Você está na página 1de 2

Aguarela da Sagrada Famlia

Era um menino como outro qualquer, nascido de mulher e pequenino. Era uma jovem me como cada uma , sempre ao p do seu bem.
Cantiga dos Reis Santos Reis, santos coroados Vinde ver quem vos coroou Foi a virgem, me sagrada, Quando por aqui passou. O caminho era torto Uma estrela vos guiou Em cima de uma cabana Essa estrela se pousou. A cabana era pequena No cabiam todos trs; Adoraram Deus-Menino Cada um por sua vez.
Cantiga Popular de Barcelos

Natal 2011

Era um pai como todo deve ser, a permanecer, mesmo se vai. Era uma famlia feliz como no houve igual. por isso que ainda se diz e se faz a festa do Natal. B i b l i o t e c a
Joo Manuel Ribeiro, Romanceiro de Natal

Neste Natal, surpreenda! Leia um poema!

E s c o l a r

d o

C a r a n d

Minha Me, uma estrela!


me, anda ver No cu a brilhar Uma linda estrela Que te vou mostrar tal qual aquela - Repara! Olha bem! Que levou pastores E reis a Belm. Ser que ela viu Nascer o Menino? E que l do alto Lhe guia o caminho? Ser que to grande O dom dessa estrela Que ainda hoje somos Guiados por ela?... Meu Deus, e parece Que me est a olhar!... Talvez tenha vindo Para me chamar!
Alexandre Parafita,

Natal O menino Jesus j cansadinho por tanto andar por cima dos telhados, descalou os sapatos apertados (e eram novos) e p-los no caminho. Nisto, sentiu rudo ali pertinho. Trepou chamin com mil cuidados, e que viu? Dois tamancos esburacados e, ao p deles, rezando, um petizinho. O menino Jesus que faz, ento? Sem ter nenhum brinquedo ali mo, (destes que tanto agradam aos garotos). Troca os sapatos pelos do petiz e, depois, vai ao cu mostrar, feliz, Virgem Me os tamanquinhos rotos.
Adolfo Simes Muller

Carto de Natal
Escrevi Um carto de Natal Dentro de mim. Tenho-o presente E (se puder) Vou d-lo a toda a gente. Fiz-lhe um desenho Leve e risonho, Do tamanho Do meu sonho. E uma palavra s, aberta Como uma flor A responder Na rima certa: AMOR!! Maria Alzira Machado, Pela Mo do Teu Sonho

Histrias de Natal Contadas em Verso