Você está na página 1de 39

CINESIOLOGIA

PRINCIPIOS MECÂNICOS:

CINEMÁTICA

3º Período de Fisioterapia
Prof. Leandro Agostini
INTRODUÇÃO À CINESIOLOGIA
CONCEITO: combinação de 2 verbos “kinein”(mover) e
“Logus”(estudar).
Estudo do movimento humano;

Indagações:
Como caminha uma pessoa ?
Até onde vai a força muscular ?
Como as aves voam ?

- Com isso houve o surgimento então da Biomecânica.


Biomecânica
- É a utilização e aplicação da mecânica(física que
envolve análise da ação das forças),nos aspectos
anatômicos e funcionais do organismo.

- Avalia o movimento do organismo e o efeito da força


envolvida no movimento.

Essa abordagem e análise do movimento humano pode


ser descrita de 2 formas: QUALITATIVA E QUANTITATIVA.
BIOMECÂNICA
ESTRUTURA

FUNCIONALIDADE
MECÂNICA ( CINÉTICA)
Biomecânica
Forma QUALITATIVA: observado e descrito;
Forma QUANTITATIVA: medida do movimento, uso dos
números;
EX: Saque de vôlei – potência do saque ;
Esse foi um excelente salto - O salto foi de 2,1 metros
de extensão;

Essas duas formas são então componentes de análise


biomecânica.
Cinemática e Cinética

São subdivisões adicionais do estudo


biomecânico, a CINEMÁTICA vai descrever a
forma, característica de espaço e tempo do
movimento já a CINÉTICA está preocupada em
estudar as forças associadas e impostas ao
movimento.
Cinemática e Cinética
CINEMÁTICA
Terminologia padrão do movimento humano:

Para comunicar uma informação específica acerca do


movimento humano é necessária uma terminologia
especializada capaz de identificar com exatidão as
posições e direções corporais.

Em cinesiologia temos o sistema de coordenadas


tridimensionais que nos condiciona a descrever essas
relações anatômicas.
TERMINOLOGIA PADRÃO DO MOVIMENTO
POSIÇÃO ANATÔMICA DE REFERÊNCIA:

- Em pé
- Ereto;
- Palma das mãos p/ frente;
- Olhar p/ o horizonte
TERMINOLOGIA PADRÃO DO MOVIMENTO

TERMOS DE POSIÇÃO E DIREÇÃO:

- Superior: Mais próximo da cabeça (Cranial);


- Inferior; Mais afastado da cabeça (Caudal);
- Anterior: Para a frente do corpo (Ventral);
- Posterior: Para a parte de trás do corpo ( Dorsal);
- Medial: Para a linha média do corpo;
- Lateral: Afastado da linha média do corpo;
- Proximal: Mais próximo do tronco(Ex.joelho é proximal ao tornozelo);
- Distal: Afastado do tronco ( Ex. punho é distal ao cotovelo);
- Superficial: Para a superfície do corpo;
- Profundo : Dentro do corpo e afastado da superfície corporal;
TERMOS DE POSIÇÃO E DIREÇÃO
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Complexo do ombro:

A – depressão/ elevação;
B – adução/ abdução;
C – rotação p/ cima e
p/ baixo;
D – retração ;
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Antebraço mão e dedos:
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Membro inferior : Coxa e Pelve
Anteversão e retroversão

Báscula:
Elevação
Depressão
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Perna, Pé e Dedos:
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Movimentos da Mandíbula (ATM)

A – Fechamento;
B – Abertura;
C – Protração;
D – Retrusão;
E – Lateralização;
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS
Movimentos de cabeça e pescoço
DESCRIÇÃO DOS MOVIMENTOS

Movimentos do Tronco:
PLANOS ANATÔMICOS DE REFERÊNCIA

Planos imaginários dispostos perpendicularmente a


cada um dos outros através do corpo - Planos Cardeais.

PLANOS:
- Sagital: também conhecido como antero-posterior, divide
o corpo verticalmente e duas metades, direita e
esquerda.
- Frontal: também conhecido como coronal, divide o corpo
em duas metades, anterior e posterior.
- Transversal: também chamado de horizontal, separa o
corpo em metades superior e inferior.
PLANOS ANATÔMICOS DE REFERÊNCIA
EIXOS ANATÔMICOS DE REFERÊNCIA

EIXOS:
- Látero - lateral
- Ântero – Posterior
- Longitudinal
Movimentos planos e eixos
PLANO EIXO MOVIMENTO

Sagital Látero – lateral Flexão/Extensão

Frontal Ântero Posterior Abdução/Adução

Horizontal Longitudinal Rotações


MOVIMENTOS NO PLANO SAGITAL
EIXO LÂTERO LATERAL
MOVIMENTOS NO PLANO FRONTAL E EIXO
ÂNTERO POSTERIOR(SAGITAL)
MOVIMENTOS NO PLANO TRANSVERSAL
E EIXO LONGITUDINAL
MOVIMENTOS ESPECIAS
CINEMÁTICA
OSTEOCINEMÁTICA
Movimento dos ossos;

GRAU DE LIBERDADE :
CLASSIFICAÇÃO DE ACORDO COM O NUMERO DE
PLANOS EM QUE O SEUS SEGMENTOS MOVEM –
SE OU O NUMERO DE EIXOS PRIMARIOS QUE ELAS
POSSUEM.
GRAU DE LIBERDADE

Um grau de liberdade - um plano e um eixo.


Ex: Articulações interfalangiana e cotovelo.

Dois graus de liberdade – dois planos e 2 eixos.


Ex: Metacarpofalangianas da mão e radiocárpica do
punho;

Três graus de liberdade – três planos e três


eixos. Articulação tipo esfera. Ex: Quadril e Glenoumeral
do ombro;
Circundução – Articulação com 2 e 3 graus
de liberdade
CADEIAS CINEMÁTICAS
ABERTA – O segmento distal da cadeia move-se
no espaço;

FECHADA – O segmento distal está fixo e as


partes proximais movem – se;
ARTROCINEMÁTICA
MOVIMENTAÇÃO ENTRE AS SUPERFÍCIES
ARTICULARES

MOVIMENTOS ACESSÓRIOS:

- Deslizamento;
- Rolamento;
- Tração;
- Deslizamento Látero – lateral , Antero posterior;
- Rotação;
Artrocinemática
Movimentos acessórios:

Rolamento
Durante o rolamento um osso rola sobre o outro com a seguintes
características :
As superfícies são incongruentes.

Novos pontos de uma superfície encontram novos pontos na superfície


oposta.
Artrocinemática
Deslizamento
Durante o deslizamento um osso desliza sobre o outro com as
seguintes características:

As superfícies articulares precisam ser congruentes.

O mesmo ponto em uma superfície faz contato com novos pontos na


superfície oposta.

O deslizamento não ocorre sozinho devido as superfícies articulares


não serem totalmente planas, ou seja, completamente congruente.
Artrocinemática
Rolamento-Deslizamento combinados
Outros movimentos acessórios
Tração
Durante o movimento de tração as superfícies articulares afastam-se

Ocorre separação das superfícies articulares quando são puxadas


distalmente uma da outra.

Pode ocorrer tração no eixo longo do osso resultando em deslizamento


caudal .

Pode ocorrer tração em ângulo reto onde resulta na separação articular


propriamente dita.
Artrocinemática
Giro
Durante o giro um osso gira sobre o outro com as seguintes
características:

O osso faz uma rotação sobre


um eixo mecânico estacionário.

O ponto na superfície que se move faz


um círculo na medida em que o osso gira.

O giro dificilmente ocorre sozinho,


mas geralmente em combinação com o
deslizamento.
Artrocinemática
Giro
Três exemplos de onde ocorre giro nas articulações do corpo são o
ombro na flexão/ extensão, o quadril na flexão/extensão, e a
articulação radio umeral na pronação/supinação.
Artrocinemática
Efeitos fisiológicos
Além de restaurar a biomecânica articular proporcionam
efeitos fisiológicos, benéficos no tecido articular e nas
estruturas periarticulares, tais como :

Movimenta o líquido sinovial levando nutrientes para as partes


avasculares da articulação.

Mantém a extensibilidade e a força de tensão nos tecidos articulares e


periarticulares.

Impulsos nervosos aferentes de receptores articulares transmitem


informações para o sistema nervoso central e assim provêem percepção
de posição e movimento.
Artrocinemática
Importância da Artrocinemática:
Ex. Abdução da articulação Glenoumeral – ausência do movimento distal
da cabeça do úmero sobre a fossa glenóidea limitaria a elevação da
mão. Tuberosidade maior colidiria com o processo do acrômio e não
deslizaria em baixo dele.
ATIVIDADES