Você está na página 1de 35

Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Engenharia deAlimentos


Lab. de Engenharia Ecológica e InformáticaAplicada

Micro d estilaria d e álco o l


John F. Storfer Engº Mecânico
Prof. Dr. Enrique Ortega Rodriguez (orientador)

“O álcool é o combustível do futuro”

Henry Ford – 1925 entrevista ao


jornal The New Y
ork Times
Definições
• Sustentabilidade ecológica: baseada no
princípio da solidariedade com o planeta, suas
riquezas e com a biosfera que o envolve.
• Sustentabilidade social: é baseada no
princípio da igualdade de distribuição de renda
e de bens, no princípio da igualdade de
direitos a dignidade humana e no princípio de
solidariedade dos laços sociais.
• Sustentabilidade econômica: avaliada a partir
da sustentabilidade social propiciada pela
organização da vida material.
Locais dos Estudos

Fazenda Jardim em Mateus Leme - MG

Microdestilaria deAngatuba - SP
Visão geral
• Produção de etanol em micro escala, auto
sustentável, gerando oportunidades de
emprego, fixação do homem na lavoura,
gerando bons alimentos e contribuindo com um
sistema auto-sustentável.

Para haver uma produção economicamente


viável é preciso aliar a cultura pecuária.
Dados do 1º estudo
Fazenda Jardim – Mateus Leme - MG

A fazenda possui cerca de 50 hectares na área


central de estudo

Sendo que há uma reserva de mata nativa (não


cultivada) de pelo menos 20 hectares.

Segundo o Código Florestal do pais é mais do


que 20% da área da propriedade.

E pode compensar o CO2 produzido na queima


do álcool.
Alguns dados sobre álcool etílico:
Duas possibilidades de consumo:
1 litro de álcool hidratado = 0,7 litros de gasolina
ou
1 litro de gasolina contém 0,25 litros álcool anidro

85% dos carros flex utilizam álcool hidratado

1 tonelada de cana-de-açúcar
produz 70 litros de etanol = 980 litros de vinhaça

1 hectare de cana produz 6.000 litros de etanol


Diagrama Sistêmico
da Fazenda Jardim – Mateus Leme/MG

Lençol Materiais
Freático e Serviços
(nascentes
e rio)

Emprétimo Crédito
Infra-
estrutura
Chuva $ Juros e
Água Poço
amortização do
principal

Vento
Solo Infra-
Biomassa
estrutura
Mata (reserva)
Trabalho
Minerais
Extra-agrícola
do Solo Família (meio período)
Solo

Cerrado

Vapor Consultoria
Solo
Plantação
Sol super-densa Compostagem
de Eucalipto
Cinzas Bagaço
Esterco
Solo
Albedo Álcool
Cana-de- Processo
açúcar Vinhaça Leite

Solo
Micro-destilaria de Álcool
Hortaliças Gado
Aspargos

Frutíferas

$ Materiais
e Serviços
Fazenda Jardim Capim e Pasto
Mateus Leme - MG
1. In fra-estru tu ra

• 50 hectares de terra, das quais 2 a 4


hectares para cana-de-açúcar.
• Galpão com telhado, postes de luz,
instalação elétrica e hidráulica, material
para manutenção, cercas, desníveis de
solo.
O custo sem a terra: R$ 8.845,40
2. Equipamentos
Produção de 50 l/dia
Moenda, tanque de diluição,
dornas de fermentação,
caldeira, coluna de
destilação, alambique e
tambores de armazenagem.

Investimento em
equipamentos
R$ 51.506,00.
Esquema da instalação
Tacho aquecido para rapadura

Coluna de destilação
e alambique

Tanques de Fermentação
3. Insumos
• Lenha e água sem custo

• Bezerros, eletricidade, uréia,


taxas e impostos.

• Custo anual estimado


R$ 16.919,40.
4. DespesasAnuais

• Infra estrutura .......... R$ 325,30


• Preparação .............. R$ 100,00
• Equipamentos .......... R$ 2.841,72
• Insumos ................... R$ 16.919,40
• Serviços ................... R$ 28.224,00

R$ 48.410,42
5. Produtos
• Adubo orgânico...............R$ 23.040,00
• Carne de gado em pé.....R$ 22.613,00
• Etanol .............................R$ 9.030,33
• Melaço.............................R$ 74,88
• Rapadura.........................R$ 37,44
• Eucalipto em pé...............R$ 5.780,00
• Receita total anual estimada

R$ 56.345,65
Custos ............. R$ 48.410,42
6. Materiais Reciclados
• Bagaço
• Palha
• Vinhaça
• Volumoso
• Cinzas de Caldeira

• Poupança total anual (estimada):


R$ 4.879,00
7. Balanço Econômico
Produção de 50 litros/dia
Vendas ............... R$ 56.345,65
Custos ................ R$ 48,410,42
Saldo .................. R$ 7.935,23

Relação Benefício / Custo = 0,164


(16,4%)
Diagrama de Benefício / Custo
em Microdestilarias

0,500
Índices: lucro / despesa

0,426
0,400

0,300
0,251
0,200
0,164
0,100

0,000
0 50 100 150 200 250
litros / dia
Diagrama Sistêmico Angatuba - SP
Materiais
Lençol e Serviços
Freático
(nascente e
riacho) Investime
ntos
Crédito
Infra-
estrut
Chuva $
Água ura
Juros e
Bioma amortizaç
Vento ão do
ssa Solo
principal
Mata
Minerais Nativa
do Solo

Vapor
Sol
Baga
Cinzas
ço
Solo Etano Prefeitu
Albedo
Cana-de- l
Vinha ra
açúcar Processo
ça
Solo Microdestilaria
Hortaliças
Melaço e
Solo Rapadura
Pomar

Angatuba - SP
Região da microdestilaria de Angatuba - SP
Microdestilaria de
ANGATUBA - SP

POMAR

Riacho A A

A A

A A

Oficina A

Casa do
Operador A

HORTA Mudas Depósito

da
ão
n taç com ar
e da úc Microdestilaria
im
Al oen e-aç
M a -d
n A
ca

CANAVIAL Bombonas
Storage Group
Vantagens atuais
 Álcool etílico para combustível hidratado (94%)
 Cinzas do bagaço (adubo potássico - fosfatado)
 Vinhoto para alimentação do gado e refertilização
 Esterco fermentado
 Rapadura

Vantagens futuras
 Bagaço para alimentação de caldeiras
 Aguardente
 Vinhoto para fertilização da plantação
 Bagaço para papel-cartão
 Açúcar mascavo
I Seminário de T
ecnologia para
Pequena Produção de Álcool
21 e 22 de maio de 2007 - Brasília

Como viabilizar?
• Integrar políticas governamentais com pequeno produtor,

• Disponibilizar recursos financeiros,

• Isenções tributárias,

• Acesso às tecnologias para melhoria da produção,

• Qualificar os produtores e

• Criação de um órgão de regulação da atividade.


Legenda dos Índices Emergéticos

Tr  Transformidade (seJ / J)

% R  Renovabilidade

EYR  Razão de Rendimento Emergético

ELR  T
axa da CargaAmbiental

EIR  Razão de Investimento de Emergia

SI  Índice de Sustentabilidade

EER  Razão de Intercâmbio de Emergia


Dados Comparativos entre as microdestilarias de Mateus
Leme eAngatuba com uma
Usina Padrão

1,93E+04 3,26E+05 4,87E+04

93,17 90,84 30,90%


ÍNDICE FAZENDA ANGATUBA USINA
14,67 10,92 1,57
JARDIM P
ADRÃO
Tr
0,07 0,1 2,23
%R
0,07 0,1 1,74
EYR
209,57 109,2 0,71
ELR
0,88 3,36 0,68
EIR
Gráfico Comparativo da Transformidade (Tr)

6,00E+04
4,87E+04
5,00E+04
4,00E+04
(Tr) seJ/J

3,26E+04
3,00E+04
1,93E+04
2,00E+04
1,00E+04
0,00E+00
Faz. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

Quanto maiores os valores, menor sua eficiência


Gráfico Comparativo da
Porcentagem de Renovabilidade (% R)

100 93,17 90,84

80

60
(% R)

40 30,90

20

0
FAZ. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

Quanto maior for o índice, maior a


possibilidade dele ser sustentável
Gráfico Comparativo da
Razão de Rendimento Emergético (EYR)

16 14,67
14
10,92
Razão (EYR)

12
10
8
6
4 1,57
2
0
Faz. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

Quanto maior for esse índice,


maior será a eficiência em sua utilização de
recursos investidos na economia.
Índice = 1 Valor investido = Energia disponibilizada
Gráfico Comparativo da
Taxa de Carga Ambiental (ELR)
na produção de etanol

2,5 2,23
2
Razão (ELR)

1,5
1
0,5 0,07 0,10
0
Faz. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

Quanto maior o índice, maior a pressão causada ao


eco-sistema pelos processos produtivos.

< 2  baixo impacto


2 > X > 10  impacto moderado
> 10  grande impacto ambiental
Gráfico Comparativo da
Razão de Investimento de Emergia (EIR)

2 1,74

1,5
Razão (EIR)

0,5
0,07 0,10
0
FAZ. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais estudados

Quanto menor o índice, mais eficiência no


sistema produtivo, utilizando recursos naturais,
contra recursos financeiros
Gráfico Comparativo do
Índice de Sustentabilidade (SI)

250,00
209,57
200,00
Razão (SI)

150,00
109,20
100,00
50,00
0,71
0,00
FAZ. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

Quanto maior for o índice, menor será o impacto ambiental

SI < 1  economias altamente desenvolvidas


1 < SI < 10  economias em desenvolvimento
SI > 10  economias pouco desenvolvidas
Gráfico Comparativo da
Razão de Intercâmbio de Emergia (EER)
na produção de etanol

4 3,36
Razão EER

2
0,88 0,68
1

0
FAZ. JARDIM ANGATUBA USINA PADRÃO
Locais do estudo

É o Índice do Comércio Justo, quanto mais perto estiver de 1


Conclusões
O desempenho do sistema agro-combustível
frente à sustentabilidade de seu processo e a
baixa agressão ao meio ambiente, representa
um grande fator se comparado às grandes
usinas de cana-de-açúcar, que utilizam
fertilizantes e agrotóxicos em larga escala que
infiltram no subsolo levando ácidos, CO2,
metais pesados e metano.
• A cultura de cana-de-açúcar tem baixo uso de
defensivos agrícolas e insumos químicos, pois se
utiliza da fertirrigação com a vinhaça, palha e
cinzas da caldeira, insumos naturais.
• A análise emergética foi utilizada para poder
analisar a importância dos fatores que cercam a
produção de etanol, podendo ajudar a melhorar o
desempenho de seu processo, com vistas à
sustentabilidade com responsabilidade.
Cálculo do tamanho em hectares da plantação de
cana-de-açúcar em função do uso do etanol em veículos
– Pegada Ecológica –

Quantidade de km percorridos 300 km/semana

Consumo do veículo 15 km/L

Consumo médio por semana 20 L / semana

Consumo médio por mês 90 L/ mês

Consumo médio por ano 1.080,0 L/ ano


Produção anual de etanol na lavoura 6.000 L/ha

Área necessária de plantio de cana 0,18 hectares

Produção de vinhaça proporcional 15.120,0 L/ ano


• Se a alternativa da micro-destilaria é boa o que
é necessário para promovê-la?
• Políticas públicas ao pequeno produtor, acesso
às tecnologias, criação de um órgão regulador
da atividade, dentre outras.
• Quais seriam os grupos e movimentos sociais
interessados?
• Assentamentos agrícolas e pequenos grupos
agro-familiares ou não.
• Quais as ressalvas para um programa de
produção de etanol, alimentos e serviços
ambientais?
• Que se baseiem em baixa produtividade do
etanol aliado a outras culturas silvo-pastoris,
sob a óptica da sustentabilidade ecológica.
CONT
A
TOS

Laboratório de Engenharia Ecológica - FEA

fones: (19) 3521-4058 / 3521-4035

www.fea.unicamp.br/ortega

John Storfer johnnys@fea.unicamp.br


Enrique Ortega ortega@fea.unicamp.br