano tem 220 mm, para a ponta foi furada uma arruela com 7 furos de 5 mm, aproveitei o furo central, mas como ele era grande, usei um adaptador de cano de freio, mesmo cano que usei para a alimentação do gás, que encaixou no furo central da arruela, parece que foi feito para isso, restando apenas preencher os espaços do sextavado. A arruela foi soldada na ponta do cano de 1”, dessa vez com elétrica, porque meu velho já tava querendo me cobrar a oxi/acetileno.

soldada na ponta do cano de 1”, dessa vez com elétrica, porque meu velho já tava

Furei a tampa do “T” na bitola do cano de freio, a ponta esta presa no adaptador pelo niple, e a traseira soldada com solda amarela (latão).

Na ponta do queimador depois da arruela coloquei um cano que um dia já foi galvanizado, de 70 mm de comprimento para fora da forja, mais 15 mm para dentro, o queimador encaixa + ou – 10 mm. A bitola interna dele é bem próxima a bitola externa do cano de 1”, assim o encaixe foi forçado e apenas o ponteei com solda elétrica no corpo da forja.

e apenas o ponteei com solda elétrica no corpo da forja. O detalhe é que segui

O detalhe é que segui a mesma idéia dos bicos de oxi/acetileno, soldei uma arruela na ponta desse cano

e fiz 8 furos de 3,5 mm e um central de 4 mm, criando uma câmera de mistura forçada. P.s.: desculpem

a foto, esqueci de tirar antes.

de 3,5 mm e um central de 4 mm, criando uma câmera de mistura forçada. P.s.:

Na entrada de ar forçada coloquei um registro esfera abaixo do “T” para melhor controle de ar.

esfera abaixo do “T” para melhor controle de ar. Depois é só tocar fogo e começar

Depois é só tocar fogo e começar a forjar.

Agradecimentos ao meu amigo Toin, que me ajudou nas soldas e nos testes preliminares e ao meu velho que me empresta os equipamentos, a solda e o espaço, e ainda me cedeu o botijão de gás para o primeiro teste.

meu velho que me empresta os equipamentos, a solda e o espaço, e ainda me cedeu

Interesses relacionados