Você está na página 1de 35

Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais

CAPITULO 3

Esforços Internos e Método das Secções

DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial

Resistência dos Materiais

Sumário: Classificação dos Esforços Internos e Método das Secções
 Esforço interno normal
 Esforço interno cortante
 Esforço interno flexão
 Esforço interno torção
 Método dos Nós
 Método das Secções
Competências: No final do capítulo os alunos deverão ser capazes de identificar
os esforços internos numa secção do corpo em função do tipo de carregamento.
Aplicar os métodos dos nós e das secções a um corpo deformável de modo a
determinar os esforços internos devidos a um determinado carregamento.
DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial

Resistência dos Materiais

Esforços Internos - Introdução
As solicitações aplicáveis a um corpo podem ser classificadas em solicitações simples ou
compostas. Nas primeiras incluem-se os esforços do tipo tracção, compressão, corte, torção e
flexão que produzem esforços unidimensionais. A área das solicitações compostas é formada por
combinação de esforços simples e conduzem a estados de tensão duplos ou triplos.

Tracção
Compressão
Corte
Flexão
Torção
DEMGi - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . Esforços flexão Esforço cortante Esforço normal Esforço normal Esforço torção Esforço flexão Esforços cortantes DEMGi .Resistência dos Materiais Classificação dos Esforços Internos e Método das Secções O projecto de qualquer elemento estrutural ou mecânico requer uma investigação das cargas actuantes no seu interior de modo a garantir que o material do qual é feito possa resistir à carga imposta. Esses esforços internos podem ser determinados através da utilização do método das secções.

M e T. V. . Procedimento de análise:  Determinar as forças reactivas nos apoios.Resistência dos Materiais Método das Secções O método das secções é utilizado para determinar as resultantes dos esforços internos.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial M . Forças externas V Momentos N T DEMGi .Aplicar as equações de equilíbrio.Construir o diagrama de corpo livre de uma das partes seccionadas e indicar as incógnitas N.Passar uma linha imaginária pelo ponto do corpo onde os esforços internos devem ser determinados. momentos e cargas distribuídas sobre o corpo.  Manter todas as forças. . .

Exemplo de aplicação a uma treliça DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Exemplo de aplicação a uma viga Método das Secções .Resistência dos Materiais Método das Secções .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . Reacções nos apoios: O diagrama de corpo livre da barra é mostrado na figura 1-(b). São escolhidas as partes AB e DC por terem uma menor quantidade de forças aplicadas. Diagrama de corpo livre: Os esforços internos em B e C são obtidos utilizando os diagramas de corpo livre da barra seccionada mostrados na figura 1-(c).Uma barra é fixa através de uma das da suas extremidades e carregada conforme mostrado na figura 1-(a). Determine os esforços internos normais nos pontos B e C.Resistência dos Materiais Exercício Resolvido 1 . Equações de equilíbrio: Parte AB: Figura 1 Parte DC: DEMGi .

Diagrama de corpo livre: Os esforços internos em B e C são obtidos utilizando os diagramas de corpo livre do eixo seccionado mostrados na figura 1-(c).Resistência dos Materiais Exercício Resolvido 2 . Determine os esforços de torção internos nos pontos B e C.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . Equações de equilíbrio: Parte AB: Parte CD: Figura 2 DEMGi .Um eixo circular está sujeito ao carregamento indicado na figura 2-(a). São escolhidos os segmentos AB e CD por terem uma menor quantidade de forças aplicadas. Reacções nos apoios: O diagrama de corpo livre do eixo é mostrado na figura 2-(b).

Determine os esforços internos actuantes nas secções transversais que passam pelos pontos B e C da viga. Equações de equilíbrio: Segmento AB: Segmento AC: DEMGi .Uma viga suporta o carregamento mostrado na figura 3-(a). Diagrama de corpo livre: Os esforços internos em B e C são obtidos utilizando os diagramas de corpo livre da viga seccionada mostrados na figura 1-(c) e 1-(d).Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Figura 3 . Reacções nos apoios: O diagrama de corpo livre da viga é mostrado na figura 3-(b).Resistência dos Materiais Exercício Resolvido 3 . São escolhidos os segmentos AB e AC por terem uma menor quantidade de forças aplicadas.

Determine os esforços internos que actuam no ponto E da estrutura carregada conforme indicado na figura 4-(a). Equações de equilíbrio: Figura 4 DEMGi . Reacções nos apoios: Análise do equilíbrio no pino C tal como indicado na figura 4-(b). Diagrama de corpo livre: Os esforços internos em E são obtidos utilizando o diagramas de corpo livre do segmento CE mostrado na figura 4-(c).Resistência dos Materiais Exercício Resolvido 4 .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .

que ocorre na área onde o painel está localizado. é de 900 Pa. indicado na figura 5-(c).Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Exercício Resolvido 5 . Pode-se considerar o diagrama de corpo livre da parte acima do ponto A. As normas de projecto indicam que o carregamento uniforme máximo esperado por acção do vento. pois desta forma não se envolvem as reacções no apoio. Nesta figura são indicadas as dimensões necessárias para a resolução do problema. Figura 5 Diagrama de corpo livre: O modelo idealizado para o sistema é mostrado na figura 5-(b).O painel sinalizador mostrado na figura 5-(a) tem uma massa de 650 kg e é suportado por uma coluna fixa. Determine os esforços internos gerados em A por acção deste carregamento. DEMGi .

Resistência dos Materiais Equações de equilíbrio: Uma vez que o problema é tridimensional. P Esforços internos no ponto A: Esforço normal: Esforço cortante: Esforço de torção: DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Esforços de flexão: . será efectuada uma análise vectorial.

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Exercício 1 . DEMGi . determine os esforços internos que actuam na secção transversal que passa pelo ponto A.Para o carregamento indicado e considerando que a coluna tem uma massa de 200 kg/m.

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . determine os esforços internos que actuam nas secções transversais que passam pelos pontos C e D.Para o carregamento indicado e considerando que os apoios A e B permitem ao eixo girar livremente. DEMGi .Resistência dos Materiais Exercício 2 .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . DEMGi .Resistência dos Materiais Exercício 3 . determine os esforços internos que actuam nas secções transversais que passam pelos pontos C e D.Para o carregamento indicado.

4 m DEMGi .Determine os esforços internos resultantes que actuam nas secções transversais que passam pelos pontos D e E.2 m .9 m 2.3 m 0.Resistência dos Materiais Exercício 4 .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial 1. 670 N 0.

Determine os esforços internos resultantes que actuam na secção transversal que passa pelo ponto B.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Exercício 5 . DEMGi .

localizados nas extremidades de cada elemento. • Uma treliça rígida não deve sofrer grandes deformações ou entrar em colapso sob acção de pequenas cargas. • Todas as cargas devem ser aplicadas nas junções. • Uma treliça triangular composta por três elementos e três nós pode ser considerada uma treliça rígida.Treliças nó nó elemento sujeito a duas forças • Uma treliça é uma estrutura composta por elementos rectos unidos em nós. • Uma treliça deve ser assumida como uma estrutura composta por nós e elementos sujeitos a duas forças.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial B A C .Resistência dos Materiais Análise de Estruturas . • Os elementos são delgados e incapazes de suportar cargas transversais. DEMGi .

3. continuará a ser rígida.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial A C . ligados entre si por um novo nó (D). DEMGi . B • Treliças obtidas repetindo este procedimento são camadas de treliças simples. onde n é o número total de nós.Resistência dos Materiais Treliças Simples D • Uma treliça obtida pela adição de dois novos elementos à treliça básica triangular. • O número total de elementos é m = 2n .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Tipos de Treliças em Aço DEMGi .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial P1 P3 P2 B C n n G D E . Fase 2 – cálculo das reacções. completamente restringida e estaticamente determinada: m + r = 2n A m – número de elementos. Fase 3 – utilização de um dos métodos. n – número de nós. Fase 4 – estado final dos elementos da treliça. • Condição necessária mas não suficiente para uma treliça rígida.Resistência dos Materiais Análise de Treliças • Métodos analíticos (método dos nós e das secções) Fase 1 – diagrama do corpo livre. DEMGi . r – número de reacções nos apoios desconhecidas.

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial Estruturas 3D F F F x 0 y 0 z 0 .Resistência dos Materiais Y Método dos Nós D P E P P L/ C2 B A L/ 2 X L/ 2 • 1º Determinação das reacções RAx RC RAy RAx=-P N RAy=P/2 N RC=3/2P N • 2º Equilíbrio num ponto (nó) Estruturas 2D F F x 0 y 0 DEMGi .

25 P  N ] Estado dos elementos: AD em compressão e AB em tracção. Equilíbrio no ponto A: FAD  P FAB P/2     Fx  0     Fy  0   P  FAD . DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Método dos Nós (Escolha do nó) Pergunta: Qual o primeiro nó onde se deve aplicar o equilíbrio num ponto? Resposta: O nó que apresente o mesmo número de incógnitas e equações.Cos ()  FAB  0 P / 2  FAD .Sin()  0  FAD  0.56 P  N ] FAB  1.

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . BE e CE. removem-se esses membros e estuda-se a porção ABC da treliça como um corpo livre. Assim. Nota: O método deve ser utilizado de modo a obter no máximo três forças desconhecidas. secciona-se através dos membros BD. P1 A FBD FBE C B C P2 B A FCE E P3 P2 n n G D E Para determinar a força no elemento BD da treliça mostrada. DEMGi . pode ser utilizado igual número de equações de equilíbrio para resolver o problema. ou seja.Resistência dos Materiais Método das Secções P1 O método das secções é habitualmente preferido em relação ao método dos nós quando apenas se deseja determinar a força num dos elementos da treliça (ou num número reduzido de elementos). cortar no máximo três elementos.

L / 2  P / 2.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial FED FBD RAy FBA .Resistência dos Materiais Y Método das Secções D L/ 2 RAx RAy P L/ C2 B A • 1º Determinação das reacções P E P RC X L/ 2 RAx=-P N RAy=P/2 N RC=3/2P N • 2º Equilíbrio de uma das partes da treliça seccionada   F   0 6  i 1   F  M  Di  0    6 i 1       FED  0 FED  FBD .Cos ()  FBA  P  0  P / 2  P  FBD .L / 2  P.56 P RAx  F  1.25 P FBA .Sin()  0   FBD  -0.L / 4  0  BA DEMGi .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Método das Secções • 3º Determinação do estado dos elementos 0 E D RAx A 0.56P B RAy 1.25P elemento estado DE nenhum DB compressão AB tracção DEMGi .

Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . DEMGi .Resistência dos Materiais Exercício Resolvido (Método dos Nós) . EG e GD da treliça simples.Determine as forças nos elementos FG.

Resistência dos Materiais Exercício Resolvido (Método das Secções) .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . DI e EI da treliça simples. EI DEMGi .Determine as forças nos elementos DE.

Conclusão Método dos nós – normalmente mais eficiente para a determinação da capacidade de carga em todos os elementos da treliça. Método das secções – normalmente mais eficiente para a determinação do estado particular de um elemento da treliça.Resistência dos Materiais Análise de Treliças . DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .

Resistência dos Materiais Exercício 1 .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .5 kN 2m 2m 2m A C B D 2.5 m G F E DEMGi . determine a força em cada elemento da treliça mostrada.5 kN 12.5 kN 12.5 kN 12.Utilizando o método dos nós. 12.

5 kN B J 1.5 kN 6. 3 kN 3 kN 3 kN F 3 kN D H 3 kN 1. FI e GI da treliça Pratt representada.75 m L A C 3m E G 3m 3m DEMGi .Resistência dos Materiais Exercício 2 .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial I 3m K 3m 3m .Utilizando o método das secções. determine a força nos elementos FH.

4 MPa . determine: a) o diagrama de esforços internos normais. 35 kN 50 kN 1m N [kN]  [MPa] N1=15 kN 1m 2m N2=15 kN x 1=7. formam o sistema composto por três segmentos representado na figura.Resistência dos Materiais Exercício 3: A barra de aço AB (E1 = 210 GPa) com diâmetro d0 = 50 mm e as barras maciças em liga de alumínio BC (E2 = 70 GPa) e latão CD (E3 = 105 GPa). b) as tensões normais máximas em cada um dos segmentos. ambas com diâmetro d = 20 mm.75MPa N3= -35 kN x DEMGi .64 MPa 2= 47.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial 3=-111.

Resistência dos Materiais Exercício 4: Considere uma viga com geometria de secção transversal representada na figura . Para o carregamento indicado: a) Determine as reacções nos apoios A e B. Capitulo 5 .Página 297 m = 500 kg y 12 kN 8 kN/m D C 2m 1m z 1m DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . b) Construa os diagramas de esforços cortantes e de momentos flectores.

5 kN T) DEMGi . e encontra-se submetido a uma carga horizontal provocada pelo vento de 4 kN. (Solução: BE=2. Calcule as forças nas barras BE e BC.Resistência dos Materiais Exercício 5 – Um painel de propaganda é suportado por uma treliça.Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial . BC=1.8 kN T. tal como representado na figura. A análise isolada do painel mostra que 5/8 desta carga é suportada no ponto central C e o restante dividido igualmente entre D e B.

Trigonometria DEMGi .Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial .Resistência dos Materiais Apêndice .